• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
TELEVISÃO DIGITAL - INTERAÇÃO E USABILIDADE
 

TELEVISÃO DIGITAL - INTERAÇÃO E USABILIDADE

on

  • 4,096 views

Com a Televisão Digital, os emissores têm o desafio de adequar as múltiplas possibilidades de produção e distribuição de conteúdo da mais alta tecnologia, para um público de cultura ...

Com a Televisão Digital, os emissores têm o desafio de adequar as múltiplas possibilidades de produção e distribuição de conteúdo da mais alta tecnologia, para um público de cultura heterogênea e de contrastes sociais marcantes. A mídia televisiva se transforma para além da experiência de assistir a uma programação seqüencial e se torna pervasiva, favorecendo, inclusive, o uso de recursos interativos em ambientes móveis e portáteis. Enfim, adquire o status tecnológico que possibilita sua definitiva integração ao ciberespaço, levando consigo, pela usabilidade, pelo entretenimento e pelo sentido de comunhão, a parcela da população que o computador, sozinho, não alcança. Contudo, a questão mais relevante, no processo de convergência, está na constituição de uma grade que mantenha seu foco nas experiências genuinamente televisivas, aquelas que estimulam a interação social. O HDTV aumenta o prazer compartilhado de assistir televisão em casa. Os dispositivos móveis são digitais e seus usuários, interativos. Nesse cenário, tem a ganhar o modelo de programação que souber conciliar a liberdade individual de escolhas com a satisfação da experiência comum, que primeiro estabelecer seus paradigmas “televisivos” de interação com o público.

Statistics

Views

Total Views
4,096
Views on SlideShare
4,075
Embed Views
21

Actions

Likes
4
Downloads
128
Comments
0

2 Embeds 21

http://www.slideshare.net 15
http://ideiasdapamc.wordpress.com 6

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

TELEVISÃO DIGITAL - INTERAÇÃO E USABILIDADE TELEVISÃO DIGITAL - INTERAÇÃO E USABILIDADE Presentation Transcript

