Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?

5,364

Published on

Apresentação sobre o uso das novas tecnologias na educação realizada em sessão de formação continuada dos professores da Escola Modelar Cambaúba, no Rio de Janeiro, em 16 de novembro de 2010.

Published in: Education

Transcript of "Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?"

  1. 1. Kátia Cristina do Amaral Tavares (UFRJ) ktavares@uol.com.br Projeto LingNet – Linguagem, Educação e Tecnologia www.lingnet.pro.br Internet na Educação: novas tecnologias e velha pedagogia? Escola Modelar Cambaúba 16 de novembro de 2010
  2. 2. Despertando de um sono de 100 anos...
  3. 3. Será que essa história, contada hoje, ainda tem o mesmo efeito que tinha ao ser contada há dez anos? Será que ela ainda faz sentido? Será que a sala de aula realmente não mudou no último século? E a tecnologia? Como ela está presente na sala de aula?
  4. 4. No link “Projetos” do site da escola, vocês vão encontrar várias dicas para a construção do blog da turma. Lembrem- se de que o login e a senha de acesso foram enviados a vocês por e-mail.
  5. 5. Como as novas tecnologias têm sido usadas na educação? Que tipos de mudanças estão realmente ocorrendo? A mudança tem sido tecnológica ou pedagógica?
  6. 6. Um vídeo para refletir...
  7. 7. Como as novas tecnologias têm sido usadas na educação? Que tipos de mudanças estão realmente ocorrendo? A mudança tem sido tecnológica ou pedagógica?
  8. 8. • Não é a tecnologia em si que promove a mudança, mas o uso que se faz dela. Portanto... • Não usar as NTICs apenas pela novidade tecnológica, mas pelo seu potencial pedagógico. • Conhecer bem as potencialidades e limitações das diferentes NTICs, em termos técnicos e pedagógicos. • Selecionar as NTICs mais adequadas ao contexto educacional (proposta pedagógica, objetivos do curso, recursos humanos e materiais disponíveis etc.). • Usar as NTICs selecionadas de acordo com o contexto e com o modelo educacional que se deseja adotar.
  9. 9. As novas e as “novíssimas” tecnologias
  10. 10. http://conniebensen.com/blog/2007/11/03/scobles-social-media-starfish
  11. 11. Na Web, um novo usuário... “prosumer”: producer + consumer Novas possibilidades tecnológicas trazem novos desafios pedagógicos.
  12. 12. As novas tecnologias da Web 2.0 têm sido usadas na educação? Como? Que (novas) práticas pedagógicas podem ser proporcionadas (e até encorajadas) pela Web 2.0? Que (novos) papéis podem ser assumidos por professores e alunos?
  13. 13. Velhas práticas • ensino descontextualizado • ensino centrado no professor • transmissão de conhecimento NA EDUCAÇÃO...NA EDUCAÇÃO... Novas práticas • ensino contextualizado • alunos e professores compartilham ensino e aprendizagem • construção conjunta de conhecimento
  14. 14. INTERNET NA EDUCAÇÃO...INTERNET NA EDUCAÇÃO... • fonte de informação (interação com o conteúdo) • meio de comunicação (interação entre pessoas) • ambiente de colaboração (interação para aprendizagem colaborativa) • meio de distribuição da informação (conteúdos produzidos pelo professor e pelos alunos) Como fazer a diferença? • Usar as “novas” tecnologias para proporcionar e encorajar “novas” práticas pedagógicas. • Ao usar a tecnologia dessa forma, é possível encorajar novas práticas pedagógicas até mesmo em situações não mediadas pela tecnologia.
  15. 15. Novos papéis: Alunos e professores compartilham ensino e aprendizagem Desafios: • Aprender a aprender • Aprender a aprender colaborativamente • Aprender a aprender colaborativamente com uso das novas tecnologias
  16. 16. Aprendizagem colaborativaAprendizagem colaborativa • Atividades colaborativas podem… – ser mais ou menos estruturadas: trabalhos em pequenos grupos com tarefas e etapas bem- definidas pelo professor ou discussões a partir dos interesses e questões dos alunos – propor a criação de um produto determinado (ex. elaboração de um texto, um cartaz, um blog) ou participação em um processo (ex. exercício de responder ao trabalho um do outro, discussão sobre textos e questões)
  17. 17. Recursos para interação e colaboração on-Recursos para interação e colaboração on- lineline – grupos de discussão, fóruns e e-mail (interação assíncrona): mais adequados para atividades de discussão, reflexão e aprofundamento – chat, mensagens instantâneas (interação síncrona): para atividades que requerem feedback imediato – blogs, wikis: facilitam projetos de redação coletiva e de criação de outros produtos (que podem ser amplamente divulgados) – serviços de compartilhamento de documentos (Google Docs, You Tube, Teacher Tube): para criação e divulgação de produtos pelo grupo e como fonte de recursos – redes sociais (Orkut, Facebook, Drop a Video) ⇒ Web 2.0 = especialmente útil em atividades colaborativas que propõem a criação de um produto digital (ex. livro ou revista online: www.myebook.com, entre muitos outros)
  18. 18. http://conniebensen.com/blog/2007/11/03/scobles-social-media-starfish
  19. 19. Professores e alunos estão prontos para essas mudanças tecnológicas e pedagógicas? Como se preparar? Como professores que são imigrantes digitais podem ministrar cursos para alunos que são nativos digitais? Saber usar a tecnologia significa saber usar a tecnologia para ensinar e para aprender? Como formar professores que saibam usar as NTICs pedagogicamente?
  20. 20. Formação do aluno para usar as NTICs • Ser nativo digital não significa saber usar a Internet para aprendizagem de forma sistemática • É preciso: – ensinar os alunos a usar as tecnologias já familiares a eles para fins de aprendizagem; – ampliar o conhecimento dos recursos tecnológicos disponíveis para a aprendizagem; – desenvolver a autonomia dos alunos (que precisam se tornar co- responsáveis pelo seu processo de aprendizagem); – desenvolver o senso crítico dos alunos no uso das tecnologias. • Tecnologia integrada às diferentes disciplinas; favorecimento de trabalhos interdisciplinares
  21. 21. Formação do professor para usar as NTICs • Primeira preocupação: tecnologia • Depois: tecnologia e pedagogia • Formação inicial (na Graduação) e continuada (ao longo da vida) • Tecnologia integrada à formação (cursos sobre diversos assuntos com uso das NTICs) • Proposta de formação reflexiva crítica • Necessidade de investimento e planejamento na formação continuada – em nível pessoal e institucional
  22. 22. Toda nova tecnologia traz desafios...
  23. 23. Para entrar em contato: Kátia Cristina do Amaral Tavares (UFRJ) ktavares@uol.com.br No site do Projeto LingNet, encontre alguns possíveis caminhos para sua formação continuada: Projeto LingNet – Linguagem, Educação e Tecnologia www.lingnet.pro.br E o debate continua... Esta apresentação estará disponível em www.slideshare.net/ktavares onde você encontra outras apresentações sobre educação e tecnologia. Para rever os vídeos desta apresentação, visite a coleção Formação continuada EMC em http://dropavideo.com/user/ktavares/ Visite outras coleções relacionadas.

×