Your SlideShare is downloading. ×
Poster academico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Poster academico

811
views

Published on

Published in: Education, Technology, Business

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
811
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Kislaine CavalieriKislaine Cavalieri Simone CândidaSimone Cândida Vanessa de OliveiraVanessa de Oliveira Professora Orientadora: Júlia AlmeidaProfessora Orientadora: Júlia Almeida Língua Portuguesa - UfesLíngua Portuguesa - Ufes Modo de vida dos centros urbanos:Modo de vida dos centros urbanos: alguns fatores que influenciam naalguns fatores que influenciam na qualidade das águas dos riosqualidade das águas dos rios
  • 2. AA qualidade da águaqualidade da água é um parâmetro importante em todos osé um parâmetro importante em todos os aspectos, tanto para osaspectos, tanto para os ecossistemasecossistemas quanto para oquanto para o bem-estarbem-estar humanohumano. Portanto, a qualidade da água influencia na saúde de. Portanto, a qualidade da água influencia na saúde de uma comunidade, na produção dos alimentos industrializados,uma comunidade, na produção dos alimentos industrializados, nas atividades econômicas, na saúde do ecossistema e nanas atividades econômicas, na saúde do ecossistema e na biodiversidade.biodiversidade. 1. INTRODUÇÃO1. INTRODUÇÃO foto
  • 3. AA qualidade da águaqualidade da água de uma região é determinada principalmentede uma região é determinada principalmente pelapela influência antrópicainfluência antrópica (concentração urbana, atividade industrial(concentração urbana, atividade industrial e uso excessivo da água). Os processos biológicos, físicos ee uso excessivo da água). Os processos biológicos, físicos e químicos dos sistemas naturais são alterados diretamente pelaquímicos dos sistemas naturais são alterados diretamente pela ocupação e o uso dos solosocupação e o uso dos solos decorrentes de atividades humanas.decorrentes de atividades humanas. Monitorando a qualidade das águas superficiais podem-se analisarMonitorando a qualidade das águas superficiais podem-se analisar as alterações ocorridas em uma bacia hidrográfica (MONTEIRO &as alterações ocorridas em uma bacia hidrográfica (MONTEIRO & PINHEIRO, 2004; SOUZA et al., 2000), uma vez que os riosPINHEIRO, 2004; SOUZA et al., 2000), uma vez que os rios recebem as descargas industriais e municipais (PALÁCIO, 2004;recebem as descargas industriais e municipais (PALÁCIO, 2004; SINGH et al., 2005; ELMI et al., 2004).SINGH et al., 2005; ELMI et al., 2004). Para sePara se avaliaravaliar o estado da qualidade das águas superficiais éo estado da qualidade das águas superficiais é necessária uma visão denecessária uma visão de variabilidade espacial ou temporalvariabilidade espacial ou temporal (BRODNJAK-VONCINA et al., 2002; SINGH et al., 2005). Assim(BRODNJAK-VONCINA et al., 2002; SINGH et al., 2005). Assim como a necessidade docomo a necessidade do controle das fontes de poluiçãocontrole das fontes de poluição das águas edas águas e a definição do manejo a ser aplicado requerem aa definição do manejo a ser aplicado requerem a identificação dasidentificação das fontes poluentesfontes poluentes e suas contribuições qualitativas e quantitativas.e suas contribuições qualitativas e quantitativas.
  • 4. 2. OBJETIVOS2. OBJETIVOS 2.1 GERAL2.1 GERAL - Investigar como as- Investigar como as atividades praticadasatividades praticadas pela sociedadepela sociedade urbana atual interferem naurbana atual interferem na qualidade das águasqualidade das águas dos riosdos rios nos centros urbanos.nos centros urbanos. 2.2 ESPECÍFICOS2.2 ESPECÍFICOS - Identificar os- Identificar os fatores determinantesfatores determinantes da qualidade dasda qualidade das águas dos rios.águas dos rios. - Analisar alguns- Analisar alguns impactosimpactos causados pela poluição dessascausados pela poluição dessas águas.águas.
