Patrocínio Cultural

  • 2,392 views
Uploaded on

Nesta apresentação, Leonardo Brant aborda a cultura como estratégia de desenvolvimento, a partir de um quadro comparativo entre mecenato, marketing cultural e investimento cultural privado.

Nesta apresentação, Leonardo Brant aborda a cultura como estratégia de desenvolvimento, a partir de um quadro comparativo entre mecenato, marketing cultural e investimento cultural privado.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,392
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
6

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PATROCÍNIO CULTURAL MECENATO, MARKETING CULTURAL & INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO LEONARDO BRANT
  • 2. Processo Evolutivo MECENATO MARKETING CULTURAL INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 3. Mecenato MECENAS AÇÃO BENEVOLENTE ARTISTAS OU ORGANIZAÇÕES CULTURAIS Investimento oferecido voluntariamente e por generosidade às artes, ciências e letras.
  • 4. Marketing Cultural PÚBLICO-ALVO AÇÃO CULTURAL MARCA Associação direta entre marcas empresariais e culturais visando ao desenvolvimento de ações estratégicas de comunicação com públicos determinados.
  • 5. Investimento Cultural Privado EMPRESA CIDADANIA CORPORATIVA IMPACTO SOCIOCULTURAL Investimentos em empreendimentos socioculturais e cidadania corporativa devem ser entendidos como inteligências para a configuração de ações e relações orgânicas, conscientes e efetivas com a sociedade. (Leonardo Brant, O Poder da Cultura) COMUNICAÇÃO
  • 6. Entendimento de Cultura Definição de Cultura para a UNESCO (Mondiacult, México, 1982) Conjunto de características distintas espirituais, materiais, intelectuais e afetivas que caracterizam uma sociedade ou um grupo social. Abarca, além das artes e das letras, os modos de vida, os sistemas de valores, as tradições e as crenças INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO MARKETING CULTURAL MECENATO MODOS DE VIDA E PRODUÇÃO SIMBÓLICA PRODUTO OU EVENTOARTE
  • 7. MARKETING CULTURAL MECENATO INVESTIMENTOPATROCÍNIOFOMENTO Gilberto Gil, durante o II Fórum Nacional de Cultura e Cidadania Corporativa (2006) Vamos então trazer este conceito para a formulação, o desenvolvimento e a avaliação de uma política de patrocínios culturais que seja mais do que colateral, que esteja no coração do que se chama hoje de Cidadania Corporativa. Se há um país onde essa idéia faz sentido, e pode trazer resultados espetaculares para as empresas, é o Brasil, onde a cultura ocupa um papel privilegiado na vida social, e onde o Estado estimula a participação cultural das empresas através de leis de incentivo que podem ser melhor usadas por todos. Relação Investidor/Cultura RESPONSABILIDADE CULTURAL
  • 8. MARKETING CULTURAL MECENATO CIDADÃOS E EMPRESAS CIDADÃS MARCASPESSOA FÍSICA Tipo de Investidor Naomi Klein, Sem Logo (2002) Embora nem sempre seja a intenção original, o efeito do branding avançado é empurrar a cultura que a hospeda para o fundo do palco e fazer da marca a estrela. Isso não é patrocinar cultura, é ser a cultura. E por que não deveria ser assim? Se as marcas não são produtos, mas conceitos, atitudes, valores e experiências, por que também não podem ser cultura? Esse projeto tem sido tão bem sucedido que os limites entre os patrocinadores corporativos e a cultura patrocinada desapareceram completamente. INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 9. MARKETING CULTURAL MECENATO CIDADANIA CORPORATIVA COMUNICAÇÃONÃO ESTRATÉGICO Estratégia de Investimento Rômulo Avelar, O Avesso da Cena (2008) Transcorridas mais de duas décadas de intensas trocas mediadas pela legislação de incentivos, o próprio marketing cultural começa a dar sinais de fadiga. O patrocínio cultural nos moldes tradicionais vai se tornando, aos poucos, mais um canal saturado de comunicação, entre tantos outros. A simples exposição de uma marca a partir de critérios meramente mercadológicos já não basta para que a empresa obtenha ganhos consistentes e duradouros para a sua imagem institucional. INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 10. MARKETING CULTURAL MECENATO DESENVOLVIMENTO SOCIOCULTURAL E ARTÍSTICO VISIBILIDADE DA MARCA DESENVOLVIMENTO DAS ARTES Efeito Desejado O Poder da Cultura, Leonardo Brant A ideia de cultura, sempre cunhada conforme as visões políticas de cada tempo, detém em si as chaves dos sistemas de poder. Chaves que podem abrir portas para a liberdade, para a eqüidade, para o diálogo. Mas que também podem fechá-las, cedendo ao controle, à discriminação, à intolerância. INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 11. Desmond Tutu – Nobel da Paz Ubuntu Sou quem sou por aquilo que todos somos (Zulu e Xhosa) Uma pessoa com ubuntu