Leandro Cunha     12.205.356-4Monique Costa     12.206.244-1Daiany Leal       12.106.423-2Aline Ayumi       12.209.284-4Mi...
AGENDA:   1. Evolução do Conhecimento          2. Propriedades          3. Conhecimento Organizacional          4. Empresa...
EVOLUÇÃO DO CONHECIMENTODesenvolvimento da escrita                                             4.000 a.C                  ...
Leonardo de Pisa                                                                             1202 d.C                     ...
Computador Pessoal INÍCIO DOS ANOS 70 Todas as escolas da região ofereciam cursos de eletrônica. Exércitos de engenheiros ...
1970                                                 1975                                  1976      BlueBox              ...
HIPERTEXTO        A partir de 1945                          Década de 70                           Década de 90           ...
ORGANIZAÇÃO EM HIPERTEXTO“A principal característica da organização em hipertexto é acapacidade de seus membros de mudar d...
Hierarquia                            Hipertexto“Uma organização em hipertexto não deve ser confundida com a estruturamatr...
CARACTERÍSTICAS DO HIPERTEXTOPrincipio de metamorfoseO modelo hipertextual está em constante mudança deconstrução e resign...
Principio de exterioridadeOs caminhos escolhidos em um hipertexto são de origemexterna ao texto, ou seja, vem de seu usuár...
PROPRIEDADES DO CONHECIMENTO       É volátil em razão da natureza de seu      armazenamento na mente das pessoas;       ...
CONHECIMENTO ORGANIZACIONALPara que uma empresa crie o conhecimentoorganizacional é necessário que ela possua acapacidade ...
APRENDIZADO ORGANIZACIONALÉ o processo de melhoria das ações por meio domelhor conhecimento e compreensão. (C.Marlene Fiol...
O conhecimento, ao contrário da informação, dizrespeito à crenças e compromissos. É uma funçãode uma atitude, perspectiva ...
EMPRESA CRIADORA DE CONHECIMENTOPor quê as empresas japonesas como Honda eCanon são bem-sucedidas?O segredo do sucesso é a...
O elemento central da abordagem japonesa é oreconhecimento de que a criação de novosconhecimentos depende do aproveitament...
Espiral do ConhecimentoOs novos conhecimentos sempre se originam naspessoas, envolvendo tanto ideais quanto idéias!       ...
Conhecimento Explícito é formal e sistemático,portanto, é facilmente comunicado e compartilhadopor meio de especificações ...
Conhecimento Tácito compreende o tipo de destrezainformal e de difícil especificação.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecime...
Nonaka & Takeuchi (1997) identificaram 4 modos deconversão entre conhecimento tácito e explícito:                         ...
O objetivo e importância destes modos de conversão sãotransformar o aprendizado individual em coletivo.Para criar conhecim...
Disseminando... O desenvolvimento de uma estrutura organizacional horizontal e flexível, na qual diferentes unidades são i...
Na empresa criadora de conhecimento os gerentesdifundem o futuro da empresa por meio de metáforas,símbolos e conceitos que...
QUAL É O VALOR DO CONHECIMENTO?Na maioria das empresas, o teste definitivo para amensuração do valor dos novos conheciment...
O estouro da bolha das empresas                       ponto-com em 2001 marcou uma                       virada na Web.O c...
Web 1.0               Web 2.0 •      Double Clik                 •   Google AdSense •      Ofoto                       •  ...
O conceito mais importante é que a Web 2.0 não temfronteiras rígidas e sim um centro gravitacional.A Web 2.0 é um conjunto...
O sucesso da Google no mercado da Web 2.0decorre da compreensão daquilo a que CrisAnderson se refere como “cauda longa”, o...
• Wikipedia, uma enciclopédia online  baseada na noção duvidosa de que  um verbete pode ser adicionado por  qualquer usuár...
Uma das lições chave da era da Web 2.0 é essa:Portanto, as companhias Web 2.0 programampadrões para agregar dados do usuár...
BLOGSA organização cronológica de um blog parece trevial, maspuxa uma cadeia completamente diferente de distribuição,publi...
A partir daí, as pessoas podem não apenas assinar os sitesumas das outras, mas também (via trackbacks) podem verquando alg...
