UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ            KARINA LINO MOLINCOLEÇÃO MODA PRAIA PARA MULHERES MADURAS             Balneário ...
1            KARINA LINO MOLINCOLEÇÃO MODA PRAIA PARA MULHERES MADURAS                        Trabalho de conclusão de cur...
2DEDICATÓRIAÀ minha mãe Suênia cujo imensotalento e dedicação tem sido para mimexemplo e estímulo
3                                         RESUMOO público formado pelas pessoas que já passaram dos 50 anos está crescendo...
4                                         ABSTRACTThe third age is a public that is growing a lot in Brazil, and in the ne...
5                                                   LISTA DE FIGURASFigura 01. Terceira idade................................
6Figura 32 Ilha de Balneário Camboriú ................................................................................ 76F...
7Figura 66 Alternativa 01.1..................................................................................................
8Figura 100 Alternativa 23...................................................................................................
9Figura 134 Corte lycra......................................................................................................
10Figura 167 Croqui camisa faixa ........................................................................................ ...
11                                                 LISTA DE GRÁFICOSGráfico 1: Média de idade ...............................
12                                               LISTA DE QUADROSQuadro 1 Planejamento da coleta de dados primários primei...
13                                              LISTA DE TABELASTabela 1: Diagnóstico ergonômico.............................
14                                                             SUMÁRIORESUMO.................................................
154 PESQUISA DE CAMPO .............................................................................................. 574.1...
167.2 Identidade visual da marca....................................................................................... 15...
171 INTRODUÇÃO       O público formado pelas pessoas que possuem mais de 50 anos ou está crescendo acada dia. Lage (2004) ...
18Catarina, R$ 631,00. Um outro dado muito significativo que contesta o fato deste públicopossuir pouco poder de compra é ...
19meio ambiente compõem a lista de interesses especiais das pessoas com mais de 50 anos noBrasil.          Mesmo sendo pro...
20                                                      Figura 3: Idosas tradicionais             Figura 2: Idosa atual   ...
211.1 Delimitação do tema       A coleção desenvolvida no projeto destina-se ao segmento de moda praiaprimavera/verão 2006...
221.4 Objetivo geral       Desenvolver uma coleção de moda praia para mulheres maduras, de estilo coerentecom as necessida...
232 METODOLOGIA        A metodologia científica utilizada para orientar a fundamentação teórica do projeto foia de Lakatos...
24vendem as cores e estampas e, quais as exigências deste tipo de cliente e outras informaçõesplausíveis para o projeto.  ...
25        Depois de realizada a análise, foi desenvolvida um relatório em forma de texto com oresultado das entrevistas, o...
26 •   Metodologia para design de vestuário planejamento de coleção      1 - TEMÁTICA                                     ...
272.1 Cronograma TCC Karina Molin 2005/06 Atividades                          Ago. Set.      Out.    Nov.     Mar. Abr.   ...
283 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA3.1 Design       “O design é tudo aquilo que torna uma coisa cotidiana mais usável ou desejável”,...
29       Diante desta afirmação é possível verificar o amplo e importante papel que o designerpossui dentro de uma organiz...
303.2 Moda       Ferreira (1989, p. 368) afirma que “moda é o uso, hábito ou estilo geralmenteaceitável, variável no tempo...
31expressão estética e a conceitos multiformes de um produto Carelli (2004) alega que o designestá associado à excelência ...
32       A respeito da vestimenta dos idosos, ou seja das pessoas com mais idade no decorrerdos tempos, é possível detecta...
33valorização e idolatria pelos seus conhecimentos e experiências, responsáveis por passar adiante a cultura já pré-estabe...
34                        A roupa de pessoas mais velhas é uma roupa discreta, neutra, não há exageros                    ...
35principalmente para os idosos, a moda era assunto para gente jovem, porém atualmenteconstitui-se em um nicho interessant...
36segunda metade do século 19, as mulheres da alta sociedade banhavam-se no mar como sefosse extensão dos tratamentos de s...
37comum na época. Garcia (2005) afirma ainda, que Patou teve a sensibilidade de perceber queseu trabalho se beneficiaria s...
38       A arrebatadora invenção, de acordo com Beltrão (2004, p. 9) pode ser consideradodespudorada e ofensiva à moral e ...
39vedete paulista radicada no Rio de Janeiro, a qual possuía inigualável beleza, as primeirasaparições do traje na praia d...
40Figura 14: Maiô Catalina 2005/06Fonte: Catalina.com.br                                     Figura 15: Maiô engana mamãe ...
41comuns podemos lembrar: adulto maduro, idoso, pessoa de meia idade, maturidade, idademadura, maior idade, melhor idade, ...
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Karina lino molin tcc
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Karina lino molin tcc

1,183

Published on

RESUMO
A terceira idade é um público que está crescendo muito no Brasil, e nos próximos anos será um forte mercado consumidor. A grande maioria das pessoas que se encontram nesta faixa etária busca as cidades litorâneas para desfrutar de sua aposentadoria. No entanto as indústrias de moda praia não se preocupam efetivamente com esta realidade e prova disto, são os reduzidos números de marcas, direcionadas especificadamente a este público. Este projeto, dentro deste contexto, pretende identificar as preferências e a realidade do público em questão, assim como a situação atual do produto no mercado através de pesquisas bibliográficas e de campo, com o intuito de desenvolver uma mini coleção de moda praia.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,183
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Karina lino molin tcc"

  1. 1. UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ KARINA LINO MOLINCOLEÇÃO MODA PRAIA PARA MULHERES MADURAS Balneário Camboriú 2006-I
  2. 2. 1 KARINA LINO MOLINCOLEÇÃO MODA PRAIA PARA MULHERES MADURAS Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Curso Design de Moda, Centro de Educação Superior de Balneário Camboriú, Universidade do Vale do Itajaí. Orientadora: Profª. MSc. Eng. Jacqueline Keller Balneário Camboriú 2006-I
  3. 3. 2DEDICATÓRIAÀ minha mãe Suênia cujo imensotalento e dedicação tem sido para mimexemplo e estímulo
  4. 4. 3 RESUMOO público formado pelas pessoas que já passaram dos 50 anos está crescendo muito no Brasil,e nos próximos anos provavelmente será um forte mercado consumidor. Pesquisascomprovam que a grande maioria das pessoas que se encontram nesta faixa etária, buscam ascidades litorâneas para desfrutar de sua aposentadoria ou férias. No entanto, as indústrias demoda praia ainda não se preocupam efetivamente com esta realidade e prova disto, são osreduzidos números de marcas, direcionadas especificamente para as mulheres maduras, assimcomo a insatisfação destas perante os produtos disponíveis no mercado, conforme verificadonas pesquisas de campo. Este projeto pretende identificar as preferências, os desejos e arealidade do público em questão, assim como a situação atual do produto no mercado atravésde pesquisas bibliográficas e de campo, com o intuito de vislumbrar a projeção de umacoleção de moda praia e uma marca, destinadas às mulheres maduras; que possua umcomposto mercadológico coerente com o perfil e estilo de vida deste público.
  5. 5. 4 ABSTRACTThe third age is a public that is growing a lot in Brazil, and in the next years it will probablybecame a strong consuming market. The greatest majority of the people who are in this agesearch for the beach cities to enjoy its retirement. However the fashion industry for beachwear is not yet effectively worried with this reality, to prove that, there are a small brandnumber that directed specifically to the woman with this age, as much as the no satisfactionfrom them in front of the available products on the market. This project intend, beyond thiscontext, to identify the preferences, the desires and the reality of this consumer, as well as thecurrent situation of the product in the market through bibliographical and field research,intending to glimpse the projection of a brand for a beach wear collection destined to thewomen with ages above 50 years possessing a coherent marketing composition with theprofile and life style of this public.
