Atuação do Estado do Rio de Janeiro sobre as Mudanças Climáticas Márcia Valle Real Superintendente  do Clima da SEA
<ul><li>Quanto  o  ERJ contribui para  o  aquecimento global? </li></ul><ul><ul><li>Quanto o ERJ emite de GEE ? </li></ul>...
Política Estadual de Mudanças Climáticas  Respostas às questões:  Estudos, Pesquisas e Ações Fórum Rio de Mudanças Climáti...
Inventário de Emissões de GEE do ERJ por Setor CO 2 CH 4 N 2 O Total Milhões de toneladas de CO 2  eq. 60,6 8,9 2,1 71,6 P...
Estudos sobre as Vulnerabilidades do ERJ <ul><li>Concluídos: </li></ul><ul><li>Vulnerabilidade dos recursos hídricos. </li...
<ul><li>Política Estadual sobre Mudança do Clima do RJ: </li></ul><ul><ul><li>Não só do meio ambiente é uma Política de Go...
Capítulo IV - Das Diretrizes Artigo 5º .... IV–  favorecer para que as  ações de mitigação sejam medidas, registradas e ve...
Capítulo IV - Dos Instrumentos <ul><li>Plano Estadual sobre Mudança do Clima: .. que deverá identificar, planejar e coorde...
V.  Estimativas Anuais de Emissões de GEE  e o Inventário Estadual de Emissões de GEE  a cada cinco anos, que deverão real...
<ul><li>X-  Licenças Ambientais:  I -  As licenças ambientais de empreendimentos com significativa emissão de GEE, inclusi...
Capítulo VII - Das Metas e dos Prazos   Art. 14-  O Estado definirá medidas reais, mensuráveis e verificáveis para reduzir...
Estágio Atual de Implementação da Lei 5690 <ul><li>Planejamento das etapas de implementação; </li></ul><ul><li>Segmentação...
LICENCIAMENTO AMBIENTAL CADASTRO EMISSOES CADASTRO SUMIDOUROS INVENTÁRIO FLORESTAS SIST.ESTADUAL INFORM CLIMA ESTIMATIVAS ...
CEE INDUSTRIA CEE TRANSPORTE CEE EDIFICAÇÕES CEE  ENERGIA CEE RESIDUOS CEE  AGRIC & PEC CEE ADAPTAÇÃO CEE FLORESTAL CONSEL...
Metas  Indústrias SEA SEDEIS SECT CEE INDUSTRIA BIOCOMBUSTIVEIS SEQUESTRO DE CARBONO RESIDUOS MATERIAIS SUSTENT Á VEIS FON...
FIRJAN  Termo de Compromisso Climático Medidas Mudanças Tecnológicas Medidas Eficiência Energética Medidas Uso de renováve...
Inventários e Metas Municípios Indústrias Edificações Instituições Públicas Empresas Diversas Licença Ambiental Empreendim...
Obrigada! [email_address]
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Marcia real inceri2010

673 views
597 views

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
673
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Marcia real inceri2010

  1. 1. Atuação do Estado do Rio de Janeiro sobre as Mudanças Climáticas Márcia Valle Real Superintendente do Clima da SEA
  2. 2. <ul><li>Quanto o ERJ contribui para o aquecimento global? </li></ul><ul><ul><li>Quanto o ERJ emite de GEE ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto cada setor emite? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto iremos emitir no futuro? </li></ul></ul><ul><ul><li>O que pode acontecer no ERJ? </li></ul></ul>Principais Questões <ul><li>O que o ERJ pode fazer? </li></ul><ul><ul><li>Como e onde atuar para reduzir as emissões? </li></ul></ul><ul><ul><li>Como adaptar o Estado às mudanças climáticas? </li></ul></ul><ul><ul><li>Como atrair recursos de mercados de carbono? </li></ul></ul><ul><ul><li>Como viabilizar a implantação das medidas necessárias? </li></ul></ul>
  3. 3. Política Estadual de Mudanças Climáticas Respostas às questões: Estudos, Pesquisas e Ações Fórum Rio de Mudanças Climáticas <ul><li>Inventário de GEE + Cenários </li></ul><ul><ul><li>Plano de Mitigação de Emissões; </li></ul></ul><ul><ul><li>Medidas de Mitigação </li></ul></ul><ul><li>Avaliação da Vulnerabilidade </li></ul><ul><li>Políticas de Adaptação; </li></ul><ul><ul><li>Recomposição da Mata Atlântica; </li></ul></ul><ul><ul><li>Proteção das zonas costeiras; </li></ul></ul><ul><ul><li>Recursos hídricos sob risco </li></ul></ul>Plano de Ação Estadual
  4. 4. Inventário de Emissões de GEE do ERJ por Setor CO 2 CH 4 N 2 O Total Milhões de toneladas de CO 2 eq. 60,6 8,9 2,1 71,6 Participação % no total 84,6 12,5 2,9 100
  5. 5. Estudos sobre as Vulnerabilidades do ERJ <ul><li>Concluídos: </li></ul><ul><li>Vulnerabilidade dos recursos hídricos. </li></ul><ul><li>Vulnerabilidade das regiões Costeiras e Baixadas. </li></ul><ul><li>Possíveis alterações no bioma Mata Atlântica. </li></ul><ul><li>Em andamento: </li></ul><ul><li>Mapa de Vulnerabilidade da população do ERJ aos impactos das MC nas áreas social, de saúde e ambiente; </li></ul><ul><li>Construções Sustentáveis; </li></ul><ul><li>Diferentes mecanismos para reflorestamento da Mata Atlântica </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Política Estadual sobre Mudança do Clima do RJ: </li></ul><ul><ul><li>Não só do meio ambiente é uma Política de Governo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Destaques da Lei: economia de baixo carbono, estratégias </li></ul></ul><ul><ul><li>Metas setoriais escalonadas e voluntárias </li></ul></ul>LEI Nº 5690, de 14 de abril de 2010: Política Estadual sobre Mudança Global do Clima e Desenvolvimento Sustentável
