Your SlideShare is downloading. ×
Analise perceptiva dos fatores motivacionais de escolares para a pratica da natação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Analise perceptiva dos fatores motivacionais de escolares para a pratica da natação

826
views

Published on

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Published in: Sports

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
826
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CAMILA ALVES DOS SANTOSANÁLISE PERCEPTIVA DOS FATORES MOTIVACIONAIS DE ESCOLARES PARA A PRÁTICA DA NATAÇÃO Trabalho apresentado ao curso de graduação em Educação Física da Universidade Católica de Brasília, como requisito parcial para obtenção do título de Licenciatura em Educação Física. Orientador: Dr. Ronaldo Rodrigues da Silva Co-orientador: Dr. Francisco José Andriotti Prada Brasília 2011
  • 2. Trabalho de autoria de Camila Alves dos Santos, intitulada “Análise perceptiva dosfatores motivacionais de escolares para a prática de natação”, apresentada como requisitoparcial para obtenção do grau de Licenciatura em Educação Física da Universidade Católicade Brasília, em 26 de novembro de 2011, defendida e aprovada pela banca examinadoraabaixo assinada: ____________________________________________________________ Prof. Dr. Ronaldo Rodrigues da Silva Orientador Universidade Católica de Brasília – UCB-DF ____________________________________________________________ Prof. Dr. Francisco José Andriotti Prada Co-orientador Universidade Católica de Brasília – UCB-DF ____________________________________________________________ Professor Msc. Fábio Antônio Tenório de Melo Universidade Católica de Brasília – UCB-DF Brasília 2011
  • 3. AGRADECIMENTO Agradeço primeiramente aos meus pais por me darem, financeiramente a oportunidadede realizar um curso superior. Ao meu orientador, Professor Doutor Ronaldo Rodrigues da Silva, que indicou aocaminho certo para conseguir realizar o trabalho. Ao meu co-orientador, Professor Doutor Francisco José Andriotti Prada, que,imensamente contribuiu na elaboração do meu trabalho. À professora Maria Ignez, assessora do curso de Educação Física por toda ajuda para arealização do estudo. Ao professor Luiz Guilherme Grossi Porto, que apesar de ter a agenda cheia, reservouum horário para sanar minhas dúvidas. A todos os professores do curso de Educação Física da UCB, por toda ajuda, mesmosendo esta mínima. Às minhas amigas de sempre, Claudenice e Hammah por sempre estarem ao meu lado,em todos os momentos, e também por ficarem com meu filho Cauan no momento da defesa. Às minhas amigas da faculdade, Iorrany e Marília por me darem força e apoio nashoras mais difíceis. Ao meu noivo, por sempre estar comigo, e me apoiar sempre que possível, porenxugar minhas lágrimas de desespero, por ser meu companheiro em tudo. A todos os citados e aos que desejam meu sucesso, a minha honesta gratidão.
  • 4. 1Análise perceptiva dos fatores motivacionais de escolares para a prática da natação SANTOS, Camila Alves dos¹ SILVA, Ronaldo Rodrigues da² PRADA, Francisco José Andriotti³RESUMOO presente estudo teve como objetivo analisar perceptivamente os fatores motivacionais de crianças eadolescentes escolares na prática da natação. Participaram desta pesquisa n=364 alunos praticantes de natação noCentro Olímpico Rei Pelé de Samambaia/DF, na faixa etária entre 07 e 18 anos de idade. Como instrumento foiutilizado o Inventário de Motivação para Prática Desportiva (IMPD) adaptado de Gaya e Cardoso (1998), quepossui 19 questões que se dividem em 03 categorias, denominadas em competência desportiva, amizade/lazer esaúde. O inventário foi adaptado nas seguintes questões para melhor compreensão. As questões: 04, 16 e 17, deacordo com o tema do estudo em 03 termos (“para ser o melhor no esporte” para “para ser o melhor na natação”,“para aprender novos esportes” para “aprender a nadar” e “para ser jogador quando crescer” para “ser nadadorquando crescer” (ver tabela 02), para melhor entendimento pelos participantes. Os dados foram analisadosmediante a frequência das respostas. Os resultados gerais indicam que os fatores relacionados à competênciadesportiva (66,32%) e saúde (52,83%) são os mais relevantes para os praticantes de natação do projeto social,porém em relação à correlação, os resultados não tiveram diferenças significativas (p=1), contudo observou-se atendência de preferência para o sexo masculino em relação às três categorias. Com isso, o estudo permitiu aconclusão de que os praticantes de natação estão preocupados com ambos os fatores, salientando o ganho que acomunidade tem em relação à disponibilização de estrutura para a prática de atividade física e esportes.Palavras-chave: Motivação. Escolares. Natação.1. INTRODUÇÃO No Brasil, o esporte é hoje uma prática que leva muitas pessoas, de diferentes faixasetárias a buscarem alternativas em programas que oferecerem atividades diversificadas, alémdessa prática ser um fator socializante. Para Scalcan et al. (1999), o principal fator pela procura da prática esportiva continuasendo à busca da ludicidade, divertimento e aprimoramento de suas habilidades motoras. Para Souza Junior (2001) o esporte é hoje um fenômeno de grande expressividadesocial, o que leva muitos jovens a buscar alternativas em programas que oferecerematividades diversificadas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a seleção do esporte para cadacriança ou adolescente depende de idade, gênero, estágio de desenvolvimento puberal, estadonutricional, presença de limitações físicas ou mentais, maturidade emocional, situaçãoeconômica da família, disponibilidade e facilidade de participação na atividade escolhida(SBC, 2005). A motivação é um dos principais fatores que interferem no comportamento de umapessoa, pois influi, com muita propriedade, em todos os tipos de comportamentos, permitindoum maior envolvimento ou uma simples participação em atividades que se relacionem com:aprendizagem, desempenho, atenção (RODRIGUES, 1991). Porém é importante salientar, que____________________________¹ Graduanda do Curso de Educação Física da Universidade Católica de Brasília (UCB-DF).² Professor Doutor do Curso de Educação Física da Universidade Católica de Brasília (UCB-DF).³ Professor Doutor do Curso de Educação Física da Universidade Católica de Brasília (UCB-DF).
