Diagnóstico organização industrial
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Diagnóstico organização industrial

on

  • 3,798 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,798
Slideshare-icon Views on SlideShare
3,797
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
72
Comments
0

1 Embed 1

http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Diagnóstico organização industrial Diagnóstico organização industrial Document Transcript

    • IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC-2255 COMITÊ SETORIAL FOLHA 1 of 391 Comitê Setorial de E&P COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL ENTIDADE José Antonio de Figueiredo PETROBRAS COORDENADOR DO PROJETO ENTIDADE José Rodrigues de Farias Filho UFFCÓDIGO DO PROJETO TÍTULO DO DOCUMENTO E&P 27.6 Relatório FinalNOME DO PROJETO Diagnóstico do Grau de Maturidade dos Estaleiros Nacionais e Internacionais em Relação à Organização Industrial ÍNDICE DE REVISÕES REV DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS 0 EMISSÃO ORIGINAL REV 0 REV A REV B REV C CONTROLE DATA ASSINATURA DATA ASSINATURA DATA ASSINATURA DATA ASSINATURAEMISSÃO (Coordenador doProjeto)APROVAÇÃO(Coordenadordo comitê setorial) As aprovações abaixo serão aplicáveis quando da emissão dos produtos finaisAPROVAÇÃO(CoordenadorExecutivo)APROVAÇÃO(Coordenadordo Comitê Executivol)
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 2 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Diagnóstico do Grau de Maturidade dos Estaleiros Nacionais e Internacionais em Relação à Organização Industrial José Rodrigues de Farias FilhoResumo ExecutivoEste relatório apresenta o resultado das visitas realizadas em estaleirosnacionais e internacionais pelos pesquisadores do Centro de Excelênciaem Empreendimentos do tipo EPC (Engineering Procurement andConstruction, traduzido por engenharia, suprimentos e construção), como objetivo de verificar e analisar as condições dos mesmos para aexecução de projetos EPC na área de petróleo e gás.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 3 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6MetodologiaNestas visitas, os pesquisadores buscaram entender as condições dosestaleiros em relação às seguintes dimensões, e determinar em qual nívelde maturidade em gestão os mesmos se encontram: a) Organização e Condições Físicas e Visuais do Canteiro; b) Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho; c) Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro; d) Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro; e) Controle dos Estoques do Canteiro; f) Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro; g) O Planejamento e o Controle do Empreendimento; h) As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas.O trabalho foi desenvolvido objetivando um foco exploratório e teve trêsfases principais. Inicialmente, foi feita uma visita guiada às instalações doestaleiro para que os pesquisadores tivessem um conhecimento dascondições atuais do estabelecimento em relação às dimensões listadasacima. Nestas visitas os pesquisadores foram apresentados às condiçõesoperacionais da organização.Em seguida, foram conduzidas entrevistas com os administradores paraavaliação e entendimento dos processos de gestão utilizados. Para evitarque a avaliação fosse baseada apenas em lembranças das visitas e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 4 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6entrevistas, estas foram gravadas em vídeo, áudio e fotos. Assim, todo oprocesso da visita foi capturado.Por fim, após o recolhimento do material, os pesquisadores organizaramas informações que permitissem o enquadramento do estaleiro em relaçãoàs dimensões consideradas (enunciadas acima), à determinação do graude maturidade e o cotejamento em relação às melhores práticas retiradasda leitura de material pesquisado em sites (Capes, PMI, CII, etc.), livros,teses, dissertações, etc.Após o levantamento das impressões de todos os pesquisadores, umgrupo foi constituído a compilação final. Nesta, procurou-se a síntese dasperspectivas colocadas por todos. Esta síntese objetivou determinar quaisos pontos fortes verificados, as oportunidades de melhorias, bem como assugestões para reforçar pontos fortes e desenvolver as oportunidades.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 5 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Sumário GeralMetodologia ..................................................................................................................... 3Sumário Geral ................................................................................................................... 5Estaleiro A ........................................................................................................................ 6Estaleiro B ...................................................................................................................... 42Estaleiro C ...................................................................................................................... 82Estaleiro D .....................................................................................................................114Estaleiro E......................................................................................................................160Estaleiro F ......................................................................................................................201Estaleiro G .....................................................................................................................238Estaleiro H .....................................................................................................................283Anexo: Estaleiro I ...........................................................................................................324Anexo 2: Empresa Y .......................................................................................................383
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 6 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro A Resultados sumarizados...........................................................7 Organização e Condições Físicas do Canteiro ...........................9 Análise das Condições do Estaleiro ................................................................ 9 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria............................ 12 Proposição de Melhorias ..............................................................................12 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho ...................13 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 13 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria............................ 16 Proposição de Melhorias ..............................................................................16 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .......17 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 17 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 18 Proposição de Melhorias ..............................................................................19 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro ...19 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 19 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 20 Proposição de Melhorias ..............................................................................21 Controle dos Estoques do Canteiro .........................................21 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 21 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 24 Proposição de Melhorias ..............................................................................25 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro ...........26 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 26 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 29 Proposição de Melhorias ..............................................................................30 O Planejamento e o Controle do Empreendimento .................31 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 31 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria .......................... 36 Proposição de Melhorias ..............................................................................37 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ..............................................................................38 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 38 Oportunidades de Melhorias .........................................................................41
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 7 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • Preocupação com as questões de segurança; • Utilização do processo de manufatura adequado à tarefa a ser executada; • Foco na automação na área de produção; • Existência de procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro; • Representação do trabalho do projeto através das principais entregas definidas em uma EAP (Estrutura Analítica de Projeto); • Existência de uma cultura que visa obter melhorias das competências em sistemas de gestão; sejam eles de produção/operação ou de projetos. • Oportunidade de melhoria da limpeza e arrumação, através da disseminação de técnicas como a utilização do 5S. • Possibilidade de otimização da operacionalidade do lay out através de estudo direcionado para esta otimização, considerando aspectos relacionados à SMS. • Criação de um plano integrado de automação do estaleiro focando em outras áreas além da fabricação. • Utilização de ferramentas mais avançadas para a codificação e controle dos materiais utilizados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 8 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Existência de ampla sinalização relacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde e limpeza do local.• Implantação, pelo estaleiro, de um planejamento detalhado das atividades de engenharia possibilitando, desta maneira, um melhor gerenciamento de suprimentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 9 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro é adequado para reparos offshore e construções de grandeporte. Tem capacidade de processar 50 mil t de aço por ano e de construirnavios de até 300 mil TPB. Possui área total de 1.000.000 m², com áreacoberta (com edificações diversas) de 135.000 m². Essa área é provida detrês carreiras sendo: Carreira nº 1: 174m de comprimento; 30m de largura; capacidade para navios de até 45.000 TPB; servida por um guindaste de 80t e um guindaste de 40t; Carreira nº 2: 310m de comprimento; 45m de largura; capacidade para navios de até 150.000 TPB; servida por 2 guindastes de 80t; Carreira nº 3: 300m de comprimento; 70m de largura; capacidade para navios de até 600.000 TPB; servida por um guindaste de 40t, um guindaste de 80t e um pórtico de 660t;Afora as carreiras possui também: Dique seco: 80m de comprimento; 70m de largura; servido pelos mesmos guindastes da carreira nº 3 e pelo pórtico de 660t; Cais de Agulha: 313m de comprimento; extensão de 54m; servido por um guindaste de 40t e um guindaste de 80t; Cais de acabamento: 200m de comprimento; extensão de 130m; servido por um guindaste de 40t;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 10 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Pista Um: 460m de comprimento; servida por 2 guindastes de 80t; Pista Dois: 460m de comprimento; servida por um guindaste de 80t; Pista Três: 460m de comprimento; servida por um guindaste de 40t. Imagem 1 – Layout do estaleiro com equipamentos, cais, docas e edificações.Trata-se de empreendimento com forte atuação na área naval,destacando-se pela construção de embarcações de grande porte. Seuparque fabril sofreu uma paralisação temporária das atividades; areativação ocorreu mais recentemente. Mesmo assim, a organizaçãosempre evidenciou uma forte preocupação com as questões de SMS.Durante a visita, observou-se o emprego dos equipamentos de segurançapelos profissionais, orientações visuais em diversos locais e existência deprocedimentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 11 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Imagem 2 – Layout do estaleiro e a disposição das edificações e cais Foto 1 – Equipamentos de movimentação de carga junto ao cais.Verificou-se a existência de uma forte preocupação com SMS. Isto éevidenciado pelo uso de equipamentos de segurança pelos profissionais eorientações visuais em diversos locais.Em alguns setores, observou-se a existência de boas práticas implantadaspela empresa. Isto pode ser constatado por cartazes com posturas
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 12 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6corretas de ergonomia, outros com procedimentos de montagem.Entretanto, as informações não eram apresentadas de forma homogênea,pois alguns cartazes não apresentavam bom estado de conservação.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoriaa) A empresa possui uma forte preocupação com a conscientização de segurança. Porém, nem todas as áreas possuem o mesmo grau de maturidade em relação a esta preocupação. Desta forma, é necessário que todas as áreas apresentem boas condições de limpeza, arrumação, segurança, etc.b) Um aspecto positivo refere-se ao procedimento de os visitantes receberem um Briefing de segurança, antes de iniciarem a visita às instalações industriais.Proposição de Melhoriasa) Disseminar de forma homogênea as boas práticas de produção e SMS para todas as áreas da organização.b) Efetuar auditorias nos setores do estaleiro para verificar quais não estão se adequando às boas práticas. E, a partir destas auditorias, desenvolver planos de ação para resolver os pontos discordantes encontrados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 13 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6c) Utilizar técnicas como 5S para melhoria da limpeza e arrumação do canteiro.d) Elaborar projetos de engenharia para otimizar o nível de iluminamento dos galpões.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroFoi verificado que o layout dos galpões, individualmente, apresenta umfluxo lógico das peças e materiais que irão formar a estrutura dosmódulos em construção. Nota-se, por parte da empresa, a preocupaçãoem se criar uma linha de produção de maneira tal que em cada um dosgalpões se fabrique uma parte da estrutura. No final, seria realizada aintegração entre as peças.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 14 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 2 - Vista geral do galpão de fabricaçãoHá evidências de que a falta de espaço é uma restrição significativa,sendo notada a existência de material estocado em locais nãoapropriados. A restrição de espaços deve-se muito mais aoposicionamento geográfico do estaleiro, limitado em um extremo lateralpor rodovia federal e em seu lado oposto pelo mar. As áreas que poderiamser empregadas em expansões foram ocupadas por outrosempreendimentos.Em relação à disposição dos postos de trabalho, verifica-se que aorganização está parcialmente orientada por projeto, ou seja, os operáriostrabalham em torno das grandes estruturas metálicas. Entretanto, éutilizada, também, a orientação por processos, em que os operários fazemo tratamento do aço e alguns componentes. Além disso, utiliza-se oconceito de células de trabalho, como é o caso da área específica paratrabalho em aço inox.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 15 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 3 - Vista geral da estocagem de tubos.As operações com chapas metálicas são concentradas em um espaçolimitado de corte, tratamento físico-químico e térmico. Os dutos, de igualforma, ficam restritos a uma área, sendo separadas de acordo com o tipode material empregado (aço, aço inox, duplex, etc). Para facilitar oprocesso, a montagem, manutenção e reparo ficam mais próximos aodique, enquanto que a montagem dos módulos ocorre paralelamente àconstrução do Deck Box.Em algumas áreas de trabalho, observa-se a existência de quadrosapresentando índices e esquemas de fabricação, no qual são vistospadrões de montagem. Desta forma, facilitam-se as operações demontagem, aumentando a produtividade.Outro ponto a ser ressaltado, é a existência de áreas de ferramentas,dentro do prédio de produção. Esta providência diminui o transporte de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 16 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6materiais e pessoas dentro do canteiro de obra, já que as ferramentas aserem utilizadas se encontram próximas do local de trabalho e deprocessamento das chapas metálicas.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) O layout dos galpões, individualmente, apresenta um fluxo lógico de processamento das peças e materiais. b) Utilização do processo de manufatura adequado à tarefa a ser executada. c) Utilização de padrões de esquemas de fabricação na área de produção. d) Utilização de áreas de ferramentas dentro da produção, propiciando menos deslocamentos e perdas de tempo.Proposição de Melhorias a) Racionalização da utilização dos espaços produtivos e de armazenamento de materiais; b) Maior nível de automação dos recursos produtivos;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 17 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO canteiro apresenta boas condições de transporte e movimentação. Odescarregamento das chapas de aço, dos dutos e suas conexões e dosdemais componentes está posicionado mais próximo da entrada doestaleiro. Desta maneira, obtem-se um rápido descarregamento domaterial recebido. Foto 4 - Pátio de descarregamento de materiais.Com o auxílio de guinchos eletromagnéticos, caminhões adaptados e depaleteiras, os materiais são transportados para as oficinas de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 18 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 transformação. Estas oficinas estão dispostas lado a lado. Dessa forma, existe um fluxo de deslocamento das pré-montagens. Observou-se que o layout prioriza a movimentação das peças de grande porte e que o estoque de peças menores encontra-se distante das oficinas de transformação. Verificou-se a existência, em cada galpão, de guindastes suspensos, facilitando a realização de transporte das estruturas metálicas. Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoriaa) Observou-se que o estaleiro apresenta boas condições de transporte e movimentação. Entretanto, alguns pontos podem melhorar a movimentação, como uma melhor localização do estoque, buscando uma melhor aproximação das oficinas de transformação.b) A movimentação dentro dos almoxarifados é prejudicada pela dificuldade de acesso aos itens estocados. Sendo esse um problema gerado pela estocagem de materiais, este tópico será tratado no itemc) Controle de estoque.d) Outra oportunidade de melhoria é a utilização de equipamentos mais eficazes para o transporte de materiais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 19 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Proposição de Melhoriasa) Elaboração de um estudo com o objetivo de aperfeiçoar a utilização da área existente, buscando reduzir as distâncias percorridas pelos insumos e materiais. Este estudo deverá buscar uma melhor distribuição entre as diversas áreas.b) Sugere-se que seja realizado um estudo prevendo a utilização de equipamentos para transporte de itens pesados no canteiro, tais como: caminhões-aranha, esteiras-rolante, etc. Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro Análise das Condições do Estaleiro Observa-se que o foco da automação do estaleiro está na produção. O nível de automação, na fabricação e montagem, se dá no âmbito da tarefa. Existe automação em operações tais como: corte das chapas (corte a plasma), transporte das peças (pontes rolantes, Jib cranes), soldagem múltipla de tubos, corte de bocas de lobo, tratamento térmico dos dutos, etc.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 20 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 5 - Corte de “bocas de lobo” em tubos.Entretanto, em outros setores, não se observou a utilização do mesmofoco em automação. Por exemplo: foi observado que atividades de gestãotinham baixo grau de automação, não sendo verificada a utilização derecursos tais como: palmtops, códigos de barra ou ainda RFID(radiofreqüência). Também foi observado que os softwares de gestão deprojeto não são utilizados plenamente, bem como mecanismosautomatizados, já utilizados na indústria e disponíveis no mercado, paracontrole, atualização de cronograma, gestão de materiais, etc.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaA empresa tem como foco da automação a área de produção. No entanto,este foco pode e deve ser estendido e integrado para outras áreas doempreendimento, tais como: suprimentos, almoxarifados, engenharia etc.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 21 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A integração da automação aos outros setores do empreendimento levaráa um aumento da produtividade global.Proposição de Melhoriasa) Criar um plano integrado de automatização do estaleiro, focando em outras áreas além da fabricação;b) Utilizar sistemas ERPs para uma perfeita integração das atividades do estaleiro;c) Intensificar a utilização da automação na área de corte e solda.Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroEm relação à armazenagem das peças e equipamentos em áreas cobertas,percebe-se que há procedimentos, técnicas e rotinas que buscam evitarproblemas de perda da qualidade da peça, motivada, por exemplo, pelaoxidação, umidade e corrosão.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 22 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 6 - Estocagem de peças. Foto 7 - Vista parcial do almoxarifado de peças.Observou-se a existência de áreas identificadas para a estocagem demateriais por projeto, de acordo com sua situação. Por exemplo, áreaspara recebimento ou para materiais liberados para obras. De uma forma
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 23 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6geral, a limpeza das áreas cobertas é adequada e o acondicionamento earmazenagem de materiais, nas áreas internas, apresentam boascondições.Em relação às áreas descobertas, os materiais (principalmente chapas,tubos e outros elementos pesados) são também estocados sobre toras demadeira em solo gramado ou com brita. No caso das chapas metálicas,são armazenadas sobre um piso improvisado feito das mesmas chapas.Em relação à organização dos materiais no almoxarifado, foi observadoque há necessidade de maior espaço para a armazenagem adequada detodos os itens (este ponto reforça a sugestão de melhoria, anteriormenteapresentada, para um estudo de otimização do layout).Como conseqüência, há dificuldade de acesso e circulação. Essacaracterística termina por reduzir a eficiência do processo demovimentação dos materiais, afetando as condições de SMS no local.Observa-se, positivamente, uma adequada disponibilidade de gruas,empilhadeiras e outros equipamentos de suporte à movimentação demateriais, inclusive os de maior porte, como containers.No que se refere à catalogação dos materiais guardados no almoxarifado,observa-se que o estaleiro faz uso de boas práticas tais como: regras decodificação dos itens armazenados, separação por tipo/família,identificação de prateleiras, identificação por projeto.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 24 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 8 - Peças embaladas e identificadas.No entanto, algumas áreas podem ser melhoradas, já que, em algunscasos, as prateleiras foram codificadas através de papel comummanuscrito. Como consequência, poderão ocorrer erros de localização ealocação indevida de materiais.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoriaa) De uma forma geral, percebe-se que há procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro, estejam esses estoques em áreas cobertas ou não.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 25 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6b) Há possibilidade de melhoria no que se refere à otimização do layout de armazenagem, para ampliar a disponibilidade de espaço e contribuir para aspectos relacionados a SMS.c) Outra possibilidade de melhoria está na codificação e controle dos materiais, que poderiam estar sendo realizados com ferramentas mais avançadas, tais como RFID, como comentado em outras partes deste trabalho.d) Os procedimentos de estocagem de material em área externa e os procedimentos de controle do processo de estocagem podem ser revisados, evitando-se a estocagem indevida desses materiais.Proposição de Melhoriasa) Aperfeiçoar o layout das áreas de armazenagem. Essa otimização deve considerar aspectos relacionados à SMS.b) Avaliar a introdução de ferramentas mais avançadas de controle de estoque, por exemplo, RFID.c) Revisar os procedimentos de estocagem de material, com foco principal na área externa.d) Realizar treinamento de pessoal de modo a reforçar a aplicação dos procedimentos de identificação e de controle e estocagem de materiais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 26 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroA construção dos módulos segue um seqüenciamento lógico para maioreficiência da operação e controle dos processos. Observa-se, nos galpões,uma disposição física do trabalho que ajuda a integração das atividades ediminui o deslocamento das equipes dentro dos mesmos. Foto 9 - Vista geral do galpão de fabricação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 27 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Os galpões, por serem cobertos, proporcionam uma proteção para oscolaboradores, especialmente em dias de sol intenso e chuva. No entanto,não foi possível observar a situação do galpão quando submetido a outroselementos que podem impactar as condições de trabalho, como ventilaçãoinadequada e aquecimento excessivo em dias de temperaturas elevadas.Ainda no que se refere à SMS, foi possível observar ampla sinalizaçãorelacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde elimpeza do local. Foi observado, ainda, o uso intensivo de equipamentosde proteção individual. Foram observadas áreas de coleta seletiva dematerial nos galpões, porém não foi verificado se o procedimento deseparação de materiais estava sendo realizado.No entanto, foi percebido que diversas sinalizações de SMS estão em mauestado de conservação, sendo que algumas foram afixadas nas paredescom material sem muita resistência. Esta observação reforça comentárioanterior de que todas as áreas do estaleiro devem alcançar o mesmo graude maturidade em relação à SMS.Pode ser observado, também, que as condições gerais de manutenção dosgalpões podem ser melhoradas. A conservação das instalações (pintura,limpeza, acabamento, instalações elétricas, drenagem, etc.) demandamelhoria significativa. A iluminação dos galpões também não estáadequada, conforme visão dos próprios trabalhadores, reportada empainel afixado no local.A existência de painéis de controle com indicadores demonstra haver umsistema de gestão que busca melhoria de processos, através do
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 28 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6entendimento das condições de trabalho, do ponto de vista do próprioexecutor das tarefas. No entanto, a não atualização da data do reporte éum indicador de que o sistema pode não estar funcionandoadequadamente.Nota-se a existência de procedimentos de movimentação de material. Hááreas definidas para entrada e saída de caminhões, para descarga dechapas e outros materiais pesados. Através de Gruas, guindastes eequipamentos de içamento similares, esses materiais são descarregados edeslocados para as devidas posições de armazenagem. Foto 10 - Equipamento de elevação em operação.Foi informado que a programação e o seqüenciamento das atividades sãoapresentados diariamente aos operários, que também recebem folhastarefa referentes a essas atividades. Observou-se que há quadros
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 29 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6impressos com desenhos/instruções de execução e inspeção dos trabalhostécnicos da produção.Quanto à automação, observou-se a utilização de equipamento para cortea laser das chapas de aço, guindastes para a realização de transportes decargas suspensas nos galpões e análise de nuvem de pontos (Scanner dasestruturas metálicas em três dimensões). Este ponto reforça que o foco daautomação parece estar nas atividades produtivas.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoriaa) Há uma disposição física do trabalho que ajuda a integração das atividades, diminui o deslocamento das equipes e possibilita uma maior produtividade no trabalho de montagem e construção dos módulos.b) Outro ponto forte é a existência de procedimentos de movimentação de material, com áreas definidas para descarga de chapas e outros materiais pesados, além do amplo uso de gruas, guindastes e equipamentos de içamento similares como apoio.c) A ação diária da programação e o seqüenciamento das atividades serem apresentados aos operários é uma boa prática utilizada no chão de fábrica. Além disto, eles recebem folhas tarefa referentes a essas atividades. E existem desenhos e instruções de trabalho à disposição deles.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 30 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6d) No que se refere à SMS, foi possível observar ampla sinalização relacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde e limpeza do local. No entanto, percebeu-se que diversas sinalizações de SMS estão em mau estado de conservação.e) Outro ponto negativo é o mau estado de conservação ou inadequação das instalações dos galpões (iluminação, sinalização, pintura, limpeza, acabamento, instalações elétricas, drenagem, etc.), que demandam melhoria significativa.f) Existe um Programa de Auto-avaliação do Ambiente de Trabalho, que é uma boa prática. Porém, não houve indicações de que o programa esteja em pleno funcionamento.Proposição de Melhoriasa) Revisão e atualização da sinalização relacionada a SMS.b) Revisão e foco no Programa de Auto-avaliação do Ambiente de Trabalho.c) Criação de local adequado para descanso dos trabalhadores, próximo ao local de trabalho.d) Criação de um plano para execução de reformas das instalações dos galpões e áreas adjacentes (pintura, limpeza, acabamento, iluminação, sinalização, instalações elétricas, drenagem, etc).
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 31 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroA governança dos projetos existentes é realizada de forma conjunta entreos parceiros do empreendimento, que formam um Consórcio. Aorganização tem um Diretor do Projeto e alguns gerentes de projetos quese reportam a ele, configurando uma estrutura de gerenciamento, que sealinha ao conceito de “gerenciamento de programas”. Foto 11 – Vista panorâmica do estaleiro, destacando-se os equipamentos de movimentação de cargasUm dos aspectos mais relevantes quanto às condições do estaleiro é a sualocalização. Além de se encontrar em área abrigada, fica geograficamentepróximo aos principais centros de fornecimento de insumos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 32 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foi observada a existência de uma cultura que visa obter competênciasem sistemas de gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos.Esse comportamento é materializado pela busca de certificações com aISO 9001 e a ISO 14001, além de prêmios de excelência emgerenciamento de projetos do setor de Óleo e Gás.No entanto, essa busca por competência em gestão parece ter sua origeme foco principal no Consórcio e não no Estaleiro. Isso pôde ser observadodurante a entrevista, durante a qual foi informado que os processos deplanejamento e controle do Estaleiro não estão alinhados a nenhummodelo ou padrão de gerenciamento de projetos reconhecido pelomercado, como o PMBOK/PMI. No entanto, o Consórcio considera o citadomodelo em suas práticas, o que pode indicar um desalinhamento entre aspráticas de planejamento e controle do projeto em seu nível mais alto(nível de programa - Consórcio) com as práticas de gerenciamento do dia-a-dia do projeto (Estaleiro).Quanto ao processo de planejamento e controle, pode ser considerado quesua origem está em um momento anterior a entrada na concorrêncialicitatória. Dessa forma, é feita uma avaliação da capacidade de oestaleiro implantar o projeto, tendo em vista os projetos em andamento eo tempo de ocupação dos seus estoques e das oficinas de transformação.Essa avaliação é feita através da análise do cronograma geral dos projetosem andamento, seguido de um planejamento de ocupação do estaleiro,considerando o impacto do novo projeto. O planejamento de ocupação éfeito com o auxílio do software AutoCAD.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 33 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Durante o processo de licitação, o Estaleiro, com base nas informaçõessobre as características gerais do empreendimento, tais como, tipo deestação de E&P, capacidade de produção, módulos de processamento,entre outros, faz um primeiro dimensionamento dos recursos e custos defabricação e montagem. A orçamentação para a proposta é feita com baseem valores competitivos. Caso ganhe a licitação, ela buscará meios detornar os custos e o desempenho factíveis, conforme as estimativas daproposta. Os projetos básico e detalhado serão conduzidos pelasempresas membros do Consórcio, sendo o Estaleiro responsável por esteúltimo.A estratégia de planejamento/execução do projeto é baseada no conceitode engenharia simultânea, sendo esta orientada a partir dos entregáveisou produtos do projeto. Foto 12 – Operários preparando superfície de bloco soldado para pintura in loco
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 34 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Dessa forma, não há fases ou etapas definidas durante a execução, ouseja, não há dependência do tipo “terminar para iniciar” (finish to start)entre as principais entregas/produtos. As dependências se enquadrammais adequadamente no conceito de “iniciar para iniciar+ atraso” (start tostart+lag), ou seja, as atividades de aquisição/suprimentos não se iniciamapós o término completo das atividades de engenharia e sim após umaparte das atividades de engenharia estar pronta.Essa visão se aplica também à função de construção, no que se refere àsfunções que as precedem e as funções hierarquicamente menosexpressivas dentro do processo de construção. Foto 13 – Spools dispostos no canteiro para serem aplicados nas embarcaçõesIsso foi observado não apenas através de entrevista, mas também atravésda EAP (Estrutura Analítica do Projeto) mostrada. Na EAP, foramverificadas entregas como “Engenharia”, “Montagem”, “Aquisição”, etc.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 35 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A área de Planejamento do Estaleiro é uma das responsáveis pela funçãogerenciamento do projeto (cronograma/tempo, orçamento/custo, RH,aquisições, qualidade e refinamento do escopo). Para tal, ela interagecontinuamente com todas as demais áreas envolvidas, de modo que oprojeto seja concluído dentro do prazo, atendendo às expectativas dosclientes.O reporte é feito pelas equipes da produção. Nesse caso, os planejadoresvão a campo coletar pessoalmente as informações sobre o status dasatividades, para então atualizar o andamento do projeto no sistema deinformação de gerenciamento de projetos. A partir de então, o planejadoé comparado ao executado. Para que os atrasos sejam revertidos, sãofeitas reuniões semanais sobre a situação do projeto e os índices deatraso, com a emissão de relatório com ações a serem realizadas. Foto 14 – Liberação de plataforma recém concluída no estaleiro
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 36 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Sobre a utilização de sistemas de informação (softwares) paragerenciamento de projetos, observou-se o uso do Excel, do Primavera edo MS-Project, sendo este último requisito do cliente. Além destessoftwares, há utilização de outros sistemas próprios para a realização doscontroles de custo e financeiro.Foi comentado que as lições aprendidas de empreendimentos anterioressão utilizadas como base para o planejamento dos novosempreendimentos.Foi dada ênfase nas carências de recursos humanos técnicos e deplanejamento. No entanto, não há uma política agressiva de retenção enem de contratação desses recursos. Isso é percebido pela saídaconstante de elementos críticos do projeto e a dificuldade derecrutamento de engenheiros trainee no mercado.Foi comentado, também, que há problemas diversos relacionados com osserviços prestados pelas subcontratadas, principalmente os relacionados àcarência de processos de gestão adequados, conforme narrativaapresentada.Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoriaa) Um ponto positivo é que o trabalho do projeto está representado através das principais entregas definidas em uma EAP (Estrutura
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 37 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Analítica do Projeto). Essa EAP é derivada da aplicação de engenharia simultânea no planejamento/execução do projeto.b) Foi observada no Consórcio a existência de uma cultura que visa obter competências em sistemas de gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos. Pode-se esperar que os benefícios oriundos desta cultura permeiem para o Estaleiro.c) Uma oportunidade de melhoria verificada é a adoção de uma política agressiva de retenção e de contratação de recursos humanos.d) Outra oportunidade de melhoria observada é a redução do significativo retrabalho e desperdício de recursos, causado pelo grau de incerteza do planejamento inicial.e) Outra oportunidade de melhoria está relacionada ao nível inadequado dos serviços prestados pelas subcontratadas.Proposição de Melhoriasa) Elaborar um plano de treinamento em gerenciamento de projetos paratodos os gerentes de projetos e demais envolvidos.b) Elaborar um plano para o desenvolvimento e implantação demetodologia padrão de gerenciamento de projetos (alinhada cominiciativas similares do Consórcio).
