Foi no carnaval que passou

  • 304 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
304
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Foi no carnaval que passou Por Leo Leite Oitavo tratamento© copyright Leo Leite Leo LeiteTodos os direitos reservados. leoleitee@yahoo.com.br +55 81 94337604 +55 81 34558560
  • 2. FADE IN1 EXT. - NOITE - FRENTE DA CASA DE CAROLINA Vê-se a mão de Pedro dando alguns acordes desafinados no violão. Black e entram os primeiros créditos do filme. A mesma mão afina o violão. Black entram mais créditos. Mais um vez Pedro tenta tocar, mas o som sai desafinado. Outro Black e mais créditos. Enquanto ainda se vê os créditos iniciais na tela ouve-se um som com a introdução da música que Pedro toca no violão. Pedro está de frente para a faxada da casa de Carolina. A rua tem uma arquitetura antiga. O chão é calçado de paralelepípedos. A fachada da casa de Carolina lembra as construções antigas do centro de Recife, com uma sacada que dá vista para rua. Pedro começa a cantar. Carolina aparece na sacada vestindo um pijama e com os cabelos presos. A rua permanece vazia e vê-se apenas Pedro tocando e cantando. Na medida em que a música vai se desenvolvendo ouve-se o som não diegético do acompanhamento de outros instrumentos. PEDRO Foi no carnaval que passou O nosso bloco era só euforia Alegres foliões cantando, e o Pierrot Com meu olhar sorrindo te dizia Que era só você Chegar pra mim E me pedir pra revelar qual é a sua fantasia. Na rua em que você passava O frevo tocava, o povo sorria Numa multidão de cores encantadas Vai caindo a alvorada pelas praças e jardins mas tudo isso é mera ilusão de carnaval Amor que se acaba em breves quatro dias. Pedro corre, escala a sacada e fica com o rosto próximo ao de Carolina na iminência de beijar. A música continua.2 INT - DIA - CASA DE PEDRO A Música da cena anterior continua. Estão Joaquim e Pedro sentados no sofá. Joaquim está lendo um panfleto com a programação do carnaval. Joaquim fala com Pedro e ele permanece distraido. Enquanto Joaquim fala a primeira fala da cena vemos apenas os lábios se mexerem sem emitir nenhum som. JOAQUIM (Sem som) Olha aqui: vai ter show no Marco zero; Bloco de rua no Recife (MAIS...) (CONTINUA...)
  • 3. ...CONTINUANDO: 2. JOAQUIM (...cont.) antigo; e tem Olinda claro! Melhor lugar "pra" pegar várias é em Olinda.Pedro continua em silêncio. JOAQUIM Pedro? Pedro? Acorda "Brother".A música pára repentinamente com o grito de Joaquim. PEDRO "Tou" acordado. JOAQUIM Você me pede para vê a programação do carnaval e nem me dá atenção. Tava pensando em que? PEDRO Nada. JOAQUIM Isso deve ser mulher. Só falta dizer que está namorando. Carnaval namorando não dá, Pedro. O bom do carnaval é, justamente, se agarrar com muitas. A menos que você tenha uma namorada que seja muito moderna e não se importe. Afinal de contas, é carnaval! PEDRO Tou namorando não, Quin. JOAQUIM Mas tá apaixonado. Não tá?Pedro sorri discretamente. JOAQUIM Eu sabia. Eu conheço? PEDRO Espero que não. JOAQUIM Por quê? PEDRO Porque não!Joaquim dá risadas e se levanta do sofá. (CONTINUA...)
