Your SlideShare is downloading. ×
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010

1,938
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,938
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Mortalidade Infantil: Responsabilidades com Pensamento Sistêmico [email_address] Arquivos: www.fmp.com.br/2008/img/gestao_conteudos/ F
  • 2.
    • O que é um sistema?
  • 3. Från problem till system Source: Regionplane-och trafikkontoret – Martin Ängeby presentation
  • 4. Dicion ário Eletrônico Luft Primeira definição de sistema
    • 1. Conjunto de elementos inter-relacionados em vista de uma finalidade ;
  • 5. Qual é finalidade de reduzir mortalidade infantil? Qual é a missão? Não é apenas diminuir a quantidade de mortes, mas também propiciar Qualidade de Vida
  • 6. PLANEJAMENTO E GESTÃO SISTÊMICOS Busca : Sustentabilidade/Efetividade Paz – interna e externa Atuar: nas Causas e nas Conseqüências
  • 7.
    • Quais sã o as verdadeiras causas do crescente desrespeito
    • à natureza e a dignidade humana,
    • própria e dos demais ?
  • 8. Fonte: Zero Hora - 31 de maio de 2009 Foto da Capa: Daniel Marenco
  • 9. 500 mil brasileiros que participaram da pesquisa Brasil Ponto a Ponto, realizada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) responderam a pergunta: “O que deve mudar no Brasil para sua vida melhorar de verdade ?”
    • A maior parte deles apontou o tema valores
  • 10.
    • O que são valores?
    São Formas de perceber o mundo, e de agir a partir disso
  • 11.
    • Percepção - Através dos cinco sentidos :
    • * Visão * Audição * Olfato * Tato * Paladar
    Gosto - Não gosto = “Ser” fica condicionado ao Quero - Não quero exterior - sentidos Busca Poder para Aproximar - gosto/quero Afastar - Não gosto/ Não quero Tenho - Não tenho
  • 12.
    • Visão Cartesiana - Dissocia/Separa:
    • * Espírito - Ciência
    • * Mente - Corpo
    • *Sujeito - Objeto
    • * Meu - Teu
    = Ciclo dos Extremos v itimizar - Punir Individualismo - Condicionamentos Paradigmas Ofuscam a percepção de conjunto
  • 13.
    • Sob outro ângulo...
    • Parece que as causas são sistêmicas,
    • ou seja,
    • Decorrem de RELAÇÕES interdependentes e inter-relacionadas entre diversos componentes do HABITAT.
  • 14.
    • Como remediá-las ?
    • PLANEJAMENTO E GEST ÃO SISTÊMICOS
    • Que possibilitam a visão e a integração de recursos multidisciplinares, intersetoriais e transdisciplinares, cujo desempenho podem afetar, positiva ou negativamente, a sociedade como um todo.
  • 15. Fonte:Pensamento Sistêmico – Caderno de Campo – pág.69 - Bookman
  • 16. Fonte: Revista Época - 04 de maio de 2009, pág. 110
  • 17. Fonte: http://professorlindomar.blogspot.com/2008/01/atitude-ecolgica.html
  • 18. Desenvolver o Pensamento Sistêmico Perceber o sistema como um todo as relações /// as interconexões Para alterar o foco cartesiano, Para romper condicionamentos O que deve ser feito? Des - condicionar Des - envolver
  • 19. FAMÍLIA  CRACK Planejamento e Gestão Sistêmicos (PGS) Integração dos 3 setores e da Comunidade em geral Mapear e Integrar Atender Necessidades Nos 3 eixos de sustentabilidade
    • Necessidades:
    • Fisiológicas;
    • Psicológicas e
    • Autorrealização.
    • Nos 3 eixos de
    • sustentabilidade :
    • Econômico; Social e
    • Ambiental.