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 38 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6c) Projetar um banco de dados com o registro das experiências e ohistórico de projetos correntes e encerrados, com informações tais como:retorno do investimento, planos de projeto, satisfação do cliente, desviosde cronograma, análise de riscos, problemas/soluções, etc.d) Aperfeiçoar a utilização de indicadores/métricas para o monitoramentoe melhoria contínua da execução dos projetos, tais como: nível dequalidade do serviço de contratadas, nível de satisfação do cliente e nívelde satisfação das equipes.e) Definir e implantar uma nova política de retenção e contratação derecursos humanos.f) Criar uma equipe de trabalho, formada por profissionais internos,complementados com o apoio de consultoria externa, com o objetivo derevisar e propor melhorias no processo de planejamento, enfatizando oplanejamento inicial.As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMS
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 39 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Há uma constante integração da área de SMS com todas as demais áreasenvolvidas nos projetos.A filosofia da organização quanto a essa questão é a do bem-estar eintegridade de seus funcionários e da comunidade. Para isso, foidesenvolvido sistema de gestão para gerenciamento integrado dos riscose das ações preventivas e de emergência em Segurança, Saúde e MeioAmbiente.O Sistema de Gestão Integrada em SSMA tem como missão desenvolveratividades de maneira segura, adotando medidas apropriadas à natureza,escala e impactos, para preservar e proteger o meio ambiente, seupatrimônio e a saúde de todos os que possam ser direta ou indiretamenteafetados por suas atividades.Para se atingir o grau de excelência necessário, há a busca daconscientização da força de trabalho quanto à prevenção de acidentesdentro dos seus processos e instalações industriais e quanto à ampliaçãoda preocupação com o Meio Ambiente.Para isso, são promovidas palestras, cursos, diálogos diários deSegurança, campanhas educativas e são mantidas condições seguras nosambientes de trabalho.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 40 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 b) Suprimentosdentre outros, gerando incremento de carga gerencial, retrabalhosignificativo das equipes, potencial de conflitos e prejuízo financeiro. c) RiscosPercebeu-se que não há planejamento e controle sistemático de riscos doprojeto, conforme sugerido pelas boas práticas de organizações como PMI,IPMA e CII. No entanto, a análise de risco é feita de forma isolada, comfoco apenas nas entregas específicas (“grandes entregas”). d) CustosO controle de custos é realizado em reuniões regulares, em que sãodiscutidos os níveis de tolerância dos desvios de custos, as medidas paracontenção de gastos ou de eventuais correções no projeto.Observou-se que a coleta de dados de custo se dá de maneira nãoautomatizada, sendo realizada através da verificação in loco comapontamento manual. A partir de tal sistemática, o planejador buscarátirar suas conclusões sobre eventuais desvios observados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 41 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Oportunidades de Melhoriasa) Implantação pelo estaleiro de um planejamento detalhado dasatividades de engenharia, possibilitando, desta maneira, um melhorgerenciamento de suprimentos.b) Implantação pelo estaleiro das boas práticas de planejamento econtrole de riscos do projeto preconizadas por organizações como PMI,IPMA e CII.c) Verificação da possibilidade de implantação da automatização daanálise e coleta dos dados de custo.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 42 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro B Resultados sumarizados.........................................................43 Organização e Condições Físicas do Canteiro .........................45 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 45 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria............................ 51 Proposição de Melhorias ..............................................................................54 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho ...................56 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 56 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria............................ 58 Proposição de Melhorias ..............................................................................59 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .......17 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 59 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 60 Proposição de Melhorias ..............................................................................61 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro ...61 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 61 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 63 Proposição de Melhorias ..............................................................................63 Controle dos Estoques do Canteiro .........................................64 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 64 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 68 Proposição de Melhorias ..............................................................................69 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro ...........69 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 69 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 70 Proposição de Melhorias.........................................................73 O Planejamento e o Controle do Empreendimento .................74 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 74 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria .......................... 75 Proposição de Melhorias ..............................................................................77 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ..............................................................................77 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 77 Oportunidades de Melhorias .........................................................................81
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 43 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são:• Há forte preocupação com a conscientização de segurança;• O planejamento e o seqüenciamento das atividades, associado àsqualificações, inclusive quanto à experiência das equipes técnicasenvolvidas, são importantes para o sucesso do empreendimento;• O empreendimento encontra-se em processo de modernização eampliação de suas instalações, visando atender às demandas futuras, coma máxima versatilidade na produção;• Existe uma cultura na organização que visa obter a melhoriacontínua, comprovada pelas diversas certificações obtidas, tais como ISO9001, ISO 14001 e OHSAS18001;• O empreendimento desenvolveu sistema eletrônico de gestão dosprocessos, estoques e planejamento das atividades, de modo a melhorcontrolar as tarefas e cronogramas em tempo real;• Foi percebida a existência de boas práticas na gestão da cadeia defornecedores;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 44 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• O empreendimento adota técnicas de modularização econstrutibilidade no planejamento das atividades de construção emontagem, com o envolvimento das áreas específicas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 45 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO canteiro possui boas condições de organização e limpeza, com áreas detrabalho bem definidas, adequadamente isoladas e sinalizadas,principalmente quanto às questões de SMS. A área de trabalho possuiaproximadamente 40.000m2; e está em processo de ampliação, queocorrerá brevemente com a demolição de algumas edificações, dentre asquais o prédio do vestiário dos trabalhadores.Em função das naturais restrições existentes no local (visto que o estaleiroé margeado, por um lado, por rodovia com grande fluxo de veículos e, poroutro lado, por canal de navegação com baixo calado), oempreendimento, até mesmo pela experiência adquirida em projetosanteriores, está se especializando na construção de módulos deplataformas e navios, sendo o peso limitado à capacidade das barcaças detransporte e do calado no momento do load out. Por ocasião da visita aocanteiro, o peso máximo dos módulos, em número de sete, nãoultrapassava 1.600 toneladas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 46 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 1: Imagem do empreendimento e de suas limitações físicasNa imagem, destacam-se as limitações territoriais existentes no entornodo empreendimento, acarretando na necessidade de definição dasvocações, quanto às atividades produtivas que estão sendo conduzidaspara a fabricação e montagem de módulos, ou estruturas modulares, deplataformas e navios. Esta atitude facilita, não só a própria fabricação emontagem, como também o embarque em barcaças para a entrega doproduto final.O canal que margeia o empreendimento pelo lado sul/sudeste não éprofundo, limitando assim a capacidade de embarques, razão pela qual opeso das estruturas fabricadas passa a ser preponderante.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 47 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 2- Vista parcial da área de construção e montagem dos módulos, no canteiro.Pela fotografia, observam-se coberturas móveis sobre partes dos módulos– pancakes – durante a fase de soldagem das estruturas. As coberturaspossibilitam que o estaleiro consiga realizar essa atividade crítica (solda)com a menor interferência possível das condições climáticas adversas,principalmente de chuvas. Depois de realizada essa etapa dos serviços, ascoberturas são ampliadas, para a continuidade de outras tarefas, ou sãoremovidas, caso não sejam mais necessárias.As atividades operacionais são conduzidas por equipes técnicas distintas,a menos aquelas que atendem a todos os projetos, como as desuprimento, manutenção e SMS. Há uma estreita relação entre todas asequipes, com reuniões diárias na parte da manhã, antes do início dasatividades. Além dessas, há reuniões de planejamento principalmente dasatividades mais críticas, como as envolvendo a movimentação de cargas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 48 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Essa maior proximidade ocorre também com a disponibilidade dasmáquinas e equipamentos, de modo a otimizar o seu emprego.Foi observada especial atenção aos aspectos de SMS, por parte daadministração do canteiro. Isso pode ser comprovado pelo envolvimentoda equipe em todas as atividades, inclusive nas críticas; e também pelasvisitas realizadas semanalmente por todos os gerentes, quando então sãoavaliadas as questões de SMS e feitas abordagens aos empregados. Foto 3- Vista parcial da área de fabricação e montagem, tendo em primeiro plano a cobertura da montagem e equipamentos de elevação do canteiro.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 49 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 4- Posto de trabalho no interior de pipeshop.Os postos de trabalho ficam próximos aos locais de aplicação dos produtose são providos dos equipamentos e ferramentas necessárias à realizaçãodas atividades, destacando-se ainda o baixo emprego de equipamentosautomáticos. Foto 5 - Vista parcial da iluminação dos galpões.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 50 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6De maneira geral, o “chão de fábrica” poderia ser mais bem iluminado,bastando que se fizesse melhor aproveitamento da iluminação zenital,através da inserção de telhas translúcidas intercaladas na cobertura.Várias soluções podem ser adotadas, como o "shed", ainda hoje utilizadoem galpões e fábricas, por exemplo. Tal solução, dada a incidência maisintensa da luz natural sobre superfícies inclinadas ou horizontais, permitea obtenção de uma iluminação interior uniforme. Esse resultado é obtidoatravés de aberturas proporcionalmente menores do que aquelas situadasnas fachadas; a solução favorece ainda a ventilação e o fluxo de ar nointerior da edificação. Foto 6 - Vista de um dos muitos locais de trabalho no prédio de administração.A área de escritórios do canteiro apresenta-se bem organizada e sãoutilizados módulos funcionais para os funcionários técnicos eadministrativos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 51 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) O estaleiro apresenta um bom grau de maturidade em relação às questões de SMS, contando com estrutura de pessoal capacitada, tendo em seu comando um gerente de SMS, subordinado ao gerente do empreendimento. b) Foram observados cartazes exaltando a importância da organização, limpeza e preservação do ambiente de trabalho, além da divulgação de programas específicos de melhoria das condições de trabalho. c) É utilizado rádio (hand talkie) para a comunicação entre as equipes, que são disponibilizados aos responsáveis pelas mesmas. Além disto, os responsáveis pela execução das atividades críticas também possuem os rádios e, assim, são orientados por seus supervisores e se comunicam com eles continuamente. d) Foram observados soldadores e lixadores em posição ergonômica inconveniente, em função de várias razões, dentre as quais a posição das peças em relação aos empregados. O suporte utilizado para a realização não permitia melhor disposição para a realização do trabalho. Ou seja, o trabalhador se adaptava à disposição da peça a ser trabalhada, em vez de a peça estar numa posição melhor adaptada ao trabalho.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 52 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 7 - Vista da cobertura provisória empregada durante a soldagem dos pancakes.e) A opção do empreendimento por essas coberturas provisórias, empregadas em vários outros estaleiros, deve-se ao fato de serem facilmente removíveis e também por protegerem os trabalhadores durante a execução de suas tarefas, principalmente nas atividades de solda e pintura, no caso em que as condições climáticas adversas passem a ser impeditivas à continuidade das tarefas.f) Há áreas de armazenamento de materiais específicas, no interior de edificações ou ao ar livre. Como há produtos ou insumos importados, existe área alfandegada.g) As características das proteções físicas aplicadas dependem do tempo de armazenamento dos materiais e das características dos mesmos. Os produtos que serão aplicados de imediato ficam depositados próximos aos locais de aplicação. Desta forma,
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 53 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 consegue-se reduzir o transporte destes materiais e aumentar a produtividade.h) Antes de qualquer movimentação de materiais, são feitos estudos, podendo ser elaborados planos de rigging, todas as vezes em que as cargas tenham peso igual ou superior a 50 toneladas, geometrias especiais ou centros de gravidade que possam por em risco a movimentação das cargas.i) A localização do prédio administrativo próximo ao canteiro de obras diminui o deslocamento de funcionários pelo site da empresa, facilitando a supervisão. Além disto, proporciona uma maior integração entre o planejamento, a engenharia e a execução do empreendimento. Foto 8 - Prédio administrativo.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 54 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) A situação mais confortável, no caso específico de movimentação de cargas, é aquela em que o manuseio e o transporte aconteçam a baixas alturas e, preferencialmente, em veículos de transporte, como exemplificado na foto 9 (não encontrado no estaleiro): Foto 9 – Exemplificação de equipamento de movimentação de cargas a baixa altura, reduzindo os riscos quanto às questões de SMS b) Outra questão que surge é a que trata dos processos de comunicação entre os membros das várias equipes, principalmente de produção. Quase sempre os equipamentos de comunicação ficam com os responsáveis pelas equipes, encarregados ou engenheiros, cabendo a esses a responsabilidade de replicar as informações e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 55 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 comandos. No entanto, em atividades críticas, nem sempre a velocidade de comunicação se dá de acordo com a necessidade;c) Em função das condições ambientais, destacam-se elevados níveis de ruído nas áreas, que deixam o processo de comunicação prejudicado. Em vista disso, pode-se estudar a possibilidade de o pessoal envolvido na atividade possuir um sistema de comunicação que permita um melhor acompanhamento, através de fones de ouvido, por exemplo, das orientações estabelecidas.d) Realização de estudos pela engenharia industrial, visando à otimização das condições de soldagem, através da utilização de gabaritos. Com isto, será melhorada a ergonomia e aumentada a produtividade.e) Elaboração de projetos de engenharia para aperfeiçoar, principalmente, o nível de iluminamento dos galpões que apresentem condições deficientes de iluminação natural.f) Tendo em vista a preocupação evidente da administração com as condições de SMS, torna-se válido programar auditorias para que as boas condições encontradas sejam mantidas e aprimoradas, dando prioridade para a melhoria contínua.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 56 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroFoi observado, durante a visita, que os postos de trabalho estãoorganizados em torno dos módulos. No entanto, nem sempre estãoposicionados de forma a reduzir as distâncias de deslocamento dosoperários e de fluxo de materiais. Como exemplo, os operários queprecisarem recorrer ao almoxarifado para buscar peças de um móduloterão que se deslocar por um percurso razoável para cumprir essa tarefa.As ordens de serviço geradas pelo sistema técnico informatizado,desenvolvido pelo empreendimento, apresentam os desenhos técnicos,isométricos e programação das atividades. Contudo, esses documentosestão disponibilizados apenas no nível de supervisão. Nos postos detrabalho, tais documentos não são utilizados pelos trabalhadores nomomento da execução da atividade.É dada grande importância ao planejamento e sequenciamento dasatividades, para evitar conflitos entre as áreas. Procura-se fazer com queas atividades transcorram dentro de uma sequência lógica de construção emontagem. A programação e o sequenciamento são uma das boaspráticas analisadas na visita. Foi enfatizado que a competência dosprofissionais envolvidos nas tarefas de programação e sequenciamento éfator primordial para a execução dos trabalhos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 57 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Em geral, como já evidenciado no tópico anterior, as condições de SMS docanteiro são boas. Porém, a ergonomia, sob certos aspectos, precisa seraprimorada, sempre que possível, pois o trabalhador, muitas vezes, temque se posicionar de forma inadequada para realizar atividades de pinturae soldagem. Este aspecto passa a ser relevante na medida em que, se forresolvido, pode aumentar os níveis de produtividade.Todavia, nem sempre é possível fazer esses ajustes, razão pela qual setorna válido estudar a possibilidade de períodos de descanso entre astarefas e mesmo a implantação de ginástica laboral ou postural, queapresenta bons resultados em atividades estressantes.Existe uma grande quantidade de cartazes e sinalizações de SMS dentrodos módulos em construção, demonstrando a preocupação dos gestorescom as condições de trabalho dos funcionários.Os trabalhadores estão treinados para só executar o seu trabalho deposse da "ordem de serviço", que define com exatidão a tarefa a sercumprida naquele dia. Anexo ao documento há instruções sobre operaçõesespecíficas, tais como, soldagem das chapas, identificação de nãoconformidades, condicionamento das peças, deslocamento das mesmasetc.. Como o empreendimento desenvolveu sistema eletrônico de gestão,pode-se alimentá-lo com informações e dados relativos à SMS; a fim deque, ao se planejar cada tarefa, já se possa ter a análise dos riscos e aemissão das ordens de serviços, contemplando as ações necessárias. Damesma forma que o sistema, com a leitura de códigos de barraacrescentados a etiquetas presas nos locais de serviços e nos insumos,apropria a quantidade de homens-hora das atividades e do progresso
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 58 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6físico, informação essa que é empregada no controle dos cronogramasfísico-financeiros.A utilização de andaimes é programada para que exista uma sequêncialógica de utilização, evitando-se interferências de uma área na outra;portanto, cada uma utiliza a estrutura por vez. Essa atividade écompartilhada com todas as demais.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria e) O layout do canteiro apresenta uma organização lógica dos postos de trabalho em torno dos módulos. f) As ordens de serviço apresentam os documentos necessários para a execução das mesmas. g) Importância dada para a programação e execução das ordens de fabricação, aliada à competência dos profissionais envolvidos nas tarefas de programação e sequenciamento. h) Programação da utilização dos andaimes para se evitar interferências nas diversas atividades. i) Utilização de recursos modernos para apropriação do hh despendido nas tarefas e para avaliação do progresso físico da obra.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 59 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) Quando for decidido o posicionamento de postos de trabalho em torno dos módulos, avaliar a possibilidade de minimização dos deslocamentos dos materiais e operários; b) Intensificar, sempre que possível, a utilização das ordens de fabricação pelos funcionários nos postos de trabalho; c) Realizar estudos para melhorar, dentro das limitações existentes, as condições ergonômicas nos postos de trabalho; d) Aprimorar a utilização de gabaritos para a soldagem de peças e tubulações, privilegiando condições de melhor ergonomia e produtividade.Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroA movimentação de pequenas cargas é realizada através de pequenoscarros manuais exclusivos para isto. Foi observada a existência de umapaleteira automática para deslocamento dos estrados. Nos galpões defabricação, a movimentação é realizada por pontes de carga específicaspara tal operação.A partir da área de descarregamento de materiais, há pelo menos trêsguindastes móveis para deslocamento de cargas pesadas até o ponto decolocação nos módulos. Não foram identificados guindastes fixos. Para a
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 60 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6operação de fixação das peças aos guindastes, são necessários pelomenos três homens encarregados de fixar as presilhas na peça. Não foramencontradas inconsistências nesta operação, quer do ponto de vistaergonômico ou de SMS.Todos os transportes de cargas possuem sinalizadores para preveniracidentes com os operários no canteiro. Da mesma forma, os guindastes,ao içarem alguma carga, fazem essa operação dentro dos cuidadosnecessários, demonstrando a preocupação da administração com SMS eevidenciando a preparação adequada dos profissionais especializados naoperação.No canteiro, são utilizados pequenos guindastes, dentro dos módulos,para que o trabalhador possa alcançar pontos mais altos, para transportede materiais ou execução de tarefas.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Boas condições de transporte e movimentação, com um número adequado de guindastes móveis, caminhões-aranha e empilhadeiras, facilitando a locomoção de peças, materiais e equipamentos. b) O armazenamento de materiais se dá prioritariamente próximo aos locais de destino, reduzindo os tempos de transporte dos materiais. Ou seja, é dada atenção ao aumento da produtividade e à minimização dos deslocamentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 61 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) As condições de movimentação de cargas no canteiro se apresentam em boas condições, não tendo sido verificadas oportunidades de melhorias que merecessem ser enumeradas no presente relatório. b) Deve-se considerar, entretanto, que há sensível aumento da produtividade, quando o tempo de movimentação de materiais se limita, basicamente, à remoção dos locais de fabricação para os locais de aplicação, evitando-se paradas intermediárias. Assim, devem-se repensar os processos de fabricação principalmente quanto às questões de modularização.Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroCom relação às máquinas e ferramentas, foi observado que o estaleiroutiliza máquinas semi-automáticas para a realização das atividades,gerando maior produtividade na execução. Há um galpão destinado àfabricação de pipe spools onde estão concentradas as atividades defabricação das tubulações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 62 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A organização utiliza a tecnologia de RFID para identificação de peçasconsideradas importantes para o projeto.Existe um sistema bastante eficaz de gerenciamento da documentaçãoutilizada no empreendimento. Desta forma, garante-se que não sejamutilizados desenhos e especificações defasados. Além disto, há omonitoramento e armazenamento das certificações dos materiais eprodução dos subsistemas e sistemas pelo software de gerenciamento doprojeto, garantindo assim a rastreabilidade não só dos materiais comotambém de sua fabricação.O planejamento para corte e aproveitamento de materiais é desenvolvidopor software do próprio empreendimento. Através desse programa sãoemitidas as ordens de produção. Por meio desse sistema, inserem-se osregistros, documentos e certificados de todas as peças componentes dosmódulos, com a geração de relatórios gerenciais. Há também sistemas decontrole de custos, permitindo que os custos sejam alocados diretamentepara as ordens de produção. Por meio do software, que aceita a inserçãode dados digitados pela equipe e lidos em scanners, tem-se condições deidentificar, em tempo real, a localização do item no canteiro de obras, oprazo para sua aplicação e todos os custos envolvidos em sua fabricação.Para a entrada e saída de materiais, é feito o cadastro no sistema. A partirdesse momento, e com base nas informações lançadas, pode-se traçar atrajetória desde a fabricação do produto por terceiros até sua aplicaçãofinal, incluindo a documentação pertinente. Apenas quando a atividadeestiver na programação diária é que a peça ou componente poderá serretirada do almoxarifado.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 63 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Sistema de gerenciamento do empreendimento centralizado, abrangente e robusto. Desta forma, torna-se possível exercer um controle total em relação a prazos, custos e qualidade e à integração entre os setores envolvidos. b) Existem planos de manutenção para as máquinas e equipamentos que se apresentam em boas condições de utilização.Proposição de Melhorias d) Criação de um plano diretor de automatização para o estaleiro, permitindo que a boa situação atual em relação à automação e utilização de sistemas de apoio seja mantida e atualizada, com foco em outras áreas além da fabricação; e) Intensificação da utilização da automação na área de corte e solda.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 64 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroEm relação ao controle dos estoques do canteiro, foi possível avaliar que aestocagem de materiais é uma boa prática realizada pela organização.Existe um bom controle dos materiais, permitindo a rastreabilidade. Omaterial é preservado e identificado através de etiquetas de identificação.Os materiais são acondicionados em boas condições de armazenamento edispostos dentro das boas práticas prescritas. Foto 10- Estocagem de materiais.Foi percebido pelos pesquisadores durante a visita que há procedimentos,técnicas e rotinas que buscam evitar problemas de perda da qualidade dapeça, motivada, por exemplo, pela oxidação, umidade e corrosão. As
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 65 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6peças se encontram sobre cavaletes de madeira, impedindo seu contatocom o chão. A armazenagem de spools, tubos de grandes diâmetros,vigas e estruturas prontas para a montagem é realizada a céu aberto. Osspools são protegidos por tampões durante todo o tempo de estocagem.Caso haja chuva, os tubos são cobertos com lonas para evitar corrosão. Foto 11- Estocagem de materiais sobre pallets.As peças, após serem cadastradas e anexadas à documentação deinspeções, certificações de qualidade e ensaios realizados, podem serliberadas para aplicação. Com isso, cada peça é codificada dentro dosoftware da empresa. Os responsáveis pelos almoxarifados devem seguira programação diária expedida pelo programa. Assim, devem estar emcontato constante com a equipe de planejamento e controle, informando oque foi realizado e mantendo o planejamento e controle atualizado emrelação ao andamento dos materiais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 66 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Existem cartazes explicando as boas práticas de SMS e o fato de osmateriais perigosos estarem segregados em locais restritos e tambémcartazes informativos sobre as condições de manuseio e armazenamento. Foto 12 - Estocagem de cilindros de gases industriais.Os materiais prontos para a montagem são armazenados de maneirasuscetível à ação do tempo. Cada peça possui um TAG de identificação,identificado no sistema de planejamento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 67 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 13- Vista geral da área de montagem com estocagem de peças.Existe uma segregação de materiais, peças e conjuntos por projeto. Foiobservado que existem almoxarifados próprios para cada projeto emexecução.Foi verificado, durante a visita, que o armazenamento de materiais aserem montados é feito no local de destino. Assim, é possível umaantecipação e aproveitamento de recursos para o transporte dessas peçasaté o local desejado.O estaleiro utiliza boas práticas de gerenciamento da cadeia defornecedores, existindo integração com os fornecedores. Foi possívelobservar esta integração através do software de gerenciamento doempreendimento. Existem procedimentos de diligenciamento dentro dasinstalações dos fornecedores.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 68 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Como já relatado, o estaleiro utiliza a tecnologia RFID para localizar peçasconsideradas importantes para o projeto. Foto 14 - Peças identificadas por meio de etiquetas especiais.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoria a) O estaleiro possui procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro, estejam esses estoques em almoxarifados cobertos ou ao ar livre. b) A integração da área de almoxarifados com o planejamento e controle é de bom nível e os métodos utilizados garantem que os materiais serão utilizados dentro da programação prescrita, minimizando a possibilidade de erros na entrega.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 69 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 c) Os materiais são segregados por projetos e estão devidamente identificados. d) Existe uma boa integração entre os fornecedores e as áreas envolvidas, devido à utilização do sistema de gerenciamento do empreendimento.Proposição de Melhorias a) Avaliar e estender a utilização da tecnologia RFID para a identificação de todos os itens em estoque e não apenas para os considerados mais importantes. b) Realizar treinamento de pessoal de modo a reforçar a aplicação dos procedimentos de identificação e de controle e estocagem de materiais.Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO empreendimento dá grande importância ao planejamento esequenciamento das atividades, de modo a não existir conflitos entreáreas. O planejamento procura fazer com que as atividades ocorram emuma sequência lógica de construção e montagem. Foi enfatizado, durante
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 70 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6a visita, que um dos fatores para o bom planejamento e sequenciamentodas atividades é que o pessoal envolvido nessas atividades tem um altonível de conhecimento do trabalho. Todos têm muito tempo de trabalhona área naval, com os postos de trabalho organizados em torno dosmódulos.Em geral, as condições de SMS no canteiro são boas, existindo umnúmero adequado de sinalizações relativas a instruções de SMS. Osoperários usam uniformes e os EPIs necessários para a execução dasdiversas tarefas.As máquinas estão em bom estado de conservação, são identificadasatravés de códigos e etiquetas e possuem instruções de segurança,conservação e utilização.Para facilitar as condições de racionalidade do trabalho, os materiais sãoarmazenados dentro do galpão de fabricação, reduzindo a necessidade detransporte de cargas, em função da proximidade com o local de trabalho.Foi observada a existência de procedimentos de movimentação dematerial. Há áreas definidas para entrada e saída de caminhões, paradescarga de chapas e outros materiais pesados.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) A disposição física do trabalho ajuda a integração das atividades, diminuindo o deslocamento das equipes e possibilitando uma maior
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 71 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 produtividade no trabalho de montagem e construção dos módulos. No entanto, estas distâncias de deslocamento podem ser melhoradas, especificamente em relação ao almoxarifado de ferramentas, que está situado distante dos postos de trabalho.b) Um ponto forte observado é a existência de uma linha de produção de tubulação para atender todos os projetos no canteiro. Desta forma, consegue-se reunir todos os recursos necessários em um mesmo lugar, facilitando essa gestão em termos de monitoramento e controle.c) A integração com os fornecedores é outro ponto forte, já as possibilidades de faltas de materiais podem ser minimizadas.d) Um detalhe que pode ser considerado como uma boa prática foi a existência de uma programação para utilização de andaimes. Nesta ocasião, é tomado o cuidado de definir uma sequência lógica para a utilização, de modo a não ocorrer interferências de uma área com outras.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 72 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 15 - Vista do galpão de fabricação.e) Pelas características das atividades ali desenvolvidas, os galpões industriais possuem elevado pé direito. Os sistemas e dispositivos de iluminação muitas vezes não conseguem atender aos níveis mínimos de iluminamento requeridos para as atividades, razão pela qual devem ser complementados com sistema específico.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 73 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 16 - Vista geral do chão de fábrica.Proposição de Melhorias a) Revisar e atualizar as condições ergonômicas de alguns postos de trabalho, procurando revisar as atuais condições existentes. Deve ser levado em consideração que alguns trabalhos são realizados em locais confinados e que nem sempre esta revisão será possível. b) Verificar as razões de a mão de obra direta não utilizar a documentação contida nas ordens de serviço; e avaliar as vantagens de estender sua utilização a esse pessoal. c) Criar plano para levar ao empreendimento as condições de manufatura enxuta, tendo o cuidado de reduzir as distâncias e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 74 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 intensificar a utilização de gabaritos. Esse estudo deve ter como área prioritária o pipe shop. d) Estudar a possibilidade de melhorar as condições de iluminação nos locais de trabalho que apresentam tal deficiência.O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroFoi observada, durante a visita e entrevistas realizadas, que a organizaçãoutiliza o conceito de melhoria contínua para processos e projetos. Existeuma cultura que busca a melhoria das competências em sistemas degestão de produção, operação e de projetos. A existência desta cultura écomprovada pelas certificações que a empresa possui, tais como ISO9001, ISO 14001, ISO 14100, OHSAS 18001, SA 8000, e diversosprêmios recebidos na área de projetos do setor de Óleo e Gás.Pode ser observado que o estaleiro está atento para a utilização das boaspráticas ditadas por organizações como o PMI e CII. O processo deplanejamento e controle é feito no sistema de gerenciamento do próprioempreendimento.Inicialmente é elaborado o Plano do Projeto, em que estão contidas asprincipais informações necessárias: prazos de execução, necessidades doprojeto e suas premissas, estratégias, responsabilidade social, escopo dosserviços, cronograma físico-financeiro, plano de comunicação, EAPcontratual, avanço físico, cronograma financeiro, plano de inspeção e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 75 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6teste, layout da empresa, logística de construção dos módulos, termo deabertura do projeto, procedimentos de construção, gerenciamento demudanças, pessoas com autonomia e poder de decisão no projeto e níveisde autonomia de cada pessoa. O planejamento inicial do projeto éexecutado a partir das informações do plano de projeto.A organização trabalha com EAP estruturada no mesmo nível de detalhedo cronograma. Desta forma, quando o cronograma é atualizado, a EAPtambém é atualizada. O estaleiro considera que o Cronograma é a EAPcom tempo e precedência.Todas as atividades têm sua programação e sequenciamento preparadasno software de gerenciamento do empreendimento. Portanto, cada pessoaé alocada de acordo com a tarefa realizada. O módulo de planejamento econtrole abrange todas as atividades, materiais, almoxarifados. Durante avisita, foi possível verificar que os profissionais que trabalham noplanejamento e controle são bem qualificados. Conhecem bem o sistemautilizado e são experientes em gerenciamento de projeto. O planejamentoé dividido em estratégico (macro) e operacional (dia-a-dia da execução).Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) Foi observada na organização a existência de uma cultura que visa obter competências em sistemas de gestão, sejam estes de produção, operação ou projetos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 76 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6b) O trabalho do projeto está representado através das principais entregas definidas em uma EAP (Estrutura Analítica do Projeto).c) Outra prática positiva é que o gerenciamento e a programação das atividades desenvolvidas pelas empresas terceirizadas são feitos pela organização. Assim, são evitadas interferências com outras atividades, controlando-se a segurança desses funcionários e atualizando as atividades do cronograma à medida que forem realizadas.d) Foi constatado que é comum a realização de reuniões de negociação do planejamento com as áreas envolvidas, definindo-se as atividades e evitando interferências entre áreas de construção e montagem.e) O empreendimento conhece e utiliza técnicas de modularização e, para isso, o planejamento das atividades referentes aos módulos é iniciado desde a concepção do projeto. Outra técnica utilizada é a de construtibilidade. Portanto, as áreas de construção e montagem participam do planejamento para decidir quais as sequências ideais, reduzindo tempo, custos e riscos na execução do empreendimento.f) O estaleiro possui um banco de dados referente ao histórico de projetos anteriores, para ser reutilizado no planejamento de projetos futuros. Em caso da necessidade de um replanejamento das atividades do empreendimento, é realizado um estudo completo identificando as atividades impactadas, recalculando a parte financeira impactada e analisando quais as novas necessidades de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 77 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 MOD, para realocação da MOD e apresentação dos custos do impacto.Proposição de Melhorias a) Elaborar um plano de treinamento em gerenciamento de projetos para todos os gerentes de projetos e demais envolvidos. b) Aperfeiçoar a utilização de indicadores/métricas para o monitoramento e melhoria contínua da execução dos projetos, tais como: nível de qualidade do serviço de contratadas, nível de satisfação do cliente e nível de satisfação das equipes.As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSO empreendimento está implantando indicadores pró-ativos. Há doismeses, foi desenvolvido o programa de segurança total, com a indicação,por parte dos trabalhadores, dos desvios ou condições abaixo do padrão.Essas observações são registradas em cartilha específica e entreguespelos profissionais para os técnicos de segurança do trabalho.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 78 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Uma campanha está sendo lançada para a força de trabalho, com oobjetivo de premiar as equipes que tenham melhores avaliações durante aaplicação de Listas de Verificação pelos profissionais de SMS. A referidalista contempla questões de Qualidade, Meio Ambiente, Saúde, Segurançae organização e Limpeza.O estabelecimento do planejamento das ações de SMS, o repasse dasinformações e a definição das responsabilidades são definidos peloempreendimento, através de várias fases. Antes do projeto, há o kickoffmeeting (reunião de abertura do projeto), com a apresentação, aosrepresentantes das várias disciplinas, das questões principais. Nessemomento, todos têm a oportunidade de apresentar as suas considerações.No início dos contratos, são realizadas avaliações, principalmente dospontos críticos que deverão ocorrer ao longo do contrato. Após essasavaliações, são tomadas as medidas necessárias de mobilização etreinamento do pessoal.A orientação e ou capacitação dos trabalhadores a respeito dos riscos deSMS ocorre a partir de treinamentos prévios (gerais e específicos) edisponibilização de procedimentos que compõem a gestão de SMS. Poruma questão contratual, as liberações dos serviços estavam sendo feitaspor APRs, mas passarão a ser feitas através de Permissões de Trabalho(PTs). As PTs terão validade de um ou dois dias, após o que deverão serrevalidadas.Quanto aos critérios definidos pelo empreendimento para a paralisaçãodas atividades, em função dos riscos que possam ameaçar ostrabalhadores ou o ambiente, o principal critério é o da avaliação do risco.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 79 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Se o risco for grave e iminente, é paralisada a atividade. Caso não o seja,deve ser feita a comunicação para o encarregado da área, a fim de seremtomadas as providências necessárias. Nesse caso, se persistirem assituações observadas, é feita a paralisação. Até hoje, por essas razões,não houve paralisação de atividades. Não há procedimentos específicos aesse respeito.As atividades que não se encontram dentro dos padrões esperadosterminam por prejudicar a avaliação das equipes, através da campanhacitada acima. Não foi encontrada, na análise dos documentosdisponibilizados, qualquer orientação ou forma de registro ou de controledessas paralisações. Apesar de existirem campanhas de relatos de desviosem curso, não se obteve nenhum documento de análise crítica dosresultados.As práticas adotadas nas inspeções ou avaliações do conjunto demáquinas, painéis e ferramentas são: inspeção dos acessórios deiçamento e movimentação de cargas pelas equipes de operação, com apresença de representantes de SMS (esses acessórios são identificadoscom a cor do mês); inspeções visuais diárias e aplicação de check-lists.Os planos de manutenção prevêem uma periodicidade compatível com ouso, desgaste e tipo de equipamento. As ferramentas não sãoidentificadas com a cor do mês. Assim, os trabalhadores são orientados adevolver as máquinas e ferramentas que apresentem problemas, sem queisso possa significar algum tipo de punição ou repreensão. Os profissionaisde SMS, em suas rondas, avaliam essas condições de segurança.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 80 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As condicionantes para que as frentes de serviço sejam mantidas limpas,organizadas, desimpedidas e sinalizadas se dão a partir de váriosprogramas, como:Segurança Total – estimula que os trabalhadores mantenham suas áreasde trabalho limpas e desimpedidas. Nesse programa, o estímulo é para otrabalhador. O bloco de anotações, fornecido ao trabalhador, possibilitaque ele possa anotar os desvios e as situações de risco, auxiliando osprofissionais de SMS;PLR – programa que gera estímulos, através do aumento dos ganhos dotrabalhador, para que esse adote posturas seguras e possa, com isso,incentivar seus colegas a adotarem posturas semelhantes;Show de Prêmios – programa recentemente lançado que adota a análisedo desempenho das equipes, para a premiação de todos. Neste programa,as equipes agem como times, em que um componente fiscaliza o outro,tudo com o objetivo de cometer a menor quantidade possível de desviose, assim, participar da premiação. Por trás de todas essas campanhas, háações de fiscalização e controle das áreas promovidas pelos profissionaisde SMS. b) SuprimentosA organização tem boas práticas de gestão de fornecedores. Existemmétodos, ferramentas, procedimentos que dão suporte a estas práticas.Existe uma boa interação entre Suprimentos e as demais áreas envolvidas
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 81 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6no empreendimento. Desta forma, é obtido um aperfeiçoamento dasaquisições, da seleção adequada de fornecedores, dentre outros etc.. c) RiscosDurante a visita e entrevistas realizadas, não foi possível perceber aexistência de um planejamento e controle sistemático de riscos doprojeto, conforme sugerido pelas boas práticas de organizações como PMI,IPMA e CII. Os riscos físicos são avaliados em reuniões semanais, comtodos os gerentes do empreendimento. Também semanalmente osgerentes visitam as frentes de serviços e passam a ter conhecimento dosproblemas ocorridos, inclusive relatados pelos empregados. d) CustosO controle de custos é realizado em reuniões regulares, em que sãodiscutidos os níveis de tolerância dos desvios de custos, as medidas paracontenção de gastos e as eventuais correções no projeto. A coleta dedados de custo se dá de maneira automatizada.Oportunidades de MelhoriasImplantação pelo estaleiro das boas práticas de planejamento e controlede riscos do projeto, preconizadas por organizações como PMI, IPMA eCII.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 82 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro C Resultados sumarizados.........................................................83 Organização e Condições Físicas do Canteiro .........................84 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 84 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria............................ 90 Proposição de Melhorias ..............................................................................90 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho ...................90 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 90 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria............................ 94 Proposição de Melhorias ..............................................................................94 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .......95 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 95 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 97 Proposição de Melhorias ..............................................................................97 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro ...98 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................... 98 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria ................................ 99 Proposição de Melhorias ..............................................................................99 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................100 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 100 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 104 Proposição de Melhorias ............................................................................ 104 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........105 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 105 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 107 Proposição de Melhorias.......................................................107 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............108 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 108 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 109 Proposição de Melhorias ............................................................................ 110 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................111
