Your SlideShare is downloading. ×
SemináRio VersãO Final Tc
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

SemináRio VersãO Final Tc

6,299
views

Published on


1 Comment
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
6,299
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
7
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNEB – Universidade do Estado da Bahia NEAD – Núcleo de Educação a Distância Departamento de Educação – Campus I Curso de Especialização em EAD Disciplina: Psicologia Cognitiva Professora formadora Juliana Santana Moura Tutora presencial Fabiola Pellegrini Teorias Construtivistas Alberto Amorim Amilton Alves Elizabete Bastos Kelma Costa Maria da Conceição Maria das Graças
  • 2. A evolução dos meios materiais de ensino/ aprendizagem 1Das_teorias_tradicionais_ao_Construtivismo.mpg http://www.youtube.com/watch?v=gDjNOlg37SY
  • 3. Teóricos & Teorias
  • 4. Jean Piaget “Os fenômenos humanos são biológicos em suas raízes, sociais em seus fins e mentais em seus meios”
  • 5. Jean Piaget  PIAGET E SEU HISTÓRICO. A TEORIA DE PIAGET DO DESEN VOLVIMEN TO COGN ITIVO.  IMPLICAÇÕES DO PEN SAMEN TO PIAGETIAN O PARA A APREN DIZAGEM.  AUTON OMIA PARA PIAGET .  PIAGET E EAD .
  • 6. PIAGET? *Jean Piaget nasceu na Suíça no dia 9 de agosto de 1896 e faleceu em Genebra em 17 de setembro de 1980; *Estudou a evolução do pensamento até a adolescência, procurando entender os mecanismos mentais que o indivíduo utiliza para captar o mundo; *Como epistemólogo, investigou o processo de construção do conhecimento, sendo que nos últimos anos de sua vida centrou seus estudos no
  • 7. PIAGET? *Após formar-se, Piaget foi para Zurich, onde trabalhou como psicólogo experimental. Lá ele freqüentou aulas lecionadas por Jung e trabalhou como psiquiatra em uma clinica. *O ano de 1919 foi o marco em sua vida. Piaget iniciou seus estudos experimentais sobre a mente humana e começou a pesquisar também sobre o desenvolvimento das habilidades cognitivas. Seu conhecimento de biologia levou-o a enxergar o desenvolvimento cognitivo de uma criança como sendo uma evolução gradativa. *As teorias de Piaget foram, em grande parte, baseadas em estudos e observações de seus filhos que ele realizou ao lado de sua esposa.
  • 8. A TEORIA DE PIAGET DO DESEN VOLVIMEN TO COGN ITIVO *É uma teoria de etapas, que pressupõe que os seres humanos passam por uma série de mudanças ordenadas e previsíveis. *O eixo central, portanto, é a interação organismo- meio e essa interação acontece através de dois processos simultâneos: a organização interna e a adaptação ao meio, funções exercidas pelo organismo ao longo da vida.  
  • 9. Continuaçã o *“Há interação entre o sujeito e o mundo externo. O conhecimento da criança muda na medida em que o seu sistema cognitivo se desenvolve. Como o conhecedor muda, o conhecimento muda também” (interacionista). *O desenvolvimento cognitivo é uma embriologia mental (da biologia) *A inteligência deve ser definida em relação a função e a estrutura: -Estrutura – inteligência é organização -Função – inteligência é adaptação -Adaptação -Organização
  • 10. IMPLICAÇÕES DO PEN SAMEN TO PIAGETIAN O PARA A APREN DIZAGEM *Os objetivos pedagógicos necessitam estar centrados no aluno, partir das atividades do aluno. *Os conteúdos não são concebidos como fins em si mesmos, mas como instrumentos que servem ao desenvolvimento evolutivo natural. primazia de um método que leve ao descobrimento por parte do aluno ao invés de receber passivamente através do professor. *A aprendizagem é um processo construído internamente. *A aprendizagem depende do nível de desenvolvimento do sujeito. *A aprendizagem é um processo de reorganização cognitiva. *Os conflitos cognitivos são importantes para o desenvolvimento da aprendizagem. *A interação social favorece a aprendizagem. *As experiências de aprendizagem necessitam estruturar-se de modo a privilegiarem a colaboração, a cooperação e intercâmbio de
  • 11. AUTON OMIA PARA PIAGET Piaget não aponta respostas sobre o que e como ensinar,  mas permite compreender como a criança e o adolescente aprendem, fornecendo um referencial para a identificação das possibilidades e limitações de crianças e adolescentes. Desta maneira, oferece ao professor uma atitude de respeito às condições intelectuais do aluno e um modo de interpretar suas condutas verbais e não verbais para poder trabalhar melhor com elas.
