Your SlideShare is downloading. ×
1ºanos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

1ºanos

479
views

Published on

Published in: Education

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Foi maravilhoso projetar uma formação com os pequenos.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
479
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOSAção de Formação dos 1ºs ANOS EF 14 DE MARÇO DE 2013 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 1 Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 2. De repente nasci, isto é, senti vontade de escrever. Nunca pensara no que podia sair do papel e do lápis, a não ser bonecos sem pescoço, com cincoriscos representando as mãos. Nesse momento, porém, minha mão avançou para a carteira à procura de um objeto, achou-o, apertou-o irresistivelmente, escreveualguma coisa parecida com a narração de uma viagemde Turmalinas ao Pólo Norte. Carlos Drumonnd de Andrade Núcleo Pedagógico Anos Iniciais SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 2 Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 3. OBJETIVOS:Apreciar textos literários inferindo informações e desenvolvendoa sua compreensão.Analisar rotina do professor, refletindo sobre as atividades deleitura e escrita na distribuição do tempo didático e em comogarantir as condições didáticas que contemple as expectativas deaprendizagem.Preparar e elaborar atividades propostas nas sequências doEMAI (Educação Matemática nos Anos inicais) e planejar seudesenvolvimento na rotina semanal. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 3
  • 4. Conteúdo:•Leitura pelo formador: “ O Gato Malhado e A AndorinhaSinhá” autor Jorge Amado.•Expectativas de Aprendizagem.•Modalidades organizativas a serem garantidas nassituações de Rotina do 1ºAnos EF.•Atividades Diversificadas “Cantos”.•Sequências de atividades Matemáticas – Números eoperações. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 4
  • 5. 1º Momento – Leitura de um trecho do livro“ O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”. Autor: Jorge Amado Ilustrador: Carybé SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 6. Resenha: O Gato Malhado e A Andorinha Sinhá, este romance de um amor impossível - que no entanto, aconteceu sem ter acontecido – entre os dois seres de espécies tão diferentes desta estranha fábula. Porque se trata de uma fábula, sim, já que acontece entre bichos “ humanizados”. Ou, se quiserem entre “gentes” disfarçadas de bichos, gentes da única raça de gente que existe, a raça humana, de qualquer cor de pele, origem, cultura, religião e tudo mais, como na maioria das fábulas. E nesta fábula brasileira, a raça humana disfarçada de bichos se comporta como tal, e aqui aparece com todas as suas características, as melhores e as piores – e até as nem tanto... Tatiana Belinky SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 6
  • 7. • Registros reflexivo dos Encontros: Data 14/03 XXXXXXXXXX 22/05 23/05 13/08 14/08 10/09 11/09 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 7 Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 8. 2º Momento – Leitura compartilhadaApresentação da Expectativas de Aprendizagem2013- Preliminar- Breve reflexão a luz das expectativas que jáestão postas no Guia de Planejamento eOrientações Didáticas. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 8
  • 9. Ao final do 1º ano do Ciclo I, o aluno deverá ser capaz de:•participar de situações de intercâmbio oral do cotidiano escolar (rodas deconversa, rodas de leitura, rodas de estudo etc.), ouvindo com atenção,formulando perguntas e fazendo comentários sobre o tema tratado;•planejar sua fala, adequando-a a diferentes interlocutores em situaçõescomunicativas do cotidiano escolar (rodas de conversa, rodas de leitura, rodasde estudo etc.);•apreciar textos literários e participar dos intercâmbios posteriores à leitura;•ler - com assistência do professor ou colegas - textos de diferentes gêneros,(contos, textos instrucionais, textos expositivos de divulgação científica,notícias etc.), com diferentes propósitos, apoiando-se em conhecimentos sobreo tema do texto, as características de seu portador, do gênero e do sistema deescrita;•ler por si mesmo textos conhecidos, tais como parlendas, adivinhas, poemas,canções, trava-línguas, além de placas de identificação, listas, manchetes dejornal, legendas, histórias em quadrinhos, tirinhas, rótulos etc.; SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 9
