BRASILTEC 2005
CLASSIFICAÇÃO - EVENTO TÉCNICO
COMERCIAL APROXIMANDO QUEM
PRODUZ, FINANCIA E UTILIZA
TECNOLOGIA

TECNOLOGIA...
Medidas com eixo central na inovação vêm sendo tomadas,
    sobretudo pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, promovendo
...
INTERNACIONALIZAÇÃO
   No    plano     estratégico,  aprofundaremos   os     contatos
   internacionais, com especial dest...
CONFERÊNCIA   INTERNACIONAL                 E   MOSTRA        DE
 TECNOLOGIA SOCIAL
Integração, Convergência e Resultados ...
SETORES
Inovaçâo e Tecnologia em Produtos, Processos e
Projetos em:
      Automação
      Biotecnologia
      Educação
   ...
Engenheiros             Tecnólogos
     Especificadores         Veículos de comunicação
     Fundações
     Incubadoras

E...
EIT 2005
                  ENCONTRO INTERNACIONAL DE
                           TECNOLOGIA
                 JORNADAS E ROD...
PRINCIPAIS ABORDAGENS E TEMAS
  Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (Fármacos,
Semicondutores, Softwar...
À Confirmar:
        Participação de países da América Latina

   FORMATO DAS RODADAS DE NEGÓCIOS
 1ºFormato
 Compradores ...
COMISSÃO TÉCNICA

   ABIPTI-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS
INSTITUIÇÕES DE PESQUISA TECNOLOGICA
                   E           ...
APRESENTAÇÃO



 TECNOLOGIA: UM PRODUTO PARA A SOCIEDADE, é o mote

 central    da   realização   do   BRASILTEC´2005     ...
Simultaneamente ao BRASILTEC estarão ocorrendo os seguintes
  eventos:
       ICT MEETING BUSINESS – promovido em parceria...
Apresentar os investimentos que têm sido feitos na expansão
   das estruturas produtivas de áreas estratégicas da nova pol...
Empreendedores
    Instituições financeiras
    Fundações de apoio à pesquisa
    Entidades
    Prestadores de serviços


...
Catálogo do expositor - Inserção dos dados dos expositores
    O retorno médio de mídia espontânea é de,
 aproximadamente,...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Brasiltec out/2005

416

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
416
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Brasiltec out/2005