  • 4. ...CONTINUANDO: 3. JOAQUIM Mas segura essa tua paixão pra depois do carnaval. (canta a música 2)3 EXT - DIA - OLINDA Olinda está enfeitada para o carnaval, muitas pessoas nas ruas dançam e brincam ao som da canção da cena anterior, cantada por Joaquim. Ele anda pelo carnaval de Olinda beijando várias mulheres, bebendo, cantando e dançando frevo. Joaquim se joga para trás em plano fechado. CENA VOLTA PARA A SALA DE PEDRO Ainda cantando, Pedro e Joaquim se jogam no sofá em plano aberto. Os dois riem.4 EXT - DIA - RUAS DO RECIFE - GALO DA MADRUGADA Vê-se um chão de paralelepípedos vazio. O vento traz alguns confetes que formam no chão o nome do filme.(Câmera invertida com ventilador) Vê-se o Galo da Madrugada sendo montado. Close de uma mão feminina cortando, com uma tesoura, diversos tecidos nas cores azul, verde, vermelho e amarelo.(as cores da sombrinha de frevo) Close das pernas de uma dançarina fazendo o passo de frevo TESOURA. Close de uma mão fechando o ferrolho de uma porta. Dançarina faz o passo ferrolho, em close. Um martelo, martela a arquibancada do Galo da madrugada. Dançarino, em close, faz o passo martelo. Uma mão masculina aperta um parafuso na base do Galo da madrugada. Dançarino faz o passo parafuso, em close. Um galo de verdade, em primeiro plano, canta. Ao fundo vê-se o sol nascendo na cidade de Recife, em meio a muitos prédios. Vê-se o Galo da madrugada do alto. Pedro e Joaquim estão fantasiados com roupas leves e sentados em um ponto de ônibus. Passa um ônibus.
  • 5. 4.5 EXT - GALO DA MADRUGADA - RUAS - DIA Pedro e Joaquim descem do ônibus, cantando e dançando. Vê-se centenas de pessoas nas ruas do Galo da madrugada. As pessoas dançam. Vê-se o Galo da madrugada. Vê-se os trios elétricos. O sol se põe.6 INT - NOITE - CASA DE PEDRO Pedro abre a porta da sala. Joaquim entra e Pedro em seguida. Os dois estão suados e amarrotados. Joaquim senta no sofá e Pedro permanece de pé. JOAQUIM (Bêbado) Sem condições de mais carnaval por hoje. PEDRO O carnaval ainda nem começou! JOAQUIM Se o carnaval ainda não começou, deixo pra ele começar amanhã. PEDRO Quim... Ainda tem muita festa pra gente ir. Hoje! Joaquim finge que está roncando. PEDRO Pô Quim... Eu marquei com Carol lá no antigo. JOAQUIM Antigo? PEDRO Recife antigo! JOAQUIM Carol é a menina misteriosa por quem você é apaixonado? PEDRO Falando assim, você consegue me fazer sentir ainda mais ridículo. JOAQUIM Vai nessa! Encontra lá com a tua Carol e aproveita que vocês vão estar sozinhos e se agarra com ela. (CONTINUA...)
  • 6. ...CONTINUANDO: 5. PEDRO Não sei. Acho que tá muito cedo pra isso. JOAQUIM Quando foi que você conheceu ela? PEDRO Carnaval do ano passado! JOAQUIM Confie em mim: já passou da hora.7 EXT- NOITE - RECIFE ANTIGO Muitas pessoas andam pelas ruas do Recife antigo. Vê-se músicos na rua. Carolina e Pedro se encontram e saem andando observando a movimentação do carnaval. Pedro está com uma latinha de cerveja na mão, ele dá um gole. CAROLINA Eu pensei que você tinha perdido o meu telefone. PEDRO Não, não! Eu não liguei pra não parecer chato. CAROLINA De forma nenhuma. PEDRO Eu sempre me perco aqui no Recife antigo. Menos quando é carnaval. Vai ver que é porque nessa época do ano eu não tenho destino certo. Passa uma troça carnavalesca. CAROLINA Uma troça! Carolina puxa Pedro pelas mãos e os dois seguem o bloco. Em determinada esquina os dois param e andam para o outro lado. CAROLINA Uns amigos meus vão dar uma festa a fantasia na terça-feira de carnaval. Se quiser, leva teu primo também. PEDRO Pode deixar. Estaremos lá. (CONTINUA...)
