Contabilidade Para NãO Contadores

2,657 views
2,574 views

Published on

Curso básico introdutório de contabilidade

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,657
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
206
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contabilidade Para NãO Contadores

  1. 1. Bem-vindo a todos! Noções de Contabilidade para não Contadores
  2. 2. <ul><li>O participante aprende a analisar e interpretar os procedimentos e relatórios contábeis, mobilizando conhecimentos sobre os processos envolvidos no contexto contábil-financeiro, articulando-os com aqueles da área na qual atua, para aprimorar o desenvolvimento de suas atividades. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>• Introdução Departamento Contábil – Conceito e objetivos; </li></ul><ul><li>• Princípios e normas Contábeis; </li></ul><ul><li>• Patrimônio: bens, direitos e obrigações das </li></ul><ul><li>organizações; </li></ul><ul><li>• Patrimônio Líquido; </li></ul>
  4. 4. <ul><li>• Contas Patrimoniais </li></ul><ul><li>• Balanço Patrimonial </li></ul><ul><li>• Noções de Débito e Crédito </li></ul><ul><li>• Escrituração </li></ul>
  5. 6. <ul><li>• A contabilidade, simplificadamente, é o trabalho que consiste em um método de coletar, processar e transmitir dados sobre a situação econômico-financeira e social de uma entidade em dado momento e a sua evolução em determinado período </li></ul>
  6. 7. <ul><li>• Captar; </li></ul><ul><li>• Registrar; </li></ul><ul><li>• Acumular; </li></ul><ul><li>• Resumir; </li></ul><ul><li>• Apresentar: </li></ul><ul><li>- Os fatos e transações de uma entidade, com o objetivo de controle e tomada de decisões. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>• Investidores; </li></ul><ul><li>• Stakeholders (envolvidos no negócio); </li></ul><ul><li>• Administradores; </li></ul><ul><li>• Analistas de Mercado; </li></ul><ul><li>• Bancos; </li></ul><ul><li>• Fornecedores; </li></ul><ul><li>• Clientes; </li></ul><ul><li>• Governo; </li></ul>
  8. 9. <ul><li>• Investidores, Analistas de Mercado e Governo; </li></ul><ul><li>- Para eles os relatórios contábeis mostram a situação financeiro-econômica da empresa, o resultado de um determinado período e outras informações lhes possibilitam conhecer as vantagens e desvantagens de seu investimento e decidir sobre a conveniência de mantê-lo, desfazer-se dele ou aumentá-lo. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>• Administradores; </li></ul><ul><li>- Internamente auxilia no processo de tomada de decisões pela administração através de um fluxo contínuo de informações sobre os mais variados aspectos da gestão econômico-financeira da empresa. De modo geral, estas informações convencionou a chamada Contabilidade Gerencial. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>• Bancos e credores; </li></ul><ul><li>- Através das demonstrações financeiras que eles decidem sobre a conveniência de emprestar ou não recursos para as empresas, estas dão uma boa idéia da capacidade da empresa de gerar recursos suficientes para a liquidação de seus compromissos nos prazos estabelecidos. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>• Governo; </li></ul><ul><li>- Tem duplo interesse nas informações contábeis. Primeiramente, porque é baseado na contabilidade que se faz a arrecadação de quase todos os tributos. Segundo, a fixação da política econômica, fiscal e mesmo monetária pode ser auxiliada pela análise estatística de dados contábeis disponíveis nas demonstrações financeiras. </li></ul>
  12. 13. A história da contabilidade é tão antiga quanto à própria história da civilização já que sempre houve a necessidade social de proteção à posse, perpetuação e interpretação dos fatos ocorridos com os bens materiais que o homem dispõe. Também se deve a origem da contabilidade à necessidade de registros do comércio. A atividade de troca e venda requeria o acompanhamento das variações de seus bens quando cada transação era efetuada;
  13. 14. É importante lembrarmos que antigamente não havia o crédito, ou seja, as compras, vendas e trocas eram à vista. Posteriormente, empregaram-se ramos de árvore assinalados como prova de dívida ou quitação. O desenvolvimento do papiro (papel) e do cálamo (pena de escrever) no Egito antigo facilitou extraordinariamente o registro de informações sobre negócios. Lembrando que iniciou-se por volta de 8.000 a. C.
  14. 15. No Brasil, com a vinda da Família Real Portuguesa incrementou a atividade colonial, exigindo – devido ao aumento dos gastos públicos e também da renda dos Estados – um melhor aparato fiscal. Para tanto, constituiu-se o Erário Régio ou o Tesouro Nacional e Público, juntamente com o Banco do Brasil (1808).
  15. 16. O maior avanço contábil no Brasil ocorreu com a Lei no. 6404/76, que, além de estabelecer normas contábeis detalhadas, fez uma separação entre a contabilidade para efeitos comerciais e aquela para efeitos fiscais. Podemos dizer que a contabilidade valorizou-se como atividade a partir da lei, quando passou a ser efetuada tendo em vista objetivos mais amplos do que o mero atendimento às exigências fiscais.