Os cariocas Ottoni e Pazos, radicados emCuritiba e conhecidos na rede pelos apelidosJovem Nerd e Azaghâl, são produtos dir...
Utilizando o conhecimento para ganhar dinheiro!!!! http://revistaepoca.globo.com/Mente-aberta/noticia/2012/01/vinganca-dos...
O projeto começou por volta de 1996, como uma coluna de humorem um jornal estudantil da Universidade Federal do Rio deJane...
Cenário da Nova OrganizaçãoA realidade biológica de sobrevivência conduz àverdade, porque em nossa necessidade inalienável...
“A rede está se movendo de um mundo aberto, dereciprocidade    e    de     confiança  para  um   mundoprogressivamente fec...
Utilização do conhecimento: “Good or Bad”                                          2,7 milhões de curtidas/diaClippinger, ...
Linguagens                                          “Linguagem que nos permite                                          co...
Clippinger, John Henry – A Crowd of one
Vem para mudar conceitos como o espaço, o tempo, a   perfeição, a interação social, o conhecimento, matéria e   moralidade...
Nós estamos nos redefinindo, aprendendo coisas que nãosabíamos que eram possíveis. Com conhecimentodesenvolvemos novas per...
Há uma diferença importante na política do espaço. TimBerners-Lee criou a Web para que os cientistas pudessemconsultar o t...
A Web é gerenciada, permanentemente                                         "em     construção",    necessitamos   do     ...
SCRUMO que é?Metodologia para gestão e planejamento de projetosde software.Como funciona?Os projetos são divididos em cicl...
No início de cada ciclo, faz-se um Sprint PlanningMeeting na qual o Product Owner prioriza os itensda lista e a equipe sel...
Ao final do Sprint, a equipe apresenta asfuncionalidades implementadas em uma SprintReview Meeting.Finalmente, faz-se uma ...
Grupo 7   gestão do conhecimento vfinal
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Grupo 7 gestão do conhecimento vfinal

630 views
523 views

Published on

Trabalho sobre Gestão do Conhecimento elaborado pelo grupo de alunos do 10 semestre de Engenharia de Produção do Centro Universitário FEI.

Leandro Cunha 12.205.356-4

Monique Costa 12.206.244-1

Daiany Leal 12.106.423-2

Aline Ayumi 12.209.284-4

Michelly Soares 12.109.588-9



Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
630
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • fIGURA: A evolução da escrita – Carlos M. Horcades - 2° edição A História teve inicio com a escrita, o primeiro capitulo abre-se na Mesopotâmia, no vale do rio Tigre e Eufrates, por volta de 4 mil a.C. Os sumérios, primeiro povo da Civilização Mesopotâmica, inventaram a escrita. Na Pré-História o homem buscou se expressar através de desenhos pintados nas paredes de cavernas. Da necessidade humana de se expressar, os Sumérios criaram a "Escrita Cuneiforme". Esta escrita era feita com ajuda de uma cunha, dai vem o nome Cuneiforme. As palavras eram feitas em tabletes de barro mole que secavam ao sol. A Invenção da Escrita marca o inicio da Idade Antiga. Os arqueólogos modernos descobriram bibliotecas inteiras na Mesopotâmia, sendo a mais famosa a que pertencia ao rei Assurbanipal, encontrada em "Nínive" no Iraque com mais de 20 mil tabuletas. A escrita Cuneiforme evoluiu com o tempo, foi largamente usada pelos povos da Mesopotâmia. Esses povos adaptaram a escrita cuneiforme as suas próprias línguas. No inicio, os símbolos possuíam valor pictográfico (desenho de mão significava mão), mas, aos poucos passaram a ter também valor silábico. A escrita possibilitou o acúmulo do conhecimento humano. Antes dela, tudo o que o homem aprendia durante sua vida morria com ele. Depois da invenção da escrita, o conhecimento passou a se acumular e não se perder, assim, ao nascer, o homem tem a seu dispor toda a experiência e as descobertas de seus antecessores.
