52 (4 xi3D x                                                                                  88 Polo BlueMotion
         ...
~> Carta ao leitor
                                        Personagens
                                        da História...
>YlVa-yoz
   Amensagem dos leitores
                                                                                      ...
Chinês no Mercosul
 A GM do Brasil, após anos produzindo      mentos, que mais parecem telas de TV
automóveis medíocres e ...
~
           ~.1'        .quot;   •
  ,....
             r · . ~.T'
           ~.                   ~

    J
             ...
Baixa no museu                                                                Retrato naaonal
Os problemas juridicos      ...
Ees nao tem preço                                                                                      3OOSLR122

  Ou mel...
5. BugattiTYPE 41 ROYALE
Era óbvia a inclusão do Royale. Mas qual das seis unidades, todas
com motor oito-cilindros de 12,...
ocarro mais rápido de sua
                   época é derivado do modelo
                   5 desenhado por Ferdinand
     ...
9. Maserati 250F CHASSI 2529
 Para muitos, o M carro de Juan Manuel Fangioquot; simboliza o auge da era
 dos Grand Prix. F...
~>Via expressa
                              ROLLS-ROYCE 200EX
                              De conceito, o quot;pequenoqu...
HYUNDAIIX-ONIC
Anova geração do utilitário Tucson deve
ter o conceito como base, sem tantos traços
futuristas. O motor 1.6...
Elo perdido
o::~~P
         Aalemã Audi udescobrequot; seus parentes brasileiros

         S
                e você é desc...
DIREÇÃO ASSISTIDA
                                                                                              ,
        ...
Agalinha (de ouro) dovizint1o
Os carros elétricos-fazem do lítio o potencial petróleo do século 21 e                      ...
I~Via expressa

                                Força para os' elétricos
                                Demanda existe, e...
~Grandes carros
 Modelos que mudaram a direção do mundo IEdição: Zeca Chaves Izeca-cna- e~aJabrt .coml:-




 JAGUAR MARK ...
No Mark V, como
                                                                                                          ...
CHEVROLET CARAVAN SS
        FIÇHA
        TECNICA

                               Parece, mas não é
Motor: dianteiro, 6
c...
ovolante acolchoado de três raios vazados era exclusivo




                                                          Entr...
EM DIA              ..i
                                                                                                  ...
Dimensões:
comprimento, 475 cm;
largura, 193 cm; altura,
178,5 cm; entre-eixos,
n/d; peso, 2235 kg
Principais equipamentos...
R$ 64 365 IPOR PÉRICLES MALHEIROS I FOTOS MARCO DE BARI
SEU POR


Honda Civic LX5 Flex
Frente é retocada para mantê-lo jov...
~Zero




Padronagem degradê
com costura vermelha




                            Mégane com cara
                        ...
F~EIO
ESUSPENSAO
omodo Cíty deixa
a direção levíssima.
O5tilo é confortável,
mas não prazeroso.

****
MOTOR E CÂMBIO
Omoto...
DIREÇÂO, FBEIO
                                                                                                           ...
FBEIO
E SUSPENSAO
oacerto do Focus é
um raro prazer. Trava
comunicação clara
com o motorista.

*****
MOTOR E CÂMBIO
Omotor...
entre-eíxos (20 cm menor que no Palias) dá menos espaço para pernas que no Focus. Ar dual-zone e rádio Bluetooth

        ...
DIREÇÃO, FBEIO
E SUSPENSAO
Suspensão sofisticada,
voltada ao conforto.
Falta harmonia com a
direção, pesada, que
busca a e...
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf

14,844

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
14,844
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
119
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista Quatro Rodas - março 2009 edicao 589.pdf

