UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOSBIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃODISCIPLINA INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA<br />...
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA<br /><ul><li>A ciência pratica atividades de caráter operacional técnico   TÉCNICAS
Técnicas utilizadas de maneira planejada </li></ul>          MÉTODO CIENTÍFICO<br />
Logo:<br />O processamento científico necessita de TÉCNICAS utilizadas planejadamente para seguir um MÉTODO CIENTÍFICO, qu...
TRABALHANDO O MÉTODO<br /><ul><li>PRIMEIRA  ATIVIDADE DO CIENTISTA: OBSERVAÇÃO DOS FATOS</li></ul>   Surgimento de um prob...
<ul><li>SEGUNDA ATIVIDADE DO CIENTISTA: FORMULAÇÃO DE UMA HIPÓTESE</li></ul>HIPÓTESE: “proposição explicativa provisória d...
<ul><li>TERCEIRA  ATIVIDADE DO CIENTISTA: VERIFICAÇÃO EXPERIMENTAL</li></ul>Teste da hipótese. Se verdadeira, torna-se LEI...
Quando se observa que uma série de leis tem características em comum, elas podem ser agrupadas em uma TEORIA.<br />TEORIA:...
MÉTODO CIENTÍFICO<br /><ul><li>Momento experimental – Fase Indutiva
Momento matemático – Fase Dedutiva</li></li></ul><li>INDUÇÃO: procedimento lógico pelo qual se passa de alguns fatos parti...
PROCESSO LÓGICO INDUTIVO Momento matemático<br />Permitiu aos cientistas perceber que “o mundo natural é um conjunto de pa...
PARADIGMAS EPISTEMOLÓGICOS<br />O cientista se baseia em verdades básicas, que não precisam ser aceitas conscientemente po...
<ul><li>Ciências humanas     PLURALISMO PARADIGMÁTICO (vários paradigmas epistemológicos), devido a complexidade do estudo...
Paradigma epistemológico mais utilizado: POSITIVISMO</li></ul>POSITIVISMO: Baseia-se na observação dos fatos, apreende os ...
MODIFICAÇÕES NO PENSAMENTO CIENTÍFICO<br />METAFÍSICA: Modo de pensar baseado na crença de que o ser humano podia chegar à...
Com isso, nasce uma nova modalidade de conhecimento: o MODO CIENTÍFICO de conhecer, a CIÊNCIA.<br />A ciência atua com o M...
“A ciência [...] busca estabelecer relações de causa e efeito entre os fenômenos.” (p.110)<br />Os fenômenos se comportam ...
AS CIÊNCIAS HUMANAS<br />Com o sucesso das Ciências Naturais, a ciência passou a ver o HOMEM como objeto de estudo.<br />“...
Devido à complexidade do homem, o positivismo torna-se insuficiente para seu estudo. Assim, as Ciências Humanas passam a u...
ESTRUTURALISMO<br />    Assemelha-se ao Funcionalismo, pois assume o pressuposto de que todo sistema constitui uma ESTRUTU...
FENOMENOLOGIA<br />    Parte do pressuposto de que de que todo conhecimento fatual tem seu fundamento em um conhecimento o...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Metodologia do Trabalho Científico - Cap. III

1,733
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,733
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Metodologia do Trabalho Científico - Cap. III

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOSBIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃODISCIPLINA INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA<br />METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO<br />CAPÍTULO III - TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA<br />ANTÔNIO JOAQUIM SEVERINO<br />LAÍS VALÉRIA SEGALLA GOMES <br />RA 405035<br />SÃO CARLOS, 2011<br />
  2. 2. TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA<br /><ul><li>A ciência pratica atividades de caráter operacional técnico TÉCNICAS
  3. 3. Técnicas utilizadas de maneira planejada </li></ul> MÉTODO CIENTÍFICO<br />
  4. 4. Logo:<br />O processamento científico necessita de TÉCNICAS utilizadas planejadamente para seguir um MÉTODO CIENTÍFICO, que é explicado por um FUNDAMENTO EPISTEMOLÓGICO.<br />MÉTODO CIENTÍFICO: processo que diferencia a ciência do senso comum e de outras expressões subjetivas do ser humano (filosofia, arte, religião). <br />
  5. 5. TRABALHANDO O MÉTODO<br /><ul><li>PRIMEIRA ATIVIDADE DO CIENTISTA: OBSERVAÇÃO DOS FATOS</li></ul> Surgimento de um problema: necessidade de entender a ocorrências dos fatos.<br />
  6. 6. <ul><li>SEGUNDA ATIVIDADE DO CIENTISTA: FORMULAÇÃO DE UMA HIPÓTESE</li></ul>HIPÓTESE: “proposição explicativa provisória de relações entre fenômenos, a ser comprovada ou infirmada pela experimentação. E se confirmada, transforma-se na lei.” (p.103)<br />
  7. 7. <ul><li>TERCEIRA ATIVIDADE DO CIENTISTA: VERIFICAÇÃO EXPERIMENTAL</li></ul>Teste da hipótese. Se verdadeira, torna-se LEI.<br />LEI: princípio geral que une e explica uma série de fatos particulares, enunciando relações causais constantes entre fenômenos, dando conta de múltiplos fatos. <br />
  8. 8. Quando se observa que uma série de leis tem características em comum, elas podem ser agrupadas em uma TEORIA.<br />TEORIA: conjunto de diversas leis; portanto, mais abrangente, que relaciona um número ainda maior de fatos.<br />
  9. 9. MÉTODO CIENTÍFICO<br /><ul><li>Momento experimental – Fase Indutiva
  10. 10. Momento matemático – Fase Dedutiva</li></li></ul><li>INDUÇÃO: procedimento lógico pelo qual se passa de alguns fatos particulares a um princípio geral. Trata-se de um processo de generalização, fundado no pressuposto filosófico do determinismo universal. (p.104)<br />DEDUÇÃO: procedimento lógico, raciocínio, pelo qual se pode tirar de uma ou de várias proposições (premissas) uma conclusão que delas decorre por força puramente lógica. A conclusão segue-se necessariamente das premissas. (p.105)<br />
  11. 11. PROCESSO LÓGICO INDUTIVO Momento matemático<br />Permitiu aos cientistas perceber que “o mundo natural é um conjunto de partículas em movimento, dotadas de energia, e que se ligam entre si de acordo com ‘leis fixas e imutáveis’, gerando assim uma total regularidade do funcionamento do universo.” (p.105)<br />Tal processo garantiu o sucesso da ciência através da utilização e desenvolvimento de técnicas.<br />
  12. 12. PARADIGMAS EPISTEMOLÓGICOS<br />O cientista se baseia em verdades básicas, que não precisam ser aceitas conscientemente por ele, pois são pressupostas. A ciência precisa se apoiar em alguns pressupostos, ou verdades universais, para que seu conhecimento produzido tenha força. Tais pressuposições são chamadas PARADIGMAS, e no caso do conhecimento, PARADIGMAS EPISTEMOLÓGICOS.<br />
  13. 13. <ul><li>Ciências humanas PLURALISMO PARADIGMÁTICO (vários paradigmas epistemológicos), devido a complexidade do estudo do ser humano.