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 83 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 111 Oportunidades de Melhorias ....................................................................... 112Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • A organização está orientada para atender a produção atuando praticamente em regime de produção contínua de embarcações; • É realizado um planejamento baseado no gargalo da produção que é a carreira; • A organização estabelece parceria com empresa projetista para ganhos de tempo e recursos na construção de suas embarcações; • A carteira de projetos do estaleiro é sequenciada no tempo, de forma a definir os marcos de entrega em cada fase de contrução e montagem e a ocupação do canteiro ao longo desse tempo; • São realizadas medições semanais sobre desempenho da obra;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 84 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • A área de suprimentos possui um cronograma com as datas em que deverá receber os componentes e materiais dos fornecedores de acordo com a fase de construção e montagem das embarcações; • A organização estabelece reuniões regulares de alinhamento entre os responsáveis das áreas; • Existe um estoque central, no entanto os estoques intermediários são descentralizados, distribuídos em espaços pouco definidos pelo site.Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro possui uma área total de 60.000m2 de terreno, dos quais11.000m2 são edificados por galpões industriais e prédios de escritórios,vestiários e sanitários, refeitórios e outros. Possui uma carreira paraembarcações de até 3.000 toneladas, com dimensões de 100m x 23m.Nessa carreira há um guindaste de 60 toneladas de carga. Há dois cais deacabamento com capacidade para duas embarcações de até 100 metroscada. Nos mesmos há guindastes de 15 toneladas, para apoio emovimentação de cargas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 85 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 1- Vista geral do estaleiroO estaleiro foi reaberto há poucos anos, depois de longo períododesativado. A partir de então, a empresa tem investido gradativamente namodernização das suas instalações, seja através da expansão do canteiro,seja pela reforma ou construção de novas instalações. Dessa forma,observaram-se construções mais antigas, algumas reformadas e outrasainda em fase de construção. Um dos destaques é o da localizaçãogeográfica; se encontra próxima aos grandes centros e de seu principalcliente. Afora isso, contam com um fácil acesso ao mar através de baíaabrigada.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 86 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 2 - Vista geral do canteiro.O estaleiro está posicionado entre o mar e uma rodovia com grande fluxode veículos. Originalmente essas instalações eram empregadas para afabricação de embarcações de menor porte. Com o crescimento dacarteira de contratos e a demanda por embarcações maiores, foram feitasadaptações, de modo que hoje o empreendimento pode servir para aprodução de embarcações, módulos e equipamentos navais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 87 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 3 – Conclusão de fabricação de embarcação de apoio (suplly boat)Foto 4- Fabricação de embarcação na carreira com o apoio do guindaste de 60 toneladas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 88 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 5 - Montagem de peças.O estaleiro está em forte ritmo de atendimento à demanda. No entanto,foi observado que algumas áreas poderiam ser melhor aproveitadas. Foto 6 - Vista da carreira de montagem de embarcações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 89 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foto 7 – Montagem de proa de embarcação modularizada no próprio estaleiro. Foto 8 – Montagem das seções ou módulos da embarcação na carreira.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 90 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoriaO estaleiro recentemente reativado está implantando projetos demodernização e expansão das suas instalações para atender a demandacrescente por seus serviços e produtos. Contudo, algumas áreas docanteiro podem ter um melhor aproveitamento dentro do processoprodutivo através de um aperfeiçoamento do layout.Proposição de MelhoriasDentro do plano de modernização e expansão da capacidade do estaleiro,sugere-se um estudo de engenharia industrial para que o layout do chãode fábrica seja aprimorado, a fim de obter um melhor reaproveitamentode algumas áreas pouco exploradas pelo canteiro.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroOs postos de trabalho no canteiro, excluindo as áreas administrativas, sãobasicamente distribuídos entre as diversas oficinas, o almoxarifado, acarreira e o cais de acabamento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 91 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Na oficina de spools, o trabalhador possui um espaço restrito entre osestoques intermediários, a via de desembarque das peças e a sua mesade operação. A abertura lateral da oficina permite a entrada de luzsuficiente para a execução do seu trabalho, além disso, o trabalhador tema posse das ferramentas e dos equipamentos adequados. Foto 9 - Posto de trabalho com estocagem de tubos.Na oficina de perfis e sub-montagens, algumas atividades possuem mesapara tratamento térmico. Em algumas outras foi observado que aoperação de soldagem é feita ao nível do solo, sem apoio de mesas ououtros suportes.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 92 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 10 - Posto de trabalho de corte de peças com maçarico. Foto 11 - Montagem das vigas de reforço.A carreira contém o casco da embarcação, que é formado por módulos.Estes são fabricados em áreas periféricas à mesma e transportadosatravés de guindaste. Como o guindaste em uso é de 60ton, os módulosnão podem exceder esse peso, ou seja, o equipamento em uso limita o
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 93 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6peso da carga transportada. Desta maneira, podem ocorrer inúmerostransportes, o que dilata o tempo de montagem da embarcação. Atémesmo em função desse aspecto há muitas soldas in situ, nas quais ostrabalhadores executam suas tarefas em torno das grandes sub-montagens; eles ficam expostos a condições climáticas adversas,principalmente o calor, além das dificuldades ergonômicas, causadas pelaposição em que os mesmos muitas vezes assumem para realizar ospassos de soldagem. Nas atividades em espaços confinados a empresafornece sistema de ventilação/exaustão específico. Foto 12 - Montagem ao tempo.No almoxarifado, as atividades são concentradas sobretudo nostransportadores das cargas, nos quais os trabalhadores utilizamempilhadeiras ou carrinhos de propulsão humana.Dentro das embarcações há um grande número de trabalhadores numespaço limitado, realizando diferentes atividades com interferências
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 94 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6múltiplas entre elas. O intenso fluxo de trabalhadores nessa áreademanda maiores cuidados da equipe de SMS.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) O forro das oficinas permite aos trabalhadores realizarem suas atividades com nível de luminosidade adequado. Dentro das mesmas, há mesas sobre as quais é possível soldar chapas ou partes metálicas menores. No entanto, algumas peças são trabalhadas sobre o solo, dificultando a soldagem, ou criando condições ergonômicas desfavoráveis. b) Na área de spools, o volume de estoque dificulta o trânsito de trabalhadores e pode interferir na execução da atividade dos mesmos. c) Os trabalhadores estão devidamente equipados para realizarem suas atividades com segurança e qualidade, seja em espaço aberto ou confinado.Proposição de Melhorias a) Estudar a possibilidade de fabricação dos perfis sobre mesas ou suportes que permitam postura ergonomicamente mais adequada ao trabalhador.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 95 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 b) Realizar estudos para diminuir, quando possível, a exposição dos trabalhadores ao sol e chuva em algumas operações.Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroPara cada tipo de atividade torna-se necessário a utilização de um tipo detransporte. Nas oficinas, verificou-se a existência de pontes de carga paratranslado das peças nas fases de processamento. Foto 13 - Operação de transporte de peças.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 96 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6No cais, próximo às embarcações há um guindaste móvel empregado empequenas movimentações de carga do navio para o cais e vice-versa. Esseequipamento possui limitada capacidade de carga. Foto 14 - Guindaste móvel sobre trilhos.Na carreira, há um guindaste móvel, com capacidade de 60 ton. (háguindastes com capacidades maiores) para colocação dos módulos sobre acarreira. Além deste, existem também caminhões-guindastes para auxílioà colocação de sub-montagens sobre a carreira.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 97 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 15 - Guindaste móvel em operação.Para pequenas cargas, utilizam-se carrinhos de propulsão humana. Noalmoxarifado, utilizam-se empilhadeiras para manuseio dos estoques epara o transporte do estoque para as embarcações.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaO estaleiro possui equipamentos de transporte adequados para cada tipode atividade.Proposição de MelhoriasSugere-se que sejam realizados estudos de viabilidade para a compra deum guindaste fixo de maior capacidade, pois, com isso pode-se aproveitarmelhor as áreas laterais de apoio, a fim de reduzir o tempo de trabalho desoldagem dos blocos do casco sobre a carreira.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 98 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroVerificou-se automação no nível de tarefa, ou seja, na utilização desoldagem semi-automática e corte. Para operações como encurvamentode chapas e pintura, o estaleiro terceiriza ou recorre à outra unidade deprocessamento. Foto 16 - Operação de solda e corte.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 99 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 17 - Vista parcial do galpão de fabricação.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaO estaleiro possui um baixo nível de automação nas suas atividades,embora utilize ferramentas manuais ou semi-automáticas e mão-de-obrasuficientes para atender a sua demanda.Proposição de MelhoriasSugere-se que seja feito um investimento na automação das atividadesprincipais: corte e soldagem. Também é recomendável um estudoespecífico para aumentar o nível de automação no transporte de chapas,desde o estoque às oficinas de processamento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 100 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroParte dos estoques de spools fica próximo às embarcações, onde serãoinstalados; e parte fica próximo à oficina de soldagem de spools. Elesrecebem identificação (tags) de maneira que podem ser controlados pelagestão de estoques. Foto 18 - Armazenamento de spools.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 101 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 19 - Estoque de spools armazenados próximos às embarcações.As chapas recebem um código sobre sua situação no processo produtivo eseu destino entre os empreendimentos existentes. Foto 20 - Chapa com respectiva identificação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 102 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Contudo, verificou-se que os estoques intermediários estãodescentralizados no canteiro e, dessa forma, dificulta sua localização emanuseio. Foto 21 - Estocagem descentralizada de materiais. Foto 22 - Estocagem de equipamentos para aplicação imediata.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 103 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Os itens que chegam ao canteiro para serem diretamente instalados naembarcação recebem cuidados especiais de acondicionamento. Foto 23 - Materiais com cuidados especiais de acondicionamento. Foto 24 - Material identificado e protegido.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 104 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoria a) Identificou-se como boa prática a codificação das chapas para controle do seu processamento e destino. Os spools recebem identificação (tags) e, dessa forma, podem ser controlados. b) Os componentes que são fornecidos para instalação direta na embarcação são devidamente condicionados. c) Percebeu-se, contudo, uma descentralização do estoque que pode dificultar seu controle dentro do canteiro.Proposição de Melhorias d) Avaliar a utilização de tecnologias atuais como o RFID para a identificação dos itens em estoque. e) Centralizar o estoque ou arranjá-lo de maneira a facilitar o seu deslocamento até o seu destino.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 105 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro possui um modelo de disposição das oficinas, do almoxarifado,da carreira e do cais de forma a minimizar o deslocamento das partes atéa carreira, para a construção das embarcações. O almoxarifado fica entreas oficinas de perfis, as sub-montagens, os spools e a carreira. Anexos aele estão o vestiário e a ferramentaria, possibilitando o menordeslocamento da mão-de-obra para o trabalho. No entanto, oalmoxarifado está distante do cais, o que leva ao estabelecimento deestoques intermediários próximos a ele. Foto 25 - Vista geral da área de montagem.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 106 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 26 - Vista da área de montagem.A carreira possui duas áreas anexas laterais para a montagem dosmódulos, para que sejam carregados, posteriormente, para cima dacarreira. O guindaste móvel (sobre trilhos) pode carregar essas grandessub-montagens para a carreira. Nessa área também são estocados,temporariamente, andaimes e madeiras para a execução de tarefas nasembarcações.O prédio administrativo fica mais próximo ao cais, possibilitando aacomodação das entidades fiscalizadoras neste local, com fácildeslocamento para as embarcações. Dentro dessas instalações tambémhá um restaurante para os empregados, com boas condições de higiene elimpeza.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 107 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 28 - Restaurante dos empregados.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaObservou-se uma lógica de layout que contempla a proximidade entreáreas afins, dentro do processo de contrução e montagem. Os estoquesde spools e andaimes permitem sua rápida montagem. A localização doprédio administrativo também favorece o rápido deslocamento dasentidades fiscalizadoras dos escritórios para as embarcações.Proposição de MelhoriasSugere-se elaborar um estudo que objetive a ótima utilização dos espaçosdo canteiro para o seu melhor aproveitamento, como já apresentadoanteriormente, de modo a otimizar os 60.000m2 de área doempreendimento. Como não há áreas de ampliação deve-se estudarmeios para se obter o maior proveito desse espaço e da localizaçãoprivilegiada.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 108 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroComo o gargalo da contrução e montagem de uma embarcação está notempo de montagem na carreira, o estaleiro trabalha com umaprogramação que minimiza o tempo do casco na carreira. Para issoutilizam-se as áreas auxiliares para a construção dos módulos de umapróxima embarcação, enquanto as últimas atividades da embarcaçãoprimária são realizadas sobre a carreira ou no cais de acabamento.Nesse caso são realizados serviços que não dependam da carreira, como acompletação da instrumentação e controle, elétrica, marcenaria emontagens leves. Eventualmente são realizados pequenos serviços desolda e corte para ajustes finos.Existe um planejamento para a ocupação do estaleiro quando um novoempreendimento se inicia. Este é coordenado tendo em vista os projetosem andamento, de forma a realocar a mão de obra existente ou contratarmais, a mobilizar recursos de transporte, equipamentos de corte esoldagem, a programar o tempo de processamento e montagem doscomponentes de cada projeto nas instalações, dentre outras providências.Estabelecem-se marcos durante a execução do projeto, tais como acolocação do 1º bloco na carreira, o lançamento da embarcação no cais evários outros.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 109 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A programação das atividades possui abrangência mensal, mas comjanelas quinzenais de mobilização da mão-de-obra. Existem tambémmedições semanais para a verificação de eventuais desvios e pararespectiva atuação sobre eles.É realizado um procedimento de simulação das consequência de umaalteração e de algum desvio de atividade sobre o prazo e os custos doprojeto (análise de sensibilidade) sempre que algum evento não previstoocorre ou está prestes a ocorrer.Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) Há um esforço no planejamento das atividades em função do gargalo do processo macro, representado pela montagem sobre a carreira; b) O planejamento contém marcos de entregas dentro das fases de construção e montagem das embarcações; c) A rede de precedência é transformada em programação de atividades em abrangência mensal; d) São realizadas medições semanais sobre desempenho da obra;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 110 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 e) Há necessidade de um sistema de planejamento integrado para controle das informações da carteira de projetos; f) Há necessidade de mecanismos de gestão do conhecimento; g) Há necessidade de mecanismos de gestão de mudanças.Proposição de Melhorias a) Elaborar um plano de treinamento em gerenciamento de projetos para todos os gerentes de projetos e demais envolvidos. b) Aperfeiçoar a utilização de indicadores/métricas para o monitoramento e melhoria contínua da execução dos projetos, tais como: nível de qualidade do serviço de contratadas, nível de satisfação do cliente e nível de satisfação das equipes. c) Proceder a integração do Planejamento e Controle dos fornecedores estratégicos ao Planejamento do Empreendimento, com links em número suficiente que permitam, em tempo real, sinalizar ganhos e atrasos de prazos de fornecimento e seus impactos no cronograma geral do empreendimento, para que ações corretivas possam ser tomadas a tempo. d) Verificar a possibilidade de incorporação de metodologias bem sucedidas em outros segmentos, tais como a de manufatura enxuta ao mercado de óleo e gás.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 111 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 e) Desenvolver propostas de introdução de sistemas de gestão de mudança e gestão do conhecimento no estaleiro, visando aumentar a retenção do aprendizado e facilitar a adoção de novas técnicas de produção e gerenciamento.As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSO estaleiro possui um centro de treinamento, utilizando mão-de-obralocal. Há evidências de planejamento do trabalho no canteiro sobrenormas de segurança. Os cartazes instrutivos estão expostos em várioslocais, embora pudessem ser expostos mais visivelmente. b) SuprimentosA equipe de suprimentos atua com base num quadro de controle dosprazos de entrega dos fornecedores, tanto internacionais quantonacionais, bem como a definição das datas de algumas operaçõeslogísticas de acordo com o cronograma do projeto.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 112 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 c) RiscosNão há um planejamento e controle sistemático de riscos do projeto,conforme sugerido pelas boas práticas de organizações, como PMI, IPMA eCII. d) CustosA estruturação dos custos do projeto obedece aos requisitos formaisestabelecidos pelo Fundo de Marinha Mercante, para a obtenção definanciamento destinado ao empreendimento, sendo organizados empercentuais de custos da produção, suprimentos, projetos, entre outros,acrescidos os custos indiretos. A partir disso, a EAP é elaborada,permitindo a construção da curva S do empreendimento.Oportunidades de Melhoriasa) Preparar um plano para prover uma integração plena do planejamento e controle da área de SMS com o restante do planejamento (custo, prazo, suprimentos, etc.) para os empreendimentos em execução.b) Proceder a integração do planejamento e controle dos fornecedores estratégicos ao planejamento do empreendimento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 113 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6c) Proceder a integração da gestão de riscos ao planejamento geral do empreendimento.d) Proceder a introdução de ferramentas de análise de riscos, podendo ser utilizadas aquelas preconizadas pelo PMBOK.e) Estabelecer procedimentos de controle do custo das “não conformidades” de SMS.f) Estabelecer procedimentos de recursos humanos para provimento e retenção de mão de obra qualificada para as funções-chave no estaleiro, tanto de pessoal operacional quanto técnico e de supervisão.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 114 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro D Resultados sumarizados.......................................................115 Organização e Condições Físicas do Canteiro .......................116 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 116 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 126 Proposição de Melhorias ............................................................................ 127 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho .................127 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 127 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 136 Proposição de Melhorias ............................................................................ 136 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .....137 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 137 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 144 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro .144 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 144 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 146 Proposição de Melhorias ............................................................................ 146 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................147 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 147 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 149 Proposição de Melhorias ............................................................................ 150 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........150 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 150 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 153 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............154 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 154 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 155 Proposição de Melhorias ............................................................................ 156 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................157 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 157 Oportunidades de Melhorias ....................................................................... 159
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 115 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • O estaleiro encontrava-se em obras de implantação de suas instalações, razão pela qual foram apresentados alguns aspectos relativos a essas obras, o que, em um aspecto geral, não deverá ser fator de prejuízos para a análise global; • A organização está estruturada para o planejamento das atividades de produção, seja pelo layout industrial, seja pelo suporte dado às atividades, por meio das aquisições e serviços de suporte; • Antes de o projeto executivo iniciar, há atividades bem definidas de planejamento das atividades, contemplando, em todas as etapas, os riscos decorrentes. Desta maneira, há procedimentos adequados de manutenção dos itens críticos; • Foi observado, mesmo nessa fase atual do empreendimento, quando há atividades de construção em paralelo com atividades industriais, um foco na cultura de segurança, produtividade, meio ambiente e saúde do trabalhador, através de painéis informativos e técnicas de suporte às atividades de produção;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 116 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • Além da automação das tarefas de corte e soldagem, com participação humana limitada, há automação do processo de tratamento inicial das chapas, para ganhos de produtividade e melhor alocação da mão-de-obra do canteiro.Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO empreendimento está em fase de conclusão das obras de implantaçãodo estaleiro, razão pela qual foram percebidas várias atividades inerentesàs obras civis apresentadas no relatório. A configuração final doempreendimento, em termos de estrutura operacional, é a que estáapresentada na figura 1. Figura 1 – Futuras instalações do empreendimento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 117 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Estaleiro futuramente contará com capacidade de processamento de160 mil toneladas de aço/ano; 1 milhão e 620 mil metros quadrados deterreno; área industrial coberta de 130 mil metros quadrados; e um diqueseco com 400 metros de extensão, 73 metros de largura e 12 metros deprofundidade. O dique é servido por dois pórticos Goliaths de 1.500toneladas/cada, dois guindastes de 50 toneladas/cada e dois de 35toneladas/cada.O porte destes equipamentos permite reduzir substancialmente o tempode edificação, possibilitando ao Estaleiro equiparar-se aos estaleirosasiáticos, considerados a vanguarda da construção naval mundial.Quanto às área de cais, o Estaleiro possui um cais de acabamento com730 metros de extensão, equipado com dois guindastes de 35 toneladas.Outros 680 metros de cais são utilizados para a construção e reparo deplataformas offshore. Figura 2 – Layout dos galpões industriais do estaleiro
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 118 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A figura 2 apresenta o cais de acabamento; em primeiro plano, com osdois guindastes já mencionados, os pórticos e os galpões industriais;percebendo-se tratar de um estaleiro bastante compacto quanto às suasinstalações.O estaleiro apresenta boas condições de limpeza, considerando-se a áreaefetivamente utilizada para a produção. No entanto, a área que está emprocesso de construção civil não se apresenta nas mesmas condições. Foto 1 – Interior da área de fabricação e sua condição de limpeza
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 119 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 2 – Interior da área de fabricação e, em primeiro plano, caixa de coleta de sucata metálica Foto 3 - Vista parcial da área em processo de construção civil.Próximo aos postos de trabalho foram identificadas diversas caixas dedeposição de refugos. Entretanto, foram encontradas exceções nasproximidades da área de estoque das chapas metálicas, onde foramverificados refugos sem destinação específica.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 120 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 4 - Vista parcial de galpão de fabricação. Foto 5 - Vista parcial da área em construção.Notou-se, em diferentes locais do site, políticas ambientalmenteresponsáveis, como coleta seletiva e economia de energia elétrica atravésdo aproveitamento da luz natural.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 121 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 6 - Coleta seletiva.Nas oficinas, há uma delimitação física bem definida entre as vias deacesso e os postos de trabalho; bem como os estoques intermediários depeças, já que há um tráfego interno de caminhões e outros veículos detransporte de carga. Observou-se também, áreas destinadas a inspeçãodas sub-montagens. Figura 7- Área delimitada para inspeção.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 122 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Figura 8- Área de estocagem de materiais entre operações. Figura 9- Vista parcial do chão de fábrica.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 123 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 10 - Transporte manual de peças.Figura 11- Vista parcial do chão de fábrica com delimitação de áreas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 124 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Existem suportes para os cabos de energia dos equipamentos que estãodistribuídos entre os postos de trabalho, permitindo o livre fluxo depessoas na área, e o isolamento dessas linhas da exposição a acidentes. Figura 12- Área do pipe shop.Os cabos de elevação recebem manutenção periodicamente. Suaverificação é visível e de fácil compreensão.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 125 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 12- Área de estocagem de cabos de elevação com marcação para verificação.As estruturas sub-montadas são suportadas por bases metálicas,facilitando, tanto o deslocamento desses blocos quanto a sua operação desoldagem. Figura 13- Montagem de estruturas sobre bases metálicas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 126 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 14- Montagem de chaparia.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Destaca-se como política interna do estaleiro, a conservação e proteção dos recursos de produção, tanto no que diz respeito à delimitação clara entre as áreas de trabalho, as vias de acesso e os estoques definitivos e intermediários, quanto no emprego de técnicas de manutenção de cabos de elevação e de preservação de cabos de energia por meio de suportes. b) O estaleiro demonstra preocupação em facilitar a operação de montagem pela utilização de suportes de sub-sistemas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 127 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 c) Além dos aspectos de operação, nota-se uma preocupação da organização em relação aos aspectos de SMS, que pode ser exemplificada pela existência da coleta seletiva. d) Por outro lado, como o estaleiro ainda não concluiu a construção de suas instalações, algumas áreas estão servindo como depósitos provisórios de refugos.Proposição de MelhoriasTendo em vista a coexistência de processos de construção e montagem, ede edificação das instalações num mesmo espaço físico, propõe-se comosugestão de melhoria, a definição clara das áreas de refugos de obra emseparação das áreas onde a atividade de produção ocorre.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroOs postos de trabalho atendem razoavelmente os requisitos ergonômicospara o trabalhador da seguinte forma: • As peças a serem trabalhadas estão postas sobre mesas, num nível em que o operário pode trabalhar com boas condições ergonômicas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 128 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • O forro dos galpões permite a entrada de luz natural, fornecendo claridade suficiente para as atividades com peças pequenas. • Os trabalhadores podem guardar seus pertences em escaninhos na entrada dos galpões. Figura 15- Analisando os projetos durante a fase de montagem.Ainda quanto à questão dos postos de trabalho, especialmente relacionadoà ergonomia, percebe-se que em muitos momentos privilegia-se o melhorposicionamento para a execução das atividades, que pode não ser,necessariamente, a melhor posição ergonômica. Essa é a razão pela quala equipe de SMS tem uma grande preocupação com as questões relativasà ginásticas laborais, análises dos postos de trabalho, fatores estressorese outros; tudo com o objetivo de reduzir as lesões por esforços repetitivosou as lesões por atividades penosas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 129 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 16- Operário executando tarefa com postura não adequada.Os trabalhadores recebem EPI’s e equipamentos necessários para a suaoperação, e são continuamente orientados a esse respeito. Por essa razãonão foram percebidas, ao longo da visita, situações nas quais ostrabalhadores estivessem expostos desnecessariamente. Contribuibastante para isso o fato de que a organização procura permear suacultura de SMS em todos os níveis da mesma.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 130 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 17- Operários executando tarefas, portando equipamentos de proteção adequados.Quanto aos requisitos de segurança, o estaleiro incentiva os seuscolaboradores a se prevenirem contra acidentes de trabalho, através daexposição de quadros que indicam o período de tempo sem acidentes, ede cartazes com orientações de segurança. Além disso, possui instalaçõesadequadas para atendimento a sinistros. Na área em construção,perceberam-se medidas preventivas aos aspectos potencialmente nocivosao trabalhador.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 131 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 18- Cartaz com informações sobre segurança do trabalho. Figura 19- Uso de equipamentos modernos na área de corte e solda de chapas de aço, através de plasma.Os postos de trabalho possuem instruções de operações de acordo com afunção daquele local. Para algumas funções, o colaborador tem em mãosisométricos para auxiliar na execução das tarefas. Além disso, eles podem
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 132 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6identificar prontamente qual o seu posto de trabalho e em que fase doprojeto a empresa se encontra. Figura 20- Ajustes de ferramentas automáticas de corte de chapas de aço. Figura 21- Instruções afixadas no local de trabalho para facilitar execução das tarefas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 133 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 22- Exemplo de painel de acompanhamento do projeto.Também usa-se quadros explicativos sobre símbolos convencionalmenteusados nas atividades rotineiras para orientar sobre o procedimentocorreto nas operações.Os agentes de QSMS são destacados por capacetes de cor específica eapitos de sinalização de comando, estando presentes no transporte degrandes peças pelas pontes de carga dentro das oficinas.Existem ventiladores para operações em espaço confinado, bem comobebedouros disponíveis nas oficinas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 134 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 23- Ventilador existente em operações em espaços confinados. Figura 24- Bebedouros existentes nas oficinas.Os agentes de suporte às atividades operacionais das oficinas ficamalocados em salas no interior das mesmas, facilitando a coleta etransmissão de dados relativos ao processo produtivo.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 135 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 25- Escritórios de suporte localizados nas oficinas.Conforme a etapa de processamento da peça, o trabalhador podeidentificar, por meio de códigos padronizados, qual a operação deve serrealizada e qual peça ele deve operar. Figura 26- Exemplo de marcação de código de operação.Para monitoramento da produtividade, foram identificados painéiseletrônicos visíveis dentro das oficinas, sobre meta de produção eprodução atual.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 136 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) O ambiente de trabalho nas oficinas de processamento e de montagem oferece luminosidade adequada e infra-estrutura para a atividade humana; exceto em algumas operações de soldagem em que o trabalhador deve projetar o corpo para alcançar a junta, a fim de realizar a soldagem de uma sub-montagem de grandes dimensões. Os trabalhadores são equipados com EPI’s e dispõem das ferramentas e máquinas necessárias para o seu trabalho. b) As medidas de QSMS são verificadas por todo o site; elas são evidenciadas pelos cartazes de orientação sobre prevenção de acidentes, quadro de notificação sobre o período sem acidentes, disposição de recursos contra sinistros, como, por exemplo, a disposição de luz de emergência, indicação de saídas de emergência e tubulação de saída de água contra incêndio. c) A disposição de códigos padronizados, gravados sobre os recursos de produção, e o arranjo dos quadros expositivos sobre os símbolos que auxiliam o trabalhador a realizar o procedimento correto, são fatores favoráveis à qualidade do serviço prestado, no que diz respeito à padronização do trabalho e à conformidade do produto.Proposição de Melhorias
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 137 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 a) As instruções sobre operações específicas, fixadas nos postos de trabalho, sejam impressas em fonte maior e expostas nos referidos postos, facilitando as consultas; b) O mesmo deve ocorrer à exposição dos quadros explicativos sobre símbolos convencionais nas atividades das oficinas. Esses quadros podem estar disponíveis numa altura razoável para facilitar a observação pelos funcionários. c) Para as atividades de soldagem, em que o trabalhador projeta o seu corpo para alcançar o local de soldagem de grandes sub-montagens, recomenda-se um treinamento sobre melhores posturas para essas atividades ou a redução do tempo de um trabalho como esse; alternando com outras atividades que permitam uma postura correta.Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroAo longo do estaleiro foram observadas: empilhadeiras, pontes rolantespara transporte das chapas e de dutos, caminhões basculantes, ponterolante que conduz a chapa em todo o seu processamento até à sub-montagem, guindastes móveis, guindastes fixos paracarregamento/descarregamento das chapas, e caminhão- aranha paracargas muito pesadas. Cada tipo de transporte atende a uma necessidade
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 138 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6de deslocamento de cada tipo de material/componente, obedecendo aosparâmetros de capacidade da carga, horizonte de deslocamento,manuseio, entre outros. Figura 27- Empilhadeira em movimentação. Figura 28 - Ponte rolante para transporte de chapas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 139 of 391TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 29 - Equipamento de movimentação. Figura 30 - Guindaste movimentando chapas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 140 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 31 - Vista parcial de guindastes existentes no Canteiro. Figura 32 - Vista parcial da estocagem de chapas.Identificou-se a utilização de uma tecnologia de ponta: o transportador deestruturas de sub-montagem, que suspende a estrutura e a desloca aolongo da linha de montagem. Outro equipamento moderno utilizado no
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 141 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6estaleiro é o estrado de transposição das chapas para soldagem nas duasfaces. Figura 33 - Vista parcial da área de fabricação.Para trabalhos em altura, foram observados caminhões de elevação. Figura 34 - Montagem em altura com utilização de equipamentos especializados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 142 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6No entanto, a maior parte das máquinas encontradas no canteiro eradestinada à construção das instalações. Figura 35 - Vista geral da construção civil. Figura 36 - Vista da área de montagem de estruturas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 143 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Para cargas leves, tais como pequenos spools, peças metálicas, entreoutros, utilizam-se carrinhos de propulsão humana. Figura 37 – Emprego de equipamentos de grande porte na movimentação de cargas Figura 38- Transporte de peças em carro de propulsão manual.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 144 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaOs tipos de transporte e a quantidade existente parecem atender àdemanda do canteiro, no que tange ao transporte e elevação de chapas,dutos, pequenas peças, equipamentos e sub-montagens. O investimentoem transportes é confirmado pela identificação de caminhões-aranha, quepossuem elevada capacidade de carregamento.Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro possui equipamentos de solda automática e semi-automática,máquina de corte automática, máquina de soldagem de perfil nos doislados (simultaneamente), máquina de encurvamento de chapas, entreoutros. Algumas máquinas não estavam disponíveis para operar, o queexige intervenção direta da mão-de-obra.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 145 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 39- Montagem de vigas. Figura 40- Prensa de dobramento de chapas.É possível observar o emprego da automação nos níveis de tarefa e deprocesso, visto que, além das atividades de corte e soldagem, existeautomação no processo de translado das chapas do depósito para otratamento especial, passando pela pintura até ser conduzido ao estoqueintermediário dentro das oficinas de processamento. Essas operações
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 146 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6possuem um tempo programado e processam um elevado volume dematéria-prima.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) O estaleiro percebeu que, ao automatizar um processo da produção de baixa complexidade de operação, que é o tratamento inicial das chapas, haveria uma oportunidade para aumentar a eficiência da sua produção. Dessa forma, pôde obter ganhos de produtividade e melhor alocação da mão-de-obra. b) As máquinas encontradas no canteiro são modernas, elas atendem a demanda atual do estaleiro, mas requerem profissinais habilitados para operá-las. c) Ressalta-se que nem todas as máquinas estavam disponíveis para operar, o que pode comprometer a produtividade como um todo.Proposição de Melhorias a) Recomenda-se a adoção de medidas de manutenção, reparo, ou treinamento técnico para operações que garantam a utilização contínua das máquinas automatizadas. b) Sugere-se estudar a necessidade de utilização de um maior nível de automação para atividades realizadas tanto em ambientes livres
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 147 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 como em espaços confinados, através da utilização de robotização em operações de corte e solda; aumentando-se a produtividade e as condições de segurança.Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroDestaca-se, como política de preservação dos estoques (estoque primário,intermediário e final), o fato destes nunca estarem diretamente no chão,mas sempre apoiados por vigas, cavaletes ou bases metálicas. Osmateriais são acondicionados em boas condições de armazenamento edispostos dentro das boas práticas prescritas. As chapas possuemidentificação para o correto processamento e destinação. Há separaçãoentre itens estocados de acordo com critérios de gênero do produto e graude periculosidade. Identificaram-se também tabelas de monitoramentodos mesmos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 148 of 391TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 41- Identificação de projetos. Figura 42- Depósito de materiais inflamáveis.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 149 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 43- Controle de estoque de tintas.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaAs medidas de estocagem e conservação dos materiais são adequadas epadronizadas. O itens são facilmente localizados, seja através de locaisespecíficos de armazenagem e manuseio, seja por meio de códigos deidentificação (tags) da sequência de processamento e do destino que apeça terá.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 150 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) Avaliar a utilização de tecnologias atuais, como a RFID, para a identificação dos itens em estoque. b) Avaliar a utilização de sistemas e equipamentos modernos para equipar os almoxarifados, através de recursos de tecnologia de informação, aumentando a produtividade. c) Realizar treinamento de pessoal, de modo a reforçar a aplicação dos procedimentos de identificação e de controle e estocagem de materiais.Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro possui uma extensa área para acomodar suas operações eáreas de estoque. Ele foi projetado de forma a prevenir que o produto dassub-montagens esteja mais próximo ao dique e ao cais de atracação daplataforma.As chapas metálicas chegam de navio e são transportadas por meio depontes de carga para um pátio. Depois são conduzidas, através de pontesrolantes, para um tratamento específico; passando pela pintura até chegar
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 151 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6à oficina de processamento. Devido ao compartilhamento de recursosfísicos e pela sequência de processamento, as oficinas de chapas planas,de perfis e de sub-montagem estão posicionadas lado-a-lado. Figura 44- Descarga de chapas. Figura 45- Estocagem de chapas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 152 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Figura 46 - Equipamento para transporte das chapas para pintura. Figura 47 - Vista geral do equipamento de pintura das chapas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 153 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 48 - Vista geral do galpão de fabricação.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaA disposição do cais de embarque/desembarque de matéria-prima; oarranjo das oficinas de processamento das chapas e dutos; e o arranjo damontagem dos subsistemas, bem como o pátio de depósito, atendem aum fluxo lógico para a construção de navios e plataformas, comdeslocamento otimizado dos sistemas mais pesados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 154 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroO planejamento e controle dos empreendimentos gerenciados peloestaleiro são orientados pelo PMBOK, com suas áreas de gestão e osconjuntos de processos sugeridos pelo mesmo.O planejamento é desmembrado até o nível de programação diária e,assim, controlado diariamente; sendo feita uma compilação semanal euma apresentação mensal à diretoria.Através dos serviços de uma empresa terceirizada, especializada emtecnologia da informação, a coleta de dados sobre a execução dasatividades no canteiro e o seu controle da qualidade são realizados pormeio de palm tops manuseados pelos inspetores, os quais estãodistribuídos pelo site, e são suportados por um software próprio para essefim.O projeto do arranjo físico do canteiro, ainda em andamento, é de taldimensão, que possibilita um planejamento de elevada capacidade deprocessamento e agilidade no fluxo dos materiais e componentes emtransformação ao longo do site.Desde a entrada do material no canteiro, há procedimentos padronizados.Por meio de formulários, listas de verificação de qualidade, entre outros;estruturados pelo sistema integrado de gestão do empreendimento, queemite e controla tais documentos. As etapas de processamento só se
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 155 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6iniciam a partir da verificação e aprovação dos documentos formais deinspeção e teste da etapa anterior.Foi observada uma equipe contratada pelo estaleiro iniciando umdiagnóstico geral do canteiro para identificar oportunidades de aplicaçãoda produção enxuta; representando uma busca da organização pormelhorias na produtividade da construção e montagem.Para acompanhamento gerencial do projeto, há reuniões periódicas entreos principais responsáveis pelos projetos no estaleiro e os Heads doarmador. Assim, nessa reunião, realiza-se um balanço sobre o projetocom definição de fases atingidas, pendências a serem satisfeitas,ajustes/correções e metas a serem cumpridas nas próximas fases. Paracomunicação interna, a organização dispõe de uma rede intranet, comacessos e manipulação de conteúdos limitados.Ao final do projeto, as informações sobre o empreendimento sãocompiladas num DATABOOK, que é entregue ao cliente; além de umacópia que fica com a contradada.Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) A organização estrutura os seus projetos – naval e offshore – com planejamentos e controles diários; com a exposição de resultados por meio de relatórios, que podem ser diários, semanais ou mensais. A coleta e o tratamento de dados são automatizados, o que agiliza e suporta as atividades com intenso fluxo de informação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 156 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 b) O planejamento é favorecido por um bom projeto de arranjo físico do estaleiro; estruturando-se por um fluxo lógico de processamento e de deslocamento, com elevada capacidade; c) Há procedimentos formalizados e automatizados, para aferição da qualidade antes de se iniciarem as etapas subseqüentes de processamento dos materiais e componentes; d) São realizadas periodicamente reuniões de verificação do andamento do projeto entre responsáveis diretos do armador e da contratada;Proposição de Melhorias a) Elaborar um plano de treinamento em gerenciamento de projetos para todos os gerentes de projetos e demais envolvidos. b) Aperfeiçoar a utilização de indicadores/métricas para o monitoramento e para a melhoria contínua da execução dos projetos, tais como: nível de qualidade do serviço de contratadas, nível de satisfação do cliente e nível de satisfação das equipes. c) Proceder à integração do Planejamento e Controle dos fornecedores estratégicos ao Planejamento do Empreendimento, com links em número suficiente que permitam, em tempo real, sinalizar ganhos e atrasos de prazos de fornecimento e seus impactos no cronograma geral do empreendimento, para que ações corretivas possam ser tomadas a tempo.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 157 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSA área de QSMS possui um planejamento próprio, interligado aoplanejamento da produção. Nenhuma etapa da produção é aprovada semo atendimento aos requisitos de QSMS. Semanalmente realizam-seanálises de não-conformidade da qualidade e dos índices de desempenhode soldagem, para posterior medida corretiva ou preventiva. b) SuprimentosA organização tem boas práticas de gestão de fornecedores. Existemmétodos, ferramentas e procedimentos que dão suporte a estas práticas.Nesse estaleiro, o diligenciamento é uma função do suprimentos, no qualalgumas aquisições, de valor significativo e de natureza mais crítica, sãoavaliadas por sociedades classificadoras, ainda no chão de fábrica dofornecedor, conforme prevê o contrato; e outras aquisições, com menorimpacto, são admitidas por meio de certificações exigidas para a venda doproduto.Existe uma boa interação entre Suprimentos e as demais áreas envolvidasno empreendimento. No entanto, nem todas as áreas estão
