Comunicação e participação orgânica nos movimentos sociais baixaresolução

1,529 views
1,320 views

Published on

Palestra "Comunicação e Movimentos Sociais" , proferida durante a Semana de Comunicação de 2010 na Universidade Federal do Amazonas, na cidade de Manaus.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,529
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Comunicação e participação orgânica nos movimentos sociais baixaresolução

  1. 1. Comunicação e participação orgânica nosmovimentos sociais Como comprometer-se com a democracia [e o destino da humanidade] a partir da atuação profissional individual voluntária
  2. 2. Título meiomegalo-maníaco,ein?
  3. 3. Laurianne Franco• Comunicação Social – Relações Públicas- Universidade Federal do Amazonas (UFAM)• Jornalismo e Publicidade e Propaganda ainda não concluídos.• Pós-graduação Lato sensu em Ética e Política – Universidade Católica de Pernambuco e Serviço de Ação, Reflexão e Educação Social• Curso de aperfeiçoamento em Produção Cultural – Universidade Intinerante Cândido Mendes• Analista de Comunicação do Museu da Amazônia – Musa• Consultora para projetos audiovisuais do Núcleo de Cultura Política do Amazonas• Colaboradora do programa Na Terra de Ajuricaba, da Tv Ufam• Editora do Blog de Publicidade Roupa no Varal• Membro do GT de Comunicação do Movimento Social S.O.S Encontro das Águas• Membro do Fórum da Cidadania do Serviço de Ação, Reflexão e Educação Social• Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte e Tecnologia Interativa – UFAM• Experiência profissional e formação nas áreas: Comunicação, Cinema e Vídeo, Planejamento em Comunicação e Marketing, Direção de Arte, Assessoria de Comunicação e Imprensa; Relações Públicas; Publicidade e Propaganda e Jornalismo Impresso.• 8 artigos publicados em anais de congressos internacionais e nacionais• 4 prêmios acadêmicos em Jornalismo Impresso
  4. 4. As Relações Públicas, ou melhor, a Comunicação Social e a participaçãoorgânica nos movimentos sociais e na comunidade: Vendo as coisas pelo lado de dentro
  5. 5. O Olhar...A beleza está nos olhos de quem vê...“Embora tenham surgido como atividadescomunicacionais vinculadas ao patronato, asRelações Públicas acompanharam astransformações da sociedade capitalista,convertendo-se também em Instrumentos úteisàs classes trabalhadoras.” Cicilia M.Krohling Peruzzo
  6. 6. E então?• Empresarial e governamental• + uma nova possibilidade  movimentos sociais populares / comunidade• Compromisso com os interesses dos segmentos sociais subalternos organizados, ou num sentido mais amplo com o interesse público.
  7. 7. “Meu povo” é uma ova...
  8. 8. A massa que nãotem dinheiro pracomprar perfume XA Máfia Cheirosa
  9. 9. O Esquema é o seguinte:• CONTEXTO: Mais de 30 milhões de pessoas abaixo da linha da miséria, população sofrida, educação deficitária, desinformação midiática, burocracia dos infernos, movimentos sociais marginalizados, acesso precário aos bens de consumo e alimentação, cidadania monetarizada. Resumindo: Respeito aos Direitos Humanos nota ZERO.• COMBUSTÍVEL: Indignação, sua e de todos...• COMO FAZER: Interferir no processo de construção da realidade por meio da prática profissional• RESULTADOS ESPERADOS: Transformação social, paz de espírito, um mundo melhor, qualidade de vida pra você e para a coletividade.
  10. 10. Relações Públicas Populares no Nível das Possibilidades (Cicília Peruzzo e Laurianne Franco)• Ações que visem a conscientização, mobilização, adesão, organização e coesão no nível interno dos movimentos (Arrumando a casa);• que contribuam no planejamento das atividades e na realização de eventos, pesquisas, produção de instrumentos de comunicação etc.; que facilitem a conquista de aliados (Lobby do Bem);• Comunicação eficiente com os públicos e com a sociedade como um todo (Diálogo com todos os atores sociais);• Favoreçam a conquista de espaços nos grandes meios de comunicação de massa (Morde e Assopra?);• Estabeleçam relacionamento adequado com os órgãos do Poder Público e com outras instituições da sociedade (unidos venceremos e sabendo onde pisar).
  11. 11. O Caso PORTO DAS LAJES Ou: Uma Questão de Solimõesfundamental é saber que o Negro não se mistura com o Amarelo...Ou: Porto das Lajes, tu nunca serás Liverpool.