    Integração dos 3 setores: Público; Privado e Sociedade Civil Organizada e da Comunidade em geral DHS Valores EFETIVIDADE SUSTENTABILIDADE PAZ Externa e Interna Efeitos Públicos Redes de Cooperação
  • 20. Na Prática - Atividades Gerais a partir do foco prioritário Integrar Mapear De forma sistêmica
  • 21. Mapear : 1- Necessidades (fisiológicas, psicológicas e que permitam a autorrealização); 2-Possibilidades 3- Atividades + Dos três setores e dos indivíduos da comunidade = (Banco de Dados)
  • 22. Integrar A) Reuniões B) Modelos – Projetos e Indicadores C) Replicação (fóruns, seminários, jornadas, internet, workshop , etc.)
  • 23. Em Rio Grande - Rede Família Foco: crianças e adolescentes abrigados e suas famílias Mapear (exemplos) . Via processos judiciais - Rede de Abrigagem . . A rede local e ampliada - mapa do capital social
  • 24. Integrar (exemplos) . Acompanhamento, orientação, educação e apoio sócio-familiar no contexto local das famílias; . Formação dos agentes comunitários por parte do Rede Família e o CEP-RUA - estabelecidas parcerias com os Conselheiros Tutelares; . Rede de Abrigagem; . Site
    • Resultados (exemplos)
    • . Eficácia = diminuição do tempo de permanência de crianças e adolescentes em acolhimento institucional (apesar da expansão portuária)
    • . Eficiência = otimização dos recursos (menos papel - mais relação)
    • . Efetividade = cultura de atuar em redes de cooperação
  • 25. Rede Família : Prevenção, tratamento e reinserção/repressão à Drogadição  crack Mapear . Informações colhidas em reuniões e dados fornecidos pelos parceiros; . Elaboração do cenário com foco nos Bairros Castelo Branco I e II; . Análise do Relatório do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB);
  • 26. Rede Família : Prevenção, tratamento e reinserção/repressão ao Drogadição  crack Integrar (exemplos) . Internet - Grupo Virtual Fazendo Frente ao Crack; . PPV - Programa de Prevenção à Violência . Grupo de Trabalho Drogadição - Comitê de Gestão Social ( CGS ) . Sistema de referência e contrarreferência     Resultados (exemplos) . Seminário - Política Municipal sobre Drogas do Rio Grande . Aumento do atendimento a usuários de crack através do ambulatório de saúde mental, do CENPRE e das comunidades terapêuticas; . Aumento das prisões por tráfico; . Apresentação de projeto   
  • 27. Edital da Secretaria de Justiça e Desenvolvimento Social
  • 28. Edital da Secretaria de Justiça e Desenvolvimento Social
  • 29. Comitê de Gestão Social ( CGS ) Resultados : Aplicação da Política Municipal sobre Drogas
    • Grupo de Trabalho 1 - Prevenção e Pesquisa
    • Grupo de Trabalho 2 - Redução de Danos e Reinserção Social
    • Grupo de Trabalho 3 - Redução da Oferta
  • 30. Comitê de Gestão Social ( CGS ) : Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Principais ações executadas/resultados
    • GT-1 Prevenção e Pesquisa
    • Mapeamento e integração de ações e serviços do município - adesão de 27 entidades e serviços até o momento;
    • Construção de um instrumento de mapeamento e disponibilização dos dados em grupo virtual;
    • Início da distribuição de 65.000 panfletos contra o consumo de álcool e outras drogas por crianças e adolescentes;
    • Criação e ativação de cursos de capacitação para multiplicadores;
    • Planejamento do ciclo de palestras em escolas e outros centros de concentração de jovens - a serem efetivadas a partir do início do ano letivo;
  • 31. Comitê de Gestão Social ( CGS ) : Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Principais ações executadas/resultados
    • GT-2 RD e Reinserção Social
    • Inauguração de um Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPS-I);
    • Inauguração de um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD);
    • Regulação das vagas das comunidades terapêuticas pelo CAPS AD;
    • Conveniamento de cinco comunidades terapêuticas;
    • Conveniamento com o Estado de 20 vagas em leitos hospitalares;
    • Integração total dos órgãos intervenientes;
  • 32. Comitê de Gestão Social ( CGS ) : Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Principais ações executadas/resultados
    • GT-2 Redução da Oferta
    • Três operações integradas - com participação dos órgãos de Segurança Pública (Polícia Civil, Brigada Militar e Polícia Federal), Ministério Público, Conselheiros Tutelares, Secretaria Municipal da Fazenda, Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito;
    • Após as operações - avaliações conjuntas e ampla divulgação na imprensa;
    • Motivação extraordinária de entidades e cidadãos - aumento da cooperação;
    • Outras operações integradas programadas para 2010;
  • 33. Em Rio Grande - PGS com foco na Saúde - Otimização da Rede de Fornecimento de Medicamentos
    • 1-Mapear (exemplos)
    • Instituições Participantes:
        • Coordenador do Comitê de Gestão Social (CGS)
        • Ministério Público Estadual (promotoria com atribuições na saúde e na infância e juventude)
        • Secretaria Municipal da Saúde (Secretária, Farmacêutica e corpo técnico)
        • Defensoria Pública do Estado (defensor com atribuição na infância e juventude, ajuizamento e matéria cível)
        • Ministério Público Federal (procurador com atribuição na saúde)
  • 34.
