• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE SUBMARINOS (PROSUB)  Apresentação na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional CRE-SF, 13 de fevereiro de 2014  Alte Esq (RM1) Max
 

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE SUBMARINOS (PROSUB) Apresentação na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional CRE-SF, 13 de fevereiro de 2014 Alte Esq (RM1) Max

on

  • 154 views

 

Statistics

Views

Total Views
154
Views on SlideShare
151
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
16
Comments
0

1 Embed 3

http://www.linkedin.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • UNASUR <br /> CDS – RODIZIO <br /> POLITICA DE COOPERAÇÃO X POLÍTICA DE DISSUASÃO <br /> CATÁSTROFES NATURAIS <br />
  • A atual etapa de projeto, iniciada em 06 de julho de 2012 e que recebe a denominação de “Fase de Concepção” deverá estar concluída no final de junho deste ano. A próxima etapa, designada como “Fase Preliminar”, deverá ter início em 26 de Agosto também deste ano e tem a previsão inicial de duração de cerca de dois anos e meio. Nesta etapa do processo, o grau de detalhamento do submarino será enriquecido de forma planejada e seguindo uma rigorosa sistemática de planejamento, com a assistência técnica da empresa DCNS. <br /> Em seguida será realizada a “Fase de Contrato” voltada para as definições técnicas e industriais necessárias à construção do submarino. Esta etapa do processo terá uma duração de aproximadamente seis meses. Desta forma, este processo que se caracteriza por ser contínuo e de elevado rigor técnico científico, permitirá que se alcance o “Projeto Básico” do SN-BR. A partir deste ponto, Alta Administração da Marinha do Brasil, após uma acurada análise, terá condições de autorizar o início da construção propriamente dita do SN-BR que será iniciada em 2017, no Estaleiro do complexo EBN. Esta construção ficará a cargo da empresa ICN, sob a fiscalização e supervisão técnica da Marinha do Brasil. <br />
  • A atual etapa de projeto, iniciada em 06 de julho de 2012 e que recebe a denominação de “Fase de Concepção” deverá estar concluída no final de junho deste ano. A próxima etapa, designada como “Fase Preliminar”, deverá ter início em 26 de Agosto também deste ano e tem a previsão inicial de duração de cerca de dois anos e meio. Nesta etapa do processo, o grau de detalhamento do submarino será enriquecido de forma planejada e seguindo uma rigorosa sistemática de planejamento, com a assistência técnica da empresa DCNS. <br /> Em seguida será realizada a “Fase de Contrato” voltada para as definições técnicas e industriais necessárias à construção do submarino. Esta etapa do processo terá uma duração de aproximadamente seis meses. Desta forma, este processo que se caracteriza por ser contínuo e de elevado rigor técnico científico, permitirá que se alcance o “Projeto Básico” do SN-BR. A partir deste ponto, Alta Administração da Marinha do Brasil, após uma acurada análise, terá condições de autorizar o início da construção propriamente dita do SN-BR que será iniciada em 2017, no Estaleiro do complexo EBN. Esta construção ficará a cargo da empresa ICN, sob a fiscalização e supervisão técnica da Marinha do Brasil. <br />
  • Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP <br /> Para fornecer à alimentação escolar, o agricultor familiar deve possuir Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP. <br /> Se grupo informal, deve possuir DAP Física. <br /> Se associação ou cooperativa, deve possuir DAP Jurídica, que é o instrumento que identifica as formas associativas dos agricultores familiares organizadas em pessoas jurídicas devidamente formalizadas. Também é denominada DAP especial e deve, obrigatoriamente, conter a relação completa de cada associado vinculado a ela com seus respectivos números de DAP Física. <br />

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE SUBMARINOS (PROSUB)  Apresentação na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional CRE-SF, 13 de fevereiro de 2014  Alte Esq (RM1) Max PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE SUBMARINOS (PROSUB) Apresentação na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional CRE-SF, 13 de fevereiro de 2014 Alte Esq (RM1) Max Presentation Transcript