  1. 1. BRASILTEC 2005 CLASSIFICAÇÃO - EVENTO TÉCNICO COMERCIAL APROXIMANDO QUEM PRODUZ, FINANCIA E UTILIZA TECNOLOGIA TECNOLOGIA: UM PRODUTO PARA A SOCIEDADE 05 – 08 outubro 2005 Anhembi - São Paulo – SP IMPORTÂNCIA DO EVENTO Nesta nova era, a busca incessante por resultados em processos e produtos mais competitivos é o paradigma para qualquer setor que deseje estar à frente da acirrada competitividade inerente aos mercados interno e externo. A implementação de inovações tecnológicas e a pesquisa contínua em todos os setores que abrangem a economia moderna são pontos fundamentais para a adoção de estratégias arrojadas, visando a ampliação e manutenção de novos mercados. Conforme estudos realizados por entidades como a ANPEI e o IBGE, as empresas que não investirem em tecnologia ficarão defasadas, ocasionando graves problemas de estruturação das cadeias produtivas. Construir indicadores, publicar pesquisas e histórias de sucesso de empresas na aplicação de tecnologia é a razão desta publicação, que, anualmente, vem se tornando um compêndio dos mais variados setores/segmentos nas áreas prioritárias da economia e dos benefícios diretos para a sociedade. POTENCIAL DO BRASIL No Brasil, os investimentos privados em P&D somam 39,1%. Em países como Coréia, Japão, Estados Unidos e Rússia somam, em média, 70%. De 1994 a 2002, os pedidos de patentes no Brasil dobraram de 13.362 para 23.877, assim como houve um aumento significativo de publicações de artigos no Exterior.
  2. 2. Medidas com eixo central na inovação vêm sendo tomadas, sobretudo pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, promovendo um ambiente favorável ao desenvolvimento econômico e ampliando os investimentos nas mais diversas áreas, principalmente com a aprovação da Lei da Inovação. A indústria cresceu em 2004 6,2%, tendo o melhor desempenho dos últimos 10 anos. A economia brasileira registrou, segundo o IBGE, um crescimento de 5,2% ao ano (PIB). No sentido de ampliar a participação do País no cenário internacional, o BRASILTEC, neste ano de 2005, demonstrará o potencial do País, alinhando-se diretamente com as diretrizes da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. OBJETIVOS Brasiltec – Mais que um Serviço Público Ser um importante instrumento para desenvolver a capacidade de P&D nas empresas e em instituições públicas e privadas para gerar patentes e transferir as inovações para produtos e serviços. Popularizar o conhecimento científico e tecnológico, ampliando a visibilidade e o conhecimento de projetos, programas e linhas de crédito para C,T&I (Ciência, Tecnologia e Inovação). Estimular a interação entre a inovação e o empreendedorismo, objetivando a geração de mais empresas, mais empregos. Apresentar as oportunidades de investimento em ciência e tecnologia. Incentivar o intercâmbio científico em P&D e aumentar o debate entre empresas privadas, governo e instituições de pesquisa sobre a inovação. Apresentar a tecnologia social para o desenvolvimento sustentável do País. Apresentar os investimentos que têm sido feitos na expansão das estruturas produtivas de áreas estratégicas da nova política industrial brasileira. Incentivar o comércio bilateral de tecnologia. Demonstrar programas oficiais e privados de estímulo à pauta de exportações dos setores primário, manufaturados e de produtos de valor agregado.
  3. 3. INTERNACIONALIZAÇÃO No plano estratégico, aprofundaremos os contatos internacionais, com especial destaque para a possibilidade de implementação de projetos bilaterais de pesquisa e formação de parcerias comerciais e tecnológicas. Estará presente no evento um número ainda maior de comitivas e delegações oficiais, objetivando ampliar as oportunidades de investimentos, sobretudo nas áreas de infra- estrutura e modernização industrial. Hoje, o Brasil possui um universo de mais de 4 milhões de empresas que desejam importar e exportar PRINCIPAIS ABORDAGENS E TEMAS Política Industrial Brasileira (Fármacos, Semicondutores, Software e Química Fina) Mostra das Redes Estaduais de C,T&I. Exportação - A Tecnologia como grande valor Agregado - para a geração de divisas e como principal agente na ampliação de postos de trabalho. Tecnologias