  7. 7. Capítulo IV - Das Diretrizes Artigo 5º .... IV– favorecer para que as ações de mitigação sejam medidas, registradas e verificadas, sempre por instâncias certificadoras independentes ; V - estimular a participação dos governos municipais , .......na implementação da Política Estadual sobre Mudança do Clima; XI – promover a restauração da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro . Artigo 6º .... Os planos, programas, políticas, metas e ações vinculadas a atividades emissoras de gases de efeito estufa, sejam elas de âmbito governamental ou empresarial, deverão incorporar em suas estratégias, medidas e ações que favoreçam a economia de baixo carbono .
  8. 8. Capítulo IV - Dos Instrumentos <ul><li>Plano Estadual sobre Mudança do Clima: .. que deverá identificar, planejar e coordenar as ações e medidas que possam ser empreendidas no âmbito público ou privado..... </li></ul><ul><li>II. Fórum Rio de Mudanças Climáticas : .... institucionalizado pelo Decreto nº 40.780 de 24 de maio de 2007,...; </li></ul><ul><li>III. Cadastro Estadual de Emissões: para o acompanhamento dos resultados de medidas de redução e remoção de gases de efeito estufa, realizadas por agentes privados e públicos, e que deverão ser medidos, registrados e verificados por instâncias certificadoras independentes; </li></ul><ul><li>IV. Cadastro Estadual de Sumidouros: para o acompanhamento da proteção e da ampliação de sumidouros efetivados voluntariamente por agentes públicos e privados, e que deverão ser medidos, registrados e verificados por instâncias certificadoras independentes; </li></ul>
  9. 9. V. Estimativas Anuais de Emissões de GEE e o Inventário Estadual de Emissões de GEE a cada cinco anos, que deverão realizados com base em metodologia a ser especificada e detalhada em regulamentação específica; VI. Sistema Estadual de Informações sobre Mudança do Clima , que deverá incorporar o monitoramento climático estadual, entre outras atividades associadas ao controle de alterações associadas ao meio físico ou à biota. VII - O Zoneamento Econômico Ecológico do Estado do Rio de Janeiro , estabelecido pela Lei nº 5067 de 09 de julho de 2007..... VIII - O Inventário Florestal Estadual: para produzir informações qüinqüenais sobre o grau de conservação da biodiversidade, fragmentação florestal, dinâmica da cobertura florestal..... IX - O Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (FECAM), criado pela Lei nº 1060, de 10 de novembro de 1986,.... Capítulo IV - Dos Instrumentos
  10. 10. <ul><li>X- Licenças Ambientais: I - As licenças ambientais de empreendimentos com significativa emissão de GEE, inclusive as licenças de renovação, deverão ser condicionadas à apresentação de : </li></ul><ul><ul><li>• inventário de emissão de gases de efeito estufa da atividade, com base em metodologia a ser especificada e detalhada em regulamentação específica; </li></ul></ul><ul><ul><li>• plano de mitigação de emissões e medidas de compensação, devendo, para tanto, os órgãos competentes estabelecerem os respectivos padrões . </li></ul></ul><ul><li>II - a emissão de licenças para a instalação, após a entrada em vigor da presente Lei, de empreendimentos de que trata este parágrafo, poderá ser condicionada à assunção da obrigação de neutralizar total ou parcialmente as respectivas emissões de gases de efeito estufa. </li></ul>Capítulo IV - Dos Instrumentos
  11. 11. Capítulo VII - Das Metas e dos Prazos   Art. 14- O Estado definirá medidas reais, mensuráveis e verificáveis para reduzir as emissões antrópicas de gases de efeito estufa em seu território, devendo para tanto adotar, dentre outros instrumentos: I - metas de estabilização ou redução de emissões, isoladamente ou em conjunto com outras regiões do Brasil e do mundo; II - metas de eficiência setoriais , tendo por base as emissões de gases de efeito estufa inventariadas para cada setor e parâmetros de eficiência que identifiquem, dentro de cada setor, padrões positivos de referência; III - mecanismos adicionais de troca de direitos obtidos.   Parágrafo Único - Metas de redução voluntárias podem ser estabelecidas mediante a efetivação de pactos ou acordos com os setores e ou instituições pertinentes, e devem ser incorporadas ao Plano Estadual sobre Mudança do Clima .