  1. 1. 52 (4 xi3D x 88 Polo BlueMotion 68 ML 63 AMG Focus x Golf x 5tilo oconforto de um Mercedes Classe S Menor consumo, preço maior e visual estranho. Será que vale a pena? Marcamos um encontro na pista com com o desempenho de um BMW M5 os hatches médios que inauguram um 76 Punto T-Jet 92 Novo Vectra novo patamar de conforto e satisfação A emoção do turbo está de volta à Fiat Sorridente, o sedã quer ficar mais popular 62 Kia Magentis 98 Volkswagen Eos 82 Esportivos na pista Civic e Corolla que se cuidem! Ocoreano vem aí com preço, espaço e design repaginado T-Jet, Civic Si e Golf GTI voam em Interlagos Levante a mão aos céus... em 25 segundos 82
  2. 2. ~> Carta ao leitor Personagens da História cena automobilística foi A tomada por dois movi- mentos igualmente sur- preendentes e significati- vos. A saída de Bob Lutz, vice- presidente da GM mundial rumo à aposentadoria - mais que justifi- cada, diga-se, aos 77 anos e com um portfólio que ajuda a compor a história recente das três grandes americanas (Chrysler, Ford e GM) Cartão de visita de Bob Lutz: voo 5010 -, chega de forma inesperada. Lutz, que nunca escondeu sua opção pela cavalaria à diplomacia ecoló- gica, percebeu a mudança dos ventos dentro de um ambiente adverso. 104 Rolls no rali Considerado o pai do Volt, o carro movido a bateria que a GM amm- Aaventura de um Phantom na cia para 2010, conseguiu emplacar o projeto numa empresa em que o assunto carro elétrico era tabu desde o fracasso do EV-1, programa can- rota do Dakar pela América do Sul celado em 2003 em meio a muita controvérsia. 108 O sonho Gurgel Não deixa de surpreender que, a menos de um ano do lançamento oengenheiro que virou carro nacional previsto do Volt, o timoneiro abandone o barco (veja na pág. 20). Com uma agenda livre, agora ele poderá asswnir em tempo integral a função 114 Kers no grid indicada no cartão de visita com que faz questão de se apresentar - na Como é o sistema que pode mudar a F-l sua quot;garagemquot; estacionam dois caças, um russo e um checo. Não menos surpreendente foi o anúncio da saída do papa do design da BMW, Chris Bangle. O mais celebrado e influente designer de carros da atualidade, Bangle é responsável por projetas tão admirados quanto polémicos. Para os sóbrios padrões alemães, ele esticou a corda até onde ninguém havia ousado e criou escola. Concorrentes e admiradores beberam na sua fonte e hoje não é dificil identificar suas marcas em modelos fabricados pelo mundo afora. Não em menor número estão seus detratores, que o consideram um personalista mão-pesada desde a apresentação do discutível Série 7, em 2001. Por aqui, uma outra despedida. O engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel morreu no início de fevereiro, depois de abatido por mais de uma década pelo mal de Alzheimer. Visionário, empreendedor e absolutamente comprometido com suas crenças, Gurgel fez carros ori- ginais, práticos e resistentes como eles só. E antecipou em décadas dis- cussões que hoje estão em pauta, como vocé pode conferir no perfil escrito por Eduardo Viotti, na página 108. Um abraço, Sérgio Berezovsky Diretor de redação sberezovsky@abril.com.br
  3. 3. >YlVa-yoz Amensagem dos leitores Volvo OU Blazer? A hora dos seminovas O Volvo XC60 é perfeito, um crossover Adorei a capa e o,a?sunto me interes- lindo, moderno, completo e seguro (quot;Corpo e espírito elevadosquot;, janeiro), sou muito (quot;O brilho dos seminovasquot;, Fiquei surpreso ao ver seu preço: imagi- fevereiro). Mas, sinceramente, onde nava que chegaria aqui com valor de vocês encontraram carros com esses BMW X3. Um XC60 com preço em tomo valores? Aqui no Paraná os preços dos de 150000 reais? E saber que uma usados estão de 7 000 a la 000 reais mais caros que na revista. antiguidade como a Blazer Executive Humberto Nabarro custa 140 000 reais... Douglas Amaral Curitiba, PR ltapetininga, SP Os preços foram encontrados em auto- rizadas de São Paulo na semana de fechamento da edição (19 a 23 dejanei- ro). Na época, a Autolnforme registrou queda de 4,8% nos valores dos usados, , um recorde. Desde então os preços subiram. Mas, no fechamento desta edi- ção, encontramos no site Webmotors nove Vectra 2007abaixo de 40 000 reais e 13 Fusion abaixo de 50000 reais. Vale o lembrete: o valor anunciado é aquele Queria parabenizá-los pela que o vendedor gostaria de receber. Aparência cativante reportagem sobre os usados. Conversando, o preço cai. A matéria do novo Captiva (quot;Cativa ou Otexto mostrou como as Passo simbólico geral?quot;, fevereiro) não me convenceu, Finalmente uma notícia sobre o Sym- porque não adianta um carro na faixa de pessoas muitas vezes não boi (quot;O substitutoquot;, fevereiro). Espero 90000 reais ser simples. Além do mais, conhecem ou não pesquisam os que a Renault acerte o passo no Brasil. ele ficou com uma aparência estranha. Acho absurdo um carro como o Palio Os para-choques dianteiros dão um ar preços antes de fechar negócio. pós-2002 vender mais que o Clio, de off-road e os de trás dão a impressão mesmo na nossa versãozinha defasa- de um carro de 30000 reais, como uma Guilherme dos Santos de castilhos quot; da. Quem me dera um Clio 2,5 com a Parati dos anos 90. Na faixa de 90000 Caxias do Sul, RS nova frente do Symbol. reais, acho que aaparência étudo. Fabio Ucastro Wolner Bergamaschine Guarulhos, SP BartJacena, MG Leitor repórter oFLAGRANTE? MANDE PRA GENTE! FEZ Carrinho de mão...za Puxadinho Se colar, colou! Pelo jeito, os 98 cavalinhos do motor pediram Quem disse que Fusca não Imagine se a moda pega e as aposentadoria, deixando o velho Monza na mão. é bom de levar bagagem? fábricas aderem a essa idéia... Henrique Suba Fernando Araújo George Bezerra Magalhães São Paulo, SP Itaí,SP Fortaleza, CE SQUATRORODASMARÇO