  16. 17. <ul><li>Auditoria: Checa contas da empresa, analisa a gestão contábil e faz relatório da situação financeira; </li></ul><ul><li>Perícia: Atua em casos de litígio verificando dados e fazendo parecer para o juiz sobre a situação contábil analisada; </li></ul><ul><li>Contabilidade de custos: mensura custos inerentes e otimiza um processo produtivo em busca de uma maior economia; </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Controladoria: atua junto à contabilidade de custos e passa informações ao gestor para que ele possa tomar decisões; </li></ul><ul><li>Pública: pode trabalhar em empresas governamentais, ser auditor fiscal e perito judicial; </li></ul><ul><li>Docência: Cursos técnicos, livres, faculdades e etc. </li></ul>
  18. 19. O Gestor e os conflitos Gerenciar não é uma tarefa fácil, significa dar suporte, alcançar e manter a motivação da equipe, acompanhar, cobrar, interagir, prover treinamento e ter mente aberta para receber e acatar as críticas. O gerente funciona como uma interface entre a equipe e o cliente. Ele é cobrado pelos resultados e precisa ser ágil na solução dos problemas que possam ocorrer durante o desenvolvimento do trabalho.
  19. 20. <ul><li>Em muitas situações não há tempo hábil para um planejamento da solução. Ela tem que ser imediata. Só há uma saída: FAZER UM BOM PLANEJAMENTO DA SUA ATIVIDADE. </li></ul>
  20. 22. <ul><li>Princípio da Entidade; </li></ul><ul><li>Princípio da Continuidade; </li></ul><ul><li>Princípio da Oportunidade; </li></ul><ul><li>Princípio do Registro Pelo Valor Original; </li></ul><ul><li>Princípio da Atualização Monetária; </li></ul><ul><li>Princípio da Competência; </li></ul><ul><li>Princípio da Prudência. </li></ul>
  21. 23. <ul><li>Princípio da Entidade; </li></ul><ul><li>- O Princípio da ENTIDADE reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes, independentemente de pertencer a uma pessoa, um conjunto de pessoas, uma sociedade ou instituição de qualquer natureza ou finalidade, com ou sem fins lucrativos. Por conseqüência, nesta acepção, o patrimônio não se confunde com aqueles dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedade ou instituição. </li></ul>
  22. 24. <ul><li>Princípio da Continuidade; </li></ul><ul><li>- A CONTINUIDADE ou não da ENTIDADE, bem como sua vida definida ou provável, devem ser consideradas quando da classificação e avaliação das mutações patrimoniais, quantitativas e qualitativas. </li></ul>
  23. 25. <ul><li>Princípio da Oportunidade; </li></ul><ul><li>- O Princípio da OPORTUNIDADE refere-se, simultaneamente, à tempestividade e à integridade do registro do patrimônio e das suas mutações, determinando que este seja feito de imediato e com a extensão correta, independentemente das causas que as originaram. </li></ul>
  24. 26. <ul><li>Princípio do Registro Pelo Valor Original; </li></ul><ul><li>- Os componentes do patrimônio devem ser registrados pelos valores originais das transações com o mundo exterior, expressos a valor presente na moeda do País, que serão mantidos na avaliação das variações patrimoniais posteriores, inclusive quando configurarem agregações ou decomposições no interior da ENTIDADE. </li></ul>
  25. 27. <ul><li>Princípio da Atualização Monetária; </li></ul><ul><li>- Os efeitos da alteração do poder aquisitivo da moeda nacional devem ser reconhecidos nos registros contábeis através do ajustamento da expressão formal dos valores dos componentes patrimoniais. </li></ul>
  26. 28. <ul><li>Princípio da Competência; </li></ul><ul><li>- As receitas e as despesas devem ser incluídas na apuração do resultado do período em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se correlacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento. </li></ul>
  27. 29. <ul><li>Princípio da Prudência; </li></ul><ul><li>- O Princípio da PRUDÊNCIA determina a adoção do menor valor para os componentes do ATIVO e do maior para os do PASSIVO, sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido. </li></ul>
  28. 30. <ul><li>A inobservância dos Princípios Fundamentais de Contabilidade constitui infração nas alíneas “c”, “d” e “e” do art. 27 do Decreto-Lei n.º 9.295, de 27 de maio de 1946 e, quando aplicável, ao Código de Ética Profissional do Contabilista. </li></ul>
  29. 32. <ul><li>Patrimônio: </li></ul><ul><li>É o conjunto de bens, direitos de uma pessoa, física ou jurídica, que possam ser avaliados em moeda. </li></ul><ul><li>O maior bem de um ser humano é a vida. Entretanto, como não apresenta valor monetário, esse bem a Contabilidade não controla. O contabilista pode controlar o dinheiro, os imóveis, as mercadorias, as contas a receber, as dívidas e demais bens, direitos e obrigações avaliáveis economicamente. </li></ul>