  • Fibonacci nasceu por volta de 1180 em Pisa, uma das primeiras cidades comerciais italianas e que manteve um comércio florescente com o mundo árabe. O pai de Fibonacci era um mercador que trabalhou no norte de África, por isso, Fibonacci foi iniciado nos negócios e nos cálculos, o que despertou o seu interesse pela matemática. Além disso, foi através da profissão do pai que ele teve o primeiro contato com o sistema decimal hindu-árabe. Nesta altura, era ainda utilizada a numeração romana em Itália.   Foi no seu regresso a Pisa, em 1202, que Fibonacci escreveu a sua obra mais célebre, "Liber Abaci", que foi também um meio através do qual a numeração hindu-árabe foi introduzida na Europa Ocidental. No "Liber Abaci" explicava-se como utilizar estes numerais nas operações aritméticas, abordavam-se diversos temas de álgebra e geometria, e também propunham-se vários problemas. Escreveu também o livro "Practica Geometriae" em 1220; onde descreveu aquilo que tinha descoberto nas áreas de geometria e trigonometria.
  • fIGURA: A evolução da escrita – Carlos M. Horcades - 2° edição A História teve inicio com a escrita, o primeiro capitulo abre-se na Mesopotâmia, no vale do rio Tigre e Eufrates, por volta de 4 mil a.C. Os sumérios, primeiro povo da Civilização Mesopotâmica, inventaram a escrita. Na Pré-História o homem buscou se expressar através de desenhos pintados nas paredes de cavernas. Da necessidade humana de se expressar, os Sumérios criaram a "Escrita Cuneiforme". Esta escrita era feita com ajuda de uma cunha, dai vem o nome Cuneiforme. As palavras eram feitas em tabletes de barro mole que secavam ao sol. A Invenção da Escrita marca o inicio da Idade Antiga. Os arqueólogos modernos descobriram bibliotecas inteiras na Mesopotâmia, sendo a mais famosa a que pertencia ao rei Assurbanipal, encontrada em "Nínive" no Iraque com mais de 20 mil tabuletas. A escrita Cuneiforme evoluiu com o tempo, foi largamente usada pelos povos da Mesopotâmia. Esses povos adaptaram a escrita cuneiforme as suas próprias línguas. No inicio, os símbolos possuíam valor pictográfico (desenho de mão significava mão), mas, aos poucos passaram a ter também valor silábico. A escrita possibilitou o acúmulo do conhecimento humano. Antes dela, tudo o que o homem aprendia durante sua vida morria com ele. Depois da invenção da escrita, o conhecimento passou a se acumular e não se perder, assim, ao nascer, o homem tem a seu dispor toda a experiência e as descobertas de seus antecessores.
  • Organização em hipertexto: solta e flexivel A organização em hipertexto favorece a gerencia midlle up down Revezamento: o desenvolvimento ocorre sequencialmente de uma fase para outra. As funções são especializadas e a norma é a divisão do trabalho. Sua principal limitação é o longo prazo. Busca a perfeição de especialista e gera altos padrões de desempenho Rugbi: o desenvolvimento surge da interação constante de uma equipe multidisciplinar, cujo os membros trabalham juntos do inicio ao fim. /corre o risco de comprometer os padrões de desempenho Revezamento = desempenho Rugbi = velocidade ** Hierarquia: analogia com o Revezamento que atua de forma linear ** Hipertexto: analogia com o Futebol Americano que atua de forma solta e flexível
  • 1 - exemplo de volátil: quando um especialista sai da empresa ela perde conhecimento 2- transformar por motivação é a motivação em utilizar o conhecimento para um bem comum
  • A informação é necessária para o conhecimento. É um meio ou material necessário para extrair e construir o conhecimento. Proporciona um novo ponto de vista para interpretação dos fatos. Afeta o mesmo acrescentando algo ou reestruturando-o.
  • Por ter um grupo de meios de estabelecer a reputação de uma pessoa e identidade, podemos pressionar socialmente as pessoas a viver de acordo com padrões de consenso e expectativas. Nós também podemos identificar "caronas" e trapaceiros, e punir ou banir eles.