  • 5. 2hoje em dia, as crianças e adolescentes estão valorizando mais os jogos eletrônicos, afastando-se das atividades físicas, evidenciando menor incidência na procura de esportes. Motivação pode ser reconhecida como causa de um comportamento, alguma forçainterior, impulso ou intenção que leva a pessoa a fazer algo ou agir de certa forma, mastambém como fatores extrínsecos (APÓSTOLO et al, 2007). Segundo Gaya e Cardoso (1998), “as motivações que definem as atividadesdesportivas, parecem ser: melhorar as habilidades, passar bem, vencer, vivenciar emoções,desenvolver o físico e o bem estar”, corroborando com Becker Jr. (2000) que destacou emestudo alguns dos motivos para uma criança se envolver em programas esportivos, tais como:ter alegria, aperfeiçoar suas habilidades e aprender novas, praticar com amigos e fazer novasamizades, adquirir forma física e sentir emoções positivas. Entre a grande variedade de esportes, a natação é um dos mais praticados no Brasil eno mundo. Em pesquisa realizada em 2003, tem-se a pratica da natação em quarto lugar,compreendendo em 11 milhões de atletas (DaCosta, 2006). No entanto, há poucos estudosreferentes à motivação relacionada à natação. Para que se obtenham os motivos pelos quais osatletas estão motivados a praticar natação, segundo Serpa (2002), isso só será possível se tiverum significado e um empenho pessoal por parte do atleta. A natação é considerada um dos esportes mais completos e que possui menosrestrições, como afirmam os autores Wilkie e Kelvin (1984) onde dizem que esse esporte “émuitas vezes considerado como um dos desportos mais saudáveis. Recomendada pelosmédicos é tida como uma espécie de panaceia, para a vasta gama de doenças (p.12)". Com isso, estudar os fatores motivacionais de crianças e adolescentes praticantes denatação poderá contribuir para a compreensão sobre a importância da atividade física e arelação existente sobre a qualidade de vida e especialmente o significado do esporte na vidada criança e do adolescente. No Distrito Federal, projetos sociais esportivos são voltados ao atendimento decrianças e adolescentes carentes ou sob risco social. Dentre esses, destacam-se os centrosolímpicos, que são projetos voltados para o atendimento a esse público, e tem como objetivodesenvolver o prazer pelo esporte, oportunizando o desenvolvimento da atividade físicasaudável e contribuindo para a promoção da melhoria de qualidade de vida de acordo com afilosofia de combate a exclusão social. O Centro Olímpico Rei Pelé, localizado na Região Administrativa de Samambaia - DFfoi inaugurado em Outubro de 2009, e hoje possui 1.182 crianças e adolescentes praticantesde natação. Com isso, independente do esporte, percebe-se a importância da inserção de umprojeto social esportivo nas cidades com áreas de risco. Os escolares nem sempre têm estruturas adequadas para a prática de esportes, poisprecisam de instalações que atendam as necessidades de cada desporto. A natação por ser umesporte caro e muito difícil de encontrar em escolas públicas gera uma deficiência estrutural aesse público. Portanto, o objetivo desse estudo foi analisar perceptivamente os fatoresmotivacionais, e realizar a comparação dos resultados entre os sexos de crianças eadolescentes escolares para a prática da natação do Centro Olímpico Rei Pelé –Samambaia/DF.