  6. 6. 5 LISTA DE FIGURASFigura 01. Terceira idade..................................................................................................... 17Figura 02. Idosa atual .......................................................................................................... 20Figura 03. Idosas tradicionais.............................................................................................. 20Figura 04 Fluxograma do Planejamento de Coleção........................................................... 20Figura 05. Poltrona Lago, da Driade, design do francês Philippe Starck............................ 29Figura 06. Vestuário da marca Rosa Chá. ........................................................................... 29Figura 07 Jovens anos 60 .................................................................................................... 32Figura 08 Idosas na passarela ............................................................................................. 34Figura 09 Encontro do poder grisalho ................................................................................. 35Figura 10 Mosaico da antiguidade....................................................................................... 36Figura 11 Primeiras roupas de banho .................................................................................. 37Figura 12 Micheline Bernardini dentro do primeiro biquíni, em 1946 ............................... 37Figura 13 Biquínis década de 50 ......................................................................................... 38Figura 14 Maiô Catalina 2005/06........................................................................................ 40Figura 15 Maiô engana mamãe ........................................................................................... 40Figura 16 Brigitte Bardot aos 20 anos ................................................................................. 42Figura 17 Brigitte Bardot aos 70 anos ................................................................................. 42Figura 18 A nova terceira idade .......................................................................................... 44Figura 19 Nilse Soares Leal pintando ................................................................................. 72Figuras 20 Primeiras obra de Nilse .................................................................................... 73Figura 21Nilse com pássaro ................................................................................................ 73Figura 22 Tecidos pintados à mão com a técnica marmorização com gel .......................... 74Figura 23 Tecidos pintados à mão com a técnica Tye-dye.................................................. 74Figura 24 Tecidos pintados à mão com a técnica guta ........................................................ 75Figura 25 Pescadores no amanhecer.................................................................................... 75Figura 26 Os pescadores e a ilha de Balneário Camboriú .................................................. 75Figura 27 Os braços de Balneário Camboriú ..................................................................... 75Figura 28 Avenida Atlântica de Balneário Camboriú ......................................................... 76Figura 29 Fundo do mar de Balneário Camboriú ............................................................... 76Figura 30 Navio pirata ........................................................................................................ 76Figura 31 O barqueiro ........................................................................................................ 76
  7. 7. 6Figura 32 Ilha de Balneário Camboriú ................................................................................ 76Figura 33 Painel semântico da Temática............................................................................. 77Figura 34 Biquíni floral ...................................................................................................... 78Figura 35 Maiô de ondas .................................................................................................... 78Figura 36 Maiô tigrado ....................................................................................................... 78Figura 37 Maiô floral .......................................................................................................... 79Figura 38 Maiô náutico ...................................................................................................... 79Figura 39 Maiô liso ............................................................................................................ 79Figura 40 Maiô floral........................................................................................................... 79Figura 41 Maiô de nervuras ................................................................................................ 79Figura 42 Maiô de listras .................................................................................................... 79Figura 43 Biquíni floral com saída ..................................................................................... 80Figura 44 Maiô azul ............................................................................................................ 80Figura 45 Biquíni floral azul ............................................................................................... 80Figura 46 Maiô com canga .................................................................................................. 80Figura 47 Maiô preto e branco ........................................................................................... 80Figura 48 Biquíni com blusa ............................................................................................... 80Figura 49 Maiô Lenny verão 2006 corrente ........................................................................ 81Figura 50Maiô Lenny verão 2006 bolas.............................................................................. 81Figura 51 Maiô Lenny verão 2006 floral............................................................................. 81Figura 52 Biquíni da marca Água de coco. Verão 2005/06 ................................................ 83Figura 53 Biquíni da marca Água Doce. Verão 2005/06 .................................................... 84Figura 54 Biquíni da marca Rosa Chá. Verão 2005/06....................................................... 84Figura 55 Biquíni da marca Movimento. Verão 2005/06.................................................... 85Figura 56 Cartela de cor verão 2007 Clariant...................................................................... 86Figura 57 Painel Semântico tendências .............................................................................. 87Figura 58 Painel semântico Público Alvo ........................................................................... 89Figura 59 Painel semântico conceito ................................................................................... 90Figura 60 Cartela de tecido.................................................................................................. 96Figura 61 Cartela de aviamentos ......................................................................................... 97Figura 62 Cartela de cores ................................................................................................... 98Figura 63 Cartela de estampas............................................................................................. 99Figura 64 Cartela de estampas........................................................................................... 100Figura 65 Alternativa 01.................................................................................................... 106
  8. 8. 7Figura 66 Alternativa 01.1................................................................................................. 106Figura 67 Alternativa 02.................................................................................................... 106Figura 68 Alternativa 03.................................................................................................... 107Figura 69 Alternativa 03.1................................................................................................. 107Figura 70 Alternativa 04.................................................................................................... 107Figura 71 Alternativa 04.1................................................................................................. 107Figura 72 Alternativa 05.................................................................................................... 108Figura 73 Alternativa 06.................................................................................................... 108Figura 74 Alternativa 06.1................................................................................................. 108Figura 75 Alternativa 07.................................................................................................... 109Figura 76 Alternativa 07.1................................................................................................. 109Figura 77 Alternativa 08.................................................................................................... 109Figura 78 Alternativa 08.1................................................................................................. 109Figura 79 Alternativa 09.1................................................................................................. 110Figura 80 Alternativa 09.................................................................................................... 110Figura 81 Alternativa 10.................................................................................................... 110Figura 82 Alternativa 11.................................................................................................... 110Figura 83 Alternativa 12.1................................................................................................. 111Figura 84 Alternativa 12.................................................................................................... 111Figura 85 Alternativa 13.................................................................................................... 111Figura 86 Alternativa 14.................................................................................................... 112Figura 87 Alternativa 14.1................................................................................................. 112Figura 88 Alternativa 15.................................................................................................... 113Figura 89 Alternativa 16.................................................................................................... 113Figura 90 Alternativa 17.1................................................................................................. 113Figura 91 Alternativa 17.................................................................................................... 113Figura 92 Alternativa 18.................................................................................................... 114Figura 93 Alternativa 19.................................................................................................... 114Figura 94 Alternativa 20.................................................................................................... 114Figura 95 Alternativa 20.1................................................................................................. 114Figura 96 Alternativa 21.1................................................................................................. 115Figura 97 Alternativa 21.................................................................................................... 115Figura 98 Alternativa 22.................................................................................................... 115Figura 99 Alternativa 22.1................................................................................................. 115
  9. 9. 8Figura 100 Alternativa 23.................................................................................................. 116Figura 101 Alternativa 24.................................................................................................. 116Figura 102 Alternativa 25.................................................................................................. 116Figura 103 Alternativa escolhida 1.................................................................................... 116Figura 104 Alternativa escolhida 2.................................................................................... 118Figura 105 Alternativa escolhida 3.................................................................................... 118Figura 106 Alternativa escolhida de saída de banho 1 ...................................................... 118Figura 107 Alternativa escolhida de saída de banho 2 ...................................................... 118Figura 108 Alternativa escolhida de saída de banho 3 ...................................................... 118Figura 109 Modelagem maiô barcos ................................................................................ 120Figura 110 Modelagem busto maiô barcos........................................................................ 120Figura 111 Modelagem costas maiô barcos ...................................................................... 120Figura 112 Modelagem biquíni fundo do mar frente ....................................................... 120Figura 113 Modelagem maiô barcos e biquíni fundo do mar superior ............................ 120Figura 114 Modelagem Biquíni fundo do mar e maiô ilha lateral ................................... 120Figura 115 Modelagem maiô ilha frente .......................................................................... 120Figura 116 Modelagem maiô ilha costas .......................................................................... 120Figura 117 Modelagem maiô ilha parte superior .............................................................. 120Figura 118 Modelagem vestido ........................................................................................ 121Figura 119 Modelagem camisa.......................................................................................... 121Figura 120 Corte dos tecidos modelos volumétricos......................................................... 121Figura 121 Costura modelos volumétricos........................................................................ 121Figura 122 Modelo volumétrico vestido com projeto da pintura ..................................... 121Figura 123 Modelo volumétrico da camisa ...................................................................... 121Figura 124 Modelo volumétrico maiô barcos frente ........................................................ 122Figura 125 Modelo volumétrico maiô braços costas ........................................................ 122Figura 126 Modelo volumétrico maiô ilha frente ............................................................. 122Figura 127 Modelo volumétrico maiô ilha costas ............................................................ 122Figura 128 Modelo volumétrico biquíni frente ................................................................ 122Figura 129 Modelo volumétrico biquíni costas ................................................................ 122Figura 130 Encaixe e risco das peças ............................................................................... 123Figura 131 Riscos ............................................................................................................. 123Figura 132 Riscos da parte superior biquíni fundo do mar .............................................. 123Figura 133 Corte lycra....................................................................................................... 123