    • Instituições Participantes:
        • Magistratura estadual (juiz com jurisdição na área cível e infância)
        • Procuradoria do Estado
        • Procuradoria do Município
        • Advocacia geral da união
        • Coordenadoria Regional de Saúde do Estado
        • Conselho Municipal da Saúde
        • Conselho Tutelar
        • Equipe técnica dos abrigos
        • Coordenador do Programa Rede Família
        • Associação de caridade Santa Casa do Rio Grande (diretoria e profissionais médicos)
        • Hospital Universitário Miguel Riet Correa Júnior (diretoria e profissionais médicos)
        • ASSEDISA (Assoc.dos Secretários e Dirigentes da Saúde)
        • CACON/UNACON
        • ESF (Estratégia de Saúde da Família)
        • Agentes comunitários e Presidentes de Bairros
  • 35. Em Rio Grande - PGS com foco na Saúde - Otimização da Rede de Fornecimento de Medicamentos 2- Integrar (exemplos) 2.1 – CRITÉRIOS PARA O ATENDIMENTO INICIAL: 2.1.1 formulário unificado de justificativa médica para uso de medicamento não padronizado, tanto em âmbito administrativo como judicial; 2.1.2 negativa administrativa para o ingresso de demandas judiciais, exceto casos urgentes para os quais basta o protocolo administrativo;
  • 36. 2- Integrar (exemplos) 2.2 – CRITÉRIOS PARA A JUDICIALIZAÇÃO: 2.2.1 em se ajuizando a demanda em desfavor do município e estado, preferencialmente efetivar bloqueio judicial, em caso de descumprimento, em desfavor do ente responsável pelo fornecimento do fármaco, segundo listas padronizadas de medicamentos; 2.2.2 intimação da concessão da tutela antecipada via fax;
  • 37. Em Rio Grande - PGS com foco na Saúde - Otimização da Rede de Fornecimento de Medicamentos 3 – RESULTADOS JÁ OBTIDOS (EXEMPLOS) 3.1 – organização da rede de atenção à saúde, com foco nos medicamentos; 3.2 redução de cerca de 80% do ajuizamento de demandas judiciais; 3.3 redução do tempo de espera do paciente para o recebimento do remédio;
  • 38. 3 – RESULTADOS JÁ OBTIDOS (EXEMPLOS) 3.4 integração dos profissionais afetos à saúde, com a conseqüente redução da burocracia entre a comunicação entre os integrantes da rede; 3.5 redução do número de bloqueios judiciais; 3.6 impossibilidade do cidadão receber o remédio na farmácia pública e obter bloqueio simultâneo, locupletando-se indevidamente; 3.7 No Estado do RGS - formação de um grupo de trabalho para replicação da metodologia em outros municípios;
  • 39. PGS - No Estado do RGS - Programa de Qualificação em Gestão Pública Mapear . Informações recebidas pelos parceiros: . Famurs .FMP .CDP . Banrisul . Corag Integrar Seminários em todas as regiões funcionais Resultados . Participação de centenas de pessoas; . Solicitação de EAD - Educação à Distância . Pedidos de capacitações de 12 a 16 horas em PGS ; .
