• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
O panoptismo  (Foucault)
 

O panoptismo (Foucault)

on

  • 26,492 views

Nessa apresentação, eu e o colega de curso Gladiston fizemos uma análise sobre o panoptismo, tratado por Foucault em sua conhecida obra "Vigiar e punir".

Nessa apresentação, eu e o colega de curso Gladiston fizemos uma análise sobre o panoptismo, tratado por Foucault em sua conhecida obra "Vigiar e punir".

Statistics

Views

Total Views
26,492
Views on SlideShare
26,438
Embed Views
54

Actions

Likes
4
Downloads
334
Comments
0

5 Embeds 54

http://testeucamt.blogspot.com.br 29
http://testeucamt.blogspot.com 20
http://www.testeucamt.blogspot.com 2
http://testeucamt.blogspot.pt 2
https://twimg0-a.akamaihd.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    O panoptismo  (Foucault) O panoptismo (Foucault) Presentation Transcript

    • UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSOPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO – MESTRADO EM EDUCAÇÃODISCIPLINA: A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO
      O PANOPTISMO
      Michel Foucault
      MESTRANDOS:
      CARLOS HENRIQUE T. DE FREITAS
      GLADISTON DOS ANJOS ALMEIDA
    • O autor , a Obra e o Tema...
      Paul-Michel Foucault foi um filósofo e professor de História dos Sistemas do pensamento do Collège de France, entre 1970 e 1984. Seu trabalho envolveu uma arqueologia do saber, da experiência literária e da análise do discurso, bem como as relações de poder e as instituições governamentais. Nasceu em outubro de 1926, em Poitiers, na França, e faleceu em junho de 1984, em Paris.
      Em sua obra, “Vigiar e punir”, na qual trata do panoptismo (cap. 3), Foucault analisa o poder disciplinar na sociedade moderna, tratando das formas de pensamento como relações de poder, que geram coerção e imposição.
    • OP A N O P T I S M O
    • O controle....
      As medidas impostas em uma cidade atingida pela peste no fim do séc. XVII:
      Espaço recortado, imóvel, fixado. Cada qual se prende a seu lugar. E caso se mexa, corre perigo de vida, por contágio ou por punição. (p. 173)
      Cada um trancado em sua gaiola, cada um à sua janela, respondendo a seu nome e se mostrando quando perguntado, é a grande revista dos mortos e dos vivos. (p. 174)
      “Esse espaço fechado, recortado, vigiado em todos os seus pontos, [...] isso tudo constitui um modelo compacto do dispositivo disciplinar. A ordem responde á peste. (p. 174-175)
    • Recortar.... Vigiar... Controlar... Excluir
      O grande fechamento por um lado; o bom treinamento por outro. A lepra e sua divisão; a peste e seus recortes. Uma é marcada; a outra, analisada e repartida. (p. 175)
      Para fazer funcionar segundo a pura teoria os direitos e as leis, os juristas se punham imaginariamente no estado da natureza; para ver funcionar suas disciplinas perfeitas, os governantes sonhavam com o estado de peste. (p. 176)
    • O Panóptico de Bentham
      • O Pan-óptico no Dicionário Aurélio:
      1. Que permite uma visão total: construção pan-óptica.
      O conceito de Bentham:
      na periferia uma construção em anel; no centro, uma torre [...] A plena luz e o olhar de um vigia captam melhor que a sombra, que finalmente protegia. (p. 177)
    • “A visibilidade é uma armadilha...”
      Cada um, em seu lugar, está bem trancado em sua cela de onde é visto de frente pelo vigia; mas os muros laterais impedem que entre em contato com seus companheiros. É visto, mas não vê; objeto de uma informação, nunca sujeito de uma comunicação. (p. 177)
      Induzir no detento um estado consciente e permanente de visibilidade que assegura o funcionamento automático do poder. Fazer com que a vigilância seja permanente em seus efeitos, mesmo se é descontinuada em sua ação. (p. 177-178)
    • “O essencial é que ele se saiba vigiado”
      O panóptico é uma máquina de dissociar o par ver-ser visto: no anel periférico, se é totalmente visto, sem nunca se ver; na torre central, vê se tudo, sem nunca ser visto. (p. 178)
      Uma sujeição real nasce mecanicamente de uma relação fictícia. (p. 178)
    • Laboratório de Poder
      Bentham colocou o princípio de que o poder deveria ser visível e inverificável. (p. 178)
      ... É o diagrama de um mecanismo de poder levado à sua forma ideal (p. 181)
      O esquema panóptico é um intensificador para qualquer aparelho de poder [...] É uma maneira de obter poder. (p. 182)
    • “Um tipo de Poder”As disciplinas para Foucault
      As disciplinas funcionam cada vez mais como técnicas que fabricam indivíduos úteis. (p. 185)
      Em uma palavra, as disciplinas são o conjunto das minúsculas invenções técnicas que permitiram fazer crescer a extensão útil das multiplicidades, fazendo diminuir os inconvenientes do poder que, justamente para torná-las úteis, deve regê-las. (p. 193)
      A disciplina não pode se identificar com uma instituição nem com um aparelho; ela é um tipo de poder, uma modalidade para exercê-lo, que comporta todo um conjunto de instrumentos, de técnicas, de procedimentos, níveis de aplicação, de alvos; (p. 189)
    • A Sociedade Disciplinar
      Disciplina-bloco e Disciplina-mecanismo.
      Evolução história de uma “Sociedade Disciplinar”
      1) Inversão funcional das disciplinas
      2) A ramificação dos mecanismos disciplinares
      3) A estatização dos mecanismos de disciplina
    • A Sociedade Disciplinar
      Pode-se então falar, em suma, da formação de uma sociedade disciplinar nesse movimento que vai das disciplinas fechadas, espécie de quarentena social, até o mecanismo indefinidamente generalizável do panoptismo. (p. 189)
      A Antiguidade foi uma civilização do espetáculo [...] a idade moderna coloca o problema ao contrário: Proporcionar a um pequeno número, ou mesmo a um só, a visão instantânea de uma grande multidão (p. 190)
    • Os Processos Históricos...
      1) As disciplinas substituem o velho princípio retirada-violência que regia a economia do poder pelo princípio suavidade-produção-lucro. Devem ser tomadas como técnicas que permitem ajustar, segundo esse princípio, a multiplicidade dos homens e a multiplicação dos aparelhos de produção. (p. 192)
      2) O que generaliza então o poder de punir, não é a consciência universal da lei em cada um dos sujeitos de direito, é a extensão regular, é a trama infinitamente cerrada dos processos panópticos (p. 196)
    • Os Processos Históricos...
      3)Duplo processo, portanto: arrancada epistemológica a partir de um afinamento das relações de poder; multiplicação dos efeitos de poder graças à formação e acumulação de novos conhecimentos. (p. 196-197)
    • Vigiar é Punir....???
      Devemos ainda nos admirar que a prisão se pareça com as fábricas, com as escolas, com os quartéis, com os hospitais, e todos se pareçam com as prisões? (p. 199)
    • Referências
      FOUCAULT, Michel. O panoptismo. In: ______. Vigiar e punir. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 1991. cap. 3, p. 173-199.
      PAN-ÓPTICO. In: FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Eletrônico Aurélio. Versão 5.11. Curitiba: Positivo, c2004. 1 CD-ROM.