LIGA ACADÊMICA DE PEDIATRIA DA UFRN
LAPED UFRN
SEMIOLOGIA :
Anamnese em
Pediatria
Prof. Leonardo Moura Ferreira de
Souza
N...
SEMIOLOGIA
O QUE É
SEMIOLOGIA
• Semiologia: grego semeyon (sinal) + logos (discurso)
•“Estudo dos sinais das doenças”
DEFINIÇÃO
“ É a arte e ...
SEMIOLOGIA
IMPORTÂNCIA
SEMIOLOGIA
IMPORTÂNCIA
MEDICINA – PEDIATRIA
EXATO SIGNIFICADO DOS SINAIS E SINTOMAS -
SINDROMES
FACILITAR OU ORIENTAR OS
D...
SEMIOLOGIA
SINTOMA X SINAL X SÍNDROME
• SINTOMA: Queixas do paciente relativas a doença. São dados
subjetivos.
Ex: dor de ...
SEMIOLOGIA
ESTUDO DOS SINTOMAS
/SINAIS
 DO OLHAR
DA EXPRESSÃO FACIAL
DO TOM DE VOZ
DA POSTURA CORPORAL
SEMIOLOGIA
ANAMNESE
EXAME FÍSICO
SEMIOLOGIA
ANAMNESE
ANAMNESE
Considerações Iniciais
 Anamnese- anámnesis (origem grega): ANA: trazer de novo/ MNESIS:
memória,recordação
 Re...
ANAMNESE
Considerações Iniciais
 Anamnese ordenada exige: real treinamento, paciência. NUNCA
fazer com impaciência;
 É n...
ANAMNESE EM PEDIATRIA
ANAMNESE EM PEDIATRIA
Peculiaridades
 Características próprias;
 Obtenção através das informações do informante (pais
ou...
ANAMNESE EM PEDIATRIA
Peculiaridades
 As relações interfamiliares,
 Personalidade – comportamento dos pais (ex. mãe que ...
ANAMNESE EM PEDIATRIA
IDENTIFICAÇÃO
HISTÓRIA CLÍNICA
ELEMENTOS FUNDAMENTAIS
ANAMNESE EM PEDIATRIA
IDENTIFICAÇÃO
 Nome Completo
 Data de nascimento (dia, mês, ano)
 Idade
 Sexo
 Cor ( raça – gru...
IDENTIFICAÇÃO
 Nome Completo
 Data de nascimento (dia, mês, ano)
 Idade
 Sexo
 Cor ( raça – grupo étnico),
 Naturali...
IDADE
COR
PROCEDÊNCIA
HISTÓRIA CLÍNICA
 Queixa Principal (QP)
 História da Doença Atual (HDA)
 História Patológica Pregressa (HPP)
 História...
HISTÓRIA CLÍNICA
- Motivo da Consulta
 Queixa Principal (QP)
Escrito com as próprias
palavras dos pais ou
acompanhantes
HISTÓRIA CLÍNICA
 História da Doença Atual (HDA)
-Início da doença
-Época
-Forma de evolução
-Medicações ( quem as recome...
HISTÓRIA CLÍNICA
- Não interferir nas informações- apenas colocar em ordem;
- Descrever de forma técnica e não leiga;
- Nã...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História Patológica Pregressa
- Doenças
- Internamentos
Doenças da infância: Sarampo,
Rubéola, Parotidi...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História de Gestação, Parto e
NascimentoA- Gestação
Mãe: Idade : ____ Gesta: __ Para: _ Abortos: Natimo...
HISTÓRIA CLÍNICA
B- Parto e Nascimento
Tipo de parto: Parto Normal Cesárea Operatório via baixa – Fórceps Circular Cordão
...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História Alimentar
-Tipo de Aleitamento
AM Exclusivo ? (até quando? )
AM Predominante?
AM Misto ou Parc...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História do Desenvolvimento
 Marcos do DNPM
Sorriso social? Sustentou cabeça? Sentou s/ apoio?