  • MARINHA DO BRASIL DIRETORIA-GERAL DO MATERIAL DA MARINHA COORDENADORIA-GERAL DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE SUBMARINO COM PROPULSÃO NUCLEAR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE SUBMARINOS (PROSUB) Evento: Apresentação na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional CRE-SF Data: 13 de fevereiro de 2014 Palestrante: Alte Esq (RM1) Max Marinha do Brasil Ministério da Defesa
  • SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • O BRASIL E O MUNDO • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO PROSUB • EMPREENDIMENTOS MODULARES • RESPONSABILIDADE SOCIAL • GESTÃO AMBIENTAL • PALAVRAS FINAIS C O G E S N
  • O BRASIL E O MUNDO SUPERFÍCIE - 8.5 milhões km²  MUNDIAL - 5,7% (5º país em extensão)  AMÉRICA DO SUL - 47% POPULAÇÃO - 200 milhões (cerca de)  MUNDIAL - 3,18% (5º país em pop.)  AMÉRICA DO SUL - 50% ENERGIA (Matriz)  AUTOSUFICIENTE   ÁGUA DOCE (RESERVAS)  MUNDIAL - 12%  AMÉRICA DO SUL - 48% TERRAS  AGRICULTÁVEIS 45% RENOVÁVEL: 46% NÃO RENOVÁVEL: 54% PETRÓLEO - 90% EXTRAÍDOS DO MAR COMÉRCIO EXTERIOR - 95% PELO MAR
  • AMAZÔNIA AZUL Brasil Território Zona Econômica Exclusiva Extensão da Plataforma Continental ZEE + Extensão da Plataforma Continental Metade do Território Nacional Área km² 8.500.000 3.539.919 911.847 4.451.766
  • O BRASIL E O MUNDO
  • SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • O BRASIL E O MUNDO • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO PROSUB • EMPREENDIMENTOS MODULARES • RESPONSABILIDADE SOCIAL • GESTÃO AMBIENTAL • PALAVRAS FINAIS C O G E S N
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB END - Decreto no 6.703, 18/12/08 Em relação à energia nuclear:  Independência nacional pela capacitação tecnológica autônoma . Inclusive setor nuclear.  Confirmação do uso pacífico da energia nuclear.  Necessidade estratégica de desenvolver e dominar a tecnologia nuclear.  Realizar iniciativas que exijam independência tecnológica em energia nuclear. PNM (Ciclo de Combustível Nuclear e LABGENE) Em relação à Marinha do Brasil:  Assegurar meios para negar o uso do mar a forças inimigas que se aproxime do Brasil por via marítima,  O Brasil contará com força naval composta de submarinos convencionais e de submarinos de propulsão nuclear.  Capacidade de projetar e de fabricar submarinos (convencional e nuclear), com investimentos e parcerias necessárias PROSU B
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB ESCOLHA DO PARCEIRO INTERNACIONAL Países no mundo projetam e constroem Submarino com Propulsão Nuclear CHINA INGLATERRA EUA RUSSIA FRANÇA Países no mundo projetam e constroem Submarino Convencional e com Propulsão Nuclear RUSSIA FRANÇA País que transfere tecnologia
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB OBJETO PRECÍPUO OBTENÇÃO DO SUBMARINO COM PROPULSÃO NUCLEAR PNM Programa Nuclear da Marinha (Reator Nuclear) PROSUB Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB O SUBMARINO DE PROPULSÃO NUCLEAR NA MB PNM PROSU B (Ciclo de Combustível Nuclear e LABGENE) PRODUÇÃO DE COMBUSTÍVEL PROTÓTIPO EM TERRA LABGENE ESTALEIRO DE CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO SUBMARINO BASE INFRAESTRURA  APOIO TÉCNICO
  • SUBMARINOS - PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Convencional Nuclear Capacidade de ocultação Capacidade de ocultação Propulsão - instalação diesel-elétrica Propulsão – planta nuclear Dependem do ar atmosférico Independe do ar atmosférico Deslocam-se lentamente Elevadas velocidades por tempo indeterminado Atuam em área geográficas restritas Cobrem grandes áreas geográficas Estratégia de posição Estratégia de movimento - mobilidade Emprego próximo à costa Emprego afastado da costa – águas azuis GRANDE CAPACIDADE DE DISSUASÃO
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB ACORDO DE ESTADO Parceria Estratégica Acordo de Cooperação Arranjo Técnico (7 CONTRATOS COMERCIAIS) Marinhas Ministros da Defesa Presidentes