Sociais - Desenvolvendo uma Nova Nação. Fortalecimento das Ações de Capacitação Tecnológica. A Inovação e o Estatuto da Pequena Empresa. Regulamentação e Quebra de Paradigmas da Lei da Inovação: Subvenção Econômica às Empresas e Compra de Projetos Fomento, Investimentos e Regime Fiscal Favorável à Tecnologia e Inovação Marcas e Patentes - Propriedade Industrial e Intelectual Incubadoras e Parques Tecnológicos Tecnologia Industrial Básica (Avaliação da Conformidade, Normas e Regulamentos, Ensaios e Softwares) Cadeias Sinérgicas Tecnológicas de Inovação - Do Mercado à Industrialização - Cases de Sucesso Infra-estrutura: Os Caminhos para Modernização do País
  4. 4. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL E MOSTRA DE TECNOLOGIA SOCIAL Integração, Convergência e Resultados Práticos para a Sociedade Ampliar os resultados da I Conferência Internacional e Mostra de Tecnologia Social representa buscar estímulos contínuos para a promoção e difusão de tecnologias sociais sob o enfoque de sua aplicação em escala nas novas políticas públicas de desenvolvimento econômico e inclusão social. Com resultados positivos para a Rede de Tecnologias Sociais RTS, que integrará todos os agentes nacionais envolvidos com TS, órgãos federais, estaduais e municipais, ONGs e fundações, iniciativa privada, estatais o universidades entre outros, o evento consolidou o novo entendimento sobre o tema. Uma realização conjunta da Secretaria de Comunicação do Governo Federal, da Fundação Banco do Brasil, Ministério da Ciência e Tecnologia, FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos, PETROBRAS, SEBRAE e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. REDE ESTADUAIS: INSTITUTOS DE PESQUISAS, INCUBADORAS E EMPRESAS INCUBADAS E UNIVERSIDADES - PROGRAMAS E PROJETOS Sucesso absoluto de público e imprensa. Para 2005, ampliaremos o enfoque nos importantes projetos realizados por incubadoras e empresas incubadas, parques tecnológicos, universidades e institutos de pesquisa nacionais e internacionais. No BRASILTEC, as três edições receberam o apoio decisivo para a exposição de diversos projetos do SEBRAE e da Aliança Estratégica, da qual fazem parte a ANPEI, a ABIPTI e a ANPROTEC. Apresentam programas e projetos privados e governamentais, contribuindo para ampliar a interface entre estados e sub-regiões, ampliando a articulação de redes de conhecimento.
  5. 5. SETORES Inovaçâo e Tecnologia em Produtos, Processos e Projetos em: Automação Biotecnologia Educação Energia Espaço Fármacos Fomento Máquinas e equipamentos Meio Ambiente Metrologia Nanotecnologia Química Fina Semicondutores Tecnologias da Comunicação Tecnologias Sociais Sistemas e processos voltados para soluções corporativas PERFIL DAS EMPRESAS PARTICIPANTES PÚBLICO-ALVO Acadêmicos Instituições financeiras Câmara de comércio Institutos Centros de pesquisas Investidores Cientistas Órgãos financiadores Embaixadas Órgãos Governamentais Empreendedores Pesquisadores Empresas privadas e Prestadoras de serviços governamentais Projetistas Entidades Universidades
  6. 6. Engenheiros Tecnólogos Especificadores Veículos de comunicação Fundações Incubadoras EVENTOS 2004 I CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA SOCIAL INTERNATIONAL BUSINESS DAY I FÓRUM DO ALIMENTO INTELIGENTE CONGRESSO AURESIDE HOTEL INTELIGENTE 13º SALÃO DE NOVOS NEGÓCIOS I FEIRA DO EMPREENDEDOR DE SÃO PAULO – SEBRAE-SP BALANÇO 2004 BRASIL INTEGRA-SE AO CENÁRIO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA Nº de participantes: 720 Data de realização: 17 a 20 de novembro de 2004 Pavilhão: Anhembi Área Total: 42.000m²
