Your SlideShare is downloading. ×

BDD

4,865

Published on

Bancos de Dados Distribuídos

Bancos de Dados Distribuídos

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,865
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Sistema de Gerência de Bancos de Dados Distribuídos Robson Soares Silva [email_address]
  • 2. O que é um Sistema de Gerência de Bancos de Dados Distribuídos (SGBDD) ?
    • Os Sistemas de gerência de bancos de dados distribuídos (SGBDDs) estendem as facilidades usuais de gerência de dados de tal forma que o armazenamento de um banco de dados possa ser dividido ao longo dos nós de uma rede de comunicação de dados, sem que com isto os usuários percam uma visão integrada do banco.
  • 3. Arquitetura Genérica para SGBDs Distribuídos
    • De um ponto de vista bem geral, um SGBD distribuído pode ser visto como uma federação de SGBDs centralizados, autônomos, chamados de SGBDs locais , que são interligados por uma camada de software chamada de SGBD da rede ou SGBD global (" network data base management system ").
  • 4. SGBD local
    • Um SGBD local é, para todos os efeitos, um SGBD centralizado gerenciando de forma autônoma o banco de dados local, exceto que poderá receber comandos tanto de usuários locais quanto da cópia local do SGBD global. O SGBD local faz uso do sistema operacional local que provê as seguintes facilidades básicas: métodos de acesso, gerência de processos e gerência de memória.
    • A coletividade dos bancos locais constitui, então, uma implementação do banco distribuído.
  • 5. SGBD global
    • O SGBD global roda como uma aplicação sob o sistema operacional da rede de comunicação de dados e, portanto, pertence à camada de aplicação na nomenclatura do modelo de referência da ISO. Isto significa que todos os problemas de comunicação de dados e distribuição de recursos é transparente ao SGBD global.
  • 6. REQUISITOS FUNCIONAIS DE UM SGBD DISTRIBUíDO
    • Independência Física de Dados
    • Independência de Localização e Replicação
    • Autonomia Local
    • Interfaces de Muito Alto Nível
    • Otimização Automática
    • Reestruturação Lógica do Banco e Suporte a Visões
    • Segurança dos Dados
    • Suporte à Administração dos Dados
  • 7. Vantagens de SGBDD
    • Contribui de forma significativa para o aumento da produtividade em desenvolvimento de aplicações, um fator importante desde longa data.
    • De fato, tais sistemas simplificam a tarefa de se definir aplicações que requerem o compartilhamento de informação entre usuários, programas ou organizações onde os usuários da informação, ou mesmo as fontes de informação, estão geograficamente dispersas.
  • 8. Aplicações de SGBDD
    • Aplicações com estas características incluem, por exemplo, sistemas de controle de inventário, contabilidade ou pessoal de grandes empresas, sistemas de consulta a saldos bancários, outros sistemas voltados para clientes e bancos de dados censitários.
  • 9. Tipos de SGBDs Distribuídos
    • SGBDs distribuídos podem ser classificados em dois grandes grupos.
    • Um SGBD distribuído será chamado de homogêneo (em "software") se os SGBDs locais são semelhantes , caso contrário será chamado de heterogêneo . (Uma classificação semelhante pode ser feita do ponto de vista de “hardware").
    • Mais precisamente, um SGBD distribuído é homogêneo se todos os seus SGBDs locais:
      • oferecem interfaces idênticas ou, pelo menos, da mesma família;
      • fornecem os mesmos serviços aos usuários em diferentes nós.
    • SGBDs distribuídos homogêneos aparecem com mais freqüência quando a aplicação a que se destinam não existia antes.
    • Os SGBDs distribuídos heterogêneos surgem usualmente quando há necessidade de integrar sistemas já existentes.
    • A escolha entre uma arquitetura ou outra é influenciada pelo aproveitamento de "hardware" e "software" já existentes e pelo próprio hábito e grau de cooperação esperado dos usuários em caso de uma mudança para um sistema diferente. A alternativa óbvia seria adotar uma arquitetura híbrida.
  • 10. Classes de Usuários de um SGBD Distribuído