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 158 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6completamente integradas, requerindo ajustes de processos quepermitam a consolidação dessa integração. Além disso, é necessárioproceder a integração do planejamento e controle dos fornecedoresestratégicos ao planejamento do empreendimento. c) RiscosQuando há a formação de um comitê para análise de risco, ele deve serdesignado à elaborar um plano de gerenciamento de riscos, de formaqualitativa e quantitativa, no início do projeto; e à adotar medidas decontrole ao longo do mesmo, conforme sugerido pelas boas práticas doPMI. d) CustosO controle de custos do projeto é realizado em reuniões regulares, nasquais são discutidos os níveis de tolerância dos desvios de custos, e asmedidas para contenção de gastos ou de eventuais correções no projeto.O fluxo de caixa é feito em software separado do ERP da empresa, vistoque ele não tem módulo financeiro.Utilizam-se métricas de desempenho para cada área (engenharia,construção e montagem, qualidade, etc). Exemplo disso é a “curva S” e o“método do valor agregado”.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 159 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foi observado que não existe a medição dos custos causados pelas “nãoconformidades” de SMS. Portanto, é interessante que se estabeleça umprocedimento de controle do custo destas “não conformidades”.Oportunidades de Melhorias a) Avaliar oportunidades de parcerias com empresas do ramo, para, assim, obter vantagens estratégicas para negócios de longo prazo. b) Proceder à integração do planejamento e controle dos fornecedores estratégicos ao planejamento do empreendimento. c) Proceder à integração da gestão de riscos ao planejamento geral do empreendimento. d) Proceder à introdução de ferramentas de análise de riscos, podendo ser utilizadas aquelas preconizadas pelo PMBOK. e) Estabelecer procedimentos de controle do custo das “não conformidades” de SMS. f) Estabelecer procedimentos de recursos humanos, para provimento e retenção de mão de obra qualificada para as funções chave no estaleiro, tanto de pessoal operacional e técnico, como de supervisão.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 160 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro E Resultados sumarizados.......................................................161 Organização e Condições Físicas do Canteiro .......................163 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 163 A organização dedica-se às atividades de construção offshore, EPCI e construção naval. ..................................................................................................... 163 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 167 Proposição de Melhorias ............................................................................ 168 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho .................168 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 168 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 172 Proposição de Melhorias ............................................................................ 172 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .....173 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 173 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 176 Proposição de Melhorias ............................................................................ 177 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro .177 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 177 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 182 Proposição de Melhorias ............................................................................ 182 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................183 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 183 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 186 Proposição de Melhorias ............................................................................ 186 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........187 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 187 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 192 Proposição de Melhorias.......................................................193 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............193 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 193 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 195 Proposição de Melhorias ............................................................................ 196 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................197 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 197
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 161 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Oportunidades de Melhorias ....................................................................... 200Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • A organização entende que o planejamento, principalmente o sequenciamento das atividades, é de extrema importância para o sucesso do empreendimento; • A empresa possui uma forte preocupação com a conscientização de segurança; • São utilizados procedimentos, técnicas e rotinas na administração de materiais que levam a uma boa guarda, preservação e controle dos estoques no canteiro; • Foi observada a existência de uma cultura na organização que visa obter a melhoria contínua comprovada pelas diversas certificações obtidas, tais como ISO 9001, ISO 14001; • De uma maneira geral, o gerenciamento do empreendimento é suportado por um sistema de informações corporativo;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 162 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Há necessidade de estudar a utilização de técnicas, tais como modularização e construtibilidade, para o planejamento das atividades com a participação das áreas de construção e montagem;• Há necessidade de criar um plano para levar ao estaleiro as condições de manufatura enxuta, tendo o cuidado de reduzir as distâncias e intensificar a utilização de gabaritos. Este estudo deve ter como área prioritária o pipe shop.• Há necessidade de estudar a utilização de indicadores/métricas para o monitoramento e melhoria contínua da execução dos projetos, tais como: nível de qualidade do serviço de contratadas, nível de satisfação do cliente e nível de satisfação das equipes etc..• Há necessidade de estudar a utilização de um maior nível de automação para atividades realizadas em espaços confinados, através da utilização de robotização para operações de corte e solda, aumentando a produtividade e as condições de segurança.• Há necessidade de proceder à integração do Planejamento e Controle dos fornecedores estratégicos ao Planejamento do Empreendimento.• Há necessidade de preparar um plano para prover uma integração plena do planejamento e controle da área de SMS com o restante do planejamento (custo, prazo, suprimentos, etc.) para os empreendimentos em execução.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 163 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • Há necessidade de proceder à integração da gestão de riscos ao planejamento geral do empreendimento.Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroA organização dedica-se às atividades de construção offshore, EPCI econstrução naval.O canteiro do estaleiro apresenta boas condições de limpeza eorganização. Foi possível constatar, durante a visita, a existência deavisos, cartazes e orientações com informações explicativas sobrecuidados relativos à SMS. A administração do canteiro dedica bastanteatenção aos aspectos de SMS. Foto 1- Exemplo de cartaz informativo sobre segurança.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 164 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 2- Cartaz alertando sobre utilização de EPIsEsta atenção é confirmada: 1. Pela utilização de EPIs por parte dos funcionários, rotas de fuga demarcadas, placas de avisos, e funcionários uniformizados. 2. Pelas certificações obtidas pela organização, tais como: ISO 9001, e ISO 14001. 3. Pelo relato dos objetivos permanentes da administração em relação à SMS, citados durante as entrevistas.Não foram encontrados materiais e refugos espalhados pela linha deprodução.O estaleiro apresenta em sua localização, ao menos na unidade visitada,um problema para futuras expansões. Está situado em uma área entre um
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 165 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6morro e o mar. Para sanar esta questão são utilizadas duas outras áreas,onde são montados os módulos de plataformas.De uma maneira geral, os ambientes industriais apresentam boascondições de iluminação. Foto 3 - Vista geral do interior de um dos galpões da fabricação, evidenciando-se osníveis de iluminação local, e a ponte rolante utilizada para o deslocamento no interior da edificação.Foi observada a necessidade de disponibilidade de mais sanitários nocanteiro. Com esta providência os deslocamentos dos operários podem serevitados.O estaleiro tem um layout misto. Apresenta aspectos de layout posicional,no qual quem sofre o processamento fica estacionário, ou seja, osmaquinários, equipamentos, instalações e as pessoas se deslocam para olocal correspondente ao trabalho. E também contém um layout funcional,em que máquinas e ferramentas são agrupadas de acordo com o tipogeral de processo de manufatura. Este pode ser visto na área depreparação de tubulações e na área de pintura.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 166 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foto 4 - Vista geral da área de corte e da caçamba de recolhimento de resíduos de corte. Foto 5 - Equipamento de movimentação em operação.Durante a visita realizada, foi possível perceber que o estaleiro possui umnúmero adequado de equipamentos de transporte e elevação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 167 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) O estaleiro apresenta um bom grau de maturidade em relação à conscientização de segurança. Foram observados cartazes exaltando a importância da organização, limpeza e preservação do ambiente de trabalho. b) À semelhança de outros estaleiros visitados anteriormente, foram observados soldadores trabalhando em condições ergonômicas impróprias, como, por exemplo, na soldagem de uma peça que se encontrar a uma altura imprópria para a execução. Ou seja, o trabalhador se adaptava à disposição da peça a ser trabalhada em vez de a peça estar numa posição melhor adaptada ao trabalho. c) Utiliza-se um sistema integrado de gestão do empreendimento permite uma boa integração entre as diversas áreas do empreendimento – Planejamento e Controle, Suprimentos, Engenharia etc. – possibilitando que os problemas sejam detectados e resolvidos mais rapidamente. d) O armazenamento de materiais é colocado em locais próximos aos locais de utilização; existem normas e procedimentos estabelecidos para o recebimento, para a estocagem e o controle de materiais e peças. A integração através do software permite a localização e a entrega do material necessário à fabricação e montagem com a devida presteza.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 168 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) Efetuar estudos em engenharia industrial, visando uma otimização nas condições de soldagem, através da utilização de gabaritos. Com isso a ergonomia será melhorada, e aumentará a produtividade. b) Realização de um estudo com o objetivo de verificar as condições do chão de fábrica em relação ao número de sanitários disponíveis.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroFoi observado, durante a visita, que se procura concentrar as atividades,fazendo com que os deslocamentos sejam minimizados. Existe uma lógicade montagem com a qual os painéis são montados. Inicialmente, sãoadicionadas as vigas de reforço. Depois, são conduzidas para a montagemdos conjuntos. E, finalmente, transportadas para a área de montagem dosmódulos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 169 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 6- Vista geral da área de corte de chapas.As ordens de serviço são geradas pelo sistema técnico da empresa, para aautorização do início das atividades. Elas ocorrem com o cruzamento dasinformações derivadas do planejamento das atividades e das condições demontagem.Entretanto, esses documentos estão disponibilizados apenas no nível desupervisão. Nos postos de trabalho, tais documentos não são utilizadospelos trabalhadores no momento da execução da atividade, embora osencarregados repassem as orientações necessárias para todos os seussubordinados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 170 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 7 - Exemplo de desenhos utilizados nos postos de trabalhoExistem áreas especializadas na preparação, no jateamento e na pinturadas chapas. Esta área tem um bom nível de automação, com controlesautomatizados, bom nível de segurança para os operadores edeslocamentos facilitados, através de galpões com tetos deslizantes.É dada grande importância ao planejamento e ao sequenciamento dasatividades, para se evitarem conflitos entre as áreas. Procura-se fazercom que as atividades transcorram dentro de uma seqüência lógica deconstrução e montagem. A programação e o sequenciamento são algumasdas boas práticas analisadas na visita.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 171 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 8 - Vista geral da área de estocagem de chapas.De uma maneira geral, como já evidenciado no tópico anterior, ascondições de SMS do canteiro são boas. Porém, a ergonomia, em certosaspectos, deixa a desejar; o trabalhador, muitas vezes, tem que seposicionar de forma inadequada para realizar as atividades de soldagem.Embora se reconheça que, quando a solda é feita em pipeshop ouworkshop, as condições ergonômicas são sempre mais favoráveis do queno próprio canteiro, pois há a aplicação das peças já montadas.A programação das atividades dos operários é feita pelo SAP-R3, atravésda emissão de folhas de controle de atividades.Na área de pipeshop, foi observado que as técnicas de soldagem utilizadassão modernas, e elas atingem o objetivo de tornar mais rápida a execuçãodo processo. No entanto, não há uma utilização intensiva de gabaritos quefacilitem a fabricação dos diversos spools de tubulação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 172 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) O layout do canteiro apresenta uma organização lógica dos postos de trabalho em torno dos módulos. No entanto, a localização geográfica do estaleiro dificulta a possibilidade de expansões futuras. b) É dada muita importância à programação e à execução das ordens de fabricação, aliadas à competência dos profissionais envolvidos nas tarefas de programação e sequenciamento.Proposição de Melhorias a) Quando for decidida a localização dos postos de trabalho em torno dos módulos, procurar aperfeiçoar, sempre que possível esta localização privilegiando a minimização dos deslocamentos dos materiais e operários; b) Realizar estudos que procurem melhorar, dentro das limitações existentes, as condições ergonômicas de trabalho nos postos de trabalho dentro dos módulos; c) Aprimorar a utilização de gabaritos para a soldagem de peças e tubulações, privilegiando condições de melhor ergonomia e produtividade.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 173 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO canteiro apresenta boas condições de transporte e movimentação comum número adequado de equipamentos de elevação e transporte. Foiconstatada a existência de um número adequado de guindastes, pontesrolantes, jib cranes, carrinhos pequenos para transporte, dolleys, etc.A chegada do equipamento deve acontecer na data prevista, de modo aser colocado no módulo em tempo hábil, e com o intuito de não havermovimentações desnecessárias pelo canteiro; ocupando mão-de-obra,espaço e movimentações desnecessárias. Os cronogramas devem estaralinhados com as atividades de fabricação, construção e montagem. Foto 9 - Equipamentos de movimentação utilizados no estaleiro para transporte de pequenas peças.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 174 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A movimentação de pequenas cargas é realizada através de pequenoscarros manuais exclusivos para isto. Na oficina de fabricação dos spools, amovimentação é realizada por pontes de carga específicas para taloperação.O armazenamento de materiais é localizado próximo aos locais de destino,procurando reduzir o transporte dos materiais. Ou seja, é dada atenção aoaumento da produtividade e à minimização dos deslocamentos. Foto 10 - Vista geral da estocagem de chapas ao ar livre.Na área de montagem dos módulos, foi verificado que o estaleiro possuiguindastes montados sobre caminhões móveis que tem capacidades deelevação e deslocamento de lança, suficientes para atender a todas asnecessidades do empreendimento. As operações de transporte e elevaçãode peças são conduzidas dentro das condições especificadas pelas boaspráticas preconizadas. As pontes rolantes são dotadas de sirenes que,quando acionadas, avisam aos operários que há cargas em deslocamento.Além disso, os operadores das pontes rolantes são treinados para umaoperação segura do equipamento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 175 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Todos os transportes de cargas possuem sinalizadores para preveniracidentes com os operários no canteiro. Da mesma forma, os guindastes,ao içarem alguma carga, fazem esta operação dentro dos cuidadosnecessários, demonstrando a preocupação da administração com SMS, eevidenciando a preparação adequada dos profissionais especializadosnesta operação.O transporte das peças pesadas dentro do galpão de fabricação érealizado através de pontes rolantes, que tem a capacidade de carganecessária para a boa condução do serviço. Figura 11 - Ponte rolante em operação.A operação de chapas e peças de grande porte que necessitem dejateamento e pintura, é movimentada através de uma linha de montagemtotalmente automatizada. Assim sendo, os deslocamentos de um galpãopara outro são executados de forma a aumentar a produtividade e asegurança. No entanto, devido a problemas específicos de localizaçãogeográfica, há limitações para a localização da área de jato e pintura.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 176 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Certamente, se houvesse espaço, estas áreas poderiam ser mais bemlocalizadas.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) O estaleiro apresenta boas condições de transporte e movimentação com um número adequado de guindastes móveis, empilhadeiras, trolleys, etc., facilitando a locomoção de peças, materiais e equipamentos. b) O armazenamento de materiais é colocado, prioritariamente, próximo aos locais de destino, procurando reduzir o transporte dos materiais. c) Um ponto forte encontrado no estaleiro foi a existência de grandes guindastes, com capacidades suficientes para as operações de movimentação e elevação necessárias para as operações de montagem dos módulos. d) Há também procedimentos e métodos para as operações de transporte e elevação de cargas, contendo as instruções necessárias sob o ponto de vista de SMS.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 177 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) No estaleiro, não foi constatada a existência de caminhões-aranha que podem facilitar os deslocamentos de peças pesadas. Esta é uma prática adotada em estaleiros no exterior. b) Outra possibilidade de melhoria é a realização de um estudo para aumentar as possibilidades de transporte de peças no pipe shop. Estes estudo deverá verificar a possibilidade de dotar a área de trabalho de equipamentos que agilizem a movimentação e aumentem a produtividade.Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroEm relação a máquinas e ferramentas, foi observado que o estaleiro utilizamáquinas semi-automáticas para a realização das atividades, gerandomaior produtividade na execução.Todos os instrumentos e equipamentos utilizados são aferidos, pois devemapresentar a garantia desta aferição para serem utilizados. São aferidospor órgãos especializados e, alguns, por padrões internos. Nasmanutenções periódicas são feitos registros no TAG do equipamento. Asatividades de manutenção e reparos se dão através de programaçãogerenciada pela Manutenção, elaborada em parceria com o Planejamento
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 178 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6e Produção; e, também, através de controle mensal de instrumentos,efetivado pela metrologia e executado através da ferramentaria.Os principais cuidados que devem ser tomados na movimentação decargas e equipamentos dentro do canteiro de obras, envolvem:sinalização para carga em movimento; alertas e avisos evidentes que nãoconsintam em ficar sob as cargas.A cada três meses é feita a reavaliação dos dispositivos de carga, comoestropos e manilhas, identificando-os adequadamente de forma visual.Para cargas com peso acima de 50 toneladas, ou geometria especial, éfeita APR específica.Em determinadas situações, dependendo do carregamento, do tempo demovimentação e das condições climáticas, são avaliadas as condições devento, mar, correntes marinhas e eventuais obstáculos ou limitações aotransporte, e as condições de manobras, como o uso de balsas comthrusters.Na liberação prévia das máquinas, equipamentos e ferramentas, antes deiniciadas as atividades diárias, observam-se os seguintes cuidados: todosos equipamentos sofrem manutenção periódica, e são inspecionados eentregues aos funcionários em condições adequadas de uso. Caso hajaproblemas, ela é devolvida à ferramentaria, onde pode ser segregada eenviada para a devida correção ou pode ser sucateada.Para os equipamentos, existe um check-list obrigatório ao operador, paraanalisar se as condições do equipamento são atendidas. No caso dasmáquinas de solda, existe uma etiqueta identificando o prazo de validadedaquela manutenção.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 179 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O estaleiro possui um galpão destinado à fabricação de pipe spools, ondeestão concentradas as atividades de fabricação das tubulações. Nafabricação das tubulações, a utilização de gabaritos de montagem poderiaestar mais intensificada, gerando maiores facilidades para a montagem.Existe um sistema integrado de controle que dá suporte a um sistemamaior, por exemplo, o software Primavera. Há um tripé entrePlanejamento, Programação e Controle. O software Primavera oferececondição de gerenciamento das atividades de planejamento, possibilitandoprogramá-las de modo integrado.O estaleiro está iniciando uma série de treinamentos para automatizarainda mais o processo, incluindo o acompanhamento das programaçõesefetuadas pelos supervisores mediante palmtop (programa ainda nãoimplementado). Atualmente, no planejamento das atividades emprega-seo software de maquete eletrônica (PDS - Plant Design System).Na verificação da predominância de práticas de engenhariasimultânea/concorrente, da identificação das etapas dos processos em queestão mais presentes, e do paralelismo entre o planejamento e aexecução das atividades, percebe-se que a informação do projeto podeser obtida a qualquer momento. O PDS está ajudando muito nestesentido, detectando interferências de projeto muito mais facilmente. Otrabalho com maquete eletrônica obriga que as disciplinas interajam entresi. Os desenhistas projetistas vão desenhando na mesma folha,sobrepondo os projetos, possibilitando, assim, uma visão geral. Então, namedida em que se vai desenhando, vão-se observando as interferências.Esse paralelismo entre as atividades também acontece.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 180 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6São integrados em um sistema os processos de Engenharia, Suprimento eProdução, em nível de gestão. As datas dos materiais, dos equipamentosinstalados e da engenharia são lançadas no sistema de planejamento.Este arquivo é atualizado semanalmente. Estas atualizações constantesacontecem devido às quantidades de mudanças do sistema. Todas asdatas são documentadas; por exemplo, se houver um atraso na entregado equipamento pelos fornecedores, este fato também é lançado na tabelaou banco de dados.Para alterações de procedimento de execução existe uma lista master, naqual todo executante detém um número que protege os procedimentosutilizados por ele. Se essa lista for atualizada, esse procedimento éimediatamente substituído, sempre que esteja na sua ultima emissão, edisponibilizado na rede. Os técnicos e encarregados têm acesso a essesprocedimentos de trabalho. A partir daí esses procedimentos sãodistribuídos aos trabalhadores.Em alguns elementos identificados, tais como painéis elétricos eequipamentos, existe um sistema de acompanhamento mediante umprograma de computação. O insumo é etiquetado com informações,como: data de lubrificação periódica, e indicação quanto à preservação.Outras preservações também ficam a cargo da produção.A existência de um software integrador (no caso do estaleiro, o SAP/ R3)permite a integração adequada de todas as áreas da organização e docliente. Foi comentada, durante a visita, a existência de uma base dedados de planejamento e controle único para Contratado e Contratantecom acesso on-line, alimentado por sistema de código de barra.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 181 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O controle de saída e entrada de materiais é assistido pelo sistema degerenciamento. Cada material para ser liberado deve ser primeiro orçadono SAP/R3, depois, precisa ter confirmada a sua compra e recebimento.Nesse momento, a peça é cadastrada e são anexadas às documentaçõesde inspeções, aos certificados de qualidade e aos ensaios realizados. Apósessas providências, cada peça é codificada dentro do SAT. Apenas quandoa atividade estiver na programação diária é que poderá ser retirada pelooperário no almoxarifado.As máquinas utilizadas pelo estaleiro para as operações de corte esoldagem são modernas com boas condições em termos de recursos deautomação. Da mesma forma, as operações de jateamento e pintura sãoexecutadas por equipamentos com um grau de automação suficiente paraapresentar uma boa produtividade. Foto 12 - Máquina de corte em operação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 182 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) A empresa tem como ponto forte a utilização de um bom sistema de gerenciamento do empreendimento. Desta forma, torna-se possível exercer um controle total do empreendimento em relação a prazos, custos e qualidade; além de permitir uma perfeita integração entre os diversos setores que participam do empreendimento. b) Existem planos de manutenção para as máquinas e equipamentos que se apresentam em boas condições de utilização. c) Foi verificada a existência de um bom sistema de controle e rastreamento de materiais, de maneira a otimizar as atividades de suprimentos e almoxarifados.Proposição de Melhorias a) Criação de um plano diretor de automatização para o estaleiro, permitindo que a boa situação atual em relação à automação e utilização de sistemas de apoio seja mantida e atualizada. b) Intensificar a utilização da automação na área de corte e solda, enfatizando a aplicação das técnicas de manufatura enxuta. c) Estudar a utilização de um maior nível de automação para atividades realizadas em espaços confinados, através da utilização de robotização para operações de corte e solda; aumentando a produtividade e as condições de segurança.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 183 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroObservou-se que a estocagem de materiais é uma boa prática realizadapela organização. Existe um bom controle dos materiais, o que permite arastreabilidade. Foto 13- Vista geral de almoxarifado. Foto 14 - Conjunto de peças separadas por projeto aguardando inspeção.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 184 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 15 - Chapas estocadas.O material é preservado e identificado através de etiquetas deidentificação. Os materiais são acondicionados em boas condições dearmazenamento, e dispostos dentro das boas práticas prescritas. Foipercebido pelos pesquisadores que há procedimentos, técnicas e rotinasque buscam evitar problemas de perda da qualidade da peça, motivada,por exemplo, pela oxidação, umidade e corrosão. As peças se encontramem cima de cavaletes de madeiras, impedindo seu contato com o chão. Foto 16 - Peças estocadas com identificação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 185 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O controle de saída e entrada de materiais é feito pelo sistema degerenciamento (SAP/R3). Cada material, para ser liberado, deve serprimeiro orçado, e precisa ter confirmada a sua compra e recebimento.Após isto, a peça é cadastrada e são anexadas as documentações deinspeções, certificações de qualidade e ensaios realizados. Com isso, cadapeça é codificada dentro do sistema. Apenas se a atividade estiver naprogramação diária é que ela poderá ser retirada pelo operário doalmoxarifado.Os responsáveis pelos almoxarifados devem seguir a programaçãoexpedida pelo sistema de programação e controle. Portanto, devem estarem contato constante com a equipe de planejamento e controle,informando o que foi realizado e mantendo o planejamento e controleatualizado em relação ao andamento dos materiais.Existem cartazes explicando as boas práticas de SMS; os materiaisperigosos estão segregados em locais restritos e com cartazesinformativos sobre as condições de manuseio e armazenamento.Existe um sistema de tagueamento de itens críticos permitindo umcontrole mais eficaz dos componentes críticos tais como válvulas.Existe uma segregação de materiais, peças, conjuntos por projeto. Foiobservado que existem locais próprios para armazenamento dos itens decada projeto em execução.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 186 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoria a) O estaleiro possui procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro, estejam esses estoques em almoxarifados, cobertos ou ao ar livre. b) A integração da área de almoxarifados com o planejamento e controle é de bom nível; os métodos utilizados garantem que os materiais sejam utilizados dentro da programação prescrita, minimizando a possibilidade de erros na entrega. c) Os materiais são segregados por projetos e estão devidamente identificados.Proposição de Melhorias a) Avaliar a utilização de tecnologias atuais, como a RFID para a identificação dos itens em estoque. b) Avaliar a utilização de sistemas e equipamentos modernos para equipar os almoxarifados, através de recursos de tecnologia de informação, aumentando, assim, a produtividade. c) Realizar treinamento de pessoal, de modo a reforçar a aplicação dos procedimentos de identificação e de controle e estocagem de materiais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 187 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroA disposição das oficinas, dos armazéns, da área de docagem, do dique,da carreira e das áreas de suporte, obedece a uma lógica deprocessamento e deslocamento otimizado.Logo após a entrada do estaleiro, existe um depósito de chapas metálicastrazidas do fornecedor, via transporte rodoviário ou marítimo. Em ambosos casos existe acesso rápido pelo fornecedor a esse depósito. Dali aschapas são transportadas por pontes de carga até a oficina dejateamento, situadas a frente do depósito. Depois disso, estas são levadaspor pontes rolantes para a oficina de processamento de chapas, ao ladoda oficina de jateamento, onde receberão corte, soldagem,encurvamento; conforme o caso cujo layout é funcional. Paralelo à oficinade jateamento há um estoque fechado de peças e materiais, que está tãopróximo da entrada do estaleiro - para descarga de fornecedor – quantodo depósito aberto de chapas metálicas.Adiante há uma marcenaria e uma oficina de soldagem de pequenas peçasmetálicas, para suprir todas as demandas do estaleiro.Num local mais isolado das demais áreas, existe um estoque específico,para produtos inflamáveis ou tóxicos, que se mantém fechado e comelevado rigor de controle de entrada e saída desses itens.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 188 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Como o estaleiro atende à demanda naval e offshore, há um dique secopara embarcações pequenas e um cais com capacidade para docagem denavios de grande porte ou plataformas. O dique e o cais estão próximosum do outro, de forma que possibilitam o compartilhamento de materiaisbásicos (tábuas de madeira, andaimes, cabos, entre outros) do estoqueintermediário que fica disposto entre eles em local aberto. Foto 17 - Vista geral do dique.Entre esses locais de montagem, também existe uma oficina demanutenção, uma ferramentaria central, uma casa de bombas e um paiolde extintores; todos com o fim de atender às necessidades dos navios eplataformas no seu entorno.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 189 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 18 - Vista da casa de bombasObserva-se, inclusive, guindastes fixos, de capacidade e quantidadelimitada em relação à capacidade de montagem do estaleiro, dedicadas aodique seco e ao cais. Foto 19 - Guindastes em operação junto ao cais.O deslocamento das chapas processadas até as oficinas de montagem dosmódulos não é otimizado, já que é necessário contornar a área do dique e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 190 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6do cais para chegar às três oficinas. No entanto, esse distanciamento écompensado pelo fato de as três oficinas de montagem dos módulosestarem situadas ao lado da carreira de montagem de embarcações.Assim, as três oficinas estão dispostas lado a lado e o layout de cada umaé posicional, ou seja, a mão de obra trabalha em torno do produto. Odeslocamento das sub-montagens dentro das oficinas obedece a umasequência progressiva de montagem.Ao final do primeiro galpão, a sub-montagem é transportada para ogalpão ao lado, por meio de pontes de carga, para a continuidade doserviço, até que chega ao último galpão, onde uma barreira de alumínio ésuspensa para colocação do módulo sobre a carreira. Do outro lado dacarreira existe uma oficina de pintura fechada e uma aberta. No primeirocaso, há um teto móvel para colocação dos módulos pintados em cima dacarreira. Ao lado destas oficinas, há uma oficina de tubulações. Como osspools não são fabricados pelo estaleiro, há acesso, pelo fornecedor, aessa oficina por via marítima e rodoviária.Os prédios de suporte à atividade do canteiro estão situados na regiãocentral do estaleiro e o vestiário encontra-se atrás desses prédios; maispróximos às oficinas de montagem dos módulos e da carreira.É dada grande importância ao planejamento, principalmente aosequenciamento das atividades, para que não existam conflitos entre asáreas. O planejamento procura fazer com que as atividades ocorram emuma seqüência lógica de construção e montagem. Foi enfatizado, durantea visita, que um dos fatores para o bom planejamento e sequenciamento
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 191 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6das atividades é a existência de um sistema integrado de gerenciamentodo empreendimento.Os postos de trabalho são organizados em torno dos módulos. No entanto,foi observado pelos pesquisadores que as distâncias de deslocamentopodem ser melhoradas.Em geral, as condições de SMS no canteiro são boas, existindo umnúmero adequado de sinalizações relativas a instruções de SMS. Osoperários usam uniformes e os EPIs necessários para a execução dasdiversas tarefas.As ordens de trabalho, geradas pelo sistema de gerenciamento, contêm osdesenhos técnicos, isométricos e a programação das atividades facilitandoo desempenho das tarefas.As máquinas estão em bom estado de conservação, identificadas atravésde códigos e etiquetas; e possuem instruções de segurança, conservaçãoe utilização.Foi observada a existência de procedimentos de movimentação dematerial. Há áreas definidas para entrada e saída de caminhões, paradescarga de chapas e outros materiais pesados.Como já relatado em outro tópico, o estaleiro possui um layout misto.Apresenta aspectos de layout posicional, mas, também, contém layout
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 192 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6funcional. Este pode ser visto na área de preparação de tubulações e naárea de pintura.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoriaa) Um ponto forte observado é a existência de uma linha de produção de tubulação para atender a todos os projetos no canteiro. Desta forma, consegue-se reunir todos os recursos necessários para essa atividade no mesmo lugar. Portanto, é facilitada a gestão desta atividade em termos de monitoramento e controle.b) A disposição física do trabalho ajuda a integração das atividades, diminuindo o deslocamento das equipes dentro dos mesmos, possibilitando uma maior produtividade no trabalho de montagem e construção dos módulos.c) O fato da programação e o sequenciamento das atividades serem executados através do sistema de gerenciamento do empreendimento é um ponto forte.d) No que se refere à SMS, foi possível observar ampla sinalização relacionada à questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde e limpeza do local.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 193 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Proposição de Melhorias a) Criar um plano para levar ao estaleiro as condições de manufatura enxuta, tendo o cuidado de reduzir as distâncias, intensificar a utilização de gabaritos. Este estudo deve ter como área prioritária o pipe shop. b) Revisão e atualização das condições ergonômicas de alguns postos de trabalho, procurando revisar as atuais condições existentes. Deve ser levado em consideração que alguns trabalhos são realizados em locais confinados e que, nem sempre, esta revisão será possível.O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroFoi observada a existência de uma cultura que busca a melhoria dascompetências em sistemas de gestão de produção, operação e deprojetos. A existência desta cultura é comprovada pelas certificações quea empresa possui, tais como ISO 9001, ISO 14001, ISO 14100, OHSAS18001, SA 8000; e diversos prêmios recebidos na área de projetos dosetor de Óleo e Gás.Conclui-se que o estaleiro está atento para a utilização das boas práticasditadas por organizações como o PMI e CII.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 194 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As normas e procedimentos relativos à Organização da Produção utilizadosna obra são as específicas para cada projeto. Os procedimentos são asconstantes no plano da qualidade. Consolidação das Leis trabalhistas;NR’s; Legislação ambiental; SISLEG; Requisito de QSMS. Há normas,regulamentos, procedimentos, instruções técnicas e instruções de serviçospara a execução das atividades, de acordo com o determinado nos anexoscontratuais específicos do empreendimento.No caso de existência de conflitos entre a legislação, normas e demaisdocumentos utilizadas no empreendimento, o procedimento adotado parasolucionar tais conflitos é o de adotar a legislação mais exigente. Foto 20 - Cartaz existente com os contatos de emergência.A organização tem um sistema integrado de gestão, utilizando aplataforma SAP/R3, que permite a integração total com todas as áreasenvolvidas no empreendimento. O estaleiro utiliza, de maneira extensiva,o software de planejamento e controle, interligando todas as disciplinas do
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 195 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6EPC e a fabricação e montagem, a partir de uma base de dadosalimentada e acessada por todos. Desta forma, a produtividade émaximizada e as informações são disponibilizadas para todos osenvolvidos.A organização trabalha com EAP estruturada no mesmo nível de detalhedo cronograma.O estaleiro trabalha com uma base de dados de planejamento e controleúnico para Contratado e Contratante, com acesso on-line e alimentado porsistema de código de barras.Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) Foi observada na organização a existência de uma cultura que visa obter competências em sistemas de gestão, sejam eles de produção, operação ou projetos. b) O trabalho do projeto está representado através das principais entregas definidas em uma EAP (Estrutura Analítica do Projeto). No entanto, as ferramentas de planejamento e controle continuaram a ser encaradas, por alguns setores da organização do empreendimento, apenas como obrigação contratual e não como ferramenta fundamental para o desenvolvimento bem sucedido do próprio empreendimento. c) Realização de reuniões periódicas de negociação do planejamento com as áreas envolvidas para definir as atividades. Desta forma, são
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 196 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 evitadas interferências entre essas áreas no ambiente de construção e montagem. d) Integração existente entre o planejamento e controle da fabricação, e montagem dos módulos com o planejamento global do empreendimento. e) Integração do planejamento e controle dos fornecedores estratégicos ao planejamento integrado do empreendimento. Além disso, o planejamento e controle não integram a cadeia de fornecimento na extensão necessária, isto é, permitindo uma antecipação em tempo real de ações corretivas nos principais itens de fornecimento.Proposição de Melhorias a) Elaborar um plano de treinamento em gerenciamento de projetos para todos os gerentes de projetos e demais envolvidos. b) Aperfeiçoar a utilização de indicadores/métricas para o monitoramento e melhoria contínua da execução dos projetos, tais como nível de qualidade do serviço de contratadas, nível de satisfação do cliente e nível de satisfação das equipes. c) Proceder a integração do planejamento e controle dos fornecedores estratégicos ao planejamento do empreendimento, com links em número suficiente que permitam, em tempo real, sinalizar ganhos e atrasos de prazos de fornecimento e seus impactos no cronograma geral do empreendimento, para que ações corretivas possam ser tomadas a tempo.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 197 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 d) Verificar a possibilidade de incorporação de metodologias de planejamento integrado bem sucedidas em outros segmentos, tais como a de manufatura enxuta ao mercado de óleo e gás. e) Desenvolver propostas de treinamento e gestão de mudança para serem levadas aos setores ainda renitentes à utilização do planejamento e controle, como ferramenta eficaz de gerenciamento do empreendimento e não apenas uma obrigação contratual.As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSNa estruturação do plano de Sistema de Gestão Integrada, das normas degestão contempladas e dos processos de avaliação, leva-se emconsideração, desde o início, o estabelecimento da Política doEmpreendimento; a partir da elaboração de dois Planos Principais: Planoda Qualidade e Plano de SMS, associados ao manual do Sistema Integradode Gestão - SIG (Corporativo). Baseia-se nas normas NBR ISO 9001/2000e 14001/2004, além das normas OHSAS. Com o apoio do Corporativo, aalta direção do empreendimento participa da reunião de análise críticasemestral e de reuniões periódicas de indicadores de desempenho. A alta
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 198 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6direção está presente nas reuniões mensais gerenciais de QSMS doempreendimento, realizadas junto à fiscalização da contratante.O que observou na visita é que o empreendimento já havia implantado oseu sistema de gestão anteriormente ao contrato em vigor. Os processosde contratação, por obra específica, dificultam a perenização emanutenção das culturas e a contínua evolução dos processos de gestão.O estabelecimento dos controles de atendimento às normas eregulamentos legais e contratuais se dá a partir do acompanhamento dasinformações geradas pela área de SMS, bem como dos resultados dasanálises críticas efetuadas e auditorias realizadas pelo Corporativo eauditorias externas (semestralmente).A avaliação dos indicadores de desempenho é feita em reuniões internas.Consideram-se também os resultados das auditorias da contratante. Porano são realizadas 5 auditorias, sendo 2 internas, 2 externas e 1 dacontratante. b) SuprimentosA organização tem boas práticas de gestão de fornecedores. Existemmétodos, ferramentas e procedimentos que dão suporte a estas práticas.Existe uma boa interação entre Suprimentos e as demais áreas envolvidasno empreendimento. No entanto, é necessário proceder a integração doplanejamento e controle dos fornecedores estratégicos ao planejamentodo empreendimento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 199 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 c) RiscosDurante a visita e, pelas entrevistas realizadas, não foi possível perceber aexistência de um planejamento e controle sistemático de riscos doprojeto, conforme sugerido pelas boas práticas de organizações como PMI,IPMA e CII.Não houve constatação de que a gestão de riscos está integrada aoplanejamento. Será interessante a introdução de ferramentas de análisede riscos, podendo ser utilizadas aquelas preconizadas pelo PMBOK. d) CustosO controle de custos é realizado em reuniões regulares, nas quais sãodiscutidos os níveis de tolerância dos desvios de custos, e as medidaspara contenção de gastos ou de eventuais correções no projeto.Foi observado que inexiste a medição dos custos causados pelas “nãoconformidades” de SMS. Portanto, é interessante o Estabelecimento deum procedimento de controle do custo destas “não conformidades”.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 200 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Oportunidades de Melhorias a) Preparar um plano para prover uma integração plena do planejamento e controle da área de SMS com o restante do planejamento (custo, prazo, suprimentos, etc.), para os empreendimentos em execução. b) Proceder à integração do planejamento e controle dos fornecedores estratégicos ao planejamento do empreendimento. c) Proceder à integração da gestão de riscos ao planejamento geral do empreendimento. d) Proceder à introdução de ferramentas de análise de riscos, podendo ser utilizadas aquelas preconizadas pelo PMBOK. e) Estabelecer procedimentos de controle do custo das “não conformidades” de SMS. f) Estabelecer procedimentos de recursos humanos, para provimento e retenção de mão de obra qualificada para as funções chave no estaleiro, tanto de pessoal operacional e técnico, como de supervisão.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 201 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro F Resultados sumarizados.......................................................202 Organização e Condições Físicas do Canteiro .......................203 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 203 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 210 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho .................210 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 210 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 213 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .....214 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 214 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 217 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro .217 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 217 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 220 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................220 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 220 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 224 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........224 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 224 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 226 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............228 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 228 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 229 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................230 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 230