  • 7. ...CONTINUANDO: 6. CAROLINA Fantasiados, né? PEDRO Fantasiados.Os dois saem andando e sorrindo. Ouve-se um frevo aolonge. CAROLINA Tem uma banda de frevo tocando na outra rua, vamos? PEDRO Claro.Os dois vão andando mais rápido seguindo o som do frevo.Um artista de rua pára em frente aos dois. ARTISTA É carnaval! Momo está em festa e o frevo reina nas ruas de Recife. As belas moças procuram um amor, o homem de sua vida. E os rapazes procuram por uma, duas, três, dez garotas para lhes dar um beijo. Menos aqueles que guardam no brilho do olhar o sentimento real no Amor de Carnaval.Carolina aplaude e Pedro não fica muito empolgado. Oartista continua a apresentação, dançando e fazendomalabarismo. Pedro bebe mais um longo gole de cerveja e dáuns risos discretos. ARTISTA Agora, bela dama. Vejo que minhas palavras a fizeram sorrir. Canto, danço, sapateio e até faço rima. No meio do carnaval, poderia, tão feliz casal ajudar um artista de rua, que passa quase despercebido em meio tantos foliões?Pedro, sorrindo, tira uma nota de 10 reais do bolso eentrega ao artista. ARTISTA Muito obrigado, gentil cavalheiro.O artista sai andando e olhando pra eles. Ao longe elegrita. ARTISTA Que o amor de vocês dure por muitos carnavais! (CONTINUA...)
  • 8. ...CONTINUANDO: 7. Pedro e Carolina acenam para o artista de rua e saem para o lado oposto, seguindo a linha do extinto bonde. Pedro continua bebendo. CAROLINA Eu queria ter andado de bonde aqui pelo Recife. PEDRO Boa época deveria ter sido aquela. CAROLINA No futuro alguém dirá algo parecido sobre a nossa época. O passado sempre parece mais fácil e mais bonito que a realidade. PEDRO Minha Vó, que passou muitos carnavais aqui, e andou de bonde, disse que uma vez se apaixonou no carnaval e beijou o rapaz, que mal conhecia. Escondida da família, claro! CAROLINA E depois? PEDRO Ela nunca mais o viu. E só contou essa história pra mim. Talvez ainda pense nele. CAROLINA Parece que essa era uma época que o amor existia. Os dois saem andando.8 EXT - NOITE - BEIRA DO RIO CAPIBARIBE Pedro e Carolina param em frente ao rio Capibaribe. Pedro joga a latinha em um lixeiro próximo e Carolina o tira para dançar. Pouco depois do início da dança começa a tocar um frevo melâncolico. Os dois dançam e vê-se ao fundo uma ponte do Recife bem iluminada. Pedro e Carolina vão aproximando os rostos na iminência de dar um beijo. Entra um trecho da fala de Joaquim da cena seguinte.
  • 9. 8.9 INT - DIA - CASA DE PEDRO O dia amanheceu. Pedro e Joaquim estão sentados a mesa do café da manhã. Na mesa vê-se caixas de hamburgueres e copos de refrigerante. JOAQUIM O quê!? E você não pegou? PEDRO Não tinha clima, Quim... JOAQUIM Não tinha clima? E que mais você queria? Que entrasse os bailarinos do Bolshoi junto com a Branca de Neve ou a Cinderela e começassem a cantar e dançar?10 INT - DIA - BANHEIRO DA CASA DE PEDRO Pedro vomita na privada. Joaquim está ao lado dele. JOAQUIM Climão, hein? Pedro vai andando para o quarto.11 INT - DIA - QUARTO DE PEDRO Pedro deita na cama. JOAQUIM Cadê a empolgação? Não era você que não queria perder nenhum minuto do carnaval? Brincadeira. Dorme aí, Pedro... Eu vou pra Olinda, e a noite, quando você estiver melhor, a gente sai. Pedro adormece.12 EXT - DIA - LADEIRAS DE OLINDA Joaquim sai pelas ladeiras de Olinda, com alguns amigos, dando em cima de todas as mulheres que passam. Ele encontra Carolina e a aborda. JOAQUIM Oh Linda! Quero cantar a tí essa canção! Carol o ignora e dá as costas. (CONTINUA...)