  • 6. 36. MATERIAL E MÉTODOS6.1. TIPO DE PESQUISA: Caracterizou-se como pesquisa qualitativa, que segundo Maanen(1979a) se objetiva em traduzir e expressar o sentido dos fenômenos do mundo social ereduzir a distância entre teoria e dados, contexto e ação.6.2. POPULAÇÃO: Foi composta por 1005 (N=1005) alunos, crianças e adolescentes emidade escolar, praticantes de natação no Centro Olímpico Rei Pelé de Samambaia - DF.6.3. AMOSTRA: A pesquisa foi composta por n=364 (trezentos e sessenta e quatro)participantes, dispostos em 42 turmas (turnos matutino e vespertino), sendo 190 (cento enoventa) participantes do sexo feminino e 174 (cento e setenta e quatro) do sexo masculinocom faixa etária de média 15,17 (DP=12,87) (tabela 01). Tabela 01 – Quantidade de participantes por idade, média e desvio padrão IDADE FEMININO MASCULINO 07 10 12 08 12 21 09 30 28 MÉDIA 10 25 20 15,17 11 42 31 12 49 23 13 15 22 DESVIO PADRÃO 14 09 10 12,87 15 04 04 16 02 02 17 00 00 18 01 01 SUBTOTAL 190 174 TOTAL 3646.3.1. Critério de exclusão: O critério foi aplicado para os alunos que responderamincorretamente, deixaram de responder alguma questão ou não responderam o inventário,além dos que não entregaram o termo de consentimento livre e esclarecido devidamentepreenchido e assinado pelo pai ou responsável.6.4. INSTRUMENTOS: Utilizou-se o Inventário de Motivação para a prática Desportiva(IMPD) adaptado de Gaya e Cardoso (1998), composto por 19 perguntas objetivassubdivididas em três categorias: competência desportiva, amizade/lazer e saúde. Para aanálise dos motivos para a prática desportiva, estes foram classificados em três categorias: 1)Competência desportiva: para vencer; para ser o melhor no esporte; porque gosto; paracompetir; para ser um atleta; para desenvolver habilidades; para aprender novos esportes epara ser jogador quando crescer (questões 01, 04, 06, 08, 09, 15, 16 e 17); 2) Amizade eLazer: para brincar; para encontrar os amigos; para divertir-me; para fazer novos amigos epara não ficar em casa (questões 03, 07, 12, 13 e 19); e 3) Saúde: para exercitar-se; para
  • 7. 4manter a saúde; para desenvolver a musculatura; para ter bom aspecto; para manter o corpoem forma e para emagrecer (questões 02, 05, 10, 11, 14 e 18). Cada motivo possuiu trêsalternativas de níveis de importância: “muito importante”, “pouco importante”, e “nadaimportante”. Para melhor compreensão das questões, o presente questionário foi adaptado nasquestões 4, 16 e 17 onde as mudanças se deram, respectivamente, nos termos “para ser omelhor no esporte” para “para ser o melhor na natação”, “para aprender novos esportes” para“aprender a nadar” e “para ser jogador quando crescer” para “ser nadador quando crescer”(tabela 02). Para a análise estatística, foram realizadas análises das frequências das respostas e paraa comparação entre os sexos utilizou-se o teste qui-quadrado com nível de probabilidade de5% (p=≤0,05). Tabela 02 – Visualização das questões separadas por cor de acordo com a categoria e adaptações realizadas 01 PARA VENCER 02 PARA EXERCITAR-SE 03 PARA BRINCAR 04 PARA SER O (A) MELHOR NA NATAÇÃO 05 PARA MANTER A SAÚDE 06 PORQUE EU GOSTO 07 PARA ENCONTRAR OS AMIGOS (AS) 08 PARA COMPETIR 09 PARA SER UM ATLETA 10 PARA DESENVOLVER A MUSCULATURA 11 PARA TER BOM ASPECTO 12 PARA ME DIVERTIR 13 PARA FAZER NOVOS AMIGOS 14 PARA MANTER O CORPO EM FORMA 15 PARA DESENVOLVER HABILIDADES 16 PARA APRENDER A NADAR 17 PARA SER NADADOR (A) QUANDO CRESCER 18 PARA EMAGRECER 19 PARA NÃO FICAR EM CASA COMPETÊNCIA DESPORTIVA AMIZADE/LAZER SAÚDE6.5. COLETA DE DADOS: Compreendeu no período de 06 a 30 de setembro de 2011.Segundo Triviños (1987, p.161), o processo de coleta de dados se caracteriza da seguinteforma: pré-análise (organização do material), descrição analítica dos dados (codificação,classificação, categorização) e interpretação referencial (tratamento e reflexão). Com isso oprocesso seguiu às etapas citadas.6.6. PROCEDIMENTOS: Após a autorização da Instituição, pais/responsáveis e professores(as duas primeiras impressas e a ultima verbalmente), foi aplicado o IMPD, com
  • 8. 5preenchimento de forma anônima e individual pelos participantes antes da parte inicial da aula(aquecimento/alongamento) e entrada na piscina. A aplicação do inventário teve tempo médiode 10 minutos, essa duração compreendeu nas explicações previas ao preenchimento e aspossíveis dúvidas sobre o inventário.7. ANÁLISE E DISCUSSÃO Após a pré-análise dos dados obtidos através do estudo realizado no Centro OlímpicoRei Pelé, como resultado obteve-se a frequência (valores relativos) total das respostasdivididas por categoria, posteriormente a frequência (valores relativos) das respostas de cadafator motivacional de ambos os sexos e finalmente a comparação das respostas obtidas decada sexo separadas por categorias utilizando o teste qui-quadrado de 5% (p=≤0,05). A análise geral obtida a partir das preferências do grupo estudado mostrou que ambasas categorias são importantes em relação a pratica da natação, onde se obteve a classificaçãodas categorias por ordem de preferencia (Figura 01), nas quais competência desportiva, saúdee amizade/lazer, respectivamente. Figura 01 – Valores absolutos totais das respostas de acordo com a categoria FEMININO/MASCULINO35003000250020001500 29121000 2194 1820500 0 COMPETENCIA AMIZADE/LAZER SAÚDE DESPORTIVA QUANTIDADE DE RESPOSTAS A partir da figura acima, temos a categoria competência desportiva (n=2912), saúde(n=2194) e amizade/lazer (n=1820) estabelecendo, respectivamente, o primeiro, segundo eterceiro lugar. A partir dos valores absolutos, foram analisados por valores relativos a preferenciapelos participantes por variáveis. Em destaque, percebe-se a categoria “competênciadesportiva” (66,34%) e a categoria “saúde” (52,83%) (Figura 02).