  • 12. PIAGET E EAD N ova forma de construir o conhecimento; Aprendizagem possível pelas TICs (hipertexto, links , inteligência coletiva); Colaboração, cooperação, intercâmbio (professor- aluno;       aluno-aluno); Conexão dos conteúdos a experiência dos educando; Conflitos e desequilíbrio como fonte de maturação; N ova postura do educador (exigência de novas habilidades ); N ova postura do educando (iniciativa autônoma).
  • 13. Lev Vygotsky “O saber que não vem da experiência não é realmente saber”
  • 14. Lev Vygotsky  Sócio-Interacionismo;  Interação;  N ovas Tecnologias de Informação e comunicação;  Educação On-line .
  • 15. A Contribuição da Teoria Sócio- Interacionista de Vigostsky para a Educação On-line O Papel das interações sociais na sala de aula.
  • 16. A Constituição Social do Homem • Cursos na modalidade de EAD baseados em sistemas de signos. •ZPD ( Zona de Desenvolvimento Proximal; •N DR (N ível de Desenvolvimento Real); •N DP (N ível de Desenvolvimento Potencial).
  • 17. •Funções Interpsicológicas •Intrapsicológicas Modelo Pedagógico do Ambiente: •Busca Colaborativa de Aprendizagem; •Interação Social.
  • 18. Tipos de Interação •Critérios: •Temporalidade: Síncrona ou Assíncrona. •Interação Hierárquica: Superior, Inferior e Moderado
  • 19. Henri Wallon “O indivíduo é social não como resultado de circunstâncias externas, mas em virtude de uma necessidade interna”
  • 20. WALLON -Psicogênese da pessoa completa- Integração:  meio  aspecto afetivo  aspecto cognitivo  aspecto motor
  • 21. Psicogênese da pessoa completa. Wallon considera o desenvolvimento da pessoa completa integrada ao meio em que está imersa, com os seus aspectos afetivo, cognitivo e motor também integrados . Dois importantes conceitos na obra de Wallon são emoção e afetividade.
  • 22. A criança, para Wallon, é essencialmente emocional e gradualmente vai constituindo-se em um ser sócio-cognitivo. O autor estudou a criança contextualizada, como uma realidade viva e total no conjunto de seus comportamentos, suas condições de existência. Assim como Vygotski, Wallon vê no meio externo o fator chave pra o desenvolvimento infantil.
  • 23. Paulo Freire “A educação é um processo de construção e reconstrução dos processos sociais , proporcionando uma consciência crítica dos diversos atores envolvidos neste universo educativo - a sociedade.”
  • 24. Paulo Freire contextualizado com as TIC •Processo dialético e cibernético • Realidade do aluno (nativos x imigrantes) • Diagnóstico do contexto social e tecnológico (inclusão x exclusão) • Tema gerador (TIC na educação, na aprendizagem, etc.) • Educar para transformar (do sujeito oprimido ao sujeito autônomo) • Conscientização (ato político) N ossa formação e / ou a formação do outro é um processo político Construção/ Reconstrução • (da aprendizagem bancária e mecânica para
  • 25. Incorporação substantiva, não- Arbitrária, não-literal, de novo conhecimento à estrutura cognitiva N enhum compromisso afetivo de relacionar novos conhecimentos a conhecimentos prévios Fonte:  A teoria da aprendizagem significativa – tas
  • 26. Construção/Recons trução Experiência do Processos sociais sujeito Autonomia Foco
  • 27. Processo de ensino num contexto de aprendizagem on-line Muros para demolir: da fábrica de ensinar ao espaço aberto da aprendizagem Carlos N ogueira Fino Universidade da Madeira
  • 28. Postula que a criação de um contexto de aprendizagem online, tem de ter por base uma quantidade suficiente de três presenças , que interagem entre si e se influenciam mutuamente. E a forma como essa interacção e influência é feita vai determinar um maior ou menor sucesso, na implementação do contexto de aprendizagem online, que se pretende criar: Presença cognitiva; Presença social; Fonte: Terry Anderson . Presença de ensino
  • 29. Fonte: Flávia Resende - As novas tecnologias na prática pedagógica sob a perspectiva construtivista.