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 202 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são:• Cultura de SMS amplamente divulgada e praticada;• Conceitos de organização e limpeza praticados em todos os sites;• Forte programa de treinamento abrangendo a todos os trabalhadores;• Responsabilidades claras, objetivas e descritas nos principais documentos de SMS, abrangendo todos os níveis gerenciais;• Relações de subordinação muito bem definidas;• Preservação do núcleo de empregados, mesmo após o término dos contratos;• Preservação da gestão do conhecimento, através da WEB, divulgadas a todos os sites da empresa;• Emprego de ferramentas baseadas na WEB para a análise, armazenamento das informações e divulgação das ocorrências; disponíveis a todos os empregados que possuem acesso à WEB;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 203 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Participação de programas de benchmarking com outras empresas ou estaleiros, para a permanente troca de conhecimentos;• Incorporação dentro dos procedimentos operacionais das questões de SMS. Além de ser um elemento simplificador do processo, transfere ao executante dos serviços a responsabilidade pelo cumprimento das determinações de SMS;• Utilização maciça de tecnologias de várias partes do mundo, em atividades terceirizadas ou mão de obra terceirizada;Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro apresenta boas condições de organização e limpeza. Os postosde trabalho estão bem posicionados nos galpões de trabalho, quepossuem as dimensões necessárias e suficientes para as característicasprodutivas ali desenvolvidas. Essas condições fazem parte da cultura daorganização, disseminada continuamente em todos os níveis de trabalho.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 204 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 1 - Vista parcial do canteiroOs critérios considerados para implantação das edificações, das áreas deestocagem e produção e das redes dos sistemas auxiliares de produção(energia elétrica, ar condicionado, ar comprimido, óleo e gás e outras), noprojeto do canteiro de obras, especificamente no site visitado, sãodependentes das limitações físicas existentes. As instalações são asmesmas dos projetos anteriores e têm atendido às exigências contratuais.Assim, em função dos espaços físicos, são definidos os critérios deocupação dos mesmos. Deve ser considerado, também, que a organizaçãotrabalha com elevados níveis de terceirização entre suas própriasdependências, em vários lugares do mundo, por razões de níveis desalários, facilidades em obtenção de insumos, dentre outras. Dessamaneira, a questão do espaço físico deixa de ser relevante, na medida emque atenda às demandas existentes.Na transferência da fabricação e montagem para sites de terceiros, oestaleiro observou ganhos no cumprimento dos prazos, encurtando operíodo de construção, já que as atividades podem ser desenvolvidas emparalelo. Outro aspecto considerado foi o dos custos, pois se torna mais
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 205 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6barato fazer os trabalhos nos países do Leste Europeu, em razão dosmenores custos da mão-de-obra e da menor incidência de impostos eencargos. Em todos os casos e independentemente das razões para aterceirização das atividades de fabricação e montagem, são oferecidasgarantias contratuais.O estaleiro prioriza a mínima movimentação possível de cargas em altura.Dessa forma, são utilizados trolleys, pórticos e pontes rolantes emdetrimento de guindastes. Como o número de guindastes é pequeno esuas capacidades de carga são limitadas, as movimentações de carga emaltura são dependentes desses quesitos técnicos e de segurança.Todos os equipamentos empregados são definidos em função doscaminhos e rotas existentes, dos tipos de trabalhos realizados e dascondições operacionais e de segurança definidas para cada operação.A definição dos critérios de modularização da fabricação é tomada pelopróprio estaleiro, em vista das necessidades que foram identificadas aindana fase do planejamento das atividades de fabricação e montagem.Por opção da empresa, as movimentações de carga são limitadas apequenas alturas, privilegiando-se as movimentações a pequenas alturas,através de pórticos e pontes rolantes. Para que isso ocorra, recorre-se aum elevado nível de pré-montagens. Assim, há um reduzido número deguindastes em operação no estaleiro.Os trabalhadores são orientados a manter o local de trabalho semprelimpo e sem desperdícios. Os resíduos gerados são segregados e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 206 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6controlados, sendo que muitos são reciclados. Os profissionais de MeioAmbiente da equipe de SMS dão o necessário apoio a essas questões.Esse nível de conscientização já está disseminado pela força de trabalho.Existe uma preocupação em se aproveitar a luz solar através da utilizaçãode telhas transparentes. Outro aspecto em relação à iluminação dizrespeito à utilização de refletores flexíveis dentro dos módulos emconstrução. Assim, a iluminação é otimizada, nos locais em que ailuminação solar ou aquela proveniente das lâmpadas localizadas na partesuperior do galpão é deficiente. Foto 2 - Vista parcial de um dos galpões industriaisA administração do estaleiro apresenta uma forte preocupação com SMS.Todos os profissionais se apresentam uniformizados e utilizando os EPIsnecessários. Além disto, existem diversos cartazes com informações sobreSMS, dispostos em locais de fácil visualização.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 207 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 3 - Vista do interior do chão de fábricaTanto na foto acima quanto na seguinte, percebe-se o elevado grau deorganização e limpeza dos galpões, com áreas de circulação e de depósitode materiais demarcados. Verifica-se a presença de exaustores de ar; e asáreas de circulação utilizadas são facilmente acessíveis. Foto 4 - Vista parcial do arranjo físico do chão de fábrica
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 208 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O arranjo físico contempla um cais de projeto e oficinas junto ao cais. Alocalização das oficinas se dá em função das razões de racionalização dostransportes necessários. Foi observada uma grande quantidade de docas ecais com capacidade para atender a vários clientes e várias embarcaçõessimultaneamente. No momento, a dimensão física do canteiro é adequadaao total de embarcações em processo de reparo ou conversão. E, casohaja necessidade de se aumentar as áreas, há espaço suficiente paraexpansão.As instalações auxiliares ficam localizadas de modo a não interferir nasatividades comuns aos vários empreendimentos, visto que, em muitos dosprocessos, há um elevado número de atividades de modularização, emâmbito interno, que se confundem com atividades de pré-montagem.Essas ocorrem para aumentar os níveis de produtividade do estaleiro.Afora isso, com esses processos, reduz-se bastante o emprego deequipamentos de grande porte para elevar as cargas, priorizando-se otransporte sobre trolleys. Como o número de guindastes é pequeno e suascapacidades de carga são limitadas, as movimentações de carga em alturasão dependentes desses quesitos técnicos e de segurança.Os funcionários são continuamente informados a respeito dos conceitos de"construção enxuta" e "edifício verde". O primeiro conceito é avaliadocomo o da gestão do processo de modo mais barato possível, isto é, partedo processo de melhoria contínua. Quanto aos conceitos de “edifícioverde”, a organização opera dentro dos padrões ambientais estabelecidospelas autoridades governamentais. A organização decidiu colocar muitaênfase no "good housekeeping", que se traduz pelo progresso das obras
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 209 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6com menos incidentes de HSE. Para a empresa, esses são fatores críticospara o sucesso e produtividade.Quanto ao aspecto do acompanhamento das atividades em sites deterceiros, o estaleiro é representado por equipes locais, que ficam ali paraassegurar que o subcontratado opere segundo as normas de HSE daorganização a qual é subordinado o estaleiro, segundo os padrões dequalidade e com a utilização dos procedimentos determinados emcontrato.Um exemplo de inovação tecnológica introduzida no projeto, de modo acontribuir para o cumprimento dos prazos contratuais, é o novo sistemapara rastrear os materiais empregados na montagem. Através daetiquetação com código de barra, os materiais são armazenados elocalizados para aplicação imediata. Assim, reduz-se o tempo de procura eo eventual emprego de material indevido, o que poderia ocorrer comvárias obras simultâneas em um mesmo site. A localização e aidentificação dos materiais são feitas por meio de leitores de código debarras, que conectados com sistemas de geoposicionamento informam deimediato a localização das peças. Estão sendo desenvolvidos esforços nosentido de estender esse processo para os vários sites utilizados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 210 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Aproveitamento racional do espaço em função do número de projetos em execução. A empresa denota considerar as condições de limpeza e arrumação do chão de fábrica como um fator importante para que sejam mantidas boas condições de trabalho. Além disto, apresenta um alto grau de maturidade em relação às condições de SMS. b) Acurado controle de todas as etapas do processo de produção, com capacidade de identificar por país qual o estágio de fabricação para determinado projeto e quais os custos envolvidos.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroFoi verificado que o lay out do estaleiro apresenta boas condições deabsorção dos postos de trabalho. É feito um planejamento doaproveitamento do espaço disponível do estaleiro em relação ao projeto,levando em consideração as limitações de espaço, guindastes etc.Os critérios considerados para implantação das edificações, das áreas deestocagem e produção e das redes dos sistemas auxiliares de produção
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 211 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6(energia elétrica, ar condicionado, ar comprimido, óleo e gás e outras), noprojeto do canteiro de obras, especificamente no site visitado, sãodependentes das limitações físicas existentes. As instalações são asmesmas dos projetos anteriores e têm atendido às exigências contratuais.Assim, em função dos espaços físicos, são definidos os critérios deocupação dos mesmos.Todos os equipamentos empregados são definidos em função doscaminhos e rotas existentes, dos tipos de trabalhos realizados e dascondições operacionais e de segurança definidas para cada operação.O arranjo geral é posicional. Assim sendo, os insumos convergem para olocal onde se dará a montagem. Os postos de trabalho orbitam em tornodessa montagem, de modo organizado e disciplinado. Como há um efetivocontrole da produção, por meio de sistemas informatizados de controle, asatividades se desenvolvem de modo a garantir a continuidade dosserviços, sem lapsos de tempo, razão pela qual deve existir umaracionalidade no posicionamento dos postos de trabalho.Quando são realizadas atividades que necessitem de cuidados especiais(em função, por exemplo, das características dos materiais e insumosempregados, dimensões e geometrias das peças, formulação dassubstâncias empregadas, equipamentos e ferramentas utilizados), sãoelaborados estudos de análise de riscos. Estes estudos contemplam,inclusive, as eventuais interferências com as demais atividadesdesenvolvidas no mesmo site. Essas ações são previstas no planejamentodas atividades.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 212 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Nas entrevistas, conduzidas com a administração do estaleiro, foiinformado que o conceito de operário flexível é utilizado. O grupo possuioutras empresas que são especializadas em atividades como elétrica,instrumentação etc.. É dada para estas empresas a preferência nacondução destas tarefas. A razão apresentada para esta decisão é a deque elas possuem maior capacidade e competência na condução de taltipo de atividades.Existe por parte da administração do estaleiro a preocupação em manter aforça de trabalho em nível estável. Desta forma, garante-se a manutençãoda capacidade e competência. Toda mão de obra recém admitida ésubmetida a treinamento formal.Dentro da política desenvolvida pela administração do estaleiro no sentidode facilitar a execução das tarefas pelos funcionários, existem desenhostécnicos, isométricos e desenhos em “3D” nos diversos locais de trabalho.Desta forma, possíveis dúvidas podem ser facilmente resolvidas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 213 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 5 - Desenho 3D utilizado para facilitar execução de tarefas.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Otimização dos vários ambientes de fabricação, levando em consideração fatores como espaço, localização de guindastes etc.. b) Utilização de padrões de esquemas de fabricação, desenhos 3D, desenhos técnicos etc., na área de produção, facilitando o trabalho e a verificação de eventuais desvios. c) Utilização de treinamento formal para pessoal recém admitido.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 214 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 d) Existência de política de permanência da força de trabalho sempre que possível. Desta forma, consegue-se manter o nível de aprendizado alcançado ao longo do projeto.Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO site apresenta boas condições de transporte e movimentação. Existeuma preocupação em se dotar o canteiro de áreas que permitam efacilitem o deslocamento dos meios de transporte, para movimentação decargas.Foi observada, também, a existência de pequenos carros para transportede pequenas cargas, pontes rolantes para transporte de cargas dentro dosgalpões, guindastes para transporte de médias e grandes cargas ecaminhões-aranha para transporte de cargas mais pesadas.De uma maneira geral, o estaleiro apresenta uma capacidade muito boaem relação a equipamentos de transporte. Existe um planejamento dasoperações complexas de rigging e elevação de cargas. No entanto, não éutilizado nenhum software especial para tal planejamento. Esteplanejamento é feito utilizando-se ferramentas de uso geral como 3D. Foiobservada a existência de procedimentos, listas de verificação para asoperações de elevação de cargas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 215 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foto 7 - Ponte rolante para transporte de peças no interior de galpão.Foto 8 - Caminhão aranha utilizado para transportar cargas pesadas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 216 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 9 - Vista de montagem executada no estaleiro.Na foto anterior, tem-se um módulo em final de processo decomplementação, protegido por uma cobertura deslizante sobre trilhos,que assegura a continuidade dos trabalhos mesmo sob condiçõesambientais adversas.Da mesma maneira que os guindastes fixos ou gruas, as pontes rolantesexistentes no interior dos galpões auxiliam no processo de fabricação, pré-montagem ou montagem. Suas capacidades de carga estãodimensionadas em função das atividades. Havendo necessidade, em ummesmo galpão, podem existir duas pontes rolantes que passam amovimentar a mesma carga. Normalmente, nos galpões, há apenas umaponte rolante. Isso não significa que a ponte é o único meio demovimentação de cargas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 217 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaO estaleiro apresenta boas condições de transporte e movimentação.Existe uma boa diversidade dos equipamentos de transporte, atendendo atodas as necessidades de transporte de cargas dentro das instalações doestaleiro.Há um planejamento das operações de elevação de cargas maiscomplexas. Além disto, comprovou-se a utilização e existência deprocedimentos para movimentação e elevação de cargas.Um ponto forte observado é o fato de que, ao término de um projeto, sãoavaliados e alterados, se for necessário, os procedimentos utilizados. Asanálises das lições apreendidas são repassadas para todos os demais sitesda organização.Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro apresenta um bom nível de automação das máquinas eequipamentos. Existe preocupação da administração para focar emautomação, na área de projeto e na área de fabricação. Na engenharia,são utilizados recursos de PDMS e PDS, que são recursos de tecnologia deinformações auxiliares. Em relação à automação das máquinas e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 218 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6equipamentos, é dada prioridade aos aspectos de SMS, além do aumentoda produtividade. Utilizam-se recursos modernos como, por exemplo:tecnologia PDA para controle e localização dos pipe spools. Além disto,utilizam softwares de gestão de projetos. Foto 10 - Mesa de corte de chapas planas, com máquinas modernas. Foto 11 – Cobertura de um dos galpões de fabricação, com destaque para as placas absorvedoras de ruídos, evitando que esses possam ser nocivos à saúde humana.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 219 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A empresa possui estaleiros especializados para atividades específicas epreparados para esses serviços. Havendo necessidade, é feito oplanejamento das atividades específicas, em que são dimensionados ouescolhidos os dispositivos mais bem indicados. Há critérios básicos, comoo de as novas máquinas associarem qualidade de desempenho aoatendimento aos requisitos de segurança.Os critérios considerados para a definição dos planos de manutenção,reparos, liberação e identificação das máquinas, equipamentos eferramentas, são definidos pelo departamento de manutenção, que éresponsável pelas ações. Para tal, é requerido que sejam repassados aesse departamento os dados referentes ao cronograma do projeto, o queserá necessário e quando. As ferramentas mais perigosas, querepresentem riscos de acidentes, têm uma identificação própria.Os empregados são orientados a avaliar as condições de segurança desuas ferramentas, todas as vezes em que forem buscá-las naferramentaria. Havendo problemas, esses devem ser relatados deimediato para a substituição das ferramentas.Os equipamentos e ferramentas são mantidos em condições de usoimediato.As máquinas e equipamentos que requerem uma operação especial têmem sua proximidade instruções específicas, ou orientações afixadas nopróprio equipamento. Em princípio, o trabalhador somente poderá operaro equipamento para o qual foi treinado e capacitado.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 220 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) A empresa entende as vantagens da utilização de dispositivos automatizados na produção, de maneira a aumentar as condições de SMS, maximizar a produtividade e qualidade. Além disto, estende a utilização da automação para outras áreas, como engenharia, gestão de estoques, administração e outras. Desta forma, aperfeiçoa sua gestão, de maneira a alcançar os benefícios de uma utilização geral da automação e conseguir um aumento da produtividade global. b) Existe um cuidado para que os equipamentos e ferramentas sejam mantidos em condições de uso imediato. Além disso, as máquinas e equipamentos que demandam uma operação especial têm instruções específicas ou orientações afixadas no próprio equipamento.Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO controle de estoques do estaleiro apresenta condições muito boas. Aarrumação e o acondicionamento dos estoques se apresentam dentro dascondições técnicas recomendadas. Estão dispostos em cima de pallets,não estando armazenados sobre o chão. As pontas de materiais, como
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 221 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6tubos, estão protegidas com caps de plástico para impedir contaminação.Dentro dos galpões, existem prateleiras para uma perfeita armazenagemdos materiais estocados. Esta prática facilita a gestão e controle dosestoques e aperfeiçoa o aproveitamento dos espaços. Os estoques sãocontrolados através de sistemas informatizados que proveem alocalização, a entrada e saída de itens. Para a identificação dos itensestocados, são utilizados tags com códigos de barras, que permitem aidentificação e rastreamento dos mesmos.Em relação à armazenagem das peças e equipamentos, percebe-se que háprocedimentos, técnicas e rotinas que buscam evitar problemas de perdada qualidade da peça, motivada, por exemplo, pela oxidação, umidade ecorrosão.Em relação à catalogação dos materiais guardados nos almoxarifados,observa-se a utilização de boas práticas tais como: regras de codificaçãodos itens armazenados, separação por tipo/família, identificação deprateleiras e identificação por projeto.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 222 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 12 – Cobertura deslizante sobre trilhos empregada na linha de produção para proteger os trabalhadores e as atividades das condições climáticas adversas. Foto 13- Identificação de peças através de Tags.Por intermédio da leitura dos códigos de barra de identificação dosinsumos, como apresentado na foto anterior, consegue-se localizar a realposição de depósito do material e todos os custos a ele envolvidos, bemcomo o momento planejado para a sua aplicação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 223 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 14- Sistema automatizado de soldagem de chapas.Para a catalogação e codificação dos materiais nos almoxarifados, existeum sistema computacional interligado com toda a empresa. Tal sistemacontrola não só aspectos físicos, como peso e dimensões, como aspectoseconômicos, como custos de fabricação e o total de homens hora gasto nafabricação e manuseio, e aspectos logísticos, como a localização da áreade estocagem. Através desse sistema, consegue-se identificar o local dearmazenagem de imediato. O sistema é continuamente alimentado deinformações que podem ser acessadas em todos os sites da empresa.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 224 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoria a) De uma forma geral, percebe-se que há procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro. Há um número adequado de equipamentos de transporte e elevação, conforme as necessidades atuais do estaleiro. b) O estaleiro utiliza as boas práticas em relação à guarda, identificação, movimentação e gestão dos estoques. Além disto, existe a preocupação de utilizar os recursos de tecnologia de informação, necessários para a boa prestação dos serviços.Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroA construção segue um sequenciamento lógico, que busca oaprimoramento das atuais instalações do estaleiro. A busca daracionalidade dos trabalhos executados no estaleiro é aperfeiçoadaatravés de reuniões de planejamento. Nestas reuniões, foca-se noplanejamento das operações, de modo a se obter o melhor roteiro,considerando-se aspectos tais como: SMS, plena utilização do espaço,disponibilidade de equipamentos de transporte e elevação, entre outros. Oprojeto procura utilizar o conceito de modularização, facilitando, desta
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 225 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6forma, o trabalho e procurando uma disposição física que ajuda aintegração das atividades, diminuindo o deslocamento das equipes.As instalações industriais proporcionam proteção para os colaboradores,apresentando boas condições de limpeza, iluminação e segurança. Sãoapresentadas, ainda, boas condições de utilização dos equipamentos detransporte, diminuindo as distâncias percorridas e os temposimprodutivos. Desta forma, consegue-se melhorar bastante as condiçõesde produção.Ainda no que se refere à SMS, foi possível observar ampla sinalizaçãorelacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde elimpeza do local. Foi observado, ainda, o uso permanente deequipamentos de proteção individual.Existem áreas de coleta seletiva de material nos galpões, porém não foiverificado se o procedimento de separação de materiais estava sendorealizado.É importante ressaltar que as preocupações com SMS são iniciadas nafase de engenharia. Nesta fase são utilizadas técnicas como HAZOP,FMEA, dentre outras. Estas preocupações também se estendem aosfornecedores e subcontratados, que recebem as especificações desegurança que devem ser seguidas.Observou-se a existência de procedimentos de movimentação de material,havendo uma preocupação com o estabelecimento de áreas, para odeslocamento dos equipamentos de elevação e transporte de cargas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 226 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Existe uma preocupação em se planejar a programação e osequenciamento das atividades, que são apresentados aos operários.Existem quadros impressos, com desenhos/instruções de execução einspeção dos trabalhos técnicos da produção, com ótima qualidade deimpressão, facilitando o entendimento e execução das tarefas.Como já observado, o estaleiro tem uma boa utilização das condições deautomação das diversas atividades que constituem o empreendimento. E,assim, consegue-se um aumento da produtividade geral. Foto 15 - Workshop de corte automático de chapas metálicas.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Existência de procedimentos de movimentação de material, com áreas definidas para descarga de chapas e outros materiais pesados, além do amplo uso de equipamentos de elevação e transporte de cargas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 227 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6b) Elevada produtividade na utilização dos modais, obtida através de um planejamento adequado.c) Cultura da organização com foco no planejamento. O modelo de planejamento e controle adotado atende a todas as atividades e contempla todas as disciplinas envolvidas. Esse planejamento é continuamente analisado, com discussões diárias ou semanais em vários níveis gerenciais; os resultados são repassados a intervalos semanais. Um ponto forte são as reuniões de planejamento das operações, visando o seu aperfeiçoamento. A apresentação frequente do resultado destas reuniões também é uma boa prática utilizada na produção.d) Existência de quadros com desenhos 3D, permite um melhor entendimento e esclarecimento de dúvidas por parte dos empregados.e) Ampla sinalização relacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde e limpeza do local.f) Utilização bem sucedida de controles de fabricação e montagem, além daqueles repassados para as subcontratadas. Este controle é feito através de sistema gerencial da própria empresa. Os relatórios gerenciais são gerados pelo próprio sistema e divulgados conforme programação, sendo realizadas análises periódicas dos desvios ocorridos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 228 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroO empreendimento é definido em suas diferentes fases, contendo adescrição das principais atividades; e divide-se em fase estratégica e fasede execução. Todas as fases do projeto têm listas de verificação. Foiobservado que são utilizados, intensamente, recursos de tecnologia dainformação no desenvolvimento do projeto.Há uma forte preocupação, por parte dos gestores, com a redução decustos no projeto. E, para isto, são utilizados conceitos como:modularização, especialização, utilização de centros de engenharia demenor custo, utilização de subcontratados para execução das partes quevão constituir os módulos, utilização de empresas especializadas emoperações como pintura, isolamento, dentre outras. Em virtude destadivisão das atividades do empreendimento por vários fornecedores esubcontratados, existe uma grande necessidade de planejamento econtrole. Portanto, a utilização de recursos adequados de tecnologia dainformação é essencial.Existe, claramente, uma cultura que visa desenvolver competências emsistemas de gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 229 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6São feitas reuniões de avaliação dos procedimentos utilizados nosempreendimentos anteriores, para que sejam obtidos conhecimentosatravés das lições aprendidas nesses empreendimentos precedentes.Os gestores do estaleiro dão ênfase ao treinamento dos recursos humanostécnicos internos. Além disto, há uma preocupação constante em relaçãoao entendimento dos subcontratados e fornecedores em relação àsnormas de SMS.Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) Um ponto positivo é a existência de um sistema de gerenciamento de empreendimento customizado, no qual é descrito como o empreendimento é executado, quais os entregáveis, quais os pontos de verificação e outros. b) Há uma forte preocupação com a redução de custos sem descuidar da qualidade, segurança e cumprimento de prazos. Para que esta redução ocorra, diversas técnicas já descritas anteriormente são utilizadas. c) Observou-se, também, a existência de foco na manutenção das melhores práticas utilizadas durante o empreendimento.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 230 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSObservou-se a existência de uma integração plena do planejamento econtrole da área de SMS com o restante do planejamento (custo, prazo,suprimentos, etc.), para os empreendimentos em execução.A estruturação do Sistema de Gestão do empreendimento, abrangendonormas de SMS, ocorre com a integração dessas e o seu efetivo empregoem todos os sites do empreendimento, com o cumprimento obrigatóriopor toda a estrutura operacional da empresa e pelas empresassubcontratadas.A gestão do processo se dá através do sistema desenvolvido pelaorganização, com módulos relativos à execução e à gestão dos projetos. Omódulo de acompanhamento de projetos contém os elementos deengenharia de produção, SMS, inclusive de sites distintos, e outros. Omódulo de gestão apresenta os controles, check-lists e procedimentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 231 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 16 – Sistema de controle da liberação de montagem dos andaimes.Para o controle de atendimento às normas e ou regulamentos legais econtratuais, são empregadas sistemáticas distintas. No contrato docliente, há exigências que devem ser cumpridas pelas contratadas.Ocorrendo um acidente, todos os responsáveis e envolvidos sãoconvocados para a análise e explicação das causas e conseqüências,dando divulgação dessas a todos os empregados. Uma das formas dedivulgação se dá através da inserção das informações na WEB. Como aorganização possui vários sites em vários países do mundo, esse tipo dedivulgação se mostra bastante eficiente, pois as informações fluem quasede forma instantânea, possibilitando a adoção de atitudes preventivasmais precocemente.As empresas subcontratadas devem ser avaliadas através de check-listsespecíficos, verificando, dentre outras coisas: como lidam com asquestões de SMS. Quanto a isso, o estaleiro, antes de qualquer
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 232 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6subcontratação, verifica o perfil e as qualificações da empresa,principalmente quanto às questões relacionadas a SMS, inclusiverealizando auditorias periódicas antes de oferecer um contrato definitivo.Após a contratação, são estabelecidas auditorias regulares. Comumente, amaioria dos procedimentos, quando pertinentes, contém lista dosrequisitos legais a serem atendidos ao longo do contrato.Os padrões adicionais adotados pelo empreendimento, além daquelesconsiderados universais, são: Certificado de acordo com o Mark Assmann14001, OHSAS 18001, normas específicas para o estaleiro e normasinternas do estaleiro e avaliações anuais, que são comparadas a outrasempresas dentro da organização.Uma vez por mês, são realizadas palestras com maior duração e KPIsestabelecidos para a gestão de SMS, no qual pode ser avaliada a“qualidade” das inspeções realizadas pelas equipes, pontuadas de 1 (ruim)a 5 (perfeito).Cada vez que um projeto é concluído, são avaliados e alterados, quandonecessário, os procedimentos de SMS, havendo uma avaliação dosprocedimentos que estão na organização e do que foi feito com os elesdurante o projeto; ou seja, incorporam-se aos procedimentos todas asalterações realizadas. Para isso, existe um controle do que foi redigido edo que foi aplicado, muitas vezes em função das características dasoperações.Para o estaleiro, a estruturação das atividades de SMS na fase do projetobásico possibilita uma integração de forma controlada. A equipe do
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 233 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6projeto deve compreender as decisões-chaves relacionadas às atividadesde SMS em cada fase do processo, para tomar as ações necessárias parauma execução segura, com medidas de controle adequadas. Aresponsabilidade de execução / cumprimento dos requisitos de SMS noprojeto recai sobre toda a estrutura organizacional. Normalmente, noempreendimento, há pessoas dedicadas às atividades de SMS, com papéise responsabilidades específicas. Em particular, o Gerente de SMS éresponsável pela identificação e documentação dos requisitos de SMS noprojeto, além da execução das análises de SMS e estudos como o QRA, afim de assegurar que as premissas básicas de SMS sejam adequadamenteatendidas em todas as atividades. O Gerente de SMS também éresponsável pela análise e auditoria dos processos.O planejamento das ações de SMS é estabelecido desde a concepção doprojeto básico, sendo que os membros da equipe e os demais empregadosdo estaleiro tomam conhecimento durante os programas de treinamento,encontros técnicos, orientações verbais e por meio da divulgação dosquadros de aviso e mídia eletrônica. Durante o horário do almoço, sãorepassadas orientações básicas de SMS, através dos aparelhos detelevisão nos refeitórios. b) SuprimentosExiste uma boa integração entre a equipe de suprimentos com as demaisequipes do site, principalmente com a equipe de planejamento e controle.Esta é a responsável por obter e analisar todas as informações relativasao projeto. Havendo eventuais atrasos ou outros problemas em relação asuprimentos, são promovidas reuniões específicas com os responsáveis
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 234 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6pelas áreas, reuniões semanais com todos os gerentes do projeto equinzenais com os gerentes dos empreendimentos.As atividades de compra de materiais e insumos são deresponsabilidadeda organização, sendo o cliente consultado sobre alguns aspectos quepossam vir a gerar algum tipo de impacto, seja nos preços, nos prazos oueficiência. Assim, a organização é responsável por todo o processo decompra, sendo que o cliente é consultado para decidir quais osfornecedores que a organização deve buscar dentre aqueles previamenteselecionados – cadastrados em função de uma série de quesitos (prazos,custos, qualidade, confiabilidade, suporte técnico, entre outros.).Quanto aos aspectos de sustentabilidade organizacional e social, ocontratante dos serviços não define nenhum tipo de exigência para aorganização, o que não impede que essa venha a se engajar emcampanhas locais, através do patrocínio ou doação de bens.Há um acordo com a Federação Internacional dos Metalúrgicosparaassegurar a todos condições dignas de trabalho; e há o reconhecimentode uniões em que a organização esteja operando.O funcionamento dos controles de fabricação e montagem dos contratosdo estaleiro e aqueles repassados a subcontratadas se dá através desistema gerencial da própria empresa. Os relatórios gerenciais sãogerados pelo próprio sistema e divulgados de acordo com asnecessidades.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 235 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Existem análises periódicas dos desvios que ocorrem no projeto e que sãoidentificados pelo sistema de controle. O sistema de controle abrangetodas as áreas e setores.Os desvios são identificados a partir do que foi planejado, mas não foialcançado. A partir daí são estabelecidas as ações necessárias para acorreção dos mesmos. A cada seis meses é feita a atualização da linha debase das informações. A análise dos riscos é parte do processo inicial.Os processos de engenharia, fornecimento e produção são integrados emnível de sistema de gestão através do sistema desenvolvido pelaorganização. Através desse modelo, os gerentes têm definidas suasresponsabilidades. O acompanhamento se dá com a análise dos “marcos”do projeto, por meio da qual se verifica em que estágio se encontra oprojeto e se avaliam as ações necessárias para se retornar ao cronogramaoriginal. Através do sistema, têm-se condições de avaliar o desempenhode diferentes disciplinas - pois todas são integradas - e os lançamentos dedados consolidados. Periodicamente, são promovidas reuniões com o staffa fim de que esses possam tomar conhecimento dos avanços e dasprovidências necessárias. c) CustosO controle de custos é realizado em reuniões regulares, em que sãodiscutidos eventuais desvios de custos e são definidas as medidas paracorreções no projeto.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 236 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Há uma forte preocupação com a redução de custos do empreendimentodesde seu início, utilizando as técnicas já descritas, sem prejuízo daqualidade dos entregáveis.Os fatores que mais influenciam o emprego de pessoas terceirizadas nasatividades de fabricação e montagem, bem como de projetos, são fruto daprópria experiência do grupo e das características dos projetosdesenvolvidos. Os subempreiteiros têm suas próprias equipes. Lança-semão dessas contratações, muitas vezes temporárias, quando hápossibilidade de os prazos contratuais não virem a ser cumpridos, porrazões que não dependam do estaleiro, ou por este não ter gentesuficiente para a conclusão das tarefas nos prazos requeridos.O estaleiro atua mais na montagem dos produtos. Assim, grande parte deseus componentes são contratados de terceiros, que possuem suaspróprias equipes, sendo supervisionados pela empresa.Não há uma única empresa para o fornecimento de tecnologia ou soluçõestécnicas, como o desenvolvimento de softwares e outros. Assim, háempresas contratadas para essas atividades, escolhidas dentre aquelasque possuam maiores especializações e de acordo com as necessidades deprojeto.Há limitações para o programa de subcontratações ou para aumento doquadro de empregados próprios, que são definidas no início do projeto.Havendo necessidade de se aumentar o quadro de pessoal, esse aumentoacontece por intermédio de subcontratações, no lugar do aumento doquadro fixo ou próprio.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 237 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Os inspetores do estaleiro verificam e avaliam continuamente a gestão daqualidade do processo de produção, intervindo antes que os problemaspossam por em risco o processo de fabricação.São desenvolvidos e aplicados relatórios de avaliação dos níveis deprodutividade, em que se definem um padrão de produtividade ou metaspor serviço, além das normas específicas. Nesses critérios, avaliam-sevárias questões, como o tempo que determinada operação deve levarpara ser concluída.Assim, verifica-se o atendimento a essas determinações semanalmente,atribuindo-se índices, que, somados, compõem os indicadores deprodutividade.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 238 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro G Resultados sumarizados.......................................................239 Organização e Condições Físicas do Canteiro .......................241 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 241 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 254 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho .................254 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 254 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 257 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .....258 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 258 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 261 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro .262 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 262 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 266 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................267 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 267 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 268 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........269 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 269 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 272 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............273 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 273 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 275 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................276 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 276
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 239 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • Grande nível de aculturamento em SMS, permeado em todos os níveis da Organização; explicitado não só por cartazes, como também banners, folders, programas de integração, dentre outros; • Existência de procedimentos, técnicas, rotinas e programas informatizados, que visam assegurar um eficiente controle de entrada e saída de materiais e aplicação de insumos; • Existência de uma cultura que visa obter o incremento das competências em sistemas de gestão, que podem ser de produção, operação ou de projetos; através de divulgação de boas técnicas, programas de intercâmbio entre profissionais, adoção de boas técnicas empreendidas em outros sites, preservação de conhecimento, gerenciamento de desempenhos, dentre outros; • Utilização intensiva da tecnologia da informação, como instrumento de planejamento e controle, e integração entre as diversas áreas da empresa; • Conceitos de organização e limpeza praticados em todos os sites;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 240 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Intenso programa de treinamento abrangendo a todos os trabalhadores;• Responsabilidades claras, objetivas e descritas nos principais documentos de SMS, abrangendo todos os níveis gerenciais;• Relações de subordinação muito bem definidas;• Estrutura de pessoal com prática e estabilidade na organização, principalmente face ao fato da grande carteira de serviços da mesma;• Preservação da gestão do conhecimento, através da WEB, divulgadas para todos os sites da empresa;• Emprego de ferramentas baseadas na WEB para a análise, o armazenamento das informações e a divulgação das ocorrências a todos os empregados que possuem acesso à WEB;• Participação de programas de benchmarking com outras empresas ou estaleiros, para a permanente troca de conhecimentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 241 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroQuando se analisa a questão da dimensão física do estaleiro juntamentecom a questão da disponibilidade das máquinas, equipamentos,instalações e sistemas, sob a forma de arranjo físico, é possível verificarque o estaleiro foi construído seguindo um esquema em que asinstalações auxiliares ficam ao redor do cais.O arranjo físico contempla um cais de projeto e oficinas junto ao cais, demaneira a racionalizar os transportes necessários. Percebe-se uma grandequantidade de docas e cais que têm capacidade para atender a váriosclientes e a várias embarcações simultaneamente. Foto 1 - Vista parcial do estaleiro com embarcações e plataformas em reparos, conversões ou construção.Atualmente, a dimensão física do canteiro influencia no total deembarcações que estão em processo de reparo ou conversão. Entretanto,havendo necessidade de aumento de espaço para novos projetos, umnovo arranjo pode ser considerado.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 242 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O layout do principal estaleiro do grupo possui a seguinte distribuição deedificações, equipamentos, cais e docas: Figura1: layout do canteiroNessa distribuição há um cais principal capaz de receber embarcações de400.000dwt, com dimensões de 380m x 80m x 13m; área de galpões defabricação com 42.500m2; e área aberta de produção comaproximadamente 15.000m2. A organização possui três outros locais defabricação e reparos de embarcações no país visitado; e estaleiros emoutros locais do mundo.O estaleiro analisado possui 430.000m2 e três docas secas paraembarcações com dimensões de: 350m x 66m; 355m x 60m e 301m x52m.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 243 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Outro site da empresa possui 350.000m2 de área e duas docas secas comcapacidades para receber navios com as dimensões de: 350m x 60m e300m x 60m.Existe, ainda, mais um site com uma área de 140.000m2 e um cais comcapacidade para receber navios com mais de 150m de comprimento.Nesse estaleiro há três docas flutuantes com capacidades de 14.000ton,5.000ton e 7.500ton. Foto 2- Vista parcial de um dos galpões de fabricação, com equipamento de transporte de cargas sobre pneus.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 244 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foto 3 - Vista parcial do canteiro, vendo-se em primeiro plano o estoque de granalha de aço para o jateamento e limpeza de chapas.As instalações auxiliares são localizadas de modo a não interferir nasatividades comuns aos vários empreendimentos. Isto decorre do fato deque em muitos processos utiliza-se a técnica de modularização.Assim, aumentam-se os níveis de produtividade do estaleiro. A utilizaçãodessa técnica reduz bastante o emprego de equipamentos de grande portepara elevação de cargas; priorizando-se o transporte sobre trolleys ououtros dispositivos de transporte de baixa altura. Nessas condições, quasesempre os transportes são realizados com conjuntos ou com partes pré-montadas, o que torna mais ágil o processo de montagem.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 245 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 4 - Arranjo fisco do canteiro. Foto 5 - Vista geral de montagem de equipamento com utilização de equipamentos de elevação.A modularização do projeto é definida em função de vários aspectos; emespecial, em função da redução de prazos e custos e da facilidade defabricação. Nestes casos, muitas vezes as obras são terceirizadas, poisvisam à redução de custos de materiais e de mão-de-obra. Quando a
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 246 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6modularização ocorre no próprio estaleiro, algumas das razões são afacilidade de montagem e o emprego de equipamentos de movimentaçãode cargas de menor porte. Quando se está trabalhando com estruturaselevadas e esta é modularizada, reduzem-se os riscos de trabalhos emaltura, já que estes passam a ser necessários somente na interligação dosmódulos ou quando os serviços são completados. Foto 6 - Exemplo de modularização de estruturas.Os processos de modularização podem ocorrer com estruturas como aapresentada na foto anterior, na qual aparecem estruturas eequipamentos de maior porte. Isso depende das necessidadesoperacionais e de cronogramas de montagem; da disponibilidade deespaços físicos e de equipamentos de transporte; das definições dadaspelos clientes; e do envolvimento de terceiros no processo de fabricação emontagem. Como a organização possui vários estaleiros localizados empaíses distintos e, até mesmo, vários empreendimentos em um mesmopaís, pode-se utilizar a mão-de-obra que está temporariamente ociosa emum estaleiro ou aquela que tem melhores condições de executardeterminadas estruturas para a produção de partes das embarcações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 247 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 7 - Vista parcial de montagem de equipamento.O estaleiro pode utilizar a terceirização por várias razões; por serviçoseventuais ou pontuais, por exemplo. Também é possível terceirizarserviços que representem maiores riscos ou maiores custos, comoserviços que demandem uma mão-de-obra muito especializada.Como a capacidade dos guindastes é muito importante no processo dereparo, construção ou conversão de embarcações, os projetos sãoavaliados sob a ótica da movimentação das cargas e das docas quepoderão ser utilizadas. Nos processos de conversão há cargas queprecisam ser removidas, tais como equipamentos, partes do casco eoutras, e há também cargas que precisam ser inseridas. Nesses casos, hánecessidade de áreas não só para a movimentação das cargas comotambém para o armazenamento temporário, razão pela qual o processode movimentação ganha importância destacada. Além disso, para amovimentação de cargas pesadas ou com geometrias especiais, torna-senecessária a disponibilização de espaços e caminhos que podem não estar