  • Grupo 7 gestão do conhecimento vfinal

    1. 1. Leandro Cunha 12.205.356-4Monique Costa 12.206.244-1Daiany Leal 12.106.423-2Aline Ayumi 12.209.284-4Michelly Soares 12.109.588-9
    2. 2. AGENDA: 1. Evolução do Conhecimento 2. Propriedades 3. Conhecimento Organizacional 4. Empresa Criadora de Conhecimento 5. Web 2.0 6. SCRUM
    3. 3. EVOLUÇÃO DO CONHECIMENTODesenvolvimento da escrita 4.000 a.C Sumérios inventaram a escrita , povo da Mesopotâmia. “Escrita Cuneiforme”Invenção do instrumento de cálculoCerca de 550 a.CO ábaco é a primeira máquina de calcular da humanidade. Formado poruma moldura com bastões ou arames paralelos, dispostos no sentidovertical, correspondentes cada um a uma posição.LEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    4. 4. Leonardo de Pisa 1202 d.C Conhecido como Fibonacci,foi um dos matemáticos mais importantes da Idade MédiaLEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    5. 5. Computador Pessoal INÍCIO DOS ANOS 70 Todas as escolas da região ofereciam cursos de eletrônica. Exércitos de engenheiros voluntários, empregados nas empresas locais , passavam seus fins de semana ajudando os jovens fanáticos por eletrônica que faziam bricolagem nas famosas garangens das casas californianas...,dois destes jovens, Steve Jobs e Steve Wozniac, começaram a criar a sua primeira máquina, a blue boxLEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    6. 6. 1970 1975 1976 BlueBox Altair Apple I Cassete As peças eram vendidas Primeira Interface: montagem. separadas, sem monitor e Segunda Interface: gravador sem teclado. cassete. Permitia carregar o Basic. Problema de compatibilidade. 1977 1984 1999 2012 Apple 2 Macintosh IPhone Ipad Trabalho junto a PARC da Em 79, Apple Writer e Xerox - Mouse. Visicalc. Impressoras à laser. “A Revolução da Informática”.LEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    7. 7. HIPERTEXTO A partir de 1945 Década de 70 Década de 90 Memex Xanadu Hipertexto Vanevar Bush Theodor Nelson O método de comunicação que busca analisar, então, é o hipertextual. Começa relatando que a mente humana não segue um sentido linear de cognição, quando uma informação lhe é atribuídaLEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    8. 8. ORGANIZAÇÃO EM HIPERTEXTO“A principal característica da organização em hipertexto é acapacidade de seus membros de mudar de contexto. Podemalternar três contextos, a fim de acomodar as exigênciasdinâmicas de situações internas e externas à organização.”(NONAKA, 1997, p.194)“Quando ouço uma palavra, isto ativa imediatamente emminha mente uma rede de outras palavras, de conceitos, demodelos, mas também de imagens, sons, (…). Mas apenasos nós selecionados pelo contexto serão ativados com forçasuficiente em nossa consciência.” (PIERRE LÉVY, 1992, p.23)
    9. 9. Hierarquia Hipertexto“Uma organização em hipertexto não deve ser confundida com a estruturamatricial, usada para realizar dois ou mais tipos diferentes de tarefas emuma organização hierárquica convencional.” (NONAKA, 1997, p.197)O sistema hipertexto mais conhecido atualmente é a World Wide WebExemplo de Aplicativo que utilizamHipertextos:
    10. 10. CARACTERÍSTICAS DO HIPERTEXTOPrincipio de metamorfoseO modelo hipertextual está em constante mudança deconstrução e resignificação.Principio de heterogeneidadeOs nós e conexões da rede hipertextual serão heterogêneos, ouseja, poderão assumir diversas formas, como imagens, sons,palavras, modelos, etc.Principio de multiplicidade e de encaixe das escalasUma construção textual será ligada a uma rede de outros textosde modo fractal, ou seja, em progressão geométrica.LEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    11. 11. Principio de exterioridadeOs caminhos escolhidos em um hipertexto são de origemexterna ao texto, ou seja, vem de seu usuário.Principio de tipologiaOs meios compostos por hipertextos interligados são similarese vizinhos, ou seja, tem de ser compatíveis. Por exemplo, umtexto de um livro não é comumente ligado a um texto deinternet.Principio da modalidade dos centrosA rede hipertextual não possui centros, cada texto, cada som,cada imagem que estão interligados possui um centro designificância próprio.LEVY, Pierre, As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2004, 13a. Edição