  • 40. FAMÍLIA  CRACK Planejamento e Gestão Sistêmicos (PGS) Integração dos 3 setores e da Comunidade em geral Mapear e Integrar Atender Necessidades Nos 3 eixos de sustentabilidade
    • Necessidades:
    • Fisiológicas;
    • Psicológicas e
    • Autorrealização.
    • Nos 3 eixos de
    • sustentabilidade :
    • Econômico; Social e
    • Ambiental.
    Integração dos 3 setores: Público; Privado e Sociedade Civil Organizada e da Comunidade em geral DHS VALORES EFETIVIDADE SUSTENTABILIDADE PAZ Externa e Interna Efeitos Públicos Redes de Cooperação
  • 41. = Paz interna e externa = Efetividade dos Direitos Humanos e do Sistema como um todo (implementação da Agenda Habitat ) Então: 1+2+3+4 = DHS Valores
  • 42. Da Prática - Resultados Gerais Na Missão - Consciência da Unidade Na vida - Cooperação  Cultura  valores  Educação  Cooperação Qualificada  Missão Comum = Paz No ambiente - Ciclo do Equilíbrio - da Harmonia
  • 43. Qual é o sentido da vida ? Qual é a nossa missão comum ? Parece que o mais importante na vida é a Qualidade das Relações que estabelecemos com nossa consciência e com os seres vivos e objetos com os quais interagimos. Parece mais! Parece que para nós atingirmos a sustentabilidade, a efetividade e a Paz, interna e externa, é necessário que percebamos isso. Rodrigo (rsmoraes@mp.rs.gov.br) Arquivos: www.fmp.com.br/2008/img/gestao_conteudos/
  • 44.  
  • 45. Você vai encontrar a versão estendida nos próximos slides
  • 46.
    • Aprofundando um pouco mais a reflexão …
    • OBS: Os próximos gráficos explicitarão de uma forma mais detalhada a metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos através da Metodologia Balanced Scorecard – BSC (usando, de forma circular, um mapa estratégico).
    • Ademais, demonstrarão a sintonia do que foi antes articulado com os seguintes gráficos: ciclo dos extremos, ciclo do equilíbirio/harmonia e implicações biopsicossociais.
    • Maiores explicações e outros arquivos no endereço eletrônico www.fmp.com.br/2008/img/gestao_conteudos/,
    • da Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP)
  • 47. RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS O Objetivo do Gráfico Planejamento e Gestão Sistêmicos é fomentar a adoção de metodologia que possibilite serem alcançadas a efetividade, a sustentabilidade e a Paz, interna e externa. Levando em consideração que as causas do crescente desrespeito à natureza e à dignidade humana (própria e dos demais), são sistêmicas, ou seja, decorrem de relações interdependentes e interrelacionadas entre diversos componentes do Habitat , preconiza-se a adoção da metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos, que possibilita, a partir do(s) foco(s) prioritário(s) escolhido(s) (como, por exemplo, o planejamento familiar, o crack , a gripe H1N1, um alagamento, a construção de uma estrada, etc.) e relevando o contexto familiar, a visão e a integração de recursos multidisciplinares, intersetoriais e transdisciplinares. Assim, pode-se estabelecer o que fazer, como, quem, onde e quando/porque, bem como de que forma mapear e integralizar todos esses componentes. Para isso, é importante que seja percebida a missão comum, a ser concretizada com o atendimento integral das necessidades fisiológicas, psicológicas - segurança, pertencimento e autoestima - e de autorrealização (diferentemente de desejos), gerando impactos proporcionais nos três eixos da sustentabilidade ( econômico, social – saúde, educação, cidadania e segurança – e ambiental) e através da cooperação. Desse modo, são produzidos efeitos públicos, agregando valor sustentável às atividades desenvolvidas.