  7. 7. EIT 2005 ENCONTRO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA JORNADAS E RODADAS DE NEGÓCIOS Introdução: Principal iniciativa a ser realizada durante o BRASILTEC, o Encontro Internacional de Tecnologia, com destaque às Jornadas e às Rodadas de Negócios, contará com um público altamente focado nos setores de interesse dos países participantes ou dos blocos econômicos. Este evento terá a participação de inúmeras personalidades do meio acadêmico, empresários, cientistas, pesquisadores e representantes dos governos, no que tange às políticas de tecnologia e inovação do Brasil e de países convidados e em processo de confirmação. Como objetivo mercadológico esses encontros serão importantes elos no sentido de estabelecer perspectivas de parcerias / joint-ventures e intercâmbio científico. 5, 6 e 7 de outubro de 2005 Anhembi – São Paulo CONTEXTO DO ENCONTRO / PROGRAMA PRELIMINAR A transferência de tecnologia na cadeia da inovação Políticas de Parcerias Públicas e Privadas na Área de Tecnologia A identificação e avaliação de projetos Ferramentas e métodos de seleção de projetos A transferência de tecnologia Identificação das necessidades das empresas Estudos de viabilidade econômica Financiamentos da Inovação e da Pesquisa público privado
  8. 8. PRINCIPAIS ABORDAGENS E TEMAS Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (Fármacos, Semicondutores, Softwares e Química fina) Exportação - A Tecnologia como grande valor agregado para a geração de divisas e como principal agente na ampliação de postos de trabalho Tecnologias Sociais - Desenvolvendo uma Nova Nação A Inovação e o Estatuto da Pequena Empresa Regulamentação e Quebra de Paradigmas da Lei da Inovação: Subvenção Econômica às Empresas e Compra de Projetos Fomento, Investimentos e Regime Fiscal Favorável à Tecnologia e Inovação Incubadoras e Parques Tecnológicos Tecnologia Industrial Básica (Avaliação da Conformidade, Normas e Regulamentos, Ensaios e Softwares) Cadeias Sinérgicas Tecnológicas de Inovação - Do Mercado à Industrialização - Cases de Sucesso Infra-estrutura: Os Caminhos para Modernização do País. Estrutura em andamento / Rodadas de Negócios: Câmara Ítalo Brasileira de Comércio e Indústria – promoverá o ICT MEETING BUSINESS – encontro de empresas de T.I.e interessados, além de trazer grupos das regiões de Turim e do Veneto, que apresentarão os seguintes temas: videoconferência internacional em IP, radiofreqüência, telemedicina e clusters de nanotecnologia. A MYCCI, com o apoio do Programa AL-INVEST, abordará os temas: - LEGAL FRAME FOR TECHNOLOGY COMMERCE, TRANSFER AND COOPERATION: EXPERT - TECHNOLOGY COMMERCE: BUSINESS CASE - LEADING BUSINESSMAN e COUNTRY TRADE - BILATERAL COMMERCE REPRESENTATIVES POLÔNIA: Fechada uma delegação de 50 empresas RÚSSIA: Trará uma comitiva de 50 empresários e palestrantes COMUNIDADE EUROPÉIA - Delegação Brasil, que trará 20 cases de sucesso em cooperação bilateral, com destaque para a França. A FIESP estará coordenando, através do Eurocentro, juntamente com o IEL, a vinda das delegações da Europa, através do Al-Invest e da MYCCI.
  9. 9. À Confirmar: Participação de países da América Latina FORMATO DAS RODADAS DE NEGÓCIOS 1ºFormato Compradores convidados: Grandes empresas Investidores Fundos de investimentos e setoriais Vendedores: Incubadoras (e não incubadas), Universidades com seus programas, Representantes dos APLs 2º Formato As linhas de crédito e financiamentos são apresentadas pelos principais órgãos de fomento, para o que já temos confirmada as participações: FINEP, BNDES e SEBRAE. Foram também convidados: ABDI, CNI, MDIC e o Fórum dos Presidentes de Fundações de Amparo à Pesquisa para o que aguardamos confirmações. Serão explanações de 1 hora seguidas de rodadas personalizadas para tirar dúvidas e facilitar o entendimento das diferentes linhas de crédito. Convidados ouvintes: Incubadoras Universidades Associados das principais entidades apoiadoras Participantes do evento DESTAQUE - Ainda em negociação: Está sendo negociado junto à FINEP a realização do Venture Capital reunindo: Principais investidores de capital de risco, Bancos de investimentos, Fundos de pensão e Angels.