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB CONTRATOS COMERCIAIS Contr ato 1 – Submarinos Convencionais (SBR) – fornecimento de materiais e equipamentos (1A) e construção de 4 submarinos (1B), customizados para os requisitos técnicos da Marinha do Brasil. O anexo H deste contrato refere-se a nacionalização de sistemas e equipamentos, tendo substituído o contrato 7; Contr ato 2 – Submarino Nuclear (SNBR) – projeto, fornecimento de materiais e equipamentos (6.1) e construção do submarino (6.2), exceto a parte nuclear; Contr ato 3 - Fornecimento de 30 Torpedos F21 e 50 Despistadores de Torpedo (CANTO); Contr ato 4 - Projeto e Construção de um Estaleiro e Base Naval (EBN) e uma Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM); Contr ato 5 – Administração, Planejamento e Coordenação do Objeto Precípuo; Contr ato 6 - Transferência de Tecnologia (ToT) – para a construção de submarinos (6.1) para o projeto de submarinos (6.2), para o projeto e a construção do EBN e Base Naval (6.3); e Contr ato 8 – trata de OFFSET
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB PARCEIROS (COMERCIAIS) Consórcio Baía de Sepetiba - CBS DCNS Empresa Estatal Francesa de Projeto e Construção Naval Detentora da tecnologia de projeto e construção de submarinos convencionais e nucleares DCNS CNO Sociedade de Propósito Específico – SPE ICN ICN Itaguaí Construções Navais criada para construção de 04 submarinos convencionais e 01 com propulsão nuclear MB (EMGEPRON) Golden Share CNO Responsável pela construção da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM;) Estaleiro de Construção e Manutenção de Submarinos; e Base de Naval de Apoio aos Submarinos
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB GAF GEM-19 4 E D OÃÇURT S N OC S ON RA MBUS I S AN OO CNEV N OC I I GEM-18 ÃÇURT S N OC E OT EJ ORP / C ON RA MBUS OD I RAEL CUN OÃSL UP ORP ARUT URT SEARF N I L A RT S UDN I I EMPREENDIMENTOS MODULARES DA COGESN GEM-20 TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA + NACIONALIZAÇÃO - CAPACITAÇÃO DE PESSOAL -
  • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO - PROSUB CRONOGRAMA RESUMIDO DO PROSUB   2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025                                                                                                                       UFEM Base A. Norte   Base A. Sul Estaleiro  Construção Estaleiro  Manutenção EBN Radiológico TESTES SBR1                                                                                                                                 TESTES SBR2                                     SBR3                                         SBR4                                                 Torpedos                                                       Construção SNBR                                                       TESTES TESTES TESTES      
  • SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • O BRASIL E O MUNDO • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO PROSUB • EMPREENDIMENTOS MODULARES • RESPONSABILIDADE SOCIAL • GESTÃO AMBIENTAL • PALAVRAS FINAIS C O G E S N
  • INFRAESTRUTURA INDUSTRIAL GEM-18 Transferência de Tecnologia (ToT) TOT para o projeto e construção da UFEM e EBN, pela CNO  Fornecimento pela DCNS, por meio de reuniões, seminários e pacotes de documentos técnicos (Technical Data Package) todos os requisitos técnicos necessários ao projeto da UFEM e do EBN  Avaliação e certificação do projeto  Consultoria técnica da DCNS para a CNO, durante a construção.
  • INFRAESTRUTURA INDUSTRIAL GEM-18 Transferência de Tecnologia (ToT) Construção da INFRAESTRUTURA INDUSTRIAL UFEM, Estaleiros e Base Naval (Contrato 4) NUCLEP-UFEM BASE NORTE TÚNEL Em operação EBN - SUL
  • INFRAESTRUTURA INDUSTRIAL GEM-18 Transferência de Tecnologia (ToT) Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas - UFEM Inaugurada em 01 de março de 2013, pela Presidenta da República
  • Construção PROJETO E CONSTRUÇÃO DA UFEM E EBN da INFRAESTRUTURA INDUSTRIAL UFEM - Contrato 4 Oficina de Montagem das Seções Oficina de Montagem das Seções Oficina de Fabricação de Estruturas Leves Oficina de Tubulações
  • Construção PROJETO E CONSTRUÇÃO DA UFEM E EBN da INFRAESTRUTURA INDUSTRIAL Estaleiro e Base Naval Sul - Contrato 4