  4. 4. Chinês no Mercosul A GM do Brasil, após anos produzindo mentos, que mais parecem telas de TV automóveis medíocres e defasados em preto-e-branco na sombra de nuvens Achei impressionante a viagem feita relação a seus produtos vendidos na pelo Femando Valeika de Barros (Longa carregadas de mau humor. Que t,,1 se os Europa ou mesmo nos EUA, vem agora fabricantes combinassem entre si dois Duração, fevereiro). Não tanto pela via- com o Captiva (tanto o 2.4 como o V6) ou três anos de produção de carros ale- gem em si, mas por ter feito o trajeto a mostrar que pode oferecer automóveis gres para defender a bandeira do positi- bordo do MI00, que, além de ter con- de melhor qualidade. Espero que um dia vismo nessa negra crise mundial? fiabilidade questionável, tem motor Charles Bald fraco e não deve ser mais seguro que a GM possa produzir carros com mais um carro brasileiro dos anos 80 (duvido tecnologia e preço acessível, como a Florianópolis, SC que ofereça segurança comparável à Honda e a Toyota, referências de quali- Aficha do Lacetti dade ecompetitividade. de um compacto moderno de projeto europeu). Quanto à afirmação de que João Paulo da Cruz Creio que aficha da GM caiu muito tarde há oficinas Efta no Uruguai (realmente, Ribeirão Preto, SP com relação ao mercado brasileiro (quot;O já vi alguns deles rodando por lá), per- futuro da GMquot;, janeiro). AToyota, a Hon- Só tem tamanho gunto: eles forneceram os endereços da e agora a Ford estão muito na frente, Com respeito ao comparativo entre os principalmente Toyota e Ford, com das autorizadas no Uruguai? Ese o car- ro quebrasse na Argentina? sedãs Peugeot 207 e WJ Polo, eles evi- motores modernos ecomando de válvu- Fernando Cardoso dentemente não deveriam ser compa- la variável. A quot;nova maquiagemquot; do Vec- rados, mesmo sendo carros de tama- tra será seu velório, pois não passa de Rio Grande, RS nhos similares (e só), mas com propos- um imitação barata da Opel. Estradas graciosas ErickAlexandro Vilela do Amaral tas das fábricas tão distintas (quot;Disputa entre cavalheirosquot;, janeiro). Se o Peu- Adorei a matéria sobre viajar de carro Brasnia, DF (quot;Roteiros de cinemaquot;, janeiro), principal- geottivesse os mesmos equipamentos do Polo, estaria com o mesmo preço (ou Mesmo com 15 anos de idade, tenho as mente por ser carioca ejá ter feito todos menos, até) e certamente a avaliação edições do Vectra GSI, de 1993, ado Vec- esses caminhos, com exceção de um, e CORREÇÕES seria mais justa. justamente o mais perto de mim, que éo tra CD, de 1996, e a do Vectra Elite, de • Em Grandes Milton EgasDiniz 2005, as versões que considero as trecho Teresópolis-ltaipava. Mas agora, Brasileiros (pág. 32), melhores de cada geração. Ao ver a capa com o incentivo da r-evista, com eerteza Bragança Paulista6P o Passat Iraque foi de janeiro, fiquei feliz em ver osubstituto farei. Se me penmitem, faltou uma estra- produzido nas cores Renascer das cinzas branco, cinza, verde, da na relação, que afinal éa única do Bra- da atual geração da linha Vectra, um óti- azul-claro, azul-escuro oBrasil é o país das cores. Da terra de mo carro, e parabenizar a GM, em meio à sil que possui um pórtico na entrada. e marrom. Todas as todos os tons, da fauna de tantas estam- Estou falando da estrada da Graciosa, no crise atual, por dar continuidade ao seis cores eram sólidas. Paraná, próximo a Curitiba. Éuma estra- pas, da flora exuberante, da moda des- melhor modelo de sua linha. Pelo visto • No teste do captiva Ecotec (quot;Cativa ou contraída, do carnaval alegre. Mas, em vou ter mais uma capa com a sequência da lindíssima, cheia de hortênsias, e vale geral?quot;, pág. 68), a se tratando de automóveis... só se vê dos lançamentos do Chevrolet Vectra. a pena mesmo conhecer. cilindrada é 2384 cm' William Kirinus Marcos G. de Almeida prata, preto, branco e um ou outro ver- e a direção tem Taubaté, SP melho isolado nos nossos estaciona- São Borja, RS assistência elétrica. Veja mais fotos no site www.quatrorodas.com.br Fiai condensado Abre viatura Dose dupla Tamanho não é documento Receita caseira para fazer Não se preocupe, você não está vendo um concentrado de 147. para a Polícia Federal argentina. coisas. Bem, quer dizer, acho que está sim. Andre Regueira Luik de Faria Denis Bhergami Franco Florianópolis, SC Santo André, SP Niterói, RJ MARÇO QUATRO RODAS 9
  5. 5. ~ ~.1' .quot; • ,.... r · . ~.T' ~. ~ J ~:o' rl~quot; , ~,~ . .. - - .rl.- -,:- -c::a- ... PLYMOUTH PROWlER Lutz perdeu a vaga de lacocca para Bob Eaton (esq.). Eseu Prowler foi um fiasce
  6. 6. Baixa no museu Retrato naaonal Os problemas juridicos APirelli gosta de associar seu na fábrica da GM em São José dos nome à fotografia, e volta a exibir Campos (SP). AUlbra teve 53 dos enfrentados pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) atingiram veículos de seu acervo lacrados pela parte de seu acervo. Em 12 de março, o Museu de Arte de São oacervo automotivo de seu Museu Justiça. José Augusto Moreira, Paulo (Masp) abre a l7a Coleção de Tecnologia, em Canoas (RS). coordenador do museu, diz que a Aparceria entre a instituição e a rescisão foi de comum acordo e Pirelli/Masp de Fotografia. São 80 GM chegou ao fim após seis anos. que, por falta de verba, a GM não obras, 20 a mais que de costume, em alusão aos 80 anos da marca Assim, 73 veículos nacionais e teria como investir em projetos no Brasil. Estão retratadas belezas importados, incluindo desde um especiais ou no restauro de alguns modelos. Pol€micas à parte, o que Oldsmobile Curved Dash de 1904 como o Simca Chambord acima e a Garota de Ipanema, Helô aos mais recentes Opala e Kadett, se espera é que o acervo encontre estão deixando o museu para logo uma nova morada - e, de Pinheiro. Até 3 de maio. Mais Helô Pinheiro na praia informações em www.masp.art.br. de Ipanema, em 1960 serem guardados provisoriamente preferência, aberta ao público.
  7. 7. Ees nao tem preço 3OOSLR122 Ou melhor, têm sim. Difícil vai ser comprar uma dessas 25 celebridades sobre rodas IPOR DAVID L1llYWHITE, DA OCTANE (INGLATERRA) cravado em 1955. sem falar do carro Você verá aqui uma seleção dos 25 car- ós que gostamos de carros soubemos N ros mais valiosos da história, indicados por em si, com um inédito sistema quando uma Ferrari 250 GT Califor- colecionadores, leiloeiros e especialistas, mecânico de abertura de válvulas nia foi leiloada por 5,6 milhões de que estimaram o potencial preço dessas e sua carroceria feita de liga de libras, em 2008. Longe dos holofotes, celebridades. Alguns são notórios e não é porém, essas cifras são ainda maiores. E o magnésio. Mas também foi em um surpresa que estejam aqui, mas como saber 300 SLR que Pierre Levegh avançou que dizer dos modelos que nunca serão ven- qual vale mais? Tudo se define pela origina- contra o público nas 24 Horas de Le didos, como carros de museu ou de coleções lidade e trajetória - aliás, veja como fazer Mans em 1955, tragédia que fez a passadas de pai para filho? Quando um história em Le Maus é garantia quase certa Mercedes abandonar a prova - etodas automóvel é único ou foi protagonista de de inscrição nesse clube.Admire à vontade, as pistas. Hoje, o 722 de Moss goza a uma grande história, ele vale tanto quanto afinal, para isso não é preciso ser rico... aposentadoria no museu da marca, alguém esteja disposto a pagar. Éo mais próximo de arte que um carro pode chegar - é chamado de quot;Mona Lisa automotivaquot;. Com sua bela carroceria de alumínio, chassi do Type 575 e motor de 200 cv do 57C, é considerado o primeiro supercarro da história, Só três foram feitos. Ochassi 57473 foi atingido por um trem em 1955. O57374 foi comprado em 1971 por 59000 dólares (134000 reais) e 057591, o mais belo e original, está com o estilista Ralph Lauren. 22 QUATRO RODAS MARÇO