  • 9. 6 Figura 02 – Frequência total das respostas de acordo com as categorias FEMININO/MASCULINO 70PERCENTAGEM (%) 60 50 40 66,34 30 52,83 20 34,29 36,59 30,77 29,12 10 21,84 16,41 11,81 0 COMPETENCIA AMIZADE/LAZER SAÚDE DESPORTIVA NADA IMPORTANTE (MI) POUCO IMPORTANTE (PI) MUITO IMPORTANTE (MI) NÍVEIS DE PREFERÊNCIA A partir dos dados acima, percebe-se a preferência da variável MI para todas ascategorias. O dados do presente estudo corroboram com os resultados encontrados no estudo deInterdonato et al. (2008), onde observou-se valores elevados para as questões referentes àcompetência desportiva em todas as modalidades investigadas no estudo. Com isso, percebe-se que o sucesso no desempenho de atividades esportivas visto pelo grupo estudado está noâmbito de grande satisfação em relação à competência desportiva, que compreende em66,34% das respostas. Em relação à segunda categoria (36,59%), o fator “muito importante” se sobressai emrelação às outras variáveis. Scalcan et al. (1999), estudando os fatores motivacionais para aaderência aos programas de iniciação esportiva, verificaram que os alunos se envolvem naprática esportiva, principalmente, em busca do divertimento, da alegria e do prazer que oesporte proporciona. A alegria se revela no entusiasmo do adolescente quando está jogando,na dedicação e esforço que dispensa na atividade que o conduz à satisfação e à cooperação(Gáspari e Schwartz, 2001). Achados de Paim (2001) identificaram em adolescentes de ambos os sexos, praticantesde escolinhas de iniciação esportiva, que as questões relacionadas à saúde são bastanteimportantes no envolvimento desses jovens com a prática esportiva. A partir dos resultadosobtidos neste estudo, com o percentual de 52,83% das respostas, tem-se a conclusão que osparticipantes, de ambos os sexos, se preocupam com a saúde e buscam um hábito de vidasaudável. Considerando as questões especificas de cada categoria, obtiveram-se os valores defrequência de ambos os sexos (tabela 03).
