Bibliotecas Digitais

21,903 views

Published on

Bibliotecas Digitais e Bibliotecas Escolares

2 Comments
39 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
21,903
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6,470
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
2
Likes
39
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bibliotecas Digitais

  1. 1. Bibliotecas digitais Bibliotecas Digitais
  2. 2. Bibliotecas e tecnologia ao longo do tempo
  3. 3. Bibliotecas digitais <ul><li>– “ digital libraries” no </li></ul><ul><li>+ de 1 milhão de páginas </li></ul>
  4. 4. Definições <ul><li>Segundo Leiner (1988), «Uma Biblioteca Digital é a colecção de serviços e de objectos de informação, com organização, estrutura e apresentação que suportam o relacionamento dos utilizadores com os objectos de informação, disponíveis directa ou indirectamente via meio electrónico/digital .» </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Dezenas de definições diferentes de “biblioteca digital”! </li></ul>Definições
  6. 6. <ul><li>1. Acesso remoto (através de um PC ou outro dispositivo ligado a uma rede); </li></ul><ul><li>2. Utilização simultânea do mesmo documento por vários utilizadores; </li></ul><ul><li>3. Disponibilização em suporte digital de produtos e serviços de uma biblioteca física; </li></ul>Características de consenso
  7. 7. <ul><li>4. Acesso em linha a fontes externas de informação; </li></ul><ul><li>6. Utilização integrada de diversos suportes de registo de informação (texto, som, imagem, vídeo…); </li></ul><ul><li>5. Biblioteca pode não ser proprietária dos recursos disponibilizados; </li></ul><ul><li>7. Sistemas inteligentes de recuperação da informação . </li></ul>Características de consenso
  8. 8. O que não é uma biblioteca digital? <ul><li>a) Biblioteca automatizada; </li></ul><ul><li>b) Biblioteca tradicional com catálogo automatizado, com catálogo em linha (OPAC) na Internet; </li></ul><ul><li>c) A Internet. </li></ul><ul><li>d) O Google. </li></ul>
  9. 9. Exemplos de bibliotecas digitais <ul><li>Internet Public Library </li></ul><ul><li>Biblioteca Nacional Digital (BN - Portugal) </li></ul><ul><li>Library of Congress. American Memory </li></ul><ul><li>SciELO - Scientific electronic library online </li></ul><ul><li>Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro </li></ul><ul><li>New Zealand Digital Library </li></ul><ul><li>Google Books Library Project </li></ul><ul><li>Gallica – Biblioteca Nacional de França </li></ul><ul><li>Projecto Gutemberg </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  10. 19. <ul><li>Conferences - ISCTE - ISCTE </li></ul><ul><li>DigIPP Beta - Biblioteca Digital do IPP - Bibl. Central, Inst. Politécnico do Porto </li></ul><ul><li>Dited - Depósito de Dissertações e Teses Digitais - Biblioteca Nacional de Portugal </li></ul><ul><li>E3P - Espaço Electrónico de Engenharia em Portugal – Serv. Doc. Infor., Fac. Engª, U. Porto </li></ul><ul><li>e-Repository - Univ. Minho e TecMinho </li></ul><ul><li>ISCTE Repository - ISCTE </li></ul><ul><li>Journals ISCTE - I SCTE </li></ul><ul><li>PAM - Portuguese Archive of Mathematics CEOC, Univ. Aveiro </li></ul><ul><li>Papadocs - Depº Sist.Inform., Univ. Minho </li></ul><ul><li>Repositório Científico da Universidade de Évora - Univ. Évora </li></ul><ul><li>RepositóriUM - Univ. Minho </li></ul><ul><li>RODA (Repositório de Objectos Digitais Autênticos) - Direcção-Geral de Arquivos </li></ul><ul><li>SciELO Portugal - Observatório da Ciência e do Ensino Superior </li></ul><ul><li>SinBAD - Univ. Aveiro </li></ul><ul><li>Wildlife Biology in Practice - SPVS (Portuguese Wildlife Society) </li></ul><ul><li>Wildrepositorium - SPVS (Portuguese Wildlife Society) </li></ul>Repositórios de acesso aberto em Portugal
  11. 20. Objectos da Biblioteca Digital <ul><li>Artefactos digitalizados </li></ul><ul><ul><li>Objectos com existência física digitalizados por meios mecânicos. Ex.: transposição para .pdf de um documento impresso, conversão de VHS para DVD. </li></ul></ul>Numa hora apenas, este dispositivo consegue digitalizar 500 páginas (manualmente, uma pessoa com alguma prática é capaz de conseguir digitalizar uma média de 100 páginas por hora).