  10. 10. 9Figura 134 Corte lycra....................................................................................................... 124Figura 135 Corte lycra....................................................................................................... 124Figura 136 Corte da saída musseline a tesoura ................................................................. 124Figura 137 Testes das tintas na lycra ................................................................................ 125Figura 138 Tintas aquarela Seda Collor ........................................................................... 125Figura 139 Recipiente com tinta aquarela e gel com 4 tons de verdes para pintura maiô 125Figura 140 Tintas aquarela marca Prince ......................................................................... 125Figura 141 Busto do maiô Ilha preso no bastidor com taxas parar esticar a peça com intuitoque a tinta penetre no tecido ............................................................................................. 125Figura 142 Bustos desenhando ......................................................................................... 125Figura 143 Maiô preso com alça ...................................................................................... 126Figura 144 Busto pronto ................................................................................................... 126Figura 145 Aplicação produto guta .................................................................................. 126Figura 146 secagem da guta ............................................................................................. 126Figura 147 Maiô barco sendo pintado .............................................................................. 126Figura 148 Secagem do Maiô............................................................................................ 126Figura 149 Nós no tecido ................................................................................................. 127Figura 150 Aplicação da tinta com contas gotas nos nós ................................................. 127Figura 151 Espalhamento da tinta com auxilio de plástico .............................................. 127Figura 152 Tecido pintado ................................................................................................ 127Figura 153 Tecido pintado secagem ................................................................................. 127Figura 154 Tecido pronto ................................................................................................. 127Figura 155 Canga presa no bastidor ................................................................................. 128Figura 156 Desenho peixe ................................................................................................ 128Figura 157 Pintura do peixe com pincel fino ................................................................... 128Figura 158 Peixes pintados com guta colorida ................................................................. 128Figura 159 Aplicação das tintas azuis com tecido umedecido ......................................... 128Figura 160 Aplicação do sal ............................................................................................. 128Figura 161 Secagem ......................................................................................................... 128Figura 162 Canga pronta ................................................................................................... 128Figura 163 Croqui maiô ilha ............................................................................................. 130Figura 164 Croqui maiô barco........................................................................................... 134Figura 165 Croqui biquíni fundo do mar .......................................................................... 137Figura 166 Croqui vestido ................................................................................................ 140
  11. 11. 10Figura 167 Croqui camisa faixa ........................................................................................ 143Figura 168 Croqui canga .................................................................................................. 146Figura 169 Foto modelo final maiô ilha com camisa ....................................................... 149Figura 170 Foto modelo final maiô ilha com camisa fechada........................................... 150Figura 171 Foto modelo final maiô ilha com camisa aberta ............................................. 150Figura 172 Foto modelo final maiô ilha ........................................................................... 150Figura 173 Foto modelo final maiô ilha 2 ......................................................................... 151Figura 174 Foto modelo final maiô barco com camisa .................................................... 151Figura 175 Foto modelo final maiô barco com bolsa........................................................ 152Figura 176 Foto modelo final maiô barco costas ............................................................. 153Figura 177 Foto modelo final maiô barco com flor .......................................................... 153Figura 178 Foto modelo final maiô barco com colar ........................................................ 154Figura 179 Foto modelo final biquíni fundo do mar ........................................................ 155Figura 180 Foto modelo final biquíni fundo do mar com canga ....................................... 156Figura 181 Foto modelo final biquíni fundo do mar com flor ......................................... 156Figura 182 Foto modelo final biquíni fundo do mar com canga presa no busto .............. 157Figura 183 Foto modelo final biquíni fundo do mar e maiô ilha ..................................... 157Figura 184 Pesquisa inpi ................................................................................................... 160Figura 185 Tag costas........................................................................................................ 162Figura 186 Tag frente ....................................................................................................... 162Figura 187 Embalagem frente ........................................................................................... 163Figura 188 Embalagem constas......................................................................................... 163Figura 189 Sacola retangular de papel .............................................................................. 164Figura 190 Sacola quadrada de plástico ............................................................................ 164Figura 191 Etiqueta frente ................................................................................................. 165Figura 192 Etiqueta de composição................................................................................... 165Figura 193 Etiqueta de cuidados com o produto ............................................................... 165Figura 194 Outdoor primeira opção .................................................................................. 166Figura 195 Outdoor segunda opção................................................................................... 166Figura 196 Envelope timbrado .......................................................................................... 167Figura 197 Impressos ........................................................................................................ 167Figura 198 Cartão de visita................................................................................................ 167Figura 199 chaveiro ........................................................................................................... 168Figura 200 Guarda sol ....................................................................................................... 168
  12. 12. 11 LISTA DE GRÁFICOSGráfico 1: Média de idade .................................................................................................. 57Gráfico 2: Escolaridade ....................................................................................................... 58Gráfico 3: Sobre a moda...................................................................................................... 58Gráfico 4: Oferta de produtos.............................................................................................. 59Gráfico 5: Produtos de moda ............................................................................................... 60Gráfico 6: Lojas de varejo ................................................................................................... 60Gráfico 7: Lojas que compravam com freqüência moda praia , na região do Vale do Itajaí61Gráfico 8: Sobre a mídia...................................................................................................... 63Gráfico 9: Em relação à freqüência de compra ................................................................... 63Gráfico 10: Preferência por peça de roupa para ir a praia ................................................... 64Gráfico 11: Dificuldades encontradas nos maiôs e biquínis existentes hoje no mercado. .. 64Gráfico 12: Preferência por tonalidade de cores ................................................................. 65Gráfico 13: Preferência por estilo de estampa..................................................................... 65Gráfico 14: Diversos usos de maiôs e biquínis.................................................................... 66Gráfico 15: Incômodos encontrados nos maiôs e biquínis disponíveis no mercado ........... 66Gráfico 16: Satisfação em relação aos biquínis e maiôs encontrados no mercado ............. 67Gráfico 17: Preferência por modelagem de biquíni............................................................. 67Gráfico 18: Preferência por modelagem de biquíni parte de cima ...................................... 68
  13. 13. 12 LISTA DE QUADROSQuadro 1 Planejamento da coleta de dados primários primeiro e segundo questionários .. 23Quadro 2 Planejamento da coleta de dados visita técnica comercial .................................. 24Quadro 3 Planejamento da coleta de dados, entrevista a artista.......................................... 24Quadro 4 Cronograma geral ................................................................................................ 27Quadro 5 Planejamento da coleta de dados primários primeiro e segundo questionários . 57Quadro 6 Planejamento da coleta de dados primários primeiro e segundo questionários .. 62
  14. 14. 13 LISTA DE TABELASTabela 1: Diagnóstico ergonômico.................................................................................... 102Tabela 2: Análise das características físicas e a roupa de banho....................................... 103Tabela 3: Tabela de medidas industriais femininas........................................................... 104Tabela 4: Tabela de medidas industriais femininas, busto, decotes e pence ..................... 105Tabela 5: Tabela de medidas adaptado da Empresa Areia Pura........................................ 119
  15. 15. 14 SUMÁRIORESUMO............................................................................................................................ 02ABSTRACT ....................................................................................................................... 03LISTA DE FIGURAS........................................................................................................ 10LISTA DE GRÁFICOS .................................................................................................... 11LISTA DE QUADROS...................................................................................................... 12LISTA DE TABELAS ....................................................................................................... 131 INTRODUÇÃO .............................................................................................................. 171.1 Delimitação do tema .................................................................................................... 211.2 Problema ...................................................................................................................... 211.3 Justificativa .................................................................................................................. 211.4 Objetivo geral............................................................................................................... 221.4.1 Objetivos específicos.................................................................................................. 222 METODOLOGIA .......................................................................................................... 232.1 Cronograma ................................................................................................................ 273 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA................................................................................. 283.1 Design ........................................................................................................................... 283.2 Moda ............................................................................................................................. 303.3 Vestuário ..................................................................................................................... 313.4 Linha do tempo: Segmento de moda praia .............................................................. 353.5 Público Alvo: Mulheres maduras............................................................................... 403.5.1 Estética, a aparência das pessoas com mais idade...................................................... 423.5.2 Ter mais idade Atualmente ........................................................................................ 433.5.3 A imagem das pessoas com mais idade nas sociedades modernas e a mídia............. 443.5.4 O mercado consumidor .............................................................................................. 463.6 Materiais para moda praia ........................................................................................ 493.7 Coleção de moda ......................................................................................................... 513.8 Tendências.................................................................................................................... 53