  8. 8. 5. BugattiTYPE 41 ROYALE Era óbvia a inclusão do Royale. Mas qual das seis unidades, todas com motor oito-cilindros de 12,7 litros, vale mais? Cada uma foi feita amão por um construtor. O chassi 41111 é o Coupé de Ville Binder vendido pelo maior preço já pago por um Royale. No fim dos anos 90, aVolks pagou estimados 15 milhões de dólares (34 milhões de reais), mais que os 8,7 milhões de dólares do Coupé Kellner. chassi 41141, até 2008 o maior valor pago por um carro em leilão. Porém o mais valorizado é o Royale Cabria, chassi 41121, o único totalmente conversível. Odono, Charles Cheyne, doou-o ao museu Henry Ford. Sistema de som Hi-Fi
  9. 9. ocarro mais rápido de sua época é derivado do modelo 5 desenhado por Ferdinand Porsche, o último que ele criou antes de deixar a Daimler. Omotor 7.0 gera entre 200 e 300 cv, dependendo das especificações, e pode levar o 55K a 193 km/h. A versão 55KL, vencedora da Mille Miglia em 1931 e considerada o mais fantástico entre os cerca de 40 carros feitos pela marca, foi destruída. Um dos remanescentes mais desejados é este aqui, também pertencente ao estilista Ralph Lauren. RS 11 MILHÕES RS 13 MILHÕES 11. Alfa Romeo 14. Auto Union TYPE C oe 2900 LE MANS Só um sobreviveu à Segunda Guerra. Achado num museu da Virou lenda ao abrir 160 km de Letônia, foi comprado pela Audi. vantagem em Le Mans-1938 e quebrar na 23' hora de corrida. RS 10 MILHÕES RS 13 MILHÕES 15. Jaguar D-TYPE XKD600 12. Ferrari TESTA Omodelo D-Type teve três ROSSA 1958 vitórias seguidas em Le Mans. OXKD606 faturou a de 1957. Ochassi 0728TR venceu as 24 Horas de Le Mans em 1958. ~..R~~ __ _ 13. Cugnot FARDIER ÀVAPEUR Oexemplar do primeiro veículo a vapor do mundo está desde 1800 num museu em Paris. Air bag duplo + ABS (HSD) ~ Cruise control -
  10. 10. 9. Maserati 250F CHASSI 2529 Para muitos, o M carro de Juan Manuel Fangioquot; simboliza o auge da era dos Grand Prix. Foi com esse modelo que o argentino venceu o GP da Alemanha de 1957, em Nürburgring, considerado sua melhor corrida em todos os tempos. Nos anos 60, muitos foram tratados como se fossem quot;o carro de Fangioquot;, mas hoje é sabido que ele usou o chassi 2529, comprado em 1988 pelo colecionador alemão Hartrnut Ibing. S 10 MILHÕES R$ 8 MILHÕES RS6Mn.HÕES RS4MD..HõES 19. Aston Martin DB5 24. Lincoln 6. RolIs-Royce 21. itala PRINCE lHANT0M VJOHN LENNON BORGHESE 1007 CONTINENTAL GG 300 Nas filmagens de 007 contra A Iimusine na qual Kennedy foi ohn Lennon trocou o banco de Ganhou fama mundial ao vencer Goldfinger e 007 contra a Chantagem Atôm;ca, o carro foi o rali Pequim-Paris em 1907. assassinado foi usada por mais ás por uma cama de casal e três presidentes americanos. ediu a um cigano para pintá-lo. poupado das cenas perigosas. R$ 5 MILHÕES Está no Museu Henry Ford. S 10 MIlHÕES RS 6,5 MD..HõES 22. Porsche 917 RS3MILHÕES 7. Ford GT40 CHASSI 1075 20. Mini GEORGE HARRISON Só foram feitos oito carros 25. Lotus49 Visto no filme Magicai Mystery para competições, dos quais s vitórias de 1968 e 1969 três pertencem à Porsche. Com o chassi RZ, Jim Clark ~m Le Mans estão entre as Tour, foi nesse carro que George venceu o GP da Holanda de ais espetaculares da história. e John experimentaram LSD. 3 __ RS5 MIUlÕES 1967. Dois anos depois, o carro ~S 9 MILHÕES 23. Cadillac FUETWOOD foi reconstruído como 49B. 8. Aston Martin DBRI 601957 Elvis Presley mandou pintar de encedor de Le Mans em 1959 ob o comando de Carroll Shelby. rosa para a mãe, que nunca guiou. Rodas exclusivas de liga leve 17quot; _
  11. 11. ~>Via expressa ROLLS-ROYCE 200EX De conceito, o quot;pequenoquot; Rolls- Royce só tem o nome 200EX. Fora isso, o carro está pronto para chegar às lojas, em 2010. Com plataforma do BMW Série 7, ele tem 5,4 _ Sensor de estacionamento _
  12. 12. HYUNDAIIX-ONIC Anova geração do utilitário Tucson deve ter o conceito como base, sem tantos traços futuristas. O motor 1.6 turbo de 168 cv tem injeção direta de combustível e o câmbio de seis marchas tem dupla embreagem. FIAT500C Ocarrinho retrô tem versão conversível com capota de lona, disponível em marfim, preto e vermelho. A Fiat também lança o sistema Start&Stop, Que desliga e religa o motor automaticamente com o carro parado. Troca de Não, não é o conceito Beat visto no Salão de Nova Vork de marcha 2007. A nova geração do Spark chega às lojas europeias em ACM decidiu mudar o tipo de 2010 com motores 1.0 e 1.2. acionamento do câmbio do Chevrolet Dentro, os mostradores parecem Captiva V6 vendido no Brasil. Em vez flutuar: eles são presos à coluna de movimentar a alavanca em um de direção e não ao painel. canal com os sinais de + e -, no modo MINI CONVERTIBLE JCW manual o motorista vai comandar Como o hatch e a perua, as trocas por meio de um botão, localizado no pomo do câmbio. Esse o Mini conversível recebe o sistema é igual ao do Captiva Ecotec tratamento esportivo da série 2.4. Segundo a GM, a alteração é John Cooper Works. O motor 1.6 restrita à alavanca. A caixa de câmbio turbo de 211 cv leva o carrinho da versão V6 continua a ter seis a 235 km/h e faz o ponteiro ir de marchas, duas a mais que no Ecotec. Oa 100 km/h em 6,9 segundos. ------- Painel central na cor do veículo _
  13. 13. Elo perdido o::~~P Aalemã Audi udescobrequot; seus parentes brasileiros S e você é descendente de imigrantes, já deve ter GT Malzoni que há um ano e meio está sendo restau- imaginado como seria encontrar seus parentes rado no sul do país, a pedido da montadora. O carro ficará exatamente igual a esse modelo azul, equipa- italianos, japoneses ou árabes. Eles, por sua vez, provavelmente ficariam surpresos ao saber da do com motor DKW 1.0 de dois tempos e três cilin- existência de um primo no país de Pelé eAyrton Sen- dros, um dos 35 fabricados entre 1964 e 1966. na. Histórias assim podem acontecer de verdade. A Audi traçou planos especiais para o mais veloz Tanto que um desses enredos está próximo de seu de seus parentes brasileiros. O Malzoni tem pouso desfecho, com o reencontro entre o centenário garantido no museu de Ingolstad, mas também vai patriarca alemão e seus descendentes brasileiros. acelerar pelo Velho Continente em eventos como o Em março, representantes da Audi virão ao Brasil Festival de Goodwood, na Inglaterra. Não poderia a fim de levar três DKW para o museu da marca: um haver época melhor para o Malzoni encontrar suas Fissore e um Belcar, ambos de 1967 e saídos de uma raízes: 2009 marca o centenário daAudi, e o esporti- coleção do Rio de Janeiro, e a joia plincipal, um raro vo brasileiro já garantiu um lugar cativo nessa festa.