  • 5. 3. METODOLOGIA3. METODOLOGIA Para alcançar os objetivos do trabalho foram realizadas duasPara alcançar os objetivos do trabalho foram realizadas duas etapas principais:etapas principais: • Primeiramente foram feitasPrimeiramente foram feitas pesquisas bibliográficaspesquisas bibliográficas a procuraa procura de artigos pertinentes ao assunto em questão. As principaisde artigos pertinentes ao assunto em questão. As principais fontes foram da internet, como o site dofontes foram da internet, como o site do Scielo e do GoogleScielo e do Google Acadêmico.Acadêmico. • Em seguida, houve um aprofundamento daEm seguida, houve um aprofundamento da leituraleitura desses textosdesses textos e uma análise dos materiaise uma análise dos materiais mais relevantes para omais relevantes para o entendimento do tema pesquisado.entendimento do tema pesquisado.
  • 6. 4. REFERENCIAL TEÓRICO4. REFERENCIAL TEÓRICO Vista do espaço, aVista do espaço, a TerraTerra parece oparece o Planeta ÁguaPlaneta Água, pois esta, pois esta cobre 75% da superfície terrestre, formando os oceanos,cobre 75% da superfície terrestre, formando os oceanos, rios, lagos etc. No entanto, somente uma pequenina parterios, lagos etc. No entanto, somente uma pequenina parte dessa água - da ordem de 113 trilhões de m³ - está àdessa água - da ordem de 113 trilhões de m³ - está à disposição da vida na Terra. Apesar de parecer umdisposição da vida na Terra. Apesar de parecer um número muito grande,número muito grande, a Terra corre o risco de não maisa Terra corre o risco de não mais dispor de água limpadispor de água limpa, o que em última análise significa, o que em última análise significa que a grande máquina viva pode parar (ZAMPIERON Eque a grande máquina viva pode parar (ZAMPIERON E VIEIRA, 2010).VIEIRA, 2010). A água é componente vital no sistema de sustentação daA água é componente vital no sistema de sustentação da vida na Terra e por isso deve servida na Terra e por isso deve ser preservadapreservada, mas nem, mas nem sempre isso acontece. A suasempre isso acontece. A sua poluição impede apoluição impede a sobrevivência de seres que nela vivemsobrevivência de seres que nela vivem, causando, causando também graves conseqüências aos seres humanos.também graves conseqüências aos seres humanos.
  • 7. 4.1. CONTEXTUALIZAÇÃO4.1. CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICAHISTÓRICA Desde aDesde a Revolução IndustrialRevolução Industrial as atividades humanasas atividades humanas vêmvêm alterandoalterando significativamente osignificativamente o meio ambientemeio ambiente. O. O crescimento acelerado e desordenado da populaçãocrescimento acelerado e desordenado da população mundial provoca intensamundial provoca intensa degradaçãodegradação, tanto dos, tanto dos ecossistemas aquáticosecossistemas aquáticos comocomo terrestresterrestres. O planeta vem. O planeta vem sendo mudado ao longo do tempo através desendo mudado ao longo do tempo através de desmatamentos, da agricultura praticada em regiõesdesmatamentos, da agricultura praticada em regiões ecologicamente frágeis, de monocultivos de espéciesecologicamente frágeis, de monocultivos de espécies arbóreas, da criação intensiva de animais, daarbóreas, da criação intensiva de animais, da urbanização, e também pela alteração dos ciclosurbanização, e também pela alteração dos ciclos hidrológicos (MAIER, 2007).hidrológicos (MAIER, 2007).
  • 8. 4.2. DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE4.2. DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUADA ÁGUA A água de um rio é considerada deA água de um rio é considerada de boa qualidadeboa qualidade quandoquando apresentaapresenta menos de mil coliformes fecaismenos de mil coliformes fecais ee menos de dezmenos de dez microorganismos patogênicos por litromicroorganismos patogênicos por litro (como aqueles(como aqueles causadores de verminoses, cólera, esquistossomose, febrecausadores de verminoses, cólera, esquistossomose, febre tifóide, hepatite, leptospirose, poliomielite etc.).tifóide, hepatite, leptospirose, poliomielite etc.). Portanto, para a água se manter nessas condições, deve-sePortanto, para a água se manter nessas condições, deve-se evitar sua contaminação por resíduosevitar sua contaminação por resíduos, sejam eles agrícolas, sejam eles agrícolas (de natureza química ou orgânica), esgotos, resíduos(de natureza química ou orgânica), esgotos, resíduos industriais, lixo ou sedimentos vindos da erosãoindustriais, lixo ou sedimentos vindos da erosão (ZAMPIERON E VIEIRA, 2010).(ZAMPIERON E VIEIRA, 2010).
