FIEMG - Uberlandia

3,023 views

Published on

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,023
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
82
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

FIEMG - Uberlandia

  1. 1. Seminário de Responsabilidade Social Empresarial Sustentabilidade, Governança e Inovação Conferência Magna Moysés Simantob FGV 11.08.10 Uberlândia - MG
  2. 2. www.moysessimantob.com.br
  3. 3. www.twitter.com/moyses_simantob
  4. 4. Um olhar ao nosso redor
  5. 5. aprender a ver como vemos
  6. 6. “É AGORA 3 ANOS PARA SALVAR O MUNDO” lançado em 2009 Alain Grandjean, Consultant economist (sustainable capitalism) Jean-Marc Jancovici, Consulting engineer, energy and climate
  7. 7. OS SINAIS • “Um dos nossos grandes defeitos é que não sabemos interpretar os sinais fracos, quer dizer os pequenos detalhes que não falam ainda aos nossos sentidos mas somente ao nosso cérebro. • Para quem não gosta de más notícias, a grande tentação é de confiar simplesmente nos sentidos e procurar não utilizar nossa inteligência. • Diante da tempestade, a sabedoria manda avançar menos agora para diminuir o perigo mais tarde: é o paradigma ao qual estamos confrontados na vida verdadeira. • Contudo, continuamos prostrados na miopia do curto prazo.” Texto traduzido por Jean Bartoli
  8. 8. O QUE É A ECONOMIA DOS HOMENS? “É a transformação dos recursos naturais, que apareceram debaixo dos nossos pés sem que façamos algo para isso.” A chave dessa transformação é a energia que é, por definição, a unidade física de transformação do mundo.
  9. 9. NOSSA SOBREVIVÊNCIA • O dinheiro não pode ser comido. • Nossa sobrevivência depende basicamente não de renda monetária mas sim de recursos naturais e, mais globalmente, de serviços ecológicos prestados pela Natureza. • O montante da nossa conta bancária reflete tão somente a convenção criada pelos homens para gerenciar as trocas dentro da nossa espécie. • Contrariamente à ilusão gerada pela adoração dos nossos ídolos, a natureza nem é infinita nem substituível em grande parte por produções artificiais.
  10. 10. APRENDENDO COM A ILHA DE PÁSCOA
  11. 11. NOSSOS AMIGOS DA ILHA DE PÁSCOA (fonte usada pelos autores: Jarel Diamond “Colapso”) • Nossos amigos da Ilha tinham vários recursos naturais, entre os quais árvores e vegetais, água e peixes e pedreiras. • Eles precisavam de madeira para construir barcos de pesca, instrumentos agrícolas e, também, belíssimas estátuas de pedra que só tinham funções cultuais. • Parece que o desaparecimento desta civilização seja em grande parte devida à falta de previdência no que diz respeito à gestão da madeira. • Mais exatamente, os diferentes clãs entraram numa competição exacerbada para construir as estátuas mais bonitas e, com isso, destruíram suas florestas. • O fim das florestas significou o fim dos barcos, das terras aproveitáveis e o fim dos peixes e das culturas: é a carestia que escreveu o último capítulo da história desse povo. ...qq semelhança c nossas organizações atuais não é mera coincidência, por isso colaboração para criar valor para todos...
  12. 12. A COMPRA DO COPO “Quando acreditamos comprar um copo, não compramos o copo. O que pagamos realmente, é a sucessão de rendas das pessoas que contribuíram para sua fabricação: o trabalho humano que corresponde à extração da areia, o salário de quem construiu o forno onde o copo foi aquecido, o salário de quem transportou o copo até a loja, de quem construiu a loja, de quem vende o copo etc. Em nenhum momento, pagamos o resultado de bilhões de anos de reações nucleares na geração de estrelas que precedeu o Sol e que desembocou na aparição dos constituintes da areia e dos metais necessários permitindo fazer um forno e um caminhão. Não pagamos o resultados de alguns bilhões de anos a mais para que os movimentos do oceano transformem as rochas em areia. Nem pagamos a vida planctônica de 60 milhões de anos atrás nem a geotermia que estão na origem do petróleo e do gás usados nos caminhões e nos fornos.”