  30. 33. <ul><li>Patrimônio: </li></ul><ul><li>É composto de elementos positivos e negativos. Os bens e direitos representam o aspecto positivo patrimonial. As obrigações, o aspecto negativo – ainda que as dívidas superem os bens e direitos o patrimônio existe. </li></ul><ul><li>Ativo = Bens + Direitos </li></ul><ul><li>Passivo Exigível = Dívidas </li></ul>
  31. 34. <ul><li>Ativo </li></ul><ul><li>Ativo compreende as aplicações de recursos representados por Bens e direitos. </li></ul><ul><li>Ativo = Bens + Direitos </li></ul>
  32. 35. <ul><li>Passivo: </li></ul><ul><li>Compreende as origens de recursos representados pelas obrigações para com terceiros; </li></ul><ul><li>Passivo Exigível = Dívidas </li></ul>
  33. 36. <ul><li>Bens: </li></ul><ul><li>- É tudo aquilo capaz de satisfazer as necessidades humanas e que pode ser avaliado economicamente, tenha valor de troca ou venda. Por exemplo: uma máquina, uma carro, dinheiro, jóias, terrenos, computador, prateleiras, mercadorias, etc. </li></ul>
  34. 37. <ul><li>Bens materiais : </li></ul><ul><li>possuem matéria, podem ser tocados. Por exemplo: máquinas, instalações, mercadorias, equipamentos etc. </li></ul><ul><li>Bens imateriais: </li></ul><ul><li>não podem tocados, mas têm valor de troca ou venda. Exemplo: marcas, patentes, direitos autorais, ações etc. </li></ul>
  35. 38. <ul><li>Bens móveis: </li></ul><ul><li>podem ser levados de um lugar a outro sem perder suas características. Exemplos: podem ser levados de um lugar a outro sem perder suas características. Ex: móveis, veículos, alimentos etc. </li></ul><ul><li>Bens imóveis: </li></ul><ul><li>não podem ser movidos sem perderem suas características. Ex: casas, edifícios, terrenos etc. </li></ul>Os bens podem ser divididos em
  36. 39. <ul><li>Direitos: </li></ul><ul><li>- São valores que a empresa tem a receber de terceiros. Na contabilidade, os direitos aparecem geralmente com seus nomes seguidos da expressão “a Receber”. Como exemplo, temos: Aluguéis a Receber, Duplicatas a Receber, Promissórias a Receber etc. </li></ul>
  37. 40. <ul><li>Obrigações (deveres): </li></ul><ul><li>- São valores assumidos pela empresa por conta da existência de dívida, comprometendo-se a pagá-los a terceiros. Na contabilidade, as obrigações aparecem com o nome do elemento seguido da expressão “a Pagar”. Exemplos: Duplicatas a Pagar, Impostos a Pagar, Salários a Pagar etc. </li></ul>
  38. 41. <ul><li>Balanço Patrimonial: é a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, o Patrimônio e o Patrimônio Líquido da entidade. </li></ul><ul><li>É constituído pelo Ativo, Passivo e o Patrimônio Líquido. </li></ul>
  39. 42. <ul><li>Já vimos que o Patrimônio é o conjunto dos Bens, Direitos e Obrigações da empresa. Porém, para que possamos registrar, demonstrar e analisar os fatos ocorridos neste Patrimônio é necessário ressaltar dois aspectos do mesmo: </li></ul><ul><li>ASPECTO QUALITATIVO; e </li></ul><ul><li>ASPECTO QUANTITATIVO </li></ul>
  40. 43. <ul><li>Aspecto Qualitativo: </li></ul><ul><li>Consiste em qualificar o Patrimônio. Diz respeito à espécie e natureza dos bens, direitos e obrigações. Assim podemos considerar que o Patrimônio da empresa é o que ela possui de bens, direitos e obrigações. </li></ul>Bens Direitos Obrigações Dinheiro Veículos Máquinas Duplicatas a Receber Promissórias a Receber Duplicatas a Pagar Impostos a Pagar
  41. 44. <ul><li>Consiste em quantificar, dar valores ao Patrimônio. Não basta à Contabilidade saber “o que” a empresa possui, mas também “quanto” ela possui. </li></ul>Bens Direitos Obrigações Dinheiro R$ 500,00 Veículos R$5.000,00 Máquinas R$1.000,00 Duplicatas a Receber R$ 300,00 Promissórias a Receber R$ 200,00 Duplicatas a Pagar R$ 800,00 Impostos a Pagar R$ 50,00
  42. 46. <ul><li>O Patrimônio Líquido é o quarto grupo de elementos que, juntamente com os Bens, Direitos e Obrigações, completará a Representação Gráfica do Patrimônio. Com isso, o lado esquerdo (Ativo) será igualado ao lado direito (Passivo + Patrimônio Líquido), dando à representação uma forma de equação. </li></ul><ul><li>ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul>
  43. 47. <ul><li>O Patrimônio Líquido (PL) é composto pelos seguintes elementos: </li></ul><ul><ul><li>Capital; </li></ul></ul><ul><ul><li>Reservas; e </li></ul></ul><ul><ul><li>Lucros ou Prejuízos Acumulados. </li></ul></ul>
  44. 50. Reservas: - em geral constituem-se de saldos em dinheiro que não podem ser distribuídos aos investidores na forma de lucros ou dividendos, devendo ser incorporados ao Capital Social ou compensados com lucros acumulados, quando não houver mais saldo de Reserva de Lucros disponíveis para esse fim. Não representam receitas ou ganhos e não transitam pelo Resultado como Receitas. Algumas subvenções e benefícios fiscais governamentais entregues às empresas para fins de aquisição de bens de capital, são contabilizadas como reservas de capital.