  • 9. 4.3. PRINCIPAIS POLUENTES4.3. PRINCIPAIS POLUENTES OsOs resíduosresíduos gerados pelas indústrias, cidades egerados pelas indústrias, cidades e atividades agrícolas são sólidos ou líquidos, tendo umatividades agrícolas são sólidos ou líquidos, tendo um potencial de poluiçãopotencial de poluição muito grande.muito grande. Os resíduos gerados pelasOs resíduos gerados pelas cidadescidades, como lixo, entulhos, como lixo, entulhos e produtos tóxicos sãoe produtos tóxicos são carregados para os rioscarregados para os rios com acom a ajuda dasajuda das chuvaschuvas. Os resíduos líquidos carregam. Os resíduos líquidos carregam poluentes orgânicos (que são mais fáceis de serpoluentes orgânicos (que são mais fáceis de ser controlados do que os inorgânicos, quando em pequenacontrolados do que os inorgânicos, quando em pequena quantidade).quantidade).
  • 10. AsAs indústriasindústrias produzem grande quantidade deproduzem grande quantidade de resíduos em seus processos, sendoresíduos em seus processos, sendo uma parte retidauma parte retida pelas instalações de tratamentopelas instalações de tratamento da própria indústria,da própria indústria, que retêm tanto resíduos sólidos quanto líquidos, eque retêm tanto resíduos sólidos quanto líquidos, e aa outra parte despejada no ambienteoutra parte despejada no ambiente.. NoNo processo de tratamento dos resíduosprocesso de tratamento dos resíduos também étambém é produzido outro resíduo chamadoproduzido outro resíduo chamado ""chorumechorume",", líquido que precisa novamente de tratamento elíquido que precisa novamente de tratamento e controle.controle.
  • 11. Enfim, a poluição das águas pode aparecer de vários modos:Enfim, a poluição das águas pode aparecer de vários modos: -- poluição térmicapoluição térmica: descarga de efluentes a altas temperaturas: descarga de efluentes a altas temperaturas -- poluição físicapoluição física: descarga de material em suspensão: descarga de material em suspensão -- poluição biológicapoluição biológica: descarga de bactérias patogênicas e vírus: descarga de bactérias patogênicas e vírus -- poluição químicapoluição química: ocorre por deficiência de oxigênio, toxidez: ocorre por deficiência de oxigênio, toxidez e eutrofização.e eutrofização. AA eutrofizaçãoeutrofização é causada por processos de erosão eé causada por processos de erosão e decomposição que fazem aumentar o conteúdo de nutrientes,decomposição que fazem aumentar o conteúdo de nutrientes, aumentando aaumentando a produtividade biológicaprodutividade biológica, permitindo periódicas, permitindo periódicas proliferações de algas, que tornam a água turva e com issoproliferações de algas, que tornam a água turva e com isso podem causarpodem causar deficiência de oxigêniodeficiência de oxigênio pelo seu apodrecimento,pelo seu apodrecimento, aumentando suaaumentando sua toxideztoxidez para os organismos que nela vivempara os organismos que nela vivem (como os peixes, que aparecem mortos junto a espumas(como os peixes, que aparecem mortos junto a espumas tóxicas).tóxicas).