Engatin...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História das Vacinações
- Vacinas
- Complicações (efeitos adversos)
- Cicatriz de BCG
- Calendários Vac...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História Familial
- Consangüinidade
- Doenças: HAS, Diabetes, Asma, Arterioesclerose,
Dislipidemias, AI...
HISTÓRIA CLÍNICA
 História Social
Estrutura Familiar x Ambiente
Perfil sócio - econômico
ANAMNESE
HISTÓRIA CLÍNICA
AMBIENTE : Condições de Habitação – moradia
 História Social
 Rural/ Urbana / Apartamento ou Casa (Taip...
HISTÓRIA CLÍNICA
 Interrogatório sobre diversos sistemas (ISDA)
 Sintomas gerais, pele, anexos
 Cabeça, olhos, ouvidos,...
ANAMNESE EM PEDIATRIA
ASPECTOS RELEVANTES
A queixa principal
A história da doença atual
Sintomas associados
A cronolog...
ANAMNESE EM PEDIATRIA
PRINCIPAIS
QUEIXAS –
SINTOMAS
O que será que ela tem?
O que estará sentindo?
Porque chora tanto?
PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
FEBRE
 Início
 Tempo de duração: em horas, dias.
 Sintomas associados: calafrios, vômitos...
VÔMITOS
 Início
 Aspecto
 Pós - alimentares, pós – tosse
 Sintomas associados: diarréia, febre
 No RN: infecção, este...
DIARRÉIA
 Início
 Duração: aguda, persistente, crônica
 Numero de evacuações
 Aspecto das fezes
 Presença de muco, pu...
TOSSE
 Início
 Duração
 “Cansaço”
 “Chiado no peito”
 Tipo de tosse: seca, produtiva, ladrante(“tosse de
cachorro”)
...
TOSSE
 Tosse, febre, aumento da FR, dispnéia- Pneumonia
 Tosse ladrante (cachorro), à noite, estridor - laringite
espasm...
CEFALÉIA
 Caráter agudo ou recorrente
 Queixas visuais- escotomas - fotossenbilidade-
pródomos (enxaqueca)
 Sintomas as...
DOR ABDOMINAL
 Início
 Duração : aguda, crônica, recorrente(DAR)
 Caráter : cólica, em pontada
 Localização : localiza...
DOR ABDOMINAL
 Dor abdominal crônica recorrente, de caráter noturno,
antecedentes familiares de Doença Péptica - Gastrite...
DOR EM MEMBROS INFERIORES
 “Dor de crescimento”: aparecimento noturno, melhora
com massagens, intensa atividade física.
P...
DOR DE GARGANTA
Início : Abrupto, gradual
Febre - sintomas catarrais (coriza, espirros, tosse)-
amigdalite viral
Febre ...
DOR DE OUVIDO – OTALGIA
Início : Abrupto, gradual
Tempo de evolução
Febre , sintomas catarrais
Otorréia
História de I...
“FALTA DE APETITE”
Doenças associadas: anemia, parasitoses.
Fase de crescimento - 2 a 5 anos
Erro alimentar - “baganas”...
EXANTEMA
 Doenças febris exantemáticas agudas: exantema súbito,
sarampo, rubéola, varicela, dengue, escarlatina,
meningoc...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• Rodrigues, Yvon toledo; Bastos, Pedro Paulo. Semiologia Pediátrica – 3ª
Edição. 2009 - Guanba...
FIM
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Semiologia: Anamnese em Pediatria

17,601

Published on

Semiologia: Anamnese em Pediatria- Aula ministrada pelo Professor do Departamento de Pediatria da UFRN, Prof Leonardo Moura Ferreira de Souza, para os Membros Ligantes da Liga de Pediatria da UFRN - LAPED UFRN. Natal, Brasil.