  12. 12. Evidente que Manaus e toda a Amazônia carece deum terminal portuário à altura das demandas e dopotencial da região, mas induzir sua construção pelaforça do dinheiro e de interesses subalternos é nomínimo uma desconsideração à sociedade amazonensecomo um todo, uma demonstração de insensatez,arrogância e usura. Mais que isso: uma violação dabeleza do Encontro das Águas, um atentado à vocaçãoturística do local, uma incoerência ao discurso dasustentabilidade e um crime de lesa-Amazônia. Geraldo Mendes dos Santos – Pesquisador do Inpa
  13. 13. E-mail recebido (SIC)Oi Laurianne, saudações.Se o Porto das Lajes, comprovadamente, não interferirá no nosso precioso Encontro das Aguas e existem outros portos(e obras do governo) em situações precárias sob muitos ângulos nesta mesma região...nao seria um contra censo tentar impedir um investimento que trará tanto desenvolvimento a uma região tão necessitada? Justamente a parte mais excluída da nossa sociedade?Ate aonde eu sei a Vale e o Grupo local são empresas de reputação bastante superior a vasta maioria do que temos por ai.....Repelir este capital, eh perpetuar a pobreza e validar a forma de fazer negocio dos outros portos...na minha opinião, muito mais danosa do que este pessoal esta propondo....ainda mais agora, depois de tanta exposição da mídia.Pense que o seu movimento deve ser guiado pelos interesses dos mais desasistidos.AssinadoEmpresário local proprietário de 3 restaurantes, 1 casa de show, 3 franquias nacionais em vários shoppings e acionista de várias empresas.
  14. 14. Minha respostaOlá XXXX,Compreeendo seu ponto de vista e o movimento tem embasamento multidisciplInar, nossa bandeira não é apenas ambiental. Uma alternativa para o desenvolvimento local seria a criação de infraestrutura turística, que seria muito mais rentável que o Porto, o qual pode ser construído em outro lugar, longe dos limites do Encontro das Águas e mais perto do PIM. Há uma questão fundiária não resolvida e muitas outras lacunas sem explicação que a Vale e a Juma não responderam de maneira satisfatória. Acredito que o preço do desenvolvimento precisa ser sustentável de verdade e os impactos mitigados sempre que possível, e não ser sustentável apenas no discurso, na aparência.Obrigada pela manifestação, Laurianne Franco. observação: se não desejar mais receber estes e-mails, é só avisar.
  15. 15. E agora, onde foi parar a notícia? Ou Scooby Doo, cadê você, meu filho?
  16. 16. Mídias sociais como resposta.Ou: não contavam com a nossa astúcia!!!
  17. 17. >>> Um exemplo de como não agir:A QUESTÃO DEBELO MONTE EA MÍDIA >>>
  18. 18. Vestindo a camisaou defendendo a empresa a todo o custo. Tiro no pé????• Lembre-se que existe uma coisa chamada ÉTICA e outra coisa chamada CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL.
  19. 19. Olha o Código aí, gente:SEÇÃO IIDas Relações com o Empregador:Artigo 3º- O profissional de Relações Públicas, ao ingressar em uma organização como empregado, deve considerar os objetivos, a filosofia e os padrões gerais desta, tornando-se interdito o contrato de trabalho sempre que normas, políticas e costumes até vigentes contrariem sua consciência profissional, bem como os princípios e regras deste código.
  20. 20. Mais um pouquinho...SEÇÃO VIIIDo Sigilo ProfissionalArtigo 24 - O profissional de Relações Públicas guardará sigilo das ações que lhe forem confiadas em razão de seu ofício e não poderá ser obrigado à revelação de seus assuntos que possam ser lesivos a seus clientes, empregadores ou ferir a sua lealdade para com eles em funções que venham a exercer posteriormente.Artigo 27 - A quebra de sigilo é necessária quando se tratar de fato delituoso, previsto em lei, e a gravidade de suas conseqüências, para os públicos envolvidos possam criar para o Profissional de Relações Públicas o imperativo de consciência de denunciar o fato.
  21. 21. Lobby do BemDas Relações Políticas e do exercício do Lobby:Artigo 28 - Defender a livre manifestação do pensamento, a democratização e a popularização das informações e o aprimoramento de novas técnicas de debates é função obrigatória do profissional de Relações Públicas.
  22. 22. Um elementocrucial: a Análise de Conjuntura
  23. 23. • Fonte: Portal G1
  24. 24. O que aprendi nisso tudoA arregaçar as mangas. Nunca vamos encontrar tudo pronto.A ouvir. Geralmente falamos demais e não ouvimos da maneira correta. É necessário ouvir todo mundo, até quem está contra.A compreender a força da comunicação social e suas possibilidades. Use esse poder com responsabilidade.A estudar. A pesquisa é uma constante em nossa profissão. Selecione suas fontes e dedique-se muito.A compreender as questões do ponto de vista do mais fraco. É muito FÁCIL estar no topo da cadeia alimentar. Só entende a dor de dente quem a sente.

×