  • PROJETO E CONSTRUÇÃO DA UFEM E EBN BENEFÍCIOS PARA O BRASIL: Participação da indústria brasileira: Itens cuja tecnologia é existente no país - usados na construção da infraestrutura industrial (UFEM e EBN), onde a utilização expressiva de materiais, sistemas, equipamentos, máquinas e insumos nacionais é o objetivo principal  Priorização do emprego de equipamentos, máquinas, operatrizes, guindastes e pontes rolantes etc; fabricadas pela indústria brasileira.
  • PROJETO E CONSTRUÇÃO DA UFEM E EBN  A construção da UFEM e do EBN envolve mais de 600 empresas nacionais de diversos tamanhos, para prestação de serviços, aquisição de materiais diversos, equipamentos e insumos, dos quais destacam-se 190 como principais  Na construção da UFEM foi atingido um índice de 95% de utilização de produtos nacionais referente à aquisição de materiais e equipamentos, proporcionando uma injeção na indústria nacional de R$ 241,36 milhões, que deverão ser acrescidos de R$ 1,00 bilhão até o término da construção do estaleiro e da base naval
  • PROJETO E CONSTRUÇÃO DA UFEM E EBN PARTICIPAÇÃO DA CONSTRUÇÃO DA UFEM/EBN NA ECONOMIA BRASILEIRA Local Total Geral Área Construída (m²) Nº de Edificações 140.000 74 Volume de Concreto (m3) 140.000 Quantidade de Aço Ca-50 (Kg) Pavimentação Blocos Intertravados (m²) Informações Adicionais Equivale ~ 17 mil caminhões Betoneira 15.000.000 130.000 Pedra para Enrocamento (Ton) 3.000.000 Dragagem Areia e Lançamento e Aterro Hidráulico (m3) 6.500.000 Equivale ~ 15 campos do estádio do Maracanã Dragagem de Material Contaminado (m3) Túnel (m) H=17m x l=15m 200.000 703 Mão-de-Obra direta (Homem/Hora ) 75.000.000 Impostos: Municipais/Federais ~ 850 milhões de reais (ISS, PIS/Cofins) Equipamentos Industriais ~ 4.000 Equipamentos Equivale ~ 610.000 caminhões carregados Equivale ~ 18.000 caminhões carregados
  • CONSTRUÇÃO DO SB CONVENCIONAL GEM – 20 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO S-BR  França: Construção da seção da proa do S-BR 1 por técnicos da MB e da DNCS ( seções 3 e4)  Brasil: Todas as demais seções do S-BR 1 (seções 1 e 2) Todas as seções dos demais SB-R
  • CONSTRUÇÃO DO SB CONVENCIONAL - SBR Contrato 1B CARACTERÍSTICAS S-BR (DIFERENÇAS SCORPÈNE E SBR) 66.4m/1717 t Extensão “Middle Section” Aumento: Paiol de mantimentos Tanques de OC Acomodações 71.62 m /1870 t
  • CONSTRUÇÃO DO SB CONVENCIONAL - SBR  A nacionalização inclui um “OFFSET” no valor de € 400 milhões para capacitação de empresas (transferência de tecnologia – ToT – e “know-how” - KoH), que resultarão em encomendas físicas no parque nacional de €100 milhões em equipamentos, componentes e materiais a serem empregados na construção dos S-BR  Engloba 92 subprojetos, estando 17 em execução, 20 em análise, 01 em elaboração de minuta de contrato, 46 em processo de busca de empresas capacitadas a absorver a ToT e o KoH e 8 não iniciados
  • CONSTRUÇÃO DO SB CONVENCIONAL - SBR  O Processo de Nacionalização:  Identificação dos produtos a serem nacionalizados  Seleção de empresas candidatas  Negociação  Decisão  Acompanhamento do contrato
  • PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO SNBR  Projeto e Construção: Brasil: Todo o submarino (projeto e construção), incluindo as partes nucleares. Engloba a nacionalização de sistemas e equipamentos e a conclusão do Laboratório de Geração Núcleo Elétrica (LABGENE), pelo Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), incluindo todos os testes e licenciamento pela CNEN
  • O GRANDE DESAFIO (Complexidade tecnológica e logística) SNBR (NSRP ASE – National Shipbuilding Research Program - Advanced Shipbuilding Enterprise)
  • PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO SNBR PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO - SNBR  “Fase de Concepção” concluída em Julho 2013  “Fase Preliminar” será iniciada em Agosto 2013  “Fase de Construção” será iniciada em 2017, no Estaleiro do complexo EBN 06JUL2012... ...FEV2013 FASE A (AI+AII) Projeto de Exequibilidade/Concepção AGO2013... ...DEZ2015 FASE B Projeto Preliminar/ Contrato FASE C Projeto de Detalhamento FASE D Construção
  • PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO SNBR NACIONALIZAÇÃO para os SN-BR - Tecnologia a Obter  A Nacionalização de sistemas e equipamentos do SN-BR terá uma maior magnitude que a do S-BR, por aproveitar os avanços que estão sendo obtidos na nacionalização de seus equipamentos e sistemas e por ser um projeto está sendo desenvolvido pela MB  No SN-BR as empresas nacionais atuarão fornecendo diversos componentes, incluindo muitos de alta tecnologia, e prestando serviços de engenharia e gerenciamento industrial nas áreas nãonuclear, onde há assistência técnica da DCNS e na área nuclear de responsabilidade somente da MB.
  • QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL CIVIL E MILITAR (Transferência de Tecnologia Não nuclear) CHERBOURG ToT Construção Submarino e ToT Detalhamento PARIS ET-PROSUB 179 179 MB, NUCLEP e ICN MB, NUCLEP e ICN LORIENT ToT Projeto Submarino 2 oficiais 2 oficiais 31 oficiais 31 oficiais SOPHIAANTIPOLIS ToT Sonar RUELLE ToT Construção dos Tubos Lançadores deTP 6 oficiais 6 oficiais 8 EZUTE 8 EZUTE TOULON ToT Sist. Combate
  • SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • O BRASIL E O MUNDO • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO PROSUB • EMPREENDIMENTOS MODULARES • RESPONSABILIDADE SOCIAL • GESTÃO AMBIENTAL • PALAVRAS FINAIS C O G E S N
  • RESPONSABILIDADE SOCIAL PROGRAMAS: 1 - Agricultura Familiar 2 - Caia na Rede 3 - Inglês num Clique 4 - Centro de Atendimento ao Público 5 - Programa Acreditar ODEBRECHT (qualificação profissional continuada )
  • RESPONSABILIDADE SOCIAL GERAÇÃO DE EMPREGO (Previsão no pico) PROJETO EMP. DIRETOS EMP. INDIRETOS Construção EBN/UFEM 9.000 32.000 Construção S-BR 2.000 8.000 Projeto SN-BR + PNM 2.150 ASD Construção SN-BR 1.500 6.000
  • SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • O BRASIL E O MUNDO • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO PROSUB • EMPREENDIMENTOS MODULARES • RESPONSABILIDADE SOCIAL • GESTÃO AMBIENTAL • PALAVRAS FINAIS C O G E S N
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB GESTÃO AMBIENTAL 51
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB DRAGAGEM 298.165 m³ (equivalente a 20.000 caminhões carregados) dos sedimentos dragados apresentavam padrões de contaminação por metais pesados superiores ao admitido pela Resolução CONAMA nº 344/2004: - Cádmio acima do nível 1; - Chumbo, Cobre e Níquel, entre os níveis 1 e 2; e - Zinco acima do nível 2.
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB DRAGAGEM – Descontaminação (retirada de material do fundo do mar – antiga indústria ingá) GEOTUBE DRAGA DE SUCÇÃO E RECALQUE CSD GEOTUBE
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB Sustentabilidade (Dados de 2013) PROJETO PILOTO PARA UTILIZAÇÃO DE BIODIESEL – 17.000 lts Redução da queima de combustíveis fósseis, minimizando emissões de Gás Efeito Estufa - GEE, através da frota de quatro caminhões pipa.
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB Campanhas de Educação Ambiental IV Semana do Meio Ambiente Cursos: Aproveitamento de pneus / horta suspensa Dia Internacional da limpeza do litoral Na obra: Palestras para os trabalhadores Na comunidade: parceria com a Prefeitura Municipal de Itaguaí Secretária de Meio Ambiente
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB Gerenciamento de Riscos Contenções p/ químicos Cerco preventivo nos abastecimentos Treinamento: Controle de vazamentos/derrames Material de descontaminação distribuído no campo Armazenamento de químicos em uso Fluxograma atendimento a emergência
  • GESTÃO AMBIENTAL - PROSUB 195.800 m2 de área plantada com diversas espécies da Mata Atlântica.
  • SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • O BRASIL E O MUNDO • CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO PROSUB • EMPREENDIMENTOS MODULARES • RESPONSABILIDADE SOCIAL • GESTÃO AMBIENTAL • PALAVRAS FINAIS C O G E S N
  • PALAVRAS FINAIS A EXECUÇÃO DO PROGRAMA RESULTARÁ, ENTRE OUTRAS, EM UM SALTO TECNOLÓGICO A SER VIVIDO PELO PAÍS, DECORRENTE DE UM GRANDE PROCESSO DE TRANFERÊNCIA DE TECNOLOGIA, DO FORTALECIMENTO DA INDUSTRIA NACIONAL, EM ESPECIAL A DE DEFESA, E DA MELHORIA DA QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROFISSIONAIS BRASILEIROS.
  • FIM PERGUNTAS ? Marinha do Brasil Ministério da Defesa