  • 12. 4.4. CONSEQUÊNCIAS DA POLUIÇÃO4.4. CONSEQUÊNCIAS DA POLUIÇÃO DAS ÁGUASDAS ÁGUAS AA poluição da águapoluição da água indica que um ou mais de seus usosindica que um ou mais de seus usos foram prejudicados, podendoforam prejudicados, podendo atingir o homematingir o homem de formade forma direta, pois ela é usada por este para ser bebida, paradireta, pois ela é usada por este para ser bebida, para tomar banho, para lavar roupas e utensílios e,tomar banho, para lavar roupas e utensílios e, principalmente, para sua alimentação e dos animaisprincipalmente, para sua alimentação e dos animais domésticos. Além disso, abastece nossas cidades, sendodomésticos. Além disso, abastece nossas cidades, sendo também utilizada nas indústrias e na irrigação detambém utilizada nas indústrias e na irrigação de plantações. Por isso,plantações. Por isso, a água deve ter aspecto limpo,a água deve ter aspecto limpo, pureza de gosto e estar isenta de microorganismospureza de gosto e estar isenta de microorganismos patogênicospatogênicos, o que é conseguido através do seu, o que é conseguido através do seu tratamento, desde da retirada dos rios até a chegada nastratamento, desde da retirada dos rios até a chegada nas residências urbanas ou rurais.residências urbanas ou rurais.
  • 13. 4.5. QUALA SOLUÇÃO PARA O4.5. QUALA SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA DA POLUIÇÃO?PROBLEMA DA POLUIÇÃO? Quanto melhor é a águaQuanto melhor é a água de um rio, ou seja, quanto maisde um rio, ou seja, quanto mais esforços forem feitos no sentido de que ela sejaesforços forem feitos no sentido de que ela seja preservada,preservada, melhor e mais barato será o tratamentomelhor e mais barato será o tratamento destadesta e, com isso, a população só terá a ganhar. Mas parecee, com isso, a população só terá a ganhar. Mas parece que a preocupação dos técnicos em geral éque a preocupação dos técnicos em geral é sofisticarsofisticar cada vez maiscada vez mais os tratamentos de águaos tratamentos de água,, ao invésao invés de sede se aterem mais àaterem mais à preservação dos mananciaispreservação dos mananciais, de onde é, de onde é retirada água pura.retirada água pura. A únicaA única medida mitigadoramedida mitigadora encontrada para esteencontrada para este problema, na situação grave em que o consumo da águaproblema, na situação grave em que o consumo da água se encontra, foise encontra, foi misturarmisturar e fornecer à população umae fornecer à população uma água de boa procedência com outra de procedência piorágua de boa procedência com outra de procedência pior,, cuidadosamente tratada e controlada.cuidadosamente tratada e controlada. Vejam a que pontoVejam a que ponto chegamos!!!!chegamos!!!!
  • 14. 5.1 CONSIDERAÇÕES FINAIS5.1 CONSIDERAÇÕES FINAIS Portanto, percebe-se que aPortanto, percebe-se que a poluição das águaspoluição das águas disponíveis para os seres vivos do nosso planeta, estádisponíveis para os seres vivos do nosso planeta, está direta e indiretamentedireta e indiretamente ligada ao modo de vida da maiorialigada ao modo de vida da maioria dos centros urbanosdos centros urbanos. Pois, além da poluição restrita ao. Pois, além da poluição restrita ao meio urbano, o campo também sofre transformaçõesmeio urbano, o campo também sofre transformações significantes para atender a demanda das cidades.significantes para atender a demanda das cidades. Então,Então, ações tanto individuais quanto coletivasações tanto individuais quanto coletivas, além de, além de políticas públicaspolíticas públicas, são necessárias como forma de, são necessárias como forma de amenizar tal constatação. É preciso atentar-se para oamenizar tal constatação. É preciso atentar-se para o método preventivo em detrimento da prática paliativamétodo preventivo em detrimento da prática paliativa insuficiente de combate à poluição.insuficiente de combate à poluição.
  • 15. • ZAMPIERON, Sônia Lúcia Modesto; VIEIRA, João Luís de Abreu. Poluição da água. Disponível em <http://educar.sc.usp.br/biologia/textos/m_a_txt5.html> . Acesso em: 17 set. 2010. • MAIER, Clamarion. Qualidade de águas superficiais e tratamento de águas residuárias por meio de zonas de raízes em propriedades de agricultores familiares. Dissertação de Mestrado. Rio Grande do Sul: Santa Maria, 2007. Disponível em <<http://www.scholar.google.com.brhttp://www.scholar.google.com.br>.>. Acesso em: 17 de set. 2010. 6. REFERÊNCIAS