  • 10. •compreender o funcionamento alfabético do sistema de escrita, ainda queescreva com erros ortográficos;•escrever alfabeticamente textos que se costuma saber falar de cor, tais como:parlendas, adivinhas, quadrinhas, canções, trava-línguas, entre outros;•recontar histórias conhecidas, recuperando a sequência dos episódiosessenciais e algumas características da linguagem do texto lido pelo professor;•reescrever coletivamente - ditando para o professor ou colegas – trechos decontos conhecidos, considerando, do texto fonte, as ideias principais e algumascaracterísticas da linguagem escrita e do registro literário;•produzir textos de autoria coletivamente (bilhetes, cartas, verbetes decuriosidades) e completar histórias cujo final se desconhece, ditando para oprofessor ou colegas ou escrevendo de próprio punho;•reescrever textos e produzir textos de autoria coletivamente, com apoio doprofessor para planejar o que vai escrever; e para reler o que está escrevendo,tanto para controlar a progressão temática quanto para avançar nos aspectosdiscursivos e textuais; SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 10
  • 11. •revisar textos coletivamente com o apoio do professor, tanto durante oprocesso de textualização quanto depois de finalizada a primeira versão. Kátia Bräkilng SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 11
  • 12. 3º Momento – A rotina e as modalidades organizativas na gestão do tempo didático 1.Em pequenos grupos façam a análise de uma rotina: anexo 1 Analisem e apontem o que observam. – Como pode entrar as atividades com Nomes Próprios nesta rotina? Em qual modalidade organizativa? Por quê? - E os cantos diversificados como devem ser organizados? -Da forma que estão sendo apresentadas irão dar conta de atender a matriz curricular para o 1º ano? Que adequações faria? Fazendo retomada nos textos de estudos: “Como organizar o trabalho Pedagógico no Ensino Fundamental” de Rosaura Soligo e “Como e porque organizar cantos diversificados no 1º Ano do Ensino Fundamental” Denise Tonello. Socialize com os colegas SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 12
  • 13. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SlideCoordenadoria de Gestão da Educação Básica 13
  • 14. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SlideCoordenadoria de Gestão da Educação Básica 14
  • 15. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SlideCoordenadoria de Gestão da Educação Básica 15
  • 16. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SlideCoordenadoria de Gestão da Educação Básica 16
  • 17. EMAI EMAI EE. Jeni Davi Bacha SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 17
  • 18. 4º Momento EMAI- Educação Matemática nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 18
  • 19.   4-Em  grupo:  discutir  sobre  as  atividades  do  EMAI  para compor a sua rotina semanal e o Plano de aula.Faça  um  registro  distribuindo  as  atividades  propostas, atendendo a matriz curricular do 1º Anos.5-Socialize com seus colegas.  Trabalho  Pessoal:  Relatório  reflexivo  sobre:  os  cantos  diversificados,  no  que  se  refere  a  “observação  do  professor  e  autonomia do aluno” e enviar o formato da rotina  para as classes  dos  1º  Anos,  da  unidade  escolar;  levando  em  conta  a  matriz  curricular  e  as  modalidades  organizativas,  de  acordo  com  as  Expectativas de Aprendizagem.  Data prevista para entrega: Próximo encontro 22 de maio. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 19
  • 20. Bom trabalho! . SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 20
  • 21.  Anexo   LEITURA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Slide Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 21
  • 22. LEITURACAPACIDADES COMPORTAMENTO PROCEDIMENTOS DE LEITURA LEITOR DE LEITURA OBJETO TEXTO + GÊNERO Envolve diferentes aspectos Discursivos Textuais Gramaticais... SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 23. Comportamento leitor• socializar critérios de escolha e de apreciação estética de leituras;• ler trechos de textos que gostou para colegas;• procurar materiais de leitura regularmente;• zelar por diferentes materiais de leitura;• freqüentar bibliotecas (de classe ou não);• comentar com outros o que se está lendo;• compartilhar a leitura com outros;• recomendar livros ou outras leituras que considera valiosas;• confrontar com outros leitores as interpretações geradas por uma leitura, entre outros. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 24. Procedimentos de leitura• ler da esquerda para a direita e de cima para baixo no ocidente;• folhear o livro da direita para a esquerda e de maneira seqüencial e não salteada;• escanear as manchetes de jornal para encontrar a editoria e os textos de interesse;• usar caneta marca-texto para iluminar informações relevantes numa leitura de estudo ou de trabalho, por exemplo;• reler um fragmento anterior para verificar o que se compreendeu;• adequar a modalidade de leitura – exploratória ou exaustiva, pausada ou rápida, cuidadosa ou descompromissada... – aos propósitos que se perseguem e ao texto que se está lendo. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 25. CAPACIDADES RELATIVAS à AQUISIÇÃO DO SISTEMACompreender diferenças entre escritas e outras formas gráficasConhecer o alfabetoCompreender a natureza alfabética do sistema de escritaLer, reconhecendo globalmente palavras escritasAmpliar a sacada do olhar para porções maiores de texto,desenvolvendo maior fluência e rapidez na leitura. Kátia Lomba Bräkling - jan2010 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 26. CAPACIDADES DE COMPREENSÃOAtivação de conhecimentos préviosAntecipação ou predição de conteúdos oupropriedade dos textosChecagem de hipótesesProdução de inferências locaisProdução de inferências globais Kátia Lomba Bräkling - jan2010 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 27. CAPACIDADES DE LEITURARealizar inferências sobre o que não está explicitadono texto, recuperar o contexto de produção do textoe relacionar com as intenções possíveis do mesmo;reler trechos de textos para verificar a adequação dasua interpretação, localizar informaçõesapresentadas, entre outras (ROJO: 2004; LERNER:2002). SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 28. CAPAC. DE APRECIAÇÃO E RÉPLICA DO LEITOR EM RELAÇÃO AO TEXTO (INTERPRETAÇÃO, INTERAÇÃO)Recuperação do contexto de produção do textoDefinição de finalidades e metas da atividade de leituraPercepção de relações de intertextextualidade – ler um texto ecolocá-lo em relação com outros textosPercepção de relações de interdiscursividade – perceber um discursoé colocá-lo em relação com outros discursos SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 29. O que é ensinar a ler?• Ensinar a ler, requer a tematização das capacidades de leitura requeridas para tanto, possibilitando ao aluno constituí-las ou ampliá-las.• Ensinar a ler, supõe possibilitar ao aluno aprender a ajustar os procedimentos de leitura às finalidades colocadas.• Ensinar a ler requer a socialização com os alunos de apreciações, pareceres, dúvidas, critérios de escolha.• Dessa forma, capacidades, procedimentos e comportamentos leitores devem ser tomados como objetos de ensino na escola. Bräkling, 2008. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 30. Como selecionar textos?• O trabalho deve se organizar em torno da diversidade de textos e gêneros que circulam socialmente;• Dos textos que circulam socialmente, aqueles que podem atender a necessidades detectadas do aluno- leitor para uma efetiva participação cidadã;• Os que possibilitam, de maneira mais imediata, a identificação de elementos implícitos;• Os que possibilitam o estabelecimento de relações com outros textos já lidos (intertextualidade) e outros discursos (interdiscursividade). SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 31. • Projetos de leitura• Leitura colaborativa• Leitura programada• Leitura de escolha Pessoal• Roda de leitores• Leituras Pontuais• Leitura em voz alta feita pelo professor• Leitura em voz alta feita pelo aluno• Atividades seqüenciadas de leitura• Diário de Leitura Pessoal• Diário de Estudo de SECRETARIAliterária obra DA EDUCAÇÃO Kátia Lomba Bräkling - jan2010 Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 32. As modalidades sublinhadas favorecem odesenvolvimento de capacidades decompreensão, sendo a roda de leitores,como atividade permanente de leitura (rodade jornal, roda de curiosidades, deapreciação de uma obra), a situação maisadequada para o aprendizado edesenvolvimento de comportamentoleitores. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 33. Como ensinar a compreender?a) incrementar a iniciativa de alunos e alunas;b) utilizar formas gráficas de representação;c) oferecer modelos de compreensão e controle. A modelagem do professor;d) aumentar a sensibilidade às incoerências do texto;e) utilizar técnicas de discussão coletiva;f) ajudar a interiorizar orientações a serem seguidas;g) relacionar a compreensão com a produção de textos; SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
  • 34. BibliografiaBRÄKLING, Kátia. “As práticas sociais de leitura e escrita noprocesso de alfabetização”. In: Educação: fazer e aprenderna cidade de São Paulo. São Paulo: SME, 2008.COLOMER, Teresa; Camps, Anna. Ensinar a ler, ensinar acompreender. Porto Alegre: Artmed, 2002. SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. 6.ed. Porto Alegre:Artmed, 1998. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica