O nosso objetivo é a sua AprovaçãoSINTAXE DE CONCORDÂNCIANosso assunto de hoje é CONCORDÂNCIA, que consiste no mecanismo q...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoe) “Se o sujeito composto tem os seus núcleos ligados por série aditiva enfática (...), ...
O nosso objetivo é a sua Aprovação“É uma construção fixa, que não deve ser confundida com outra semelhante, mas móvel, emq...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoEnquanto o mestre Evanildo Bechara, como vimos, faculta a flexão verbal, Celso Cunha eLi...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoPor esse motivo, a oração iniciada pelo pronome relativo é uma oração subordinada adjeti...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãodentro da ótica do "estranho mundo novo": peixe que dá choque, aranhas gigantes, mamífer...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoDe outro lado, na função de predicativo do sujeito, há um substantivo acompanhado de uma...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoc) No gênero das leis federativas, é possível discernir duas espécies bem visíveis: leis...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoQuando o enunciado aborda erro de construção sintática, esse erro pode estar em sintaxe ...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoNunca antes foram tão(1) favoráveis as condições para uma política externa de realizaçõe...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoComo o sujeito (paciente) está representado pelo substantivo pensamento, a forma correta...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoafasta progressivamente da visão do conjunto. A excessiva especialização das partes subt...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoe da formação de megacorporações, estendeu-se aos demais países nos anos 90.____________...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) A nova mentalidade começa por botar o ovo em pé e reconhecer o valor insubstituível,i...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoII– “pode-se afirmar | que a forma de financiamento para a ciência e tecnologia é depend...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãodesenvolvimento que a conferência proposta se transformasse num foro de repreensão nosen...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoé, concordar com o(s) núcleo(s), uma vez que eles já foram apresentados.Se a oração esti...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãorelativos a obras com indícios de irregularidades graves. Desse modo, qualquer um podeac...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoPercebeu quantas palavras separaram os núcleos do sujeito da forma verbal correspondente...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoa) Ab) Bc) Cd) De) EGabarito: EComentário.Qual é o sujeito da forma verbal depende?Respo...
O nosso objetivo é a sua Aprovação- anteposto aos substantivos, deve fazer a concordância atrativa, obrigatoriamente -exem...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoadmitida é a gramatical (com todos os elementos). Exemplo: Encontrei o cavalo e a vacamo...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoNo texto da questão, o trecho “daqueles que se consideram ‘civilizados’...” poderia ser ...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoa) Em recente acórdão, proferido no AG nº 96.01.01984-7/DF, ajuizado contra decisão que,...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoCom a mudança na ordem direta (SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTO), o examinadortenta induzir...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoCongresso Nacional, poderá ser bloqueado,(4) no Orçamento da União para 2003, recursosfe...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoO núcleo do sujeito é responsabilidade, de modo que o verbo de ligação e o predicativo d...
O nosso objetivo é a sua AprovaçãoCom relação à passagem apresentada no item d, perguntase: o que surgiu apesar dosobstina...
O nosso objetivo é a sua Aprovação1 - (AFC 2002) Assinale a norma gramatical que justifica, com correção e propriedade, a ...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) Modernizar, palavra neutra em matéria de valores morais, pode simplesmente servir dep...
O nosso objetivo é a sua Aprovaçãocronológica das datas de suas exigibilidades”, para cada fonte diferenciada de recursos,...
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Sintaxe e concordância
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Sintaxe e concordância

9,933

Published on

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
9,933
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
96
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sintaxe e concordância

  1. 1. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoSINTAXE DE CONCORDÂNCIANosso assunto de hoje é CONCORDÂNCIA, que consiste no mecanismo que leva as palavrasa adequarem-se umas às outras harmonicamente na construção frasal.“Concordar” significa “estar de acordo com”. Assim, na concordância, tanto nominal quantoverbal, os elementos que compõem a frase devem estar em consonância uns com os outros.Essa concordância poderá ser feita de duas formas:- gramatical ou lógica – segue os padrões gramaticais vigentes;- atrativa ou ideológica – dá ênfase a apenas um dos vários elementos, com valor estilístico.CONCORDÂNCIA VERBAL – variação do verbo, conformando-se ao número e à pessoa dosujeito.CONCORDÂNCIA NOMINAL – adequação entre o substantivo e os elementos que a ele sereferem (artigo, pronome, adjetivo).À medida que comentarmos as questões de prova da ESAF, iremos abordar cada um doscasos de concordância, indistintamente (verbal e nominal).Procuramos selecionar o maior número possível de situações em que esse tópico do programacostuma ser exigido.Como muitas questões abordam tanto concordância nominal quanto verbal, tornando-seimpossível tratar cada uma delas de forma isolada, a solução foi, para tornar maisdidático o nosso estudo, agrupar os casos repetidos sob títulos.Uma última dica: questões do tipo “assinale o item com erro de natureza gramatical” abordamTODOS os aspectos gramaticais, inclusive (e principalmente) relacionados à sintaxe deconcordância, tanto verbal como nominal. Por isso, ao resolver este tipo de questão, todocuidado é pouco; aja como se estivesse “pisando em ovos”, analisando palavra por palavra(verificando a ortografia), oração por oração (concordância, regência, pontuação etc.).Finalmente, lembramos que, como algumas questões tratam de assuntos diversos em suasalternativas, mantivemos o item que será objeto de análise e comentário. Julgue, nessescasos, se o item está certo ou errado, sem que isso represente o gabarito da questão.QUESTÕES DE PROVA DA ESAF1 - (AFC 2002) Assinale a norma gramatical que justifica, com correção e propriedade, a flexãoplural do verbo ser no período abaixo.“Já é mais do que conhecido que o principal problema do sistema tributário nacional sãojustamente as contribuições, e não os impostos propriamente ditos.”(Revista CNT, “Lixo tributário”)a) “Com os verbos ser e parecer a concordância se faz de preferência com o predicativo, seeste é plural.” (Luiz Antonio Sacconi)b) “Nas frases em que ocorre a locução invariável é que, o verbo concorda com o substantivoou pronome que a precede, pois são eles efetivamente o seu sujeito.” (Celso Cunha & LindleyCintra)c) “Se tanto o sujeito como o predicativo forem personativos e nenhum dos dois for pronomepessoal, a concordância será facultativa (pode-se concordar com o sujeito ou o predicativo).”(Dileta S. Martins & Lúbia S. Zilberknop)d) “Expressões de sentido quantitativo (...) acompanhadas de complemento no plural admitemconcordância verbal no singular ou no plural.” (Manual de Redação da Presidência daRepública)
  2. 2. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoe) “Se o sujeito composto tem os seus núcleos ligados por série aditiva enfática (...), o verboconcorda com o mais próximo ou vai ao plural (o que é mais comum quando o verbo vem antesdo sujeito)”.(Evanildo Bechara)Gabarito: AComentário.Esta questão foi escolhida para ser a primeira por ser um verdadeiro “aulão” sobreconcordância.Cada opção apresenta uma regra aplicável ao assunto e, no enunciado, solicita-se aocandidato que se indique a regra cabível ao parágrafo. A resposta foi letra a.“Aula” da opção a:O verbo ser é um verbo bastante especial. Por estabelecer uma relação entre o sujeito e o seupredicativo, a concordância pode se dar tanto com o primeiro quanto com o segundo elemento.Há, contudo, algumas regras que prevalecem sobre essa faculdade.Qualquer que seja a sua função sintática (sujeito ou predicativo), prevalece a concordânciacom o elemento que estiver representado por:1ª – um pronome pessoal reto: “Todo eu era olhos e coração. (Machado de Assis)”;2ª – uma pessoa, em detrimento de outro que seja uma“coisa” (substantivo, pronomesubstantivo, oração substantiva): “Ovídio é muitos poetas ao mesmo tempo, e todosexcelentes.” (A.F.Castilho).Observe que no item ‘c’ há menção sobre essa concordância: havendo elementos personativosem ambas as funções, a concordância é facultativa com o sujeito ou com o predicado, a nãoser que em um deles haja um pronome pessoal, caso em que prevalece a concordância comeste elemento (cai na 1ª regra de prevalência).Quando os dois elementos (do sujeito e do predicativo) forem “coisas” (substantivos, pronomessubstantivos, orações substantivas), a concordância é facultativa, dandose preferência àconcordância com o elemento no plural:“Na vida, nem tudo são flores.”, “O resto são atributos sem importância.”Voltando à questão, no parágrafo destacado, o verbo ser tem por sujeito “o principal problemado sistema tributário nacional” (núcleo: problema) e por predicativo do sujeito “ascontribuições”. Assim, os dois elementos são “coisas” e a concordância se faz,preferencialmente, com o elementoplural – no caso, com o predicativo.“Aula” da opção b:A regra exposta pelo item b refere-se à concordância em frases que contenham a expressão “éque”.Vamos à lição de Celso Cunha e Lindley Cintra, em Nova Gramática do PortuguêsContemporâneo:“A locução é que é invariável e vem sempre colocada entre o sujeito da oração e o verbo a queele se refere. Assim: ‘José é que trabalhou, mas os irmãos é que se aproveitaram do seuesforço. ’.”Perceba que a locução poderia ser retirada sem prejuízo para o período: “José trabalhou, masos irmãos se aproveitaram do seu esforço.”.Por isso, é classificada como uma locução denotativa de realce, que tem a única função dedestacar os termos que acompanha (no caso, os substantivos José e irmãos,respectivamente).E continuam os professores:
  3. 3. O nosso objetivo é a sua Aprovação“É uma construção fixa, que não deve ser confundida com outra semelhante, mas móvel, emque o verbo ser antecede o sujeito e passa, naturalmente, a concordar comele e a harmonizar-se com o tempo dos outros verbos”.Compare-se, por exemplo, ao anterior o seguinte exemplo: ‘José é que trabalhou, mas foramos irmãos que se aproveitaram do seu esforço. ’Ou este:‘Foi José que trabalhou, mas os irmãos é que se aproveitaram do seu esforço.’Também não deve ser confundido com a expressão de realce é que o encontro da formaverbal é com a conjunção integrante que em contextos do tipo: ‘Bom éque não haja maisdiscussões. ’ Equivalente a ‘É bom que não haja mais discussões. ’.”Nesse último caso, a conjunção integrante que introduz uma oração que exerce a funçãosintática de sujeito da oração principal:[É bom] – oração principal – PERGUNTA-SE: O que é bom?[que não haja mais discussões] – oração subordinada subjetiva“Aula” da opção c:Em se tratando da concordância do verbo ser em um predicado nominal (verbo de ligação), emque existem sujeito e predicativo do sujeito, há algumas regras de prevalência:1º) A concordância com um pronome pessoal prevalece sobre todos os demais elementos,exerça o pronome a função de sujeito ou de predicativo. Ex: Suas esperanças (coisa –substantivo) no casamento era eu.2º) Na sua ausência, a concordância o termo que se refira a uma pessoa (personativo)prevalece sobre o que representa uma “coisa” (por “coisa” entenda-se um substantivo, umpronome substantivo ou uma oração substantiva). Ex: Santo Antônio (pessoa) era asesperanças (coisa – substantivo) da solteirona.Se ambos forem personativos, a concordância com qualquer dos termos é facultativa (sujeitoou predicativo).3º) Se ambos os elementos forem “coisas”, a concordância é facultativa com qualquer doselementos, preferindo-se aquela feita com o termo no plural. Ex: Tudo (coisa - pronomesubstantivo) são flores (coisa - substantivo).Em resumo, na concordância verbal com o verbo ser:• entre PRONOME PESSOAL x COISA/PESSOA – prevalece PRONOME;• entre PESSOA x COISA – prevalece PESSOA;• entre COISA x COISA – concordância facultativa, PREFERÊNCIA para o termo no plural.“Aula” da opção d:Texto original do Manual de Redação da Presidência da República:“Expressões de sentido quantitativo (grande número de, grande quantidade de, parte de,grande parte de, a maioria de, a maior parte de, etc), também chamadas de termospartitivos, por indicar parte de um todo, acompanhadas de complemento no plural, admitemconcordância verbal no singular, estabelecendo a concordância com o núcleo doconjunto – concordância gramatical ou lógica, ou no plural, concordando com o complemento –concordância atrativa ou ideológica:‘A maioria dos condenados acabou (ou acabaram) por confessar sua culpa.’‘Um grande número de Estados aprovaram (ou aprovou) a Resolução da ONU.’‘Metade dos Deputados repudiou (ou repudiaram) as medidas.’.”“Aula” da opção e:Por série aditiva enfática entendemos todas as expressões que enumerem elementos demesma função sintática, no caso, sujeito, com o mesmo sentido da conjunção aditiva‘e’: não só... mas também; não só... como.Sobre esse ponto do assunto, contudo, há divergência doutrinária.