  45. 51. <ul><li>Lucros ou Prejuízos Acumulados: </li></ul><ul><li>- Representam o saldo remanescente da conta Lucros ou Prejuízos Acumulados como, por exemplo, os lucros não distribuídos, não capitalizados ou ainda não apropriados na formação de reservas de lucros. </li></ul>
  46. 52. <ul><li>ATIVO PASSIVO </li></ul><ul><li>Caixa Impostos </li></ul><ul><li>Bancos Obrigações a pagar </li></ul><ul><li>Bens Estoque Duplicatas a </li></ul><ul><li>Veículos pagar </li></ul><ul><li>Máquinas </li></ul><ul><li>Duplicatas a Patrimônio Capital </li></ul><ul><li>Direitos Receber Líquido Reservas </li></ul><ul><li>Promissórias a Lucros ou </li></ul><ul><li>Receber Prejuízos </li></ul>
  47. 53. <ul><li>Contas Patrimoniais </li></ul>
  48. 54. <ul><li>Contas: </li></ul><ul><li>- Conta é o nome técnico dado aos componentes patrimoniais (Bens, Direitos, Obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado (Despesas e Receitas). É por meio das contas que a Contabilidade consegue desempenhar o seu papel. </li></ul>
  49. 55. <ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>Caixa Fornecedores Capital Social </li></ul><ul><li>Lucro ou Prejuízo </li></ul><ul><li>Despesa Diversas Receita de Venda Acumulado </li></ul>
  50. 56. <ul><li>Contas Patrimoniais: </li></ul><ul><li>ATIVO PASSIVO </li></ul><ul><li>Bens Obrigações </li></ul><ul><li> Direitos Patrimônio Líquido </li></ul>
  51. 57. <ul><li>As Contas podem ser classificadas em: </li></ul><ul><li>Contas Patrimoniais; </li></ul><ul><li>Contas de Resultado; </li></ul><ul><li>Contas Extrapatrimoniais (Contas de Compensação). </li></ul>
  52. 58. <ul><li>Contas Patrimoniais: </li></ul><ul><li>- Representam o patrimônio da empresa. Divide-se em contas do Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido. </li></ul><ul><li>ATIVO PASSIVO + PL </li></ul><ul><li>Bens Obrigações </li></ul><ul><li> Direitos Patrimônio Líquido </li></ul>
  53. 59. <ul><li>Ativos: </li></ul><ul><li>Representa os “bens, direitos e valores a receber” de uma empresa ou entidade. </li></ul><ul><li>É dividido em Circulante, Realizável a Longo Prazo e Permanente; </li></ul><ul><li>No ativo circulante estão registrados os bens e direitos com realização inferior a 360 dias (usualmente). </li></ul><ul><li>ATIVO = NATUREZA DEVEDORA </li></ul><ul><li>São exemplos de ativos circulantes: </li></ul><ul><li>Disponibilidades (Caixa, Bancos/Aplicações financeiras); </li></ul><ul><li>Contas a receber de clientes; e </li></ul><ul><li>Estoques </li></ul>
  54. 60. <ul><li>No ativo realizável a longo prazo estão registrados os bens e direitos cujos prazos esperados de realização se situam após o término do exercício subseqüente à data do balanço patrimonial. </li></ul><ul><li>São exemplos de ativos realizáveis a longo prazo: </li></ul><ul><li>Transações com sociedades coligadas ou controladas; e </li></ul><ul><li>Todos os bens e direitos com realização superior a 360 dias (usualmente). </li></ul>
  55. 61. <ul><li>No ativo permanente estão registrados os bens e direitos destinados à manutenção das atividades da empresa e para os quais não há propósito de realização por venda. </li></ul><ul><li>São exemplos de ativos permanentes: </li></ul><ul><li>Investimentos : São participações permanentes em outras sociedades e os bens e direitos que não se destinem à manutenção das atividades da companhia ou empresa. Ex: Investimento em outras sociedades e obras de arte. </li></ul>
  56. 62. <ul><li>Imobilizado: São os bens e direitos, tangíveis e intangíveis, utilizados na consecução das atividades – fins da entidade. Ex: Terrenos, máquinas e equipamentos (tangíveis); patentes e direitos autorais (intangíveis). </li></ul><ul><li>Diferido: Aplicações de recursos em despesas que contribuirão para formação do resultado de mais de um exercício social. Ex: Gastos pré-operacionais. </li></ul>