  14. 14. Paradigma epistemológico mais utilizado: POSITIVISMO</li></ul>POSITIVISMO: Baseia-se na observação dos fatos, apreende os fenômenos naturais através de uma experiência controlada. Portanto, a ciência é a única forma segura para tal experimento, já que possui técnicas apropriadas para tal.<br />
  15. 15. MODIFICAÇÕES NO PENSAMENTO CIENTÍFICO<br />METAFÍSICA: Modo de pensar baseado na crença de que o ser humano podia chegar à essência das coisas, ou seja, sua natureza própria, imutável, responsável pela identidade de cada coisa.<br /> Foi utilizado durante a Antiguidade e Idade Média.<br /> A partir do Renascimento, os modernos passaram a criticar tal pensamento, alegando que podemos conhecer apenas os fatos, os fenômenos, nunca a essência da natureza.<br />
  16. 16. Com isso, nasce uma nova modalidade de conhecimento: o MODO CIENTÍFICO de conhecer, a CIÊNCIA.<br />A ciência atua com o MÉTODO EXPERIMENTAL-MATEMÁTICO, que possibilita ao homem pesquisar e interferir na natureza. É ao mesmo tempo um saber teórico e poder prático, pois maneja o real pela técnica.<br />
  17. 17. “A ciência [...] busca estabelecer relações de causa e efeito entre os fenômenos.” (p.110)<br />Os fenômenos se comportam sempre da mesma maneira, pois seguem LEIS. Tal “sentido de causalidade para a ciência é apenas aquele de uma relação funcional entre os fenômenos” (p.111), ou seja, um fenômeno da natureza depende de outro.<br />
  18. 18. AS CIÊNCIAS HUMANAS<br />Com o sucesso das Ciências Naturais, a ciência passou a ver o HOMEM como objeto de estudo.<br />“O homem seria um ser natural como todos os demais (naturalismo), submisso às mesmas leis de regularidade (determinismo), acessível, portanto aos procedimentos de observação, experimentação e mensuração (experimentalismo e racionalismo).” (P.111)<br />Assim, a partir do século XIX e ao longo da modernidade, foram se desenvolvendo as CIÊNCIAS HUMANAS.<br />
  19. 19. Devido à complexidade do homem, o positivismo torna-se insuficiente para seu estudo. Assim, as Ciências Humanas passam a utilizar-se de OUTROS PARADIGMAS EPISTEMOLÓGICOS.<br />FUNCIONALISMO<br /> Apoia-se na analogia entre as relações de diversos órgãos de um sistema biológico com as organizações socioculturais. Para esse método, a sociedade humana é como um organismo, cujas partes são interdependentes, que agem para o funcionamento do organismo em geral.<br /> “Toda atividade social e cultural é FUNCIONAL” (p.113)<br />
  20. 20. ESTRUTURALISMO<br /> Assemelha-se ao Funcionalismo, pois assume o pressuposto de que todo sistema constitui uma ESTRUTURA, gerando uma interdependência entre os elementos, de tal forma que as alterações em um elemento acarretam uma modificação em todo o conjunto.<br />
  21. 21. FENOMENOLOGIA<br /> Parte do pressuposto de que de que todo conhecimento fatual tem seu fundamento em um conhecimento originário de natureza INTUITIVA. Podemos apreender as coisas em seu estado original, de fenômenos puros.<br />HERMENÊUTICA<br />Propõe que todo conhecimento é uma interpretação que fazemos das expressões simbólicas humanas, dos signos culturais, necessariamente. <br />
  22. 22. MODALIDADES DE PESQUISA<br />PESQUISA QUANTITATIVA<br /> É a pesquisa revestida de uma formação matemática, exprimindo relação entre seus dados. Tem uma configuração experimental-matemática.<br />
  23. 23. PESQUISA QUALITATIVA<br /> Fazem emergir aspectos subjetivos. São usadas quando se busca a natureza geral de determinada questão, abrindo espaço para interpretação. <br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×