  • 10. 7 Tabela 03 – Níveis de preferência dos participantes em relação à competência desportiva distribuídos em percentagem e entre parênteses o valor absoluto das respostas COMPETENCIA DESPORTIVA PERCENTAGEM (%) NADA POUCO MUITO IMPORTANTE IMPORTANTE IMPORTANTEPARA VENCER 11,81 (43) 20,05 (73) 68,13 (248)PARA SER O MELHOR NA NATAÇÃO 12,36 (45) 25,27 (92) 62,36 (227)PORQUE EU GOSTO 8,52 (31) 24,18 (88) 67,31 (245)PARA COMPETIR 21,15 (77) 28,30 (103) 50,55 (184)PARA SER UM ATLETA 10,99 (40) 20,33 (74) 68,68 (250)PARA DESENVOLVER HABILIDADES 5,77 (21) 17,31 (63) 76,92 (280)PARA APRENDER A NADAR 6,04 (22) 8,52 (31) 85,44 (311)PARA SER NADADOR QUANDO CRESCER 17,86 (65) 30,77 (112) 51,37 (187) Observa-se que na primeira categoria, em relação às variáveis, o maior valor para nadaimportante (NI) se dá para a questão “para competir” (21,15%). Segundo Junior (2002): “competir significa enfrentar desafios e demandas que podem, de acordo com muitos aspectos individuais e situacionais, representar uma considerável fonte de estresse para os atletas, dependendo de seus atributos físicos, técnicos e psicológicos” (p. 20). Esse pode ser um dos fatores resultantes para o não desejo de vencer e o não prazerpela vitória ter sido observado no grupo estudado. Na variável pouco importante (PI), o maior valor se dá para a questão “para sernadador quando crescer” (30,77%). O fato de o aluno querer ser um atleta no futuro pode tersido desencadeado intrínseca ou extrinsecamente. Weinberg e Gould (2001) interpretam amotivação como uma característica de personalidade, como uma influência externa ou comouma consequência ou explicação para um comportamento. Contudo, o fator se caracterizoucomo pouco importante, tornando a questão dependente de o motivo ser proveniente de razõespessoais ou ambientais. Em relação à variável MI, o maior valor se dá para a questão “para aprender a nadar”(85,44%). O que reforça o significado da motivação seja ela intrínseca ou extrínseca.Contudo, a motivação intrínseca é um fator considerado principal para o inicio da práticadesportiva e que os fatores extrínsecos podem ser associados a este, para fortalecer e melhoraro desempenho do atleta em sua vida esportiva (VEIGA; TEIXEIRA, S/D). Na segunda categoria analisada observaram-se os fatores relacionados à amizade/lazer(tabela 04). Tabela 04 – Níveis de preferência dos participantes em relação à amizade/lazer distribuídos em percentagem e entre parênteses o valor absoluto das respostas AMIZADE/LAZER PERCENTAGEM (%) NADA POUCO MUITO IMPORTANTE IMPORTANTE IMPORTANTEPARA BRINCAR 31,87 (116) 39,01 (142) 29,12 (106)PARA ENCONTRAR OS AMIGOS 33,79 (123) 37,09 (135) 29,12 (106)PARA ME DIVERTIR 20,33 (74) 35,16 (128) 44,51 (162)PARA FAZER NOVOS AMIGOS 18,41 (67) 37,64 (137) 43,96 (160)PARA NÃO FICAR EM CASA 41,21 (150) 22,53 (82) 36,26 (132)
  • 11. 8 Na tabela acima, pode se observar o maior valor em relação à variável NI para aquestão “para não ficar em casa” (41,21%). O que significa que o fato de ficar em casa não ésignificante para os praticantes de natação, ficando evidente o gosto pela pratica do esporteindependente desse fator. Tendo esse motivo o que menos influencia na pratica do esporte, éimportante ressaltar alguns motivos que levam a isso. Para a variável PI, observou-se preferência para a questão “para brincar” (39,01%).Com isso, observa-se que os participantes levam a natação a serio, tomando como base aquestão citada. Essa questão ligada ao lazer se assemelha ao resultado da variável MI, onde aquestão “para me divertir” alcançou maior percentagem. Essas questões podem ter sidoescolhidas pelo fato do lúdico ser fundamental na aprendizagem de qualquer esporte.Gallahue e Ozmun (2003) ressaltam que o despertar da motivação, o imaginário e seusanseios às aulas, pois são componentes essenciais para as atividades e satisfação das crianças. Tabela 05 - Níveis de preferência dos participantes em relação à saúde distribuídos em percentagem e entre parênteses o valor absoluto das respostas SAÚDE PERCENTAGEM (%) NADA POUCO MUITO IMPORTANTE IMPORTANTE IMPORTANTEPARA EXERCITAR-SE 7,14 (26) 26,65 (97) 66,21 (241)PARA MANTER A SAÚDE 6,87 (25) 8,79 (32) 84,34 (307)PARA DESENVOLVER A MUSCULATURA 13,46 (49) 28,02 (102) 58,52 (213)PARA TER BOM ASPECTO 12,64 (46) 32,42 (118) 57,69 (210)PARA MANTER O CORPO EM FORMA 6,87 (25) 21,15 (77) 71,98 (262)PARA EMAGRECER 29,12 (106) 28,30 (103) 42,58 (155) A partir da tabela 05, percebe-se maior percentagem em relação à variável NI para aquestão “para emagrecer” (29,12%). Portanto, percebe-se que os praticantes estão tendo aaceitação da forma física, levando em consideração a saúde e bem estar. Porém, verifica-seque a estética corporal é apresentada, nas mulheres, com níveis bem maiores de insatisfaçãodo que nos homens (Cappozzoli, 2006). Em estudos, Myotin (1995); Gaya e Cardoso (1998);Paim (2001) e Paim e Strey (2004), observaram que os motivos relacionados à aparênciafísica especialmente o desejo de emagrecer são mais fortes nas meninas do que nos meninos,influenciados possivelmente por razões biológicas e principalmente culturais. Em relação à variável PI, a questão “para ter bom aspecto” encontra-se com o maiorvalor com 32,42%. Atualmente a estética leva muitos jovens a participar de grupos deatividades físicas. Segundo Garcia e Lemos (2003), a estética, em especial a corporal, aparececomo um valor de extrema importância em nossa sociedade. Com isso, percebe-se que ainclusão do individuo na sociedade se garante a partir do padrão de beleza. Esse padrão debeleza pode ser explorado pela mídia, tornando a aparência uma essência da identidade. A questão “para manter a saúde”, em relação à variável MI, destaca-se em relação aomaior valor de 84,34%. Os resultados apresentados corroboram com os de Costa (1999), ondeverificou que o interesse em conquistar e/ou preservar a saúde foi o principal motivo quelevou 64 indivíduos, de ambos os sexos, com idades entre 16 e 60 anos, a ingressar em aulasde natação em academias. Embora a faixa etária do grupo estudado tenha sido diferente àdesse estudo, independente da idade, verifica-se a preocupação e a importância que a saúdetem para os indivíduos. Considerando a análise de frequência das respostas obtidas de ambos os sexos, não foiidentificada diferença significativa (p=1) entre os dois grupos (tabela 06).