0 Comments
20 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
17,601
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
20
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Semiologia: Anamnese em Pediatria"

  1. 1. LIGA ACADÊMICA DE PEDIATRIA DA UFRN LAPED UFRN SEMIOLOGIA : Anamnese em Pediatria Prof. Leonardo Moura Ferreira de Souza Natal-RN 2013
  2. 2. SEMIOLOGIA O QUE É
  3. 3. SEMIOLOGIA • Semiologia: grego semeyon (sinal) + logos (discurso) •“Estudo dos sinais das doenças” DEFINIÇÃO “ É a arte e a ciência metodizada do diagnóstico médico , requisito indispensável para a terapêutica e para o prognóstico “
  4. 4. SEMIOLOGIA IMPORTÂNCIA
  5. 5. SEMIOLOGIA IMPORTÂNCIA MEDICINA – PEDIATRIA EXATO SIGNIFICADO DOS SINAIS E SINTOMAS - SINDROMES FACILITAR OU ORIENTAR OS DIAGNÓSTICOS
  6. 6. SEMIOLOGIA SINTOMA X SINAL X SÍNDROME • SINTOMA: Queixas do paciente relativas a doença. São dados subjetivos. Ex: dor de ouvido, dor abdominal . • SINAL: do latim signale – tudo que podemos verificar no paciente através dos nossos sentidos. Ex: telarca, ginecosmatia. • SINDROME: do grego syndrome – Conjunto de sinais e sintomas ligados a uma entidade mórbida que consta no quadro geral de uma doença. Ex: GNPE
  7. 7. SEMIOLOGIA ESTUDO DOS SINTOMAS /SINAIS  DO OLHAR DA EXPRESSÃO FACIAL DO TOM DE VOZ DA POSTURA CORPORAL
  8. 8. SEMIOLOGIA ANAMNESE EXAME FÍSICO
  9. 9. SEMIOLOGIA ANAMNESE
  10. 10. ANAMNESE Considerações Iniciais  Anamnese- anámnesis (origem grega): ANA: trazer de novo/ MNESIS: memória,recordação  Relato dos padecimentos feito pelos pais , responsáveis ou pelo próprio doente;  Momento + importante e fundamental para um diagnóstico preciso. Anamnese bem feita= diagnóstico correto/ Anamnese mal feita= induzir diagnóstico errado;  Importante saber dirigir as perguntas, numa linguagem acessível para facilitar as respostas;
  11. 11. ANAMNESE Considerações Iniciais  Anamnese ordenada exige: real treinamento, paciência. NUNCA fazer com impaciência;  É necessário mostrar interesse e ter respeito no ato de colher a história;  Não suprimir informações; Detalhar ao máximo possível. Deve ser o mais COMPLETA possível;  Não cabe ao médico questionar qualquer conduta ou tratamento realizado por outro médico.
  12. 12. ANAMNESE EM PEDIATRIA
  13. 13. ANAMNESE EM PEDIATRIA Peculiaridades  Características próprias;  Obtenção através das informações do informante (pais ou acompanhantes) - Idade (RN e pré escolares);  Sempre valorizar toda e qualquer queixa; Durante a obtenção da história clínica observar:
  14. 14. ANAMNESE EM PEDIATRIA Peculiaridades  As relações interfamiliares,  Personalidade – comportamento dos pais (ex. mãe que embora ativa, sempre se volta a outra pessoa para complementar as informações, podendo esta ser a avó, a babá, etc.; mãe que inicia as informações, mas cala-se tão logo outro acompanhante a interrompa; pai totalmente distante do que está ocorrendo; etc.),  Relacionamento pais-criança, etc. Durante a obtenção da história clínica observar:
  15. 15. ANAMNESE EM PEDIATRIA IDENTIFICAÇÃO HISTÓRIA CLÍNICA ELEMENTOS FUNDAMENTAIS
  16. 16. ANAMNESE EM PEDIATRIA IDENTIFICAÇÃO  Nome Completo  Data de nascimento (dia, mês, ano)  Idade  Sexo  Cor ( raça – grupo étnico),  Naturalidade/Nacionalidade  Religião  Procedência  Endereço  Nome e idade dos pais e/ou informante. HISTÓRIA CLÍNICA  Queixa Principal (QP)  História da Doença Atual (HDA)  História Patológica Pregressa (HPP)  História de Gestação, Parto e Nascimento  História Alimentar  História do Desenvolvimento (DNPM)  História das Vacinações  História Familial  História Social  Interrogatório dos diversos Sistemas (ISDA)
  17. 17. IDENTIFICAÇÃO  Nome Completo  Data de nascimento (dia, mês, ano)  Idade  Sexo  Cor ( raça – grupo étnico),  Naturalidade/Nacionalidade  Religião  Procedência  Endereço  Nome e idade dos pais e/ou informante.