    12. 12. PROPRIEDADES DO CONHECIMENTO É volátil em razão da natureza de seu armazenamento na mente das pessoas; Desenvolve-se por aprendizagem; Transforma-se por motivação; Transfere-se sem perder-se;NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    13. 13. CONHECIMENTO ORGANIZACIONALPara que uma empresa crie o conhecimentoorganizacional é necessário que ela possua acapacidade de criar um novo conhecimento, difundí-lo na organização e incorporá-lo a produtos, serviçose sistemas.O conhecimento organizacional é a chave para asformas características com que as empresasjaponesas inovam.Este tipo de conhecimento é utilizado como forma deromper com o passado e ingressar em um mundo denovas oportunidades.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    14. 14. APRENDIZADO ORGANIZACIONALÉ o processo de melhoria das ações por meio domelhor conhecimento e compreensão. (C.Marlene Fiol eMarjorie A. Lyles, “Organizational Learning”, “Academy of Management Review)É o processo de detecção e correção dos erros. (CrisArgyris, “Double Loop Learning in Organizations”, Harvard Business Review) O aprendizado organizacional ocorre por meio do compartilhamento de idéias, conhecimentos e modelos mentais... (Ray Stata, “Organizational Learning - The Key to Management Innovation”, Sloan Management Review)
    15. 15. O conhecimento, ao contrário da informação, dizrespeito à crenças e compromissos. É uma funçãode uma atitude, perspectiva ou intensão específica;O conhecimento estárelacionado à ação. É sempreum conhecimento com “algumfim”.Assim como a informação, oconhecimento diz respeito aosignificado. É específico aocontexto e relacional.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    16. 16. EMPRESA CRIADORA DE CONHECIMENTOPor quê as empresas japonesas como Honda eCanon são bem-sucedidas?O segredo do sucesso é aabordagem ímpar nogerenciamento da criaçãode novos conhecimentos,afinal o conhecimento éfonte segura de vantagemcompetitiva!NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    17. 17. O elemento central da abordagem japonesa é oreconhecimento de que a criação de novosconhecimentos depende do aproveitamento dosinsights, das intuições e dos palpites tácitos dosinsightsempregados.empregadosO elemento crítico do processo é ocomprometimento pessoal, o senso de identidadedos empregados com a empresa e sua missão.Na empresa criadora de conhecimento a invenção denovos conhecimentos é uma forma decomportamento, um modo de ser!NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    18. 18. Espiral do ConhecimentoOs novos conhecimentos sempre se originam naspessoas, envolvendo tanto ideais quanto idéias! A conversão do conhecimento individual em recurso disponível para outras pessoas é a atividade central da empresa criadora de conhecimento. Existem basicamente dois tipos de conhecimento: tácito e explícito.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    19. 19. Conhecimento Explícito é formal e sistemático,portanto, é facilmente comunicado e compartilhadopor meio de especificações de produto, fórmulascientíficas, programas de computador ou em outrasmídias. O Ponto de Partida da Inovação Conhecimento Tácito é altamente pessoal, por isso possui difícil formalização e transferência para outros indivíduos. “Podemos saber mais do que podemos expressar” (Michael Polanyi)NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    20. 20. Conhecimento Tácito compreende o tipo de destrezainformal e de difícil especificação.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    21. 