    • Para apresentação de certas características de SGBDs distribuídos, convém classificar os seus usuários da seguinte forma. Por um lado, os usuários de um SGBD distribuído podem ser grupados em:
    • usuários globais, que observam o banco de dados distribuído como um todo e acessam os dados através das interfaces do SGBD global;
    • usuários locais que têm contato apenas com o banco de dados local ao nó onde residem e interagem apenas com o SGBD local.
  • 11. Por outro lado, os usuários de um SGBD podem ser classificados em quatro grandes grupos:
    • o administrador do banco, (" database administrator ") responsável pela definição e manutenção do banco (que naturalmente pode ser uma equipe; por tradição mantivemos aqui o singular);
    • analistas e programadores de aplicação, responsáveis pelo desenvolvimento de aplicações sobre o banco de dados;
    • usuários casuais, como gerentes, que usualmente não são programadores treinados e fazem uso do banco irregularmente;
    • usuários paramétricos, como caixas de banco, que fazem uso do banco de dados através de transações paramétricas pré-programadas.
  • 12. Fundamentos de Dados Distribuídos no SQL Server
    • A escalabilidade é uma das características mais importantes do SQL Server, ou seja, de uma determinada configuração, é possível aumentar a escala para atender maior capacidade de dados a serem processados. Isto acontece porque é feito a ligação entre vários servidores, os dados são armazenados em vários locais. A idéia de distribuir começa neste principio de tornar o acesso aos dados o mais transparente possível.
  • 13. Mecanismos oferecidos pelo SQL Server que permitam acessos entre servidores
    • Instantâneo
    • Permanente
    • Views Particionadas
    • Replicação
  • 14. Instantâneo
    • Funções embutidas como OPENROWSET e OPENDATASOURCE.
  • 15. Permanente
    • Por meio de Linked Servers estabelece-se uma comunicação contínua entre Servidores.
  • 16. Views Particionadas
    • Cria-se uma View, resultando na união de várias tabelas residentes em Servidores diferentes.
  • 17. Replicação
    • Mecanismo que permite a transferência contínua de dados, provocando redundância intencional, porém controlada, com objetivo de melhorar a performance das consultas em clientes conectados a Servidores que recebem as cópias.
  • 18. Exemplo do Mecanismo de Acesso Instantâneo
    • Select * from
    • Openrowset ('SQLOLEDB',
    • 'L1M3' ;
    • 'sa' ;
    • 'sa',
    • ‘ Select * from Revista.dbo.Cliente')
    Nome do provedor Fonte Login Senha Select a ser executado no destino
  • 19. Tabela de Provedores Mais Utilizados
    • SQLServer -> SQLOLEDB
    • Oracle -> MSDAORA
    • ODBC -> MSDASQL
    • Excel -> Microsoft.Jet.OLEDB.4.0
    • Access -> Microsoft.Jet.OLEDB.4.0
    • Arquivos-Texto -> MSIDXSIBM
    • DB2 -> DB2OLEDB
  • 20. Exemplo de Permanente
    • sp_addlinkedserver
    • @server = 'L1M3_Acesso_Remoto',
    • @srvproduct = 'Acesso a distância L1M3 do L4M18',
    • @provider='SQLOLEDB',
    • @datasrc = 'L1M3',
    • @catalog='Revista'
    • -- Excluindo um link de acesso remoto
    • -- sp_dropserver 'L1M3_Acesso_Remoto' , 'droplogins'
  • 21. Criar um login para acessar o servidor L1M3
    • sp_addlinkedsrvlogin @rmtsrvname = 'L1M3_Acesso_Remoto',
    • @useself = 'false',
    • @locallogin = 'sa',
    • @rmtuser = 'sa',
    • @rmtpassword = 'sa'
    • -- Eliminar um login recém criado
    • sp_droplinkedsrvlogin 'L1M3_Acesso_Remoto' , 'sa'
  • 22. Acesso a base de Cliente da máquina remota L1M3
    • Select * from L1M3_Acesso_Remoto.Revista.dbo.Cliente
  • 23. Trabalho e Prova
    • Entregar um artigo no último dia cujo título é: Replicação de Dados
    • Grupo: 2 pessoas
    • Nº de Páginas: 8 a 14 páginas
    • Aborde o assunto teoricamente e descreva a funcionalidade em algum banco de dados como o SQL Server, o MySQL, o Firebird ou outro.
    • Média Final: (Trabalho * 0,5) + (Prova * 0,5)
    • Prova: Será realizada na última aula, com questões teóricas e práticas dos exercícios vistos em aula.

×