  • 10. ...CONTINUANDO: 9. JOAQUIM Vai se fazer de difícil aqui em Olinda? Em pleno carnaval? CAROLINA Você já pegou quantas hoje? JOAQUIM Linda como você? Nenhuma! CAROLINA Você está perdendo seu tempo comigo. É melhor dar em cima de outra. Seus amigos vão pegar mais mulheres que você se não correr. JOAQUIM A única mulher que me interessa tá falando comigo nesse exato momento. CAROLINA A única? Sei!Carolina dá as costas para Joaquim. JOAQUIM Espera!Carolina olha para Joaquim. JOAQUIM Você acredita que eu já havia visto você antes? Verdade! Foi no meu sonho. Eu te conhecia em pleno carnaval e nós viviamos a mais linda história de amor que Recife já viu. Digo, que Olinda já viu. Aliás, o mundo! CAROLINA Já que você é tão insistente. Vamos fazer assim. Se você me fizer rir eu fico com você.Joaquim olha para Carolina em silêncio por algunssegundos, faz menção de que vai fazer alguma coisa, umasduas ou três vezes, mas não faz nada. JOAQUIM Você conhece a piada do... do... esquece.Carolina olha para Joaquim, sem rir. (CONTINUA...)
  • 11. ...CONTINUANDO: 10. JOAQUIM Perdi, né? Tudo bem. Mas foi um prazer te conhecer, assim mesmo. Prazer que poderia ter sido bem maior. Joaquim movimenta-se para sair. Quando ele se vira, Carolina o puxa e dá um beijo na boca. Depois do beijo Carolina sai e Joaquim fica atônito.13 EXT - NOITE - RECIFE ANTIGO Pedro e Joaquim andam juntos pelo carnaval do Recife antigo. Joaquim aborda uma garota, conversam rapidamente e se beijam. A garota é muito bonita. Pedro fica sozinho olhando o as pessoas. Joaquim e a garota seguem um bloco e depois voltam ao local de origem. Pedro olha para todos os lados. Joaquim e a garota vão até Pedro. JOAQUIM Pedro, a gente vai pra casa. Quer ir agora? PEDRO Vão vocês. Vou ficar mais um pouco, talvez Carol apareça. Joaquim e a garota, meio bêbados, saem. Pedro fica olhando para os lados. Joaquim olha pra tras e dá um sorriso malicioso.14 INT - DIA AMANHECENDO - CASA DE PEDRO Pedro abre a porta de casa e encontra Joaquim e a garota nus no sofá, cobertos apenas por um lençol quase caindo. Vê-se uma embalagem de camisinha aberta em cima da mesinha de centro. Pedro ignora a cena e entra no quarto.15 INT - TARDE - CASA DE PEDRO São 14h. Pedro chega na sala e acorda Joaquim. JOAQUIM Cadê a garota que estava comigo? PEDRO Deve ter ido embora. Já são duas horas da tarde. JOAQUIM Por isso que eu adoro o carnaval. (CONTINUA...)
  • 12. ...CONTINUANDO: 11. PEDRO A festa à fantasia que a gente foi convidado é hoje a noite. JOAQUIM Você não me disse que a festa era à fantasia. PEDRO Claro que eu disse. JOAQUIM Só que eu não tenho fantasia. PEDRO Tem umas fantasias aí... A gente dá uma olhada e você vê se gosta de alguma coisa. JOAQUIM Mais tarde a gente vê isso. Vamos pra Olinda? PEDRO Olinda? Essa hora?16 EXT - OLINDA - TARDE Multidão de pessoas fantasiadas pelas ladeiras de Olinda. Joaquim e Pedro estão em meio a multidão. Toca a introdução de vassourinhas. Pedro se sente incomodado com a quantidade de pessoas que o comprime. PEDRO Joaquim, tem muita gente aqui. A multidão de pessoas ao redor de Pedro ri e faz uma rodinha ao redor dele. Todos pulando e cantando. Joaquim ri e vai andando mais rápido e começa a cantar. Joaquim canta a música 3. A multidão canta junto. Pedro sai do meio da multidão e avista Carolina ao longe. Passa uma garota e lhe dá um beijo na boca. Ele continua andando em direção a Carolina e outra garota o beija. Joaquim sobe em uma grade, se apoia com uma das mãos e continua cantando. Pedro chega mais próximo de Carolina. PEDRO (Gritando ao longe) Carol! Ainda não muito perto, Carolina, feliz, acena. Pedro chega mais perto. (CONTINUA...)
