• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Professor Mário Costa
 

Professor Mário Costa

on

  • 1,745 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,745
Views on SlideShare
1,462
Embed Views
283

Actions

Likes
0
Downloads
15
Comments
0

5 Embeds 283

http://wwwportalpedagogico.blogspot.com.br 237
http://wwwportalpedagogico.blogspot.com 40
http://wwwportalpedagogico.blogspot.in 3
http://www.blogger.com 2
http://wwwportalpedagogico.blogspot.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Professor Mário Costa Professor Mário Costa Presentation Transcript

    • CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA MÓDULO: FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO Filosofia da Educação FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO FACIC 2011 Prof. Mário Costa
    • APRESENTAÇÃO:
      • Mário Flávio Silva Costa
        • Graduado em Filosofia com Habilitação em História (2002); Pedagogia com Habilitação em Supervisão Escolar(2006); Especialização em Gestão Administrativa da Educação (2009) e cursando Psicopedagogia Institucional
          • Leciono Filosofia e Cultura Religiosa desde 2001; atuei em Escolas Públicas e Privadas nos segmentos de Ensino Fundamental e Médio (6º ao 9º anos e E.M.);
          • Atuei na Coordenação Pedagógica Escolar (2001-2003)
          • Atuei na na Coordenação Pedagógica da Secretaria Municipal de Cruzeiro (2010-2011)
          • Professor da FACIC desde 2007 nos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Direito e Engenharia de Produção.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • PROGRAMA DE AULA:
        • Apresentação da Disciplina: (20minutos)
          • Objetivos, finalidade e dinâmica das aulas;
        • Dinâmica de Integração; (20minutos)
        • Socialização da Dinâmica; (20minutos)
        • Intervalo (15minutos)
        • Unidade I – Cultura e Cultura brasileira (30minutos)
        • Atividade (20minutos)
        • Intervalo (15minutos)
        • Unidade II – Filosofia e Filosofia da Educação (40minutos)
        • Atividade (entrega na próxima aula)
        • Unidade III – Teoria do Conhecimento (40minutos)
        • Atividade (entrega na próxima aula)
        • TEMPO TOTAL PREVISTO: 3h40min
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO
      • A Filosofia da Educação, inserida no contexto educacional, especificamente na formação de professores, tem a pretensão de discutir o entendimento de Filosofia e suas contribuições na melhor compreensão do fenômeno da Educação e da Pedagogia .
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • OS PRINCIPAIS TEMAS A SEREM ABORDADOS SERÃO:
      • Filosofia e Educação : onde se darão reflexões introdutórias;
      • Educação e Sociedade : onde abordaremos os pressupostos filosóficos da Educação e as concepções contemporâneas de Educação;
      • Os conceitos básicos da Filosofia da Educação : abordando os conceitos de Educação, Pedagogia e o que se entende por prática docente, sobretudo na formação do professor;
      • O conceito antropológico de cultura : versando sobre os tipos de educação informal e não formal; a instituição escolar por uma leitura crítica sobre os excluídos da escola como as mulheres, os negros e os indígenas;
      • As relações entre política e educação : procurando responder às questões de ordem interventiva no cenário político educativo;
      • As principais teorias pedagógicas : permeando as teorias tradicionais até as mais contemporâneas, investigando como os conceitos são vistos até então, bem como sua aplicabilidade de modo variado nas diversas tendências.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS:
      • Dinâmica em aula visando:
        • Proporcionar levantamento de conhecimento prévio;
        • Mobilizar o grupo para o trabalho com os temas abordados .
      • Aula expositiva e Atividades (classe e extra-classe) visando:
        • A Problematização dos conteúdos e;
        • A sistematização das aulas.
      • Avaliação:
        • Atividades em classe;
        • Atividades extra-classe.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • U MA PRIMEIRA PROVOC AÇÃO :
      • Objetivos da Dinâmica:
      • Conhecer as diferentes situações que caracterizam o todo da vida humana: a realidade da educação, seus aspectos geográficos, políticos e econômicos, sociais e culturais;
      • Oportunizar o desenvolvimento da escuta, fala e fusão das idéias divergentes e convergentes, produzindo um trabalho coletivo e favorecendo a comunicação entre os participantes do grupo.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Intenções:
      • Aprender a olhar a realidade na qual estamos inseridos, bem como as realidades exteriores, interpretando-as e tornando-as visíveis ao grupo de pertença.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Desenvolvimento:
      • Leitura em grupo da questão “provocativa” oferecida para discussão;
      • Organizar as falas individuais para que todos sejam ouçam e se façam ouvir;
      • Registrar as idéias individuais e, após tal registro, organizá-las de forma homogênea, refletindo agora um posicionamento do grupo, procurando contemplar todas as falas, sem fragmentação;