  • Lauro Teixeira Gerente de Programação - TV APARECIDA Designer e Mestre em Comunicação - FAAC/Unesp lauropt@gmail.com / @msn.com TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Alta Definição em TV Analógica primeiras experiências, NHK – Japão na Década de 1970 TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Aspectos Históricos  A TV Interativa é anterior à TV Digital.  Experiência apenas local  Interação por vias indiretas: telefone, correio, internet, SMS Winky Dink and You - CBS, 1953 Winky Dink KIT TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Interatividade em TV Analógica primeiras experiências BBC - Reino Unido - Década de 1970 Teletexto (Ceefax, 1973) e Videotexto (Prestel, 1979) BBC – Reino Unido TVE - Espanha TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Tecnologia Interativa ...é preciso distinguir sempre uma tecnologia interativa e a simplesmente reativa, baseado na hipótese de que a primeira deve dar total autonomia ao espectador, enquanto a segunda pressupõe um leque de escolhas predeterminado. (RAYMOND WILLIAMS, 1974, p. 139) TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • O que é TV Interativa  Televisão interativa pode ser definida como qualquer coisa que torne possível aos telespectadores dialogarem com as pessoas que fazem um canal de televisão, programa ou serviço. Um diálogo que leva os telespectadores para além da experiência passiva de assistir e os permita fazer escolhas ou tomar ações - mesmo que as ações sejam tão simples como preencher um cartão postal e enviá-lo pelo correio, ou desenhar uma imagem na tela da televisão. (Mark Gawlinski, BBC) TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Categorias de TV Interativa  TV Expandida (eTV): a interatividade como extensão do conteúdo da programação. Enquetes, Reallity Shows, Propaganda, Games, Esportes, etc.  Serviços Interativos: A TV como um terminal de acesso. Previsão do tempo, horóscopo, sistema de e-mail, SMS, TV Banking, etc. (Walled Gardens); Internet TV; Teletexto Digital,  Infra-estrutura de navegação: Objetos da interatividade, Menus, guias de programação... TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Categorias de TV Interativa Canal de Retorno Aplicativos Interfaces Estrutura Física Relação com o vídeo Design básico Interatividade Local Aplicativo vinculado e em Overlay: Interface sobre (sem canal de retorno) sincronia com vídeo o vídeo Interatividade Intermitente Aplicativo vinculado mas Interface com Vídeo (com canal de retorno) sem sincronia Redimensionado Interatividade Permanente Aplicativo e vídeo Apenas a Interface (com canal de retorno) desvinculados gráfica TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Middleware Aberto do Sistema Brasileiro de TV Digital Ginga-NCL e Ginga-J Lançamento em duas versões: Perfil 1 – Ginga 1.0 Perfil 2 – Ginga 2.0 TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação - Estrutura Programas Quentes Os que não têm sentido fora da programação (telejornal, esporte, novela, auditório, ao vivo, etc.) Programas Frios Os que podem ser gravados (filmes, séries, documentários, infantis, etc.) TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação - Estrutura linha do tempo período de fruição Programação de televisão Canal A Canal B Auto-programação DVD No egocasting, maior consumo de conteúdo frio TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação - Estrutura linha do tempo período de fruição Programação de televisão Canal A Canal B Auto-programação DVD Porém, programas quentes são genuinamente televisivos e concorrem menos com outras mídias TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Níveis – Programação Interativa programação de massa controle do emissor auto-programação controle do indivíduo TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Níveis de consumo audiovisual Televisão Digital Programação de massa IPTV e WebTV auto-programação Telespectador Usuário Interagente Nível de Nível de Nível de passividade interação reativa interação mútua O conteúdo é O conteúdo é O conteúdo é empurrado puxado pela a audiência até a audiência audiência Programação Programação pela transmissão pelo acesso Auto-programação (temporal) (espacial) (espaço-temporal) TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação nível de atenção Bloco de programa Intervalo linha do tempo O break tem a função de: - Garantir a “respiração” para absorver a dispersão - Permite explorar ganchos de tensão - Estimular o imaginário TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação Interativa i i i i Interatividade ao longo da programação: - Explora momentos de atenção - Satisfaz o interesse por conteúdo extra - Promove uma experiência mais satisfatória TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação Interativa i merchandising interativo i i - Cuidado na estratégia de persuasão em merchandising interativo - O telespectador quer ver o programa TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação Interativa i i - TV Shop i i - Marketing - Maior retenção de atenção em comerciais - Novos modos de relacionamento com produtos e marcas - Espaço de compra. T-Commerce - Cuidados com o ponto de quebra do fluxo TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação Interativa i Interação no i i programa (etv) i i - Estímulo a imersão em interações reativas - Interação mútua entre os que querem se expressar TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação Interativa i durante o intervalo i i i i - Explorar interação que segure a audiência entre os blocos. - Cuidado com interações que coloquem o comercial em segundo plano TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Programação Interativa independente do programa (EPG) i i i i i - Maior transparência de grade - Cuidados com estrutura de gêneros - Maior consistência de uso TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Usabilidade Espaço: Em geral os espectadores de TV prestam menos atenção no que estão vendo do que os de computador e dispositivos móveis.  A experiência de televisão se dá curvando-se para trás.  As pessoas podem achar a interação cansativa e irritante.  A interface deve ser simples: menos é mais. Tempo: Espectadores de TV estão acostumados com a uma experiência visual e auditiva muito rica e uma sensação de tempo real.  A navegação básica deve dar respostas em frações de segundos  Deve acompanhar o raciocínio do usuário, inclusive na TV Expandida TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design para Usabilidade Princípios de design com foco em usabilidade:  Visibilidade (visibility);  Retorno (feedback);  Restrições (constraints);  Mapeamento (mapping);  Consistência (consistency);  Pistas (affordances) TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design Visibilidade Trata-se da medida em que os objetos da interação reativa são perceptíveis ao interagente TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design FeedBack Trata-se do modo como a reação do sistema se torna perceptível ao interagente TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design - Restrições Refere-se a delimitar o tipo de interação que pode ocorrer em um determinado momento. TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design - Restrições Na interface acima, foram ocultadas as cores vermelha, amarela e azul e os números 5, 6, 7, 8, 9, e 0 TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design - Restrições As opções “vermelho” e “amarelo” não estão claras na tela. Deveriam estar restritas visualmente para evitar confusão TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design - Mapeamento Trata-se da relação lógica entres os controles de acordo com seus efeitos no sistema TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design - Consistência É transferência de conhecimento entre aplicações de uso semelhante TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Design - Affordances Affordance significa “dar uma pista”. É o modo de projetar objetos que se apresentem óbvios quanto à função que exercem. Affordance: percebida e a real TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Enfim... Não há massas, há apenas maneiras de ver as pessoas como massas. Raymond Williams, 1958 TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Para saber mais, leia! ucg.br/editora (62) 3946-1080 lauropt@gmail.com TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira
  • Para saber mais, leia! TELEVISÃO DIGITAL: Interação e Usabilidade - Lauro Teixeira