  16. 16. 154 PESQUISA DE CAMPO .............................................................................................. 574.1 Análise geral dos questionários .................................................................................. 684.2 Visitas às lojas de Balneário Camboriú..................................................................... 694.2.1 Análise geral das visitas às lojas de Balneário Camboriú ......................................... 715 DESENVOLVIMENTO DO PROJETO...................................................................... 715.1 Temática ....................................................................................................................... 715.1.1 A arte da artista plástica Nilse Soares Leal ................................................................ 765.2 Estado do design .......................................................................................................... 785.2.1 Análise das imagens .................................................................................................. 815.3 Concorrência e oportunidades de mercado............................................................... 825.4. Tendências segmento de moda praia no verão 2006/2007 ...................................... 835.4.1 Tendências utilizadas pelas principais marcas brasileiras para o verão 2006 ............ 855.4.2 Apostas para verão 2006/07 ....................................................................................... 885.5 Perfil do consumidor ................................................................................................... 905.6 Portifólio ...................................................................................................................... 905.6.1 Conceito da coleção.................................................................................................... 905.6.2 Release da coleção...................................................................................................... 905.6.3 Briefing ....................................................................................................................... 925.6.4 Cartela de tecidos, cores, estampas, aviamentos. ....................................................... 945.6.5 Ergonomia ................................................................................................................ 1015.6.6 Geração de alternativas............................................................................................. 1055.6.6.1 Alternativas escolhidas .......................................................................................... 1176 DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO................................................................... 1196.1 Modelagem ................................................................................................................. 1196.2 Modelo volumétrico................................................................................................... 1216.2.1Testes e adequações................................................................................................... 1226.3Risco e corte ................................................................................................................ 1236.4 Beneficiamento (pintura a mão)............................................................................... 1246.5Fichas técnicas ............................................................................................................ 1306.6 Modelos finais ............................................................................................................ 1497 COMPOSTO MERCADOLÓGICO .......................................................................... 1587.1 Marketing ................................................................................................................... 158
  17. 17. 167.2 Identidade visual da marca....................................................................................... 1597.2.1 Divulgação do produto ............................................................................................. 1617.3 Mercado de atuação .................................................................................................. 1687.3.1 Sistema de distribuição, preços e ponto de venda. ................................................... 1688 CONSIDERAÇÕES FINAIS....................................................................................... 170REFERENCIAS .............................................................................................................. 173
  18. 18. 171 INTRODUÇÃO O público formado pelas pessoas que possuem mais de 50 anos ou está crescendo acada dia. Lage (2004) afirma que será a faixa etária que mais irá crescer nos próximos anos,esta realidade está gradativamente se refletindo no cenário de consumo da populaçãobrasileira em particular, pois este público possui um poder de compra maior, com umaexpectativa de vida mais longa e ainda ativa na sociedade. Com isso, surgem novos clientescom diferentes necessidades (figura 1). Figura 1: Terceira idade Fonte: site bradescocapitalizacao.com.br Os produtos de moda direcionados para o público formado por pessoas com mais de50 anos no Brasil não são muito explorados, existem poucas lojas ou marcas que realmentetrabalham direcionados para este segmento. Uma hipótese para essa reduzida oferta tem sua base de acordo com Gibra (1994, p.32) quando afirma que a sociedade acredita que o potencial de consumo da terceira idade épequeno e são menos consumistas mais acomodados e retraídos na sua libido. No entanto, outra hipótese contraditória à afirmação anteriores conforme Lage (2004)seria que de três em cada dez idosos praticamente sustentam toda a sua família. De acordocom o autor, dados da Pesquisa de "Indicadores Sociais Municipais", realizada pelo IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) afirma que, a partir dos dados do Censo 2000,revela que 27% dos idosos são responsáveis por até 90% do rendimento de suas famílias.Afirma Parodi (2004) que segundo dados do IBGE, o rendimento mensal dos idososbrasileiros gira em torno de R% 657,00. A média da região Sul é de R$ 661,00 e de Santa
  19. 19. 18Catarina, R$ 631,00. Um outro dado muito significativo que contesta o fato deste públicopossuir pouco poder de compra é de acordo com Braga (2006) os consumidores com mais de60 anos gastaram de modo geral 13,6 bilhões de Reais em compras com cartão de créditos em2005 ou 10,7% do total movimentado pela indústria de cartão de crédito de todo o país de127,6 bilhões de Reais, um dado relevante segundo o autor é o fato de que o rendimentomédio de aposentados e pensionistas que fazem uso de cartão de créditos no Brasil , ser de780,20, 11,2% maior que a renda da população com menos de 59 anos. As estatísticas ainda revelam que o Brasil é um país que envelhece rapidamente. Deacordo com Veras (2003) o número de idosos passou de 2 milhões em 1950, para 6 milhõesem 1975, para 15,4 milhões em 2002, significando um aumento de 700% e estima-se aindaque em 2020 a população idosa alcance os 32 milhões. Estes números são muito significativose fazem uma grande diferença no mercado consumidor. De acordo com Parodi (2004) a região sul é a terceira em número de idosos. São 2,3milhões de habitante na região Sul, são 2.305.348 habitantes acima dos 60 anos, sendo 55,3%de mulheres. Estes dados revelam o grande potencial na região sul especialmente o estado de SantaCatarina em relação a estes novos consumidores, sendo assim é possível verificar algumasiniciativas positivas no Estado comoa existência de duas universidades que de acordo comParodi (2004) já tem cursos voltados exclusivamente para esse público, assim como na cidadede Balneário Camboriú onde foram criados os meses da Melhor Idade que é entre março emaio.Os equipamentos turísticos e as atrações promovem atividades direcionadas para estepúblico. Dentro deste contexto, a Cidade de Balneário Camboriú em particular exerce umaforte influência no estado em relação ao público formado por pessoas de mais idade. Roggia(2004) afirma que hoje, cerca de 150 mil idosos passam anualmente pela cidade, sem contaraqueles que acabam por ficar definitivamente na cidade. Esse público aquece a economia,movimenta o comércio, hotéis, restaurantes, bares e o setor imobiliário. Movimentamaproximadamente US$ 3 milhões por ano em Balneário Camboriú e uma boa fatia dessemontante vai para o setor hoteleiro, no entanto, percebe-se o baixo incentivo de compra deprodutos de moda direcionados a este significativo público. Afirma Schmid (2004) que o aumento da população idosa no Brasil abrirá brechaspara um novo nicho de mercado principalmente para as empresas de varejo demoda.Rodrigues (2001) confirma este fato ao dizer que moda, vestuário, além de decoração e
  20. 20. 19meio ambiente compõem a lista de interesses especiais das pessoas com mais de 50 anos noBrasil. Mesmo sendo promissor o segmento da terceira idade, a sociedade moderna ocidentalde modo geral possui uma visão ainda preconceituosa em relação aos consumidores destafaixa etária. Afirma Gibra (1994, p. 32) que são os ímpetos de mudanças e de valorização dajuventude, conceitos fundamentados na esteira da Revolução industrial, que acabam pordesvalorizar a velhice, pois não contribuem ativamente no mercado de trabalho e possuemcertas limitações. Sena (2003, p. 47) afirma que a valorização do novo e a associação do jovem ao belo,fazem com que caracterizem o velho como fora de uso. Ao observar os veículos de comunicação de massa, não é difícil perceber o estereótipoassociado ao idoso que são manifestados através de caricaturas pretensiosamente engraçadas,chatas, doentes, ranzinzas entre outras interpretações negativas. SegundoGibra (1994, p. 32)seguramente o marketing e a propaganda, no Brasil, desconhece o consumidor que seencontra com mais idade. Em outros países como nos Estados Unidos está realidade estámudando rapidamente, pois foi percebido o potencial consumidor desta faixa etária, e deacordo com oautoreste país já atingiu em cheio este mercado consumidor. Sendo este ummercado muito bem desenvolvido em relação a produtos de consumo em massa, ésignificativa a importância que direcionam ao mercado consumidor formado pelos idosos. Dentro deste contexto Ferla (2001, p. 2) afirma que as mulheres americanas com maisde 65 anos gastaram 14,7 bilhões de dólares em roupas em 1999, quase o quanto foi gastopelas consumidoras de 25 a 34 anos fato este que confirma o potencial consumidorespecificamente no mercado de moda. No campo da moda a consumidora com mais idade está começando em passos lentos aconquistar o seu espaço, pois nos últimos anos foi possível visualizar vários estilistasmundialmente conhecidos como Helmut Lang e Issey Miyake utilizarem em seus desfiles,modelos mais velhas. Observando as mulheres com mais idade atualmente, conforme figura número 2 não édifícil perceber que elas não são mais aquelas senhoras tradicionais (figura 3), que gostam deficar em casa somente se preocupando com a família, que fazem trabalhos manuais, vestem-sede maneira muito simples e discreta.
  21. 21. 20 Figura 3: Idosas tradicionais Figura 2: Idosa atual Fonte: site edubarcellos.com.br Fonte: Site corpoperfeito.com. Br Hoje elas são mais vaidosas, ativas e consumistas, e estes fatores refletem na formacomo se expressam esteticamente; almejam por produtos que estejam adequados com suasnecessidades e seus desejos. Sendo a moda um incitador de sonhos é mais do que urgente quese direcione a este nicho de consumidor para que as empresas não percam consumidores quedaqui a algum tempo serão a maioria. É de grande importância desenvolver produtos onde amulher com mais idadeexpresse uma imagem positiva, saudável e sensual, pois o mundo estáse encaminhando para este novo universo. A respeito destas novas mulheres, Veras (2003, p. 13) afirma que a maiorconcentração deste público ocorre, nas áreas litorâneas. Estas informações são de muita importância principalmente na área de produtos demoda praia. Tal segmento especificamente para o público formado pelas mulheres com maisidade é pouco explorado, com poucas marcas especializadas. Não há dúvidas que existe umaconsumidora que anseia em ser atendida nas suas necessidades, porém de uma maneira maissensível e criativa do que as praticadas hoje. Devido a estes fatores, este projeto destina-se ao desenvolvimento de uma coleção demoda praia com modelos adequados as novas necessidades e anseios desta consumidora,através de pesquisas e estudo sobre o público. Para que seja atingido este segmento demercado de uma forma mais consistente, foi verificada a necessidade de projeção de umamarca específica juntamente com toda a identidade visual e comunicação destinada a estepúblico, com um slogan que reflita aspectos positivos de possuir mais idade, com o intuito deincitar o desejo de consumo e colaborar positivamente para melhor aceitação e qualidade devida destas mulheres contribuindo assim coma sociedade como um todo.
  22. 22. 211.1 Delimitação do tema A coleção desenvolvida no projeto destina-se ao segmento de moda praiaprimavera/verão 2006/07, direcionado a mulheres com idade entre 40 a 70 anos queresidam no litoral e costumam freqüentar praias, piscinas e clubes.1.2 Problema A mudança do estilo de vida frente à falta de produtos de moda praia adequados àsnovas necessidades das mulheres maduras.1.3 Justificativa É inegável que existe atualmente um acanhado apelo por consumo de produtos demoda praia, destinados ao público formado pelas mulheres que já passaram dos 50 anos ou jáestão na terceira idade, fato este se confirma pela escassez de oferta de produtos destinadosespecificamente a este segmento de modo geral. Os empresários e a mídia brasileira não sepreocupam efetivamente com este mercado consumidor que cresce cada vez mais no país. Há poucos indícios de estudos sobre o segmento de moda praia destinada a este nichode mercado, que é atualmente uma grande tendência de consumo. Um dos motivos queafirmam esta tendência é por que a expectativa de vida aumentou consideravelmente nosúltimos anos, devido aos avanços da medicina e das tecnologias que proporcionaram umamelhor qualidade de vida, uma nova aparência e conseqüentemente proporcionam a apariçãode novas necessidades de consumo.Outros aspectos relevantes para o desenvolvimento doprojeto são: primeiramente, o fato de o Brasil possuir um grande conhecimento em criação deprodutos de moda praia; em seguida, o sucesso que as marcas nacionais possuem a nívelmundial assim como o fato da moda praia brasileira ser lançadora de tendências, assim comopossuir a rua que mais possui lojas de biquínis no mundo a rua Cabo Frio localizada do estadodo Rio de Janeiro e em terceiro, o fato deste mercado está em franco desenvolvimento. Noentanto para o público em questão, encontra-se em defasagem, pois não possuidisponibilidade de produtos adequados ao atual perfil e estilo de vida do consumidor, o queconfirmam assim uma oportunidade de mercado para o profissional de design de moda.