  12. 21. <ul><li>Artefactos digitais (concebidos originalmente em formato digital) </li></ul><ul><ul><li>Critérios a respeitar: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Usabilidade ( simplicidade e facilidade com que uma interface, um programa de computador ou um website pode ser utilizado). </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Scannability (escrever para ler no ecrã) </li></ul></ul></ul>Objectos da Biblioteca Digital
  13. 22. <ul><li>Artefactos digitais que simulam o mundo físico ( Realidade Virtual, interactividade, 3D ): (representação tridimensional de uma escultura, de um edifício ou de uma paisagem; recriação virtual de ambientes históricos; etc.). </li></ul>Objectos da Biblioteca Digital
  14. 23. <ul><li>Textos digitais : podem ser facilmente actualizados, copiados, distribuídos, convertidos em novos formatos. </li></ul><ul><li>Conteúdos hipertextuais (clicáveis). </li></ul><ul><li>Indexação : textos podem ser indexados por palavras, em várias línguas e podem cobrir vários documentos. </li></ul><ul><li>Redução de custos (aquisição, armazenamento, pessoal, preservação). </li></ul><ul><li>Pesquisa e acesso facilitados (pesquisa nos conteúdos e não apenas metadados). </li></ul><ul><li>Trabalho em rede e partilha de recursos (apontadores para recursos externos, outras BD). </li></ul>Vantagens da biblioteca digital
  15. 24. <ul><li>Materiais raros , especialmente antigos ou de domínio público, podem ser disponibilizados via BD. Cópias da Bíblia de Gutenberg estão disponíveis, por exemplo, na British Library http:// www.bl.uk / treasures / gutenberg / homepage.html </li></ul><ul><li>Acesso remoto : já não é necessário ir à biblioteca; recursos e informações podem ser consultados de qualquer lugar do mundo, via Internet, sem necessidade de nos deslocarmos. </li></ul><ul><li>Acesso simultâneo : um número ilimitado de pessoas podem aceder ao mesmo recurso, mesmo ler a mesma página do mesmo texto, simultaneamente. </li></ul><ul><li>Acesso 24/7 : com a Internet, a BD está disponível 24 horas por dia, 7 dias da semana. </li></ul>Vantagens da biblioteca digital
  16. 25. <ul><li>Preservação dos originais : materiais em risco e frágeis podem ser consultados via Web sem causar problemas para os originais. Ex: Advanced Papyrological Information System http:// sunsite.berkeley.edu /APIS/ </li></ul><ul><li>Confiabilidade : BD sem os problemas comuns das bibliotecas tradicionais: livro emprestado, fora do lugar, página rasgada, falta do fascículo do periódico. O item sempre estará disponível na BD, via web. </li></ul><ul><li>Usabilidade : Ajuda a utilizadores portadores de deficiência: </li></ul><ul><ul><li>Sem limitações físicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Manipular a informação para seu melhor entendimento. </li></ul></ul>Vantagens da biblioteca digital
  17. 26. Vantagens da biblioteca digital
  18. 27. <ul><li>Preservação da informação da biblioteca digital: os suportes ópticos tem uma vida útil curta. </li></ul><ul><li>Obsolescência dos equipamentos e programas informáticos; </li></ul><ul><li>Grau de confiabilidade da informação; </li></ul><ul><li>Impossibilidade de digitalizar todos os materiais com a tecnologia actual. </li></ul>Desvantagens da biblioteca digital
  19. 28. <ul><li>Lentidão na transmissão de dados; </li></ul><ul><li>Tecnologias muito dispendiosas ; </li></ul><ul><li>Interfaces pouco amigáveis ; </li></ul><ul><li>Segurança ; </li></ul><ul><li>Direitos de autor ; </li></ul><ul><li>Dependência total da tecnologia . </li></ul>Desvantagens da biblioteca digital