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 248 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6disponíveis, especialmente quando a carteira de serviços do estaleiroencontra-se com grande volume de clientes. Portanto, os estudos demodularização e de movimentação de cargas passa a ser relevante; assimcomo a disponibilidade dos insumos deve estar o mais próximo possíveldos locais de suas aplicações. Foto 8 - Exemplo de área para movimentação de cargas.A área mostrada na foto acima se encontra à beira do cais, com grandefluxo de pessoal e veículos. Os equipamentos de guindar, neste caso,estão sobre trilhos. Como a capacidade é menor, são realizadas nessescasos movimentações de cargas de menor peso, deixando as cargasmaiores para serem movimentadas nas docas secas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 249 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 9 - Vista geral da área de montagem.Para as cargas mais leves são utilizadas empilhadeiras de váriascapacidades ou guindastes sobre pneus.Foi observado que os equipamentos são fornecidos aos trabalhadores deacordo com as características das atividades que irão desempenhar.Foto 10 – Uma das muitas plantas de situação do estaleiro, distribuídas para orientação aos trabalhadores.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 250 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Os equipamentos são mantidos conservados e inspecionados nosalmoxarifados, que estão situados em vários locais. Foto 11 – Um dos inúmeros locais de armazenamento de materiais, bombas, a serem aplicados nas embarcações.Os equipamentos de transporte de maior porte são operados portrabalhadores qualificados e com as atividades controladas. Esse controlepassa, inclusive, por avaliações das sociedades classificadoras, em setratando de cargas elevadas ou com geometrias especiais. Quanto aosdemais equipamentos, portáteis ou não, há todo um programa detreinamento e de manutenção em vigor.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 251 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 12 – Trabalhador limpando sua área de trabalho ao final do expediente.Os trabalhadores são orientados para manter o local de trabalho semprelimpo e sem desperdícios. Foto 13 - Via de transporte no canteiro.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 252 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O estaleiro divulga continuamente informações referentes às boaspráticas, aos cuidados especiais quanto a questões de SMS e àsorientações sobre serviços; divulgando aos seus empregados asorientações específicas, seja através de banners, de instruçõesposicionadas nos próprios equipamentos, de instruções específicas e, alémdisso, através de orientações e treinamentos ministrados continuamente. Foto 14 - Cartaz alertando sobre condições inseguras.Afora isso, há tabelas e quadros voltados para atividades específicas, taiscomo: angulação de chanfros, soldas, pinturas e outros.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 253 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 15 - Tabelas existentes com informações sobre soldagem.Nas máquinas especiais há adesivos com informações sobre a operaçãodas máquinas e cuidados sobre SMS. Foto 16 - Equipamento com adesivo com informações sobre condições de operação da máquina.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 254 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria a) A empresa considera as condições de limpeza e arrumação do chão de fábrica como um fator importante para que sejam mantidas boas condições de trabalho. Além disso, apresenta um alto grau de maturidade em relação às condições de SMS. b) Existe conhecimento sobre as vantagens da utilização da modularização para se obter ganhos de produtividade e de eficácia na utilização dos equipamentos de grande porte para elevação de cargas. c) É dada grande atenção ao estado dos equipamentos fornecidos aos trabalhadores, de acordo com as características das atividades que desempenharão. Além disso, existe a preocupação de manter cartazes no chão de fábrica, com informações sobre serviços; quando estes são especiais e requerem contínuo fornecimento de dados.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroSendo o arranjo geral do estaleiro posicional, os insumos convergem parao local onde se dará a montagem. Os postos de trabalho estãoposicionados em torno dessa montagem organizadamente. Como há um
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 255 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6efetivo controle da produção, por meio de sistemas informatizados decontrole, as atividades se desenvolvem continuamente.As atividades de fabricação e montagem de estruturas metálicas degrande porte, como navios e módulos, não possibilitam que sejampriorizadas as questões ergonômicas, não só pelas grandes dimensõesdesses empreendimentos como também pelas naturais dificuldades deconexões, reparos e ajustes. Desta forma, há situações onde são exigidosesforços físicos adicionais. Foto 17 – Interior de um dos pipeshops.Nos postos de trabalho de corte, solda, pré-montagem e montagem, foiverificado que existem quadros com as informações técnicas necessárias.As atividades são planejadas e, assim, associam-se os temposdespendidos em cada etapa das mesmas. Com isso, evitam-se situaçõesde gargalos de processos ou descontinuidades, quando a atividade
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 256 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6antecessora foi executada em velocidade superior à atividadepredecessora.Devido ao atual estágio de maturidade em relação às questões de SMS,que permeiam toda a cultura da organização, as atividades de SMS sãocontroladas através da verificação do planejado em lugar doacompanhamento físico das atividades.Os membros das equipes de trabalho são submetidos a treinamentos,avaliações e acompanhamentos de suas atividades ao longo doscontratos. As necessidades de treinamentos são definidas pelosencarregados em função das análises e acompanhamentos efetuados nasequipes de trabalho.Há diversas ações estabelecidas pela organização em busca do aumentocontínuo da produtividade associada à qualidade. O princípio básico é o daassimilação da cultura da empresa, que preza pelo cumprimento deprazos, pela melhoria contínua, pelo atendimento à qualidade e aosprocedimentos de SMS. Todos os colaboradores devem vivenciar essesvalores. A empresa estimula essa postura através de reajustes salariais,levando em conta o desempenho dos trabalhadores, e desenvolvendoações motivadoras. Periodicamente são promovidas reuniões de avaliaçãodas ações e dos resultados alcançados.Percebe-se uma grande quantidade de docas e cais que têm capacidadepara atender a vários clientes e a várias embarcações simultaneamente.No momento, a dimensão física do canteiro influencia o total deembarcações em processo de reparo ou conversão. Contudo, havendo
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 257 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6necessidade de aumentarem-se as áreas para novos projetos, um novoarranjo pode ser considerado. Foto 18 – Equipamentos automatizados empregados no processo de produção.Antes do início dos projetos o estaleiro define o plano de execução dasatividades que está mais bem aplicado; em função do tipo de caisnecessário, da disponibilidade de equipamentos para a movimentação decargas e de espaços físicos para a estocagem provisória dos materiais.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Planejamento da ocupação mais eficaz do chão de fábrica, levando em consideração fatores como: espaço, localização de guindastes, cais, disponibilidade de equipamentos, entre outros. b) Utilização de treinamentos, avaliações e acompanhamento das atividades do pessoal de chão de fábrica ao longo do contrato.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 258 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 As necessidades de treinamento são definidas pelos encarregados em função das análises e acompanhamentos realizados ao longo do empreendimento. c) Forte conscientização em relação à SMS. Esta conscientização permeia a cultura de toda a organização d) Forte conscientização da necessidade de um bom planejamento e controle das atividades do empreendimento para o sucesso do mesmo.Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroOs transportes manuais para pequenas cargas a pequenas distânciasdentro do canteiro de obras dependem mais da geometria das peças doque do próprio peso das cargas. Se não houver uma geometria especial, otransporte é feito pelo próprio trabalhador. Em caso contrário, sãoutilizados veículos ou carrinhos puxados manualmente.Os transportes motorizados no interior do canteiro são feitos porcaminhões de pequeno porte com carrocerias do tipo plataforma oufechadas lateralmente. Esses veículos circulam pelas ruas internas,demarcadas por faixa de trânsito e bastante sinalizadas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 259 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Nas atividades de montagem, principalmente de Topside, é fundamental oemprego de guindastes sobre flutuantes. Assim, a obra deve estarlocalizada junto ao cais. O estaleiro conta com guindastes com capacidadede carga até 3200 toneladas.Como a capacidade dos guindastes é muito importante no processo dereparo ou construção, e mesmo de conversão de embarcações, osprojetos são avaliados sob a ótica da movimentação das cargas e dos caisque poderão ser utilizados. Nos processos de conversão há cargas queprecisam ser removidas, como equipamentos, partes do casco e outras, ecargas que precisam ser inseridas. Nesses casos, há necessidade de áreasnão só para a movimentação das cargas como também para oarmazenamento temporário.Foi observada a existência de guindastes fixos posicionados nas áreas depré-montagem ou de montagem, com capacidades de carga variáveis emfunção não só das carreiras (diques) como também das características dosserviços.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 260 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 19 – Máquina de solda automatizada.À mesma maneira dos guindastes fixos ou gruas, as pontes rolantesexistentes no interior dos galpões auxiliam no processo de fabricação, pré-montagem ou montagem, e suas capacidades de carga estãodimensionadas em função das atividades. Assim, na área de corte dechapas, a capacidade das pontes está compatível com o peso e dimensõesdas chapas cortadas. Havendo necessidade, em um mesmo galpão podemexistir duas pontes rolantes que passam a movimentar a mesma carga.Normalmente nos galpões há apenas uma ponte rolante. Isso não significaque a ponte seja o único meio de movimentação de cargas, pois podemser utilizados trolleys ou empilhadeiras.Constatou-se que a equipe de SMS participa ativamente no processo demovimentação de cargas através do acompanhamento das atividades,
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 261 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6planejamento das ações, elaboração de procedimentos específicos,quando necessários e exigidos pelas sociedades classificadoras.Os critérios estabelecidos para a movimentação de cargas especiais nocanteiro de obras estão contidos no procedimento JHA - Job HazardAnalysis – através do qual são avaliados os perigos e riscos potenciais ecomo estes devem ser superados.Nas atividades de movimentação de cargas são elaborados planos derigging pelo próprio estaleiro ou por especialistas, inclusive das sociedadesseguradoras ou brokers; quase sempre um engenheiro especialista ematividades de içamento. Também podem ser elaborados planos de riggingpelos especialistas das empresas responsáveis pelo fornecimento dosguindastes. Em todas essas atividades há sempre o envolvimento dogerente de segurança da unidade.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) O canteiro apresenta boas condições de transporte e movimentação. Existe uma preocupação em dotar o canteiro de áreas que permitam o deslocamento dos meios de transporte para movimentação de cargas dentro do canteiro, de maneira a aperfeiçoar este deslocamento. b) De uma maneira geral, o estaleiro apresenta uma capacidade muito boa em relação a equipamentos de transporte. Existe um
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 262 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 planejamento das operações complexas de rigging e elevação de cargas. c) Há planejamento nas operações de elevação de cargas mais complexas. Além disso, comprovou-se a utilização e existência de procedimentos para movimentação e elevação de cargas.Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro apresenta um bom nível de automação das máquinas eequipamentos. As máquinas e equipamentos disponibilizados são novos ouapresentam boas condições de operação, com um adequado programa demanutenção. É de conhecimento geral o fato de que os prejuízos causadospela indisponibilidade dos equipamentos normalmente é maior do que ocusto de aquisição dos mesmos.As máquinas e equipamentos que requerem uma operação especial têm,em sua proximidade, instruções específicas ou orientações afixadas nopróprio equipamento. A princípio, o trabalhador somente poderá operar oequipamento para o qual foi treinado e capacitado.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 263 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 20 - Vista geral de máquina mostrando condições de utilização da mesma. Foto 21 – Máquina de solda automática empregada em tubulações.É realizado um planejamento específico em que se dimensionam ouescolhem os dispositivos melhor indicados. Há alguns critérios básicos,como, por exemplo, o fato de as novas máquinas associarem qualidade de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 264 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6desempenho ao atendimento aos requisitos de segurança. Ainda na fasedo planejamento, os gerentes dos setores são consultados sobre o quedeve ser utilizado e quando o será, e se há um equipamento disponívelem outro local que poderá ser disponibilizado.Os critérios utilizados para definir os planos de manutenção, reparos,liberação e identificação das máquinas, dos equipamentos e dasferramentas, são: a) plano de manutenção preventiva dos guindastes,empilhadeiras, etc., focando o que deve ser feito e o momento em queisso ocorrerá; b) planejamento das ações; c) indicação, através de cores,dos equipamentos que sofrem manutenção, associando-se as cores a umperíodo. Através desse processo identifica-se com mais facilidade se oequipamento, máquina ou ferramenta está com a sua manutenção em diae quando irá ocorrer a próxima intervenção.A organização busca, continuamente, novas tecnologias, envolvendoprocessos ou equipamentos que busquem representar significativaredução dos prazos de execução das atividades ou dos custos. O empregode robôs em substituição ao homem, na aplicação de soldas em espaçosconfinados, é um desses exemplos. A mudança de processos, em funçãoda aceleração das atividades de montagem; e a redução de trabalhos emaltura, através da pré-montagem das peças junto ao solo, são exemplosdesta procura da melhoria contínua. Os trabalhadores são sempreincentivados a apresentar idéias inovadoras, sendo reconhecidos por isso.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 265 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 22 - Operário operando máquina utilizando equipamento de proteção individual. Observa-se as condições de limpeza do chão de fábrica.A equipe de SMS, independentemente dos trabalhadores, inspeciona asmáquinas e equipamentos que requeiram atenção especial. Ostrabalhadores, ao receberem as máquinas e equipamentos doalmoxarifado, também fazem uma inspeção em relação às condiçõesnormais de operação e segurança. Havendo algum problema, sãoorientados a comunicar o fato aos seus supervisores e devolvê-los aoalmoxarifado para a substituição ou reparo.As práticas empregadas nas inspeções ou avaliações das máquinas,painéis e ferramentas utilizadas, são definidas ainda na fase doplanejamento das atividades e de acordo com as especificidades de cadatarefa. Todas essas práticas encontram-se descritas no plano desegurança do site, contemplando as seguintes exigências: • Essas inspeções devem ser realizadas por engenheiros.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 266 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • As ferramentas de trabalho devem ser inspecionadas, no máximo, a cada 14 dias. • Os andaimes, depois de montados, devem ter sua estabilidade e integridade avaliada a cada 7 dias, por um profissional com nível de supervisor, assinando um check-list específico que é mantido arquivado.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) A empresa entende as vantagens da utilização de dispositivos automatizados na produção, de maneira a aumentar as condições de SMS, e maximizar a produtividade e qualidade. b) Existe um cuidado para que os equipamentos e ferramentas sejam mantidos em condições de uso imediato para o aumento da segurança dos trabalhadores. As máquinas e equipamentos que requerem uma operação especial têm instruções específicas ou orientações afixadas no próprio equipamento. c) A organização tem uma preocupação constante em realizar a melhoria contínua e, para isso, busca uma atualização constante dos recursos produtivos, visando aumentarem a produtividade, reduzirem os riscos e aumentarem a qualidade.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 267 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroA arrumação e condicionamento dos estoques apresentam-se dentro dascondições técnicas recomendadas. Estão dispostos em cima de pallets,não estando armazenados sobre o chão. Dentro dos galpões existemprateleiras para uma perfeita armazenagem dos materiais estocados. Estaprática facilita a gestão e o controle dos estoques e aperfeiçoa oaproveitamento dos espaços. Para a catalogação e codificação dosmateriais nos almoxarifados existe um sistema computacional interligadocom toda a empresa, controlando os aspectos físicos, como peso edimensões; os aspectos econômicos, como custos de fabricação e homenshora dependidos na fabricação e no manuseio; e aspectos logísticos, comoa localização da área de estocagem. Através desse sistema, consegue-seidentificar o local de armazenagem de imediato. O sistema écontinuamente alimentado de informações que podem ser acessadas emtodos os sites da empresa.Em relação à armazenagem das peças e equipamentos, percebe-se que háprocedimentos, técnicas e rotinas que buscam evitar problemas de perdada qualidade da peça, motivada, por exemplo, pela oxidação, umidade ecorrosão.Existe um número adequado de equipamentos de elevação e transportede peças e materiais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 268 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O controle de qualidade sobre os insumos é realizado ao longo de todo oprocesso, desde sua fabricação até a destinação final. Todo esse processoé registrado e acompanhado pela sociedade certificadora e,eventualmente, pelo cliente.Os materiais inúteis são segregados dos demais para posterior descarte,de acordo com as normas adotadas pelo estaleiro.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoria a) De forma geral, percebe-se que há procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro. Há um número adequado de equipamentos de transporte e elevação conforme as necessidades atuais do estaleiro. b) O estaleiro utiliza as boas práticas em relação à guarda, identificação, movimentação e gestão dos estoques. Além disto, existe a preocupação em utilizar os recursos de tecnologia de informação necessários à boa prestação dos serviços.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 269 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroOs galpões para as atividades de fabricação, pré-montagem e montagem,pipe shop, pintura e outros, se encontram estrategicamente posicionados,de modo a atender às necessidades de todas as docas e cais, já que noestaleiro podem ser desenvolvidas distintas atividades operacionais.A disposição física entre os postos de trabalho contempla os aspectosergonômicos e aqueles relacionados às atividades operacionais, de modo amaximizar a utilização dos espaços. Assim, se o produto final do processoé uma peça de grande porte ou peso, há previsão de emprego de pontesrolantes, talhas ou veículos especiais. A disposição das atividades leva emconsideração também a questão dos cronogramas de execução, de modoque uma atividade que pode ser entregue em um tempo mais dilatado nãocause problemas à remoção de um bem cuja entrega seja anterior.Os modais de transporte dependem do peso das peças, das geometrias,das distâncias percorridas e das aplicações. Assim, foi possível verificarque o estaleiro possui guindastes de várias capacidades de carga e depropulsão, empilhadeiras, carros puxados manualmente ou autopropulsados, pontes rolantes, talhas fixas e móveis, e os demais meiosdisponíveis. O estaleiro prioriza transporte de peças pesadas a baixaaltura, empregando trolleys ou dolleys.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 270 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 23 - Vista parcial do canteiro. Foto 24 - Equipamento de transporte em operação.O chão de fábrica apresenta boas condições de limpeza, iluminação esegurança. Foram observadas boas condições de utilização dosequipamentos de transporte, diminuindo as distâncias percorridas e ostempos improdutivos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 271 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O grau de automação utilizado depende das características dos serviçosexecutados. Há robôs utilizados em atividades de solda, corte de chapas epintura. Sempre que há elevado risco aos trabalhadores é dada prioridadeà utilização de robôs.Ainda no que se refere à SMS, foi possível observar ampla sinalizaçãorelacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde elimpeza do local. Foi observado, ainda, o uso intensivo de equipamentosde proteção individual.Observou-se a existência de procedimentos de movimentação de material,havendo uma preocupação com o estabelecimento de áreas para odeslocamento dos equipamentos de elevação e transporte de cargas.Existe preocupação em planejar a programação e o sequenciamento dasatividades, que são apresentados aos operários. Existem quadrosimpressos com desenhos/instruções de execução e inspeção dos trabalhostécnicos da produção com ótima qualidade de impressão, facilitando oentendimento e execução das tarefas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 272 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Um ponto forte, encontrado no estaleiro é a existência de procedimentos de movimentação de material, com áreas definidas para descarga de chapas e outros materiais pesados, além do amplo uso de equipamentos de elevação e transporte de cargas. b) Como o compartilhamento entre os modais de carga depende fundamentalmente da aplicação do produto, existe uma preocupação muito grande em obter a máxima produtividade na utilização do modal. Para obter-se esta máxima utilização dos modais, todas as atividades são adequadamente planejadas. c) A cultura da organização possui um foco muito grande no planejamento. O modelo de planejamento e controle adotado atende a todas as atividades e contempla todas as disciplinas envolvidas. Esse planejamento é continuamente analisado, com discussões diárias ou semanais em vários níveis gerenciais, repassando-se os resultados a intervalos regulares semanais. Um ponto forte são as reuniões de planejamento das operações, visando o seu aperfeiçoamento. d) Outro ponto observado, que é considerado uma boa prática, é a preocupação em utilizar robôs em operações que coloquem em risco a saúde e segurança do pessoal envolvido, além de proporcionar aumento da produtividade e da qualidade final obtidas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 273 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroOs processos de engenharia, suprimento e produção são integrados eestruturados no nível de gestão através de reuniões com as equipes degestão. A equipe de projeto é o elemento chave do processo e é ouvidaem todas as reuniões.Os procedimentos necessários à execução das atividades são repassados àforça de trabalho, através de reuniões específicas que ocorrem pelamanhã com os trabalhadores, antes do início dos trabalhos; podendoocorrer outras, se necessário. Independentemente dessas reuniões dedivulgação das orientações, há os supervisores de campo, encarregadosde grupos de trabalhadores.Para o controle das atividades de construções e montagem é utilizado umsoftware desenvolvido pelo próprio estaleiro. Através deste software podehaver o controle desde o posicionamento dos insumos a serem aplicadosao volume de mão-de-obra empregada nas construções e montagens. Osinsumos são rastreados por fitas com código de barras que indicam aposição geográfica em que se encontram. Desta maneira se torna maiseficaz não só o transporte como também a aplicação dos mesmos.Existem análises periódicas dos desvios que ocorrem no projeto e que sãoidentificados pelo sistema de controle utilizado, abrangendo a totalidade
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 274 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6das áreas/setores. Esses dispositivos de controle são portáteis ealimentados pelos operadores através da inserção de códigos ou da leiturade códigos de barra contidos nas etiquetas de identificação de peças, porexemplo.Desde a contratação, os trabalhadores conhecem as estruturashierárquicas existentes e percebem os seus envolvimentos nas váriasetapas dos serviços. Essa disciplina facilita bastante a fluidez dos serviços,evitando assim problemas relativos a atrasos na entrega dos serviços eoutros. A disciplina operacional está intimamente relacionada com acultura da organização.São programadas reuniões semanais entre o estaleiro e as equipes docliente, para a discussão dos avanços dos cronogramas e para discussãodos progressos, assim como reuniões com a alta direção doempreendimento.Existe, claramente, uma cultura que visa obter competências em sistemasde gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos.A estratégia de planejamento/execução do projeto é baseada na utilizaçãode conceitos modernos, como modularização, utilização intensa derecursos de tecnologia da informação, etc.Os gestores do estaleiro dão ênfase ao treinamento dos recursos humanostécnicos internos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 275 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) Um ponto positivo é a existência de software de gestão do empreendimento, que faz a gestão de todo o empreendimento, possibilitando a análise e correção dos possíveis desvios. b) Existe, claramente, uma cultura que visa obter competências em sistemas de gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos. Especial atenção é dedicada à melhoria contínua, através da busca de meios e tecnologias que aumentem a produtividade, segurança e qualidade.Foto 25 – Uma das muitas salas de capacitação dos empregados. É o local onde eles são qualificados pelo estaleiro. c) A estratégia de planejamento/execução do projeto é baseada na utilização de conceitos modernos, como modularização, utilização intensa de recursos de tecnologia da informação, etc.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 276 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSFoi observada a existência de uma integração plena do planejamento econtrole da área de SMS com o restante do planejamento (custo, prazo,suprimentos, etc.), para os empreendimentos em execução. Durante avisita ao chão de fábrica verificou-se, na prática, a existência deevidências de práticas de SMS.A estruturação do Sistema de Gestão do empreendimento abrangendonormas de SMS ocorre com a integração destas; e o seu efetivo empregoem todos os sites do empreendimento ocorre com o cumprimentoobrigatório por parte de toda a estrutura operacional da empresa e dasempresas subcontratadas.Todos os funcionários próprios e contratados que atuam no site devem terconhecimento, compreender e praticar as determinações do sistema degerenciamento de SMS, contendo códigos de boas práticas, normas eregulamentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 277 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 26 – Quadro de controle dos funcionários que estão “embarcados”, realizando atividades no interior das embarcações à beira do cais ou em docas secas.O sistema de gerenciamento de SMS possui 14 elementos, desde aorganização dos processos às práticas de trabalho e aos treinamentosespecíficos, fornecendo as orientações necessárias para que o estaleiroopere com os níveis de SMS requeridos pela própria instituição, pelocliente e pelos organismos reguladores.Como o estaleiro possui várias docas e instalações, com capacidade deatendimento a vários clientes simultaneamente, seus empregados podemter que atender a exigências distintas de cada cliente. Desta forma, foiestabelecido um programa de Gestão de SMS capaz de atender aomáximo possível a todas essas exigências, razão pela qual passa a sermaior do que o de seus clientes. Afora isso, o sistema tem que atendertambém às exigências governamentais, passando a ser este o “pacoteintegrado de gestão de SMS local”, o que torna mais fácil não só aambientação, compreensão e entendimento dos trabalhadores como
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 278 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6também a fiscalização. Independentemente dessa abordagem, cada umdos clientes têm seus próprios códigos de conduta ou SMS.Para o controle de atendimento às normas ou regulamentos legais econtratuais são empregadas sistemáticas distintas, de acordo com asexigências dos clientes. Pode-se dizer que, para muitos clientes, asexigências existentes no estaleiro encontram-se bem acima daquelas quecontratualmente o fazem. Assim, os controles existentes atendem a todos.O estaleiro possui como legislação básica, os quesitos determinados pelogoverno local, considerados como básicos. Junto a estes são incorporadosos quesitos de SMS definidos pela organização e pelos clientes, integradosem um único sistema de gestão. Isso faz com que o plano estabelecidoseja cumprido por todos.Foto 27 – Orientação dada aos trabalhadores acerca da cor do período, para identificação das condições operacionais dos dispositivos de movimentação de carga.As empresas subcontratadas são avaliadas através de check-listsespecíficos, verificando, dentre outras coisas, como lidam com asquestões de SMS. Quanto a isso, o empreendimento, antes de qualquer
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 279 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6subcontratação, verifica o perfil e as qualificações das empresas,principalmente nas questões relacionadas à SMS, realizando auditoriasperiódicas antes de oferecer um contrato definitivo.Após a contratação, são estabelecidas auditorias regulares. Comum é ofato de que a maioria dos procedimentos, quando pertinentes, contémuma lista dos requisitos legais a serem atendidos ao longo do contrato.Os padrões adicionais adotados pelo empreendimento, além daquelesconsiderados universais, são normas internas específicas para o estaleiro.A DNV (Det Norske Veritas - auditoria independente terceirizado Estaleiro)aplica os critérios do ISRS (International Safety Rating System). Aorganização tem o seu desempenho avaliado periodicamente por essesistema, com níveis que variam de 1 a 10. Além de todas essas avaliaçõesas instalações são inspecionadas pelo Ministério do Trabalho. O estaleironão é certificado pela OHSAS 18001, mas sim, de acordo com o ISRS. OMinistério do Trabalho exige o atendimento às normas de construção ereparos navais. Se estas não forem atendidas há aplicação depenalidades.No planejamento das ações de SMS, estabelecido na elaboração doprojeto básico, são identificadas as tarefas críticas e são criados registrosde riscos. Assim, reconhecem-se quais são as atividades críticas e queimpactos trarão para a segurança e saúde dos trabalhadores. Esseplanejamento é realizado antes do início de quaisquer atividades defabricação e montagem. A responsabilidade de execução/cumprimento dos
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 280 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6requisitos de SMS no projeto recai sobre toda a estrutura organizacional.Normalmente, no empreendimento, há pessoas dedicadas às atividades deSMS, com papéis e responsabilidades específicas. Em particular, o Gerentede SMS é responsável pela identificação e documentação dos requisitos deSMS no projeto, e pela execução das análises de SMS e estudos como oQRA, a fim de assegurar que as premissas básicas de SMS sejamadequadamente atendidas em todas as atividades. O Gerente de SMStambém tem é responsável pela análise e auditoria dos processos. b) SuprimentosOs fatores que podem ter maior impacto, positivo e negativo, sobre osprazos contratuais, estão relacionados ao fornecimento de equipamentos emateriais pelos clientes, podendo ocorrer atrasos. Nesses casos, emfunção dos dispositivos contratuais, o cliente pode ter que pagar multaspor esses atrasos ou cobrir os custos dos eventuais atrasos.As compras sob a responsabilidade do estaleiro estão a cargo doDepartamento de Compras, através de procedimentos definidos para todaa organização. Em geral são analisadas as questões de custos, prazos deentrega e de qualidade dos fornecimentos. As compras podem ocorreratravés de leilões reversos, cotações para insumos de baixo custo,sistemas eletrônicos de aquisição e outros.As questões relativas à sustentabilidade social ou compromissos sociaissão apreciadas pela empresa, mas não são cobradas dos órgãos
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 281 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6governamentais ou clientes como imposições. Assim, não há programasespecíficos.Para o controle das atividades de construções e montagem é utilizado umsoftware desenvolvido pelo próprio estaleiro. Através deste software podehaver controle desde o posicionamento dos insumos a serem aplicados aovolume de mão-de-obra empregada nas construções e montagens. Osinsumos são rastreados por fitas com código de barras, que indicam até aposição geográfica onde se encontram. Desta maneira torna ágil não só otransporte como também a aplicação dos mesmos.Os processos de engenharia, suprimento e produção são integrados eestruturados no nível de gestão, através de reuniões com as equipes degestão. A equipe de projeto é o elemento chave do processo e é ouvidaem todas as reuniões.Os critérios para a gestão dos produtos e as informações quanto àpreservação dos mesmos, desde o recebimento até a destinação final, sãodefinidos pelo próprio estaleiro, a quem cabe a responsabilidade pelapreservação dos produtos até suas aplicações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 282 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 c) CustosO controle de custos é realizado em reuniões regulares, nas quais sãodiscutidos os níveis de tolerância dos desvios de custos, as medidas paracontenção de gastos ou de eventuais correções no projeto.Para a empresa, os fatores que causam impacto sobre o sucesso dosempreendimentos em relação às estruturações das equipes de trabalhodependem, principalmente, do fator humano, já que, para os demais, aempresa disponibiliza equipamentos e ferramentas mais modernas ecompatíveis com as atividades; instalações atualizadas e continuamentemantidas; treinamentos e capacitações internas, com simuladores; eáreas específicas de treinamento em várias disciplinas, inclusive solda epintura. Foto 28 – Escola de capacitação de soldadores no estaleiro. As atividades sãocontinuamente acompanhadas e, após os cursos, há certificados garantidos pela própria organização.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 283 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro H Resultados sumarizados.......................................................284 Organização e Condições Físicas do Canteiro .......................285 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 285 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 291 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho .................293 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 293 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 297 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .....299 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 299 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 304 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro .305 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 305 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 309 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................310 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 310 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 311 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........312 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 312 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 314 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............315 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 315 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 318 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................319 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 319
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 284 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • Forte preocupação e elevado nível de conscientização quanto às questões de SMS; • Utilização do processo de manufatura adequado à tarefa a ser executada; • Foco da automação na área de produção; • Existência de procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro; • O trabalho do projeto está representado através das principais entregas definidas em uma EAP (Estrutura Analítica de Projeto); • Existência de cultura que visa obter competências em sistemas de gestão, de produção/operação ou de projetos; • Existência de ampla sinalização relacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde e limpeza do local; • Planejamento detalhado das atividades de engenharia possibilitando desta maneira um melhor gerenciamento de suprimentos;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 285 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • Estrutura operacional capaz de receber vários projetos distintos de uma só vez, podendo ocupar diques, os maiores do mundo, com várias embarcações; • Consistente programa de consientização e capacitação de pessoal de produção; • Forte atuação global o que possibilita o grande intercâmbio de idéias e tecnologias.Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro foi construído para atividades de reparos e conversão denavios e plataformas. Desta maneira, todas as instalações auxiliares ficamao redor, com um layout do tipo posicional, sendo as embarcaçõesconstruídas em grandes docas secas, com as seguintes dimensões: 640mx 98m, 400m x 70m, 400m x 55m, 390m x 65m, 283m x 46m e 270m x52m. Depois de construídos os cascos, as embarcações seguem para ocais, onde há capacidade de atracação de 23 embarcações. Nos berços, osserviços são complementados com as obras mais finas, de acabamento einstrumentação e controle, dali saindo para o pré-comissionamento ecomissionamento, sendo estes assistidos pelos clientes e sociedadesclassificadoras. O modelo de organização da produção é,
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 286 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6preponderantemente, orientado a processo e a produto, com áreasclaramente definidas por espaços para cada atividade específica. Imagem 1 – Site do estaleiro visitado.Pela imagem mostrada, pode ser observado a distribuição dos cais, docassecas, galpões industriais, áreas de estocagem e, inclusive, área de lazerpara os funcionários, com pista de atletismo.Uma das prioridades em relação à organização do estaleiro é aminimização das distâncias de transporte. Desta forma, os galpões sãoposicionados o mais próximo possível dos inúmeros cais e docas. Asedificações formam 3 grandes grupos, como pode ser observado naimagem anterior, situados na parte mais central da área ocupada. Desseslocais, partem linhas de pórticos transportando as peças e componentesfabricados para as docas. Nos percursos intermediários, são utilizadosequipamentos de menor capacidade de carga e mais flexíveis para essasatividades.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 287 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A modularização do projeto é definida em função de vários aspectos,principalmente: redução de prazos e custos, facilidade de fabricação,cronograma de fabricação do próprio estaleiro e docas disponíveis nomomento. As docas existentes no principal site da organização são: Imagem 2 – Docas com suas respectivas dimensões e produção; e a capacidade de içamento de dois de seus guindastes flutuantes e do próximo a entrar em operação.No caso de redução de custos, muitas vezes as obras são terceirizadas,visando à redução de custos de materiais e de mão-de-obra. Quando amodularização ocorre no próprio estaleiro, uma das razões é a facilidadede montagem e emprego de equipamentos de movimentação de cargas demenor porte. Quando está se trabalhando com estruturas elevadas, sendoesta modularizada, reduzem-se os riscos de trabalhos em altura, já queesses passam a ser necessários somente na interligação dos módulos ouquando os serviços são completados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 288 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 1 – Seção de embarcação modularizadaA grande maioria das seções são modularizadas no próprio estaleiro.Desse local, o trecho fabricado é encaminhado para a doca seca, onde aembarcação está sendo fabricada para as conexões. Foto 2 – Seções modularizadas, posicionadas para as conexões e finalização do casco.No projeto do canteiro de obras, especificamente no site visitado, oscritérios considerados para implantação das edificações, de áreas deestocagem e produção e das redes dos sistemas auxiliares de produção
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 289 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6(energia elétrica, ar condicionado, ar comprimido, óleo e gás e outras) sãodependentes das limitações físicas existentes. As instalações foramlançadas em uma área entre morros e o mar, de modo a maximizar osespaços disponíveis, com total aproveitamento e harmonização,possibilitando a existência de largas passagens entre prédios, espaçospara o lazer dos empregados e todas as demais necessidadesoperacionais. As instalações são as mesmas dos projetos anteriores e têmatendido às exigências contratuais. Assim, em função dos espaços físicos,são definidos os critérios de ocupação dos mesmos. Foto 3 – Um dos muitos galpões existentes no estaleiro.Foi observado que os equipamentos são fornecidos aos trabalhadores deacordo com as características das atividades que desempenharão.As práticas empregadas nas inspeções ou avaliações das máquinas,painéis e ferramentas empregadas são definidas ainda na fase doplanejamento das atividades e de acordo com as especificidades de cadatarefa. Todas essas práticas encontram-se descritas no plano desegurança do site.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 290 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As ferramentas de trabalho devem ser inspecionadas regularmente,inclusive antes de serem entregues aos trabalhadores, que podemdevolvê-las ao almoxarifado, caso verifiquem uma não adequação delasaos serviços. Os andaimes, depois de montados, devem ter suaestabilidade e integridade avaliadas por um profissional com nível desupervisor, que assina um check-list específico, mantido em arquivo.Os trabalhadores são orientados a manter o local de trabalho semprelimpo e sem desperdícios. Na realização de atividades que requeiram umcuidado especial, em função, por exemplo, das características dosmateriais e insumos empregados, das dimensões e geometrias das peçase da formulação das substâncias, equipamentos e ferramentas utilizadas,são elaborados estudos de análise de riscos. Estes estudos contemplam,inclusive, as eventuais interferências com as demais atividadesdesenvolvidas no mesmo site. Essas ações são previstas no planejamentodas atividades.O estaleiro atua fortemente nas áreas de SMS, seja no acompanhamentodas atividades, na capacitação de pessoal ou na gestão dos processos.Essa interação é percebida por todos, na medida em que o nível gerencialperiodicamente atua na área de SMS, além das suas próprias áreas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 291 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Grandes áreas disponíveis e facilidades ofertadas, como: b) Existe conhecimento sobre as vantagens da utilização da modularização, para se obter ganhos de produtividade, e sobre a eficácia na utilização dos equipamentos de grande porte, para elevação de cargas. c) É dada grande atenção ao estado dos equipamentos fornecidos aos trabalhadores, de acordo com as características das atividades que desempenharão. d) A empresa considera as condições de limpeza e arrumação de todo o ambiente como um fator importante para que sejam mantidas as boas condições de trabalho. Além disto, apresenta um alto grau de maturidade em relação às condições de SMS. e) Existe uma forte conscientização para a otimização do layout, para que as distâncias de movimentação sejam diminuídas. f) A organização trabalha desenvolvendo modelos em escala reduzida para que o cliente possa acompanhar o desempenho das
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 292 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 embarcações e realizar, em conjunto com as sociedades classificadoras, os testes e avaliações necessários.Imagem 4 – Análises de desempenho realizadas pelo estaleiro em modelos de testes. g) Há um eficiente sistema de planejamento das atividades de fabricação e montagem, em que o cliente recebe, 100 dias antes do início das atividades, o plano de trabalho para análise crítica; h) O elevado nível de capacitação e organização possibilita que, em muitas circunstâncias, várias embarcações, para clientes distintos, possam ser produzidas em um mesmo dique seco, otimizando o emprego dos equipamentos e instalações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 293 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foto 4 – Quatro embarcações, em vários estágios de fabricação, sendo montadas em um mesmo dique seco.Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroAs atividades de fabricação e montagem de estruturas metálicas degrande porte, como navios e módulos, não possibilitam que sejampriorizadas as questões ergonômicas, não só pelas grandes dimensõesdesses empreendimentos, como também pelas naturais dificuldades deconexões, reparos e ajustes. Desta forma, há situações em que sãoexigidos esforços físicos adicionais. Para que os trabalhadores não tenhamproblemas físicos ou de saúde, a empresa disponibiliza programas desaúde, principalmente de ginástica laboral e ou postural, que podem serfeitos antes do início das atividades. Desta maneira, mesmo sendo a
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 294 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6atividade penosa, o trabalhador sabe como executá-la; e sempre quepossível há rodízios de executantes. Foto 5 – Operário realizando soldagem “in situ” em casco de navio, suportado por andaimes.O arranjo geral do estaleiro é posicional, em que o produto final vaiincorporando equipamentos e instalações, avolumando-se quanto adimensões e peso. Desta forma, os insumos convergem para o local ondese dará a montagem. Os postos de trabalho estão posicionados em tornodessa montagem organizadamente. Como há um efetivo controle daprodução, por meio de sistemas informatizados de controle, as atividadesse desenvolvem continuamente.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 295 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 6 – Um dos diques secos com a fabricação e montagem de uma embarcação durante o inverno.Na foto, percebe-se que ao redor do dique estão situados osequipamentos de movimentação de cargas e os galpões/oficinas e demaisinstalações. Esse tipo de layout facilita a mínima movimentação demateriais; e o produto final vai incorporando novas peças e componentes.Nos postos de trabalho de corte, solda, pré-montagem e montagem, foiverificado que existem quadros com as informações técnicas necessárias,procedimentos e controles. Através dessas informações, os trabalhadorespodem, periodicamente, avaliar a qualidade de seus trabalhos com osníveis de exigências requeridos. Os trabalhadores são instados a corrigiras imperfeições e reavaliar a qualidade de seus serviços mesmo que nãotenham nenhuma supervisão direta, ou seja, todos são responsáveis pelaexecução das atividades e possuem igual importância.O grau de maturidade da organização em relação à SMS é elevado, o queé comprovado pelas certificações obtidas, tais como ISO 14001 e OHSA