21. Nonaka & Takeuchi (1997) identificaram 4 modos deconversão entre conhecimento tácito e explícito: DESTINO Tácito Explícito Tácito Socialização Articulação Explícito Internalização Combinação Modos de Conversão do Conhecimento (Nonaka & Takeuchi, 1997)Na empresa esses padrões estão presentes emconstante interação dinâmica, constituindo umaespécie de espiral do conhecimento.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    22. 22. O objetivo e importância destes modos de conversão sãotransformar o aprendizado individual em coletivo.Para criar conhecimento, o aprendizado que vem dos outros eas habilidades compartilhadas precisam ser internalizados àidentidade e auto-imagem da empresa.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    23. 23. Disseminando... O desenvolvimento de uma estrutura organizacional horizontal e flexível, na qual diferentes unidades são interligadas por intermédio de uma rede de informações, é uma forma de lidar com a complexidade do ambiente. Uma outra forma de reagir rapidamente à flutuações inesperadas no ambiente e manter a diversidade interna é mudar a estrutura organizacional.NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    24. 24. Na empresa criadora de conhecimento os gerentesdifundem o futuro da empresa por meio de metáforas,símbolos e conceitos que orientam as atividades decriação de conhecimento entre os empregados. A tarefa dos empregados é saber “o que é”, o trabalho dos executivos é saber “o que deve ser”. NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    25. 25. QUAL É O VALOR DO CONHECIMENTO?Na maioria das empresas, o teste definitivo para amensuração do valor dos novos conhecimentos éeconômico (aumento de eficiência, redução decustos, ROI). Na empresa criadora de conhecimento existem outros fatores, mais qualitativos, que são igualmente importantes:NONAKA, Ikugiro, Criação de Conhecimento na Empresa, Rio de Janeiro: Campus, c1997
    26. 26. O estouro da bolha das empresas ponto-com em 2001 marcou uma virada na Web.O conceito de Web 2.0 começou com umaconferência de brainstorming entre a O’Reilly e aMediaLivre International. Dale Doughherty, pioneiroda web e vice-presidente da O’Reilly, notou que aocontrário de haver explodido, a web estava maisimportante do que nunca.Parecia que as companhias que haviam sobrevividoao colapso tinham algo em comum.Tim O’Reilly-web 2.0
    27. 27. Web 1.0 Web 2.0 • Double Clik • Google AdSense • Ofoto • Flickr • Akamai • Bit Torrent • Mp3.com • Napster • Britannica Online • Wikipedia • Sites Pessoais • Blogs • Evite • Upcoming.org e EVDB • Especulação com nomes de • Otimização para ferramenta domínio de busca • Page views • Custo por clique • Screen scraping • Serviços web • Publicação • Participação • Sistemas de gerenciamento • Wikis de conteúdo • Diretórios (taxonomia) • Tags (folksonomia) • Stickness • SyndicationTim O’Reilly-web 2.0
    28. 28. O conceito mais importante é que a Web 2.0 não temfronteiras rígidas e sim um centro gravitacional.A Web 2.0 é um conjunto de princípios e práticas queinterligam um verdadeiro sistema solar de sites quedemonstram alguns ou todos esses princípios e queestão a distâncias variadas do centro. Posicionamento Estratégico: A Web como plataforma Posicionamento do Usuário: você controla seus próprios dados Competências Centrais: •Serviços (não software); •Arquitetura de participação •Escalabilidade de custo eficiente •Fonte e transformação de dados remixáveis •Emprego da Inteligência Coletiva •Software em mais de um dispositivoTim O’Reilly-web 2.0
    29. 29. O sucesso da Google no mercado da Web 2.0decorre da compreensão daquilo a que CrisAnderson se refere como “cauda longa”, o podercoletivo de pequenos sites que constituem a maiorparte do conteúdo da rede.A lição da Web 2.0 é alavancar o auto-serviço doconsumidor e algorítimos de gerenciamentode dados visando atingir a rede em toda suaextensão e não apenas o centro, até a caudalonga e não apenas a cabeça.Tim O’Reilly-web 2.0