  14. 14. DIREÇÃO ASSISTIDA , Audio visual oronco de um motor pode valer por mil palavras. Ainda mais hora de vender o peixe das montadoras. Aumente ovolume, pois esses vídeos são para quem gosta de ver e ouvir os carros em ação IPOR VlTOR MATSUBARA Nas ondas do V8 Como seria traduzir o som de um motor em forma de ondas? Uma agência • --quot;='''===~~ canadense aceitou o desafio e transformou o ronco do Lexus IS-F em um shaw de luzes e cores. Tempero brasileiro Sinfonia alemã Todo mês de março, os carrões da Com 600 garrafas d'água, autódromos de Interlagos (SP) e Pinhais (PR), nas vésperas das duas muito treinamento e uma GT3 vão para a pista em dois circuitos semana de filmagens, o europeus para ensaios de equalização, primeiras etapas do ano. Um técnico piloto do Audi S3 também em que são decididos os acertos da Alemanha receberá os dados e se tomou maestro. No programa do para nivelar os modelos. Neste ano, vai elaborar uma lista de sugestões quot;concertoquot;, a Marcha Turca, de Mozart. oteste será feito pela primeira vez para equilibrar o acerto dos carros. também no Brasil. A vantagem dessa Fora isso, o regulamento também nova equalização é levar em conta traz mudanças. Veja as principais: Cantando pneu .> não só os acertos usados aqui por Lastro de graduação: as duplas Quem não se incomoda Dodge Viper, Ferrari F430, Ford GT, mais graduadas levarão até 60 kg com os pequenos ruídos Lamborghini Gallardo e Porsche 911, de peso extra nos carros. de um carro? Ocoral desse .> mas também o clima mais quente e Lastro desportivo: as melhores comercial da Honda • as condições das pistas brasileiras. três duplas de uma etapa ganharão exibido na Inglaterra tirou desses barulhos Anovidade tem o objetivo de garantir até 30 kg de lastro na prova seguinte. chatos a inspiração para uma peça bem original. .> Fonnação das duplas: passa a que 2009 não repita 2008, quando ser permitida a formação de duplas 05 Ford GT venceram sete das oito ~quot;quot;'quot; Envie suas sugestões para 4l'odasonline@abril.com.br etapas. Os ensaios ocorrerão nos nível Ouro-Ouro, proibida em 2008. ~quot; e veja os vídeos em www.quatrorodas.cORLbr/direcao www.fial.com.br SAC 0800 707 1000 CHEGOU Não é só turbo. É turbinado. MOVIDOS PELA PAIXÃO. meramente ilustrativa com alguns itens opcionais.
  15. 15. Agalinha (de ouro) dovizint1o Os carros elétricos-fazem do lítio o potencial petróleo do século 21 e PLANOA atraem atenções para a Bolívia, dona de 50% das reservas mundiais sustentável petróleo do futuro também está depositado O sob grandes desertos. Com a aposta da indús- ·.~. .~ tria automotiva nas baterias de íon de lítio para seus modelos híbridos e elétricos, a exploração das grandes reservas mundiais do mineral passaram a • II •. ser cobiçadas por montadoras e empresas multinacio- ... .... O' ......... nais. Esse tipo de bateria já é usado em telefones celu- quot; · ...... lares, computadores e aparelhos eletrónicos portáteis, mas sua adoção em automóveis - ainda que em .0 pequena escala - pode até triplicar o tamanho desse • 1 .... 1 mercado na próxima década. Laboratório da GM para testar baterias dos Muros modelos • .1 I I - ... :. - Atualmente, uma em cada quatro toneladas de ·.-. . 00 .. litio extraídas no mundo é usada em baterias, mas vida dos estrangeiros. Depois dos Estados Unidos, .. .. essa proporção tende a crescer significativamente. hoje o Chile é o principal produtor de lítio, explorado A conta é simples: para um automóvel como o Che- por empresas estrangeiras - um modelo que Morales vrolet Volt ter a autonomia de 60 quilómetros prome- promete não repetir. Tão importante quanto aprimo- tida pela GM, a bateria precisa de 100 vezes mais lítio rar a tecnologia das baterias de íon de lítio será garan- que a usada em um notebook. Por isso, ter acesso e, tir produção suficiente de matéria-prima, e dificil- principalmente, permissão para explorar as grandes mente haverá um caminho alternativo que não passe reservas se tomou tão estratégico quanto aprimorar a pelos grandes desertos de sal da Bolívia. o. tecnologia dessas baterias. E o depósito mais cobiçado está bem perto de nós. PELO MUNDO ABolívia detém metade de todas as reservas de lítio do planeta em locais como o deserto de Uyuni, hoje Principais produtores (em t)* Principais reservas (em t) usado para extração de sal e como atração turística, e Bolívia 5400000 12OOQ Chile já é tratada como quot;a Arábia Saudita do século 21quot;. AustJ!i!!ª 6900 3000000 Çhill1 Multinacionais como a japonesa Mitsubishi negociam 350Q 1100000 China China a exploração dessas reservas com o governo de Evo 27400 Total no mundoquot; 11000000 :rotai no mundo • ESTIMATIVA OE lace •• NÃO INCLUI OS EUA. MAIOquot;ES PRODUTORES MU~DIAIS. QUE MANT~' OS OAOOS SOB SIGILO Morales, mas o presidente boliviano não vai facilitar a fONTE: U.S. GEOLOGICAL SURVEY E ONPM (BRASIU MARÇO QUATRQRODAS 31
  16. 16. I~Via expressa Força para os' elétricos Demanda existe, e está espalhada pelos principais mercados de luxo. A consultoria intemacional Bain & Coo fez uma pesquisa com 4000 entrevistados de alto poder aquisitivo em oito países - como Estados Unidos, China e Alemanha - e constatou que eles estão dispostos a comprar um veículo elétrico como segundo carro, para uso em distâncias curtas. Oestudo sugere que, ao contrário das marcas convencionais, esse segmento pode pensar menos no preço final desses veículos e se dedicar a acelerar o desenvolvimento dos movidos a eletricidade. DA APPLE? ....... , .. ,- 'o I' I II' I I, • too .. •1 .. . Plástico amigo Para quem gosta de carro, entrar num modelo zero-quilômetro com cheiro de novo e bancos encapados é um momento de plena satisfação. Mas também tem seu preço: forma de reduzir o lançamento de o plástico usado para cobrir os dióxido de carbono na atmosfera. desperdício de 20 milhões de litros assentos é de difícil decomposição Aparelho alerta quando Oaparelho, oferecido pela primeira e, mesmo quando reciclado, tem de combustível e lançamento de é hora de vez no Porsche 959 em 1986, alerta 2 milhões de toneladas de COz. Hoje, seu impacto ambiental. A Honda calibrar brasileira resolveu tirar esse peso quando a calibragem está 25% abaixo só Audi, BMW, Mercedes, Opel e Seat do ideal. Segundo a pesquisa, quatro oferecem o monitor em todos os da consciência de quem compra em cada dez motoristas admitem não modelos. Oequipamento chega a Civic e Fit fabricados em Sumaré verificar a pressão dos pneus sequer custar 3S0 euros, quando oferecido (SP) e passou a usar embalagens uma vez por ano, o que resulta num como opcional. biodegradáveis nesses modelos. 32QUATROROOASMARÇO