  20. 29. Novas ferramentas para as BD Biblioteca 2.0 <ul><li>Web 2.0 </li></ul><ul><li>Novo paradigma da Internet </li></ul><ul><ul><li>O utilizador como criador de conteúdos: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilizador participativo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Software social </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inteligência colectiva </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Descentração dos conteúdos </li></ul></ul>
  21. 30. Biblioteca 2.0 <ul><li>Web 2.0 </li></ul><ul><ul><li>Redes sociais ( weblogs , fotologs , Orkut ); </li></ul></ul><ul><ul><li>Wikis - Conteúdo colaborativo e/ou participativo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Folksonomias ( del.icio.us , flickr , youTube ) - O utilizador organiza o próprio conteúdo); </li></ul></ul><ul><ul><li>Rating (avaliação pelos pares); </li></ul></ul><ul><ul><li>Novas tecnologias (XML, RSS - permite ver conteúdo de vários sítios numa única página) </li></ul></ul>
  22. 31. Biblioteca 2.0 <ul><li>Redes de pessoas e não de máquinas </li></ul>
  23. 33. Biblioteca 2.0 <ul><li>Rumos da Biblioteca 2.0 </li></ul><ul><ul><li>Serviços centrados no utilizador; </li></ul></ul><ul><ul><li>BD personalizável, adaptável às necessidades de informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Aproveitar a experiência colectiva; </li></ul></ul><ul><ul><li>Dinamismo/versatilidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Dar ao utilizador um papel de colaborador nos conteúdos (comentar, avaliar, enriquecer, indexar recursos, tags, etc.; </li></ul></ul><ul><ul><li>Mudança de mentalidade, não de tecnologia. </li></ul></ul>
  24. 34. Biblioteca 2.0 - Princípios Paul Miller e Ken Chad 2005 <ul><li>A biblioteca está em todo o lado: </li></ul><ul><ul><li>Disponível no ponto de necessidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ir onde os utilizadores estão. </li></ul></ul><ul><li>A biblioteca não tem barreiras: </li></ul><ul><ul><li>Não há barreiras entre o utilizador e a informação. </li></ul></ul><ul><li>A biblioteca convida à participação: </li></ul><ul><ul><li>Blogues, wikis, etiquetar e comentar no catálogo, etc.; </li></ul></ul><ul><li>A biblioteca usa sistemas flexíveis, os melhores no seu ramo: </li></ul><ul><ul><li>O OPAC feito de pequenas peças levemente agregadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Serviços, modulares e interoperáveis. </li></ul></ul>
  25. 38. <ul><li>Identificar as razões principais que presidem ao projecto </li></ul><ul><ul><li>Armazenar/organizar/disponibilizar recursos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhorar e aumentar o acesso </li></ul></ul><ul><ul><li>Preservação de originais </li></ul></ul><ul><ul><li>Interligação de recursos… ) </li></ul></ul><ul><li>Definir: </li></ul><ul><ul><li>Requisitos técnicos, </li></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de descrição, indexação e pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de preservação dos recurso </li></ul></ul>Como criar uma biblioteca escolar digital
  26. 39. <ul><li>Estabelecer uma política de selecção de materiais a digitalizar ou a disponibilizar em formato electrónico tendo em conta: </li></ul><ul><ul><li>objectivos da biblioteca; </li></ul></ul><ul><ul><li>valor intrínseco do recurso (valor informacional) e extrínseco (contextual); </li></ul></ul><ul><ul><li>público-alvo; </li></ul></ul><ul><ul><li>custos associados; </li></ul></ul><ul><ul><li>relação custo/benefício; </li></ul></ul><ul><ul><li>segurança de pessoas e instituições; </li></ul></ul><ul><ul><li>direitos de autor; </li></ul></ul><ul><ul><li>previsões de utilização; </li></ul></ul>Como criar uma biblioteca escolar digital
  27. 40. <ul><li>Outros aspectos a considerar: </li></ul><ul><li>Constituir uma equipa de diferentes valências. </li></ul><ul><li>Envolver no projecto as estruturas pedagógicas e de gestão da escola. </li></ul><ul><li>Definir a estrutura informática: equipamentos, formas de acesso, software . </li></ul><ul><li>Elaborar e fazer aprovar orçamento. </li></ul><ul><li>Calendarizar. </li></ul><ul><li>Avaliar. </li></ul>Como criar uma biblioteca escolar digital

×