Inclusão digital

1,822 views
1,704 views

Published on

Suporte da minha comunicação no I Congresso Brasileiro da Leitura Digital

Published in: Career
4 Comments
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
1,822
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
572
Actions
Shares
0
Downloads
39
Comments
4
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Inclusão digital

  1. 1. Meios Informáticos No Ensino;Racionalização/Valorização/Atualização – Inclusão do ensino das tecnologias da informação nos planos curriculares do ensino não superior – Formação de orientadores, formadores e professores para o ensino das tecnologias de informação e a sua utilização como meios auxiliares de ensino
  2. 2. • equipar as escolas com equipamentos informáticos• formação de base aos professores participantes no projeto
  3. 3. • Subprograma I - Aplicação e Desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação• Subprograma II - Formação em TIC• Subprograma III - Criação e Desenvolvimento de Software Educativo:• Subprograma IV - Difusão de Informação e Cooperação Internacional
  4. 4. UARTE – Unidade de Apoio à Rede Telemática Educativa – ligar à Internet todas as escolas do ensino básico e do ensino secundário, através da colocação de um computador e uma ligação RDIS nas escolas.
  5. 5. Fornecimento a todas as escolas, medianteapresentação de um projeto de intervenção, deum mínimo de 24 computadores portáteis (10para uso dos professores e 14 para uso dosalunos)
  6. 6. • Desenvolvido para apoiar as escolas no lançamento do ensino obrigatório das TIC nos 9.º e 10.º anos de escolaridade.• Cada sala TIC foi equipada com 14 postos de trabalho, um servidor, uma impressora laser e um projetor.
  7. 7. • infraestruturação tecnológica das escolas• disponibilização de conteúdos e serviços em linha• reforço das competências TIC de alunos e docentes Objetivos Média UE 15 Portugal Portugal (2006) (2007) (2010) Ligação à Internet em banda larga de 6 Mbps 4 Mbps ≥ 48 Mbps alta velocidade Número alunos por PC com ligação à 8,3 12,8 2 Internet Percentagem de docentes com 25% 90% certificação em TIC
  8. 8. Projeto e-escola: http://eescola.pt/• Disponibilização, a alunos e professores, de computadores portáteis e ligações à internet de banda larga, em condições vantajosas.• Mais de 1 milhão e 350 mil computadores entregues.
  9. 9. Projeto e-escolinha• Disponível para alunos do 1º ao 4º ano de escolaridade• Ligado a produção do computador Magalhães.• Mais de 600 mil computadores já entregues.
  10. 10. kit tecnológico• 5 alunos por computador em 2008/2009, 2 em 2010• 1 videoprojetor por sala de aula em 2010• 1 quadro interativo por cada 3 salas de aula em 2010 – 111 486 computadores – 28 711 videoprojetores – 5 613 quadros inteactivos
  11. 11. Internet de alta velocidadeTodas as escolas com 2.º e 3.º ciclos do ensinobásico e com ensino secundário com ligação àInternet em fibra ótica de, pelo menos, 64Mbps.
  12. 12. Competências TIC Formação de professores – 2010 – 456 formadores frequentaram a formação de formadores – 44 945 docentes (cerca de 1 terço do total de professores de Portugal) frequentaram um Curso de Competências Pedagógicas e Profissionais com TIC – 39 000 docentes obtiveram certificados em Competências Digitais - Nível 1
  13. 13. Conteúdos - Portal das escolas: https://www.portaldasescolas.pt• Mais de 1700 recursos educativos digitais (RED) e integração com o Repositório Europeu de Recursos Educativos, que permitem o acesso a quase 40 000 RED.• Catálogo de Blogues EDU• Diário da República Eletrónico
  14. 14. (Jovens de 10 a 15 anos de idade, 1.º primeiro trimestre de 2010)*• 91% utilizam Internet (mais 24% que em 2005).• A utilização de Internet é de 100% nos jovens do 3.º ciclo do Ensino Básico.• 84% utilizam Internet em casa (mais do dobro de 2005).• Dos que utilizam Internet, 74% declaram utilizá-la todos os dias ou quase todos os dias (quase o triplo de há cinco anos). Dados do INE em colaboração com a Agência para a Sociedade do Conhecimento (UMIC)
  15. 15. Tipo de utilizaçãoPesquisa de informaçãopara trabalhos escolares• Mensagens em chats, blogues, redes sociais, newsgroups, fóruns de discussão ou mensagens escritas em tempo real (86%)• Correio eletrónico (86%)• Jogos ou download de jogos, imagens, filmes ou música (79%)• Consulta de websites de interesse pessoal (63%)• Colocação de conteúdo pessoal em website para ser partilhado (55%)• Pesquisa de informação sobre saúde (47%).
  16. 16. (2010, 23 países europeus, jovens 9-16)• 58% dos jovens de Portugal têm perfil em pelo menos uma rede social (média europeia: 57%), mais do dobro do obtido para pessoas de 16 a 74 anos (25%).• 8,7% afirmam ter mais de 300 contactos no perfil da rede social que mais utilizam (quinta percentagem mais elevada nos 23 países considerados, a seguir a Reino Unido, Grécia, Irlanda e Eslovénia.)
  17. 17. Alunos que usam correioeletrónico em casa paracomunicar com colegas sobretrabalhos escolares• 1.º lugar entre os países da OCDE• Muito acima da média - 34%
  18. 18. Criar uma apresentaçãono computador muitobem e sem ajuda• mais 55% do que nove anos antes• 1.º lugar entre os países da OCDE• média OCDE: 71% por centoEste primeiro lugar verifica-se em ambos os sexos, entre alunos donível socioeconómico e cultural mais elevado (quartil superior) e entrealunos do nível socioeconómico e cultural mais baixo (quartil inferior).
  19. 19. Portugal é o segundo país com menor diferençaneste indicador entre os alunos com maiselevado e mais baixo nível socioeconómico ecultural (10 pontos percentuais), muito abaixoda média (18 pontos percentuais); nove anosantes a diferença em Portugal era de 23 pontospercentuais, acima da média (18 pontospercentuais).
  20. 20. Criar uma base de dados comcomputador muito bem e semajuda• média OCDE: 27%
  21. 21. Criar uma apresentaçãomultimédia muito bem esem ajuda:• 1.º lugar nos países da OCDE• mais 95% do que nove anos antes• muito acima da média OCDE (54%)
  22. 22. “It is not the strongest of the species thatsurvives, nor the most intelligent, but the onemost responsive to change.” Charles Darwin
  23. 23. Evitar a technolust (a tecnologia devecorresponder a uma necessidade, devecontribuir para resolver um problema).
  24. 24. • Foco na aprendizagem, não na tecnologia: refletir criticamente sobre qual a tecnologia que se adequam a objetivos educacionais e não quais objetivos educacionais se adequam à tecnologia da moda.• Refletir: como é que isto vai melhorar o meu desempenho como professor, facilitar a aprendizagem, produzir um resultado melhor que os métodos tradicionais?
  25. 25. • Evitar o fosso digital;• Tomar como guia o modo como os alunos acedem, consomem e produzem informação;• Estar preparado para cometer erros.
  26. 26. http://lerebooks.wordpress.comhttp://lerparacrer.wordpress.comhttp:// twitter.com/carlospinheirohttp://www.facebook.com/carlosdpinheirohttp://pt.linkedin.com/in/carlosdinispinheiro

×