qualidade energia eléctrica

1,825 views

Published on

3 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • eh eh mais 1
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • axo muito bem que o faças já que 90% da turma vai-lo fazer, mas ja sabes podes é ter problemas o plagio e crime.

    XD
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Muito bom este trabalho KRION!

    Estou a pensar em utiliza-lo como trabalho elaborado por mim :)
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
1,825
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
66
Comments
3
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

qualidade energia eléctrica

  1. 1. Qualidade De Energia Eléctrica Trabalho elaborado por : Krion
  2. 2. Índice Pág.Introdução .........................................................................................................................3Problemas De Qualidade Da Energia Eléctrica.................................................................4Harmónicas .......................................................................................................................8Efeitos E Consequências Das Harmónica.........................................................................9 Medidas Preventivas .....................................................................................................9Acções Correctivas Para Harmónicas .............................................................................10 Filtros Passivos: ..........................................................................................................11........................................................................................................................................11Anexos ...........................................................................................................................12 Caso Reais De Problemas Provocados Por Harmónicas ...........................................12 2
  3. 3. IntroduçãoA qualidade da energia eléctrica entregue pelas empresas distribuidoras aosconsumidores industriais sempre foi objecto de interesse. Porém, até há algum tempoatrás, a qualidade tinha a ver, sobretudo, com a continuidade dos serviços, ou seja, aprincipal preocupação era que não houvesse interrupções de energia, e a que as tensõese frequência fossem mantidas dentro de determinados limites considerados aceitáveis.Durante dezenas de anos a grande maioria dos receptores ligados às redes de energiaeléctrica consistiam em cargas lineares. Por essa razão, e uma vez que as tensões daalimentação são sinusoidais, as corrente consumidas eram também sinusoidais e damesma frequência, podendo apenas encontrar-se desfasadas relativamente à tensão. Ilustração 1 Tensão e corrente de um sistema eléctrico de cargas linear.Com o desenvolvimento da electrónica de potência os equipamentos ligados aossistemas eléctricos evoluíram, melhorando em rendimento, controlo e custo, permitindoainda a realização de tarefas não possíveis anteriormente. Contudo, esses equipamentostêm a desvantagem de não funcionarem como cargas lineares, consumindo correntesnão sinusoidais, e dessa forma “poluindo” a rede eléctrica com harmónico. Os prejuízoseconómicos resultantes deste e de outros problemas associados aos sistemas eléctricossão muito elevados, e por isso a questão da qualidade da energia eléctrica entregue aosconsumidores finais é hoje, mais do que nunca, objecto de grande preocupação. Ilustração 2 Harmónicos 3
  4. 4. Problemas De Qualidade Da Energia EléctricaEntre os problemas de qualidade de energia, a interrupção do fornecimento é,incontestavelmente, o mais grave, uma vez que afecta todos os equipamentos ligados àrede eléctrica, à excepção daqueles que sejam alimentados por UPS´s (UninterruptablePower Supplies – sistemas de alimentação ininterrupta) ou por geradores deemergência. Contudo, outros problemas de qualidade de energia, como os descritos aseguir, além de levarem à operação incorrecta de alguns equipamentos, podem tambémdanificá-los: • Distorção harmónica: surgem devido à presença de cargas não-lineares na rede de distribuição. Essas cargas não possuem uma relação linear entre tensão e a corrente como cargas resistivas, capacitivas e indutivas. Estas podem ser geradas por equipamentos eléctricos e electrónicos que possuem componentes não- lineares tais como: díodos, transístores, entre outros. Ilustração 3 Harmónica • Ruído (interferência electromagnética): corresponde ao ruído electromagnético de alta-frequência, que pode, por exemplo, ser produzido pelas comutações rápidas dos conversores electrónicos de potência (Ex.: se ligar a televisão e uma varinha magica na mesma rede...e terá de forma simples um efeito na imagem da televisão. Ilustração 4 Ruído (interferência electromagnética) 4
  5. 5. • Flutuação da tensão (flicker): acontece devido a variações intermitentes de certas cargas, causando flutuações nas tensões de alimentação (que se traduz, por exemplo, em oscilações na intensidade da iluminação eléctrica). Ilustração 5 Flutuação da tensão (flicker)• Interrupção momentânea: ocorre, por exemplo, quando o sistema eléctrico dispõe de disjuntores com religador, que abrem na ocorrência de um curto- circuito, fechando-se automaticamente após alguns milissegundos (e mantendo- se ligados caso o curto-circuito já se tenha extinguido). Ilustração 5 Interrupção momentânea• Sobretensão momentânea: pode ser provocada, entre outros casos, por situações de defeito ou operações de comutação de equipamentos ligados à rede eléctrica. Ilustração 7 Sobretensão momentânea 5