está aberta e disponível aos outros, não- preocupada em julgar os outros como bons ou maus, e tem consciência de que faz parte de algo maior e que é tão diminuída quanto seus semelhantes que são diminuídos ou humilhados, torturados ou oprimidos. MARKETING CULTURAL MECENATO CONVERGÊNCIA ENTRE O PÚBLICO E PRIVADO PRIVADOBENEMÉRITO Interesse na Ação INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 12. André Martinez, revista Arquitetura Cultural (2006) A empresa está preocupada em como o social poderá agregar valor à sua marca, enquanto deveria estar empenhada em como sua marca poderia agregar valor à sociedade. MARKETING CULTURAL MECENATO AÇÕES CONTINUADAS E ARTICULADAS AÇÕES PONTUAIS OU SEQUENCIAIS AÇÕES PONTUAIS OU CONTINUADAS Estruturação do Processo INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 13. Convenção sobre Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais (UNESCO, 2007) A diversidade cultural somente poderá ser protegida e promovida se estiverem garantidos os direitos humanos e as liberdades fundamentais, tais como a liberdade de expressão, informação e comunicação, bem como a possibilidade dos indivíduos de escolherem expressões culturais. MARKETING CULTURAL MECENATO DIÁLOGO COM A SOCIEDADE E TRANSPARÊNCIA OBJETIVO PRINCIPAL DA AÇÃO NÃO ESTRUTURADA Comunicação INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 14. MARKETING CULTURAL MECENATO EFEITOS SOCIOCULTURAIS E ENVOLVIMENTO DO INVESTIDOR COM A SOCIEDADE PLANEJAMENTO DE MARCANÃO PLANEJADO Planejamento PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2004) Para que o mundo atinja os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e acabe por erradicar a pobreza, tem que enfrentar primeiro, com êxito, o desafio da construção de sociedades culturalmente diversificadas e inclusivas. INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 15. MARKETING CULTURAL MECENATO IMPACTO SOCIOCULTURAL RECALL DE MARCASEM AVALIAÇÃO Avaliação de Resultados Responsabilidade Cultural (TV Cultura, 2008) Atuar em cultura com responsabilidade significa reconhecer as práticas do público, valorizar essas práticas como forma de garantir sua auto-estima e capacidade de expressão e interlocução social, permitir o desenvolvimento de mecanismos próprios para o aprimoramento dessas práticas, garantindo o protagonismo das pessoas envolvidas no processo cultural. Por fim, é importante a busca do diálogo e associação das ações com as políticas públicas existentes. INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 16. MARKETING CULTURAL MECENATO BENEFÍCIO SOCIOCULTURAL COMO PONTO DE PARTIDA VISIBILIDADE DE MARCADE CARÁTER PESSOAL Contrapartida Lia Diskin, I Fórum Nacional de Cultura e Cidadania Corporativa (2005) Celebramos o crescente interesse por parte do Estado e das empresas em fazer investimentos em cultura e, igualmente, em projetos sociais. Tal interesse revela a necessidade de construir sinergias público-privadas, que potencializem os benefícios coletivos, ao mesmo tempo em que renovam a capacidade de criação de significados, horizontes e motivações na dinâmica das relações sociais INVESTIMENTO CULTURAL PRIVADO
  • 17. 1. Direitos Culturais Garantir os direitos culturais dos cidadãos, o que inclui livre expressão e acesso ao conhecimento produzido pelo mundo. 2. Cidadania Cultural Garantir ao sujeito a possibilidade de decidir sobre a sua própria dinâmica cultural e de interferir na de toda a sociedade. 3. Identidade Cultural Garantir ao sujeito a preservação e a construção da sua própria identidade, incluindo a manutenção de suas crenças e tradições. Os 7 Princípios do Investimento Cultural Privado
  • 18. 4. Autorrepresentação Garantir a todos a capacidade de desenvolver a representação simbólica de sua própria cultura, protegendo-a de possíveis apropriações externas. 5. Sincretismo Possibilitar a convivência e fusão de elementos culturais antagônicos ou complementares, como forma de garantir e estimular a sua sobrevivência no processo evolutivo. 6. Diversidade Cultural Preservar e promover, sem discriminação, todas as práticas artísticas, culturais, religiosas e afetivas de todos os cidadãos, garantindo a circulação e convivência pacífica de todas as culturas. Os 7 Princípios do Investimento Cultural Privado
  • 19. 7. Espiral Cultural Promover ambientes favoráveis à interação de agentes culturais; o fomento à pesquisa e aos processos criativos; a atuação e a viabilização das expressões culturais, sua difusão, acesso, participação e articulação entre todas as esferas da sociedade, gerando um circulo virtuoso que garanta o envolvimento e a participação de toda a população nessa dinâmica. Os 7 Princípios do Investimento Cultural Privado
  • 20. Obrigado!OBRIGADO! www.brant.com.br