  • 30. Novos Modelos de Aprendizagem Modelo antigo Modelo novo Implicação para os alunos Centrado no professor Centrado no aluno Os alunos são investidos do poder de aprendizes ativos Absorção passiva Participação do aluno A motivação do aluno é aprimorada Trabalho individual Equipe de aprendizagem A equipe constrói habilidades que são desenvolvidas; o aprendizado é aprimorado pelo compartilhamento O professor como especialista O professor como guia A estrutura da aprendizagem é mais adaptável às rápidas mudanças no mundo. Estático Dinâmico Os recursos de aprendizagem (livros- texto, base de conhecimentos existente) são substituídos por um link on-line ao mundo real. Os recursos podem ser adaptados às necessidades imediatas da aprendizagem Aprendizado predeterminado Aprender a aprender Desenvolvimento de habilidades para a era da informação Fonte: HEIDE, Ann e STILBORNE, Linda. Guia do professor para a Internet: completo e fácil. 2.ed. Porto Alegre : Artes médicas Sul, 2000. p.
  • 31. “Uma melhor aprendizagem não virá da busca de melhores maneiras para o professor instruir, mas sim de fornecermos ao aprendiz melhores oportunidades para ele construir. E esta convicção tem dirigido nossos esforços para elaborar novos materiais de construção...” Seymour Papert Introduction: Constructionist Learning . Harel (ed.)
  • 32. David Siegel, consultor de internet estadunidense disse que “É preciso parar de encarar a internet como uma rede de computadores. Ela é uma rede de pessoas.” FUTURIZE SUA EMPRESA
  • 33. Para início de discussão " Formar não é despejar conceitos, noções e práticas sobre sujeitos passivos, moldando-os numa forma homogeneizada, produzindo réplicas de uma mesma coisa e anulando os dons, as experiências, a criatividade que cada um vai estruturando dentro de si. Deverá ser antes um processo de construção interna onde se equilibra nova informação numa parede já em construção" . (Nuno Jordão. Mitos Modernos)
  • 34. TEORIAS CON STRUTIVISTAS N A EAD CAPACIDADE AUTONOMIA INTELIGÊNCIA APRENDIZAGEM PRODUÇÃO COGNITIVA COLETIVA SIGNIFICATIVA CRIATIVA APURADA
  • 35. Eis o novo...
  • 36. Eis o paradoxo!
  • 37. Referências Bibliográficas: ALMEIDA, Laurinda Ramalho. MAHON EY, Abigail Alvarenga. Afetividade e processo ensino-aprendizagem: contribuições de Henry Wallon. http:/ / pepsic.bvs- psi.org .br/ pdf/ psie/ v20/ v20a02.pdf AN DRADE , A. F. 2003 – Uma aplicação da abordagem sociointeracionista de Vygostsky para a construção de um ambiente computacional de Aprendizagem. FERN AN DES, Margarida. O processo de ensino num contexto de aprendizagem on- line. http:/ / www.slideshare.net/ MargaridaFernandes/ o-processo-de-ensino-num- contexto-de-aprendizagem-ppt-presentation Freire, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa / Paulo Freire. – São Paulo: Paz e Terra, 1996. – (Coleção Leitura) HEIDE , Ann e STILBORN E , Linda. Guia do professor para a Internet: completo e fácil. 2.ed. Porto Alegre : Artes médicas Sul, 2000. JOFILI, Zélia. Piaget, Vigotsky e Freire e a construção do conhecimento na escola. http:/ / www.ebah.com.br/ piaget-vygotsky-freire-pdf-a11597.html ROSA, Iara Sanches. Solução para a EAD online numa perspectiva construtivista. http:/ / www.portalensinando.com.br/ ensinando/ principal/ conteudo.asp?id= 2682
  • 38. Mensagem que fica no contexto da aprendizagem on-line “SER EDUCADOR É SAIR DE CEN A, SEM SAIR DO ESPETÁCULO!!!” AGRADECEMOS A ATEN ÇÃO DE TODOS