Fábio Homero Diniz

408 views
356 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
408
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fábio Homero Diniz

  1. 1. Sucessão na Agricultura Familiar: desafios e perspectivas para propriedades leiteiras Fábio Homero Diniz William Fernandes Bernardo Sérgio Rustichelli Teixeira Marne Sidney de Paula Moreira Embrapa Gado de Leite Porto Velho, 06 de novembro de 2013
  2. 2. Conteúdo da palestra: 1. Contexto da sucessão x herança 2. Características particulares da propriedade rural 3. Desafios do processo sucessório 4. Sugestões para lidar com a sucessão nas propriedades 5. Debate
  3. 3. => O que é a sucessão em estabelecimentos familiares? É um processo que ocorre em um curto ou longo período durante o qual a família planeja a transferência de conhecimento, trabalho, habilidades, administração, controle e posse da atividade familiar de uma geração para outra (Fennell, 1981). => Diferença entre sucessor e herdeiro: Sucessor – tem o controle gerencial do negócio Herdeiro – tem o controle material do imóvel Sucessão e herança – a discussão incomoda porque parece assunto a ser tratado após a morte Geralmente não há planejamento para o processo nas famílias e não há amparo nos órgãos locais ou de governo
  4. 4. Sucessão é preocupação também em empresas não-agrícolas Revista Exame, ed. 944, ano 43, nº 10, 3/6/10. Folha de São Paulo,11 de abril de 2010, pág. F4. Folha de São Paulo, 3 de abril de 2011, pág. F3.
  5. 5. Importância do processo sucessório: • Evitar conflitos familiares • Permitir a continuidade (a não interrupção) da atividade produtiva Desafios: • O que vai acontecer com minha propriedade? (pais) • Que espaço vou ter na propriedade? (filho)
  6. 6. Sucessão – processo com dois pontos de vista... Sucedido Aposentadoria, afastamento, desatualização (morte) Sucessor Oportunidade, mudança, novos caminhos Vazio social quando se desliga do Responsável pela continuidade da trabalho unidade de produção (e familiar) Perda de “função” social Torna-se a referência para meio social Perda da centralidade na família Reposicionamento de seu papel na família
  7. 7. Preparo do sucessor (filhos) x preparo do sucedido (pais) Pais: - momento certo - confiança nos filhos - ministrar treinamento e apoiar os filhos - desligamento crescente Filhos: - estimular (gostar) - aprender com pais ou externamente (curso, assistência técnica, visitas, livros, etc.) - envolvimento crescente até autonomia
  8. 8. Características das propriedades rurais familiares: • Local de residência e de trabalho, em geral, são os mesmos • Caixa único para administrar a propriedade (negócio) e as despesas da família (ligação de sangue ou afetiva) • Decisões centralizadas nos pais • População rural está envelhecendo e filhos têm buscado outras alternativas de renda, nas cidades ou no meio rural
  9. 9. Consequências
  10. 10. Pesquisa junto a famílias de produtores de leite no RS e RJ: - Rio Grande do Sul – em 238 propriedades rurais: - 47% tinham herdeiros - 34% não tinham herdeiros - 19% não sabiam / não quiseram responder Fonte: (SACCO DOS ANJOS; CALDAS, 2006) - Rio de Janeiro: - jovens se identificam tanto com o rural quanto com o urbano - rural – facilidade para criar filhos, tranquilidade, apego à comunidade e família - cidade – acesso a internet, celular, lazer Fonte: (CARNEIRO, 1998)
  11. 11. O projeto dos filhos: o significado do local de residência - CIDADE ATRAI - por que? - telefone, internet e lazer - trabalho assalariado/folga - educação - proximidade e mobilidade - CAMPO ATRAI - por que? - aspectos da natureza (silêncio e ar puro) - ligações à família e ao patrimônio familiar - quantidade e qualidade dos alimentos - autonomia sobre o trabalho e o tempo Fonte: BERNARDO, 2009; BASILIO, 2009; CAMILOTTO, 2011.
  12. 12. Projeto dos pais para os filhos Das 32 famílias consultadas no estudo:  12 (37%) só o produtor trabalhando, 6 (19%) produtor e esposa, total 56% -Das 12, 10 propriedades ficavam longe da cidade - 84% dos pais acreditam que os filhos não retornam: - estabilidade (trabalho e residência) - trabalho penoso - baixa renda na agropecuária - baixo reconhecimento social Fonte: BERNARDO, 2009.