  12. 12. Estágio Atual de Implementação da Lei 5690 <ul><li>Planejamento das etapas de implementação; </li></ul><ul><li>Segmentação dos estágios e estabelecimento de prazos; </li></ul><ul><li>Regulamentação dos novos instrumentos; </li></ul><ul><li>Objetivos do Plano: </li></ul><ul><ul><ul><li>Monitoramento economia de baixo carbono </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Comprovação de açoes voluntárias </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Conselho Estadual do Clima </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Termos de Compromisso Climático e Termos de Adesão; </li></ul></ul></ul>
  13. 13. LICENCIAMENTO AMBIENTAL CADASTRO EMISSOES CADASTRO SUMIDOUROS INVENTÁRIO FLORESTAS SIST.ESTADUAL INFORM CLIMA ESTIMATIVAS ANUAIS INVENTÁRIO QUINQUENAL Instrumentos da Lei SEA SEDEIS SEFAZ SETRANS SEPLAG SEESDEC SEEDUC SEAPPA SEGOV SEHAB PGE SECT Gab Civil Atores Regulamentação de novos instrumentos <ul><li>Plano Estadual </li></ul><ul><li>Metas Voluntárias </li></ul><ul><li>Monitoramento Plano </li></ul><ul><li>Registro das Reduções </li></ul><ul><li>Restauração M. Atlântica </li></ul>Pesquisa e Desenvolvimento e Politica de Adaptação
  14. 14. CEE INDUSTRIA CEE TRANSPORTE CEE EDIFICAÇÕES CEE ENERGIA CEE RESIDUOS CEE AGRIC & PEC CEE ADAPTAÇÃO CEE FLORESTAL CONSELHO ESTADUAL DO CLIMA SEA SEDEIS SEAPPA SEPLAG SETRANS ANAMA/ AEMERJ PREFEITURA RIO EMPRESAS RIO SECT SEFAZ PREFEITURAS FEDERAC Õ ES SECRETARIAS EMPRESAS MÍDIA SOCIEDADE CEE COMUNICAÇÃO CEE MITIGAÇÃO Estrutura para implementar o Plano Estadual FORUM RIO PLANO ESTADUAL
  15. 15. Metas Indústrias SEA SEDEIS SECT CEE INDUSTRIA BIOCOMBUSTIVEIS SEQUESTRO DE CARBONO RESIDUOS MATERIAIS SUSTENT Á VEIS FONTES ALTERNATIVAS PROCESSOS INDUSTRIAIS ÁREAS DEGRADADAS REST. MATA ATLANTICA NOVAS TECNOLOGIAS Firjan Federações Termo de Adesão Indústria Indústrias Estrutura de Implementação Indústrias EFICIENCIA ENERGÉTICA NAMAS ESTADUAIS PLANO ESTADUAL Medidas Mitigação, Compensação, Adaptação, Planejamento Termo de Compromisso Climático
  16. 16. FIRJAN Termo de Compromisso Climático Medidas Mudanças Tecnológicas Medidas Eficiência Energética Medidas Uso de renováveis Medidas Seqüestro de Carbono Medidas Outras Medidas de Compensação Indústria A Termo de Adesão A Termo de Adesão B SEA Representante Setorial Indústria B 2015 5% 2020 3% 2030 2% 2015 10% 2020 2% 2030 6%
  17. 17. Inventários e Metas Municípios Indústrias Edificações Instituições Públicas Empresas Diversas Licença Ambiental Empreendimentos Inventário Inventário Indústria Diagnóstico Plano Mitigação Cadastro Emissões Empresas Certificadoras NAMAS ESTADUAIS Cadastro Sumidouros METAS ESTADUAIS
  18. 18. Obrigada! [email_address]

×