  10. 10. COMISSÃO TÉCNICA ABIPTI-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE PESQUISA TECNOLOGICA E PRESIDENTE DA ABIPTI APTA-AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA LUIS FERNANDO E DOS AGRONEGÓCIOS CERIBELLI MADI COORDENADOR DA APTA LYNALDO ABIPTI-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS CAVALCANTI DE INSTITUIÇÕES DE PESQUISA TECNOLOGICA ALBUQUERQUE SECRETÁRIO EXECUTIVO ANPEI-ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE P,D&E RONALD MARTINS DAS EMPRESAS INOVADORAS DAUSCHA PRESIDENTE ANPEI-ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE P,D&E OLIVIO MANOEL DE DAS EMPRESAS INOVADORAS SOUZA AVILA DIRETOR EXECUTIVO ANPROTEC-ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ENTIDADES PROMOTORAS DE SHEILA OLIVEIRA EMPREENDIMENTOS INOVADORES PIRES SUPERINTENDENTE EXECUTIVA AURESIDE - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE JOSE ROBERTO AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL MURATORI PRESIDENTE CIETEC-CENTRO INCUBADOR DE EMPRESAS SERGIO WIGBERTO TECNOLÓGICAS RISOLA GERENTE ALEXANDRE FÓRUM NACIONAL DAS FAPs- FUNDAÇÕES TOCCHETTO DE AMPARO À PESQUISA PAUPERIO VICE PRESIDENTE FÓRUM DE INOVAÇÃO DA FGV-FUNDAÇÃO PROF. MOYSES GETÚLIO VARGAS SIMANTOB COORDENADOR EXECUTIVO FORUM NACIONAL DAS FAPs-FUNDAÇÕES DE JORGE BOUNASSAR PRESIDENTE AMPARO À PESQUISA FILHO IPT-INSTITUTO DE PESQUISAS GUILHERME ARY TECNOLOGICAS PLONSKI DIRETOR SUPERINTENDENTE ITA-INSTITUTO TECNOLÓGICO DE MICHAL AERONÁUTICA GARTENKRAUT REITOR MBC-MOVIMENTO BRASIL COMPETITIVO CLAUDIO L.GASTAL DIRETOR REDETEC-REDE DE TECNOLOGIA DO RIO DE PAULA RIBEIRO JANEIRO BASTOS GONZAGA GERENTE GERAL GERENTE DA UNIDADE DE SEBRAE-SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS INOVAÇÃO E ACESSO Á MICROS E PEQUENAS EMPRESAS PAULO ALVIM TECNOLOGIA OZIRES SILVA ABIMAQ/IPDMAQ-INSTITUTO DE PESQUISA E JOÃO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DA B.BURIN PRESIDENTE INDUSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
  11. 11. APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA: UM PRODUTO PARA A SOCIEDADE, é o mote central da realização do BRASILTEC´2005 - Salão Internacional de Tecnologia, em sua 4.ª edição consecutiva, ou seja será mais uma demonstração prática daquilo que vem sendo feito em P,D&I. A mudança de data e de horário neste ano de realização é outro fator relevante para obtenção de sucesso ainda maior. Desta forma, o Salão será realizado de 5 a 8 de outubro de 2005, no Centro de Exposições do Anhembi, em São Paulo, das 10h às 19h, semana esta que corresponde a Semana da Ciência e Tecnologia. O Salão contará com uma área total de exposição entre 30.000 e 38.000m². São esperados expositores do mais alto nível, tais como: empresas privadas que investem em P,D&I, universidades, faculdades, centro e institutos de pesquisa tecnológica, incubadoras de empresas, empreendedores, instituições financeiras, fundações de apoio à pesquisa, governos estaduais e seus respectivos órgãos e secretarias, entidades e prestadores de serviços, com o objetivo de realizar mais um grande encontro de tecnologia em seus vários setores.
  12. 12. Simultaneamente ao BRASILTEC estarão ocorrendo os seguintes eventos: ICT MEETING BUSINESS – promovido em parceria com Câmara Ítalo Brasileira de Comércio e Indústria CONGRESSO HABITAR – promovido em parceria com a AURESIDE – Associação Brasileira de Automação Residencial ENCONTRO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA – cuja Comissão Técnica Organizadora formada para este fim está relacionada ao final desta apresentaçã O SETOR E O EVENTO O setor de tecnologia encontra-se em franco desenvolvimento no Brasil, com várias políticas governamentais sendo definidas em prol desta expansão, dentre elas: a Lei de Inovação e a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. A lei de Inovação traz medidas de incentivo à pesquisa científica e tecnológica e à inovação, e a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior agrega um conjunto de ações do Governo, objetivando o aumento da eficiência da estrutura produtiva, aumento da capacidade de inovação das empresas brasileiras e expansão das exportações. OBJETIVOS DO EVENTO É importante salientar que estes instrumentos estão alinhados aos objetivos do evento: Popularização do conhecimento científico e tecnológico, ampliando a visibilidade de projetos, programas e linhas de crédito para C,T&I. Estimular a interação entre a inovação e o empreendedorismo, objetivando a geração de mais empresas e mais empregos. Identificar oportunidades em C&T para compra e venda nacional e internacional. Incentivar o intercâmbio científico em P&D, aumentando o debate de empresas e centros de pesquisa sobre inovação. Apresentar a tecnologia social como base para a produção de determinados tipos de conhecimentos voltados principalmente para a solução de demandas sociais não atendidas, visando a melhoria da qualidade de vida e mostrando os resultados práticos para a sociedade.
