• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
09
 

09

on

  • 383 views

 

Statistics

Views

Total Views
383
Views on SlideShare
383
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    09 09 Document Transcript

    • O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES André Luís da Silva Pinheiro *Resumo: Este trabalho discutirá o impacto da implantação de um sistema do tipo ERP emuma empresa. Apresentaremos uma breve introdução de como os sistemas do tipo ERPsurgiram no mercado e quais as principais vantagens e desvantagens da implantação destesistema em uma empresa.Palavras-chave: Sistemas de Gestão Empresarial, ERP, Sistemas de Informação.INTRODUÇÃO Nas últimas décadas, muito tem se falado dos sistemas integrados do tipo EnterpriseResource Planning ou simplesmente ERP, que nada mais são que sistemas de informaçãoque integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema (Laudon[1], Padoveze [2]). O sistema ERP tem como principal objetivo à integração de toda umaorganização em seus diversos níveis funcionais através do armazenamento de informaçõescolhidas em todos os setores empresariais. Várias empresas resolvem adotar tal sistema achando que os mesmos serão asolução de seus problemas organizacionais, pois o sistema ERP pode disponibilizar umavisão empresarial tanto na perspectiva funcional como na perspectiva sistêmica, ledoengano pois tais sistemas demandam uma construção empresarial totalmente voltada paraeste novo ambiente de trabalho, uma reestruturação empresarial crítica sem falar nacapacitação dos funcionários de todos os departamentos da empresa, pois tal sistematrabalha em conjunto, reunindo informações dos diversos departamentos e as apresenta de* Escola Superior de Gestão e Tecnologia – Universidade Castelo Branco – UCB. Curso Superior de Sistemasde Informação – Campus Realengo. 1
    • forma consolidada para que decisões estratégicas, gerenciais e operacionais possam sertomadas. O ERP em termos gerais é uma plataforma de software desenvolvida para integraros diversos departamentos de uma empresa possibilitando a automação e armazenamentode todas as informações de negócios [3]; é um sistema que busca informações em outrossistemas espalhados pela empresa com o principal objetivo de consolidar estas informaçõesem um único sistema.EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO SISTEMA ERP No final da década de 50, precisamente em 1946, surge a tecnologia baseada nosenormes mainframes que demandavam um enorme consumo elétrico e um custo muitoelevado. Precisamente em 7 de Abril de 1964, a IBM apresenta o System/360, ummainframe que para a época foi o maior projeto de uma empresa. Desde então diversasoutras empresas desenvolveram seus mainframes. Estes mainframes rodavam os primeirossistemas de gestão corporativa, os conhecidos sistemas de controle de estoque. No final da década de 60, a revolução da eletrônica tem início com a popularizaçãodos transistores. No início da década de 70, surgem os chamados MRPs (Material RequirementPlanning), antecessores dos sistemas ERP. Eram sistemas que trabalhavam em módulos,trocando informações entre si, tinham como principal objetivo o planejamento dasrequisições de materias, controlando assim não apenas os estoques, mas também arequisição de material para reposição dos mesmos. Já na década de 80, com o avanço da eletrônica e os computadores se tornando cadavez mais populares e baratos, tiveram início as redes de computadores e comoconsequência, a troca ágil de informações e o modelo computacional cliente-servidor. OMRP se transformou em MRP II (Manufacturing Resource Planning). O MRP II tinha 2
    • como principal objetivo o planejamento dos recursos de manufatura, que agora tambémcontrolava outras atividades como mão-de-obra e maquinário [3]. Na prática, o MRP II já poderia ser chamado de ERP pela abrangência de controlese gerenciamento. Porém, não se sabe ao certo quando o conjunto de sistemas ganhou essadenominação [3]. O próximo passo, com a troca de informações disponibilizadas pelas redes decomputadores, serviu tanto para agilizar os processos empresariais quanto para estabeleceruma comunicação entre os diversos setores departamentais. Logo se percebeu que poderiam ser agregados ao ERP novos sistemas, tambémconhecidos como módulos do pacote de gestão, que tinham como objetivo alimentar osistema ERP com informações dos diversos setores departamentais. Diversas foram as áreasque se incorporaram ao sistema, de uma forma geral, os setores com uma conotaçãoadministrativa e de apoio à produção ingressaram na era da automação.A IMPORTÂNCIA DO ERP NAS ORGANIZAÇÕES Como já vimos, o sistema ERP tem uma fundamental importância dentro de umaorganização, uma vez que o mesmo “monitora” todo o processo empresarial, desde o iníciodo processo organizacional até o término do mesmo. Com as informações dos diversos setores empresariais consolidadas em um únicosistema, torna-se de certa forma fácil de analisar todo o processo empresarial como umtodo. Pode-se, por exemplo, detectar as falhas que ocorrem no gerenciamento de estoquedevido à produção excessiva de determinado produto, ocasionando assim perdassignificativas na organização. Algumas vantagens de um sistema ERP em uma empresa podem ser citadas abaixo: 3