  6. 6. • Subtensão momentânea: também conhecido por “cava de tensão”, pode ser provocada, por exemplo, por um curto-circuito momentâneo num outro alimentador do mesmo sistema eléctrico, que é eliminado após alguns milissegundos pela abertura do disjuntor do ramal em curto. Ilustração 8 Subtensão momentânea• Inter-harmónicos: surgem quando há componentes de corrente que não estão relacionadas com a componente fundamental (50 Hz); essas componentes de corrente podem ser produzidas por fornos a arco ou por ciclo-conversores (equipamentos que, alimentados a 50 Hz, permitem sintetizar tensões e correntes de saída com uma frequência inferior). Ilustração 9 Inter-harmónicos 6
  7. 7. • Micro-cortes de tensão: consistem em pequenos cortes periódicos na forma de onda da tensão, que resultam de quedas de tensão nas indutâncias do sistema eléctrico, ocorridas devido a cargas que consomem correntes com variações bruscas periódicas (caso dos rectificadores com filtro capacitivo ou indutivo). Ilustração 6 Micro-cortes de tensão• Transitórios: ocorrem como resultado de fenómenos transitórios, tais como a comutação de bancos de condensadores ou descargas atmosféricas. Ilustração 7 Transitórios 7
  8. 8. HarmónicasAs correntes harmónicas são geradas pelas cargas não-lineares ligadas a uma rede. Ascargas não-lineares absorvem uma corrente diferente da forma de onda da tensão que aalimenta, gerando uma perturbação na onda da corrente.A circulação de correntes harmónicas gera tensões harmónicas através das impedânciasda rede, é então uma deformação da tensão de alimentação.Antigamente predominavam cargas lineares com valores de impedância fixa(iluminação incandescente, cargas de Aquecimento, motores sem controlo develocidade). Actualmente surgiram cargas não-lineares geradoras de poluição eléctrica(harmónicas). Os dispositivos geradores de harmónicas são apresentados em todos ossectores industriais, comerciais e domésticos (Ex.: accionamentos tiristorizados,accionamentos em corrente contínua ou alternada, rectificadores, conversoreselectrónicos de potência, fornos de indução, máquinas de solda a arco, aparelhos detelevisão, balastros electrónicos para lâmpadas de descarga, controladores electrónicospara uma enorme variedade de cargas industriais, etc.).Quase todos os equipamentos electrónicos com alimentação monofásica ou trifásicaincorporam um circuito rectificador à sua entrada, seguido de um conversor comutadodo tipo cc-cc ou cc-ca. Um dos tipos de rectificadores mais utilizados em equipamentosde baixa potência é o rectificador monofásico de onda completa com filtro capacitivo,que possui uma corrente de entrada altamente distorcida. O elevado conteúdoharmónico da corrente distorce a tensão de alimentação devido à queda de tensão naimpedância das linhas.Os controladores de fase, muito utilizados para controlar a potência em sistemas deaquecimento e ajustar a intensidade luminosa de lâmpadas, também produzem formasde onda com conteúdo harmónico substancial e interferência electromagnética de alta-frequência. Mesmo as lâmpadas fluorescentes normais contribuem significativamentepara os harmónicos na rede, devido ao comportamento não linear das descargas emmeio gasoso e ao circuito magnético do balastro, que pode operar na região desaturação.Para além da distorção das formas de onda, a presença de harmónicos nas linhas dedistribuição de energia origina problemas em equipamentos e componentes do sistemaeléctrico.A presença de harmónicas na alimentação de máquinas eléctricas provoca a alteraçãodas suas características de funcionamento: aumento das perdas de energia e consequenteaumento do aquecimento, alteração da distribuição do campo magnético com aumentodo ruído e das vibrações da máquina. 8
  9. 9. Efeitos E Consequências Das HarmónicaOs efeitos da poluição harmónica revelam-se quer ao nível das redes de distribuição deenergia quer ao nível do funcionamento dos equipamentos dispersos pelo sistema.Assim os problemas que podem ocorrer são, entre outros, os seguintes: • Aquecimento excessivo; • Disparo de dispositivos de protecção; • Vibrações; • Aumento da queda de tensão e redução do factor de potência da instalação; • Tensão elevada entre neutro e terra; • As linhas e os cabos de transporte de energia registam perdas óhmicas (resistivas) suplementares, dada a circulação das correntes harmónicas e atendendo ao facto de, devido ao efeito pelicular, a sua resistência para esses componentes variar de acordo com o harmónico; • Os harmónicos de corrente provocam perdas óhmicas suplementares nos enrolamentos principais e nos enrolamentos amortecedores dos alternadores, por outro lado, a interacção entre correntes harmónicas e o campo magnético fundamental pode originar binários oscilatórios que provocam vibrações nos veios dos alternadores e consequentemente o aumento da fadiga mecânica das máquinas; • Nos transformadores os harmónicos de corrente provocam o aumento