  13. 13. NO MUNDO REAL... “Aumentando maciçamente a produtividade do trabalho que tinha ficado bastante estável durante milênios, criamos mais desemprego. A resposta ortodoxa para esse fenômeno consiste em buscar o aumento perpétuo do PIB. Assim aumentamos a pressão sobre o meio-ambiente tanto quanto possível. O dia em que não poderemos mais, o sistema implodirá numa crise gigantesca de recursos que arrastará tudo, inclusive o aumento do poder aquisitivo? De colocar o foco no dinheiro, pegamos os problemas econômicos ao avesso. Pegar o problema pelo lado certo é indagar quantos recursos físicos precisamos para tornar a existência suportável.”
  14. 14. BetttySue Flowers lembra que : “os cenários costumam alterar a consciência das pessoas…. …o segredo consiste em ver um futuro diferente, não como inevitável, mas como carregado de possibilidades genuínas…”
  15. 15. “Por que os senhores não previram a crise financeira global, indagou a rainha da Inglaterra aos economistas da LBS”...
  16. 16. Transforme o negócio da sua vida e a vida do seu negócio
  17. 17. inércia mesmice [a fraqueza dos modelos mentais ]
  18. 18. o livro é um antídoto (1) contra a inércia organizacional... ...que é um tipo de resistência à mudança provocada por normas e procedimentos internos
  19. 19. o livro é um antídoto (2) contra a mesmice organizacional... ... relaciona-se à tendência de reproduzir soluções usadas com sucesso no passado, mesmo que não sejam mais válidas para as condições atuais
  20. 20. Nós estamos cercados de suposições a respeito de porque certas coisas existem e de como funcionam. Acostumamos-nos a aceitar e a não questionar estas suposições. Na verdade, temos grande dificuldade de enxergar e reconhecê-las. Com muita freqüência, elas são invocadas como razões e justificativas para que as coisas sejam mantidas como estão, imutáveis.
  21. 21. rede colaboração criatividade inovação mídia
  22. 22. “100 coisas para se ver em 2010” JWT intelligence Todas estas macrotendências, e outras mais, que nos cercam e às nossas organizações, nos fazem pensar e, algumas delas, mais que outras, podem ter um maior impacto (positivo ou negativo) sobre nossas vidas, dentro e fora das organizações. O que é importante é que você se atente à elas e, se puder, crie um debate contínuo com suas equipes, para chegar, por consenso é sempre mais rico, sobre as mais importantes que poderão afetar os seus negócios. Fonte: http://www.moysessimantob.com.br
  23. 23. Mas, qual é a primeira atividade da nossa agenda pela manhã?
  24. 24. É preciso criar seu próprio radar de tendências
  25. 25. O RADAR AMBIENTAL DA EMPRESA Ao buscar o consenso sobre quais são as principais forças de impacto, empresas procuram agrupá-las agrupá- conforme as “famílias” de forças macroambientais
  26. 26. O ambiente da empresa O ambiente de mercado As Variáveis O ambiente global Macro Estrutura <Macro Macro Estrutura Estrutura dos Política Estrutura Econômica Mercados Estrutura Global Vendas dos Globais Social> da Demanda Mercado Concorrentes Concorrente Instalado s no Mercado Mercado Uso dos Padrões Demanda de Potencial Mercado de Recursos Globais do mercado <Conformidade Naturais Mercado <Conformidade dos Capitais da Distribuição> Atratividade Imagem Produtos e Serviços> do Mercado Conformid pública Valor Ec Perfil do C Vendas da ade social Valor Percebido Empresa onômico onsumidor <Produti Regulamen pelo Mercado Satisfação tações Inter Conformid vidade> nacionais Conform ade da Co de Clientes Custos da idade A municação Conformida Recursos mbiental Empresa de do Preço Produtivos Forneced Mudanças T <Modelo E Relacionamento Margens Recuperação de ores de ecnológicas <Macro Custo A com Clientes investimentos capital Estrutura stratégico> mbiental Econômica> Geração