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 296 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.618001. Há uma preocupação constante com o bem estar dos funcionários,sendo tomados cuidados, como a verificação da temperatura e daconcentração de O2 antes do início de trabalhos em locais confinados.Os membros das equipes de trabalho são submetidos a treinamentos “onthe job” e os funcionários mais experientes são responsáveis pelotreinamento e supervisão dos mais novos.Há diversas ações estabelecidas pela organização, em busca do aumentocontínuo da produtividade associada à qualidade. Dentre estas práticas,podem ser citadas: a análise das melhores práticas utilizadas nos projetosjá encerrados, para que sejam levadas aos demais grupos de projetos, e autilização do Seis Sigma.As ruas internas do estaleiro são bastante largas, possibilitando o trânsitodos equipamentos e cargas. O material a ser aplicado é condicionado emantido nas proximidades dos locais de aplicação. Para se evitar otransporte de cargas de maneira desnecessária, as montagens se dão sobos pórticos de carga e no alinhamento da carreira.Antes do início dos projetos, o estaleiro define um plano de execução dasatividades que seja mais bem aplicado, em função do tipo de caisnecessário, da disponibilidade de equipamentos para a movimentação decargas e de espaços físicos para a estocagem provisória dos materiais.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 297 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Forte conscientização da necessidade de um bom planejamento e controle das atividades do empreendimento, para o sucesso do mesmo; b) Planejamento da ocupação mais eficaz do chão de fábrica, levando em consideração fatores como espaço, localização de guindastes, cais, disponibilidade de equipamentos, entre outros; c) Utilização de softwares sofisticados para a fabricação das embarcações; d) Forte conscientização em relação à SMS. Essa conscientização permeia a cultura de toda a organização. A imagem seguinte apresenta uma vista aérea do centro de treinamento do estaleiro e da atividade de resgate de pessoal sobre andaime. A organização certifica seu próprio pessoal e muitas vezes o faz com o apoio da sociedade certificadora, como no caso de eletricistas, pintores e soldadores;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 298 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Imagem 5 – Programas de treinamento interno desenvolvidos no empreendimento.e) A organização programa projeto por projeto, com planos específicos para cada um, contemplando os requisitos de SMS dos clientes. Após a programação, é emitido plano de trabalho para a aprovação do cliente, 100 dias antes do início do projeto, em reunião específica com os representantes do cliente;f) Habitualmente, há uma visita das gerências às instalações, realizada 2 vezes por mês, conduzida pelo vice-presidente, acompanhado pelos representantes de cada uma das gerências envolvidas e pelo sindicato. Toda a visita é filmada;g) Utilização do Six Sigma como uma metodologia utilizada pela empresa para melhoria da produtividade e das operações do estaleiro.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 299 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroExiste um planejamento específico e procedimentos para todamovimentação e elevação de cargas pesadas, desmontagem e montagemde peças ou estrutura que tenham elevado peso ou geometria especial. Aempresa faz um planejamento de atividades que se inicia muitos mesesantes do começo das atividades. Como há uma integração de sistemas eprogramas, consegue-se estabelecer os níveis de interferência entre asvárias atividades, incluindo as de transporte de equipamentos e peças,como o da próxima foto:Os trabalhadores são orientados / capacitados a respeito dos riscos deSMS e das formas de proteção que devem ser seguidas, através de cursosde instrução da segurança promovidos pelo próprio estaleiro, em salasapropriadas. Nesses locais, há salas de treinamentos genéricos, salas paratreinamento de solda, pintura e elétrica.Os treinamentos são obrigatórios, obedecendo a um calendário deprogramação, e são realizados de acordo com o grau de especialização dofuncionário, com as necessidades operacionais, com as reciclagens, entreoutras razões. O empregado admitido tem que passar por esse processo,com avaliações rigorosas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 300 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O início das atividades está condicionado à sua aprovação nas provasrealizadas. Todos os dias, antes do início das atividades, são discutidas astarefas, momento em que o supervisor reitera quais são as precauções desegurança que devem ser tomadas. Nesses momentos, as instruções sãodadas pelo próprio supervisor das atividades e não pelo profissional deSMS, cabendo a esse apenas a supervisão e assessoramento da questãode SMS durante a realização das atividades. Foto 8 – Tipo de movimentação com a carga o mais próximo possível do solo, por meio de veículos especiais, reduzindo os riscos de SMS.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 301 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Foto 9 – Emprego de guindastes especiais de grande capacidade, junto a cais ou docas.Foi verificada a existência de planos de manutenção para os equipamentosde transporte e elevação de cargas. Estes planos são preparados emparceria com as demais áreas de construção e montagem, estabelecendoépocas adequadas para sua execução, de maneira a não deixar osequipamentos indisponíveis. A manutenção periódica é informada no TAGdo equipamento.Para a movimentação de cargas e equipamentos dentro do canteiro deobras, são elaborados planos de rigging, são feitas análises da capacidadede suporte do solo, avaliação das condições climáticas e são elaborados osprocedimentos necessários. As cargas de maior valor e aquelas comgeometria especial e pesos elevados são acompanhadas por profissionaisdas sociedades classificadoras e das companhias de seguros, que avaliamas características de segurança dessas operações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 302 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 10 – Emprego de veículo especial sobre pneus para o transporte de componentes pesados.Os transportes manuais para pequenas cargas a pequenas distânciasdependem mais da geometria das peças do que do próprio peso dascargas. Se não houver uma geometria especial, o transporte é feito pelopróprio trabalhador. Em caso contrário, são utilizados veículos oucarrinhos puxados manualmente.Os transportes motorizados no interior do canteiro são feitos porcaminhões de pequeno porte com carrocerias do tipo plataforma oufechadas lateralmente. Esses veículos circulam pelas ruas internas, quesão demarcadas por faixa de trânsito, além de bastante sinalizadas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 303 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 11 – Transporte de correntes de navios em carrocerias de caminhões em ruas internas.Como a capacidade dos guindastes é muito importante no processo dereparo ou construção e mesmo no de conversão de embarcações, osprojetos são avaliados sob a ótica da movimentação das cargas e dos caisque poderão ser utilizados, de modo a maximizar o emprego dos mesmos.Desta maneira, evita-se que equipamentos tão importantes para aempresa fiquem indisponíveis devido a falhas de programação deatividades.Constatou-se que equipe de SMS participa ativamente no processo demovimentação de cargas através do acompanhamento das atividades,planejamento das ações, elaboração de procedimentos específicos,quando necessários e exigidos pelas sociedades classificadoras.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 304 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) De uma maneira geral, o estaleiro apresenta uma capacidade muito boa em relação a equipamentos de transporte, com equipamentos de movimentação de carga de várias capacidades, atendendo a todas as demandas internas. Existe um planejamento das operações complexas de rigging e elevação de cargas. Existe uma preocupação em se dotar o canteiro de áreas que permitam o deslocamento dos meios de transporte, para movimentação de cargas dentro do canteiro, de maneira a aperfeiçoar esse deslocamento. b) O departamento de manutenção tem procedimentos específicos para a inspeção ou avaliação de máquinas semanalmente, elaborando os registros mensais, que são inseridos no cadastro das máquinas e equipamentos. Através da leitura desses registros, pode-se avaliar a quantidade de reparos e intervenções e os custos das mesmas. Também, através destas análises, podem-se estabelecer mudanças no equipamento ou pode-se substituí-los por outros mais resistentes às características dos trabalhos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 305 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO estaleiro apresenta um bom nível de automação das máquinas eequipamentos. As máquinas e equipamentos disponibilizados são novos ouapresentam boas condições de operação, com um adequado programa demanutenção. Deve ser ressaltado o emprego de equipamentos de altatecnologia nas atividades de corte e solda, com o uso de mesas de corte aplasma e a maçaricos. Foto 12 – Emprego de robôs em atividade de soldagem.Os robôs são muito empregados em atividades onde há limitação àpermanência humana. Na foto anterior, verifica-se a existência de um dosrobôs realizando soldas entre cascos de embarcação.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 306 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As máquinas e equipamentos que requerem uma operação especial têm,em sua proximidade, instruções específicas ou orientações afixadas nopróprio equipamento. Todos os instrumentos e equipamentos utilizadossão aferidos, existindo a necessidade da garantia desta aferição para queos mesmos possam ser empregados pelos diversos profissionais. Estaaferição é feita por órgãos especializados ou por padrões internos.Os critérios adotados para a escolha das máquinas e equipamentos sãodefinidos em função da necessidade da utilização destes equipamentos.Muitas vezes, devido ao limitado número de equipamentos existentes paraa execução das tarefas, há dificuldades para esta escolha. Também sãoconsideradas as condições técnicas e a competência necessária dooperador para a utilização do equipamento. Existem estudos parapadronização dos tipos e modelos de ferramentas, em função de suautilização. Estes estudos são conduzidos pelo departamento demanutenção em conjunto com fornecedores credenciados. Foto 13 – Máquina de corte de chapas com oxi-corte semiautomatizada.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 307 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6É realizado um planejamento específico em que se dimensionam ou seescolhem os dispositivos mais bem indicados. Há alguns critérios básicos,como o de as novas máquinas associarem qualidade de desempenho aoatendimento aos requisitos de segurança. Ainda na fase do planejamento,os gerentes dos setores são consultados sobre o que deve ser utilizado,quando deve ser utilizado e se há um equipamento disponível em outrolocal que poderá ser disponibilizado.Foto 14 – Mesa de corte à plasma de chapas grossas com até quatro bicos de corte, onde a atividade é programada.Os critérios utilizados para definir os planos de manutenção, reparos,liberação e identificação das máquinas, equipamentos e ferramentas são:a) plano de manutenção preventiva dos guindastes, empilhadeiras, etc.,focando o que deve ser feito e o momento em isso ocorrerá –planejamento das ações; b) indicação, através de cores, dosequipamentos que sofrem manutenção, associando-se as cores a umperíodo. Através desse processo, identifica-se com mais facilidade se o
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 308 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6equipamento, máquina ou ferramenta está com a sua manutenção em diae quando irá ocorrer a próxima intervenção.O estaleiro está sempre em busca de novas tecnologias, envolvendo osprocessos ou equipamentos que venham a representar significativaredução dos prazos de execução das atividades ou dos custos. O empregode robôs em substituição ao homem, na aplicação de soldas em espaçosconfinados, é um desses exemplos. A mudança de processos em funçãoda aceleração das atividades de montagem é outro exemplo. A redução detrabalhos em altura através da pré-montagem das peças junto ao solo éoutro exemplo. Os trabalhadores são sempre incentivados a apresentaridéias inovadoras, sendo reconhecidos por isso. Foto 15 – Seção modularizada da embarcação aguardando complementação da solda.A equipe de SMS, independentemente dos trabalhadores, inspeciona asmáquinas e equipamentos que requeiram atenção especial. Ostrabalhadores, ao receberem as máquinas e equipamentos doalmoxarifado, também fazem uma inspeção em relação às condições
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 309 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6normais de operação e segurança. Havendo algum problema, sãoorientados a comunicar o fato aos seus supervisores e devolvê-las aoalmoxarifado para a substituição ou reparo.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Existe um cuidado para que os equipamentos e ferramentas sejam mantidos em condições de uso imediato, para o aumento da segurança dos trabalhadores e da produtividade da operação. As máquinas e equipamentos que requerem uma operação especial têm instruções específicas ou orientações afixadas no próprio equipamento. b) A empresa entende as vantagens da utilização de dispositivos automatizados na produção, de maneira a aumentar as condições de SMS, maximizar a produtividade e qualidade. c) A organização tem uma preocupação constante em realizar a melhoria continua e busca uma atualização também constante dos recursos produtivos, visando a aumentar a produtividade, reduzir riscos e aumentar a qualidade. d) Há medidas preventivas, como planos de manutenção e reparo dos equipamentos, com especial atenção para aqueles voltados a movimentação de cargas; além da aplicação de boas práticas, percebida na fácil identificação das máquinas, equipamentos e ferramentas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 310 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO processo de controle de estoques do estaleiro é integrado complanejamento e controle da produção, através de sistema de gestãoinformatizado (sistemas de compras, modelos 3D dos produtos, esistemas de controle de pacotes de trabalho e de materiais). Os estoquessão controlados por etiquetas com código de barras, que contêminformações desde a fabricação dos componentes até sua localização.Essas etiquetas acompanham os componentes até o posicionamento finaldos mesmos nos módulos, permitindo a rastreabilidade total de materiaise equipamentos.Os critérios para a disponibilidade de material para aplicação imediata efutura e instalação dos equipamentos e máquinas levam em consideraçãoque só podem ser programadas atividades quando se tem materialdisponível. Todo material é requisitado através do documento desolicitação de pedido ao almoxarifado, que é o documento que antecede aexecução do serviço e disponibiliza o material para aplicação. Os materiaissão segregados por prateleira, área e layout.A arrumação e condicionamento dos estoques apresentam-se dentro dascondições técnicas recomendadas. Estão dispostos em cima de paletes,não estando armazenados sobre o chão. Dentro dos galpões, existemprateleiras para uma perfeita armazenagem dos materiais estocados. Esta
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 311 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6prática facilita a gestão e controle dos estoques e aperfeiçoa oaproveitamento dos espaços.Em relação à armazenagem das peças e equipamentos, percebe-se que háprocedimentos, técnicas e rotinas que buscam evitar problemas de perdada qualidade da peça, motivada, por exemplo, pela oxidação, umidade ecorrosão.Existe um número adequado de equipamentos de elevação e transportede peças e materiais.Para facilitar a localização de insumos, equipamentos e outros,melhorando os processos de movimentação e montagem e reduzindocustos com ociosidade, o estaleiro utiliza imensamente recursos de GPS(Global Positioning System).Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Há procedimentos, técnicas e rotinas que visam garantir o controle dos estoques no canteiro. b) Há um número adequado de equipamentos de transporte e elevação conforme as necessidades atuais do estaleiro. c) O estaleiro utiliza as boas práticas em relação à guarda, identificação, movimentação e gestão dos estoques.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 312 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 d) Existe a preocupação de utilizar os recursos de tecnologia de informação, necessários para a boa prestação dos serviços.Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroOs principais critérios que norteiam a definição do arranjo físico docanteiro de obra são: segurança operacional; produtividade; qualidade;flexibilidade e cumprimento de prazos. Os critérios relacionados àqualidade e segurança, além de atenderem às características do projeto,buscam também o atendimento quanto às exigências legais e contratuais.Dentre eles, ressaltam-se a exigência de áreas mínimas por empregado,nos prédios de vestiários, banheiros, refeitórios; o espaçamento mínimoentre equipamentos ou áreas de armazenamento de produtos perigosos;espaçamento mínimo entre prédios, a fim de garantir a ventilação e ailuminação natural exigidas. Ocorre, também, que a disponibilização deequipamentos mais modernos, eficientes e seguros propicia o aumentonão só dos níveis de segurança como também de agilidade dos processos.O estaleiro modulariza fortemente seus produtos, em vários sites distintosda própria empresa e de terceiros. Assim, são executados no site algumasdas atividades necessárias, mas não todas, para a montagem final. Aorganização e a racionalidade do trabalho do canteiro evidenciam oemprego da engenharia industrial, com desenvolvimento extensivo depadrões próprios e de ferramentas de planejamento e controle de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 313 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6produção, desenvolvidas in-house, de forma total ou parcialmente, comemprego de simulação.A disposição física entre os postos de trabalho contempla os aspectosergonômicos e aqueles relacionados às atividades operacionais, de modo amaximizar a utilização dos espaços. Assim, se o produto final do processoé uma peça de grande porte ou peso, há previsão de emprego de pontesrolantes, talhas ou veículos especiais. A disposição das atividades leva emconsideração também a questão dos cronogramas de execução, de modoque uma atividade que pode ser entregue em um tempo mais dilatado nãovenha a causar empecilho à remoção de um item cuja entrega sejaanterior.O chão de fábrica apresenta boas condições de limpeza, iluminação,segurança. Foram observadas boas condições de utilização dosequipamentos de transporte, diminuindo as distâncias percorridas e ostempos improdutivos.Ainda no que se refere à SMS, foi possível observar ampla sinalizaçãorelacionada a questões de segurança/acidentes, meio ambiente, saúde elimpeza do local. Foi observado, ainda, o uso intensivo de equipamentosde proteção individual. Observou-se a existência de procedimentos demovimentação de material, havendo uma preocupação com oestabelecimento de áreas para o deslocamento dos equipamentos deelevação e transporte de cargas. Existem quadros impressos comdesenhos/instruções de execução e inspeção dos trabalhos técnicos daprodução, com ótima qualidade de impressão, facilitando o entendimentoe execução das tarefas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 314 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) A cultura da organização possui um foco muito grande no planejamento. O modelo de planejamento e controle adotado atende a todas as atividades e contempla todas as disciplinas envolvidas. Esse planejamento é continuamente analisado, com discussões em vários níveis gerenciais, repassando-se os resultados a intervalos regulares semanais. Um exemplo disso são as reuniões de planejamento das operações, visando seu aperfeiçoamento; b) A disposição física entre os postos de trabalho contempla os aspectos ergonômicos e de aprimoramento do espaço de produção, respeitando as necessidades específicas das áreas de estocagem, inspeção, operação e transporte; c) O chão de fábrica é conservado obedecendo aos critérios de limpeza, organização e sinalização, para operações de deslocamento de cargas; d) As atividades técnicas são suportadas por desenhos/instruções expostas de maneira visível e próxima aos postos de trabalho.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 315 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroOs critérios para a disponibilidade de material para aplicação imediata efutura e instalação dos equipamentos e máquinas são identificados eimplantados a partir do projeto básico. Neste instante, o estaleiro realizaas compras de materiais, que são armazenados nos depósitos doestaleiro. Para os insumos já estocados, a remoção dos mesmos se dá porocasião da aplicação. Cada departamento decide quando será necessário ouso dos produtos e um responsável por essa atividade verifica o que seránecessário, acionando o departamento de logística. Normalmente essasações são realizadas com antecedência de duas semanas. Há programaspróprios desenvolvidos pelo estaleiro para o controle das operações.As ações de melhoria contínua no processo de organização da produção,em todos os níveis do empreendimento, são promovidas através de planosde ação, sugestões, reuniões específicas do departamento de qualidade eoutras. A cada ano o departamento de gestão atribui metas para odepartamento de produção, a serem alcançadas financeiramente (quantoao lucro) e produtivamente (através da aplicação de melhorias noprocesso). São realizadas reuniões semanais para a discussão doprogresso e melhorias e de questões de segurança, qualidade eprodutividade.A integração e controle das várias unidades de produção, quando seencontram em sites distintos, se dá através da coordenação entre os
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 316 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6diferentes estaleiros. São realizadas reuniões de análise crítica, planos deação, relatórios de inspeção e de acompanhamento de atividades, entreoutras. Para o suporte operacional, são empregadas técnicas deintegração próprias, como o WBS – Work Breakdown Struture e umsistema informatizado de gestão de empreendimentos.Os processos de engenharia, suprimento e produção são integrados eestruturados no nível de gestão, através de reuniões com as equipes degestão. A equipe de projeto é o elemento chave do processo e é ouvidaem todas as reuniões.Os critérios de SMS são considerados no processo de aquisição de bens eserviços, desde o início do processo de planejamento das ações. Nessaocasião, faz-se a revisão do desempenho, as análises relativas àqualidade, segurança, preço e desempenho anterior. Ou seja, analisam-seas principais variáveis.Em um segundo momento, essas questões voltam a ser reavaliadas,durante a execução, observando-se o que está sendo feito, de que formaestá sendo feito e se os procedimentos estabelecidos estão sendocumpridos.Em um terceiro momento, volta-se a avaliar o processo. Depois deconcluído o projeto, tem-se outro processo de avaliação, desta vezrealizado pelo gerente de projeto, observando as questões de qualidade,segurança e produtividade. O processo de avaliação contempla também o
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 317 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6desempenho dos profissionais que atuaram no projeto, residentes e nãoresidentes.Os critérios estabelecidos para a gestão de produtos, aplicados noempreendimento, são as análises de riscos do trabalho, com aidentificação de todas as etapas de trabalho e dos riscos relacionados comas etapas de trabalho, implementando imediatamente as medidas decontrole. Essas análises podem ser alteradas quando necessário, de formaa tornar a realização das atividades mais segura.Os procedimentos necessários à execução das atividades são repassados àforça de trabalho através de reuniões específicas, que ocorrem pelamanhã com os trabalhadores, antes do início dos trabalhos diários. Oacompanhamento das atividades realizadas em sites externos porterceiros são acompanhadas por funcionários do estaleiro e do cliente.Existe, claramente, uma cultura que visa obter competências em sistemasde gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos.A estratégia de planejamento/execução do projeto é baseada na utilizaçãode conceitos modernos como modularização, utilização intensa derecursos de tecnologia da informação, entre outros.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 318 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) Existe, claramente, uma cultura que visa obter competências em sistemas de gestão, sejam eles de produção/operação ou de projetos. b) Especial atenção é dedicada à melhoria contínua, através da busca de meios e tecnologias que aumentem a produtividade, segurança e qualidade. c) Um ponto positivo é a existência de software de gestão do empreendimento que faz a gestão de todo o empreendimento, possibilitando a análise e correção dos possíveis desvios. d) A estratégia de planejamento/execução do projeto é baseada na utilização de conceitos modernos como modularização, utilização intensa de recursos de tecnologia da informação, entre outros. e) Observou-se uma preocupação contínua em relação à integração das áreas de gestão que são fundamentais para o sucesso nos projetos e o alinhamento entre as equipes de produção, por meio das reuniões gerais antes dos turnos de trabalho.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 319 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSFoi observada a existência de uma integração plena do planejamento econtrole da área de SMS com o restante do planejamento (custo, prazo,suprimentos, etc.), para os empreendimentos em execução. Durante avisita ao chão de fábrica, verificaram-se evidências de práticas de SMS.A estruturação do Sistema de Gestão do empreendimento, abrangendonormas de SMS, ocorre com a integração dessas e o seu efetivo empregoem todos os sites do empreendimento, com o cumprimento obrigatóriopor toda a estrutura operacional da empresa e pelas empresassubcontratadas. O empreendimento adota como normas internacionaisISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001, respectivamente para as áreas deMeio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional. O gerenciamento detodas essas normas de gestão, associadas às exigências do governo locale dos clientes, ocorre no “HSE Management System”.Todos os funcionários próprios e contratados que atuam no site devem terconhecimento, compreender e praticar as determinações do sistema degerenciamento de SMS, contendo códigos de boas práticas, normas eregulamentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 320 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O sistema de gerenciamento de SMS possui elementos da organização dosprocessos às práticas de trabalho e treinamentos específicos, fornecendoas orientações necessárias para o estaleiro operar com os níveis de SMSrequeridos pela própria instituição, pelo cliente e pelos organismosreguladores. Como o estaleiro possui várias docas e instalações, comcapacidade de atendimento a vários clientes simultaneamente, seusempregados podem ter que atender a exigências distintas de cada cliente;desta forma, foi estabelecido um programa de Gestão de SMS capaz deatender ao máximo possível a todas essas exigências. Afora isso, osistema tem que atender também as exigências governamentais,passando a ser esse o “pacote integrado de gestão de SMS local”, o quetorna mais fácil, não só a ambientação, compreensão e entendimento dostrabalhadores, como também a fiscalização.Para o controle de atendimento às normas e ou regulamentos legais econtratuais, o estaleiro emprega programas (softwares), que integram asnormas de gestão nas quais a organização é certificada (ISO 14001 eOHSAS 18001) com os demais procedimentos e regulamentosoperacionais.As empresas subcontratadas são avaliadas através de check-listsespecíficos, verificando, dentre outras coisas, como lidam com asquestões de SMS. Quanto a isso, o principal estaleiro da organização,antes de qualquer sub-contratação, verifica o perfil e as qualificações dasempresas, principalmente nas questões relacionadas a SMS, realizandoauditorias periódicas antes de oferecer um contrato definitivo. Após acontratação, são estabelecidas auditorias regulares. O comum é o fato de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 321 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6que a maioria dos procedimentos, quando pertinentes, contém lista dosrequisitos legais a serem atendidos ao longo do contrato. b) SuprimentosOs fatores que podem ter maior impacto positivo e negativo sobre osprazos contratuais estão relacionados ao fornecimento de equipamentos emateriais pelos clientes, podendo ocorrer atrasos. Nesses casos, emfunção dos dispositivos contratuais, o cliente pode ter que pagar multaspor esses atrasos ou cobrir os custos dos eventuais atrasos.A integração da área de suprimentos com o planejamento se dá, nãosomente na convergência com os objetivos estratégicos doempreendimento a ser realizado, como também nos mecanismos degestão para controle de prazos, da qualidade dos fornecimentos e deotimização dos custos de aquisição.Imagem 6 – O processo de gestão do empreendimento leva em consideração o sistema Seis Sigma
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 322 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 c) CustosO controle de custos é realizado em reuniões regulares, em que sãodiscutidos os níveis de tolerância dos desvios de custos, as medidas paracontenção de gastos e as eventuais correções no projeto.Além disto, foi observada uma forte preocupação com a redução de custosdo empreendimento. No entanto, há um foco da administração para que aredução não prejudique a qualidade dos entregáveis.Imagem 7 – Fluxo de produção empregado na organização, maximizando os resultados. d) Qualidade A qualidade adota medidas preventivas e corretivas. Como medida preventiva, pode-se citar a elaboração do plano da qualidade para as diversas áreas de operação do empreendimento. Existe um controle de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 323 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6inspeção da qualidade dos materiais utilizados no canteiro e depreservação dos mesmos.Como medida corretiva, o departamento de controle da qualidadeinspeciona todas as áreas de trabalho e verifica os processos e aqualidade do que foi acrescentado ao produto, para descobrir se houvequalquer desvio. Estes são relatados e colocados no sistemainformatizado, que pode ser verificado pela equipe de produção eprojeto.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 324 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Estaleiro I Resultados sumarizados.......................................................325 Organização e Condições Físicas do Canteiro .......................326 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 326 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 332 Racionalidade do Layout dos Postos de Trabalho .................335 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 335 Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades de Melhoria.......................... 338 Dinâmica dos Transportes de Movimentação do Canteiro .....339 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 339 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 341 Máquinas, Equipamentos e Automação usados no Canteiro .341 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 341 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 344 Controle dos Estoques do Canteiro .......................................344 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 344 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 345 Organização e Racionalidade do Trabalho do Canteiro .........346 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 346 Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria .............................. 351 O Planejamento e o Controle do Empreendimento ...............352 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 352 Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades de Melhoria ........................ 354 As relações entre o planejamento e controle com as outras disciplinas ............................................................................354 Análise das Condições do Estaleiro ............................................................. 354
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 325 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Resultados sumarizadosEm relação aos pontos fortes e oportunidades de melhorias, os principaisresultados observados, especificamente no estaleiro A e que serãodesenvolvidos a seguir, são: • Existência de uma forte conscientização para a otimização do layout para que as distâncias de movimentação sejam diminuídas. • Estão sendo implantadas novas filosofias de gestão em SMS e de sistema de gestão integrado os quais, após validação, serão estendidas aos demais empreendimentos. • Existe pleno conhecimento das vantagens da utilização da modularização para se obter ganhos de produtividade. • Existe um planejamento para a ocupação mais eficaz do chão de fábrica levando em consideração fatores como espaço, localização de guindastes, cais, disponibilidade de equipamentos, entre outros. • A organização emprega cuidados para que os equipamentos e ferramentas sejam mantidos em condições de uso imediato para o aumento da segurança dos trabalhadores e da produtividade da operação. • Há um número adequado de equipamentos de transporte e elevação conforme as necessidades atuais do estaleiro.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 326 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 • Existência de cultura na organização para busca do aperfeiçoamento através da discussão dos problemas ocorridos com as equipes do cliente, assim como reuniões com a alta direção do empreendimento.Organização e Condições Físicas do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroO empreendimento possui uma área de 123 hectares de terreno,totalmente plano, com uma “frente” para o mar de 1.500m.Nessa área, encontram-se dispostos 26 workshops de grandes dimensões,equipados com equipamentos para o corte, dobra, solda e montagem dechapas de até 150mm.O empreendimento possui instalações abrangentes no local, capazes deacomodar simultaneamente a construção de grandes estruturas marítimasem um grande pátio aberto de fabricação, além de contar com grandesgalpões industriais, docas secas em número de duas e guindastes degrande porte. Também oferece um recurso exclusivo de docagem com umdos maiores shiplift do mundo para navios de até 50.000 dwt. As docassecas têm as seguintes características: • Doca Seca 1, com capacidade de docagem de embarcações de até 450.000dwt, e dimensão física de 385m x 80m x 14m; • Doca Seca 2, com capacidade de docagem de embarcações de até 140.000 dwt, e dimensão física de 270m x 46m x 12.5m;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 327 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O empreendimento vem se transformando em um exclusivo ONE-STOPCENTER, além de líder em conversão de FPSO/FOE, fabricação econstrução, construções voltadas para a indústria de óleo & gás,fabricação de turrets (estruturas adaptadas em navios que atuam junto apoços de petróleo) e reparação de navios-tanque de petróleo.Recentemente, concluiu a primeira estrutura SPAR (jaqueta) a serinstalado fora do Golfo do México.O layout foi definido de modo que possa atender simultaneamente avários projetos, aplicando-se a filosofia de “arrendamento” ou “locação”das áreas. Os clientes têm a possibilidade de utilizar os equipamentos demovimentação de cargas, galpões industriais, equipamentos de grandeporte para a fabricação, montagem e reparos das embarcações.As empresas que utilizam as áreas do empreendimento, nesses casos,podem utilizar o cais ou uma das docas para reparos, ou utilizar tambémum dos grandes galpões industriais. Há uma mão de obra, não própria,que pode ser empregada por essas empresas e que atua nos váriosprojetos.Quando se analisa a questão da dimensão física do estaleiro em relação àdisponibilidade das máquinas, equipamentos, instalações e sistemas, soba forma de arranjo físico, verifica-se que o estaleiro foi construído paraatividades de reparação e conversão de navios e plataformas. Destamaneira, todas as instalações auxiliares ficam ao redor.Parte do estaleiro foi construída por outras empresas e alguns locaispassaram a ser inadequados, razão pela qual o estaleiro dobrou de
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 328 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6tamanho nos últimos 30 anos. Hoje há 22 cais, 3 docas secas e 2 docasflutuantes, afora as inúmeras instalações para suprir as demandas dosvários projetos desenvolvidos em paralelo. Para isso, existe um rigorosoplanejamento e controle das atividades.Uma das prioridades em vista de toda essa área e cais é a da minimizaçãodas distâncias de transporte, posicionando-se os galpões o mais próximopossível dos inúmeros cais e docas. As edificações formam 3 grandesgrupos, situados na parte mais central da área ocupada. Desses locaispartem linhas de pórticos transportando as peças e componentesfabricados para as docas. Nos percursos intermediários, são utilizadosequipamentos de menor capacidade de carga e mais flexíveis para essasatividades.Quanto a essa atividade, a empresa prioriza não só o menor númeropossível de movimentações como também a realização a baixa altura,para reduzir os riscos. Para tal, empregam-se plataformas e veículos detransporte mais baixos e o emprego de pórticos sobre trilhos, com até 800ton de capacidade de carga. Em todos os galpões industriais, há pontesrolantes, algumas de grande porte, que retiram as cargas e as posicionamsobre as plataformas de transporte.O arranjo físico contempla um cais de projeto e oficinas junto ao cais;estas existem para racionalização dos transportes necessários. Percebe-seuma grande quantidade de docas e cais que têm capacidade para atendera vários clientes e a várias embarcações simultaneamente. No momento,a dimensão física do canteiro influencia o total de embarcações em
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 329 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6processo de reparo ou conversão. Contudo, havendo necessidade de seaumentarem as áreas para novos projetos, isso pode ser considerado.A modularização do projeto é definida em função de vários aspectos,dentre os quais a agilidade de fabricação e, por conseguinte, de entregada obra antes do prazo, redução de custos, quando as obras sãoencaminhadas para locais onde os custos de materiais e de mão-de-obrasejam menores. Quando a modularização ocorre no próprio estaleiro, umadas razões é a da facilidade de montagem e do emprego de equipamentosde movimentação de cargas de menor porte. Quando está se trabalhandocom estruturas elevadas e essa é modularizada, reduzem-se os riscos detrabalhos em altura, já que esses passam a ser necessários somente nainterligação dos módulos ou na completação dos serviços.O processo de terceirização é empregado no estaleiro por várias razões,entre as quais a de serviços eventuais ou pontuais. Também podem serterceirizados serviços que tenham a chance de representar maiores riscosou custos e serviços cuja mão-de-obra exige especialização e, assim, seriarequerido maior esforço do estaleiro em capacitação de pessoal. Por fim,esses fatores apresentados quase sempre se encontram associados.Há no estaleiro cerca de 20 a 30 pessoas encarregadas das questões delogística e layout, avaliando as necessidades e analisando os problemasocorridos em um projeto, de modo que não se repitam nos demais.Há espaços suficientes para o atendimento a vários projetossimultaneamente, já que o empreendimento foi estruturado como umagrande área de apoio com aproximadamente 125 hectares. No momento,
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 330 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6a dimensão física do canteiro influencia o total de embarcações emprocesso de reparo ou conversão. Contudo, havendo necessidade deaumentarem-se as áreas para novos projetos, isso pode ser considerado,já que há espaço físico suficiente.A modularização do projeto é definida em função de vários aspectos,principalmente, redução de prazos, custos e facilidade de fabricação. Nocaso de redução de custos, muitas vezes as obras são terceirizadas,visando reduzir custos de materiais e de mão-de-obra. Quando amodularização ocorre no próprio estaleiro, uma das razões é a dafacilidade de montagem e do emprego de equipamentos de movimentaçãode cargas de menor porte. Quando está se trabalhando com estruturaselevadas e essa é modularizada, reduzem-se os riscos de trabalhos emaltura, já que esses passam a ser necessários somente na interligação dosmódulos ou quando os serviços são completados.O estaleiro possui rotas de escape e pontos de encontro em caso deacidentes ou de necessidade de se abandonar o site. No entanto, estaprovidência é comum em qualquer organização de porte grande ou médio.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 331 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 1 - Vista geral do empreendimento com suas várias edificações, navios em cais e docas e equipamentos de movimentação de carga.A área do empreendimento impressiona pelas dimensões, fora dospadrões normais dos demais estaleiros. Outro fato interessante é o daopção do empreendimento de oferecer serviços aos clientes. Caso ocliente deseje docar uma embarcação, instalar um equipamento ouqualquer outra atividade, pode contratar os serviços, assim como podeempregar a mão de obra local ou levar sua própria equipe de trabalho. Foto 2- Vista geral da área descoberta do canteiro empregada para a montagem de estruturas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 332 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Essa área é utilizada na montagem de estruturas, pelas empresascontratantes dos serviços ou pelo próprio empreendimento. Sãoestruturas que serão incorporadas a plataformas de petróleo. Em funçãodas suas dimensões, são feitas ao ar livre. As coberturas para a proteçãodos soldadores ficam posicionadas somente sobre os mesmos, nãoatingindo a toda a estrutura.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoriaOs pontos fortes apresentados pelo empreendimento são seusequipamentos e instalações, listados abaixo:• Duas Docas Secas;• Shiplift System (Sistema de elevação de navios ou comporta), com capacidade para embarcações de porte de 50000 dwt, e dimensão de 188,4m x 33,8m x 8m;• 11 guindastes à beira do cais com capacidades entre 15 a 80 tons;• 1 guindaste com capacidade de 150ton e alcance de 100m Max., 80 tons com alcance de 50m;• 6 guindastes sobre esteiras, 150 a 250 tons;• 5 áreas de fabricação totalizando 224.600 m2 com uma capacidade de fabricação anual de 45.000 MT;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 333 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Facilidades para reparo de Tanques de navios de LNG:  Ta n q u e s p a r a a t iv id a d e s c r io g ê n ic a s  Ce n t r o s d e s o ld a g e m ( I n v a r )  Co n s o le m ó v e l d e in s t r u m e n t o s d e m o n it o r a m e n t o d o s t a n q ues de carga (GTCR) Foto 3 – Galpão de fabricação de componentes de vasos de pressão Workshops de corte e montagem• Galpão com as seguintes dimensões: C: 115m, L: 100 m, H: 22.22 m e máquinas diversas de porte a plasma e a gás, pontes rolantes e equipamentos de transporte de equipamentos;• Duas pistas de rolagem, com capacidade de carga máxima de 40,000 tons e comprimento de 300m cada;• Dois berços em terra, sendo um com comprimento de 345m e capacidade de 142ton/m e outro com comprimento de 315m e capacidade de 125ton/m;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 334 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Cais: Os cais têm berço de atracação para navios com comprimento variando entre 232m a 390m.A área de operação e o mercado alvo são:• Válvulas e portões para plantas hidroelétricas;• navios com chapa de costado de até 150 mm espessura de parede, pesomáximo de até 200/300ton, (FCC reatores, tambores de coque, colunas).Principais produtos típicos:• recipientes sob pressão reatores;• projetos de colunas EPCIC (ou seja, engenharia, aquisições, construção,instalação e designação);• trocadores de calor ar fan coolers;• apoio às embarcações operando no mar;• construção de tanques flutuadores e estruturas anexas para plataformase jaquetas;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 335 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Racionalidade do Layout dos Postos de TrabalhoAnálise das Condições do EstaleiroO empreendimento disponibiliza cinco áreas de fabricação, totalizando224.600m2, com capacidade anual de 45.000 toneladas métricas.Também há disponibilização de 26 workshops cobertos, com um total de53.880m2, incluindo todo o maquinário necessário à execução dasatividades; um galpão para corte e solda com as seguintes dimensões:115m x 100m x 22,22m e possuindo 4 unidades de plasma (CNC); 1unidade de corte a gás; vários outros equipamentos de corte e solda;mesas de montagem; calandras; e pórticos rolantes (5 de 40ton, 1 de60ton, 2 de 80ton e 2 de 160ton). Foto 4 – Galpão de corte e montagem.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 336 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O galpão de corte e montagem possui os seguintes equipamentos /utilidades: Dimensões de 115m (L) x 100m (W) x 22.22m (H); 4 unidades de corte à plasma; 1 unidade de corte à gás; 1 unidade T-Bar line machine; 1 unidade VBA gas CNC machine; 2 unidades 20T magnetic overhead travelling crane; 2 unidades 20T overhead travelling crane Sub Assembly Shop 180m (L) x 100m (W) x 37.4m (H); 1 unidade de solda automática c/ conveyor system; 1 unidade 10T semi-gantry crane; 1 unidade 20T semi-gantry crane ; 2 unidades de soldagem gantry c/w 16 FCAW machine & carriage; 1 ponte rolante elétrica com capacidade de 40 Tons para transferência de equipamentos;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 337 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 1 unidade de carro elétrico de transferência com capacidade de 60 Tons 4 unidades 40T overhead travelling crane Block Shop 105m (L) x 100m (W) x 49m (H); 4 unidades de solda gantry cranes c/16 FCAW welding machine; 2 unidades 80 Tons overhead travelling crane; 2 unidades 160 Tons overhead travelling crane Foto 5 - Vista parcial de uma das áreas de montagem.Pelo fato de a área do empreendimento ser utilizada, principalmente, paraatividades diversas desenvolvidas por terceiros, esses devem estruturarsuas próprias equipes. Deve ser considerado que o empreendimentopertence ao governo local, que não tem nenhuma exigência específica noque diz respeito à estruturação dessas equipes.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 338 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A norma de certificação e gestão adotada é a ISO 9001. Como oempreendimento está, atualmente, desenvolvendo ações no sentido dabusca em excelência, estão em desenvolvimento estratégias para aimplantação das normas ISO 14001 e OHSAS 18001.As ações de melhoria contínua no processo de organização da produção,em todos os níveis do empreendimento, são promovidas através de planosde ação, sugestões, reuniões específicas do departamento de qualidade eoutras. Entretanto, deve ser ressaltado que houve uma afirmação de umcliente, exercendo a função de gerente de contrato, de que, pelo fato deutilizarem funcionários terceirizados, os resultados finais não são tão bonscomo em outros estaleiros asiáticos, especialmente os coreanos.Definição dos Pontos Fortes e de Oportunidades deMelhoria a) Conscientização pela organização de que é necessário aprimorar a excelência da gestão do estaleiro e, por isso, estão desenvolvendo estratégias para a implantação das normas ISO 14001 e OHSAS 18001. b) Planejamento da ocupação mais eficaz do chão de fábrica, levando em consideração fatores como espaço, localização de guindastes, cais, disponibilidade de equipamentos, entre outros.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 339 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Dinâmica dos Transportes de Movimentação doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroUma vez que a capacidade dos guindastes é muito importante no processode reparo ou construção, e mesmo no de conversão de embarcações, osprojetos são avaliados sob a ótica da movimentação das cargas e do localdo cais que poderá ser utilizado. Nos processos de conversão, há cargasque precisam ser removidas – equipamentos, partes do casco e outras - ecargas que precisam ser inseridas. Nesses casos, há necessidade de áreasnão só para a movimentação das cargas como também para oarmazenamento temporário.Existem 11 guindastes dando suporte às atividades de cais, comcapacidades variando entre 15 a 80 toneladas, e 15 guindastes sobreesteiras ou pneus com treliça de carga, com capacidades de 15 toneladasa 100 metros até 80 toneladas a 50 metros. O estaleiro possui ainda 6pontes rolantes, com capacidades de carga variando entre 150 a 250toneladas. Para as cargas mais leves, são empregadas no transporteempilhadeiras de várias capacidades e dimensões.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 340 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 6- Guindaste em operação.Existem planejamento e procedimentos específicos para todamovimentação e elevação de cargas pesadas e para desmontagem emontagem de peças ou estrutura com elevado peso ou com geometriaespecial.Para a movimentação de cargas e equipamentos dentro do canteiro deobras, há análises da capacidade de suporte do solo, elaboração dosplanos de rigging, avaliação das condições climáticas e elaboração dosprocedimentos necessários. As cargas de maior valor e aquelas comgeometria especial e pesos elevados são acompanhadas por profissionaisdas sociedades classificadoras e das companhias de seguros, que avaliamas características de segurança dessas operações. Também podem serelaborados planos de rigging pelos especialistas das empresasresponsáveis pelo fornecimento dos guindastes. Em todas essasatividades, há sempre o envolvimento do gerente de segurança daunidade.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 341 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Como a capacidade dos guindastes é muito importante no processo dereparo ou construção, e mesmo no de conversão de embarcações, osprojetos são avaliados sob a ótica da movimentação das cargas e dos caisque poderão ser utilizados.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) O estaleiro apresenta boa capacidade em relação a equipamentos de transporte. b) Existe um planejamento das operações complexas de rigging e de elevação de cargas. Existe uma preocupação em se dotar o canteiro de áreas que permitam o deslocamento dos meios de transporte, para movimentação de cargas dentro do canteiro, de maneira a aperfeiçoar este deslocamento.Máquinas, Equipamentos e Automação usados noCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroOs critérios adotados para a escolha das máquinas e equipamentos aserem utilizados dependem das demandas internas e externas,produtividade requerida e outras. A empresa em foco possui três sitesespecializados para atividades específicas, preparados para essesserviços. Havendo necessidade, é realizado um planejamento específicoem que se dimensionam ou escolhem os dispositivos mais bem indicados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 342 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Há alguns critérios básicos, como o de as novas máquinas associremqualidade de desempenho ao atendimento aos requisitos de segurança.Ainda na fase do planejamento, os gerentes dos setores são consultadossobre o que deve ser utilizado, quando deve ser utilizado e, se há umequipamento disponível em outro local, quando poderá ser disponibilizado.Os critérios considerados para definir os planos de manutenção, reparos,liberação e identificação das máquinas, equipamentos e ferramentas, são:plano de manutenção preventiva dos guindastes, empilhadeiras, etc.,focando o que deve ser feito e o momento em isso ocorrerá –planejamento das ações; indicação, através de cores, dos equipamentosque sofrem manutenção, associando as cores a um período. Através desseprocesso, identifica-se com mais facilidade se o equipamento, máquina ouferramenta está com a sua manutenção em dia e quando irá ocorrer apróxima intervenção.Foi observado que o estaleiro não apresenta um bom nível de automaçãodas máquinas e equipamentos. Exemplificando, pode ser dito que asatividades de pintura são executadas de forma vulnerável às ações dotempo e não foi constatada a existência de cabine de pinturaautomatizada que permitiria uma melhor qualidade e produtividade. Umdos clientes entrevistados, que é gerente de contrato, declarou que oacabamento final de pintura deixa a desejar.A área de fabricação de pipe spools pode ter a utilização de gabaritosintensificada, o que aumentaria a produtividade do setor e proporcionariauma melhor condição ergonômica para os funcionários.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 343 of 391TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 7 - Área de pintura do canteiro. Figura 8 - Vista geral do chão de fábrica.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 344 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de Melhoria a) Existe um cuidado para que os equipamentos e ferramentas sejam mantidos em condições de uso imediato, para o aumento da segurança dos trabalhadores e da produtividade da operação. b) Há medidas preventivas, como planos de manutenção e reparos dos equipamentos, com especial atenção para aqueles voltados a movimentação de cargas; além da aplicação de boas práticas, percebida na fácil identificação das máquinas, equipamentos e ferramentas.Controle dos Estoques do CanteiroAnálise das Condições do EstaleiroOs processos de engenharia, suprimento e produção são integrados eestruturados, no nível de gestão, através de reuniões com as equipes degestão. A equipe de projeto é o elemento chave do processo e é ouvidaem todas as reuniões ocorridas.Os critérios para a gestão dos produtos e as informações quanto àpreservação dos mesmos, desde o recebimento até a destinação final, sãodefinidos pelos próprios clientes, a quem cabem as responsabilidades pelapreservação dos produtos até suas aplicações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 345 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Pelo fato de a área do empreendimento ser utilizada, basicamente, paraatividades diversas desenvolvidas por terceiros, estes estruturaram suaspróprias equipes.O processo de controle de estoques do estaleiro não se demonstrouadequado. No entanto, deve ser ressaltado que a arrumação e oacondicionamento dos estoques se apresentam dentro das condiçõestécnicas recomendadas. Estão dispostos em cima de paletes, não estandoarmazenados sobre o chão.A metodologia utilizada para identificação dos itens não utiliza recursostecnológicos modernos.Existe um número adequado de equipamentos de elevação e transportede peças e materiais.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades deMelhoria a) Os procedimentos de arrumação e acondicionamento dos itens apresentam-se dentro das técnicas recomendadas. b) Há um número adequado de equipamentos de transporte e elevação, conforme as necessidades atuais do estaleiro.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 346 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Organização e Racionalidade do Trabalho doCanteiroAnálise das Condições do EstaleiroOs principais critérios que norteiam a definição do arranjo físico docanteiro de obra são: segurança operacional; produtividade; qualidade;flexibilidade e cumprimento de prazos. Os critérios relacionados àqualidade e segurança, além de atenderem às características do projeto,buscam também o atendimento quanto às exigências legais e contratuais.Em relação à modularização, esta pode ocorrer no próprio estaleiro, emrazão da facilidade de montagem e do emprego de equipamentos demovimentação de cargas de menor porte. Quando se trabalha comestruturas elevadas que são modularizadas, reduzem-se os riscos detrabalhos em altura, já que eles passam a ser necessários somente nainterligação dos módulos ou na finalização dos serviços. Na prática, osclientes fazem suas opções no momento em que encaminham asembarcações para o site. Eles próprios podem contratar as empresas queirão gerenciar suas obras e indicar, através destas, os critérios quanto àmodularização das estruturas.O processo de terceirização é empregado no estaleiro por diversas razões,entre as quais a de serviços eventuais ou pontuais. Também podem serterceirizados serviços que representem maiores riscos ou custos eserviços que demandem uma mão-de-obra especializada não disponívelno estaleiro. A relação entre pessoal terceirizado e pessoal próprio é de 3