  • 48. RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS Essa missão comum, vislumbrada como efeitos públicos, exige e favorece a formação de redes de cooperação para a atuação sistêmica, priorizando a família e permitindo a integração dos três setores (público, privado e sociedade civil organizada) e dos indivíduos da comunidade em geral. Esse contexto, favorece a democracia, participativa e representativa, propiciando o Desenvolvimento Harmônico e Sustentável (DHS) e a sobrevivência de todos os seres vivos. Contudo, para que isso possa ser consolidado, o planejamento e a gestão deverão produzir o pensamento sistêmico, contemplando o mapeamento das necessidades, possibilidades e atividades relacionadas ao(s) foco(s) prioritário(s), com o que se poderá atuar de forma sistêmica. Desse modo, possibilita-se a inclusão das pessoas principalmente naquelas ações nas quais se sentem entusiasmadas, fazem a diferença (‘slice of heart’) na sociedade, sendo, por isso, lembradas, reconhecidas e valorizadas. Assim, os membros da sociedade constatarão que são úteis no contexto maior, o que aumenta a motivação na busca de aperfeiçoamento, gerando sustentabilidade no ambiente interno e externo. Isso propicia a conscientização da corresponsabilidade e a compreensão do binômio dever-direito, despertando a noção de contexto e afastando práticas imediatistas baseadas exclusivamente na punição ou vitimização. Desenvolve, dessa maneira, o perceber e agir (valores) de forma sistêmica.
  • 49. RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS Em termos mais amplos, esse contexto permite o acesso a recursos aptos a implementar ações (voluntariado, CAIXA, BNDES - Redes Sociais, etc.), bem como garante o cumprimento de diversos Tratados, Convenções, Pactos e Planos de Ações das várias Conferências das Nações Unidas (Agenda Habitat para Municípios, Convenção Sobre os Direitos da Criança, Plano de Ação da Conferência Mundial de População e Desenvolvimento, etc.). Ademais, como a metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos embasa-se em metodologias de gestão reconhecidas internacionalmente e utiliza ferramentas e sistemas de avaliação, pode-se elaborar indicadores de desenvolvimento sistêmico e, até mesmo, um Índice de Desenvolvimento Harmônico e Sustentável (IDHS), transparentes e, portanto, confiáveis. Desse modo, diminui o risco dos investimentos efetivados, o que atrai novos recursos nacionais e internacionais. Assim, desenvolve-se um ciclo de efeitos públicos, ambiente no qual são alcançadas a efetividade e a sustentabilidade. Na verdade, a Paz, interna e externa.
  • 50.  
  • 51.  
  • 52.  
  • 53.  
  • 54.  
  • 55.  
  • 56.  
  • 57. RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS
  • 58. RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS
  • 59. RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS
  • 60. RESUMO GERAL DOS GRÁFICOS
  • 61.  
  • 62.  
  • 63.  
  • 64.  
  • 65.  
  • 66.  
  • 67.  
  • 68.  
  • 69.  
  • 70. Por que és o que és, sentes o que sentes, buscas o que buscas? Qual a contribuição da família no traçado deste ser? Rodrigo Schoeller de Moraes [email_address] Arquivos: www.fmp.com.br/2008/img/gestao_conteudos/
  • 71.  
  • 72.  
  • 73.  
  • 74.  
  • 75.  
  • 76.  
  • 77.  
  • 78.  
  • 79.  
  • 80. Qual é o sentido da vida ? Qual é a nossa missão comum ? Parece que o mais importante na vida é a Qualidade das Relações que estabelecemos com nossa consciência e com os seres vivos e objetos com os quais interagimos. Parece mais! Parece que para nós atingirmos a sustentabilidade, a efetividade e a Paz, interna e externa, é necessário que percebamos isso. Rodrigo (rsmoraes@mp.rs.gov.br) Arquivos: www.fmp.com.br/2008/img/gestao_conteudos/