Conhecim de Idéias ento e Ha <Capital Novos p Investim Relacionam bilidades rodutos entos ento com Int Educação Intelectual> Flexibil idade ermediários Difusão da Força de Conformidad <Custo A Tecnológica Trabalho Compet Melhoria Planejamento e dos Produt mbiental> ências os e Serviços Contínua dos Processos <Recursos Cultura Org Conformidad Conformid <Macro Satisfação Produti e dos Proces Produtivos> Estrutura Eficiência ade da Di anizacional das Pessoas sos Críticos Social> operacional vidade stribuição Políticas d Geografia <Concorrentes e Incentivo do Mercado Relacioname <Modelo E no Mercado> nto com Forn Quali Perfil da stratégico> <Macro ecedores dade Estrutura Liderança Organização Política> <Satisfação <Relaciona Global da Ambiente Or mento com das Pessoas> Espaço G Produção <Organizaçã ganizacional Capital Clientes> eográfico Modelo Intelectual o Global da Estratégico Tecnologia e Produção> Estrutura Sistemas de Fornece Competitiva informação <Mercado dores <Macro Estrutura de Mercado Potencial> Econômica> Macro <Padrões Globais <Mudanças Estrutura <Macro Estrutura do Mercado> Tecnológicas> Social Econômica>
  27. 27. Mas NÃO é suficiente
  28. 28. saber depende da capacidade de... perceber, compreender estático refletir, questionar potencial agir, transformar cinético
  29. 29. gibbons: modos de produção de conhecimento… • Modo 1 • Modo 2 – contexto acadêmico – contexto da aplicação – barreiras disciplinares – multidisciplinaridade – homogeneidade de – heterogeneidade de percepções percepções – controle de qualidade e – qualidade e relevância relevância pelos pares definidos externamente – estrutura e organização – organizações ad-hoc e hierárquica e estática estruturas planas – responsabilidade interna – responsabilidade externa – liberdade (acadêmica) e – usuários e interesses definem “desafio do conhecimento” a agenda... http://www.intermedia.uio.no/konferanser/skikt-02/skikt-research-conferance.html
  30. 30. a criação de conhecimento passa por… 5Cs 1. conflitos criativos – fricção deliberada, espaço para novas idéias 2. colisões – interações F2F: cafés da XEROX e UPS 3. comunidades de prática – gente motivada, entusiasta e “bons” problemas 4. constelações – redes sociais informais, grupos de usuários... 5. combinações – 1-4 mais... IMPROVISAÇÃO e LIBERDADE de COMUNICAÇÃO.
  31. 31. E isso redefinirá a agenda intelectual e profissional de todos que se preocupam com o modus operandi e o modus vivendi também
  32. 32. Se for assim, (e será) o comportamento das pessoas pode (até) mudar.
  33. 33. no blog assista o vídeo: FUN THEORY
  34. 34. se podemos repensar rotinas vivenciais, por que não repensar processos empresariais?!
  35. 35. Então, as Organizações Inovadoras Sustentáveis
  36. 36. precisam ser criadas com uma nova proposta de valor, com base em novos paradigmas e adaptadas aos contextos atuais
  37. 37. Acontece que hoje ainda não é possível que um produto cumpra critérios de sustentabilidade em todo o seu ciclo de vida, ou seja, da extração da matéria prima ao seu descarte final, tendo em vista o estado atual de desenvolvimento tecnológico e econômico. Por isso, as empresas buscam identificar um elemento de sustentabilidade, que seja devidamente comprovado, para se recomendar o uso de uma determinada alternativa de produto. Como?
  38. 38. dando visibilidade para ao menos um critério ambiental do Ciclo de Vida do Produto menos impactante ao meio ambiente Extração de matéria-prima matéria- Produção Disposição Distribuição reciclagem Utilização http://www.mel.nist.gov/programs/slim.htm reuso
  39. 39. lembrando que é tempo de...
  40. 40. Colaboração
  41. 41. O crowdsourcing conta com os insights de voluntários de todo o planeta. Um livro fruto da inovação colaborativa.