  13. 13. Sucessão em propriedades de leite em Minas Gerais e Goiás: Opinião do entrevistado em relação à sucessão na sua propriedade de leite (MG, 2005; Goiás, 2009): Filhos Filhos Filhos Filhos continuarão trocarão de Total deixarão o venderão a Região de MG com gado atividade meio rural propriedade de leite rural % % % % % Sul/Sudoeste de 43 7 40 10 100 MG Campo das 67 12 9 12 100 Vertentes Zona da Mata 43 21 23 13 100 Mineira Minas Gerais1 53 10 24 13 100 Goiás2 43 15 33 9 100 Fonte: 1GOMES, S. T., 2009. Obs.: 1000 entrevistados em Minas Gerais e 500 em Goiás.
  14. 14. Principais motivos apontados pelos jovens para a migração dos jovens (%) Falta de emprego, de trabalho remunerado Falta de renda Falta de estudo, de escola Falta de lazer e esporte Falta de oportunidade, de projetos e de programas para jovens Desvalorização do campo e da pequena produção / dificuldades para produzir Falta de incentivo da família Outros motivos Total Fonte: CASTRO et all., 2009. Obs.: 437 jovens do MST e Contag. 23 18 15 9 9 6 3 17 100
  15. 15. Projetos dos jovens na propriedade: “Ele [o pai] dá uns 50 reais para [o filho] vir na rua no final de semana. Dá a ele uma moto, dá a ele uma roupa..., dinheiro mesmo ele não tem. Chega aqui [na cidade], como diz o outro, chega aqui, no dia 4 ou no dia 5 a fábrica dá a ele 400 ou 500 reais, isso [lá na propriedade do pai] ele não tem. Isso é um fator que acaba fazendo ele ir embora [do meio rural]”. Fonte: BERNARDO, 2009.
  16. 16. A sucessão envolve cinco fatores: 1. 2. 3. 4. 5. a vontade do produtor em se afastar da sua posição a disponibilidade do sucessor em assumir o controle o acordo em manter a família envolvida nos negócios a aceitação dos papéis individuais o planejamento da sucessão Fonte: SHARMA, CHRISMAN e CHUA (2003), citado por Freitas et all., 2004.
  17. 17. Quando e como começar o processo de sucessão? • O mais cedo possível, com filhos maduros e pais conscientes da transição • Com o planejamento dialogado com a família • Conhecer projetos dos filhos • Quem da família está disposto a suceder? • Homem ou mulher? Idade? Está envolvido(a), preparado(a)? • Acordo familiar em relação à sucessão • Construção conjunta do projeto dos filhos na propriedade • Passagem gradual das tarefas de gestão: abertura de conta no banco, cartão do produtor rural, realizar compras e vendas, fazer treinamento, etc.
  18. 18. Sugestões para os processos de sucessão (Chemin; Ahlert, 2010): 1- Propriedades maiores: partilha em vida dos bens, com reserva de parte e/ou renda para a manutenção dos proprietários 2.a) Propriedades menores: • iniciar processo quando filhos tenham maturidade. • discutir e decidir quem, quando e como será sucessão. • preparo do sucessor para gerência da atividade e juntar dinheiro (poupança, por exemplo). • após verificar a competência e vontade do sucessor em continuar, inicia-se o processo de compra e venda da propriedade, com anuência dos demais filhos.
  19. 19. 2.b) Propriedades de qualquer tamanho - contrato de parceria rural: • filho participa do risco e dos resultados da atividade • participa (se capacita) da gestão • participa da renda e tem sua independência financeira • parte da renda vai para um fundo para comprar a propriedade no futuro obs.: cuidado na elaboração do contrato para que a reserva do filho não seja considerada como bens dos pais
  20. 20. 10 recomendações para os processos de sucessão (Fetsch, 1999): 1. Planeje o processo com antecedência; 2. Compartilhe com a família a visão que você tem sobre a atividade; 3. Converse sobre objetivos comuns e diferentes com toda a família; 4. Converse com algum profissional que possa orientá-lo, por exemplo, extensionistas;
  21. 21. 5. Mantenha uma comunicação aberta com os envolvidos a fim de resolver efetivamente problemas e questionamentos; 6. Escute com atenção o que os demais envolvidos no processo têm a dizer, evitando alterar a voz e perder o controle da conversa; 7. Permita e reconheça os sentimentos envolvidos no planejamento; quando os envolvidos têm conhecimento do que está planejado, eles têm condições de lidar melhor com a questão, mesmo que não gostem;
  22. 22. 8. Não presuma o que outras pessoas estejam pensando, sentindo ou planejando; 9. Respeite a opinião de todos, elevando a autoestima dos envolvidos; 10. Diminua o seu trabalho realizado na propriedade, aumentando o envolvimento do potencial sucessor nas atividades práticas e administrativas da propriedade.
  23. 23. Obrigado! fabio.homero@embrapa.br Embrapa Gado de Leite

×