  18. 18. IDADE COR PROCEDÊNCIA
  19. 19. HISTÓRIA CLÍNICA  Queixa Principal (QP)  História da Doença Atual (HDA)  História Patológica Pregressa (HPP)  História de Gestação, Parto e Nascimento  História Alimentar  História do Desenvolvimento (DNPM)  História das Vacinações  História Familial  História Social  Interrogatório dos diversos Sistemas (ISDA)
  20. 20. HISTÓRIA CLÍNICA - Motivo da Consulta  Queixa Principal (QP) Escrito com as próprias palavras dos pais ou acompanhantes
  21. 21. HISTÓRIA CLÍNICA  História da Doença Atual (HDA) -Início da doença -Época -Forma de evolução -Medicações ( quem as recomendou? Melhora?) -Outra manifestações (Sintomas associados) Cronologia dos sintomas
  22. 22. HISTÓRIA CLÍNICA - Não interferir nas informações- apenas colocar em ordem; - Descrever de forma técnica e não leiga; - Não omitir informações; - Necessidade de intervenção do médico- detalhar alguns informes; - Comunicação : clara e em linguagem sem termos técnicos # Escrever no prontuário ou ficha Lembretes Importantes  História da Doença Atual
  23. 23. HISTÓRIA CLÍNICA  História Patológica Pregressa - Doenças - Internamentos Doenças da infância: Sarampo, Rubéola, Parotidite Amigdalites, PNM,Diarréia Cirurgias Acidentes Uso habitual de medicamentos
  24. 24. HISTÓRIA CLÍNICA  História de Gestação, Parto e NascimentoA- Gestação Mãe: Idade : ____ Gesta: __ Para: _ Abortos: Natimortos_______ Pré Natal: Sim Não N° de Consultas: DUM _____ Exames ( Sim Não) VDRL ANTI-HIV : Hepatite B Toxoplasmose Citomegalovirus Outros exames: Hemograma, Glicemia EAS Urocultura TS_______ Uso na gravidez: Fumo Álcool Drogas Intercorrências na gravidez (Sim Não) Doenças Medicamentos Sangramentos Local de nascimento: Hospital Residência Outro:__________________________
  25. 25. HISTÓRIA CLÍNICA B- Parto e Nascimento Tipo de parto: Parto Normal Cesárea Operatório via baixa – Fórceps Circular Cordão Idade Gestacional: Termo Pré-termo Pós-termo PIG AIG GIG Peso ao nascer: ____ Tamanho ao nascer:_____Perímetro Cefálico: _______APGAR: ___ Rotura prematura membranas Sim Não Líquido amniótico: Aspecto/Quantidade Mecônio nas 1ªs 24hs Sim Não Diurese nas 1ªs 24hs Sim Não Icterícia (1º semana) Sim ....... Não Início ?...... Fototerapia Sim Não Intercorrências neonatais Sim ..... Não / DRP Hemorragias Convulsões Tremores Hipoglicemia Vômitos Cianose Hipo ou hipertermia Distúrbios alimentares Alta com ______ dias Vacinação Sim ____ Não Amamentação: Sim Não Teste da Orelhinha Sim resultado ............................................ ... Não Teste do Pezinho Sim resultado................................................. Não Teste do Olhinho Sim resultado ................................................. Não TS do RN. . Tipo ..................... Fator Rh ........................ Não Tipado