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 347 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6para 1. Normalmente, essa estrutura que não é própria é utilizada emserviços desenvolvidos para terceiros.A empresa possui três estaleiros especializados para atividades específicase preparados para esses serviços. Havendo necessidade, umplanejamento é realizado, em que se dimensionam ou escolhem osdispositivos mais bem indicados.Em relação à gestão das atividades de SMS, existem três tipos em curso.No primeiro, tem-se a gestão desenvolvida pela própria empresa,subordinada à política de segurança do governo local. No segundomodelo, há uma gestão desenvolvida por empresa especializada, na obrade um dos acionistas do empreendimento, em que estão sendoimplantadas novas filosofias de gestão e de sistema de gestão integrado;esse trabalho, após validação pelo governo, que é o principal acionista,deverá ser estendido ao restante do empreendimento. No terceiro modelo,tem-se a gestão de SMS desenvolvida pelos próprios clientes doempreendimento. A harmonização de todos esses critérios é guiada pelapreservação da integridade física dos trabalhadores e pelo respeito aomeio ambiente.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 348 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 9 - Workshops disponibilizados para as várias atividades.Foram construídos 26 workshops, totalizando uma área de 53.880 m2,com dimensões e maquinários compatíveis com as atividades que alipodem ser desenvolvidas. Foto 10 - Pistas de esquidagem para o lançamento dos módulos nas barcaças de transporte.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 349 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As pistas apresentam as seguintes características técnicas: Capacidade individual de 40.000tons; Duas pistas fixas e duas pistas alternativas ou transversais, com 300m de comprimento cada; Foto 11 – Berços de atracação e de montagem sobre cais (também denominados de docas secas). Foto 12 – Docas secas para navios e plataformas
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 350 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As docas secas apresentam as seguintes características:Berço 1 Comprimento de 345m; Capacidade de 142 ton/m;Berço 2 Comprimento de 345m; Capacidade de 125 ton/m; Foto 13 – Cais à beira do mar.Os cais de atracação à beira do mar possuem capacidade ou berços paraembarcações com comprimentos variáveis entre 232m a 390m.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 351 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Foto 14 – Shiplift ou elevador de navios.O shiplift possui competência para arraste e ou içamento de embarcaçõescom capacidade de até 50.000dwt, dimensões de 188,4 metros decomprimento, 33,8 metros de largura e profundidade de 8 metros; sãocapazes de operar as maiores plataformas de petróleo.Definição dos Pontos Fortes e Oportunidades de MelhoriaA organização possui foco na definição do arranjo físico do canteiro daobra, em relação aos aspectos de segurança operacional; deprodutividade; qualidade; flexibilidade e cumprimento de prazos. Alémdisto, estão sendo implantadas novas filosofias de gestão e de sistema degestão, que após validação serão estendidas aos demaisempreendimentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 352 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O Planejamento e o Controle do EmpreendimentoAnálise das Condições do EstaleiroOs fatores que podem impactar os prazos contratuais estão relacionadosao fornecimento de equipamentos e materiais pelos clientes, podendoocorrer atrasos. Nesses casos, em função dos dispositivos contratuais, ocliente pode ter que pagar multas por esses atrasos ou cobrir os custosdos eventuais atrasos.Existem análises periódicas dos desvios ocorridos no projeto, que sãoidentificados por sistemas de controle, abrangendo a totalidade dasáreas/setores onde o empreendimento é executado. Nas demais áreas, oscontroles são realizados pelos próprios clientes.Há reuniões diárias para a discussão dos problemas ocorridos; reuniõessemanais entre o estaleiro e as equipes do cliente para a discussão dosavanços dos cronogramas e dos progressos e reuniões com a alta direçãodo empreendimento.Os processos de engenharia, suprimento e produção são integrados eestruturados no nível de gestão através de reuniões com as equipes degestão.Os procedimentos necessários à execução das atividades são repassados àforça de trabalho através de reuniões específicas, que ocorrem pelamanhã com os trabalhadores, antes do início dos trabalhos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 353 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Independentemente dessas reuniões de divulgação das orientações, há ossupervisores de campo, encarregados de grupos de trabalhadores.A integração e o controle das várias unidades de produção, quando estasse encontram em sites distintos, acontecem através da coordenação entreos diferentes estaleiros. São realizadas reuniões de análise crítica, planosde ação, relatórios de inspeção e de acompanhamento de atividades,entre outras.No processo de fabricação, as empresas terceirizadas ou subcontratadaspodem executar os serviços no site do estaleiro ou em suas própriasinstalações, de acordo com as características dos serviços e dos contratos.A indicação para a terceirização ou subcontratação depende de uma sériede fatores. Cada gerente tem autonomia para contratar as empresas quenecessitar, pois são os responsáveis pelos resultados obtidos. Havendosubcontratações, são buscadas empresas que apresentem elevadodesempenho e qualidade e tenham capacidade reconhecida. Quandoocorre essa terceirização, principalmente se externa, são realizadasauditorias periódicas por empresas especializadas. Entretanto, um dosclientes citou que os contratados com que a organização trabalha não têmboa qualidade e boas práticas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 354 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Definição dos Pontos Fortes e das Oportunidades deMelhoria a) São feitas análises periódicas dos desvios ocorridos no projeto, identificados por sistemas de controle, abrangendo a totalidade das áreas/setores onde o empreendimento é executado. b) Existe uma cultura de busca do aperfeiçoamento, através da discussão dos problemas ocorridos e de reuniões semanais entre o estaleiro e as equipes do cliente, assim como reuniões com a alta direção do empreendimento. Estas reuniões podem resolver, no tempo devido, os problemas reportados por um dos clientes em relação à qualidade e boas práticas.As relações entre o planejamento e controle comas outras disciplinasAnálise das Condições do Estaleiro a) SMSO empreendimento prioriza as exigências estabelecidas pelas SociedadesClassificadoras, nos casos de fabricação própria de equipamentos ecomponentes de embarcações para a indústria offshore; e tambémaquelas exigências determinadas pelos clientes, nos casos em queparticipe de obras junto a eles.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 355 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O sistema de gestão está sendo desenvolvido em parceria com empresaque gerencia uma obra de seu principal acionista. A partir da validaçãodas ações naquela obra específica, os conceitos serão ampliados para todoo restante do empreendimento.Não se pode avaliar o dimensionamento das equipes de SMS em funçãodas características dos serviços existentes. Em cada serviço desenvolvidohá estruturas próprias dos clientes. O desse país determina um mínimo decritério estabelecido, através de legislações específicas, cabendo aoempreendimento ampliá-las em suas próprias obras.O planejamento das atividades de SMS é realizado pelos próprios clientes,nas atividades que não contam com o envolvimento dos empregados dopróprio empreendimento. As atividades desenvolvidas com o apoio doempreendimento ou que utilizam suas instalações fabris são antecedidaspor um planejamento das atividades, que busca ajustar, não só asnecessidades do empreendimento e dos clientes, como também oatendimento à Política de SMS deste. A norma de certificação e gestãoadotada é a ISO 9001. Como o empreendimento está desenvolvendoações de busca em excelência, estão em desenvolvimento estratégiaspara a implantação das normas ISO 14001 e OHSAS 18001.Todos os funcionários, próprios e contratados, que atuam no site devemter conhecimento das determinações do sistema de gerenciamento deSMS, compreendê-las e praticá-las, por meio dos códigos de boaspráticas, normas e regulamentos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 356 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Para o controle de atendimento às normas e ou regulamentos legais econtratuais, são empregadas sistemáticas distintas, de acordo com asexigências dos clientes. Pode-se dizer que, para muitos clientes, asexigências existentes no estaleiro encontram-se bem acima daquelas quecontratualmente o fazem. Assim, os controles existentes atendem a todos.O estaleiro possui como legislação básica os quesitos determinados pelogoverno local, considerados como básicos. Junto a esses, sãoincorporados os quesitos de SMS definidos pela Organização e pelosclientes, integrados em um único sistema de gestão. Isso faz com que oplano estabelecido seja cumprido por todos.Ocorrendo um acidente, todos os responsáveis e envolvidos sãoconvocados para a análise e explicação das causas e conseqüências,dando divulgação dessas a todos os empregados.No planejamento das ações de SMS, são identificadas as tarefas críticas ecriados registros de riscos. Assim, reconhecem-se quais são as atividadescríticas e que impactos trarão para a segurança e saúde dostrabalhadores. Esse planejamento é realizado antes do início de quaisqueratividades. A responsabilidade de execução / cumprimento dos requisitosde SMS no projeto recai sobre toda a estrutura organizacional.Normalmente, no empreendimento há pessoas dedicadas às atividades deSMS, com papéis e responsabilidades específicas.O repasse das informações aos envolvidos ocorre antes do início dasatividades, através de palestras, treinamentos e diálogos de segurança.Esse repasse reforça o que já foi estabelecido nos procedimentos deprodução, que incorporam as ações de SMS.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 357 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As definições operacionais são definidas em conjunto com oempreendimento e com os clientes, em virtude de as principais áreasserem utilizadas por esses, em serviços de média e pequena duração.Desta forma, a cada novo contrato, são avaliadas as necessidades deespaços físicos, de cais ou docas, de galpões, equipamentos e pessoal.Também são contemplados nesse momento as necessidades defornecimento de materiais e insumos e espaços físicos para a estocagemprovisória dos materiais. b) SuprimentosOs fatores que podem ter maior impacto positivo e negativo sobre osprazos contratuais estão relacionados ao fornecimento de equipamentos emateriais pelos clientes, podendo ocorrer atrasos. Nesses casos, emfunção dos dispositivos contratuais, o cliente pode ter que pagar multaspor esses atrasos ou cobrir os custos dos eventuais atrasos. c) CustosO controle de custos é discutido nas reuniões entre as equipes do estaleiroe o cliente. d) QualidadeAs ações de melhoria contínua no processo de organização da produção,em todos os níveis do empreendimento, são promovidas através de planos
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 358 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6de ação, sugestões e reuniões específicas do departamento de qualidadecom os outros departamentos envolvidos.Os conflitos entre as normas utilizadas no projeto são resolvidosadaptando-se as normas do estaleiro às exigências do país do cliente ouda sociedade classificadora. O cliente e o departamento de garantia daqualidade se reúnem para a solução de eventuais conflitos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 359 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Empresa XHistóricoA empresa atua nas áreas de desenvolvimento de tecnologias e nafabricação e montagem de equipamentos e instalações, tendo elevadaexperiência na área de logística / suprimento e compras. Em suasinstalações são desenvolvidos programas computacionais de simulação,empregados principalmente em projetos de estruturas offshore.Para atender a essa gama de serviços possui instalações situadas nasAméricas, Oriente Médio, Mar Cáspio e Ásia. Suas operações, dentreoutras, compreendem o projeto, fabricação, transporte e instalação deplataformas offshore de petróleo e instalação de pipelines offshore. Seusestaleiros são qualificados quanto às normas ISO 9000, e cada um possuicapacidade de produção de igual nível, para atendimento às exigências demúltiplas atividades de fabricação e demandas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 360 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 1 - Fabricação e montagem de jaquetas de plataformas fixas.Seus serviços compreendem, dentre outros: jaquetas para plataformasfixas, decks de “facilidades” e “utilidades”, seções de convés, módulos deprodução e de perfuração; instalações de processamento de gás natural,transferência e armazenamento de petróleo; plataformas flutuantes einstalações de produção; terminais flutuantes offshore; instalaçõesoffshore submarinas; sistemas de controle de poços submarinos deprodução; fabricação de tubulações empregadas em processos industriaisoffshore; vasos de processos, etc..
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 361 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 2 - Construção de módulo de produção.A empresa presta serviços diretamente aos proprietários e operadores dasempresas de energia e transporte. Sua expertise contempla estudos deviabilidade e conceitual, em lugar de projeto e construção e engenharia deinicialização.A equipe de profissionais é altamente experiente, e seus engenheiros deprojeto e gerentes têm vasta experiência prática na execução de projetosde grande porte.Para a execução de suas atividades a empresa conta com softwaresdesenvolvidos internamente, representando o estado da arte noconhecimento desta área, fruto de uma grande experiência.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 362 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 3 - Portfólio de produtos e serviços desenvolvidos pela empresa nas áreas de projetos, gestão e suply chainNa área de controle de materiais a empresa desenvolveu sistemasespecíficos, cuja idéia central é a função de controle de material que levaa informação essencial de todos os materiais de outras fontes,combinando-a e tornando-a facilmente acessível através de planilhas erelatórios.Esses sistemas fornecem o status dinamicamente atualizado de todos osmateriais de informação, incluindo quantidades necessárias, atribuídas,requisitadas, na ordem e emitidas. Isso simplifica a avaliação do impactodas mudanças que podem ocorrer em um ou mais sistemas, tais comoprioridade (planejamento), a ETA de compra, as quantidades de materiais(take-off) e permite que o impacto global seja fácil e rapidamenteavaliado antes que os problemas possam ocorrer. O controle de material
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 363 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6fornece também suporte e inventário completo do projeto, com a gestãodo estoque de materiais / insumos, simplificando a reconciliação no finaldo projeto, com o cliente, bem como com a empresa que forneceu osmateriais e os detalhes a serem apoiados. Os detalhes são mantidos emrelação às quantidades recebidas, e as liberadas, tanto nos armazénsquanto aplicados.Datamart é um repositório que contém detalhes das informações-chave detodas as áreas e disciplinas na solução de Gestão de Materiais. Todas asinformações relacionadas estão disponíveisl, com base em inquéritosomente leitura, para os utilizadores em causa.Um número de opções de seleção permite ao usuário filtrar a informaçãopara que apenas os detalhes específicos estejam disponíveis. Essainformação pode então ser manuseada e utilizada para criar relatóriospersonalizados individuais. Há inúmeros relatos disponíveis para todas asfunções dentro do aplicativo, porém os requisitos individuais sempredeterminam que os adicionais precisam ser desenvolvidos. O Datamartnega a exigência de quaisquer relatórios complementares a seremdesenvolvidas. Os usuários têm a opção de criar e manter seus própriosrelatórios em um modelo desenvolvido localmente. Posteriormente, essesrelatórios podem ser salvos ao meio ambiente local.O Sistema de Gerenciamento de Materiais da empresa oferece umasolução completa de dados para o gerenciamento das necessidades demateriais. Além disso, possibilita que sejam administrados todos osaspectos de um projeto de controle de estoque e material de aplicaçãopara uma solução completa de contratos.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 364 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6O âmbito do Sistema de Gestão de Materiais é caracterizado pelasseguintes etapas:• Aquisições• Controle de Material• Material de aplicação• Controle de preços de aquisição• Datamart• Inventário• Parte do sistema de numeração• processamento de fatura Figura 4 - Prestação de serviços em unidades fixas de produção de petróleo.São contemplados nesses estudos e projetos: plataformas offshore einstalações conexas; instalações de atracação e armazenagem;arquitetura naval; amarras especiais; análise estrutural estática e
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 365 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6dinâmica; análise de elementos finitos; análise harmônica e sísmica;engenharia conceitual e front-end & design; design detalhado; suporte defabricação e instalação; conexões; apoio e comissionamento; serviços deaquisições e suprimentos; plataforma de pipeline e reavaliação. Figura 5 - Atividade de fiscalização de serviços na área offshoreA empresa utiliza o conceito EPCI de maneira a facilitar o gerenciamentodo empreendimento por parte do cliente, permitindo consistência demétodos, padrões, gerenciamento da cadeia de suprimentos, altodesempenho em SMS e bons métodos de fabricação e soldagem.A área de engenharia é formada por um grupo altamente experiente emprojetos offshore, permitindo que os projetos sejam executados comcustos competitivos e o FEED (Front End Engineering Design) dos projetossejam realizados com base em estimativas e cronogramas realistas.A área de suprimentos tem o controle centralizado das commodities-chave, mas utiliza-se, também, do suporte dos escritórios regionais desuprimentos para garantir o acompanhamento dos materiais paraentregas dentro dos prazos acordados.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 366 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A área de construção está equipada com os equipamentos necessáriospara a fabricação e montagem dos equipamentos offshore, e teminstalações situadas nas principais regiões petrolíferas do globo.A instalação visitadaA empresa possui uma instalação inaugurada em 1950. Atualmente, podefabricar jaquetas offshore, topsides, centrais de geração de energia,módulos. Recentemente foi construída uma Multi-Joint Welding Facilitydestinada para a soldagem de pipelines que operam em águas profundase que através de técnicas modernas de soldagem proporciona altaqualidade de acabamento nas soldas.O canteiro pode proporcionar, através dos recursos internos existentes degerenciamento de projetos combinados com recursos terceirizados,serviços turnkey para vários tipos de empreendimentos.A organização possui certificações ISO 9001 e ISO 14001.Área de Fabricação:• Área Total: 2.383.598 m2;• Área Coberta: 141.610 m2 ;• Galpão de soldagem: 3.720 m2 ;• Armazenagem: 167.000 m2 de área coberta e 125.452 m2 de área descoberta;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 367 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• Há um cais com aproximadamente 4km, podendo atender navios com comprimento de até 228m e calado de 7m. Esse cais dista 35 milhas do mar aberto, através de um rio.Figura 6 - Instalações da empresa, em New Orleans, ocupando as duas margens do rio. Figura 7 - Área de fabricação de módulos de plataformas.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 368 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A empresa executa seu processo de gestão de projetos através dadesignação de um gerente de projeto dedicado e uma equipe totalmenteintegrada ao projeto. A chave para o sucesso da equipe é a nomeação deum gerente de projeto experiente, que é diretamente responsável,perante o cliente, pela execução do projeto e plena capacidade de gestãoe autoridade necessária para controlar todas as etapas dos serviços. Aequipe do projeto, como um todo, tem os seguintes objetivos: Configuração do time ideal para o projeto e execução do trabalho de forma mais eficaz; Alteração do time sempre que necessário, visando ao atendimento das necessidades do projeto; Simplificar a comunicação para uma resposta rápida e eficaz; Dar continuidade da supervisão durante todo o projeto; Fornecer pessoal competente e experiente para executar e controlar o trabalho; Manter adequado controle sobre a qualidade, custo e cronograma para atender as necessidades do projeto; Garantir a satisfação do cliente com o projeto de execução.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 369 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Uma das instalações da empresa constrói jaquetas offshore, topsides,centrais de geração de energia e módulos. Recentemente foi construídauma oficina de soldagem de pipelines que operam em águas profundas eque através de técnicas modernas de soldagem proporciona alta qualidadede acabamento nas soldas. Figura 8 - Vista interna do galpão de fabricação em Morgan CityAtravés dos recursos internos existentes de gerenciamento de projetoscombinados com recursos terceirizados o empreendimento ofereceserviços turnkey para vários tipos de projetos, possuindo certificações ISO9001 e ISO 14001.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 370 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 9 - Vista parcial de uma das instalações da empresaPrincipais observaçõesAtualmente a empresa utiliza as instalações de Morgan City para afabricação de topsides. A organização procura trabalhar procedimentada epara isto, tem uma estrutura de procedimentos globais e procedimentosoperacionais.Os projetos são elaborados a partir do “Projeto de partida” que étransformado em uma estrutura analítica de projetos (WBS) que setransforma no “Projeto Orçamentário”.A contas são padronizadas para os diversos itens que compõem aestrutura analítica de projeto, mas também podem trabalhar com ascontas dos clientes. A equipe de projeto faz um acompanhamentodetalhado do Projeto Orçamentário para verificar as alterações.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 371 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A estrutura de projetos trabalha com indicadores-chave de desempenhopara acompanhamento da produtividade e acompanha o status dosempreendimentos a partir de reuniões mensais. Nestas reuniões sãodebatidas as lições aprendidas, os resultados obtidos em relação àsmétricas históricas, prazos e custos estimados em relação ao real obtido.A organização entende que a equipe de projetos é a responsável peloandamento do projeto e, deve analisar a situação, tomando as decisõesestratégicas para alcançar os objetivos propostos no Plano de Projeto.Para o planejamento e detalhamento das atividades utilizam o softwarePrimavera 6.2.De acordo com a equipe dirigente do estaleiro, uma das principaisvantagens competitivas é a existência de um grupo muito experiente comaproximadamente 25 a 30 anos de prática em empreendimentos offshore.Esta experiência é utilizada durante o denominado Front End Plan Processquando os grupos de engenharia e fabricação em conjunto com o grupode planejamento discutem sobre empreendimento, procurando responderos seguinte pontos: Onde? Quando? Como? Quanto tempo?É uma prática corrente na organização a realização de uma reuniãodenominada “Reunião de validação da linha de base da programação”quando o cronograma base do projeto é validado pelos intervenientes.Nesta reunião são definidas e aceitas as datas e milestones. Caso oempreendimento seja similar a algum que tenha sido executado no
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 372 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6passado, o mesmo é reutilizado com as devidas alterações devido amudanças (se houver) nos índices de produtividade.Existe um software, desenvolvido internamente, que está na intranet daempresa onde estão as lições aprendidas nos diversos projetos.Atualmente, devido a restrições orçamentárias, esta base de dados sofrealgumas restrições por parte do pessoal da organização. São realizadasreuniões trimestrais para discutir as lições aprendidas nos diversosprojetos em execução.Os pacotes de trabalho (Work packages) são preparados tendo-se ocuidado de verificar se os materiais, desenhos, especificações estãocontidos no pacote e se os equipamentos e máquinas a serem utilizadosestão disponibilizados. Ao término do trabalho os pacotes de trabalhodevem ser verificados pela Fabricação e pela Qualidade.É prática da organização que se realize uma reunião denominada “Reuniãode Atividades futuras do cronograma”. Nesta reunião existe a preocupaçãode se avaliar e verificar o quadro do projeto para os períodos vindouros. Éfeito o monitoramento de todas as etapas futuras do empreendimentopara se verificar a disponibilidade de guindastes, equipamentos,máquinas, mão de obra, materiais em relação ao cronograma estipulado.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 373 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Os aspectos de SMS são discutidos em reunião para a manutenção eaprimoramento dos padrões utilizados pela organização.A organização possui um sistema, desenvolvido internamente,denominado “Sistema de Gerenciamento de Mudanças” que teminformações disponíveis sobre os projetos. Estas informações sãodisponibilizadas de acordo com o nível de responsabilidade. O sistemaaponta as variações existentes entre o real e o estimado, permitindo queações corretivas sejam tomadas.Outro ponto ressaltado pela equipe dirigente como uma boa prática daorganização é a realização de Project execution audits. Estas auditoriasverificam custos, prazos, qualidade para os diferentes projetos. Sãorealizadas quando o projeto alcança 30% e 60% de executado. É nestemomento, que são medidos os entregáveis do projeto em relação aoplanejado. São avaliadas as métricas chave, de modo a verificar onde estáo problema e , caso necessário, tomar decisões para resolver o problemaencontrado. Caso seja necessário, em alguns casos poderá haver umarevisão no “Plano de Previsão”.A organização utiliza a avaliação de riscos e oportunidades para cadaprojeto e são traçados planos para resolvê-los. É utilizado o método desimulação de Monte Carlo. O risco é transformado em possíveis unidadesmonetárias.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 374 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6A empresa emprega uma série de programas computacionais não só parao desenvolvimento de projetos, de várias complexidades, como tambémpara a avaliação e desempenho de instalações, controle de execução eobras e até mesmo para a gestão de insumos.Para a análise estrutural são utilizados, entre outros:MICROSAS II (microcomputer structural analysis system),compreendendo: Interactive Graphics Modeling, Wave System, WaveLoad, Wind Load, Gravity Load, Equipment Loads, Appurtenance Loads,Manual Structural Loads, Super Elements, Structure-Pile InteractionAnalysis, Structural Analysis, Member Check, Joint Chech, Ring-StiffenedJoint Design, Automatic Resizing, Fatigue Check, Wear Design, PileDesign, Design Check of Flat Plate and Cylindrical Shells.No segmento de arquitetura naval é utilizado o programa MOSES (multi-operacional structural engineering simulator), desenvolvendo programascomo: classic hydrostatics, frequency domain analysis e time-domainsimulation.Os programas computacionais em 3D mais utilizados são: RISCOM-3D,FLEXCOM-3D, MODES, WAMIT, ANSYS, DMOOR (deterministic mooringanalysis), PMOOR )probabilistic mooring analysis) e SPMOOR (single-pointmooring analysis).
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 375 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Afora essas ferramentas computacionais são utilizados programas deprojetos de fundações, para plataformas fixas, programas de análise deníveis de tensão em tubulações, projetos de vasos de pressão, design deprojetos, balanço de materiais, trocadores de calor, válvulascontroladoras, pipelines, destacando-se o programa PAULA (pipelinealgorithm unsteady liquid analysis).Existe um acompanhamento do custo da qualidade através do custo daqualidade dos projetos. Figura 10 – Montagem de plataforma cilíndrica, projetada pelos programas computacionais da empresa
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 376 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 11 – Transporte de seção de plataforma cilíndrica.Figura 12 - A área de fabricação de tubos é composta por 5 grandes edificações,com 9 calandras com capacidade máxima de 3000ton.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 377 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 13 - Área de preparação de estruturas e soldagemA área de preparação de estruturas e soldagem conta com o emprego deoxi-plasma, utilizando-se equipamentos semi automatizados, com amínima intervenção humana, aumento os níveis de qualidade exigidospelos clientes. Figura 14 – Armazenamento de insumosTodos os insumos empregados nos projetos são acondicionados emantidos em áreas específicas, com controle informatizado, o qualpossibilita a rápida localização e a informação sobre a aplicação do
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 378 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6mesmo. O sistema possibilita a menor perda de tempo possível noemprego dos insumos. Aqueles de maior porte são armazenados próximosdos locais de suas aplicações, minimizando o emprego de equipamentosde movimentação de carga de maior porte. Figura 15 – Montagem de instalações offshoreAs atividades de montagem de instalações offshore, jaquetas e módulos,são empreendidas pela própria empresa, empregando, preferencialmente,equipamentos próprios. Essas atividades, consideradas de elevado risco,são continuamente acompanhadas pelas equipes de projeto, montagem,SMS, sociedades classificadoras e brockers. Todas as etapas desseprocesso são planejadas com grande antecedência.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 379 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 16 – Lançamento de dutos submarinosO lançamento de dutos submarinos é outro tipo de serviço desenvolvidopela empresa, com equipamentos próprios. Os dutos são fabricados emuma de suas unidades de produção, com decks de montagem de 120mpor 240m. Nesses há guindastes de 20ton. Para o deslocamento dasestruturas a empresa conta com guindastes sobre rodas ou lagartassendo: 4 de 100ton, 14 de 125ton, 9 de 300ton e 2 de 350ton.Nas linhas de produção há quatro galpões para a fabricação com solda dearco submerso, para estruturas e tubulações, essas com comprimento deaté 115m e peso de 400kg/m.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 380 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 17 – Montagem de módulosAtividade de montagem de módulos sobre jaqueta (fixa), de produção depetróleo, empregando-se equipamentos próprios da empresa. Trata-se deatividade de elevado risco, planejada com grande antecedência eacompanhada por toda a equipe de produção. Figura 18 – Soldagem de dutos com plasma
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 381 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Atividade de solda a plasma (GMAW-P) com emprego de sofisticadatecnologia, propiciando elevada qualidade de execução. Figura 19 – Soldagem automatizada de dutosUnidade automatizada de soldagem de tubulação, a plasma. Esse tipo detubulação é empregado em jaquetas de plataformas e em linhassubmersas de transporte de petróleo.A empresa disponibiliza algumas facilidades quanto a equipamentos,tecnologias, processos e execução de atividades, como o controle daqualidade das soldas automatizado, emprego de laser e demaisfacilidades.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 382 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 20 – Transporte fluvial de jaquetasO transporte de jaquetas em rios é outra atividade de elevado risco para oqual a empresa especializou-se, contando não só com experiente equipeoperacional, equipamentos específicos e sistemas de controle inclusivecom monitoramento através de satélites.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 383 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Empresa YObjetivo da visitaA visita guiada teve por objetivo maior tomar conhecimento dos avançosobtidos pela empresa em atividades distintas, que não a de fabricação emontagem e seus vários processos. Assim, em 01-04-2010 foi promovidareunião com membros da diretoria da empresa a fim de melhor conhecersuas atividades. Naquela ocasião foram apresentadas as várias atividadesdesenvolvidas, com foco para os trabalhos voltados a softwares, como oPlantWeb.IntroduçãoA empresa encontra-se presente em mais de 150 localidades em várioslugares do mundo, associando engenharia e tecnologia para fornecersoluções inovadoras aos clientes nos mais diversos segmentos dosmercados industrial, comercial e consumidor.Sua prioridade é projetar, produzir e entregar produtos, sistemas esoluções que melhorem a vida das pessoas.Para os negócios ao redor do mundo, a marca representa tecnologiaglobal, liderança de mercado e foco no cliente. Para o investidor, o nomesimboliza o reconhecido modelo de gestão, uma bem sucedida estratégiade crescimento e forte desempenho financeiro.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 384 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6As políticas de Recursos Humanos da companhia estão direcionadas paraa Gestão de Talentos, que inclui o desenvolvimento de carreira eoportunidades de aprendizado com os melhores do ramo. O compromissoda empresa é propiciar e fomentar um ambiente de trabalho fértil esaudável, onde todos exerçam e desenvolvam suas habilidades pessoais eseu potencial criativo.Os colaboradores são reconhecidos ao redor do mundo por sua excelênciae desempenho, sendo providos a esses, oportunidades de carreira emuma grande variedade de indústrias inovadoras.A empresa se encontra constantemente entre as principais empresas daárea de softwares voltados a projetos e gestão eletrônica de dados. Emum ranking global, a empresa ocupa:• 2a posição na classificação geral;• 1a posição em termos de qualidade de produtos e serviços, inovações, investimentos, a longo prazo, uso de recursos corporativos e responsabilidade social;• 134a posição na lista das maiores empresas dos Estados Unidos da Revista Fortune (com base em receita);• 250a posição na lista da Revista Forbes das 2.000 maiores empresas do mundo (com base em receita, lucratividade, ativos e valor de mercado);
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 385 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• 2a posição na lista das maiores e mais inovadoras corporações usuárias de informática;• "Estrela Total" em 2003, pelos entrevistados para selecionar as 50 empresas mais respeitadas do mundo, em todas as indústrias.Principal produto apresentadoA arquitetura de planta digital da PlantWeb® usa o poder da inteligênciapreditiva para melhorar o desempenho de projetos, fornecendo dados demelhor qualidade, de modo que os projetistas possam tomar as decisõesmais acertadas. Através do software se pode ter acesso e integração dosdados de milhares de instrumentos e outros tipos de equipamentos emtoda a planta industrial — não apenas para processar variáveis, masdisponibilizando as informações necessárias para a gestão dos processos eseus desempenhos. Através dessa visão, consegue-se associar a eficáciado processo comparando-o a metas pré-estabelecidas. A idéia que melhorpode representar essa configuração de programa é a do controle total detudo aquilo que encontra-se envolvido no processo de produção, atravésdo monitoramento e controle os vários dispositivos nesse inseridos, comoválvulas, painéis, fontes de controle, fluxos de produtos, além doscontroles ditos normais, como: temperatura, pressão e vazão.Após isso, por meio do programa computacional utilizam-se esses dadospara detectar ou mesmo prever condições que poderiam levar aproblemas de processo ou equipamentos, gerando alertas, de modo que
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 386 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6os gestores operacionais possam atuar antes que se perca a planta emfunção de um sinistro.Como resultados, são obtidos recursos sem precedentes - e incomparáveis- para melhorar a qualidade, produtividade e disponibilidade, reduzindo oscustos de operações e manutenção; SMS; energia & utilitários; e resíduos& retrabalho.Para melhor compreensão, os níveis de controle podem chegar ao pontode possibilitar que equipamentos considerados chave nos processos sejamcontinuamente monitorados, permitindo que as intervenções sejam maispreditivas do que preventivas ou corretivas. E, em assim sendo,consegue-se realizar as atividades de manutenção sem que essas ocorramapós paralisações dos processos por perda ou disfunção dosequipamentos. Isso quer dizer que passa-se a planejar os momentos deintervenção. Como todos os equipamentos do processo podem sercontrolados, basta apenas rever periodicamente os gráficos e relatóriosdos controles para se avaliar o melhor momento das intervenções,momentos esses que podem abranger um número maior de equipamentoscríticos. Essa visão de programa prioriza a produção, ao invés deeventuais economias geradas com a utilização dos equipamentos em seuslimites últimos, o que pode ocorrer em função de uma parada por risco doprocesso.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 387 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6 Figura 1 -Com base nos resultados das instalações de plantas em todo o mundo etodos os setores, a empresa tem condições de assegurar que os projetospossam ser mais eficientes e gerar menos perdas. Com essa visão aempresa realiza auditorias de fábrica para a avaliação do desempenho.Em seguida, depois da execução do projeto de automação, utilizando osrecursos do software e adotando sua arquitetura operacional. A seguir, érealizada nova auditoria nas instalações no prazo de 3 meses deinicialização do sistema de gestão para avaliar a economia e finalizar ocusteio do projeto. O programa de garantia de eficiência do softwarecompara as melhorias de eficiência empreendidas com base nosdesempenhos medidos através do estudo do projeto.
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 388 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6Independentemente das metas de rentabilidade, na arquitetura dosoftware a segurança dos empregados, a das Comunidades ao redor e ado Meio Ambiente vêm em sempre em primeiro lugar, nos programasapresentados às empresas. Por exemplo, quando os materiaisempregados são explosivos, tóxicos ou prejudiciais ao ser humano sãoapresentados os critérios necessários para se proteger desses riscos.Os ativos de automação de processo proporcionados pelo softwareoferecem condições de se prever e ou evitar situações anormais, em vezde simplesmente reagir a eles.A empresa possui uma ampla gama de equipamentos, softwares edispositivos de medição superior, controle, e tecnologias analíticas quepermitem a execução da operação segura e responsável - incluindoanalisadores de pilha-gás e sistemas de monitoramento de emissões,válvulas de segurança e transmissores. Através da mudança de ações, depreventiva para preditiva, e a integração de informações do software
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 389 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6pode-se prever e evitar falhas de equipamentos que levem a falhas deprocessos (upsets), melhorando os procedimentos operacionais ereduzindo os riscos de não conformidade normativa. Pode-se impedir quepequenos problemas terminem se tornando questões de grandesegurança. De acordo com a experiência da empresa, as principais causastípicas de situações anormais de operação podem ser devidas a:Assim, atuando-se no controle dos equipamentos e dos processosconsegue-se reduzir a menos da metade a probabilidade de ocorrênciasanormais. Porém, uma parcela significativa, que envolve a participaçãohumana, na faixa de 40%, não é abrangida pelo software. Essa, contudo,pode ser trabalhada pelas empresas através de programas demonitoramento e controle, capacitação e supervisão. Como háflexibilidade de programas, pode-se ter um maior controle naquelasetapas de processo onde é maior a participação humana, criando-seredundâncias, como por exemplo: se há um spray-drier a gás e oprocesso de combustão se inicia através de uma chama piloto em umacâmara inundada de gás. Quando essa se encontra no modo apagada e háinjeção de gás na câmara de combustão, o processo, ao cruzar esses
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 390 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6dados, imediatamente programa a abertura das janelas de ventilação,reduzindo o risco de explosão.Outro programa fornecido pela empresa é o AMS Suíte - Gestor dascondições operacionais de máquinas, motores, bombas e outrosequipamentos mecânicos, gerando alerta precoce dos sinais de problemas,como desgastes prematuros, fadigas, entre outros. O mesmo programapossibilita a monitoração de desempenho e os desvios, aplicado não só aequipamentos como também a partes de um processo ou ao processocomo um todo, através da detecção precoce de falhas catastróficas,inclusive de equipamentos chave, como turbinas e compressores.Com robustas e confiáveis informações disponíveis onde for necessário, oPlantWeb ajuda a reduzir o risco de problemas introduzidos por errohumano. Os operadores e pessoal de apoio, confiando no sistema degestão, podem responder rapidamente e corretamente às informaçõesoportunas, precisas, que apontam precisamente para onde está oproblema, com nenhum tempo perdido.A empresa possui inúmeros outros programas computacionais de controle,projetos, simulações de dados, entre outros:• Gerenciador de dispositivos do AMS - documenta automaticamente todas as alterações feitas por meio da estação de trabalho, incluindo a data, hora, usuário e informações de como-encontrado como- esquerda;• Trilha de auditoria disponíveis – possibilita, com a coleta de dados, a documentação e controle de requisitos de relatórios;
    • REV. IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Nº RF-E&P27.6-DIC.2255 0 CÓDIGO DO PROJETO: FOLHA: E&P 27.6 391 of 391 TÍTULO DO DOCUMENTO: Relatório Final E&P - 27.6• O sistema DeltaV - permite gerar relatórios facilmente para atender aos requisitos normativos.Uma das maiores fontes de problemas nos processos de qualidade nasplantas industriais é a variabilidade do processo. E enquanto causastípicas da variabilidade são aspectos normais de qualquer operação, sãomuitas vezes não diagnosticadas, por várias razões. A variabilidade podese originar em qualquer lugar; aderências em válvulas de controle paratransmissores de fluxo; mal sintonia de loops manuais para controle devibrações excessivas na rotação de equipamentos, etc..Individualmente, essas variações podem ser pequenas ou imperceptíveis.Contudo, juntas podem propagar e aumentar os custos aumentando asnão-conformidades de fabricação e os retrabalhos.O custo de má qualidade pode ser rebatível: em primeiro lugar, há o custode oportunidade perdida de produto não vendido por se encontrar fora dasespecificações do produto. Em segundo lugar, há o custo dos desperdíciosde matérias-primas, energia, acrescido dos custos de eliminação.