  57. 63. <ul><li>ATIVO PASSIVO + PL </li></ul><ul><li>Circulante </li></ul><ul><li>Caixa </li></ul><ul><li>Disponibilidade Bancos </li></ul><ul><li>Duplicatas </li></ul><ul><li>a receber </li></ul><ul><li>Realizável a Valores a Obrigações </li></ul><ul><li>Longo Prazo Receber> 360d </li></ul><ul><li>Permanente </li></ul><ul><li>Investimento Lojinha Ltda </li></ul><ul><li>Imobilizado Terreno Patrimônio Líquido </li></ul><ul><li>Diferido Instalações </li></ul>
  58. 64. <ul><li>Imobilizado: São os bens e direitos, tangíveis e intangíveis, utilizados na consecução das atividades – fins da entidade. Ex: Terrenos, máquinas e equipamentos (tangíveis); patentes e direitos autorais (intangíveis). </li></ul><ul><li>Diferido: Aplicações de recursos em despesas que contribuirão para formação do resultado de mais de um exercício social. Ex: Gastos pré-operacionais. </li></ul>
  59. 65. <ul><li>Passivo </li></ul><ul><li>Representa todas as obrigações contraídas pela empresa para com terceiros. </li></ul><ul><li>É dividido em Circulante e Exigível a Longo Prazo. </li></ul><ul><li>No passivo circulante são registradas as obrigações conhecidas e os encargos estimados da empresa cuja liquidação se espera que ocorra dentro do exercício social, normalmente inferior a 360 dias </li></ul><ul><li>PASSIVO = NATUREZA CREDORA </li></ul>
  60. 66. <ul><li>São exemplos de passivos circulantes: </li></ul><ul><li>Fornecedores; </li></ul><ul><li>Empréstimos e financiamentos; </li></ul><ul><li>Salários a pagar; </li></ul><ul><li>Encargos a recolher; e </li></ul><ul><li>Imposto a recolher </li></ul><ul><li>No exigível a longo prazo são registradas as obrigações com exigibilidade superior a 360 dias (usualmente). </li></ul>
  61. 67. <ul><li>São exemplos de passivos exigíveis a longo prazo: </li></ul><ul><li>Empréstimos e financiamentos; e </li></ul><ul><li>Impostos e contribuições. </li></ul><ul><li>Balanço </li></ul><ul><li>ATIVO PASSIVO + PL </li></ul><ul><li>Circulante Circulante Fornecedores </li></ul><ul><li> Impostos a Recolher </li></ul><ul><li>Salários a Pagar </li></ul><ul><li>Realizável a Exigível a Empréstimo </li></ul><ul><li>Longo Prazo Longo Prazo Financiamento </li></ul><ul><li>Permanente Patrimônio Capital Social </li></ul><ul><li>Líquido Lucro do Exercício </li></ul>
  62. 68. <ul><li>Contas de Resultado: </li></ul><ul><li>- Representam as Receitas, os Custos e as Despesas. A principal característica dessas contas é que, ao final de cada exercício, os saldos são transferidos para uma conta transitória bilateral, a título de Resultado do Exercício, ou seja, são zeradas quando do encerramento do exercício. Para as contas redituais, representativas de valores positivos, temos o grupo das Receitas e para as representativas de valores negativos, temos o grupo dos Custos e Despesas. </li></ul>
  63. 69. <ul><li>Despesas – gastos desembolsados ou previstos pela sociedade com o fim de gerar receitas ou, em outras palavras, o consumo de recursos no processo de geração de receitas. </li></ul><ul><li>Exemplos de despesas: </li></ul><ul><li>Salários de empregados; </li></ul><ul><li>Depreciação; </li></ul><ul><li>Juros; </li></ul><ul><li>Comissões, etc. </li></ul><ul><li>DESPESAS = NATUREZA DEVEDORA </li></ul>
  64. 70. <ul><li>Receitas: Representam os valores que uma sociedade recebe ou tem direito a receber, provenientes de suas operações. Exemplos: </li></ul><ul><li>Receita de serviços; </li></ul><ul><li>Receita de aluguel; </li></ul><ul><li>Receita de vendas; </li></ul><ul><li>Receita financeiras, etc </li></ul><ul><li>RECEITAS = NATUREZA CREDORA </li></ul>
  65. 71. <ul><li>Lucro ou Prejuízo: é a diferença entre as despesas e as receitas de um determinado período. Pode ocorrer: </li></ul><ul><li>Lucro = Receitas > Despesas </li></ul><ul><li>Prejuízo = Receitas < Despesas </li></ul><ul><li>Situação nula = Receitas = Despesas </li></ul><ul><li>Lucros aumentam o PL; </li></ul><ul><li>Prejuízos reduzem o Patrimônio Líquido. </li></ul>