    30. 30. • Wikipedia, uma enciclopédia online baseada na noção duvidosa de que um verbete pode ser adicionado por qualquer usuário da rede e editado por qualquer outro, é uma experiência de confiança radical, que aplica à criação de conteúdo o ditado de Eric Raymond: “Com um número suficiente de olhos, todos os bugs tornam-se visíveis”. Tim O’Reilly-web 2.0
    31. 31. Uma das lições chave da era da Web 2.0 é essa:Portanto, as companhias Web 2.0 programampadrões para agregar dados do usuário e gerar valorcomo um efeito paralelo ao uso comum do aplicativo.Elas constroem sistemas que ficam melhores quantomais as pessoas os utilizam.Tim O’Reilly-web 2.0
    32. 32. BLOGSA organização cronológica de um blog parece trevial, maspuxa uma cadeia completamente diferente de distribuição,publicidade e valor (by Rich Skrenta).Um dos fatores que fez diferença foi a tecnologia RSS, quepermite que alguém não apenas acesse uma página mas façauma assinatura sendo notificado cada vez que haja mudançasna página.O permalink foi o dispositivo que transformou os blogs.Tornou-se mais fácil apontar e discutir especificamente umpost em algum site pessoal. Iniciavam-se as discussões. Ochat emergia.Tim O’Reilly-web 2.0
    33. 33. A partir daí, as pessoas podem não apenas assinar os sitesumas das outras, mas também (via trackbacks) podem verquando alguém cria links para sua página e podem responderadicionando comentários ou adicionando links recíprocos.Sistemas de Redes Sociais como o Friendster, Orkut eLinkedIn, que requerem permissão do receptor a fim de queuma conexão possa ser criada, carecem da mesma“escalabilidade” que a web.Já o Flickr (serviço de compartilhamento de fotos) permite aousuário estabelecer listas de acompanhamento, ou seja,qualquer usuário pode assinar o fluxo de fotografias dequalquer outro, via RSS. O acesso é notificado, mas o usuárionão precisa autorizar a conexão.Tim O’Reilly-web 2.0
    34. 34. Os cariocas Ottoni e Pazos, radicados emCuritiba e conhecidos na rede pelos apelidosJovem Nerd e Azaghâl, são produtos diretosdesse orgulho. Amigos da faculdade dedesenho industrial no Rio de Janeiro,tornaram-se celebridades com o bate-papoem áudio Nerdcast, programa que fala tantode games e ficção científica como de mulhere futebol. http://jovemnerd.ig.com.br/http://revistaepoca.globo.com/Mente-aberta/noticia/2012/01/vinganca-dos-nerds.html –INTERNET - 13/01/2012 20h50 - Atualizado em 20/01/2012 12h18
    35. 35. Utilizando o conhecimento para ganhar dinheiro!!!! http://revistaepoca.globo.com/Mente-aberta/noticia/2012/01/vinganca-dos-nerds.html – INTERNET - 13/01/2012 20h50 - Atualizado em 20/01/2012 12h18
    36. 36. O projeto começou por volta de 1996, como uma coluna de humorem um jornal estudantil da Universidade Federal do Rio deJaneiro. Posteriormente, quando trabalhava em um banco deinvestimentos, Antonio Tabet passou a usar o e-mail da empresapara enviar piadas e brincadeiras para os amigos. Com medo daempresa monitorar as mensagens, ele decidiu então hospedar oconteúdo em uma página na internet.O site atingiu em 2005 uma média de cem mil acessosdiários, tendo seu pico durante o ano de 2004 (três milhõesde visitas) quando publicou o vídeo onde o jornalista WillianBonner imitava o estilista Clodovil. A frequência diária de acessos do site aumentou para cento e oitenta mil, fazendo com que ganhasse, no ano de 2007, o prêmio de "melhor blog" da revista Info Exame. No mesmo ano, o Kibe Loco passou a ser hospedado na Globo.com Em março de 2012 Tabet assinou contrato com o R7, e a partir do mesmo mês site passou a ser hospedado no portal da RecordKibeloco.com.br Site Info. Alexa. Página visitada em 9 de agosto de 2012.Os 100 brasileiros mais influentes de 2007. IstoÉ (10 de janeiro de 2007). Página visitada em 31 de março de 2010.