  23. 23. 221.4 Objetivo geral Desenvolver uma coleção de moda praia para mulheres maduras, de estilo coerentecom as necessidades do público em questão, que possua as tendências de moda, ergonomia eestética em seus modelos, e que possua uma linguagem adequada ao mercado consumidor.1.4.1 Objetivos específicos• Pesquisar bibliografias, em livros, revistas e diversos materiais interessantes aos assuntos abordados no projeto, como design, moda, segmento de moda praia, pessoas com mais idade, e para levantamento de dados que forneça informações plausíveis para o desenvolvimento do projeto e justifique sua necessidade para o mercado.• Pesquisar em diversos meios a vida das pessoas com mais idade atualmente, com o intuito de identificar suas particularidades, preferências de consumo em relação à moda, formas de lazer e de compra entre outros aspectos relevantes para o desenvolvimento do presente projeto.• Definir as cores, de acordo com a temática proposta e para que a mini coleção esteja adequada com as necessidades vigentes do público.• Desenvolver uma coleção de moda praia que esteja de acordo com o corpo e preferências estéticas das mulheres maduras, para que as mesmas sintam-se mais felizes, incluídas na sociedade de consumo e possuam mais opções de compra.• Promover a valorização de uma imagem positiva da mulher madura na mídia, no mercado consumidor e na sociedade. Para que este nicho de consumidor sinta-se incluído na realidade de mercado e satisfeito com produtos destinados a ele e por conseqüência sinta prazer em comprar produtos de moda praia. Através de um composto mercadológico adequado às mulheres da terceira idade, que estimule a compra dos produtos.
  24. 24. 232 METODOLOGIA A metodologia científica utilizada para orientar a fundamentação teórica do projeto foia de Lakatos (2001). Foram utilizadas pesquisas bibliográficas e históricas em fontesimpressas como livros e catálogos, em meios audiovisuais através de sites e programas detelevisão e publicações em revistas. Para orientar as tarefas de projeto e organizar o fluxo das atividades foi confeccionadoum cronograma, de acordo com a metodologia científica definida anteriormente. As pesquisas de campo e de mercado possuirão um processo que consiste de acordocom Kotler e Armstrong (1993) em: definição do problema e dos objetivos da pesquisa,desenvolvimento do plano de pesquisa para coleta de dados de informação, implementação doplano de pesquisa, coleta e análise dos dados e interpretação e apresentação dos resultados. A pesquisa se deu através da aplicação de dois questionários, sendo que o primeiropossuirá perguntas abertas, dicotômicas, de múltipla escolha. Foram compostas também, dequestões fechadas, não-estruturadas, e as perguntas serão destinadas ao público a fim dedetectar as primeiras informações relevantes ao problema do projeto. Para auxiliar na coleta,foi utilizado o planejamento da coleta de dados primários de Kotler e Armstrong (1993). Metodologia de Plano de Instrumentos de pesquisa Formas de contato amostragem pesquisa Observação Entrega pessoal Gráficos estatísticos Questionário Percentuais E interpretações de cada resposta e geralQuadro 1: Planejamento da coleta de dados primários primeiro e segundo questionáriosFonte: Kotler e Armstrong (1993). O segundo questionário foi aplicado especificamente às mulheres com idade acima de50 anos, com o intuito de verificar as necessidades específicas sobre o segmento de modapraia. A estrutura do questionário foi a mesma do anterior. Foram realizadas visitas programadas comerciais a 04 lojas localizadas no Centro deBalneário Camboriú, todas do segmento de moda praia, que comercializam produtos paramulheres com mais idade, objetivando: a verificação da oferta de produtos neste setor, asmarcas que estão disponíveis no mercado, informações a respeito dos modelos que mais
  25. 25. 24vendem as cores e estampas e, quais as exigências deste tipo de cliente e outras informaçõesplausíveis para o projeto. O roteiro aplicado para a realização da pesquisa foi auxiliado pela tabela de Kotler eArmstrong (1993). Metodologia de Plano de Instrumentos de pesquisa Formas de contato amostragem pesquisa Visitas às lojas que comercializam produtos de moda praia para mulheres maduras. Dados que serão observados: Pessoal Análises gerais Entrevista não - oferta de produtos das respostas estruturada neste setor, através de texto. -as marcas que estão disponíveis no mercado. -informações a respeito dos modelos que mais vendem as cores e estampas.Quadro 2: Planejamento da coleta de dados visita técnica comercialFonte: Kotler e Armstrong (1993). Para desenvolverem-se os produtos, foi utilizada a metodologia de planejamento decoleção de Keller (2004), que se divide em: 1- Temática Será realizada uma entrevista com a artista plástica Nilse Soares Leal. Para obtençãode informações plausíveis para o desenvolvimento da temática de inspiração da coleção. Metodologia de pesquisa Plano de Instrumentos de Formas de amostragem pesquisa contato Visitas à casa da entrevistada Dados que serão observados: - Análise da Entrevista não - estilo artístico visita estruturada - inspirações e temas Pessoal - Registro utilizados nas obras fotográfico - peculiaridades pessoaisQuadro 3: Planejamento da coleta de dados: entrevista a artistaFonte: Kotler e Armstrong (1991).
  26. 26. 25 Depois de realizada a análise, foi desenvolvida um relatório em forma de texto com oresultado das entrevistas, onde foram extraídas informações utilizadas para o desenvolvimentoda temática e realização de um painel semântico de inspiração. 2- Pesquisas bibliografias Foram utilizadas algumas fontes já referenciadas da fundamentação teórica, incluindoo estado do design, para verificação dos produtos existentes no mercado que atendem estemesmo público; as análises da concorrência para detectar as oportunidades de mercado; astendências do segmento de moda praia no verão 2006/2007 e as tendências utilizadas pelasprincipais marcas brasileiras para o verão 2006 para a verificação dasapostas para o verão2007. 3- O portifólio de Coleção Nesta etapa foi definido o conceito dos produtos, onde serão determinadas as diretrizesda coleção. Posteriormente, foi desenvolvido o release da coleção onde serão expostos,através de texto os detalhes que envolvem a coleção, descrevendo as informações sobre osmateriais e acabamentos que foram utilizados, assim como formas das peças, temática,tendências e cores que serão utilizadas. Através dobriefing foi definido opúblico-alvo edelimitado o segmento. Nesta etapa foram desenvolvidas cartelas de cores, de aviamentos,estampas e de tecidos. Na seqüência foram abordados questões ergonômicas paraposteriormente executar as gerações de alternativas através de desenhos livres de croquis, combase na temática e nos painéis semânticos. 4- Desenvolvimento do produto Foram realizadas as definições dos modelos e as modelagens que fizeram parte dacoleção. Foram desenvolvidos modelos volumétricos e na seqüência,realizados testes eadequações antropométricas através de provas dos modelos que depois de finalizados, passampara a ficha técnica do produto. 5- Composto Mercadológico (4p’s) Nesta etapa foram definidos os atributos do Produto (embalagem, etiqueta, etc) etambém as estratégias de promoção (estratégias de vendas) e definidos os pontos de venda(distribuição).
  27. 27. 26 • Metodologia para design de vestuário planejamento de coleção 1 - TEMÁTICA - bibliográfica -histórica 2 - PESQUISAS - Campo - público-alvo - Tendências -segmentos - mercado- materiais - Release - Público-Alvo - Segmento 3 - PORTFÓLIO - Cartela de Cores COLEÇÃO - Cartela de Aviamentos - Cartela de Tecidos -Aspectos ergonomia - Geração de Alternativas (croquis) - Modelagem - Modelo Volumétrico4 - DESENVOLVIMENTO DOPRODUTO (protótipo) - Testes e Adequações - Ficha Técnica - Modelo final5 -COMPOSTO - Atributos do ProdutoMERCADOLÓGICO – 4 P´s (embalagem, etiqueta, etc) - Promoção (estratégias de vendas) - Ponto (Distribuição) Figura 4: Fluxograma do Planejamento de Coleção Fonte: Keller, 2004
  28. 28. 272.1 Cronograma TCC Karina Molin 2005/06 Atividades Ago. Set. Out. Nov. Mar. Abr. Maio Jun. 1-Preparação do projeto de ----- pesquisa 2-Definição de tema e objetivos ----- da pesquisa 3-Pesquisas bibliográficas, ----- ---- histórica, tendências, segmentos, mercado. Em livros, revistas, sites, outros TCC. 4-Escolha de metodologias, ----- ---- técnicas e ferramentas de projetos. 5-Escolha temática ---- 6-Pesquisa de campo ---- ---- 6.1-Aplicação do primeiro ---- questionário público em geral 6.2-Análise do questionário ---- 6.3-Aplicação de entrevista ---- 6.4-Observações assimétricas ---- (informal) da vida real no local de uso do produto 6.5-Visitas a lojas do segmento ---- de moda praia na cidade de Balneário Camboriú 6.5- Análise do questionário 6.6- Aplicação do segundo ---- questionário 7-Portifólio da coleção ---- 7.1-Release da coleção ---- ----- 7.2-Cartela de cores aviamentos ----- e tecidos. 7.3-Definição de público-alvo ----- segmento e conceito 8-Entrega do projeto para ------ orientadora Apresentação ------ 9-Geração de alternativas ------ 10-Escolha das alternativas ------ 11-Modelagem /Modelo ------ volumétrico 12-Testes e adequações/ modelo ------ final 13-Ficha técnica/ modelo final e ------ Composto mercadológico 14-Entrega Final -----Quadro 4: Cronograma geralFonte: Molin, 2006
  29. 29. 283 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA3.1 Design “O design é tudo aquilo que torna uma coisa cotidiana mais usável ou desejável”,afirma Carelli (2004, p. 84). Definir design é algo muito complexo e até mesmo contraditório,pois sua importância evoluiu no decorrer dos anos e dos surgimentos de novas necessidades.No princípio, o design era sinônimo de transformação de produtos recém lançados emartefatos agradáveis, ou seja, maquiagens dos produtos, somente eram responsáveis pelaestética. E seu surgimento deu-se pela necessidade de diferenciar produtos dos concorrentesquando começou a produção em escala industrial. Santos (2000, p. 12) afirma que: O papel do design comumente atribuído ao processo de design o de “maquiador de produtos” -mais uma vez se mostra completamente ineficiente, fazendo com que as organizações passem a repensar o design de produtos como um processo fundamentalmente importante e um fator crítico para o seu sucesso, dentro de uma abordagem que poderíamos definir como gestão estratégica do design. Atualmente o design possui uma definição muito mais ampla e significa um domínioque se manifesta em diversas áreas do conhecimento e está presente no cotidiano das pessoas,ele visa inventar algo novo com uso da criatividade para suprir as vontades das pessoas, évoltado para o futuro para prever o que as pessoas vão querer comprar e como vão querer, ouseja, o que elas vão desejar e sonhar. Necessita ser inovador para poder suprir as necessidadesdas pessoas. O design está direcionado a estética e para a beleza, a formas harmônicas edesarmônicas que atraiam os olhares e aguce os sentidos, que cause um sentimento umareação, pois deve refletir emoções. Está presente em todo o desenvolvimento do produto, e não somente em sua estética.Afirma Vieira (2004) que: O design se destaca como um dos principais fatores para o sucesso de uma empresa, desde o desenvolvimento de produtos e serviços até sua comercialização, por meio da otimização de custos, embalagens, material promocional, padrões estéticos, identidade visual, adequação de materiais, fabricação e ergonomia. Além disso, também é um fator essencial de estratégia de planejamento, produção e marketing.