  66. 72. CONTAS PATRIMONIAIS ATIVO PASSIVO + PL SALDO DEVEDOR SALDO CREDOR CONTAS DE RESULTADOS DESPESAS RECEITAS SALDO DEVEDOR SALDO CREDOR
  67. 73. <ul><li>Contas Extrapatrimoniais: </li></ul><ul><li>- Além dos grupos de contas apresentados, existem as constas extrapatrimoniais ou de compensação, que, mesmo não figurando como conta patrimonial ou de resultado, desempenham importante função dentro da empresa, auxiliando no controle e no registro de dados dos fatores que fatores que poderão vir a afetar o patrimônio da empresa de forma ativa ou passiva. </li></ul>
  68. 74. <ul><li>Algumas dessas contas: </li></ul><ul><li>Contratos de seguros; </li></ul><ul><li>Avais recebidos de terceiros; </li></ul><ul><li>Avais dados a terceiros; </li></ul><ul><li>Hipotecas oferecidas; </li></ul><ul><li>Contratos de empréstimos e financiamentos a liberar; </li></ul><ul><li>Mercadorias de terceiros; etc. </li></ul>
  69. 75. <ul><li>Contas Retificadoras: </li></ul><ul><li>- São contas que possuem a finalidade de ajustar as contas patrimoniais Ativas e Passivas. Têm como característica predominante o saldo negativo e o fundamento na legislação e no princípio da prudência. Deve-se sempre contabilizar o menor valor possível do ATIVO e o maior valor possível do PASSIVO, o que ocorre sempre que conhecemos um fato que modificará nosso balanço. Por Exemplo: </li></ul>
  70. 76. <ul><li>Um cliente está devendo há dois anos e a única informação que temos dele é que foi morar no exterior. Portanto, é certo que não recebermos mais o valor da dívida. </li></ul><ul><li>Algumas Contas retificadoras são: </li></ul><ul><li>Provisão para Devedores Duvidosos; </li></ul><ul><li>Provisão para Ajustes de Estoque; </li></ul><ul><li>Capital a Integralizar; (PL) – redutora da conta Capital; </li></ul><ul><li>ICMs/Venda; (Resultado) – redutora da conta Vendas; </li></ul><ul><li>IPIs/Venda; (Resultado) – redutora da conta Vendas; </li></ul><ul><li>ISSs/Serviços (Resultado) – redutora da conta Serviços. </li></ul>
  71. 78. <ul><li>Débito – Lançamento contábil que evidencia o aumento ou diminuição de uma conta contábil; </li></ul><ul><li>Crédito – Lançamento contábil que evidencia o aumento ou diminuição de uma conta contábil ; </li></ul><ul><li>- Então, como se pode notar, não há diferença entre um débito e um crédito. As palavras débito e crédito são utilizadas somente como uma designação dos lados de um lançamento contábil. </li></ul><ul><li>Débito – Lançamento do lado esquerdo de uma razonete </li></ul><ul><li>Crédito - Lançamento do lado direito de uma razonete </li></ul>NOÇÕES DE DÉBITO E CRÉDITO
  72. 79. <ul><li>O lado do Ativo é igual a débito porque as contas que o compõem são de natureza devedora, com exceção das Contas Retificadoras, que embora credoras, figuram no Ativo. </li></ul>NOÇÕES DE DÉBITO E CRÉDITO CONTA DÉBITO CRÉDITO
  73. 80. <ul><li>O lado do Passivo é igual a crédito porque as contas que o compõem são de natureza credora, com exceção das Contas Retificadoras, que, embora devedoras figuram no Passivo. </li></ul><ul><li>Então, temos o seguinte: se uma conta contábil for Ativa, todo lançamento débito representa um aumento deste ativo, ou seja, todo lançamento do lado esquerdo do razonete de uma conta ativa representa um aumento ou débito desta conta. </li></ul>NOÇÕES DE DÉBITO E CRÉDITO
  74. 81. <ul><li>CAIXA MÁQUINA </li></ul><ul><li>(1) 1.000 200 (2) (2) 200 </li></ul><ul><li> 800 200 </li></ul>NOÇÕES DE DÉBITO E CRÉDITO ATIVO Débito > Crédito <
  75. 82. <ul><li>No caso de uma conta contábil Passiva, todo lançamento a crédito representa um aumento deste passivo, ou seja, todo lançamento do lado direito do razonete de uma conta passiva representa um aumento ou crédito nesta conta. </li></ul>NOÇÕES DE DÉBITO E CRÉDITO
  76. 83. FORNECEDOR EMPRÉSTIMO (2) 1.000 1.200 (1) 1.000 (2) 200 PASSIVO Débito < Crédito >