  42. 42. Interessante saber... Sanford, Linda. 2006. Building an Innovation Company for the 21st Century. MIT-IBM Innovation
  43. 43. Empresa criou sua logomarca com pesquisas feitas por crowdsourcing
  44. 44. Twitter, Facebook e MySpace redes sociais usadas pelas empresas para ganharem mais fidelidade e transparência com clientes, para entender as reais necessidades do seu público e tornando idéias de seus clientes e colaboradores em insumos para o desenvolvimento de inovações.
  45. 45. O My Starbucks Ideas é um projeto interativo da Starbucks que pede a ajuda dos clientes para definir o futuro da empresa. A empresa obteve mais de Através do site, qualquer um pode sugerir idéias, votar nas 70 mil sugestões melhores e discutir com outros consumidores as melhores de como melhorar. propostas. As idéias são organizadas em categorias, ranqueadas através da votação popular e acumulam pontos. Os comentários de cada proposta também são abertos, e muitas contam com uma participação massiva do público. A Starbucks colocou uma equipe chamada “Idea Partners” para se dedicar a análise das idéias. São funcionários de diversas áreas da empresa, incluindo Brad Stevens, vice- presidente de marketing, que decidem, comentam e respondem individualmente cada proposta no blog do projeto. Fonte: brainstorm9
  46. 46. O website 3M Inovação foi desenhado com objetivo de apresentar cases, conceitos e materiais sobre criatividade, além da história da inovação no Brasil e no mundo. Dentro do espaço de downloads, os internautas terão à disposição uma lista de documentos, tais como os 10 mandamentos da inovação, a cultura de inovação da empresa e arquivos sobre inovação sustentável. Fonte: www.baguete.com.br
  47. 47. A IBM é uma empresa global com quase 400.000 funcionários em cerca de 200 países e pelo menos um terço trabalha remotamente. Como colocar esta massa de pessoas em contato, trocando idéias e compartilhando informações e experiências? A solução é social computing! Os funcionários da IBM, no mundo todo usam ferramentas de redes sociais intensamente, como uma rede social interna chamada Beehive, mas além disso é comum o uso de redes externas, como Orkut, Face book, Linkedin e Twitter . Atualmente existem mais de 10.000 blogs internos e cerca de 15.000 WikiCentral. JAM - brainstorming virtual Os funcionários participaram proativamente da definição dos valores da empresa que são: a) Dedication to every client’s success b) Innovation that matters, for our company and the world c) Trust and responsability in all relationships. Fonte: IBM
  48. 48. na
  49. 49. no blog assista o vídeo: "Manufacturing
  50. 50. a inovação aberta faz crescer a gestão em importância e complexidade Características - A empresa pode patentear inovações desenvolvidas por outras empresas ou laboratórios de pesquisas e - internalizar inovações mais rapidamente. O conceito de “ Open Innovation” se baseia na utilização de caminhos internos ou externos para avançar no desenvolvimento de inovações Fonte: Henry Chesbrough
  51. 51. o novo modelo tem vantagens: ele “cria furos” no funil da inovação Other firm´s market Our new Licence, spin market out, divest Internal technology base Internal/external Our current venture handling market External technology insourcing Henry Chesbrough, 2004 External technology base
  52. 52. assim, planejar a inovação é planejar o (seu) processo de aprendizagem (e de sua empresa)...
  53. 53. no blog assista o vídeo: “innovation as a learning process”
  54. 54. inovação não é ciência ou tecnologia Prof. Silvio Meira
  55. 55. • ...innovation is impossible if you think about it from a technology approach... {and} 4/5 of innovations originate from customers{!...} » Langdon Morris, co-autor de 4th Generation R&D: Managing Knowledge, Technology and Innovation
  56. 56. inovação é sociedade & economiaProf. Silvio Meira
  57. 57. GERAÇÃO Y
  58. 58. http://br.hsmglobal.com/notas/55477-geracao-y-73-em-2025
  59. 59. “Geração Z”
  60. 60. 50% dos computadores comprados para crianças em 2015 terão touchscreen. E elas poderão ser encontradas facilmente nas Redes Sociais. Gartner
  61. 61. E vem + novas experiências: Realidade Aumentada A realidade aumentada proporciona uma nova forma de visualizar imagens. Fonte: http://menke.tumblr.com/
  62. 62. qual o desafio para a organização? I NO VA ÇÃO
  63. 63. “CONSEGUIRÃO AS INSTITUIÇÕES VIVAS A APRENDER UM CAMPO MAIS VASTO, CAPAZ DE ORIENTÁ-LAS RUMO AO QUE É SAUDÁVEL PARA O TODO? QUE COMPREENSÕES E CAPACIDADES ISSO EXIGIRÁ DAS PESSOAS, INDIVIDUAL E COLETIVAMENTE? ” ARIE DE GEUS –THE LIVING COMPANY SENGE, SCHARMER, JAWORSKI E FLOWERS - PRESENÇA
  64. 64. Os próprios autores respondem: “…podemos vê-las como consequência de uma forma de vida que, como qualquer outra, tem potencial para crescer, aprender e evoluir.” Arie de Geus –The Living Company Senge, Scharmer, Jaworski e Flowers - Presença quando este potencial habilitador será ativado?