  30. 30. 29 Diante desta afirmação é possível verificar o amplo e importante papel que o designerpossui dentro de uma organização, pois além dos fatores acima mencionados é possível dizerque o design é uma ação que desenvolve produto com o objetivo de torná-lo mais competitivono mercado, atraente aos clientes através de sua função e estética, integrada com asnecessidades e desejo dos mesmos, e viáveis a empresa. Dentro deste contexto Santos (2000) diz que: O processo de design tem se transformado, cada vez mais, em um dos principais diferenciais de qualidade que um produto ou empresa podem ter, gerando vantagens competitivas, valores agregados e melhor posicionamento de produtos e marcas com relação aos seus competidores no mercado. Estas afirmações relatam a atividade de design estando ligado diretamente com aqualidade final do produto, fator este muito importante dentro de uma economia globalizada. Observando as informações até então mencionadas, é possível fazer uma conexão dodesign com a moda, pois já que esta última encontra-se no mesmo patamar do design, umavez que ela é uma expressão estética e está presente em diversas manifestações, seja nomobiliário ou no vestuário, ou como afirma Lipovestsky (1989, p. 24) nos gostos e nas idéias.Possui também, como uma de suas finalidades desenvolverem produtos atraentes para atenderas atuais e futuras necessidades específicas de clientes potenciais, sendo elas funcionais eemocionais. De acordo com Jobs (2004, apud CARELLI, p. 86) o design é a alma das criaçõeshumanas. Este autor afirma então que o design é o principal responsável pela criação deprodutos consumidos pelo homem, de modo geral seja ela uma cadeira como ilustra a figura05, ou um vestuário como ilustra a figura 06. Figura 5: Poltrona Lago, da Driade, design do francês Figura 6: Vestuário da marca Rosa Philippe Starck Chá. Fonte: site revistacasaejardim.globo.com Fonte: site modaeconsultoria.com.br
  31. 31. 303.2 Moda Ferreira (1989, p. 368) afirma que “moda é o uso, hábito ou estilo geralmenteaceitável, variável no tempo, e resultante de determinado gosto, meio social, região entreoutros”. Esta afirmação define a moda de uma maneira ampla e com uma sistemáticarenovação. Joffily (1997, p. 27), no entanto defende que “moda é o fenômeno social ou cultural,de caráter mais ou menos coercitivo, que consiste na mudança periódica de estilo, e cujavitalidade provém da necessidade de conquistar ou manter uma determinada posição social”.Esta autora, porém define a moda como sendo um reflexo social e histórica das civilizações, amaneira de se expor ao mundo com uma nova pele. Transmite uma informação sobre a pessoaindividualmente e sobre a cultura, estando ligada principalmente à distinção de classessociais, hierarquias, status e comportamento. É possível afirmar através das observações sobre a moda atual que ela é um desejomassificado, lúdico e efêmero, que possui um pequeno período de duração, pois está ligadocom a mudança e renovação. É arte, ou seja, uma forma de expressão de sentimentos e estadode espírito desempenha a função de provedora de prazer estético e afeta em diversas áreas.Dentro deste contexto Lipovestsky (1989, p. 24) diz que a moda está presente no mobiliário enos objetos decorativos, na linguagem e nas maneiras, nos gostos e nas idéias dos artistas enas obras culturais.O autor afirma ainda que “Moda é um dispositivo social caracterizado poruma temporalidade particularmente breve, por reviravoltas mais ou menos fantasiosas,podendo por isso, afetar esferas muito diversas da vida coletiva e é o vestuário por excelênciaa esfera apropriada para desfazer o mais exatamente possível a meada do sistema da moda”conclui o autor. Com base nestes posicionamentos é possível dizer que a moda é mutável e estápresente em todas as manifestações humanas, pois está diretamente ligado a comportamento,atitude, contexto histórico e social; encontrada nos produtos como aviamentos, vestuário,acessórios, calçados e jóias. Sendo a moda responsável por desenvolver produtos atraentes para determinadospúblicos, que possuam formas, funções e linguagens adequadas às desejadas pelos mesmos.Amoda encontra no design o processo mais eficaz de desenvolvê-los. É possível alegar que moda e o design caminham juntos com mesmos propósitos, poissuas funções pretendem atender as necessidades humanas com graus de importância às vezesdistintos. De acordo com afirmações de Baudot (2000) a moda está fortemente ligado a
  32. 32. 31expressão estética e a conceitos multiformes de um produto Carelli (2004) alega que o designestá associado à excelência da função ou seja a usabilidade,que atenda a uma necessidade demercado. A atual realidade do mercado é globalizada como afirma De Masi (2000) ao dizer quea vida inteira é globalizada, pois o mundo inteiro escuta as mesmas canções, assiste aosmesmos filmes e tende aos mesmos consumos. Diante destas afirmações é possível dizer que com um mercado composto por diversosconcorrentes mundiais, com uma infinidade de produtos, somente a excelência da função, daqualidade, dos processos produtivos ou a estética não são elementos suficientes para semanter ou conquistar novos mercados. E necessário que haja uma união destas vertentes e éneste contexto que o design e a moda unem-se fortemente podendo então ser escrito atravésda expressão design de moda. O profissional que atua na área de design de moda possui além da função segundoVieira (2004) de tornar o produto mais atraente para o cliente através de seus formas, e apelosde marketing, mais usáveis através da ergonomia, e mais rentáveis para empresa devido àmetodologia de projeto, técnicas e ferramentas que diminuem a margem de erro e direcionama criação de uma forma organizada facilitando o cumprimento de prazos, possui a missão deassociar a vontade de criar com a necessidade de produzir.3.3 Vestuário Soares (1944) define vestuário, como sendo um conjunto das peças de roupa que seveste: traje, ou seja, um vestuário habitual. O vestuário evoluiu com o tempo e decorrer da historia, e segundo Lipovestsky (1989,p. 24) é o vestuário por excelência a esfera apropriada para desfazer o mais exatamentepossível a meada do sistema da moda. É possível através de observações dos vestuários daspessoas, coligar a época, contexto histórico, sociológico e sentimentos das pessoas que osvestiam, assim como também identificar a mudança das linguagens dos vestuários. Motta(1998) diz que a roupa não revela tão somente um saber coletivo social, tradicional, numasociedade complexa marcadamente individual, a roupa é capaz de revelar algo a respeito dasubjetividade do individuo que o usa. De acordo com Embacher (1999, p. 27) a história da vestimenta pode nos forneceruma visão panorâmica da importância que o vestuário assumiu ao longo do tempo e de comoa cultura predominante em cada momento o influenciou.