  77. 84. <ul><li>Plano de Contas: </li></ul><ul><li>É obrigatório e necessário, deve ser registrado juntamente com os documentos da empresa. É por meio deste documento que serão classificados e contabilizados os fatos ocorridos na empresa. </li></ul><ul><li>Na indústria, comércio e serviço cada empresa pode elaborar o plano de contas conforme suas necessidades e controle interno. </li></ul>PLANO DE CONTAS
  78. 85. <ul><li>As Instituições Financeiras (Bancos), as Seguradoras e as Financeiras possuem um plano de contas pré definido por seus reguladores, BACEN E SUSEP. </li></ul><ul><li>A seguir, o quadro, exemplo, demonstra os grupos e subgrupos do Ativo. </li></ul>PLANO DE CONTAS
  79. 86. PLANO DE CONTAS O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) está em fase de elaboração e previsto para entrar em atividade em 2012. O Sistema terá Plano de contas definido para todos os tipos de empresa, conforme suas atividades. Código Classificação Descrição da Conta 1 Ativo 2 1.1 Ativo Circulante 3 1.1.1 Disponível 4 1.1.1.01 Caixa 5 1.1.1.01.001 Caixa Geral 8 1.1.1.02.001 Banco do Brasil
  80. 87. <ul><li>Escrituração </li></ul>
  81. 88. <ul><li>É uma técnica que consiste em registrar nos livros próprios (Diário, Razão, Caixa etc.) todos os fatos administrativos que ocorrem na empresa. </li></ul><ul><li>O método utilizado para a escrituração dos fatos administrativos é o das partidas dobradas: não há devedor sem que haja credor e não há credor sem devedor, sendo que o total de débitos corresponde ao total de créditos – ver observação a seguir. </li></ul>
  82. 89. <ul><li>Obs.: Em caso de dúvida, </li></ul><ul><ul><li>1. A NBC T 2 é a norma técnica referente à escrituração contábil emitida pelo Conselho Federal de Contabilidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>2. O novo Código civil (NCC), em seus artigos 1.179 a 1.195, manifesta-se sobre a escrituração contábil. </li></ul></ul>
  83. 90. <ul><li>É o meio pelo qual se processa a escrituração. </li></ul><ul><li>Os fatos administrativos são registrados por meio do lançamento, inicialmente no livro Diário, mediante documentos que comprovem a legitimidade da operação (Notas Fiscais, Recibos, Contratos etc.). </li></ul>
  84. 91. <ul><li>O lançamento é feito em ordem cronológica (data) e compõem os seguintes elementos essenciais: </li></ul><ul><li>Local e data da ocorrência do fato; </li></ul><ul><li>Conta a ser debitada; </li></ul><ul><li>Conta a ser creditada; </li></ul><ul><li>Histórico; e </li></ul><ul><li>Valor. </li></ul><ul><li>Obs.: O lançamento deverá conter os cinco itens mencionados acima, de forma clara e objetiva, sempre registrando conforme o documento-suporte e de maneira que qualquer pessoa possa localizar o devido documento-suporte à contabilidade. </li></ul>
  85. 92. <ul><li>O histórico deverá constar em todos os lançamentos. O ideal é que ele seja capaz de identificar o fato gerador e o documento. Assim, podemos obter respostas para os seguintes questionamentos: </li></ul><ul><li>Paguei o quê? </li></ul><ul><li>Conforme o quê? Qual documento (nº)? </li></ul><ul><li>Para quem (qual empresa / pessoa)? </li></ul><ul><li>Qual forma de pagamento / recebimento (cheque, débito, fatura etc.)? </li></ul>
  86. 93. <ul><li>ATIVO PASSIVO </li></ul><ul><li>Aumento Diminuição Diminuição Aumento </li></ul><ul><li>Débito Crédito Débito Crédito </li></ul><ul><li> DESPESA RECEITA </li></ul><ul><li>Quando ocorrer Encerramento Estorno ou </li></ul><ul><li>Despesa de Exercício encerramento Quando ocorrer </li></ul><ul><li>Débito Crédito de exercício Receita </li></ul><ul><li>Débito Crédito </li></ul>
  87. 94. <ul><li>Fórmulas de lançamento: Um mesmo lançamento poderá conter mais de uma conta debitada ou creditada. Daí a existência de quatro fórmulas de lançamento </li></ul>
  88. 95. <ul><li>1ª. Fórmula: Quando aparecerem no lançamento uma conta debitada e uma conta creditada. </li></ul><ul><li>Exemplo: Abertura de empresa pelos sócios, no valor total de R$100.000,00, depositando o valor no Banco no dia 02 de janeiro de 20X1, conforme contrato Social. </li></ul>