  4. 4. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoEnquanto o mestre Evanildo Bechara, como vimos, faculta a flexão verbal, Celso Cunha eLindley Cintra (obra citada) destacam que, se não houver pausa entre os sujeitos (e, portanto,não houver vírgula), o verbo irá para o plural:“Qualquer se persuadirá de que não só a nação mas também o príncipe estariam pobres.”Observe como foi tratado esse assunto em outra prova daESAF.2 -(Assistente de Chancelaria/2002)As viagens ao exterior e os encontros com figurões estrangeiros constituem, desde o reinadode Dom Pedro II, um trunfo na estratégia das lideranças brasileiras. De fato, as críticas àsviagens internacionais do Presidente da República ou de outros dirigentes parecemdespropositadas. Tanto o governo como a oposição devem reposicionar os interessesbrasileiros num mundo em plena mutação. O problema que se coloca é de outra natureza e seresume numa interrogação pouco formulada na campanha presidencial: quais devem ser osrumos de nossa diplomacia?(Luiz Felipe de Alencastro, Veja, 10/04/2002, com adaptações)Assinale a relação de condição incorreta a respeito do emprego das estruturas lingüísticas notexto.d) o conectivo “Tanto...como”(l.6) for substituído por Não só ... mas também, o verbo seguintepode ser empregado no plural, “devem”(l.6), ou no singular, deve.Item CORRETOComentário.Foi considerada correta a faculdade de flexão, mesmo a série aditiva estando sem pausa, ouseja, sem vírgulas.Logo, a partir dessas duas questões, podemos afirmar que o entendimento da ESAF é que, emséries aditivas enfáticas, o sujeito poderá facultativamente se flexionar no singular ou no plural,com ou sem pausa.CONCORDÂNCIA COM PRONOME RELATIVO ‘QUE’3 - (AFC 2002) Assinale a proposição correta a respeito da estrutura morfossintática do textoabaixo.“A ‘Guerra Fiscal’ pertence a uma classe geral de fenômenos que emergem quando iniciativaspolíticas dos Governos subnacionais adquirem conotações negativas e geram efeitoseconômicos perversos em decorrência do caráter insuficiente ou conjunturalmente inoperantedo quadro político-institucional que regula os conflitos federativos, o qual se revela incapaz degarantir um equilíbrio mínimo entre interesses locais de forma a evitarefeitos macroeconômicos e sociais perversos.”(C. Cavalcanti & G. Prado, com adaptações)a) A forma verbal “emergem”(l.2), flexionada no plural, constitui incorreção, pois suaconcordância deve se dar com o substantivo “classe”(l.1), núcleo do grupo nominal “classegeral de fenômenos”.Item INCORRETO.Comentário.Pronome relativo é assim chamado por fazer referência a algum outro termo (substantivo,pronome substantivo, oração substantiva) já mencionado anteriormente (ANTECEDENTE).O pronome relativo dá início a uma oração que atribui a esse antecedente uma característica,estado ou condição.
  5. 5. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoPor esse motivo, a oração iniciada pelo pronome relativo é uma oração subordinada adjetiva.Assim, concluímos que SEMPRE UM PRONOME RELATIVO DÁ INÍCIO A UMA ORAÇÃOADJETIVA.Para respeitar as regras de concordância, deve-se observar a qual termo o pronome relativoestá se referindo, e com ele será feita a concordância verbal.No caso da questão de prova, iremos reproduzir parcialmente a passagem para melhor análise:“A ‘Guerra Fiscal’ pertence a uma classe geral de fenômenos que emergem quando iniciativaspolíticas dos Governos subnacionais adquirem conotações negativas”Nesse período composto, há três orações:1ª – oração principal – “A ‘Guerra Fiscal’ pertence a uma classe geral de fenômenos”2ª – oração subordinada adjetiva – “que emergem” – restringe o conceito do substantivofenômenos.3ª – oração subordinada adverbial – “quando iniciativas políticas dos Governos subnacionaisadquirem conotações negativas” – apresenta uma idéia circunstancial de momento.Note que o sujeito da oração adjetiva “que emergem” é o pronome relativo que. O substantivofenômenos pertence à oração principal. Contudo, é como se o pronome relativo somenteestivesse “ocupando o lugar” de fenômenos na oração adjetiva – ele exerce a função de sujeitodo verbo emergir, mas a concordância deve ser feita com a palavra que está substituindo –fenômenos.Até imagino o pronome relativo falando para o verbo “Olha só, sou eu o seu chefe substituto,mas quem manda mesmo é o meu patrão, o termo a quem eu me refiro, ou seja, o meureferente - fenômenos. Aqui, só estou ocupando um lugar que seria dele (“fenômenosemergem”). Então, se você quiser concordar com alguém, concorde com ele, ok?”.Percebe-se que o pronome relativo que tem por antecedente o substantivo fenômenos (o queemerge não é a classe, mas os fenômenos), e por isso correta estaria a flexão do verbo noplural (emergem).4 - (AFC 2002) Assinale a opção em que o trecho do texto foi transcrito de formagramaticalmente correta.d) Modernizar, palavra neutra em matéria de valores morais, pode simplesmente servir depretexto para justificar a adesão ao paradigma dominante, desqualificando, ao mesmo tempo,como dinossauros préhistóricos, os que a ele resiste.Item INCORRETO.Comentário.Em outra ordem, a última parte da construção equivale a “desqualificando, ao mesmo tempo,como dinossauros préhistóricos, os que resiste a eles”.Nessa estrutura, você percebeu a incorreção gramatical?Mais uma vez, o sujeito da forma verbal é um pronome relativo que.O pronome relativo remete a concordância ao termo antecedente a que se refere. No caso, oreferente é o demonstrativo “os”, equivalente a “aqueles”; por isso, o verbo deverá serconjugado na 3ª pessoa do plural – na ordem direta “desqualificando os que resistem a ele.”,ou na ordem apresentada no texto: “desqualificando os que a ele resistem.”.VERBOS ACOMPANHADOS DO PRONOME ‘SE’5 - (Analista Comércio Exterior/ 1998) Marque o item sublinhado que apresenta erro gramaticalou impropriedade vocabular.A primeira expedição científica à(A) Amazônia foi feita em 1638 por George Marcgrave, umnaturalista alemão. Até o final do século XVII, o que se procuravam(B) eram animais exóticos,
  6. 6. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãodentro da ótica do "estranho mundo novo": peixe que dá choque, aranhas gigantes, mamíferosque vivem submersos nos rios. Nos séculos seguintes, o objetivo passou a ser a coleta domaior número possível de bichos de diferentes espécies. Até os anos 40, os museusestrangeiros pagavam coletores profissionais(C) para levar espécimes(D) da fauna e floranacionais(E) para suas coleções. O Brasil só assumiu a pesquisa científica na Amazônia hápoucas décadas. Agora, a idéia é conhecer para preservar.(Baseado em Flávia Varella, Veja - Amazônia, 24/12/1997)a) Ab) Bc) Cd) De) EGABARITO: BComentário.Quando um verbo de transitividade direta ou direta e indireta estiver acompanhado do pronomese, todo cuidado é pouco: poderemos estar diante de uma construção de voz passiva.Para confirmação, temos de fazer duas perguntas:1 – O verbo é transitivo direto (TD) ou transitivo direto e indireto (TDI)?2 – Existe uma idéia passiva na construção?Se ambas as respostas forem SIM, estamos diante de uma construção de voz passiva e,então, o verbo deverá se flexionar de acordo com o sujeito paciente.A existência de um objeto direto na transitividade do verbo é necessária pois, como vimos naaula sobre verbos, o objeto direto da construção de voz ativa irá exercer a função essencial desujeito da voz passiva.Na questão de prova ora comentada, “o que se procuravam eram animais exóticos”, temos defazer duas análises: a primeira, em relação à construção:1ª pergunta: O verbo é transitivo direto (TD) ou transitivo direto e indireto (TDI)?Resposta: O verbo procurar é transitivo direto (alguém procura alguma coisa).2ª pergunta: Existe uma idéia passiva na construção?Resposta: Sim, existe idéia passiva – os animais eram procurados.Conclusão: temos uma construção de voz passiva.A segunda análise versa sobre o antecedente do pronome relativo que. Para isso, vamosseparar as orações:Período composto: “o | que se procuravam |eram animais exóticos”1ª oração: o [pronome demonstrativo = aquilo] eram animais exóticos – ORAÇÃO PRINCIPAL2ª oração: que se procuravam – ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVAO pronome que é relativo e tem como antecedente o pronome demonstrativo o. Por isso, overbo que o segue deverá ficar no singular.Para melhor compreensão, iremos fazer a substituição do pronome relativo QUE pelo termoque substitui, o pronome demonstrativo “o”. Para simplificar ainda mais, em vez de “o”,colocaremos “aquilo”, seu equivalente.“que se procurava” - “aquilo se procurava” = AQUILO era procurado.Viu? O verbo só poderá ficar no singular.Na oração principal (“o eram animais exóticos”), devemos lembrar da concordância do verboser.De um lado, como sujeito, existe um pronome substantivo demonstrativo o - COISA.
  7. 7. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoDe outro lado, na função de predicativo do sujeito, há um substantivo acompanhado de umadjetivo: animais exóticos - COISA.Portanto, tanto de um lado (sujeito) como de outro (predicativo), os elementos são “coisas”(substantivos, pronomes substantivos ou orações substantivas).Assim, a concordância pode se dar com qualquer deles, PREFERENCIALMENTE com oelemento que estiver no PLURAL – “... eram animais exóticos”.Isso justifica a flexão do verbo ser no plural.6 - (Analista Comércio Exterior/ 1998) Marque o item sublinhado que apresenta erro gramaticalou impropriedade vocabular.No próximo ano, estará a Declaração Universal de Direitos Humanos completando seucinqüentenário, no limiar do novo século. Ao longo das cinco últimas décadas, testemunhamoso processo histórico de gradual formação, consolidação, expansão e aperfeiçoamento daproteção internacional dos direitos humanos, conformando(A) um direito de proteção dotado deespecificidade própria. Esse processo partiu das premissas de que(B) os direitos humanos sãoinerentes ao ser humano e, como tais(C) antecedem a(D) todas as formas de organizaçãopolítica, e de que sua proteção não se esgota na ação do Estado. Ao longo deste meio século,como respostas às necessidades de proteção, tem-se(E) multiplicado os tratados einstrumentos de direitos humanos, a partir da Declaração Universal de 1948, tida como pontode partida do processo de generalização da proteção internacional dos direitos humanos.(Baseado em Antônio Augusto Cançado Trindade)a) Ab) Bc) Cd) De) EGabarito: EComentário.Mais uma vez, estamos diante de um verbo acompanhado de um pronome se, o que poderáser um caso de construção de voz passiva.Vamos, então, responder às perguntas de confirmação:1 – É um verbo transitivo direto (TD) ou direto e indireto (TDI)?Como não se trata de um verbo, mas de uma locução verbal, temos de analisar a transitividadedo verbo principal da locução – multiplicar. Na construção, este é um verbo transitivo direto –‘Alguém/alguma coisa multiplicou os tratados e os instrumentos de direitos humanos.’. Sim, éTD.2 – Há idéia passiva? Sim, ‘os tratados e os instrumentos de direitos humanos forammultiplicados.’Conclusão: CONSTRUÇÃO DE VOZ PASSIVA.Relembre que a flexão verbal numa locução: quem se modifica é o verbo auxiliar (ter) mas damaneira que o principal (multiplicar) o faria. Assim, a construção verbal correta, emconcordância com o sujeito representado por “os tratados e os instrumentos de direitoshumanos”, é têm-se multiplicado.7 - (TCE RN/2000) Marque o item em que um dos dois períodos está gramaticalmenteincorreto:
  8. 8. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoc) No gênero das leis federativas, é possível discernir duas espécies bem visíveis: leis federaisintransitivas e transitivas. / No gênero das leis federativas, podem-se discernir duas espéciesbem visíveis: leis federais intransitivas e transitivas.Item CORRETOComentário.Novamente, verbo acompanhado do pronome se. Vamos às perguntas:1- É verbo TD ou TDI?Sim. Na locução “poder discernir”, a transitividade de discernir (verbo principal) é DIRETA,pois significa diferenciar, distinguir, discriminar.2 – Há idéia passiva?Sim, duas espécies de leis federativas poderão ser discernidas, ou seja, diferenciadas.Então, trata-se de voz passiva e o verbo auxiliar deverá flexionar-se de acordo com o núcleo dosujeito paciente – espécies – e ir para o plural – podem-se discernir.Haveria uma outra possibilidade de construção: “pode-sediscernir duas espécies bem visíveis:leis federais intransitivas e transitivas.”Neste caso, o sujeito da forma verbal “pode-se” é a oração reduzida de infinitivo “discernir duasespécies...”. Esse tipo de construção é possível com os verbos PODER, DEVER e outros. Umoutro exemplo:1 - Devem-se manter os animais nas jaulas. – Os animais devem ser mantidos nas jaulas. –construção de voz passiva = verbo auxiliar concorda com o núcleo do sujeito: animais.2 – Deve-se manter os animais nas jaulas – Deve-se [manter os animais nas jaulas] - sujeitooracional = verbo na 3ª pessoa do singular.São formas igualmente válidas, cada uma com uma análise sintática diferente. Esse pontopode ser objeto de questão do tipo “com barrinha no meio”, cujo enunciado costuma ser“assinale a opção em que os dois períodos estão corretos”.8 - (TCE RN/2000) Marque o segmento do texto que apresenta erro(s) de construção sintática.a) Em julho último, editou a União a Lei ordinária no 8.666, cujo artigo 5o impôs àAdministração Pública, nos três níveis de Governo, a obrigação de pagar, em “estrita ordemcronológica das datas de suas exigibilidades”, para cada fonte diferenciada de recursos, osbens e serviços que adquirir.b) A ementa dessa Lei esclarece que a norma está regulamentada no inciso XXI do artigo 37da Constituição, que impõe o processo de licitação nas aquisições governamentais de bens eserviços, assegurando que nos certames é preciso haver “igualdade de condições” entre osconcorrentes e que nos contratos “se estabeleça obrigações de pagamento, mantida ascondições efetivas da proposta”.c) A União legislou obviamente no exercício da competência que lhe deferiu o inciso XXVII doartigo 23 da Constituição, para editar normas gerais de licitação e contratação.d) E, ao fazê-lo, inseriu dispositivo não pertinente a esse campo, mas sim ao direito financeiro.e) Mas também aí a competência para legislar, embora concorrentemente com os Estados eDistrito Federal, foi atribuída à União pelo artigo 24, inciso I, da Constituição.(Baseado em Austen da Silva Oliveira)Gabarito: BComentário.Observe como a concordância verbal, em construção de voz passiva pronominal, éconstantemente objeto de questões da ESAF. Por isso, temos de treinar bastante essa análise.
  9. 9. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoQuando o enunciado aborda erro de construção sintática, esse erro pode estar em sintaxe deconcordância, de regência, de colocação, ou seja, deve-se analisar cada oração com bastantecritério para perceber o equívoco.Como mencionei lá no começo, é para “andar pisando em ovos”.No item B, o erro foi com relação à flexão do verbo estabelecer. Este verbo está acompanhadodo pronome se e, por isso, vamos à análise:1 – É verbo TD ou TDI? Sim. Alguém estabeleceu obrigações de pagamento.2 – Há idéia passiva? Sim. As obrigações foram estabelecidas.Conclusão: VOZ PASSIVA.Sujeito: obrigações de pagamentoNúcleo do sujeito: obrigaçõesConstrução correta: “se estabeleçam obrigações de pagamento”O outro erro refere-se à concordância nominal, logo na seqüência: o que será “mantida”?Resposta: “as condições efetivas da proposta”.Como o núcleo do sintagma nominal é condições, o adjetivo a ele correspondente deverá seflexionar no gênero feminino e número plural – mantidas, ficando assim: “...assegurando que nos certames é preciso haver ‘igualdade de condições’ entre os concorrentese que nos contratos ‘se estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condiçõesefetivas da proposta’.” .9 -(Fiscal de Fortaleza – 1998) Indique entre os itens sublinhados o que contém erro gramaticalou impropriedade vocabular.Tudo parece indicar, a essa altura, que(A) as repercussões da crise dos países asiáticos sobrea América Latina serão bem menos acentuadas do que(B) se imaginava faz(C) poucos meses.Pouco a pouco, foram-se percebendo(D) que os problemas daquela região são devidos à(E)desorganização de seus sistemas financeiros e a uma especulação imobiliária desenfreada.(Gazeta Mercantil, 21 e 22/2/1998, adaptado)a) Ab) Bc) Cd) De) EGABARITO: DComentário.Primeiramente, uma locução verbal acompanhada de pronome ‘se’ requer análise:1- o verbo principal (perceber) é TD ou TDI? Sim.2- Há idéia passiva? Sim – Algo foi sendo percebido.Conclusão: construção de voz passiva.Acontece que o sujeito não está expresso na forma de um nome (substantivo), mas de umaoração (subordinada) substantiva. Pergunta-se: o que foi sendo percebido?Resposta: “que os problemas daquela região são...” – o sujeito da forma verbal estárepresentada por uma oração.No caso de sujeito oracional, o verbo DEVE FICAR na 3ª pessoa do singular (“foi-sepercebendo que os problemas daquela região são...”).10 - (Oficial de Chancelaria/2002) Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.
  10. 10. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoNunca antes foram tão(1) favoráveis as condições para uma política externa de realizações noBrasil. É preciso(2) aproveitar essas condições, multiplicar o seu efeito benéfico, pô-las(3) aserviço de interesses muito claros – e preementes(4) – do Brasil em suas relações com omundo exterior. Fizemos(5) muito para consolidar uma imagem nova, de credibilidade econfiabilidade, de um País que é capaz de enfrentar com determinação e autoconfiança osseus problemas. Demos passos concretos nesse sentido e estamos recolhendo os benefícios.(Adaptado de www.mre.gov.br, Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados)a) 1b) 2c) 3d) 4e) 5Gabarito: DComentário.Não existe registro do vocábulo PREEMENTE, mas de PREMENTE, que significa “urgente”,aplicável ao contexto.Talvez a banca tenha tentado associar esse vocábulo inexistente ao substantivoPREEMINÊNCIA (superioridade/grandeza) ou ao adjetivo PREEMINENTE.O que nos interessa nessa questão é comentar o item (2), em que temos um bom exemplo desujeito oracional anteposto a um predicado nominal. Por ser “neutro”, o sujeito representadosob a forma de uma oração mantém o verbo no singular e, conseqüentemente, da mesmaforma, o predicativo do sujeito (é preciso). Nesse caso, o sujeito composto está representadopelas três orações reduzidas de infinitivo: (1ª) aproveitar essas condições, (2ª) multiplicar o seuefeito benéfico, (3ª) pô-las a serviço deinteresses muito claros – ... – do Brasil em suasrelaçõescom o mundo exterior.11 - (TCE ES/2001)O pensamento moral da Ilustração baseava-se em três idéias centrais: a idéia de que a moralpodia ter um fundamento secular; a idéia de que o indivíduo, considerado como célulaelementar da sociedade, tinha direito à auto-realização e à felicidade e podia descentrar-secom relação à vida comunitária, criticando-a de fora; e a idéia de que existe uma naturezahumana universal, de que existem princípios universais de validação ética, e de que existe umpequeno núcleo de normas materiais universais.(Sérgio Paulo Rouanet)Assinale a opção que está incorreta em relação ao texto.d) A expressão "baseava-se" (l.1) pode, sem prejuízo para a correção gramatical do período,ser substituída por eram baseados.Item INCORRETO (gabarito da questão).Comentário.Verbo acompanhado de pronome se. Análise:1 – É verbo TD ou TDI? Sim, na construção, “Alguém baseou o pensamento em três idéiascentrais.”2 – Idéia passiva? Sim, o pensamento foi baseado.A opção sugere a troca da voz passiva pronominal pela construção de voz passiva analítica(verbo auxiliar + verbo principal). O erro reside na concordância do verbo auxiliar.
  11. 11. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoComo o sujeito (paciente) está representado pelo substantivo pensamento, a forma corretaseria era baseado.Deve-se tomar muito cuidado para manter a flexão de número (singular), de tempo (pretéritoimperfeito) e de modo (indicativo) na transposição de vozes verbais.12 - (AFC 2002)Os argumentos em favor da política industrial mudam, mas em geral eles continuam sofrendoda mesma falta de embasamento econômico. Um deles, que vem sendo repetido de unstempos para cá, é o da economia de divisas. Identifica-se um item de peso na pauta deimportações como, por exemplo, componentes eletrônicos.Ora, se o dispêndio com este produto é alto, por que então não fazer com que ele sejaproduzido no país por meio de uma política industrial ativa, poupando-se, desta forma, moedaforte?(Adaptado de Cláudio Haddad)Assinale, entre as substituições sugeridas, a que está em desacordo com a norma culta.d) “Identifica-se”(l.5) por É identificadoItem CORRETO.Comentário.Repete-se a exigência de troca da voz passiva pronominal (sintética) para voz passivaanalítica, desta vez com correção.Foram preservados o tempo e o modo verbal (presente do indicativo), bem como respeitada aconcordância com o sujeito paciente, que tem como núcleo o substantivo masculino singularitem (“Identifica-se um item de peso”)13 - (TCE ES/2001) Assinale o trecho que respeita as regras gramaticais da norma culta.a) Pesquisas nos Estados Unidos mostra que a tolerância ao erro no comércio eletrônico ézero. Quem compra um CD e não recebe, simplesmente "deleta" o endereço da loja virtualpisou na bola.d) A reação contrária do consumidor é desmezurada. Na rede esperam-se serviço nota 1000 -ou nada aquém disso.Itens INCORRETOSComentário.Erro da opção a: quem mostra que a tolerância ao erro no comércio eletrônico é zero são aspesquisas. Por isso, o verbo mostrar deveria estar no plural – “Pesquisas nos Estados Unidosmostram...”.Erro da opção d: além do erro na grafia de desmensuradas, houve um erro de sintaxe deconcordância.O verbo esperar (na construção, transitivo direto) está acompanhado do pronome se eapresenta uma idéia passiva (serviço nota 1000 é esperado pelo consumidor), o que nos leva aconcluir que se trata de uma construção de voz passiva pronominal, cujo verbo deve estar deacordo com o sujeito paciente (serviço). A construção correta, portanto, seria “Na rede,espera-se serviço nota 1000”).14 - (TRF 2003) Em relação ao texto, assinale a opção incorreta.A ciência moderna desestruturou saberes tradicionais, e seu paradigma mecanicista, queencara o mundo natural como máquina desmontável, levou a razão humana aos limites daperplexidade, porquanto a fragmentação do conhecimento em pequenos redutos fechados se
  12. 12. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoafasta progressivamente da visão do conjunto. A excessiva especialização das partes subtrai oconhecimento do todo. Daí resulta a dificuldade teórica e prática para que o espírito humano sesitue no tempo e no espaço da sua existência concreta.(José de Ávila Aguiar Coimbra, Fronteiras da Ética, p. 27)e) Em “se situe”(l.11) o pronome “se” indica indeterminação do sujeito e contribui para conferirimpessoalidade ao texto.Item INCORRETO.Comentário.Vamos definir, agora, as diferenças entre o pronome apassivador “se” e o índice deindeterminação do sujeito “se”: a transitividade do verbo dentro da oração e a idéia que ocontexto oracional apresenta (se passiva ou ativa).Como vimos reiteradas vezes, o verbo transitivo direto (TD) e transitivo direto e indireto (TDI),por possuírem o complemento direto, podem formar uma estrutura de voz passiva, já que oobjeto direto irá exercer, nessa construção, a função sintática de sujeito paciente.Na construção de voz passiva, o verbo deverá fazer a concordância com o sujeito paciente:Viam-se ao longe as primeiras casas (verbo transitivo direto)Ofereceu-se um grande prêmio ao primeiro colocado.(verbo transitivo direto e indireto).Além da transitividade do verbo, deve haver uma idéia passiva do elemento que exerce afunção de sujeito (como nos exemplos acima: as casas eram vistas / o prêmio era oferecido)Os demais verbos (transitivo indireto, intransitivo, verbo de ligação), se estiveremacompanhados do pronome “se”, estarão formando o sujeito indeterminado e o pronomecorrespondente chama-se índice ou partícula de indeterminação do sujeito.Usa-se construção de sujeito indeterminado quando não se sabe - ou não se quer dizer – quempratica/praticou a ação verbal. Também é usado em orações de sentido genérico, vago. Sãoduas as formas de construção:1 - o verbo (exceto transitivo direto ou direto e indireto) permanece na 3ª pessoa do singularacompanhado do pronome se (índice / partícula de indeterminação):Necessitava-se, naqueles dias, de novas esperanças.(verbo transitivo indireto)Estava-se muito feliz com o resultado das provas.(verbo de ligação)Morria-se de tédio nas noites de inverno.(verbo intransitivo)2 – o verbo (qualquer que seja sua transitividade na construção), sem o pronome, fica na 3ªpessoa do singular:Desviaram dinheiro dos cofres públicos.Bateram na porta.Falaram mal de você.Na questão da ESAF, o verbo situar – transitivo direto (alguém situa alguma coisa) – apresentaao sujeito uma idéia passiva (que o espírito humano seja situado). Por isso, constrói vozpassiva pronominal, cujo verbo deverá concordar com o sujeito. A afirmação do item e,portanto, não procede.15 (TRF 2003) - Assinale o trecho que, ao preencher a lacuna correspondente, provoca errogramatical, de pontuação ou de coesão textual.___________(1)_______________ com predominância de fusões e aquisições de empresas, amudança de natureza das inversões diretas iniciou-se nos Estados Unidos na década de 80.________(2)__________ acompanhada de uma grande expansão do investimento de portfólio
  13. 13. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoe da formação de megacorporações, estendeu-se aos demais países nos anos 90.______________(3)__________ apoiada na valorização global das Bolsas, ocorreu commaior intensidade na segunda metade dos anos 90._________(4)___________ de movimento de natureza patrimonial que deu lugar a doisprocessos simultâneos: a fusão de empresas, com fechamento de plantas no centroindustrializado, e o concomitante deslocamento para a periferiadinâmica.__________________(5)__________ da concorrência mundial ensejou a criaçãoconcentrada de capacidade produtiva nos setores de nova tecnologia e nas regiões capazes depromover uma integração virtuosa ao processo de internacionalização capitalista.a) 1- É necessário esclarecer que,b) 2 - Tal transformação na economia,c) 3 - Essa aceleração da centralização de capital,d) 4 - Tratavam-se, essencialmente,e) 5 - Esse último estágio da evolução da estruturaGabarito: D (alterado após os recursos)Comentário.Questão clássica de sujeito indeterminado versa sobre o verbo tratar. Quando significa “aquestão que importa ou que se discute”, é transitivo indireto e pronominal (“Tratase de umanova técnica cirúrgica.”). Forma, com o pronome “se”, uma estrutura de sujeito indeterminado,devendo o verbo SEMPRE ficar na 3ª pessoa do singular – Trata-se de.No item a, estamos diante de um sujeito oracional, que leva o verbo para a 3ª pessoa dosingular.16 - (AFRF 2005) Assinale a opção que constituiria, de maneira coerente com a argumentaçãoe gramaticalmente correta, uma possível resposta para a pergunta final do texto.d) Segundo alguns pensadores modernos, não se tratam de projeções utópicas osempreendimentos culturais e sociais que renovam valores modernistas, enriquecendo saberesespecializados.Item INCORRETO.Comentário.Observe que o verbo tratar foi, mais uma vez, indevidamente flexionado. Por fazer parte de umsujeito indeterminado, o verbo deve ficar na 3ª pessoa do singular.A construção correta, portanto, seria “não se trata de projeções utópicas”.17 - (TTN 1998) Marque o texto que contém erro de estruturação sintática ou de pontuação.a) A cada dia que passa, uma revolução silenciosa vai tomando conta das mentalidades dosempresários e altos executivos brasileiros, cristalizando-se e arregimentando forças entre osespecialistas em Recursos Humanos.b) Pouco a pouco, ela se concretiza nas necessidades específicas das indústrias de tecnologiade ponta e recolhe novos testemunhos dos líderes que lutam para fazer negócios, vencer umaconcorrência encarniçada ou simplesmente manter suas corporações de pé em meio àborrasca da recessão.c) E chega à conclusão mais simples possível: que nem só de computadores, tecnologias deponta, robôs ou telefones celulares vive uma empresa, se ela não contar com uma equipeprofissional, treinada, entusiasmada, e, ainda por cima, motivada.
  14. 14. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) A nova mentalidade começa por botar o ovo em pé e reconhecer o valor insubstituível,inigualável, da qualidade do trabalho humano.e) Esta revolução trata-se de uma mudança radical de mentalidade, que começou a tomarcorpo no finalzinho dos anos 80, depois de toda aquela onda de contenção de despesas,cortes de pessoal, diminuição de "elefantes brancos" empresariais, fim de estoques inúteis,melhoria de qualidade, de competitividade e de produtividade.(Márcio Roberto Graf, com adaptações)Gabarito: EComentário.Por formar uma estrutura oracional de sujeito indeterminado, a expressão “trata-se de” nãoadmite sujeito, como o apresentado na introdução do item e (“Esta revolução trata-se de...”).18 - (CVM 2000) Marque o segmento do texto que contém erro de estruturação sintática.a) Já se tornou lugar-comum afirmar que investir em ciência e tecnologia é condiçãonecessária para o desenvolvimento de um país.b) Se essa afirmação pode ser considerada consensual, não o é a compreensão acerca dequal tipo de investimento deve ser feito.c) De fato, pode-se afirmar que a forma de financiamento para ciência e tecnologia édependente da visão que o governo tem do desenvolvimento da sociedade.d) Não foi por outro motivo que, durante o regime militar, se optaram por pesadosinvestimentos na construção de um aparato de pesquisa vinculado ao Estado.e) Aquele modelo refletia o singular nacionalismo dos militares, em aliança com setores daburocracia estatal.(Henrique Carlos de O. de Castro, com adaptações)Gabarito: DComentário.O verbo optar, no contexto, é transitivo indireto (Alguém optou por alguma coisa.) e estáacompanhado do pronome “se”, o que aponta para uma construção de sujeito indeterminado.Desse modo, o verbo deverá permanecer na 3ª pessoa do singular – “Não foi por outro motivoque, durante o regime militar, se optou por pesados investimentos...”.No item c, observamos uma passagem de sujeito oracional com o verbo auxiliar “poder”, quepossibilita duas análises:I– “pode-se | afirmar | que a forma de financiamento para a ciência e tecnologia édependente da visão |que o governo tem do desenvolvimento da sociedade.”1ª oração: “pode-se” – oração principal – o verbo fica na 3ª pessoa do singular porque seusujeito está sob forma oracional (2ª oração).2ª oração: “afirmar” – oração subordinada subjetiva reduzida de infinitivo (exerce a funçãosintática de sujeito do “pode-se”, que equivale a “é possível” - o que é possível? Afirmar.)3ª oração – “que a forma de financiamento para a ciência e tecnologia é dependente da visão”– oração subordinada objetiva direta (exerce a função sintática de objeto direto de “afirmar”).4ª oração – “que o governo tem do desenvolvimento da sociedade” – oração subordinadaadjetiva restritiva (oração que serve para limitar o alcance do substantivo “visão”, presente naoração anterior)