  65. 65. As 25 empresas + Inovadoras do Brasil já começaram… começaram…
  66. 66. http://www.bestinnovator.at/c/br/l/pt/welcome.php http://www.bestinnovator.at/c/br/l/pt/welcome.php
  67. 67. ORGANIZAÇÃO 21st + INOVADORAS E SUSTENTÁVEIS OIS
  68. 68. Veja o que a pesquisadora R. Moss Kanter ensina: 5Fs
  69. 69. Focused
  70. 70. Um caso modelo: Nossa promessa é eliminar qualquer impacto negativo de nossa empresa no meio ambiente até 2010 Eliminar toda a forma de desperdício Eliminar substâncias tóxicas Usar energias renováveis Redesenhar processos e produtos para fechar o “ciclo vida” Transportar pessoas e produtos de maneira eficiente para reduzir o desperdício e emissões Sensibilizar os Stakeholders (partes interessadas) Criar um novo modelo de negócios
  71. 71. Produtos Verdes São produtos que cumprem com sua responsabilidade pela preservação do meio ambiente, por meio de critérios: Para a Philips, os produtos aprovados em pelo menos duas Green Focal Areas e que mostram um desempenho satisfatório quanto à duração de seu ciclo de vida são considerados Green Products.
  72. 72. MAIS DE 7 MIL JOVENS, A MAIORIA DE BAIXA RENDA, ESTÃO NESTE MOMENTO NA FRENTE DA TELA DE UM COMPUTADOR EM MINAS. EM VEZ DE GASTAR TEMPO EM JOGOS OU EM SITES DE RELACIONAMENTO, GANHAM DINHEIRO COM A INTERNET, PLUGADOS NO TECNOLOGIA,EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO APLICADOS (TEIA). CALCULA-SE QUE O TEIA JÁ TENHA GERADO R$ 2 BILHÕES EM NEGÓCIOS. VÃO DESDE SITES QUE INCENTIVAM PEQUENOS PRODUTORES A VENDER OS TRADICIONAIS QUEIJOS DE MINAS POR SEDEX ATRAVÉS DO SITE. ALAN FERREIRA, DE SALINAS, ARRANJOU UM MODO DE OFERECER PARA FORA DO MUNICÍPIO OS MÓVEIS EM MADEIRA DE DEMOLIÇÃO, POR MEIO DO VENDE MÓVEIS. JÁ SOLANGE MOREIRA, DE BH, CRIOU PARA A MÃE, CLÉLIA MOREIRA, DE 66, UMA PÁGINA NA INTERNET PARA REVENDER COSMÉTICOS DA NATURA. “ O TEIA É A MENINA DOS OLHOS DE ALBERTO DUQUE PORTUGAL, SECRETÁRIO DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR (SECTES). ELE CONTA QUE, EM 2007, RECEBEU A ENCOMENDA DE MASSIFICAR O USO DA INTERNET EM MINAS, AGREGANDO VALOR AO PRODUTO CRIADO. COMO JÁ TINHA CONHECIMENTO DO MODELO DO INSTITUTO PEABYRUS, QUE INTERLIGA CIENTISTAS E PESQUISADORES DE TODO O PAÍS, DECIDIU CAPACITAR CONTINUAMENTE UMA EQUIPE DE OPERADORES DA INFRAESTRUTURA WEB 2.0. “NOVOS RAFAÉIS, JOÕES E SOLANGES VÃO SENDO CRIADOS NO TEIA, QUE JÁ É PRATICAMENTE AUTOSSUSTENTÁVEL. À MEDIDA QUE SE ABRE UMA JANELA, AS PESSOAS MOSTRAM SUA CARA PARA O MUNDO”.