  17. 17. ~Grandes carros Modelos que mudaram a direção do mundo IEdição: Zeca Chaves Izeca-cna- e~aJabrt .coml:- JAGUAR MARK V A IX Salto de imagem Enquanto o irmão XK brilhava nas pistas, o inglês estabelecia a marca como ícone de sofisticação POR FABIANO PEREIRA I FOTOS MARCO DE BARI D emorou para as montadoras europeias engrenarem novos projetas após a Segun- da Guerra.Apresentado em 1948, o Jaguar Mark V, por exemplo, parecia ser mais moderno do que de fato era. Ele deveria ser lança- do com uma mecânica inédita, mas a Jaguar não podia esperar para atualizar sua imagem. O motor 3.4 de seis cilindros e 160 cv até estava pronto. Mas a empresa preferiu estreá-lo em seu novo esportivo, o XK 120, lançado no mesmo ano, deixando para o MarkV motores que já eram velhos conhecidos. Com um estilo tão elegante quanto conservador, o MarkV ajudou a fixar como símbolo de status a mar- ca que nasceu em 1922. Ele foi o contraponto de luxo à imagem esportiva da Jaguar, que brilhava nas pistas com o XK, que fez sua fama com diversas vitórias em corridas, como as de Le Maus em 1951 e 1952. O Mark V começou com os motores seis-cilindros dos SS Jaguar 21h litre (2,6 litros e 104 cv) e do 31/2 litre (3,5 litros e 125 cv). No teste da revista Autocar Ernvezdas portas, os espelhos de julho de 1949, a versão 3.5 acelerou de O a 96 ficavam sobre km/h em 18,9 segundos e chegou a 145,6 km/h. No os para-lamas câmbio manual de quatro velocidades, a primeira não era sincronizada. Se os motores eram conhecidos, havia a nova suspensão dianteira independente de braços duplos com barra de torção. O eixo rígido tra- Além do painel, havia madeira em volta do tem solar e janelas lIUAlIII-.siMARÇO
  18. 18. No Mark V, como este1951,a porta dianteira abria para trás Asaia unindo 05 para-lamas era a marca do Mark V seiro usava molas semielípticas mais macias. Mesmo os 23 cm de comprimento e 10 cm a mais de largura em relação ao MarkV não diluíam o parentes- Como sedã ou conversível, o desenho seguia a estética dos anos 30, com para-lamas e faróis ainda co visual com o roadster XK. Dele vinha enfim o aguardado motor de 160 cv, que levava seus 1739 kg não embutidos. O Mark V media 4,76 metros, com wn porte comparável ao do Rolls-Royce Silver Dawn a 160 kmJh. Os freios hidráulicos ganhavam servo- ou do Mercedes 500 quot;Adenauerquot;. O exemplar 1951 assistência. O MarkV e oVil foram vendidos em para- Jaguar Mark V 1949 Motor: 6 cilindros em das fotos é um dos últimos MarkV, pois naquele mes- lelo por um ano, até oV se aposentar de vez. linha de 2,6 ou 3,5 litros mo ano o projeto já seria atualizado. O volante amplo Em 1953 viria o câmbio automático, para agradar Potência: 104 cv a 4600 de empunhadura fina permite ajustes de altura. O os americanos. Em 1956 surgiu o MarkVIII, com 210 rpm ou 125 cv a 4250 rpm Câmbio: manual de cv, nova grade, capô com o mascote quot;leaping catquot; e espaço é justo, sem sobras, mas os bancos dianteiros 4 marchas também trazem regulagem de altura. Com um ronco saias mais curtas. Em 1958, o Mark IX já trazia o 3.8 Dimensões: comprimento, de 220 cv que só depois o XK150 usaria, direção seco e elegante, o motor 3.5 dá vida ao Jaguar. Con- 476 cm; largura, 176 cm; altura, 159 cm; forme esquenta, perde ruídos como os das válvulas.A hidráulica de série e os freios a disco do XK nas quatro entre-eixos, 305 cm; embreagem é pesada e as marchas de curso longo têm rodas. Em 1961, o Mark X aposentou o Jaguar mais peso, 1665 kg luxuoso no auge da marca. DoV ao IX, esse aristocra- engates duros. O motor atrás do eixo dianteiro e o l:arroceria: sedã de 4 ta equilibrou com luxo e conforto a esportividade que longo entre-eixos ajudam na estabilidade. portas e conversível de 2 Desempenho: a 100 km/h O Mark Vil de 1951 evitava repetir o nome do tinha o XK. Passados os anos 50, a Jaguar era sinôni- em 19 segundos e Bentley MarkVI e evoluía no design, com para-lamas mo de sofisticação, com forte carisma e apelo emocio- velocidade máxima e faróis mais embutidos. O conversível saía de linha. nal. Um salto longo, mas sem perder a pose. de 146 km/h (3,5 litros) MARÇO QUATRO IlOOAS 3-
  19. 19. CHEVROLET CARAVAN SS FIÇHA TECNICA Parece, mas não é Motor: dianteiro, 6 cilindros em linha, 4093 cm', carburador de corpo duplo e fluxo descendente, comando de Ela inaugurou por aqui a opção de perua com válvulas lateral, a gasolina Diâmetro x curso: apelo esportivo. Só apelo IPOR FABIANO PEREIRA I FOTOS CHRISTIAN CASTANHO 98,4 x 89,7 mm Taxa de compressão: 7,8:1 Potência: 171 cv a 4800 rpm espaço interno sempre encabeçou a lista de que o vigor estava mais na aparência que no conteú- O Torque: 32,S mkgf do. O mote publicitário era quot;leve tudo na esportivaquot;. justificativas para se ter wna perua. Item de a 2600 rpm Cámbio: manual de 4 luxo e conforto podiam fazer parte dos Foi em janeiro de 1978 que a Caravan 55 estreou marchas, tração traseira dotes, mas daí a terem algum apelo esporti- nas páginas de QUATRO RODAS, nwn teste em con- Dimensões: comprimento, 463 cm; largura, 173 cm; vo, isso era outra história. No Brasil, antes de o visual junto com o Opala cupê de luxo com o motor 151-5. altura, 139 cm; lameiro rejuvenescer peruas de hoje, como Palio Assim como no cupê 55, ela trazia faixas pretas no entre-eixos, 267 cm; peso,1250 kg Weekend (Adventure) e Parati (Crossover), o apelo capô e nas laterais, retrovisores externos aerodinâmí- Suspensão: esportivo meramente estético já marcava a proposta cos, faróis de milha, volante esportivo espumado de amortecedores e molas da Chevrolet Caravan 55, lançada para a linha 1978. três raios e bancos de vinil.As colunas laterais trasei- helicoidais. Dianteira: independente, com braço Ainda que não diferisse tecnicamente do restante ras também eram pintadas de negro. triangular superior, braço da linha, a 55 vendia, a exemplo da mesma versão do Em comparativo publicado na edição de março de simples inferior. Traseira: eixo rígido, oarras tensoras 1976, a versão cupê do 55-6 fez Dodge Charger RIr e Opala, a ideia de wna perua feita para uma pegada longitudinais, barra esportiva.Após o sedã e o cupê - este ainda à venda-, Ford Mavelick GT comerem poeira, com máxima de transversal tipo Panhard Freios: a disco na dianteira era a terceira carroceria da linha Opala a receber o 189,48 kmJh, marca que o transformou no nacional e tambor na traseira, de acabamento digno do 55 popularizado pelo Impala mais veloz. Já a Caravan 55 ficou aquém do esperado. acionamento hidráulico, com servofreio Fez 162,895 kmJh de máxima, O a 100 kmJh em nos anos 60. 5e o motor 250-5 de seis cilindros, carbu- Rodas e pneus: aço, rador de corpo duplo e 171 cv tinha coerência com o 12,92 segundos e retomada de 40 a 120 kmlh em 14 x 5; pneus 6,95 5 14 visual de muscle-car dos 55, ainda havia o 151-5 de 27,20 segundos. Nas provas de frenagem, a reporta- quatro cilindros e 98 cv para reforçar a impressão de gem destacava negativamente os grandes espaços 38QUATROROOASMARÇO