  • 12. 9Tabela 06 – Diferença de preferência entre meninas e meninos distribuídos em percentagem e entre parênteses o valor absoluto das respostas PERCENTAGEM (%) QUI-QUADRADO CATEGORIA VARIÁVEIS FEMININO MASCULINO (P-VALOR) Competência desportiva Nada importante 11,84 (180) 11,78 (164) Pouco importante 25,52 (388) 17,81 (248) 1 Muito importante 62,63 (952) 70,40 (980) Amizade/Lazer Nada importante 28,52 (271) 29,77 (259) Pouco importante 39,36 (374) 28,73 (250) 1 Muito importante 32,10 (305) 41,49 (361) Saúde Nada importante 20,26 (233) 12,16 (127) Pouco importante 38,69 (445) 22,03 (230) 1 Muito importante 41,04 (472) 65,80 (687) Contudo, há de se perceber que em relação às três categorias (competência desportiva,amizade/lazer e saúde) há a tendência de prevalência nas respostas para o sexo masculino. Em relação ao sexo feminino, apesar das variações entre os fatores “competênciadesportiva” e “amizade/lazer” terem menor magnitude, há a necessidade de verificação depossíveis motivos para a não equivalência nas respostas obtidas através do inventário emrelação ao sexo masculino. O fator mais preocupante é o de “saúde”, que obtém variação demaior magnitude, visto que a natação pode contribuir para a manutenção da saúde e do bem-estar, assim como a melhoria da autoestima. Hoje em dia, a prática de atividade física é característica do sexo masculino. Asquestões relacionadas a um bom desempenho esportivo são motivos importantes para osjovens na prática esportiva, especialmente para os meninos que são bastante motivados paraas necessidades de realização pessoal (MYOTIN, 1995; SAMULSKI, 2002 e HALLAL,2004). Em relação à segunda categoria, observa-se que participantes do sexo feminino achamque o fator amizade/lazer não é prioridade, porém não deixa de ser importante. Em contrastecom estudo de Weinberg e Gould (2001), onde relataram que a amizade é para as crianças ummotivo importante, quando relacionado à prática esportiva. Os autores ainda mostram que ascrianças vêm nesta prática à oportunidade de estar com os seus amigos e de criar novasamizades. A partir desses dados, conclui-se que, notoriamente, há diferenças entre os sexos emrelação a pratica da natação. Pintrich e Schunk (2002) explicam que existem muitos pontosainda obscuros sobre a motivação, principalmente devido à complexidade do fenômenomotivacional, o que justifica a importância dos estudos feitos dentro do ambiente de prática deatividades físicas e desportivas com o intuito de se tentar compreender como e porque ascrianças e adolescentes se envolvem nas atividades esportivas, considerando nesse âmbitopossíveis diferenças entre os sexos.9. CONCLUSÃO Sendo assim, os resultados aqui apresentados divulgam os motivos relacionados àsquestões sociais, culturais e de saúde, que as crianças e os adolescentes relataram em relação apratica da natação, modalidade esta disponibilizada por um programa social desportivo. As categorias analisadas tiveram uma quantidade significativa de preferência, dentreessas a competência desportiva, saúde e amizade/lazer, respectivamente. Contudo, osresultados apontaram que o sexo masculino teve tendência de prevalência para as trêscategorias, considerando também que o sexo feminino se destacou em algumas questõesespecificas dessas categorias.