  13. 13. Apresentar os investimentos que têm sido feitos na expansão das estruturas produtivas de áreas estratégicas da nova política industrial brasileira. Demonstrar programas oficiais e privados de estimulo à pauta de exportações dos setores primário, manufaturados e produtos de valor agregado. Proporcionar às empresas visibilidade de seus produtos, equipamentos e processos para a produção em larga escala, promovendo divulgação e negócios. APOIOS INSTITUCIONAIS O BRASILTEC conta desde a sua primeira edição com o apoio das entidades a seguir relacionadas, que, juntas, agregam cerca de 5.100 empresas, 33 parques tecnológicos, 400 instituições e mais de 300 incubadoras de empresas: ABIPTI-Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica ANPEI-Associação Nacional de P,D&E das Empresas Inovadoras ANPROTEC-Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores A internacionalização do evento No plano estratégico, contatos internacionais serão viabilizados, com especial destaque para a possibilidade de implementação de projetos bilaterais de pesquisa e formação de parcerias comerciais. Comitivas e delegações oficiais estarão presentes objetivando ampliar as oportunidades de investimentos, sobretudo nas áreas de infra-estrutura e modernização industrial. EXPOSITORES Ministérios, empresas e entidades governamentais federais, estaduais e municipais Empresas nacionais e internacionais que investem em P&D Universidades, faculdades, centros e institutos de pesquisas tecnológicas Incubadoras de empresas
  14. 14. Empreendedores Instituições financeiras Fundações de apoio à pesquisa Entidades Prestadores de serviços PÚBLICO-ALVO Para que, durante os 4 dias de realização do BRASILTEC 2005, as tecnologias e processos produzidos em nossas empresas, universidades, instituições de pesquisa e fomento resultem em excelente oportunidade de levar conhecimento não só à comunidade científica e tecnológica como também à sociedade, com amplos vértices para multiplicação de ações e geração de negócios, foi definido o seguinte público-alvo: Acadêmicos Institutos Centros de pesquisas Investidores Cientistas Órgãos financiadores Empresas governamentais Órgãos governamentais Empresas privadas Pesquisadores Engenheiros Prestadores de serviços Entidades Tecnólogos Fundações Universidades Incubadoras Veículos de comunicação Instituições financeiras DIVULGAÇÃO Elemento-chave para o sucesso do evento, a divulgação será implementada por meio de: Distribuição de mais de 1.000.000 de convites. Anúncios em veículos de comunicação dirigidos e de massa, com destaque para os jornais de grande circulação Assessoria de imprensa, bem como o apoio de companhias aéreas para trazer ao evento jornalistas de todo o Brasil e de alguns países da América Latina Parcerias com veículos de comunicação/mídia segmentada, a exemplo de áreas como: arquitetura, construção, engenharia, telecomunicações, energia, eletroeletrônica, automação, pesquisa e alimentos Site - Inclusão dos dados dos participantes, apoiadores e patrocinadores, incluindo fotografias e texto
  15. 15. Catálogo do expositor - Inserção dos dados dos expositores O retorno médio de mídia espontânea é de, aproximadamente, 200 matérias (imprensa escrita) nos principais veículos de comunicação do País, além da mídia eletrônica, televisiva e de rádio. Principais Abordagens e Temas de 2005: Política Industrial, Tecnológica e de Exportação Mostra de Redes Estaduais de C,T&I. Exportação – A Tecnologia como Grande Valor Agregado – Para a Geração de Divisas e como Principal Agente na Ampliação de Postos de Trabalho. Tecnologias Sociais – O Futuro da Nossa Nação. A Inovação e o Estatuto da Pequena Empresa. Regulamentação e Quebra de Paradigmas da Lei da Inovação: Subvenção Econômica às Empresas e Compra de Projetos. Fomento, Investimentos e Regime Fiscal Favorável à Inovação. Marcas e Patentes. Tecnologia Industrial Básica. Cadeias Sinérgicas Tecnológicas de Inovação – do Mercado à Industrialização – Cases de Sucesso.

×