  15. 15. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoII– “pode-se afirmar | que a forma de financiamento para a ciência e tecnologia é dependenteda visão | que o governo tem do desenvolvimento da sociedade.”1ª oração – “pode-se afirmar” – oração principal formada por uma locução verbal e umpronome apassivador. O verbo auxiliar “poder” fica no singular porque o sujeito estásob forma oracional (é a segunda oração).2ª oração – “que a forma de financiamento para a ciência e tecnologia é dependente da visão”– oração subordinada subjetiva – agora, esta oração exerce a função sintática de sujeitopaciente da forma verbal expressa na 1ª oração (de voz passiva).3ª oração – “que o governo tem do desenvolvimento da sociedade” – oração subordinadaadjetiva restritiva (oração que serve para limitar o alcance do substantivo “visão”, presente naoração anterior) – não houve mudança em relação à análise anterior.A banca poderia ter explorado a classificação da segunda oração da análise II. Está vendocomo a ESAF, muitas vezes, é boazinha?19 - (Analista Comércio Exterior/ 1998) Marque o item em que um dos dois períodos estágramaticalmente incorreto.a) A qualquer observador da história moderna pode afigurar-se paradoxal que a primeiraconferência multilateral sobre o tema do desenvolvimento social se tenha realizado numaépoca em que o neoliberalismo, como alternativa "eficiente" ao chamado Estado-Providência, eo culto do mercado, como fator de regulação da convivência social configuram a ideologiadominante. / A qualquer observador da história moderna pode-se afigurar paradoxal que aprimeira conferência multilateral sobre o tema do desenvolvimento social se tenha realizadonuma época em que o neoliberalismo, como alternativa "eficiente" ao chamado Estado-Providência, e o culto do mercado, como fator de regulação da convivência social configuram aideologia dominante.b) O primeiro paradoxo a respeito da Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Social resideno fato da proposta de sua realização ter sido aceita mais rapidamente pelos paísesdesenvolvidos do que pelo conjunto de países em desenvolvimento. / O primeiro paradoxo arespeito da Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Social reside no fato de a proposta desua realização ter sido aceita mais rapidamente pelos países desenvolvidos do que peloconjunto de países em desenvolvimento.c) O triunfalismo do Ocidente desenvolvido com o esboroamento do antigo bloco comunista e aalegada vitória do liberalismo traduzia-se, então, não apenas na noção da "nova ordeminternacional" preconizada pelo Presidente Bush dentro do Grupo dos Sete. / O triunfalismo doOcidente desenvolvido com o esboroamento do antigo bloco comunista e a alegadavitória do liberalismo traduziam-se, então, não apenas na noção da "nova ordem internacional"preconizada pelo Presidente Bush dentro do Grupo dos Sete.d) Alguns países desenvolvidos brandiam a noção de good governance, ou "boa governança",na qual se embutia uma crítica aos países do Terceiro Mundo como locus exclusivo dodesperdício de recursos e da corrupção governamental – antes, naturalmente, da OperaçãoMãos Limpas na Itália. / Alguns países desenvolvidos brandiam a noção de good governance,ou "boa governança", em que se embutia uma crítica aos países do Terceiro Mundo comolocus exclusivo do desperdício de recursos e da corrupção governamental – antes,naturalmente, da Operação Mãos Limpas na Itália.e) Temiam os países em desenvolvimento que a conferência proposta se transformasse numforo de repreensão no sentido Norte-Sul, em que os países ricos viessem a tentar impor novostipos de condicionalidades a assistência e cooperação internacionais. / Temiam os países em
  16. 16. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãodesenvolvimento que a conferência proposta se transformasse num foro de repreensão nosentido Norte-Sul, em que os países ricos viessem a tentar impor novos tipos decondicionalidades à assistência e à cooperação internacionais.GABARITO: CComentário.No segundo segmento da opção c, temos um daqueles erros clássicos de concordância verbal– entre o núcleo do sujeito e o verbo estão colocados vários elementos: “O triunfalismo doOcidente desenvolvido com o esboroamento do antigo bloco comunista e a alegadavitória do liberalismo traduziam-se (...)”.Verbo traduzir com o pronome ‘se’ – vamos à análise:1 – é transitivo direto;2 – apresenta idéia passiva.Logo, construção de voz passiva.O sujeito paciente tem por núcleo o substantivotriunfalismo. Assim, a forma verbal deverá ficar no singular – traduzia-se.O que pode ter induzido muita gente a erro foi imaginar que ‘a alegada vitória’ seria um outronúcleo do sujeito.Para dirimir essa questão, devemos observar o contexto.Sabendo que ‘esboroamento’ tem por sinônimo o substantivo declínio, pode-se extrair do textoque foram dois os fatores que levaram ao triunfalismo do Ocidente: a derrocada comunista e avitória do liberalismo (há, inclusive, uma estreita relação entre esses dois acontecimentos).Com isso, concluímos que qualquer análise sintática só pode ser feita em conjunto com umaanálise semântica, ou seja, para se verificar a concordância, temos a necessidade decompreender o texto.CONCORDÂNCIA COM SUJEITO COMPOSTO20 - (TCE ES/2001) Em relação à estrutura gramatical do texto, assinale o fragmento correto.a) A vida moral e a vida do poder dá a impressão de correrem paralelas, com rarasconvergências.b) Este desencontro entre a ética e a política incomodam e indignam a todos que querem ver esentir a presença de virtudes na condução dos negócios públicos.c) Há um aspecto clássico, mas sempre atual, do problema das relações entre a moral e opoder, a saber: o da mentira na gestão pública.d) Há muitos argumentos que justifica a mentira como exceção ao princípio ético daveracidade.e) Mas, hoje, na teoria democrática, ao assim chamado direito do governante de mentir embenefício da comunidade, se contrapõem, para contê-los, o direito a uma informação exata ehonesta dos governados.(Itens adaptados de Celso Lafer)GABARITO: CComentário.A concordância se faz com o núcleo do sujeito.No caso de sujeito simples, há apenas um núcleo.No caso de sujeito composto, há mais de um núcleo.Quando a oração está na ordem DIRETA, ou seja, na forma de SUJEITO + VERBO +COMPLEMENTO, o verbo deverá OBRIGATORIAMENTE fazer a concordância gramatical, isto
  17. 17. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoé, concordar com o(s) núcleo(s), uma vez que eles já foram apresentados.Se a oração estiver em ordem INVERSA, com o sujeito composto após o verbo (VERBO +SUJEITO COMPOSTO), a concordância poderá ser, FACULTATIVAMENTE, gramatical (comtodos os elementos) ou atrativa, concordando, nesse caso, com o núcleo mais próximo.Exemplo:Nas estações de trem, fica difícil a entrada e a saída das composições nos horários de maiormovimento.(concordância atrativa)Nas estações de trem, ficam difíceis a entrada e a saída das composições nos horários demaior movimento.(concordância gramatical).No item a, temos um sujeito composto anteposto ao verbo.Por isso, a única forma possível de concordância é a gramatical – o verbo irá para o plural: “Avida moral(SUJEITO 1) e a vida do poder (SUJEITO 2) DÃO a impressão (...)”.No item b, o núcleo está representado pelo substantivo desencontro, e com ele os verbosdeverão concordar:“Este desencontro entre a ética e a política incomoda e indigna” (o que incomoda e indigna éo desencontro).No item d, o pronome relativo que tem por antecedente o substantivo argumentos. Assim, overbo deverá com ele concordar – “Há muitos argumentos que justificam a mentira”.O item e apresenta uma construção em ordem inversa, o que poderia confundir a análise docandidato.Colocando os termos da oração na ordem direta, temos que:“o direito a uma informação exata e honesta dos governados se contrapõem ao assimchamado direito do governante de mentir em benefício da comunidade ”.Dessa forma, pode-se perceber que o sujeito da forma verbal “contrapõem” é DIREITO, e comele deverá o verbo concordar: “ao assim chamado direito do governante dementir em benefício da comunidade, se contrapõe, para contê-los, o direito a uma informaçãoexata e honesta dos governados.”21 - (TC PR/2002-2003) Assinale a opção gramaticalmente correta.a) A maior cooperação dos órgãos de controle é medida indispensável para aumentar aeficácia da fiscalização de obras públicas. A dificuldade de fiscalizar obras aumentaconstantemente devido à sofisticação cada vez maior dos mecanismos de desvio de recursos,porquanto das próprias peculiaridades do processo de planejamento, contratação e execuçãode obras públicas.b) A cooperação, sobretudo entre o Tribunal de Contas da União e os Tribunais de Contas dosestados, na troca de experiências e informações, de modo a ampliar uma base deconhecimentos comuns e criarem uma rede de controle que permita detecção mais rápida deirregularidades, é a melhor alternativa para enfrentar as adversidades, uma vez que a maioriadas grandes obras públicas é patrocinada com recursos federais e estaduais.c) Hoje há maior sintonia do TCU com o Congresso Nacional na fiscalização de obras públicas,e os contratos ou convênios relativos a obras em que o tribunal tenha apontado indícios deirregularidades graves fica com os recursos orçamentários bloqueados.d) É importante estimular o controle social, pois as limitações de recursos dos órgãos defiscalização tornam praticamente impossível o monitoramento contínuo de todos osempreendimentos. O TCU colocou em sua página na Internet, para consulta pública, dados
  18. 18. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãorelativos a obras com indícios de irregularidades graves. Desse modo, qualquer um podeacompanhar os problemas existentes nas obras realizadas em sua comunidade e cobrar dosresponsáveis as providências corretivas.e) Os recursos somente são liberados após o TCU constatar de que a adoção de providênciascorretivas pelo gestor da obra e após a edição de um decreto legislativo específico. O TCU temencontrado anualmente irregularidades graves em cerca de um terço das obras fiscalizadas.Gabarito: CComentário.Com relação à passagem apresentada no item c, perguntase: o que/quem fica com os recursosorçamentários bloqueados?Resposta: os contratos ou convênios relativos a obras em que o tribunal tenha apontadoindícios de irregularidades graves (em negrito, os núcleos do sujeito).Para estar em harmonia com o sujeito composto anteposto a si, o verbo deverá ser conjugadono plural – “... os contratos ou convênios relativos a obras em que o tribunal tenha apontadoindícios de irregularidades graves ficam com os recursos orçamentários bloqueados”.Mais adiante, comentaremos a oração (correta) “as limitações de recursos dos órgãos defiscalização tornam praticamente impossível o monitoramento contínuo”, presente no item d –um caso de concordância com verbo transobjetivo.22- (Analista Comércio Exterior/ 1998) Marque o item sublinhado que apresenta erro gramaticalou impropriedade vocabular.Três setores devem reforçar seus lucros neste ano: telecomunicações, fertilizantes econstrução civil. As empresas de telecomunicações devem ganhar com o aumento dedemanda e, principalmente, com os ajustes preparando (A) a privatização. A boa safra e apossibilidade de manutenção de preços dos commodities agrícolas em patamar elevado(B)poderá(C) ajudar as empresas do setor de fertilizantes. Nesse caso, porém, há um risco:possíveis impactos da crise asiática sobre o preço dos commodities.As previsões de crescimento moderado são(D) para as empresas de energia elétrica, pelaperspectiva de baixo crescimento do PIB. A queda dos preços internacionais do petróleo e apossível redução de demanda por petroquímicos devem(E) limitar o crescimento do setor.(Baseado em Tatiana Bautzer, Jornal do Brasil - Economia,22/03/1998)a) Ab) Bc) Cd) De) EGABARITO: CComentário.Agora, temos um caso de sujeito composto (“A boa safra e a possibilidade de manutenção depreços dos commodities agrícolas em patamar elevado”), cujos núcleos são safra epossibilidade. Assim, a locução verbal, posposta ao sujeito, deverá fazer a concordânciagramatical, concordando com os dois núcleos – (“A boa safra e a possibilidade demanutenção de preços dos commodities agrícolas em patamar elevado poderão ajudar”).