  73. 73. Oportunidade de Negócio na Base da Pirâmide Prahalad e Hart argumentam que para fazer negócios com 4 bilhões de pessoas pobres do mundo, que representam 2/3 da população mundial, com receita abaixo de US$ 1500/ano, serão necessárias inovações radicais em tecnologia e no modelo de negócios das empresas.
  74. 74. Goóc, usa pneus usados para fabricar calçados e bolsas: Goóc, cria produtos a partir de material reciclável em especial as sandálias de pneus. No Brasil são consumidos mais de 30 milhões de pneus por ano e, em média, cada brasileiro consome um pneu a cada cinco anos, o que gera um grande acúmulo desse material inutilizado no ambiente. A Goóc quer garantir que o Brasil seja referência na produção de calçados de pneu reciclado, pretende reciclar 40 milhões de pneus até a Copa de 2014, no Brasil. Eles devem ser suficientes para a produção de 210 milhões de pares de sandálias. Fonte: IG
  75. 75. Reciclagem de coco descartado nas praias: A empresa Biococo foi implantada na Incubalix, primeira incubadora de econegócios do país, sediada no aterro Marca Ambiental. Atualmente processa 60 toneladas, por mês, descartadas no aterro sanitário pela prefeitura do Espírito Santo. O reaproveitamento começa com o processo de desfiagem e secagem. Depois, as fibras são trançadas e recebem látex, transformando-se em biomanta, que pode ser utilizada principalmente na recuperação de áreas degradadas. Fonte: Faça Diferente
  76. 76. Jeans Ecológico: O jeans Kuyichi é feito na Holanda, com algodão natural plantado e produzido com técnicas artesanais por índios do Peru, sem a adição de agrotóxicos nem de fibras sintéticas. O tingimento é feito com coloração natural e as lavagens das calças não usam produtos químicos, o que possibilita que a água seja reutilizada. O design é outra inovação, antenado sempre com as últimas tendências da moda para sair do estereótipo de ecologicamente correto, mas esteticamente feio. Fonte: Terra
  77. 77. O projeto foi criado por Annie Leonard para aumentar o impacto do filme e ampliar o discurso público sobre uma série de normas ambientais, econômicas e as preocupações sociais, com intuito de envolver a comunidade na construção de uma sociedade mais sustentável e justa. The Story of Stuff Project é constituído por mais de 150.000 pessoas, incluindo ativistas , associamos e organizações de justiça social e ambiental. Patrocinado pelo Tides Center, o sustento do projeto vem das doações de fundações públicas e privadas, contribuições dos telespectadores e venda de livros e DVDs.
  78. 78. Annie Leonard é especialista em saúde ambiental e sustentabilidade, passou os últimos 20 anos investigando fábricas e lixões do mundo todo. Coordenadora da Fundação para a Produção e Consumo sustentável, que tem como objetivo possibilitar um mundo sustentável e mais justo. Annie Leonard é o autora e apresentadora do The Story of Stuff, resultado de quase duas décadas pesquisa sobre saúde ambiental.
  79. 79. Fast
  80. 80. SAC por SMS Serviço gratuito tem como objetivo esclarecer dúvidas, sugestões e críticas para o consumidor em qualquer momento. Fonte: http://www.proxxima.com.br
  81. 81. Vender o peixe antes de sair do mar
  82. 82. O médico do futuro www.simulconsult.com
  83. 83. Sample Lab •Loja de amostras onde o cliente testa os produtos expostos. •Clientes pagam mensalidades para ter acesso aos produtos. •Fabricantes pagam para expor seus produtos e para receber o feedback dos consumidores. •A Sample Lab chega a atrair 700 visitantes por dia.