    •  Redução de custos: Com o constante monitoramento da organização como um todo, detecta-se rapidamente onde estão os processos mais dispendiosos e quais os impactos financeiros que este processo irá causar caso seja modificado. Otimização do fluxo de informações: Pode-se determinar quais setores empresariais estão com deficiência em troca de informações e quais medidas devem ser tomadas para que o fluxo de informações flua de forma satisfatória. Otimização no processo de decisão: Com as informações consolidadas fica relativamente simples a tomada de decisão e suas principais consequências dentro da organização.AS DESVANTAGENS DO ERP NAS ORGANIZAÇÕES Muitos gestores acham que a simples implantação de um sistema ERP por si só integraa organização, o que na prática não acontece, muito pelo contrário, se o sistema ERP nãoencontrar um ambiente adequado para seu funcionamento, pode funcionar de forma inversaao esperado, desestruturando toda uma organização. Um sistema ERP deve ser implantado ao longo dos anos, de uma forma estruturada ecadencial, devido ao seu alto custo e seu grau de complexidade. Somente desta forma arelação custo/benefício investida no sistema é justificada. Outro ponto desfavorável é quando ocorre a compra do sistema, pois a organização ficadependente do fornecedor do software. Por isso, antes de adquirir um sistema ERP,devemos analisar o fornecedor para avaliarmos se o mesmo possui uma estrutura sólida eserá capaz de honrar com seus compromissos. Por fim, podemos falar na resistência do usuário final, pois o mesmo se sente de certaforma controlado pelo sistema, uma vez que o sistema monitora seu trabalho. Uma dascausas do não funcionamento do sistema ERP é exatamente o não comprometimento dousuário final com o sistema. 4
    • COMENTÁRIOS FINAIS Ao longo deste trabalho discutimos algumas características do sistema ERP, suasvantagens e desvantagens. Nota-se que um sistema ERP, por se tratar de um sistemainterfuncional [5], depende dos sistemas funcionais [5] dos diversos setores empresariaispara seu devido funcionamento. Infelizmente por desconhecimento da estrutura de umsistema ERP, diversos gestores resolvem implantá-lo em suas organizações sem teremdevidamente ajustado seus sistemas funcionais, o que acarreta em um mau funcionamentoou até mesmo em casos extremos o não funcionamento do sistema ERP. Tem-se então o início de um caos gerencial, pois o sistema ERP necessita dos dadoscolhidos pelos sistemas funcionais de uma forma padronizada para seu bom funcionamento.Inicia-se então uma árdua batalha para modificar os sistemas funcionais de forma que osmesmos atendam às necessidades do sistema ERP o que deveria ser ao contrário, pois emuma organização onde os sistemas funcionais desempenham um papel fundamental na parteoperacional e/ou gerencial, sua troca ou modificação acarreta um grande transtorno para ousuário final. Não devemos esquecer que muitas das vezes existe a necessidade de substituição dosistema funcional por outro que atenda às especificações de troca de informações com osistema ERP o que acarreta em um elevado gasto em treinamento. Como consideração final para a implantação de um sistema ERP de maneira correta,deve-se antes de tudo verificar se todos os sistemas funcionais estão atendendo àsnecessidades do sistema ERP para, aí sim, implantá-lo sem maiores transtornos. 5
    • REFERÊNCIAS1 LAUDON, Kenneth C. Sistemas de Informações gerenciais: administrando aempresa digital. São Paulo: Prentice Hall, 2004. p61.2 Padovoze, Clóvis Luís. Sistemas de informações contábeis: fundamentos e análise.São Paulo: Atlas, 2004. p68.3 Disponível em < http://pt.wikipedia.org/wiki/ERP#Refer.C3.AAncias>4 CORRÊA, H.L.; GIANESI, I.G.N.; CAON, M. (1997). Planejamento, programação econtrole da produção: MRP II / ERP: conceitos, uso e implantação. São Paulo: Atlas.5 O`BRIEN, James A. Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era daInternet. 2. ed. São Paulo: Saraiva: 2004. cap. 7.Fornecedores de sistemas ERP:Baan – http://www.baan.comDatasul - http://www2.datasul.com.br/JD Edwards - http://www.jdedwards.com/Microsiga - http://www.microsiga.com.br/MKGroup (Computer Associates) - http://www.mkgroup.com/Oracle - http://www.oracle.com/applications/Peoplesoft - http://www.peoplesoft.com/SAP - http://www.sap.com/SENIOR SISTEMAS - http://www.senior.com.br/ 6