  26. 26. HISTÓRIA CLÍNICA  História Alimentar -Tipo de Aleitamento AM Exclusivo ? (até quando? ) AM Predominante? AM Misto ou Parcial? AM Complementado ? Inicio da alimentação complementar? . Quais alimentos? - Alimentação artificial? Início ? Tipo de Leite ? LV (Modificado? (Fórmula infantil) Não modificado? Em Pó? In Natura? ) Diluição? - Alimentação atual? Nº de refeições /dia Cardápio? * Detalhar :Proteína (Carnes , ovos) – Cereal – Leguminosa – (Hortaliças(verduras e legumes) – Frutas / * Guloseimas, refrigerantes - Alimentação : Adequada / Inadequada (Erros alimentares ?) - Suplementação Vitaminas : Fe ; Vit A
  27. 27. HISTÓRIA CLÍNICA  História do Desenvolvimento  Marcos do DNPM Sorriso social? Sustentou cabeça? Sentou s/ apoio? Engatinhou? Ficou de pé sozinha? Andou ?  Desenvolvimento Comportamental: - Sono (Qualitativo/quantitativo) - Controle esfíncter (vesical – anal?) Enurese Noturna? - Agressividade/ Passividade- Negativismo  Adaptação Social: emotividade/ hábitos com a família e com outras crianças – Desempenho escolar
  28. 28. HISTÓRIA CLÍNICA  História das Vacinações - Vacinas - Complicações (efeitos adversos) - Cicatriz de BCG - Calendários Vacinais (SBP X PNI) SEMPRE conferir a vacinação na caderneta da criança
  29. 29. HISTÓRIA CLÍNICA  História Familial - Consangüinidade - Doenças: HAS, Diabetes, Asma, Arterioesclerose, Dislipidemias, AIDS, Hepatite B MEDIDAS PREVENTIVAS - Irmãos: Idade, Estado saúde, Falecidos? Causa óbito?
  30. 30. HISTÓRIA CLÍNICA  História Social Estrutura Familiar x Ambiente Perfil sócio - econômico ANAMNESE
  31. 31. HISTÓRIA CLÍNICA AMBIENTE : Condições de Habitação – moradia  História Social  Rural/ Urbana / Apartamento ou Casa (Taipa, alvenaria, madeira, favela)  Nº Cômodos / Nº pessoas que habitam  Condições de Saneamento : água tratada –(saneada ou filtrada)  Instalações hidroelétricas - sanitárias  Animais domésticos (cães, gatos) / quintal de terra / banhos de rios ESTRUTURA FAMILIAR: Nº pessoas trabalham / Renda familiar Profissão- Instrução dos pais - Escolaridade filhos  Verificar: uso de cigarros, drogas, tóxicos
  32. 32. HISTÓRIA CLÍNICA  Interrogatório sobre diversos sistemas (ISDA)  Sintomas gerais, pele, anexos  Cabeça, olhos, ouvidos,nariz e garganta  Sistema respiratório  Sistema cardiovascular  Sistema digestório  Sistema genital  Extremidades  Sistema hemolinfopoiético  Sistema nervoso  Estado psíquico
  33. 33. ANAMNESE EM PEDIATRIA ASPECTOS RELEVANTES A queixa principal A história da doença atual Sintomas associados A cronologia dos sintomas A duração da doença Antecedentes (pessoais, familiares)
  34. 34. ANAMNESE EM PEDIATRIA PRINCIPAIS QUEIXAS – SINTOMAS O que será que ela tem? O que estará sentindo? Porque chora tanto?
  35. 35. PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS FEBRE  Início  Tempo de duração: em horas, dias.  Sintomas associados: calafrios, vômitos, diarréia, tosse.  Intensidade da febre- métodos de aferição.  Comportamento da criança no período de apirexia.  Lactente febril sem sinais de localização”: - investigar sinais e sintomas de doença bacteriana grave: calafrios (bacteremia oculta), letargia, sonolência, recusa alimentar, hipoatividade.  Sinal de alerta para doença bacteriana : febre > 39,5°c.
  36. 36. VÔMITOS  Início  Aspecto  Pós - alimentares, pós – tosse  Sintomas associados: diarréia, febre  No RN: infecção, estenose hipertrófica do piloro, obstrução intestinal. PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  37. 37. DIARRÉIA  Início  Duração: aguda, persistente, crônica  Numero de evacuações  Aspecto das fezes  Presença de muco, pus, sangue  Diurese - Sede  Sintomas associados: vômitos, febre  Diarréia crônica , perda de peso, déficit pondero- estatural, esteatorréia - síndrome de má absorção  Antecedentes pessoais de parasitoses prévias  Tipo de alimento ingerido nas últimas 24 horas (entero infecções)  Condições de habitação PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  38. 38. TOSSE  Início  Duração  “Cansaço”  “Chiado no peito”  Tipo de tosse: seca, produtiva, ladrante(“tosse de cachorro”)  Sintomas associados: coriza, espirros, obstrução nasal, febre, cianose  Tosse aguda, seca, cansaço, “chiado no peito “ – crise asmática  Tosse crônica, com déficit pondero-estatural e diarréia- mucoviscidose PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  39. 39. TOSSE  Tosse, febre, aumento da FR, dispnéia- Pneumonia  Tosse ladrante (cachorro), à noite, estridor - laringite espasmódica  Tosse espasmódica- “Coqueluchóide”  Lactente com sintomas gripais , piora progressiva do desconforto respiratório - bronquiolite  Tosse > 3 semanas, febre, perda de peso, historia epidemiológica + TB - Tuberculose  Antecedentes Pessoais : pneumonias de repetição - Imudeficiências? Corpo estranho ?  Antecedentes familiares: asma, alergias PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  40. 40. CEFALÉIA  Caráter agudo ou recorrente  Queixas visuais- escotomas - fotossenbilidade- pródomos (enxaqueca)  Sintomas associados: febre, sonolência, vômitos, perda de peso  Cefaléia aguda, com febre, vômitos em jato, sinais meníngeos (meningite)  Antecedentes familiares de enxaqueca PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  41. 41. DOR ABDOMINAL  Início  Duração : aguda, crônica, recorrente(DAR)  Caráter : cólica, em pontada  Localização : localizada, difusa, com ou sem irradiação  Sintomas associados: vômitos, diarréia  Antecedentes de enteroparasitoses  Sinais de alarme para doença orgânica: perda de peso, febre, sangue nas fezes, “caráter noturno” PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  42. 42. DOR ABDOMINAL  Dor abdominal crônica recorrente, de caráter noturno, antecedentes familiares de Doença Péptica - Gastrite, úlcera.  Dor abdominal, febre, colúria, hepatomegalia, icterícia- hepatite.  Dor abdominal em escolar, adolescente, inicialmente difusa, depois localizada em fossa ilíaca direita, acompanhado de febre, vômitos, parada da eliminação de gases ou fezes - apendicite aguda. PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  43. 43. DOR EM MEMBROS INFERIORES  “Dor de crescimento”: aparecimento noturno, melhora com massagens, intensa atividade física. PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  44. 44. DOR DE GARGANTA Início : Abrupto, gradual Febre - sintomas catarrais (coriza, espirros, tosse)- amigdalite viral Febre - adenopatia submandibular dolorosa, intensa dor a deglutição, exudato amigdaliano - amigdalite estreptocócica PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  45. 45. DOR DE OUVIDO – OTALGIA Início : Abrupto, gradual Tempo de evolução Febre , sintomas catarrais Otorréia História de Ivas prévia, uso de cotonetes, banhos (mar,piscina) PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  46. 46. “FALTA DE APETITE” Doenças associadas: anemia, parasitoses. Fase de crescimento - 2 a 5 anos Erro alimentar - “baganas” PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  47. 47. EXANTEMA  Doenças febris exantemáticas agudas: exantema súbito, sarampo, rubéola, varicela, dengue, escarlatina, meningoccoccemia.  Forma de início  Evolução – Distribuição  Tipo de exantema (macupapular, vesicobolhoso, petéquial)  Dados epidemiológicos - casos na família, contactantes. PRINCIPAIS QUEIXAS - SINTOMAS
  48. 48. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • Rodrigues, Yvon toledo; Bastos, Pedro Paulo. Semiologia Pediátrica – 3ª Edição. 2009 - Guanbabara Koogan • Barbosa, Adauto Dutra Moraes. Semiologia Pediátrica – 2ª Edição- Editora Rubbio.
  49. 49. FIM

×