  • 13. 10 A partir dos resultados alcançados, observou-se que os praticantes de natação estãopreocupados com ambos os fatores, salientando o ganho que a comunidade tem em relação àdisponibilização de estrutura para a prática de atividade física e esportes. Verificou-setambém que os resultados alcançados nesse estudo estão dentro dos objetivos propostos peloprojeto social desportivo do contexto, onde visa desenvolver o prazer pelo esporteoportunizando o desenvolvimento da atividade física saudável e contribuindo para apromoção da melhoria de qualidade de vida.SUGESTÃO: Diante do exposto, o estudo pretende sensibilizar os profissionais da área sobre aimportância do impacto desses motivos para a prática da natação e que haja melhor conduçãodas aulas, reduzindo a possibilidade de frustração e desistência do esporte. E espera-se que, mediante isso, haja um interesse para a realização de novos estudos eelaboração de futuras comparações. Ressalta-se ainda que mais estudos sejam averiguadoscom as mesmas qualificações em diferentes regiões, onde o esporte não é disponibilizado paraa população.10. REFERÊNCIASAPÓSTOLO JLA, VIVEIROS CSC, NUNES HIR, DOMINGUES HRF. Incerteza na doençae motivação para o tratamento em diabéticos tipo 2. Revista Latino Americana deEnfermagem; 5(4):575-82, 2007.BECKER JR, B. Manual de Psicologia do Esporte e Exercício. Porto Alegre: Nova Prova,2000.CAPOZZOLI, CJ. Motivação à prática regular de atividades físicas: um estudo compraticantes em academias de ginástica de Porto Alegre. Dissertação (Mestrado em Ciências doMovimento Humano) – Escola de Educação Física, UFRGS, Porto Alegre,2006.COSTA RM. Razões e motivos para prática de natação de adultos em academias na cidade deLimeira-SP. Motriz. 5:116, 1999.DACOSTA, LP (ORG). Cenário de tendências gerais dos esportes e atividades físicas noBrasil. Atlas do esporte no Brasil. Rio de Janeiro: CONFEF, 2006. Disponível em:http://www.atlasesportebrasil.org.br. Acesso em 30 de setembro de 2011.GALLAHUE, DL; OZMUN, JC. Desenvolvimento Motor. Bebês, Crianças e Adultos. 2, ed.São Paulo. Phorte Editora, 2003.GARCIA, RP; LEMOS, KM. A Estética como um valor na Educação Física. Revista Paulistade Educação Física, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 32-40, 2003.GÁSPARI, JCD; SCHWARTZ, GM. Adolescência, esporte e qualidade de vida. RevistaMotriz. 7(2):107-113, 2001.
  • 14. 11GAYA, A; CARDOSO, M. Os fatores motivacionais para a prática desportiva e suas relaçõescom o sexo, idade e níveis de desempenho desportivo. Revista Perfil. Porto alegre: Editora daUFRGS: 2(2), 1998.HALLAL, PC, NASCIMENTO, RR, HACKBART, L. ROMBALDI, AJ. Fatoresintervenientes associados ao abandono do futsal em adolescentes. Revista Brasileira deCiência e Movimento, 12(3): 27-32, 2004.INTERDONATO, GC; MIARKA, B; OLIVEIRA, AR e GORGATTI, MG. Fatoresmotivacionais de atletas para prática esportiva. Revista Motriz, 14(1): 63-6, 2008.JUNIOR, DR. A competição como fonte de estresse no esporte. Revista Brasileira de Ciênciae Movimento, 10(04): 19-26, 2002.MAANEN, JV. Reclaiming qualitative methods for organization research: a preface. InAdministrative Science Quartely. 24(04): 520-6, 1979a.MYOTIN, E. A participação da adolescente brasileira em esportes e atividades físicas comoforma de lazer: fatores psicológicos e socioculturais. In: ROMERO, E. (org.) Corpo, Mulher eSociedade. Campinas: Papirus, 177-197, 1995.PAIM, MCC. Motivos que levam adolescentes a praticar o futebol. Revista Digital, BuenosAires, 7(43), 2001.PAIM, MCC; STREY, MN. Los vínculos generificados con el futbol en el imaginario deadolescentes. In: CONGRESO DE LA FEDERACIÓN LATINOAMERICANA DEPSICOTERAPIA ANALÍTICA DE GRUPO, 16.; CONGRESO DE LA ASOCIACIÓNMEXICANA DE PSICOTERAPIA ANALÍTICA DE GRUPO 10., 2004, Guadalajara.Anais... Guadalajara: Federación Latino americana de Psicoterapia Analítica de Grupo yAsociación Mexicana de Psicoterapia Analítica de Grupo, 475-482, 2004.PINTRICH PR.; SCHUNK, DH. Motivation in Education: theory, research and applications.New Jersey: Merril Prentice Hall, 2002.RODRIGUES, P. A Motivação e Performance. Monografia de Final de curso não publicada,Rio Claro: UNESP, 1991.SAMULSKI, D. Psicologia do esporte. Barueri: Manole; 2002.SERPA, S. Psicologia do treino desportivo: a lição de Greg Louganis. Serpa, S; Araújo, D(Eds.). In Psicologia do Desporto e do exercício – Compreensões e aplicações. FMH Edições,2002.SCALCAN, RM; BECKER JR, B; BRAUNER, MRG. Fatores motivacionais que influem naaderência dos programas de iniciação desportiva pela criança. Revista Perfil. Porto Alegre:Editora da UFRGS: 3(3), 1999.SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA (SBC). Diretriz de prevenção daaterosclerose na infância e adolescência. Arquivo Brasileiro de Cardiologia. 85(6):1-36, 2005.