  19. 19. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoPercebeu quantas palavras separaram os núcleos do sujeito da forma verbal correspondente?Uma boa dica é sublinhá-los, de modo a evitar que sejam esquecidos.Perceba que o item E, considerado correto (“A queda dos preços internacionais do petróleo ea possível redução de demanda por petroquímicos devem limitar o crescimento do setor.”),reproduz a mesma estrutura sintática do item C – sujeito composto e anteposto ao verbo oflexiona no plural – em negrito os núcleos do sujeito e a locução verbal.23 - (FISCAL MS/2001) Leia o texto abaixo para responder à questão.Mesmo sem ser incluído entre os países cujo “desenvolvimento a convite” foi fortementeapoiado — por motivos geopolíticos — pelo governo americano, o Brasil transformou-se nolaboratório de uma estratégia associada — pública e privada — de industrialização quecontemplou todos os segmentos do capitalismo central. Não se pode esquecer que, depois davitória da Revolução Chinesa e da Guerra da Coréia, e do início da descolonização asiática, o‘desenvolvimentismo’ se transformou na resposta capitalista — tolerada pelos liberais — aoprojeto socialista para os países subdesenvolvidos. Esse foi um fator decisivo para que oprojeto de industrialização e o intervencionismo estatal do novo modelo econômico contassemcom o apoio de quase todos os segmentos da classe dominante brasileira e de suas elitespolíticas regionais. Quando essas facilidades se estreitaram, com o fim do padrão dólar e acrise econômica mundial dos anos 70, e quando a política econômica internacional dosEstados Unidos e a geoeconomia dos países centrais mudaram, com a restauraçãoliberalconservadora dos anos 80, o consenso e a coalizão desenvolvimentista se desfizeram.(José Luís Fiori, Um país ao sul dos impérios, Correio Braziliense, 22/07/2001)Em relação ao texto, assinale a opção em que a substituição sugerida é gramaticalmenteincorreta.e) “contassem” (l.13) por contasse .Item INCORRETO (gabarito da questão)Comentário.Mais um caso de sujeito composto. Para análise, reproduzimos a passagem onde se localiza atroca proposta.“Esse foi um fator decisivo para que o projeto de industrialização e o intervencionismo estataldo novo modelo econômico contassem com o apoio de quase todos os segmentos da classedominante brasileira e de suas elites políticas regionais.”Pergunta-se: o que iria contar com o apoio de quase todos os segmentos da classe dominantebrasileira e de suas elites políticas regionais?Resposta: O projeto de industrialização e o intervencionismo estatal.Os núcleos do sujeito são projeto e intervencionismo.Por apresentar mais de um núcleo, estando o sujeito ANTEPOSTO ao verbo, não se admite aconstrução do verbo no singular. A troca implicaria erro de concordância verbal.24 - (TRF/2000) Assinale a opção em que há erro gramatical.Ao contrário das flutuações do nível de atividade, os processos de ajuste econômico tendem(A)a gerar mudanças estruturais na economia. Como esses processos requerem(B) tempo paraserem(C) realizados, enquanto trabalhadores estão se movendo de um emprego para outro, amagnitude desses custos e a rapidez com que o mercado se ajusta às(D) novas condições defuncionamento da economia depende(E), em grande medida, do grau de flexibilidade domercado de trabalho.(Edward Amadeo et al., com adaptações)
  20. 20. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoa) Ab) Bc) Cd) De) EGabarito: EComentário.Qual é o sujeito da forma verbal depende?Resposta: tudo isto - “a magnitude desses custos e a rapidez com que o mercado se ajustaàs(D) novas condições de funcionamento da economia”, cujos núcleos foram destacados.Desse modo, como o sujeito composto está anteposto ao verbo, este deverá ir para o plural –dependem.CONCORDÂNCIA COM VERBOS TRANSOBJETIVOS25 - (AFC STN/2002) Assinale o trecho transcrito com erro gramatical.a) O Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI) é o principalinstrumento de administração orçamentária e financeira da União que oferece suporte aosórgãos centrais, setoriais e executores da gestão pública, tornando absolutamente segura acontabilidade da União.b) Ligados ao Sistema encontram-se todos os órgãos da Administração Direta, Autarquias,Fundações, Empresas Públicas, Sociedades de Economia Mista e órgãos dos PoderesLegislativo e Judiciário.c) Por meio do SIAFI são obtidas as informações que subsidiam o Balanço Geral da União e osrelatórios de execução do orçamento e de administração financeira, que compõem ademonstração das Contas apresentadas ao Congresso Nacional pelo Presidente da República,em conformidade com a Constituição Federal.d) Encontram-se disponível, ainda, um serviço de troca de mensagens, que interliga cerca de30 mil usuários em todo o Brasil agilizando a comunicação entre as Unidades Gestoras.e) Principal usuário do SIAFI, o Tesouro Nacional é responsável pela definição das normas deutilização do Sistema, orientando e controlando as atividades dosgestores públicos que o utilizam.(Trechos adaptados de http://www.stn.fazenda.gov.br)Gabarito: DO verbo encontrar, nessa construção com o sentido de achar-se em certo estado oucondição, é transitivo direto pronominal (encontrar-se, em que o pronome exerce a funçãosintática de objeto direto), exigindo, também, um predicativo do objeto direto.Como o sujeito é um serviço de troca de mensagens, cujo núcleo é serviço, o verbo deverápermanecer no singular – “Encontra-se disponível, ainda, um serviço...”.Aproveitamos o mote para falarmos sobre a concordância nominal entre o adjetivo e osubstantivo, quando o primeiro exerce certas funções sintáticas:1 - ADJETIVO na função sintática de ADJUNTOADNOMINAL – essa função (adjunto adnominal = junto ao nome) vem somente complementaro significado dos substantivos, ao atribuir a eles características. Por isso, é considerado umtermo acessório. Quando o adjetivo exerce a função de adjunto adnominal (“junto ao nome”) eestá:
  21. 21. O nosso objetivo é a sua Aprovação- anteposto aos substantivos, deve fazer a concordância atrativa, obrigatoriamente -exemplo: Vimos pelo caminho belos pastos e casas / Vimos pelo caminho belas casas epastos.- posposto aos substantivos, pode concordar com todos os substantivos (concordânciagramatical ou lógica), uma vez que os substantivos já foram apresentados, ou concordar commais próximo (concordância atrativa ou ideológica): Vimos pelo caminho pastos e casas belas(atrativa)/ belos (gramatical). Se houver gêneros diferentes, prevalece, na concordânciagramatical, o gênero masculino.2 - ADJETIVO na função sintática de PREDICATIVO DO SUJEITO – em predicadosnominais, com verbos de ligação (Eles parecem preocupados, Elas estão tristes), ou empredicados verbo-nominais, com verbos indicativos de ação associados a adjetivos que sereferem ao sujeito (Eles saíram do escritório preocupados, Elas passaram a tarde tristes),temos a função sintática de predicativo do sujeito. Essa função, que pode ser exercida porum substantivo ou um adjetivo, mesmo distante, atribui ao sujeito um estado, condição,característica.Quando um adjetivo exercer esta função e estiver:- anteposto ao sujeito composto (normalmente junto com o verbo), poderá fazer,facultativamente, a concordância gramatical ou atrativa, desde que siga a concordância que overbo fizer – Estavam bastante ansiosos o advogado e a ré / Estava bastante ansioso oadvogado e a ré / Estava bastante ansiosa a ré e o advogado.- posposto ao sujeito composto, deverá fazer a concordância gramatical, atendendo aoseguinte raciocínio:se o sujeito composto já foi mencionado, a única concordância possível é com todos oselementos – concordância gramatical.3 - ADJETIVO na função sintática de PREDICATIVO DO OBJETO – os verbos que permitemesse tipo de construção são os chamados transobjetivos. Além de serem transitivos diretos,deles se exige mais alguma informação, trazida pelo elemento que exerce a função depredicativo do objeto. São verbos como julgar, considerar, chamar, encontrar e outros. Não sepode dispensar a informação trazida pelo predicativo do objeto, sob risco de se prejudicar acoerência oracional – exemplo: O júri considerou o réu.... – ficou faltando alguma coisa. Aquiloque se diz a respeito do réu (o que foi considerado a seu respeito) exerce essa função depredicativo do objeto.Uma boa maneira de se distinguir o adjetivo que exerce a função de adjunto adnominaldaquele que exerce a função de predicativo do objeto é substituir o substantivo (objeto direto)por um pronome átono correspondente. Exemplo: a) Contexto: Havia muitos dias que meucavalo de estimação morrera, mas seu corpo não havia sido encontrado. Até que, um dia,andando pelo campo... encontrei o cavalo morto. – Encontrei-o.Quando o adjetivo acompanha o substantivo e todos os dois – substantivo e adjetivo - sãosubstituídos pelo pronome, o adjetivo estará exercendo a função de adjunto adnominal.b) Contexto: Havia muitos dias que meu cavalo de estimação sumira. Ninguém sabia de seuparadeiro. Até que, um dia, andando pelo campo... encontrei o cavalo morto. – Encontrei-omorto.Neste caso, o adjetivo permanece, mesmo após a troca do substantivo pelo pronome. Issosignifica que essa informação é necessária para a compreensão pelo leitor/ouvinte. A funçãoexercida pelo adjetivo, neste caso, é a de predicativo do objeto.Agora que o significado da função de predicativo do objeto foi apresentado, voltaremos a falarsobre a concordância nominal com o adjetivo que exerce esta função. É bem simples.Se o adjetivo estiver na função de PREDICATIVO DO OBJETO QUALQUER QUE SEJA SUAPOSIÇÃO EM RELAÇÃO AO SUBSTANTIVO (anteposto ou posposto), a única concordância
  22. 22. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoadmitida é a gramatical (com todos os elementos). Exemplo: Encontrei o cavalo e a vacamortos / Encontrei mortos a vaca e o cavalo.Reveja a questão 20 e faça a análise da oração do item d(correta): “as limitações de recursos dos órgãos de fiscalização tornam praticamenteimpossível o monitoramento contínuo de todos os empreendimentos.”.Observe que o sujeito (núcleo: limitações) leva o verbo “tornar” para o plural (tornam), mas oadjetivo correspondente ao objeto direto “monitoramento” é mantido no singular (impossível –na função sintática de predicativo do objeto direto). Isso porque o verbo “tornar”, nestaacepção, é transobjetivo – além do complemento verbal representado pelo objeto direto, eleexige alguma informação adicional trazida pelo predicativo do objeto direto.Em resumo, as regras da concordância nominal com adjetivo são:- na função de ADJUNTO ADNOMINAL – depois dos substantivos - concordância gramaticalou atrativa; antes dos substantivos - somente a concordância atrativa (obrigatoriamente);- na função de PREDICATIVO DO OBJETO – em qualquer posição, antes ou depois dossubstantivos – concordância gramatical;- na função de PREDICATIVO DO SUJEITO – segue o verbo e, anteposto ao sujeito, podefazer a concordância gramatical ou atrativa; posposto ao sujeito, deve obrigatoriamente fazer aconcordância gramatical.26 - (Fiscal de Fortaleza/2003) Leia o texto para responder à questão.O “desenvolvimento” no mundo capitalista vem dos países do Norte para os países do Sul; vemdos mercados ricos, das empresas transnacionais, das agências multilaterais e dos governosdo grupo dos mais ricos, em um movimento que tende à apropriação e ao controle dopatrimônio natural e cultural dos países do Sul, e à homogeneização dos modos de vida,incluindo necessidades, quereres, gostos e modos de expressão. Vem do macro para o micro,do espaço global para o local, daqueles que se consideram “civilizados” para aqueles queesses consideram “atrasados” e “subdesenvolvidos”. Aqueles agentes políticos e econômicosatuam segundo esses pressupostos e essa lógica e manipulam os sistemas políticos e culturaispara que se estabeleçam nos países do Sul governos subordinados a esses mesmos valores,conceitos e objetivos, isto é, governos e políticos que se identifiquem muito mais com os ricosdo Hemisfério Norte do que com a maioria trabalhadora e empobrecida das suas populações.(Sandra Quintela e Marcos Arruda)Em relação ao texto assinale a opção correta.d) Em “que se consideram”(l.9) o “se” indica indeterminação do sujeito.Item INCORRETO.Comentário.Agora que já apresentamos a definição de verbo transobjetivo, podemos comentar essaquestão de prova.Na passagem “Vem do macro para o micro, do espaço global para o local, daqueles que seconsideram “civilizados” para aqueles que esses consideram “atrasados” e “subdesenvolvidos”,o verbo considerar é transobjetivo, ou seja, é um verbo transitivo direto que exige umpredicativo do objeto como complemento verbal, como no exemplo “Fulano consideravaBeltrano seu amigo”, em que Fulano é o sujeito, Beltrano é o objeto direto e seu amigo épredicativo do objeto.Como possui o objeto direto, pode ser construído na voz passiva, tanto analítica (“Beltrano eraconsiderado amigo por Fulano”) quanto pronominal (“Considera-se Beltrano amigo”).
  23. 23. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoNo texto da questão, o trecho “daqueles que se consideram ‘civilizados’...” poderia ser reescritocomo “daqueles que são considerados ‘civilizados’...”, transpondo-se a oração da voz passivapronominal para voz passiva analítica, o que comprova que o pronome ‘se’ não é índice deindeterminação do sujeito, mas pronome apassivador.27- (Fiscal de Fortaleza – 1998) Indique entre os itens sublinhados o que contém errogramatical ou impropriedade vocabular.Nos Estados Unidos e na França, as burocracias capturam(A) o espírito das culturasadministrativas anglosaxãs( B) e gaulesas. Na América do Norte, a burocracia pedeemprestadas(C) à(D) diabólica eficiência do mundo empresarial a simplificação, a velocidade, opragmatismo e a incorporação da tecnologia (fax, computador, telefone e cartão de crédito).Mais ainda, os burocratas são tementes a(E) um público reclamador.(Claudio de Moura Castro, adaptado - Veja, 25/2/1998)a) Ab) Bc) Cd) De) EGABARITO: CComentário.Pergunta-se: o que a burocracia pede emprestado à diabólica eficiência do mundoempresarial?Resposta: “a simplificação, a velocidade, o pragmatismo e a incorporação da tecnologia (fax,computador, telefone e cartão de crédito)”Primeiramente, cabe-nos analisar a transitividade do verbo.“Alguém pede algo a alguém” – a princípio, trata-se de um verbo transitivo direto e indireto.Aplicando esse conceito à passagem do texto, e excluindo informações desnecessárias àanálise, teríamos que:“A burocracia (sujeito) pede (verbo) a simplificação, a velocidade, o pragmatismo e aincorporação da tecnologia (objetos diretos - o que é pedido) à eficiência do mundoempresarial (objeto indireto – sujeito a quem se pede algo).E o que acontece com o “emprestadas”, que não foi mencionado acima? A quem esse adjetivose refere? Ele se refere aos elementos que exercem a função de objeto direto (a simplificação,a velocidade, o pragmatismo e a incorporação da tecnologia).Estaria esse adjetivo somente atribuindo uma característica aos elementos [função de adjuntoadnominal] ou seria ele indispensável à compreensão do ato verbal em si [“não é pedir algo,mas pedir algo emprestado” – função de predicativo do objeto direto]? A correta é asegunda opção. Esse adjetivo é essencial para a compreensão do que efetivamente sepraticou. Sem ele, haveria alteração semântica no texto.Concluímos que a função exercida pelo adjetivo “emprestadas” é a de predicativo do objetodireto. Relembrando: a concordância do adjetivo na função de predicativo do objeto é sempregramatical, isto é, concorda com todos os elementos que exercem a função de objeto direto.Então, o adjetivo corretamente flexionado seria emprestados, já que prevalece o gêneromasculino plural nos elementos que compõem o objeto direto (a simplificação, a velocidade, opragmatismo e aincorporação da tecnologia).28- (AFRF 2002.1) Marque o segmento do texto que foi transcrito com erro gramatical.