      • Apresentar o produto final à classe e ao Professor.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • TEMPO
      • Vocês terão 20 minutos para a discussão e elaboração do texto conclusivo...
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Encaminhamento:
      • O produto final das discussões permeará as discussões das aulas, sendo o ponto inicial das reflexões filosóficas sobre a Educação e modo que a mesma é enxergada no grupo de trabalho.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • GRUPO 01
      • Como vocês avaliam semelhanças e diferenças entre:
      • Uma Escola Municipal;
      • Uma Escola Estadual;
      • Uma Escola Particular?
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • GRUPO 02
      • Vocês conhecem a realidade estatística dos alunos que concluem o Ensino Médio e ingressam na Faculdade?
      • Se sim, apresente-as com a discussão acerca da leitura que fazem de tais índices.
      • Se não, apresente a idéia que vocês possuem sobre a situação apresentada, fazendo sua avaliação sobre os fatores determinantes de tal realidade.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • GRUPO 03
      • Independente das teorias educacionais e filosóficas vigentes ou não vigentes e, desconsiderando ainda projetos político-pedagógicos utópicos, para vocês, qual o REAL sentido da Educação?
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • GRUPO 04
      • Numa avaliação abrangente (saindo do ambiente particular de atuação e/ou conhecimento) quais as principais falhas, problemas e desafios que vocês enxergam na Educação Brasileira?
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FATORES PREPONDERANTES QUE PERMEIAM NOSSAS AVALIAÇÕES:
      • Nossa Cultura é nosso Universo, nosso Cosmo , portanto:
        • É o modo como respondemos ao desafio da nossa existência;
        • Possui características próprias e um entendimento próprio;
        • O entendimento da cultura é propiciado e comunicado pela linguagem, que também é própria e intransferível;
        • Nossa natureza humana proporciona uma linguagem simbólica, devido ao fato de sermos seres espirituais.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Entendendo tais vertentes da manifestação humana e, de modo mais significativo e relevante, entendendo “ Quem é o ser humano cultural a quem ‘Educamos’” , nos tornamos mais eficazes em nossa ação pedagógica. Entretanto, não é o que presenciamos em nossas salas de aula!
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • INTERVALO: RETORNO EM 15 MINUTOS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • UNIDADE I CULTURA: O COSMO HUMANO
      • Cultura é o conjunto de saberes coletivos, compartilhados pelos membros de uma sociedade.
      • Diante dessa afirmação, podemos afirmar que há uma ‘cultura brasileira’?
      • Em um país historicamente marcado pela miscigenação, como seria essa ‘cultura’?
      • A diversidade de povos presentes na história do Brasil proporciona uma ‘democracia racial’?
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • UNIDADE I CULTURA: O COSMO HUMANO
      • Cultura é o conjunto de saberes coletivos, compartilhados pelos membros de uma sociedade.
      • Diante dessa afirmação, podemos afirmar que há uma ‘cultura brasileira’?
      • Em um país historicamente marcado pela miscigenação, como seria essa ‘cultura’?
      • A diversidade de povos presentes na história do Brasil proporciona uma ‘democracia racial’?
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Cada uma dessas perguntas nos remetem a uma reflexão sobre nossa Identidade Nacional !
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O QUE É CULTURA?
      • Quando se fala de cultura de um povo, o que se entende por cultura?
      • Talvez uma resposta razoável para essa questão seja a seguinte:
      • A cultura de um povo é o conjunto de saberes coletivos desse povo.
      • E o que são saberes coletivos de um povo?
      • São os modos comuns de pensar, sentir e agir que seguem modelos para a vida em sociedade.
      • Esses modelos, entretanto, são mutáveis (dinâmicos).
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A CULTURA BRASILEIRA
      • A cultura brasileira, portanto, é o conjunto de saberes coletivos dos brasileiros, mesmo diante das grandes diferenças culturais em nosso país.
      • Compartilhamos o idioma, música popular, esportes e, com a globalização, as informações e entretenimento disponibilizados nas vias públicas de informação (jornais, revistas, rádio, TV, internet...).
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • As diferenças existem e não devem ser descartadas, são elas que conferem identidade aos diferentes grupos, colocando identidade e cultura quase em pé de igualdade.
      • Há uma ligação muito forte entre Sociedade e Cultura e, por vezes, vemos e ouvimos a troca de expressões como ‘sociedade brasileira’ por ‘cultura brasileira’. Entretanto, quando falamos em cultura focamos a identidade coletiva, quando falamos em sociedade estamos focando as relações entre os grupos diferentes e seu modo de interação.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O QUE NASCEU PRIMEIRO: A CULTURA OU A SOCIEDADE? FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A CULTURA COMO HERANÇA SOCIAL PODE SE DIVIDIR EM:
      • cultura material (artefatos que as pessoas elaboram);
      • cultura imaterial (língua de um povo, seus valores morais, suas expressões artísticas).
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • CULTURA BRASILEIRA
      • A base da cultura de nosso país, conforme conhecemos em nossa história, foi formada pela mestiçagem entre índios, africanos e portugueses, com uma discreta participação francesa e holandesa. Os dois primeiros séculos da formação do Brasil foram determinantes para a formação de nossa sociedade que, a partir daí, a cada estrangeiro recebido, reforçava sua característica miscigenada.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Originada de três culturas distintas, havia uma semelhança entre tais etnias, que apesar de curiosa, hoje nos permite entender de outra formas os rumos que o Brasil tomou de sua colonização até os dias atuais.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • A semelhança curiosa que unia índios, africanos e portugueses era o privilégio ao tempo presente, sem pensamento muito elaborado para o tempo futuro.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O POVO INDÍGENA:
      • Vivia em aldeias saudáveis, ambiente farto, dominado por eles. Com sobrevivência garantida pela natureza, não fazia sentido preocupar-se com o amanhã.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O POVO AFRICANO:
      • Trazido à força, pensava em sobreviver até o dia seguinte. O futuro era a triste perspectiva de viver no trabalho escravo, sem família e sem vida própria, portanto, deveria ser eliminado.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O POVO PORTUGUÊS:
      • Movidos pela ‘febre do ouro’, vieram aventurar-se no Brasil. Ao descobrirem as grandes minas de Vila Rica, tinham pressa em aproveitar a ‘terra sem lei’. Supõe-se a estadia portuguesa no Brasil numa perspectiva de curto prazo: gozar o dia de hoje numa terra sem pecado e sonhar a sorte do amanhã.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • MARCA BRASILEIRA
      • Hoje, marca da cultura brasileira, a perspectiva do curto prazo tornou-se marca importante na formação da cultura brasileira.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • IMIGRAÇÃO E SUA CONTRIBUIÇÃO
      • Século XIX:
      • Alemães, italianos, judeus, árabes e japoneses humildes se instalaram em regiões brasileiras, determinados a construírem um mundo mais próprios para si mesmos e suas famílias.
      • Para eles a perspectiva de longo prazo era essencial, e sua estratégia era construir o futuro em nome do qual abandonaram sua pátria. Enfrentaram um mundo estranho e hostil, mas seu sucesso e traço cultural influenciaram no padrão cultural brasileiro.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • ATIVIDADE
      • Em grupos de no máximo 05 (cinco) pessoas, agrupem-se e, após receber a ficha, executem a atividade...
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • UNIDADE II CONSCIÊNCIA CRÍTICA E FILOSOFIA: A DIALÉTICA DO EU E DO MUNDO FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa O que é uma consciência crítica? Em que consiste a atividade da Filosofia? Qual a relação da Filosofia com a Educação, com a Pedagogia? Em que a Filosofia se aproxima de nossas experiências cotidianas?
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O QUE É FILOSOFIA? FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa Considerando a disciplina deste módulo Filosofia da Educação e, considerando ainda que, em módulos anteriores o conceito de Educação já foi abordado e esclarecido, é relevante abordar e esclarecer o que o termo Filosofia significa, sobretudo aplicado à prática pedagógica, à Educação.
    • FILOSOFIA E GRÉCIA
      • Lembrada historicamente pela sua característica cultural e seus desenvolvimento, a Grécia Antiga se destaca como “Berço das Civilizações” e “Pólo Cultural” de sua época. Destarte, mesmo com tanto desenvolvimento e cultura, o povo grego explicava as questões humanas através dos Mitos . Tais explicações eram sagradas, pois diziam respeito aos deuses, a quem, pela sua força, não se permitia questionar.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • OS MITOS
      • “ O mito não se importava com contradições, com o fabuloso e o incompreensível, não só porque esses eram traços próprios da narrativa mítica, como também porque a confiança e a crença no mito vinham da autoridade religiosa do narrador. A Filosofia, ao contrário, não admite contradições, fabulação e coisas incompreensíveis, mas exige que a explicação seja coerente, lógica e racional; além disso, a autoridade da explicação não vem da pessoa do filósofo, mas da razão, que é a mesma em todos os seres humanos.”
      • CHAUI, Marilena. Filosofia. São Paulo: Ática, 2005.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A PALAVRA
      • A palavra Filosofia é grega e significa “amor à sabedoria”
      • ( philos=amigo + Sophia=sabedoria) .
      • Ponto de partida para o que se chama ‘pensamento ocidental’, tem como princípio, segundo o pensamento dos antigos, na Admiração, palavra de origem grega que pode traduzir-se espanto, assombro, encanto ou maravilhamento .
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FILOSOFIA NÃO É