  33. 33. 32 A respeito da vestimenta dos idosos, ou seja das pessoas com mais idade no decorrerdos tempos, é possível detectar de acordo com Gonçalves (2002, p. 157) que foi somente apartir da década de 60 que começou a existir tendências de roupas direcionadas para o públicojovem e outra para o público de meia – idade, e afirma ainda que, quem ousasse desrespeitaressa regra acabava sendo mal visto na sociedade, pois até então as roupas usadas pelos jovense pessoas de mais idade não possuíam bruscas diferenças.A figura 07 representa a roupasutilizadas pelas jovens na década de 60. Figura 7: Jovens anos 60 Fonte: site folha.uol.com.br Fazendo uma viagem no tempo, até o inicio dos povos antigos, a vestimentas eramusadas de modo geral para três finalidades principais como relata Embacher (1999, p. 28) aodizer que eram usadas para proteção,pudor e enfeite. No entanto, com o desenvolvimento das civilizações, as vestimentas passaram apossuir significados muito mais profundos, pois na antiguidade clássica os gregos e romanos,de acordo com Embacher (1999, p. 29) suas vestimentas procuravam realçar a beleza dasformas humanas, com pequenas distinções sociais, já na Idade Média, com sua estruturafeudal fechada e hierárquica, as vestimentas já representavam a mentalidade da épocacaracterizada pelo estilo gótico, e foi justamente nesta época, na segunda metade do séculoXIV com a ascensão da burguesia, que as roupas masculinas e femininas adquiriram novasformas, e surge o que se pode chamar de “moda”. Dentro deste contexto afirma aindaEmbacher (1999, p. 35) que se no início do século as roupas pareciam expressar apersonalidade do homem e até suas fantasias, agora na Idade Média dão as pessoas àaparência de membros de uma casta aristocrática, tornando assim a vestimenta elemento deextrema importância para a distinção social, constituindo de um sinal de privilégio. A tradiçãoaté então é elemento de extrema importância, sendo as pessoas de mais idade possuidoras de
  34. 34. 33valorização e idolatria pelos seus conhecimentos e experiências, responsáveis por passar adiante a cultura já pré-estabelecida. No entanto, o autor diz que foi entre os séculos XVIII-XIX, com a revoluçãoindustrial, movimento que representou a vitória do capitalismo como força de produçãoeconômica, que ocorreram várias rupturas a respeito do vestuário. É neste momento que sedesencadeia uma ruptura com o passado, o “velho” desmorona e “novo” ganha espaço. Nestemomento os trajes femininos, em particular, sofreram com maior nitidez rompimentos com opassado, pois com o novo estilo de vida não podiam mais vestir trajes tão elegantes e poucopráticos. Assegura o autor que foi neste momento que o esporte tem forte influência sobre ovestuário, devido à tendência do uso de trajes informais. É possível perceber que nestemomento histórico a cultura jovem começa a plantar suas sementes, e inicia a desvalorizaçãoda imagem do idoso. Entre os anos 1900 a 1914, segundo Baudot (2002) as pessoas começaram a entrar emautomóveis e entregar-se ás delícias da vida ao ar livre. E foi partir deste momento que amoda começa a mudar constantemente. E se as mudanças representam a própria moda comoafirma Palomino (2003), é neste momento no século 20 que a dinâmica da moda muda cominúmeras diferenças, é possível dizer que os avanços tecnológicos nas áreas da comunicaçãocontribuiram imensamente para esta nova realidade. Foi no final dos anos 50 e inicio dos anos 60, como dito no início do texto, que asvestimentas dos jovens realmente se distanciaram drasticamente das utilizados pelos maisvelhos, segundo Embacher (1999) que foi nesta ocasião que as moças já demonstravam umatendência para a moda própria fugindo dos modismos de suas mães. De acordo com Palomino(2003) a entrada do elemento jovem no mercado, com a independência sexual obtidas com oadvento da pílula anti-concepcional, mudam a estrutura da moda. Baudot (2002) diz que é neste momento que a juventude é vivida como uma entidade,dotada de poder de compra e de um mercado que lhe é próprio, é necessário ser e parecerjovem. É, no entanto como atesta Embacher (1999) nos anos 90 que as pessoas começaram asofrer fortemente com a idéia que um dia irão envelhecer. Se observar o sistema de moda vigente atualmente é possível perceber que estascorrentes ainda possuem uma grande influência na maneira de se pensar sobre a moda. Motta(1998) diz que as idades da vida estão representadas nas roupas, e parecem marcartodas as passagens em nossa sociedade. E afirma a autora que:
  35. 35. 34 A roupa de pessoas mais velhas é uma roupa discreta, neutra, não há exageros estilísticos, não há fofos e babados e modismo. O corte e a padronagem dos tecidos são discretos e tradicionais, nada de transparência e decotes e nada que adere ao corpo.É uma roupa embora feminina , onde a sedução e a tensão erótica ,estão ausentes, é uma roupa neutra, linha vertical, saias retas.Nada pretende a acentuação das curvas femininas antes disfarçam. A autora conclui ainda que a roupa, como o resto de toda a aparência das mulheresidosas, está absolutamente fora de moda. Não é questão de estar fora de moda, é como seestivessem à parte da moda. No entanto, afirma Gonçalves (2002) que na moda atual, felizmente, não existe maispreconceitos com a idade, o que define o que pode ou não pode ser ideal para cada faixa etáriaé o tipo de corpo e as atividades sociais e profissionais. O site Webfashion diz que a moda tem mostrado no decorrer da historia sua vocaçãopara a mudança e para quebra de paradigmas. Certamente a moda para a terceira idade ou sejamulheres com mais idadeé um paradigma que precisa ser quebrado como ilustra a figuranúmero 08 que exemplifica um estilo de roupa adotado por algumas mulheres destepúblicoem um desfile de moda. Figura 8: Idosas na passarela Fonte: uol.com. br Uma iniciativa sobre a questão de produtos e serviços destinados ao público emquestão, segundo o site Webfashion, é o “Encontro do poder grisalho”, como ilustra a figuranumero 09 este evento está no seu 5º ano e no ano de 2005 abriu pela primeira vez espaçopara a moda com este foco, este evento ocorreu nos dia 19 a 22 de maio de 2005 em SãoPaulo, com o objetivo principal de mudar o padrão estético da moda para mulheres maisvelhas, pois de acordo com o site Webfashion, há bem pouco tempo se acreditava que
  36. 36. 35principalmente para os idosos, a moda era assunto para gente jovem, porém atualmenteconstitui-se em um nicho interessante e que deve ser bem aproveitado. Figura 9: Encontro do poder grisalho Fonte: site webfashion Estas visões a respeito da moda para mulheres mais velhas, incitam a pensar sobre aatual realidade dos produtos destinados a idosos, e conseqüentemente a maneira como estãoatualmente consumindo, e principalmente como daqui para frente vão se comportar.3.4 Linha do tempo: Segmento de moda praia Como abordado anteriormente o segmento de vestuário destinado às mulheres commais idade já está despertando para este novo nicho de consumidora. Neste contexto a demoda praia, é um dos mais importantes do Brasil; muito promissor em um contexto nacional einternacionalmente. De acordo com Feghali e Dywer (2001) a moda praia tornou-se um dos segmentosmais admirados e explorado pelo mundo. Afirmam ainda que se há uma roupa nacionalreconhecida lá fora, como sinônimo de beleza qualidade e originalidade, essa roupa é obiquíni. “A cultura da praia nos dá a dianteira em relação a outros países”. Para que se possa compreender melhor este segmento, atualmente, torna-se necessárioque se observe sua evolução do decorrer dos tempos. De acordo com a Revista Textília (2005), as informações que se tem, sobre o motivopelo qual as pessoas começaram a tomar banho de mar, está relacionado com a saúde.Na
  37. 37. 36segunda metade do século 19, as mulheres da alta sociedade banhavam-se no mar como sefosse extensão dos tratamentos de spa. Sobre o aparecimento das primeiras roupas de banho Gonçalves (2002), diz que osromanos já usavam duas peças para praticar esportes conforme figura 10, porém, só se têmrelatos sobre o surgimento do maiô de duas peças em 1946. Figura 10: Mosaico da antiguidade Fonte: informefashionbrasil.terra.com.b Dentro deste contexto Preitas (2005) diz que, somente no início do século XIX quandoos esportes começaram a ganhar popularidade, especialmente a natação, as pessoascomeçaram ir à praia. Surgiu então, a necessidade de se criar um traje para as mulheres sebanharem em piscinas e praias. Esses trajes eram compostos por um "calção" até o joelho,uma túnica, uma capa longa amarrada nos ombros, meia e sapatos como ilustra figura 11. Figura 11: Primeiras roupas de banho Fonte: informefashionbrasil.terra.com.br Na década de 20 o estilista francês Jean Patou, de acordo com Garcia (2005) sedestacou na linha "sportswear" e revolucionou os trajes de banho e da moda praia. O siteinformefashionbrasil diz que ele renovou a malharia da época, assim como a roupa de praia, elevou manequins norte-americanas bem altas para desfilar suas coleções, o que não era hábito