  24. 24. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoa) Em recente acórdão, proferido no AG nº 96.01.01984-7/DF, ajuizado contra decisão que, emprocesso executivo, homologou cálculos de atualização de dívida da Fazenda Públicadecorrente de condenação em reclamação trabalhista, não conheceu do recurso a PrimeiraTurma Suplementar do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.b) Este o único fundamento do julgado: “ ... na sistemática processual trabalhista inexisterecurso contra sentença homologatória de cálculos de liquidação, porque a CLT, emnorma clara e objetiva, composta nos parágrafos 3º e 4º do seu artigo 844, prevê, comexclusividade, o instituto dos embargos para impugnação de ato jurisdicional de tal jaez.c) Incorreu, data vênia, o ato decisório ora analisado em dois grandes e manifestos equívocos.d) O primeiro deles é confundir “cálculos de atualização” do valor do título exeqüendo com“liquidação da sentença”.e) Na atual sistemática processual civil, essa atualização, depois de tornada certa o valor dacondenação, ainda que decorrente de conta elaborada pelo exeqüente, não constitui uma“liquidação”: no curso de processo executivo, tem a natureza de questão incidente deste.(Baseado em Diomar Bezerra Lima)Gabarito:EComentário.Ninguém merece uma questão como essa. E onde mais poderia estar o erro? É óbvio que naletra e, pois um dos objetivos da banca é cansar o candidato (só os fortes sobrevivem...) efazer com que ele, antes de chegar à resposta certa, marque “qualquer coisa” para se livrar daquestão maldita!!!O que poderia suscitar dúvida nas demais opções, imagino eu, são:a) a regência do verbo conhecer em “não conhecer do recurso” encontra respaldo noDicionário Prático de Regência Verbal, de Celso Luft – “(Jur.) Ter (juiz outribunal) competência para intervir num processo”.b) jaez significa qualidade, espécie, segundo Aurélioversão eletrônica.c) data venia é uma expressão latina respeitosa com que se inicia uma argumentaçãodivergente da de outrem. O vocábulo vênia já encontra registro nos dicionários, comsignificado de licença, permissão ou perdão, absolvição.d) exeqüendo é um adjetivo jurídico que se refere ao que está em execução, uma sentença ouum documento.Na opção e, onde reside o erro, o que será “tornada certa”?Resposta: o valor da condenação. O núcleo desse grupo nominal é valor, com o que os termosdeverão concordar: tornado certo.CONCORDÂNCIA COM APOSTO RESUMITIVO29 - (Especialista MPOG – 2000) Os fragmentos abaixo constituem um texto que foi transcritocom erros. Assinale a opção gramaticalmente correta.e) Novas carreiras, equiparação de salários defasados em relação ao que pagam o mercado ea realização de concursos públicos (há muito interrompidos), além do oferecimento deoportunidades de treinamento, tudo isso foi feito tendo em vista a prioridade de conferir omelhor atendimento ao cidadão-cliente.Item INCORRETOComentário.
  25. 25. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoCom a mudança na ordem direta (SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTO), o examinadortenta induzir o candidato ao erro. Na passagem, pergunta-se: quem paga salários?Resposta: o mercado. Assim, a construção correta seria:“...equiparação de salários defasados em relação ao que paga o mercado...”.Uma dúvida que poderia ter surgido seria em relação à concordância com o pronome indefinido“tudo” (“tudo isso foi feito tendo em vista...”).A função desse pronome é resumir o que foi mencionado anteriormente. O pronome indefinido“tudo” exerce a função sintática de aposto resumitivo e esse é um dos poucos casos em quea concordância não é feita com o(s) núcleo(s) do sujeito, função essa exercida pelo sintagmanominal “Novas carreiras, equiparação de salários defasados em relação ao que pagam omercado e a realização de concursos públicos (há muito interrompidos), além do oferecimentode oportunidades de treinamento”.Por apresentar um sujeito muito complexo, com diversos elementos, optou-se por resumir emum único pronome (apresentado na expressão “tudo isso”) e com ele fazer aconcordância verbal.30 - (TC PR/2002-2003)O Tribunal de Contas do Estado do Paraná tem uma história a contar. São mais de 50 anos defiscalização perene da coisa pública, cujos princípios foram pinçados da própriahistória das Cortes de Contas de todo o mundo. Das contribuições gregas e romanas aomodelo canadense de auditoria moderna, do Tribunal Imperial do Brasil de 1824 ao Tribunal deContas de 1890, do insigne paranaense Manoel Francisco Correia, filho de Paranaguá eprimeiro Presidente do Tribunal de Contas da União, aos ilustres pares que hoje conduzemessa casa, tudo contribuiu para o desenvolvimento de um órgão de fiscalização eficiente edinâmico – dado o constante aperfeiçoamento das ações –, e para a solidificação institucionalde um colegiado independente e atuante, como o Tribunal de Contas paranaense. E dentro desua competência, o Tribunal de Contas tem buscado na informação, por intermédio dosmais diferenciados meios de comunicação, a formação de sua história, na luta incessante eimplacável contra a corrupção e o mau uso do dinheiro público.www.tcparaná.gov.brEm relação ao texto, assinale a opção correta.e) O uso da palavra “tudo”(l.10) é recurso coesivo que retoma de forma sintética asinformações anteriores, exigindo a concordância do verbo “contribuir” no singular.Item CORRETO (gabarito da questão).Comentário.O que se afirma no item e já foi comentado na questão anterior. O pronome “tudo”, bem comooutros pronomes (nada, todos, ninguém), nesse tipo de construção, tem a função de retomar,de forma resumida, o sujeito já apresentado (normalmente enumerativo, longo e complexo) e,excepcionalmente, substitui o elemento (sujeito) com quem o verbo deveria concordar.31 - (TC PR/2002-2003) Assinale a opção correta.O problema da corrupção e do uso indevido do dinheiro do povo na administração públicaconstitue(1) um mal que, em maior ou menor escala, atinge todas as sociedades. No Brasil, aatuação do TCU é de grande importância no combate ao desvio do dinheiro público. Neste anoe até agora, os julgamentos do Tribunal implicaram em condenações de maus gestores queatingiram acerca de(2) quatrocentos milhões de reais, recursos esses que serão revertidosaos(3) cofres da Nação. Na área de fiscalização de obras públicas, em sintonia com o
  26. 26. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoCongresso Nacional, poderá ser bloqueado,(4) no Orçamento da União para 2003, recursosfederais para mais de 160 obras auditadas pelo TCU, nas quais(5) apresentaramirregularidades graves, compreendendo recursos da ordem de bilhões de reais.www.tcu.gov.br Notas da imprensa, 25-11-2002, com adaptações.a) 1b) 2c) 4d) 3e) 5Gabarito: DComentário.O item correto é o (3), letra d. Vários candidatos não perceberam a armadilha nacorrespondência entre os números e as letras das opções. Houve inversão entre os itens (3) e(4) e as opções c e d. Com isso, muita gente deve ter marcado a letra c pensando estarindicando o item correto (3), quando, na verdade, estava marcando um dos itens incorretos, o(4)! Pura maldade!Em suma: essa não foi somente uma prova de Língua Portuguesa, mas também um testeavaliador da atenção do candidato.A questão em si foi simples. As incorreções são:Item (1) – constituiItem (2) - “que atingiram cerca de (aproximadamente) quatrocentos milhões de reais”Item (5) – “as quais (as obras) apresentaram irregularidades”O item que merece maior comentário é o (4) – houve desacerto entre o sintagma verbal“poderá ser bloqueado”e o termo a que ele se referia: “recursos federais”. A construção correta seria “Na área defiscalização de obras públicas, em sintonia com o Congresso Nacional, poderão serbloqueados, no Orçamento da União para 2003, recursos federais para mais de 160 obrasauditadas pelo TCU”.32 - (TFC SFC/2000) Assinale a opção em que ocorre erro de concordância verbal.a) Em uma economia estatal ou centralmente planejada, a responsabilidade pelas decisõeseconômicas são centralizadas nas mãos do governo.b) Os meios de produção – com exceção da mão-de-obra - são de propriedade coletiva.c) A burocracia governamental decide quais são os produtos – e em que quantidade – serãoproduzidos de acordo com um plano nacional centralizado.d) Os recursos são alocados entre unidades através do sistema de cotas.e) Os defensores desse sistema enfatizam os benefícios da sincronização e distribuição derecursos em um todo unificado, evitando o desperdício da duplicação inerente à competição.(Adaptado de Enciclopédia Compacta de Conhecimentos Gerais – Isto É- p.204 e 205)Gabarito: AComentário.Com relação às informações apresentadas no item a, pergunta-se: o que é centralizado nasmãos do governo?Resposta: a responsabilidade pelas decisões econômicas.
  27. 27. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoO núcleo do sujeito é responsabilidade, de modo que o verbo de ligação e o predicativo dosujeito, para que se respeitem as normas de concordância, deverão ficar na 3ª pessoa dosingular – a responsabilidade pelas decisões econômicas é centralizada nas mãos dogoverno.33- (FISCAL MS / 2001) Marque a palavra, a seqüência ou o sinal de pontuação sublinhado,que foi mal empregado.Três fatores condicionam hoje o panorama nacional:(A) a crise argentina, a crise de energia eas incertezas políticas. A persistência desses(B) quadros reduzem(C) o ritmo de crescimentodo país de 4% para cerca de 2% ao ano(D) e deixa o mercado cambial mais instável(E).(Geraldo Carbone, adaptado)a) Ab) Bc) Cd) De) EGABARITO: CComentário.A essa altura, você já deve ter percebido como vêm sendo apresentadas as questões deconcordância. São duas as técnicas usadas para que o candidato se confunda, esqueça o quejá leu e erre a concordância verbal: o núcleo do sujeito se distancia do verbo e entre os doissão colocados diversos elementos (em número oposto ao do núcleo do sujeito); ou altera-se aordem direta dos elementos da oração, sem que, em nenhum dos casos, se respeite aconcordância verbal.Na questão ora analisada, o núcleo do sujeito é persistência e o verbo reduzir deveria estarno singular (“A persistência desses quadros reduz o ritmo de crescimento do país...”).34 - (FISCAL MS / 2001) Assinale a opção em que o texto foi transcrito com erro deconcordância.a) Seja qual for a forma adotada para controle global sobre as forças globais, não pode seruma cópia ampliada das instituições democráticas desenvolvidas nos primeiros séculos dahistória contemporânea.b) Tais instituições se fizeram na medida do Estado nacional – que era então a totalidade socialmaior – e são particularmente pouco aptas para ampliação em uma escala global.c) O Estado nacional também não era uma hipérbole dos mecanismos comunitários, mas, pelocontrário, era o produto final de formas radicalmente novas de convivência humana, assimcomo a solidariedade social.d) O Estado nacional, que finalmente proporcionou a tão procurada resposta aos desafios da“primeira secessão”, surgiram apesar dos obstinados defensores das tradições comunitárias emediante progressiva erosão das já débeis e diminutas soberanias locais.e) Toda resposta eficaz à globalização não pode ser nada além de global. E o destino desemelhante resposta global depende de que surja e tome corpo um âmbito político global,entendido como algo distinto de “internacional”.(Zygmunt Bauman, O desafio ético da globalização,Correio Braziliense, 21/07/2001)GABARITO: DComentário.