  • 13. ...CONTINUANDO: 12. CAROL Oi Pedro. PEDRO Deixa eu te apresentar meu primo. Em meio a multidão os dois seguem, de mãos dadas, em direção a Joaquim. Um grupo de pessoas passa no meio dos dois. As mãos se soltam. Carolina é levada pela multidão.17 INT - NOITE - CLUBE O ambiente é iluminado com luzes estroboscópicas, típicas de uma boate. No alto do teto há um globo espelhado girando. As pessoas dançam ao som de um frevo remixado. Todos os convidados estão fantasiados. Alguns dançam com sombrinhas de frevo fosforescentes. Pedro e Joaquim entram na festa. Pedro com a fantasia de Pierrot e Joaquim vestido de Arlequim. JOAQUIM Cadê a sua amada Carol? PEDRO Deve "tá" por aí. Daqui a pouco eu apresento vocês. Vou buscar alguma coisa pra gente beber. Quer vir? JOAQUIM Pega lá. Vou dar uma olhada na movimentação aqui. Pedro sai. Joaquim avista uma garota vestida de Colombina e a aborda. Ela vira de frente. É Carolina. JOAQUIM Não acredito. Nos encontramos de novo e no mesmo carnaval. Isso certamente quer dizer alguma coisa. CAROLINA Quer dizer que já cumpri a minha cota de boa ação do ano. JOAQUIM Vai se fazer de durona, de novo? E deixar esse pobre Pierrot a espera do amor e da atenção de uma doce Colombina? CAROLINA (rindo) Sua fantasia não é de Pierrot, é de Arlequim. Qual é o seu nome? (CONTINUA...)
  • 14. ...CONTINUANDO: 13. JOAQUIM Quim. CAROLINA (rindo) Quim??? sei! JOAQUIM (rindo) E o seu? CAROLINA O meu? Bina! Os dois riem. Pedro está com dois copos na mão. Ao longe ele avista Carolina e Joaquim se beijando. Ele fica parado e perplexo observando a cena. (imaginação de Pedro) Pedro vai em direção a Joaquim, dá um soco no rosto dele e Joaquim cai ao chão batendo a cabeça. Uma poça de sangue surge e vai escorrendo rapidamente. A música pára e todas as pessoas presentes ficam assustadas. Volta para o close anterior de Pedro e volta também a música da festa. Pedro solta os dois copos no chão e sai da festa. Joaquim e Carolina, sem ver Pedro, continuam se beijando.18 EXT - RUAS DO RECIFE ANTIGO - NOITE Pedro sai correndo em meio à multidão. Ele pára. Um grupo de pessoas passa. Uma garota desconhecida o puxa para dentro do grupo. Uma TAMPINHA, verde, de lança perfume cai ao chão. Pedro senta no meio fio. A imagem das pessoas vai ficando sem nitidez. As cores das fantasias vão se misturando. Close dos rostos felizes das pessoas. O som não é muito nítido. As conversas vão se sobrepondo a música. Um som caótico vai tomando conta da cena. Passam os bonecos gigantes de Olinda. Pedro continua sentado no meio fio. As pessoas que estão curtindo o carnaval se organizam na frente de Pedro, cantam e dançam coreografadamente. CORO Quanto riso oh quanta alegria Mais de mil palhaços no salão Pierrot está chorando Pelo amor da colombina No meio da multidão Foi bom te ver outra vez Está fazendo um ano Foi no carnaval que passou (MAIS...) (CONTINUA...)
  • 15. ...CONTINUANDO: 14. CORO (...cont.) Eu sou aquele pierrô Que não te abraçou e nem te beijou meu amor Na mesma máscara negra Que esconde o teu rosto Eu quero matar a saudade Vou beijar-te agora Não me leve a mal Hoje é carnaval19 EXT - DIA - MESMA RUA DA CENA ANTERIOR O dia amanhece. A rua está vazia e o chão sujo de confetes e serpentinas. Pedro continua sentado no meio fio com a maquiagem de Pierrot borrada. Joaquim chega com o chapéu na mão e senta-se do lado de Pedro. Pedro o olha com feição de tristeza. Eles se olham por um tempo. Joaquim se levanta e dá a mão para Pedro. Pedro demora um pouco, mas dá a mão ao primo. Os dois saem. A rua fica vazia. Surge duas crianças muito pequenas, fantasiadas, correndo e jogando confetes. SOBE OS CRÉDITOS FADE OUT