das perdas nos enrolamentos e os harmónicos de tensão criam correntes de Foucault (corrente parasita é quando o fluxo magnético varia); • O tempo de vida útil das lâmpadas de incandescência é fortemente reduzido podendo atingir metade da sua vida útil; • Televisões, relés de protecção, disjuntores, fusíveis, computadores e sistemas de medição de energia podem apresentar perturbações funcionais significativas; • Aumento considerável na dissipação térmica dos condensadores. Medidas Preventivas • Aumento da potência de curto-circuito; • Aquisição de equipamentos com emissão de baixa teor de harmónicas; • Evitar situações de ressonância; • Impedir que as harmónicas de correntes gerem harmónicas de tenção:  Determinar as harmónicas de tensão em diferentes pontos da instalação;  Redimensionar as reservas dos condensadores;  Redesenhar as redes de alimentação;  Separar cargas poluentes de não poluentes;  Melhorar as malhas de protecção. Fomentada 9
  10. 10. Acções Correctivas Para HarmónicasFiltro activos: • Paralelo: O filtro activo de potência do tipo paralelo tem como função compensar os harmónicos das correntes nas cargas, podendo ainda compensar a potência reactiva (corrigindo o factor de potência). Permite ainda equilibrar as correntes nas três fases (eliminando a corrente no neutro). o Série: O filtro activo de potência do tipo série é o dual do filtro activo paralelo. A sua função é compensar as tensões da rede eléctrica, para os casos em que estas contenham harmónicos, de forma a tornar as tensões na carga sinusoidais.Ilustração 8 Filtro Activo Série Ilustração 9 Filtro Activo ParaleloFactores que devem ser tidos em consideração: • O filtro é dimensionado para uma carga caso esta seja alterada, a eficácia do filtro é anulada; • Filtragem simultânea em várias harmónicas; • Não varia com o tempo; • É uma solução de custo elevado que apenas resolve o problema localmente; • A sua montagem é simples e produz resultados imediatos; • Não faz contacto com as instalações vizinhas; • Permite compensar outros fenómenos, flicker e desequilíbrios. 10
  11. 11. Filtros Passivos: • O mais simples dos filtros passivos consiste num indutor em série com a entrada do equipamento poluidor, que frequentemente consiste num rectificador com um filtro capacitivo na saída.Ilustração 10 Filtro Passivo (paralelo) Ilustração 11 Filtro passivo (série)Factores que devem ser tidos em consideração: • O calculo teórico do filtro é indispensável; • O resultado é fortemente dependente do local onde se coloca o filtro; • É uma solução económica e pode ser executada rapidamente; • Necessidade de instalar tantos filtros como harmónicas a filtrar; • Variável no tempo; • Dificuldade de reforçar a potência; • Contacto entre instalações vizinhas. 11
  12. 12. AnexosCaso Reais De Problemas Provocados Por Harmónicas “Um novo sistema de computação foi instalado num prédio pertencente a uma companhia de seguros. Uma vez ligada a alimentação o disjuntor principal disparou, cortando a alimentação de todo o sistema. Após várias verificações, os engenheiros descobriram que a interrupção tinha sido provocada pelo valor excessivo da corrente no neutro do sistema trifásico. Apesar do sistema estar equilibrado a corrente no neutro tinha um valor igual a 65% do valor das correntes na fase, o que levava ao desarme do disjuntor, já que o relé da corrente no neutro estava ajustado para 50% do valor das correntes na fase. Cabe aqui ressaltar que, num sistema trifásico equilibrado a corrente de neutro deve ser igual a zero. Contudo, quando a corrente está distorcida, contrariamente ao que normalmente ocorre, os harmónicos de corrente múltiplos de 3 somam-se no neutro, em vez de se cancelarem. Estudos demonstram que as correntes no neutro têm aumentando nos edifícios comerciais. Isto se deve à utilização crescente de equipamentos electrónicos, tais como, computadores, impressoras, fotocopiadoras, aparelhos de fax, etc. Esses equipamentos utilizam rectificadores monofásicos à entrada, que produzem harmónicos de corrente de 3º ordem, tais como o 3º, o 9º e o 15º harmónico. Para que se evitem problemas de sobreaquecimento dos condutores de neutro. Estes devem ser sobredimensionados, ou, melhor ainda, os harmónicos de 3ª ordem devem ser compensados. Noutro caso documentado, uma companhia de distribuição de energia eléctrica reportou a avaria de um transformador de 300 kVA cuja carga não excedia o seu valor nominal de potência aparente. O transformador foi substituído por outro idêntico, e este apresentou os mesmos problemas pouco tempo depois. A carga desses transformadores consistia sobretudo em sistemas de accionamento electrónico de velocidade variável para motores eléctricos, cujo consumo de correntes possui elevado conteúdo harmónico. Actualmente, de forma a evitar que os transformadores avariem, ou tenham o seu tempo de vida útil reduzido, é importante que se conheça a distorção harmónica das correntes que estes fornecem às cargas, de forma que, em função desse valor, seja aplicado ao transformador um factor de desclassificação de potência (factor K – derating factor). Ou seja, em função da distorção harmónica, é reduzido o valor da potência nominal do transformador.” Artigo retirado da Revista o Electricista, de 2004. 12

×