  84. 84. Flexible
  85. 85. Liberdade!
  86. 86. Google
  87. 87. Facebook
  88. 88. Cartoon network Google Disney Cartoon network
  89. 89. Friendly
  90. 90. Qual seria a principal reclamação dos funcionários de uma empresa? Salários baixos? Jornada de trabalho exaustiva? .... Muitas pesquisas feitas sobre o assunto apontam essas razões, mas... Levantamento realizado pela consultoria Mind Performance com 1.250 empregados de treze companhias brasileiras.
  91. 91. ...NOVIDADE?! A principal reclamação dos empregados são... os outros funcionários (ops!) Levantamento realizado pela consultoria Mind Performance com 1.250 empregados de treze companhias brasileiras.
  92. 92. CONVIVÊNCIA + SOLIDÁRIA
  93. 93. COMO
  94. 94. Fun
  95. 95. “CULTURA AONDE O ESPAÇO IMPORTA.” IDEO
  96. 96. RESUMINDO ATÉ AQUI...
  97. 97. Tudo pra quê?
  98. 98. Não podemos ficar tão... ...distantes Folha de S. Paulo 24 de abril de 2009
  99. 99. Não se trata de inovar por inovar... Uma organização inovadora sustentável é a que contribui para alcançar um desenvolvimento socialmente includente, tecnologicamente prudente e economicamente eficiente Autor: Maurice Strong - Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro em 1992.
  100. 100. Muitas vezes mercados não são amigos dos marginalizados, outras...
  101. 101. Qual é impacto o Mobile Commerce irá trazer ao comércio eletrônico?
  102. 102. Acesso Econômico Possível! Possível! • M-Payment pode alcançar clientes que não têm acesso às contas bancárias e aos cartões de crédito; – o rendimento de famílias quenianas que utilizam o M-Payment aumentou de 5-30%.
  103. 103. O crescimento mundial da Indústria de Pagamentos Móveis vai tornar os serviços cada vez mais acessíveis Segundo Gartner, o número de usuários mundiais deve crescer mais de 70% de 2008 para 2009. Para 2012 a previsão é superar os 190 milhões de usuários de pagamentos móveis. Como? Pequenos varejistas certificados atuarão como agências bancárias; Depósitos via lojas; Tranferência de dinheiro via lojas; Enviar dinheiro por SMS para quem não é registrado no sistema; Pagamento de contas, taxis… The Economist, The power of mobile money, 2009
  104. 104. App Store Apple “uma fábrica de nanopagamentos” nanopagamentos” O sucesso da App Store, da Apple, provou que as pessoas estão dispostas a Fonte: http://latam.apple.com/pr/articulo/?id=1624&r=br pagar pequenas quantias por bens digitais ou serviços na Web. Em 26 de julho de 2010, até ontem, a Apple® anunciou que seus consumidores fizeram mais de 5 bilhões de downloads de aplicativos, por preços entre U$ 0,99 e 4,99. A previsão é que em 2015 serão 25 bi apps baixados. Juniper Research,2010
  105. 105. e neste tipo DE negócio
  106. 106. qq microempresário pode ter blog na plataforma livre
  107. 107. OPEN SOURCE BLOG
  108. 108. Inspiração para Oportunidades de negócios Algumas instituições financeiras brasileiras têm se inspirado no Banqueiro dos Pobres, Muhammad Pobres, Yunus, Yunus, para implantação do microcrédito
  109. 109. É da convergência gradual de muitos processos de longo prazo.
  110. 110. Qual o desafio de líderes empresariais?
  111. 111. O que os líderes empresariais já fazem e devem continuar a fazer? O que os líderes empresariais ainda não estão enxergando e precisam perceber? O que os líderes empresariais devem parar de fazer ?
  112. 112. O nosso desafio? Reconectar à condição humana. Aprender a enfrentar a incerteza. Refletir sobre se tornar cidadão. pela reflexão e pela prática discursiva como temos feito e continuaremos a fazer…
  113. 113. Moysés Simantob moyses.simantob@simantob.com.br http://twitter.com/moyses_simantob http://www.moysessimantob.com.br Tel: (11) 3297-0550 (11) 3256-5977

×