    37. 37. Cenário da Nova OrganizaçãoA realidade biológica de sobrevivência conduz àverdade, porque em nossa necessidade inalienávelde manter a nós mesmos, devemos,necessariamente, ajudar a preservar os outros. Sefalharmos, estaremos perecendo e, portanto,violando o princípio fundamental.O segundo fundamento da verdade, então, é arealidade de uma estrutura social e a presença deoutros organismos vivos em um complexo sistema deinterdependência com o nosso próprio organismo.Clippinger, John Henry – A Crowd of one
    38. 38. “A rede está se movendo de um mundo aberto, dereciprocidade e de confiança para um mundoprogressivamente fechado, com medo, punitivo, e monitoradode sanções legais e econômicos para fazer valer osinteresses dos oligopólios influentes.” Na Web, o CONHECIMENTO ocorre através de informações inseridas com intuito de serem passadas para frente a grupos respectivos, de acordo com seus interesses.Clippinger, John Henry – A Crowd of one
    39. 39. Utilização do conhecimento: “Good or Bad” 2,7 milhões de curtidas/diaClippinger, John Henry – A Crowd of one
    40. 40. Linguagens “Linguagem que nos permite construir e alavancar a confiança entre os membros de um grupo. É um "sistema de sinalização" para descrever e fazer cumprir a reputação social, que por sua vez nos ajuda a construir instituições sociais e políticas.”Clippinger, John Henry – A Crowd of one
    41. 41. Clippinger, John Henry – A Crowd of one
    42. 42. Vem para mudar conceitos como o espaço, o tempo, a perfeição, a interação social, o conhecimento, matéria e moralidade. Quebra a tradicional forma de publicação de conteúdos. No modelo antigo era utilizada apenas para guardar informações e conteúdos no formato em que foi certificado. O novos conceitos de troca de informações, colaboração e organização dos conteúdos da Web ajuda os usuários a torná-la mais dinâmica.WEINBERGER, David. Small pieces loosely joined, New York: Basic, c2002
    43. 43. Nós estamos nos redefinindo, aprendendo coisas que nãosabíamos que eram possíveis. Com conhecimentodesenvolvemos novas personalidades, novas filosofias,estamos desenvolvendo novas NOSSAS personalidades.A diferença mais significativa entre o espaço do mundo real eespaço Web tem a ver com a relação de espaço para ascoisas nele.Web pages criam espaços na web. Isto é exatamente como oespaço funciona no mundo real. Espaço medido é o mesmoem toda parte, que é a sua essência. Espaço vivido é diferenteem todos os lugares, que é a sua natureza. Que acabamos dedescrever a World Wide Web - os quartos são páginas da Webe as portas são hiperlinks.WEINBERGER, David. Small pieces loosely joined, New York: Basic, c2002
    44. 44. Há uma diferença importante na política do espaço. TimBerners-Lee criou a Web para que os cientistas pudessemconsultar o trabalho de outros cientistas sem ter que pedirpermissão.A Web interfere através da nossa cultura, nossa economia, asnossas idéias sobre informações e como são compartilhadase até mesmo através de instituições como religião e governo.No entanto, nos ensina sobre gestão. É a rede mais complexajá criada. No entanto, ela foi criado sem quaisquer gestores.WEINBERGER, David. Small pieces loosely joined, New York: Basic, c2002
    45. 45. A Web é gerenciada, permanentemente "em construção", necessitamos do perfeccionismo para tornar perceptível no mundo dos negócios, o qual não se pode errar, cada falha se torna uma humilhação pública. As empresas têm em seus sites como termos de "aderência", que seus visitantes devem permanecer no site.Outras empresas têm adotado umaestratégia diferente para replicar on-line a inconveniência de mundo realespaço: sem links que façam o usuáriose sentir em um beco sem saída naweb.WEINBERGER, David. Small pieces loosely joined, New York: Basic, c2002
    46. 46. SCRUMO que é?Metodologia para gestão e planejamento de projetosde software.Como funciona?Os projetos são divididos em ciclos (geralmentemensais) chamados de Sprints. O Sprint representaum Time Box dentro do qual um conjunto deatividades deve ser executado.As funcionalidades a serem implementadas em umprojeto são mantidas em uma lista que é conhecidacomo Product Backlog.improveit.com.br/scrum
    47. 47. No início de cada ciclo, faz-se um Sprint PlanningMeeting na qual o Product Owner prioriza os itensda lista e a equipe seleciona as atividades que elaserá capaz de implementar durante o ciclo. Astarefas alocadas são transferidas para o SprintBacklog.A cada dia do ciclo, a equipe faz uma breve reuniãochamada Daily Scrum. O objetivo é disseminarconhecimento sobre o que foi feito no dia anterior,identificar impedimentos e priorizar o trabalho do diaque se inicia.improveit.com.br/scrum
    48. 48. Ao final do Sprint, a equipe apresenta asfuncionalidades implementadas em uma SprintReview Meeting.Finalmente, faz-se uma Sprint Retrospective e aequipe parte para o planejamento do próximo ciclo.improveit.com.br/scrum

    ×