  28. 28. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoCom relação à passagem apresentada no item d, perguntase: o que surgiu apesar dosobstinados defensores das tradições comunitárias e mediante progressiva erosão das já débeise diminutas soberanias locais?Resposta: “o Estado nacional”, sujeito do período, cujo núcleo é representado por Estado.Assim o verbo deveria estar no singular (surgiu) – “O Estado nacional, que finalmenteproporcionou a tão procurada resposta aos desafios da “primeira secessão”, surgiu apesardosobstinados defensores das tradições comunitárias emediante progressiva erosão das já débeise diminutas soberanias locais”.35 - (AFC STN/2002) Julgue os trechos abaixo quanto à correção gramatical e assinale aopção correspondente.IV. “Eu, como outros analistas, vimos a experiência argentina de perto e, mesmo que o Brasiltenha um governo democrático forte, com instrumentos para agir rápido e munição paradisparar, nada podem contra as forças do mercado”, disse o economista.Item INCORRETO.Comentário.Dessa vez, o pronome indefinido “nada” exerce a função de complemento verbal de “poder”(“O Brasil pode nada contra as forças de mercado.”). O sujeito está representado pelosubstantivo próprio Brasil. Observe que o erro foi de concordância verbal, devendo aconstrução ser: “... e,mesmo que o Brasil tenha um governo democrático forte,com instrumentos para agir rápido emunição para disparar, nada pode contra as forças do mercado”, disse o economista.” .Sobre a concordância com sujeitos ligados por conjunção comparativa (“Eu, como outrosanalistas, vimos a experiência argentina...”), reproduzimos a lição dos professores CelsoCunha e Lindley Cintra:“Quando dois sujeitos estão unidos por uma das conjunções comparativas como, assimcomo, bem como e equivalentes, a concordância depende da interpretação que dermos aoconjunto. Assim, o verbo concordará:a) com o primeiro sujeito, se quisermos destacá-lo:O nome, como o corpo, é nós também.O dólar, como a girafa, não existe.Neste caso, a conjunção conserva pleno o seu valor comparativo, e o segundo termo vemenunciado entre pausas, que se marcam, na escrita, por vírgulas.b) com os dois sujeitos englobadamente (isto é, o verbo irá para o plural), se os considerarmostermos que se adicionam, que se reforçam, interpretação que normalmente damos, porexemplo, a estruturas correlativas do tipo tanto...como.É inútil acrescentar que tanto ele como eu esperamos que você nos dê sempre notícias.Tanto um como outro se ocupavam em mercadejar.”Considerando que o segmento “Eu, como outros analistas, ...” melhor se encaixaria nadefinição de letra a, a concordância deveria ser feita com o pronome reto: “Eu, como outrosanalistas, vi a experiência argentina de perto”.Bem, por hoje é só (só?!?!?!).Na próxima aula, voltamos a tratar desse assunto, apresentando outros casos deconcordância.LISTA DAS QUESTÕES COMENTADAS.
  29. 29. O nosso objetivo é a sua Aprovação1 - (AFC 2002) Assinale a norma gramatical que justifica, com correção e propriedade, a flexãoplural do verbo ser no período abaixo.“Já é mais do que conhecido que o principal problema do sistema tributário nacional sãojustamente as contribuições, e não os impostos propriamente ditos.”(Revista CNT, “Lixo tributário”)a) “Com os verbos ser e parecer a concordância se faz de preferência com o predicativo, seeste é plural.” (Luiz Antonio Sacconi)b) “Nas frases em que ocorre a locução invariável é que, o verbo concorda com o substantivoou pronome que a precede, pois são eles efetivamente o seu sujeito.” (Celso Cunha & LindleyCintra)c) “Se tanto o sujeito como o predicativo forem personativos e nenhum dos dois for pronomepessoal, a concordância será facultativa (pode-se concordar com o sujeito ou o predicativo).”(Dileta S. Martins & Lúbia S.Zilberknop)d) “Expressões de sentido quantitativo (...) acompanhadas de complemento no plural admitemconcordância verbal no singular ou no plural.” (Manual de Redação da Presidência daRepública)e) “Se o sujeito composto tem os seus núcleos ligados por série aditiva enfática (...), o verboconcorda com o mais próximo ou vai ao plural (o que é mais comum quando o verbo vem antesdo sujeito)”.(Evanildo Bechara)2 -(Assistente de Chancelaria/2002)As viagens ao exterior e os encontros com figurões estrangeiros constituem, desde o reinadode Dom Pedro II, um trunfo na estratégia das lideranças brasileiras. De fato, as críticas àsviagens internacionais do Presidente da República ou de outros dirigentes parecemdespropositadas. Tanto o governo como a oposição devem reposicionar os interessesbrasileiros num mundo em plena mutação. O problema que se coloca é de outra natureza e seresume numa interrogação pouco formulada na campanha presidencial: quais devem ser osrumos de nossa diplomacia?(Luiz Felipe de Alencastro, Veja, 10/04/2002, com adaptações)Assinale a relação de condição incorreta a respeito do emprego das estruturas lingüísticas notexto.d) o conectivo “Tanto...como”(l.6) for substituído por Não só ... mas também, o verbo seguintepode ser empregado no plural, “devem”(l.6), ou no singular, deve.3 - (AFC 2002) Assinale a proposição correta a respeito da estrutura morfossintática do textoabaixo.“A ‘Guerra Fiscal’ pertence a uma classe geral de fenômenos que emergem quando iniciativaspolíticas dos Governos subnacionais adquirem conotações negativas e geram efeitoseconômicos perversos em decorrência do caráter insuficiente ou conjunturalmente inoperantedo quadro político-institucional que regula os conflitos federativos, o qual se revela incapaz degarantir um equilíbrio mínimo entre interesses locais de forma a evitar efeitosmacroeconômicos e sociais perversos.”(C. Cavalcanti & G. Prado, com adaptações)a) A forma verbal “emergem”(l.2), flexionada no plural, constitui incorreção, pois suaconcordância deve se dar com o substantivo “classe”(l.1), núcleo do grupo nominal “classegeral de fenômenos”.4 - (AFC 2002) Assinale a opção em que o trecho do texto foi transcrito de formagramaticalmente correta.
  30. 30. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) Modernizar, palavra neutra em matéria de valores morais, pode simplesmente servir depretexto para justificar a adesão ao paradigma dominante, desqualificando, ao mesmo tempo,como dinossauros préhistóricos, os que a ele resiste.5 - (Analista Comércio Exterior/ 1998) Marque o item sublinhado que apresenta erro gramaticalou impropriedade vocabular.A primeira expedição científica à(A) Amazônia foi feita em 1638 por George Marcgrave, umnaturalista alemão. Até o final do século XVII, o que se procuravam(B) eram animais exóticos,dentro da ótica do "estranho mundo novo": peixe que dá choque, aranhas gigantes, mamíferosque vivem submersos nos rios. Nos séculos seguintes, o objetivo passou a ser a coleta domaior número possível de bichos de diferentes espécies. Até os anos 40, os museusestrangeiros pagavam coletores profissionais(C) para levar espécimes(D) da fauna e floranacionais(E) para suas coleções. O Brasil só assumiu a pesquisa científica na Amazônia hápoucas décadas. Agora, a idéia é conhecer para preservar.(Baseado em Flávia Varella, Veja - Amazônia, 24/12/1997)a) Ab) Bc) Cd) De) E6 - (Analista Comércio Exterior/ 1998) Marque o item sublinhado que apresenta erro gramaticalou impropriedade vocabular.No próximo ano, estará a Declaração Universal de Direitos Humanos completando seucinqüentenário, no limiar do novo século. Ao longo das cinco últimas décadas, testemunhamoso processo histórico de gradual formação, consolidação, expansão e aperfeiçoamento daproteção internacional dos direitos humanos, conformando(A) um direito de proteção dotado deespecificidade própria. Esse processo partiu das premissas de que(B) os direitos humanos sãoinerentes ao ser humano e, como tais(C) antecedem a(D) todas as formas de organizaçãopolítica, e de que sua proteção não se esgota na ação do Estado. Ao longo deste meio século,como respostas às necessidades de proteção, tem-se(E) multiplicado os tratados einstrumentos de direitos humanos, a partir da Declaração Universal de 1948, tida como pontode partida do processo de generalização da proteção internacional dos direitos humanos.(Baseado em Antônio Augusto Cançado Trindade)a) Ab) Bc) Cd) De) E7 - (TCE RN/2000) Marque o item em que um dos dois períodos está gramaticalmenteincorreto:c) No gênero das leis federativas, é possível discernir duas espécies bem visíveis: leis federaisintransitivas e transitivas. / No gênero das leis federativas, podem-se discernir duas espéciesbem visíveis: leis federais intransitivas e transitivas.8 - (TCE RN/2000) Marque o segmento do texto que apresenta erro(s) de construção sintática.a) Em julho último, editou a União a Lei ordinária no 8.666, cujo artigo 5o impôs àAdministração Pública, nos três níveis de Governo, a obrigação de pagar, em “estrita ordem
  31. 31. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãocronológica das datas de suas exigibilidades”, para cada fonte diferenciada de recursos, osbens e serviços que adquirir.b) A ementa dessa Lei esclarece que a norma está regulamentada no inciso XXI do artigo 37da Constituição, que impõe o processo de licitação nas aquisições governamentais de bens eserviços, assegurando que nos certames é preciso haver “igualdade de condições” entre osconcorrentes e que nos contratos “se estabeleça obrigações de pagamento, mantida ascondições efetivas da proposta”.c) A União legislou obviamente no exercício da competência que lhe deferiu o inciso XXVII doartigo 23 da Constituição, para editar normas gerais de licitação e contratação.d) E, ao fazê-lo, inseriu dispositivo não pertinente a esse campo, mas sim ao direito financeiro.e) Mas também aí a competência para legislar, embora concorrentemente com os Estados eDistrito Federal, foi atribuída à União pelo artigo 24, inciso I, da Constituição.(Baseado em Austen da Silva Oliveira)9 -(Fiscal de Fortaleza – 1998) Indique entre os itens sublinhados o que contém erro gramaticalou impropriedade vocabular.Tudo parece indicar, a essa altura, que(A) as repercussões da crise dos países asiáticos sobrea América Latina serão bem menos acentuadas do que(B) se imaginava faz(C) poucos meses.Pouco a pouco, foram-se percebendo(D) que os problemas daquela região são devidos à(E)desorganização de seus sistemas financeiros e a uma especulação imobiliária desenfreada.(Gazeta Mercantil, 21 e 22/2/1998, adaptado)a) Ab) Bc) Cd) De) E10 - (Oficial de Chancelaria/2002) Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.Nunca antes foram tão(1) favoráveis as condições para uma política externa de realizações noBrasil. É preciso(2) aproveitar essas condições, multiplicar o seu efeito benéfico, pô-las(3) aserviço de interesses muito claros – e preementes(4) – do Brasil em suas relações com omundo exterior. Fizemos(5) muito para consolidar uma imagem nova, de credibilidade econfiabilidade, de um País que é capaz de enfrentar com determinação e autoconfiança osseus problemas. Demos passos concretos nesse sentido e estamos recolhendo os benefícios.(Adaptado de www.mre.gov.br, Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados)a) 1b) 2c) 3d) 4e) 511 - (TCE ES/2001)O pensamento moral da Ilustração baseava-se em três idéias centrais: a idéia de que a moralpodia ter um fundamento secular; a idéia de que o indivíduo, considerado como célulaelementar da sociedade, tinha direito à auto-realização e à felicidade e podia descentrar-secom relação à vida comunitária, criticando-a de fora; e a idéia de que existe uma naturezahumana universal, de que existem princípios universais de validação ética, e de que existe umpequeno núcleo de normas materiais universais.(Sérgio Paulo Rouanet)

×