  89. 96. 11102001 Bancos C/Mov. 24101001 Capital (1) 100.000 100.000 (1) São Paulo, 02 de janeiro de 20x1 11102001 Bancos Conta movimento 24101001 a Capital Integralização do Capital, conforme Contrato Social 100.000
  90. 97. <ul><li>2ª. Fórmula: Quando aparecerem no lançamento uma conta debitada e mais de uma conta creditada. </li></ul><ul><li>Exemplo: Compra de produtos para revenda conforme nota fiscal n. 100, sendo o pagamento 50% a vista e 50% a prazo (venc. 30 dias), no valor de R$1.000,00; </li></ul>
  91. 98. 11102001 Bancos C/Mov. 24101001 Capital (1) 100.000 100.000 (1) (2) 1.000 500 (2) São Paulo, 05 de janeiro de 20x1 11501001 Bancos Conta movimento 24101001 a Capital Integralização do Capital, conforme Contrato Social 100.000
  92. 99. <ul><li>3ª. Fórmula: Quando aparecerem no lançamento uma conta debitada e uma conta creditada. </li></ul><ul><li>4ª. Fórmula: Quando aparecem no lançamento mais de uma conta debitada e mais de uma conta creditada. </li></ul>
  93. 100. <ul><li>Principais Lançamentos </li></ul><ul><li>Abertura de uma empresa com quatro sócios. Cada sócio integralizará no valor de R$5.000,00, conforme Contrato Social. </li></ul><ul><li>D – Capital a Integralizar </li></ul><ul><li>C – Capital Social R$20.000,00 </li></ul><ul><li>Integralização parcial de 50% de cada sócio, em XX/XX/XXXX. </li></ul><ul><li>D – Bancos c/Movimento </li></ul><ul><li>C – Capital a Integralizar R$10.000,00 </li></ul><ul><li>Compra de Móveis no valor de R$1.000,00, sendo 50% a vista e 50 a prazo </li></ul><ul><li>D – Móveis e Utensílios </li></ul><ul><li>C – Banco c/ Movimento R$500,00 </li></ul><ul><li>C – Contas a Pagar R$500,00 R$1.000,00 </li></ul>
  94. 101. <ul><li>Pagamento de Seguro em parcela única de R$1.000,00, cobertura de 12 meses – 01/07/x0 a 31/06/x1; </li></ul><ul><li>D – Seguro a Vencer </li></ul><ul><li>C – Banco c/ Movimento R$1.000,00 </li></ul><ul><li>D – Despesa com Seguro </li></ul><ul><li>C – Seguro a Vencer R$ 500,00 em 31/12/x0 </li></ul><ul><li>Compra de mercadoria para revenda, a prazo, no valor de R$5.000,00, com ICMS de 10%. </li></ul><ul><li>D – Estoque de Mercadorias R$4.500,00 </li></ul><ul><li>D – ICMS a Recuperar R$ 500,00 </li></ul><ul><li>C – Fornecedor R$5.000,00 </li></ul>
  95. 102. <ul><li>Venda de mercadoria, a prazo, no valor total de R$8.000,00, com ICMS de 10%. Com CMV de R$5.000,00 </li></ul><ul><li>D – Clientes R$8.000,00 </li></ul><ul><li>C – Mercadorias R$7.200,00 </li></ul><ul><li>C – ICMS a Recolher R$ 800,00 </li></ul><ul><li>D – CMV R$5.000,00 </li></ul><ul><li>C – Mercadorias R$5.000,00 </li></ul>
  96. 103. Atividade de Fixação <ul><li>A empresa ABC Brasil é constituída com um capital de R$10.000,00, totalmente integralizado. Do valor total, R$5.000,00 depositado em Banco; R$2.000,00 em Móveis; R$2.000,00 em Estoque de Mercadorias; R$500,00 em gastos com pintura; R$500,00 em Material de escritório. </li></ul>
  97. 104. Atividade de Fixação <ul><li>Separar as Compras em Ativas, Passivas e PL; </li></ul><ul><li>Compra de Mercadorias, a Prazo, no valor total de R$1.000,00, isenta de ICMS; </li></ul><ul><li>Financiamento de um carro no valor de R$24.000,00, em 24 meses, com juros simples de 1% a.m., primeira parcela a vista; </li></ul><ul><li>Venda de mercadoria, a prazo, por R$3.000,00 (50% do estoque); </li></ul><ul><li>Venda de mercadoria, a vista, por R$1.000,00 (50% do estoque); </li></ul><ul><li>Compra de Mercadoria, a vista, por R$500,00 </li></ul><ul><li>Pagamento de contas: Água, Luz, Telefone por R$500,00, a vista. </li></ul><ul><li>Agendamento de R$3.000,00, ref. ao salário do único funcionário p/ dia 05; </li></ul><ul><li>Contabilização dos encargos trabalhistas: FGTS R$240,00 (8%), INSS empregador R$600,00 (20%); </li></ul><ul><li>Despesa com manutenção do carro: R$2.000,00, em 4 vezes; </li></ul><ul><li>Pagamento do salário do funcionário; e </li></ul><ul><li>Apuração do Resultado do Exercício. </li></ul>

×