  • 15. 12SOUZA JÚNIOR, M. A educação física no currículo escolar e o esporte: (im)possibilidade deremediar o recente fracasso esportivo brasileiro. Pensar a Prática. 4: 19-30, 2001.TRIVIÑOS, ANS. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa emeducação. São Paulo: Atlas, 1987.VEIGA, VV e TEIXEIRA, LRF. A motivação para a prática desportiva em praticantes defutebol e futsal masculino com idade entre 10 e 15 anos. Sem local de publicação, sem data.WEINBERG, RS.; GOULD, D. Fundamentos da Psicologia do esporte e do exercício.Tradução: Maria Cristina Monteiro. 2ªed. Porto Alegre: Artmed, 2001.WILKIE, D; KELVIN, J. Iniciação a natação. Presença/Lisboa, 1984.
  • 16. 13 ANEXOS Anexo 01 - Instrumento Inventário de Motivação para a prática desportiva adaptado de Gaya e Cardoso (1998) QUESTIONÁRIOHORÁRIO: _____ AS ______ TURNO: ( )MATUTINO ( )VESPERTINO IDADE: _________ ANOS SEXO: ( )FEMININO ( )MASCULINO PORQUE VOCÊ PRATICA NATAÇÃO?01 PARA VENCER 1 2 302 PARA EXERCITAR-SE 1 2 303 PARA BRINCAR 1 2 304 PARA SER O (A) MELHOR NA NATAÇÃO 1 2 305 PARA MANTER A SAÚDE 1 2 306 PORQUE EU GOSTO 1 2 307 PARA ENCONTRAR OS AMIGOS (AS) 1 2 308 PARA COMPETIR 1 2 309 PARA SER UM ATLETA 1 2 310 PARA DESENVOLVER A MUSCULATURA 1 2 311 PARA TER BOM ASPECTO 1 2 312 PARA ME DIVERTIR 1 2 313 PARA FAZER NOVOS AMIGOS 1 2 314 PARA MANTER O CORPO EM FORMA 1 2 315 PARA DESENVOLVER HABILIDADES 1 2 316 PARA APRENDER A NADAR 1 2 317 PARA SER NADADOR (A) QUANDO CRESCER 1 2 318 PARA EMAGRECER 1 2 319 PARA NÃO FICAR EM CASA 1 2 3 1 – NADA IMPORTANTE 2 – POUCO IMPORTANTE 3 – MUITO IMPORTANTE
  • 17. 14 Anexo 02 – TCLE para os pais/responsáveis TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDODADOS DE IDENTIFICAÇÃOTítulo do Projeto: Análise perceptiva dos fatores motivacionais de escolares para a prática danatação.Pesquisador Responsável: Camila Alves dos SantosInstituição a que pertence o Pesquisador Responsável: Universidade Católica de BrasíliaTelefones para contato: 61 91204678Nome do voluntário: ____________________________________________________Idade: _____________ anosResponsável legal (se menor de 18 anos): ___________________________________R.G. Responsável legal: _________________________ O Sr. (ª) está sendo convidado(a) a participar do projeto de pesquisa “Análise perceptiva dosfatores motivacionais de escolares para a prática da natação”, de responsabilidade da pesquisadoraCamila Alves dos Santos. O estudo tem como objetivo analisar os fatores motivacionais para a prática da natação dascrianças e adolescentes em idade escolar que praticam esse esporte no Centro Olímpico Rei Pelé deSamambaia-DF. Será aplicado um questionário com 19 questões, intitulado “Inventário de Motivação para aprática esportiva”. A aplicação será antes do inicio da aula (aquecimento e alongamento) pelapesquisadora, pelos professores e estagiários que se disponibilizarem para ajudar. Durante a aplicação,os alunos poderão tirar quaisquer duvidas sobre o preenchimento do questionário. Essa ação visa a compreensão dos motivos que os alunos têm em relação a pratica da natação.A participação no estudo é de forma voluntária e este termo de consentimento poderá ser retirado aqualquer tempo, sem prejuízos à continuidade do estudo. Como o preenchimento será de forma anônima, esse estudo garante a confidencialidade dasinformações geradas e a privacidade do sujeito da pesquisa.Se MAIOR de 18 anos, preencher os dados abaixo:Eu, _______________________________________________________________________, RG nº_____________________ declaro ter sido informado e concordo em participar, como voluntário, doprojeto de pesquisa acima descrito.Se MENOR de 18 anos, pai ou responsável preencher abaixo:Eu, ____________________________________________________________________________,RG nº _______________________, responsável legal por_________________________________________________________________________________,RG nº _____________________ declaro ter sido informado e concordo com a sua participação, comovoluntário, no projeto de pesquisa acima descrito. Brasília, _____ de ____________ de 2011.______________________________________________ ______________________________Nome e assinatura do paciente ou seu responsável legal Camila Alves dos Santos
  • 18. 15Anexo 03 - Termo de Autorização Institucional