  20. 20. ovolante acolchoado de três raios vazados era exclusivo Entre os instrumentos, fazia falta o manômetro de óleo necessários e a dificuldade de manter a trajetória nas frenagens e a falta de lUll manômetro de óleo. Em contrapartida, elogiava o baixo nível de ruído, a posi- ção ao volante e o câmbio, pelo escalonamento de marchas e os engates curtos, precisos e secos. É de 1978 o exemplar prata (de quatro cilindros) fotografado, do colecionador paulista Fabio 5teinbru- eh. quot;Ela se porta como o carro mais comlUll de dirigir, bom para usar no dia-a-dia.quot; Ainda levando em conta o motor, 5teinbruch trata seu carro com irreverência. Como a perua tinha só duas portas, o encosto era basculante quot;É lUll Fusca de rico, simples, mas de porte grande.quot; Um porte de até 1950 litros para bagagem. A Caravan 55 recebeu as alterações da linha Opala 1980, quando a frente foi rebaixada e ganhou faróis retangulares. Rodas e retrovisores tinham desenho novo também e os para-choques eram da cor do car- ro. Foi o ano derradeiro de todos os 55 da linha Opala, que tinha seu luxo enfatizado pela versão Diplomata. Mais rápida na passagem pelo mercado que no acele- rador e mais chamativa pela raridade que pelo visual, nossa primeira perua quot;esportivaquot; fez escola. Tentati- vas posteriores de associar peruas a desempenho, como aVW Quantum 5port de 1990 e as de proposta off-road leve, também enfatizaram o estilo. Ao volante de lUlla 55 de quatro cilindros, com o carro lotado nlUlla subida de serra, entendia-se a o slogan do lançamento: o negócio era curtir a compa- nhia da família e levar tudo o mais na esportiva. <<ml Além da faixa lateral, a (aravan 55 trazia retrovisores aerodinâmicos MARÇO QUATRO RODAS 39
  21. 21. EM DIA ..i Apesar da CriSE a decisão de lança o Fiat Bravo no Bri é uma viagem seI! volta - Iiteralment As ferramentas es a caminho, de nav Olugar reservado para elas, na fábri, de Betim, já está pronto. Começou a produção de um versão mais cara do 5iena 1.8, com câmbio Dualogic. Eo Unea ganhará uma versão mais simples, a EU<. Omotor Tritec roda em alguns Pé Adventure locker. quot;O ronco é mais grossoquot;, diz quem ouviu de perto. Nos próximos anel essa linha de motl médios devem Intercâmbio conviver com aquI do 1.9, do linea, montada na o que um Myvi 1.3 16V, fabricado na Malásia pela Argentina. Mas Perodua, está fazendo no Brasil? Foi a Volkswagen o futuro é todo dei que trouxe para testar - e fez isso porque ela também está atrás de respostas. Na Europa, o Myvi é rival do Apesar da chel do (4 hatch f1ex Fax, com o mesmo tamanho e preço parecido. Etem oVTR outro ponto: o Myvi é irmão do Daihatsu Sirion, que (pág. 52), continuará à ven~ por sua vez é um primo de baixo custo do Yaris. Ou seja, segue o figurino do carro pequeno que a Toyota Omalaio Myvi veio conhecer o Brasil a convite da Volks (com duas portas planeja fabricar em Sorocaba, em 2011. Éimportante e motor apenas a gasolina) por conhecer as qualidades do inimigo e passá-Ias ao Fox. um ano, enquanto Não demora, veremos se o aprendizado funcionou. O novo Fox chegará em junho, em cima do calendário durar o estoque. novo lote (com le do Chevrolet Viva. Terá opção de câmbio automatizado, mudanças de e como o Stilo Dualogic. De tanto ouvir queixas pela falta de um porta-luvas com tampa, a Volkswagen planejou depende de a c dois - mas vai lançar o carro com só um, por escolha do euro baixar. do presidente Thomas Schmall. A reclamação sobre o quadro de instrumentos acanhado também foi atendida (sem surpresa: entra o do novo Gol). Porta-luvas e câmbio automático: o novo Fax terá também <!4 nUA1110 RODAS MARÇO
  22. 22. Dimensões: comprimento, 475 cm; largura, 193 cm; altura, 178,5 cm; entre-eixos, n/d; peso, 2235 kg Principais equipamentos de série: monitoramento da calibragem dos pneus, ar-condicionado digital giro
  23. 23. R$ 64 365 IPOR PÉRICLES MALHEIROS I FOTOS MARCO DE BARI SEU POR Honda Civic LX5 Flex Frente é retocada para mantê-lo jovem (e líder) entre os sedãs m quot;tapinhaquot; é o melhor termo para defi- contra 69340 reais do modelo automático. U A menos que você seja um especialista em Civic, é nir as alterações que a Honda fez no Civic. A frente foi retocada, o interior ganhou preciso calma para achar as mudanças na linha 2009. Na frente, está a principal delas: o para-choque teve a algumas melhorias, o catálogo tem novas opções de cores e... só. Mas está de bom tamanho parte inferior redesenhada, garantindo um aspecto mais esportivo ao exibir três entradas de ar separa- para um modelo que, ao lado do Corolla, promove um verdadeiro massacre na categoria. das, em vez de uma única, centralizada - no EXS e no É até estranho dirigir um Civic manual, como este Si, os faróis de neblina evidenciam o novo layout. A enviado pela Honda para nossa avaliação. A fábrica grade também mudou. Mantém o formato de asa não divulga o mix de vendas das versões (LXS, EXS e com o H da marca ao centro, mas está mais volumosa e agora fica à frente de uma quot;tramaquot; de losangos. Si) ou dos tipos de câmbio, mas a gerente de vendas de uma autorizada paulistana diz que cerca de 65% Por dentro, quase tudo igual. Os bancos têm novo dos Civic vendidos são automáticos. Mas simpatizei tecido e o piloto automático no volante passou a ser de série. O pacote de equipamentos da versão quot;bási- com o carro cedido, ainda mais depois que vi o preço. A versão de entrada LXS custa na tabela 64365 reais, caquot; continua atraente: ar-condicionado, trio elétrico, ABS, EBD, airbag duplo, coluna de direção com regu- lagem de altura e profundidade, alarme e som. No carro testado, ao pisar na embreagem, ouvia- se um ruído típico de falta de lubrificação - ficou a impressão de ser no pedal e não no conjunto em si. Menos mal, pois o barulho aumentou com o decorrer do tempo. Os engates precisos orquestram os 140 cv do 1.8 16V com precisão, pennitindo ao Civic demonstrar esperteza no trânsito urbano com arran- cadas ágeis e retomadas instantâneas. Ainda assim, eu faria como a maioria dos compradores: pagaria Não procure as diferenças no painel do 2009: não há mesmo 5000 reais a mais pelo conforto do automático. MARÇO QUATRO RODAS 49
  24. 24. ~Zero Padronagem degradê com costura vermelha Mégane com cara de mau? Com roda lPIiIe ecur preta, Câmbio: manual de 6 marchas, tração dianteira Dimensões: comprimento, 450 cm; largura 178 cm; altura, 147 cm; entre-eixos, 269 cm; peso, 1355 kg Principais itens