  38. 38. 37comum na época. Garcia (2005) afirma ainda, que Patou teve a sensibilidade de perceber queseu trabalho se beneficiaria se ele se preocupasse em usar tecidos cada vez mais adaptáveisaos modelos que queria criar. Gonçalves (2002) complementa que Jean Patou foi o primeiro costureiro a abrir umaloja especializada em roupas de banho em 1924, na cidade de Deauville, um elegantebalneário Francês. Neste momento histórico na década de 20, de acordo com Gonçalves (2002), estarbronzeada já era moda, e surge a primeira loção para peles delicadas se exporem ao sol.O“Huille de Chaldée” ,criação de Patou. Nos anos 30 surgiu o maiô de duas peças, conhecidopor “maillot de bain”, pouco recomendado para mocinhas de boa família. O biquíni como se conhece hoje afirma Preitas (2005) só foi apresentado ao públicoem 1946, por Louis Réard, em Paris. O parisiense Jacques Heim reclama a autoria. Não sesabe ao certo a legitimidade da invenção. Sobre o assunto Beltrão (2004, p.8) diz que: O biquíni foi inventado pelo Francês Luis Reard, um engenheiro mecânico desempregado que cuidava do ateliê da mãe, o traje dividido em duas peças, que revelam mais do que cobrem o corpo, caiu como uma bomba para a sociedade do pós-guerra. Por volta dos anos de 1946, e como não poderia de ser diferente, foi batizado de biquíni, nome da ilha que os EUA estavam utilizando para testar suas devastadoras bombas atômicas. Preitas (2005) diz ainda que a precursora desta nova invenção foi à dançarina deCassinos, Micheline Bernerdini, nas piscinas públicas de Paris como mostra a figura número12, a qual ganhou fama pelo feito e as fotos da controvertida invenção ganharam as primeiraspáginas dos jornais. De acordo com Preitas (2005) o novo traje era muito devastador e fez com que poucasmulheres tivessem a coragem de exibir-se usando o biquíni. No início somente MichelineBenardini, conforme figura 12, que se apresentava nua em espetáculos musicais noturnos,teve coragem de exibí-lo. Figura 12: Micheline Bernardini dentro do primeiro biquíni, em 1946 Fonte: Folha.uol.com.br
  39. 39. 38 A arrebatadora invenção, de acordo com Beltrão (2004, p. 9) pode ser consideradodespudorada e ofensiva à moral e aos bons costumes, foi proibida em vários países da Europa;a até o Vaticano divulgou um comunicado condenando a invenção. Nos EUA correntes dedecências pressionaram os estúdios de cinema a evitar aparição nas telas, de atrizes utilizandotraje tão indecente. Na década de 50, de acordo com o site cena urbana, eram os concursos de Miss queapresentavam as tendências do verão. Segundo o site informe fashion brasil, foi nesta décadaque os biquínis passaram a entusiasmar as francesas e uma delas em especial seria aresponsável por esse entusiasmo - a atriz Brigitte Bardot, cujo corpo escultural era ainda maisvalorizado com o novo modelo. Mas, seria preciso mais uma década para que o biquínirealmente decolasse. No Brasil, segundo Beltrão (2004) as vedetes Carmem Verônica e Norma Tamarforam às precursoras no fim da década de 50, exibindo-se na praia de Copacabana. Na figura13 é possível visualizar os modelos de biquínis utilizados nos grandes centros nesta década. Figura 13: Biquínis década de 50 Fonte: cenaurbana.com.br No entanto esta ousada invenção de acordo com Preitas (2005) só se popularizou nadécada de sessenta devido à revolução sócio-cultural que acontecia no mundo, entre elas osurgimento da pílula anticoncepcional e a eclosão da liberação feminina. Com as mulheresbuscando sua independência, o biquíni era uma forma de expressar a liberdade Foi no Brasil, país de mulheres portadoras de curvas estonteantes, com vastosquilômetros de praias, com clima tropical e povo caloroso, que a ousada invenção encontrou atotal harmonia para sua aparição. Coube a brasileira Elvira Pagã, segundo Galvão, (2003),
  40. 40. 39vedete paulista radicada no Rio de Janeiro, a qual possuía inigualável beleza, as primeirasaparições do traje na praia de Copacabana, o que atraia muitos olhares, tanto da platéiamasculina como de crianças curiosas que gostavam de observá-la. Galvão, (2003) afirma ainda que em meio à ditadura militar instaurada em 1964, obiquíni já tinha conquistado várias adeptas, chegou a ser proibido no país por decreto do entãopresidente Jânio Quadros. Porém, tal repressão não vingaria muito tempo e no final da décadade sessenta a ousada Leila Diniz ( atriz), grávida, foi à praia de Ipanema, usando biquíni, feitoeste de grande controvérsia. Foi o primeiro registro de uma mulher grávida que expunha suabarriga usando biquíni.Os biquínis foram gradualmente tornando-se uma prática popular nopaís. Segundo Beltrão, (2004) o famoso traje de banho brasileiro foi alvo de inspirações demúsicas como: “Garota de Ipanema” - homenagem às moças de corpo dourado através damusa da época,Helô Pinheiro, que encantou o poeta Vinicius de Morais ao desfilar, ‘cheia degraça”, a caminho do mar . Sobre o assunto, Galvão (2003) nos diz que: Vinte e seis anos depois do Francês Luois Reard o inventor dos biquínis a partir dos anos setenta, a modelo Rose Di Primo, considerada o maior símbolo sexual brasileiro da época, reinventou o biquíni em Ipanema. Base da improvisação, em meio sem querer, ela cortou aqui a cola, criando a “tanga”, uma estreitíssima faixa de pano abaixo da cintura, em forma de V. A tanga, a versão mais sumaria do biquíni, foi vista pela primeira vez na Europa durante a década de cinqüenta.A tanga evadiu as praias do Rio para seguida conquistar praias brasileiras e depois o planeta. De acordo com Galvão (2003), após o surgimento da tanga no Brasil foi que o paíscomeçou efetivamente a ser considerado o maior representante do biquíni mundialmente e,sua imagem começa a ser exportada em catálogos turísticos. É preciso ressaltar ainda, de acordo com Galvão (2003) que várias formas de roupasde banho conviviam nas areias cariocas na década de sessenta - o "duas peças", modelo paraas mais senhoras e o chamado "engana mamãe”, como ilustra a figura 15 tendo na frente àmodelagem de um maiô sendo as costas reveladas como um biquíni. E também o famosomaiô americano Catalina, como mostra a figura 14, o "maiô das misses", representado atéhoje no Brasil com exclusividade pelo Grupo Águia, fundado em 1937.
  41. 41. 40Figura 14: Maiô Catalina 2005/06Fonte: Catalina.com.br Figura 15: Maiô engana mamãe Fonte: Folha.uol.com.br Foi através da beleza da mulher brasileira que se fez a passagem da moda para a mídiae do Brasil para o mundo. A mulher brasileira se torna um dos maiores trunfos do país, depoisdo samba e do futebol, como celebra o clichê turístico, afirma Palomino (2003). Porém, segundo Galvão (2003) em meio a este jogo de esconder e revelar começa a seproliferar as confecções de beachwear no Rio de Janeiro e algumas cidades do Nordeste. A partir dos anos noventa, os tecidos com inovações têxteis começaram a aparecercada vez mais rápido.Várias empresas começaram a despertar para a real importância destemercado nacional e mundial e marcas importantes começam a surgir, no entanto, ao procuraratualmente empresas que destinam maiôs e biquínis para mulheres com mais idade é possívelencontrar uma lacuna com uma grande oportunidade de mercado.3.5 Público alvo: mulheres maduras Nos últimos anos começou a se ouvir falar mais freqüentemente sobre o fato daspessoas ficarem mais velhas, ou seja, sobre o aumento do considerável número de pessoascom idades superiores há 50 anos. São reportagens de televisão, diversas revistas, jornais esites que discutem e refletem sobre a atual imagem, e importância social das pessoas queestão passando a viver cada vez mais e melhor. A respeito da denominação, ou seja, aos termos com os quais se podem designar aspessoas que já passaram da fase da juventude e antes mencionada como somente “velhas”, éplausível dizer que se encontra em ampliação, pois é possível verificar a presença de diversasdenominações como afirma Néri (2000, p. 7) ao dizer que entre as denominações mais
  42. 42. 41comuns podemos lembrar: adulto maduro, idoso, pessoa de meia idade, maturidade, idademadura, maior idade, melhor idade, idade “legal”, de mais idade e o mais comum terceiraidade, (termo estabelecido pela ONU, que aos 60 anos de idade demarca o início da velhicenos países em desenvolvimento e 65 anos nos países desenvolvidos, o Brasil adota estadenominação), porém as pessoas têm pavor de ser chamadas de velhas ou idosas. Oaparecimento da expressão Terceira Idade deu margem a ações de marketing que consideramo surgimento de um novo mercado para os produtos do mundo capitalista pós-industrial. Noentanto para o projeto foi escolhida a denominação “madura”, pois possibilita uma maiorabrangência de faixa etária e representa de uma maneira positiva, o fato de ser mais velhas. A grande parte das pessoas atualmente ainda referem-se à velhice como algo que estálonge delas que preferem evitar ou desconhecem, pois estes termos remetem preconceitos emrelação à velhice que se expressão por reações de afastamento, desgosto, ridicularização enegação, além disto, a velhice está vinculada à idéia de incapacidade. No entanto, é perceptível que estão surgindo modificações de pensamentos, atitudes eimportâncias sociais em relação às pessoas que estão ficando mais velhas. Afirma Néri (2000,p. 8) que a respeito deste tema é possível dizer que é muito comum, hoje em dia as pessoasdizerem que “velhice não existe” e que “velhice é um estado de espírito” ou que a vidacomeça aos 40 anos. Observa-se que a passos lentos esta realidade vem se modificando, pois com asmudanças de hábito de vida desta faixa etária proporcionaram o surgimento de novosconceitos. O idoso atualmente vive em uma sociedade menos preconceituosa do que a tempos atrás e este fenômeno proporciona uma mudança de hábito de vida. Eles estão ficando maissaudáveis, com uma vida sexual mais ativa e satisfatória, fato este impulsionado com osavanços da medicina com os compridos contra a impotência sexual, dos cosméticos queproporciona uma aparência jovem torna-os mais atraentes e desejáveis por mais tempo, eafirma Pinheiro (2005) que a internet também ajudou imensamente, pois proporcionou maisopções de relacionamento das pessoas divorciadas, solteiras ou viúvas, pois são diversos sitesde procura de pares. Os que possuem mais tempo livres estão viajando, participando de bingos e programasdirecionados a eles. Mediante estas informações é possível verificar que estas ações estão proporcionadas àmudança do perfil das mulheres maduras. Outro aspecto que se observa hoje é que as pessoas

×