  25. 25. F~EIO ESUSPENSAO omodo Cíty deixa a direção levíssima. O5tilo é confortável, mas não prazeroso. **** MOTOR E CÂMBIO Omotor é rude e o câmbio automatizado tem reações bruscas. Pelo menos é ftex. *** CARROCERIA O Stilo não fica atrás dos mais jovens, em espaço e praticidade, O visual envelheceu. **** VIDA A BORDO Espaço farto para passageiros e suas tralhas, Boa oferta de mimos como sensor de estacionamento, de chuva e de escuridão. **** SEGURANÇA Airbag e AB5 são opcionais, O quinto passageiro tem só cinto abdominal. **** SEU BOLSO Custa menos que os rivais, embora não venha tão equipado. Ano que vem, passará a dividir espaço com o modemo Bravo. **** vai atrás. Opcionais: rádio com entrada USB e o ar dual-zone 54QUATROROOASMARÇO
  26. 26. DIREÇÂO, FBEIO ESUSPENSAO Continua um carro muito bom de dirigir. Éfinme, sem cansar. **** MOTOR E CÂMBIO O excelente câmbio de seis marchas faz o motor parecer bem melhor do que é. **** Volkswagen Golf 2.0 GT CARROCERIA Teto baixo, entre- eixos curto e linhas série nessa versão GT, 5230 reais mais cara que o Os carros do comparativo, o Golf foi o primei- retas: mesmo após D a reforma, parece ro a chegar. Não gosto da reforma que sofreu 2.0 básico. Traz decoração esportiva e algum confor- um carro de 11 anos. em 2007, mas reconheço que alguns ângulos to (caso do ar digital e sensor de estacionamento), *** ficaram bons. De frente é urn deles. Há que se reco- mas que deixa ABS e airbags na lista de opcionais (a 2890 reais). Por mais 5440 reais, você leva o nhecer: o carro que continua em linha, 11 anos após VIDA ABORDO o lançamento no Brasil, não perdeu o rigor na fabri- melhor câmbio automático do país. Acabamento continua O TIptronic de seis marchas é tão bom que faz o cação.Ao pessoal de trás falta espaço para a cabeça, átimo. Sensor de estacionamento Golf ir de Oa 100 kmJh mais rápido que o Focus (que mas meu lugar é na frente e ali sou recebido com urn e retrovisor que banco firme e boa ergonomia. O tecido dos bancos tem 25 cv a mais). Dá ao motor urna vida que ele não aponta para o chão, (com laterais de couro) deve ser mais barato que o tem, trocando de marcha o tempo todo. E a frequên- ao engatanmos a ré, garantem a manobra de couro dos rivais, mas parece distinto. Ele vem de cia de trocas não incomoda, porque as marchas são perfeita. próximas urnas das outras e porque a central, esper- **** tíssima, entende muito bem se você busca economia ou desempenho. Um exemplo disso aparece em des- SEGURANÇA cidas de ladeira. Esse Golf percebe que a falta de ABS e airbag são esforço do motor é motivo para reduzir marchas, ao opcionais, e o quinto passageiro não tem contrário de automáticos convencionais. É oTIptronic apoio de cabeça ou com respostas mais rápidas, mas você não vai precisar cinto de três pontos. fazer trocas manuais. O que você quer, o câmbio **** entende. A suspensão continua justinha, e dirigir o Golf continua mesmo um prazer. O que era para ser SEU BOLSO urna volta no quarteirão levou urnas três horas. Custa tanto quanto rivais mais modernos De volta à garagem, saí do carro satisfeito, mas e equipados. olhei e presenciei uma mágica, digna de Medusa.Ao **** lado do novo Focus, o Golf transforma-se em pedra. Quem vai atrás não aproveita o teto solar e tem menos espaço para os ombros. O rádio (opcional) tem entrada USB e grava mensagens num SO card ,IAARÇO QUATROROOA555
  27. 27. FBEIO E SUSPENSAO oacerto do Focus é um raro prazer. Trava comunicação clara com o motorista. ***** MOTOR E CÂMBIO Omotor não é fiex, e seu bom rendimento é apagado pelo cambio sequencial de quatro marchas. **** CARROCERIA A carroceria atende às mais novas regras de segurança ao pedestre. **** VIDA A BORDO Falta sensor de chuva, de luminosidade e retrovisor eletrocrômico. Sob o apoio de braço há porta-trecos com USB e tomada 12 volts. **** SEGURANÇA Airbag duplo, ABS, cinto de três pontos e apoio de cabeça para todos, tudo de série. ***** Só QUATRO ROOASMARÇO
  28. 28. entre-eíxos (20 cm menor que no Palias) dá menos espaço para pernas que no Focus. Ar dual-zone e rádio Bluetooth MARÇO QUATRO RODAS 57
  29. 29. DIREÇÃO, FBEIO E SUSPENSAO Suspensão sofisticada, voltada ao conforto. Falta harmonia com a direção, pesada, que busca a esportividade. **** MOTOR E CÂMBIO Omotor (semelhante ao do Tucson) faz o i3D andar rápido como o C4. Não é fie x, Hyundai i30 2.0 mas bebe menos que o Focus. **** ários equipamentos do i30 são iguais ou melho- há outros méritos. O acabamento é caprichoso, com V CARROCERIA res que os do C4 Exclusive mais completo (de peças suaves de tocar, comandos leves e arrumados Entalhes corajosos. com clareza. Apesar das rodas aro 17 com pneus de 74700 reais): seis airbags, controle de estabili- em painéis montados dade, MP3 player com disqueteira no painel, retrovi- perfil baixo (de série, naturalmente), o i30 é confortá- com precisão. ***** sor interno eletrocrómico e externo com rebatimento vel. Com suspensão independente nas quatro rodas, elétrico... Tem cinco anos de garantia, contra três do ele se mantém macio sem ser molenga em qualquer Focus e um dos demais. Com um detalhe: o carro da condição. O cãmbio de quatro marchas é o único sem VIDA A BORDO Mais espaço e mais Hyundai custa 58000 reais - 4639 reais acima do Sti- possibilidade de trocas manuais, mas elas não são tão capricho que os rivais. lo Dualogic básico, sem airbag oU ABS. Apenas teta necessárias, pois o motor 2.0 é bem esperto. A potên- Com direito a luxos solar e bancos de couro são cobrados à parte. cia na condição ideal fica na média dos demais (145 em extinção, como disqueteira de painel. Preço baixo é fator decisivo na vitória do i30, mas cv), mas o comando de válvulas variável faz com que **** as situações intermediárias também sejam boas. Compare os números de teste: o i30 levou vanta- SEGURANÇA gem sobre o Focus na maioria das provas, e os dois O melhor. Faróis de partem de fichas técnicas quase idênticas. Pena a bloco elíptico, seis Hyundai copiar também a falta de motor t1ex. O i30 é airbags, controle de estabilidade e ABS movido apenas a gasolina e, por isso, seu custo por vêm de série. quilómetro rodado fica cerca de 10% mais caro que o ***** do C4 (o carro tlex mais sedento do teste) abastecido com álcool. Mas é uma limitação compreensível, para SEU BOLSO um carro que vem da Coreia. O i3ü é importado, Pelos equipamentos enquanto seus rivais são fabricados no Mercosul. Isso que oferece, o preço é matador. Mas é movido costuma levar a peças mais caras, mas, enquanto as a gasolina e suas vendas não começam, é apenas um palpite. Compa- peças são importadas. ovisual limpo disfarça generosos porta-trecos com tampa rando os fatos de hoje, o i30 é o melhor da turma. **** oteto solar é opcional e, na pré-venda do i30, algumas autorizadas não cobraram pelo couro. Orádio é uma disqueteira e o ar-condicionado é digital 58 QUATRO RODAS MARÇO

×