      • Uma visão de Mundo;
      • Um conjunto de verdades;
      • Um conjunto de idéias sobre as coisas;
      • Uma Ideologia;
      • Uma verdade de fé (religião);
      • A coletânea de valores que guiam nossa vida (“filosofia de vida”).
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A FILOSOFIA É:
      • Um conhecimento crítico que toma distância do Senso Comum , da nossa experiência cotidiana e das opiniões. A característica do filósofo é a dúvida , reformulada por Sócrates na máxima:
      • “ Só sei que nada sei” .
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa A Filosofia é, portanto, a fonte das idéias que dão origem a novas idéias, seja no campo político, ético ou científico, criando as matrizes do nosso modo de pensar. Daí sua íntima ligação com a Pedagogia! Tarefa perpétua da Filosofia é pensar sobre si mesma, sobre o que é o conhecimento, a verdade e a linguagem, sempre buscando novos conhecimentos, provenientes de conceitos originais e fundamentais.
    • VALIDADE DO CONHECIMENTO FILOSÓFICO
      • Para que o conhecimento filosófico tenha caráter de
      • VALIDADE e VERDADE,
      • ele precisa ser
      • IMPARCIAL,
      • o que o distingue dos outros modos de conhecimento, interpretação e interação com a realidade, como a Religião e a Arte.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • A Filosofia distingue-se pela forma racional de conhecer o mundo e as realidades que nos cercam, expondo seus fundamentos à discussão pública, aspirando a
      • UNIVERSALIDADE
      • de idéias, diferentemente das crenças, dogmas e opiniões.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A ATITUDE FILOSÓFICA
      • As Atitudes Filosóficas são atitudes de questionamento diante do mundo, buscando o conhecimento fundado na razão, podendo ser compartilhado com todos.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A HISTÓRIA DA FILOSOFIA NO BRASIL
      • No Brasil o registro de questionamentos filosóficos remonta à chegada dos portugueses, uma vez que os habitantes do Brasil, os indígenas, explicavam seu mundo por meio de mitos, sem terem desenvolvido explicações racionais sobre sua origem e vida em sociedade.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Como também os portugueses iniciaram o processo de colonização fortemente influenciados por explicações míticas, não havia preocupação com a busca de respostas para os problemas coloniais, fundamentados em critérios racionais.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • INÍCIO DA FILOSOFIA
      • O início do ensino dos conceitos filosóficos no Brasil teve início com a educação jesuítica, mas sua característica era o distanciamento da Filosofia em relação à realidade brasileira. Em Portugal, a educação jesuítica seguia a tradição aristotélica, que havia tomado forma desde a fundação da Universidade de Coimbra, mas no Brasil, a Ratio Studiorum imperou do século XVI ao século XVIII.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • PADRE ANTÔNIO VIEIRA
      • Vale ressaltar aqui a presença de pensadores que buscaram ultrapassar os limites da fé e dos dogmas religiosos por meio da razão. O Padre Antônio Vieira é o principal nome desta ‘resistência’. Mesmo sem abandonar os pressupostos filosóficos da escolástica (doutrina de origem medieval que procurava conciliar os ensinamentos cristãos com a Filosofia greco-romana), foi perseguido pela inquisição, acusado de cometer crime contra excessiva liberdade de pensamento, valorização da experiência em detrimento da fé, defesa ao culto livre, entre outros.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • ATIVIDADE
      • Em casa, leia o texto “História do Futuro”, do Padre Antônio Vieira, e realize a atividade.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • U NIDADE III TEORIA DO CONHECIMENTO: INVESTIGANDO O SABER
      • O que é conhecer?
      • Como o conhecimento é possível?
      • O que garante que um conhecimento seja verdadeiro?
      • É possível distinguir o sujeito do objeto do conhecimento?
      • Vamos pensar nesta Unidade como o próprio pensamento torna-se objeto da Filosofia e como a razão deixa de se submeter a qualquer autoridade.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O QUE É CONHECER?
      • Uma das respostas mais radicais para essas questões foi formulada pelo filósofo francês René Descartes, que precisou enfrentar o prestígio aristotélico junto à Igreja na Idade Média. A Filosofia Moderna inaugurou um novo modo de conceber e compreender o conhecimento.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O SÉCULO XVII VIU NASCER O MÉTODO EXPERIMENTAL E A POSSIBILIDADE DE EXPLICAÇÃO MECÂNICA E MATEMÁTICA DO UNIVERSO, QUE DEU ORIGEM A TODAS AS CIÊNCIAS MODERNAS.
      • Identificam-se duas correntes ora complementares, ora antagônicas:
      • O Empirismo : que afirma a possibilidade de conhecimento por meio da experiência sensível. As coisas precisam passar pelos sentidos antes de chegarem ao intelecto, e a experiência é o critério último de verdade;
      • O Racionalismo : que sustenta que há um tipo de conhecimento que emana diretamente da razão. No racionalismo as intuições são fonte de outros conhecimentos que podem ser deduzidos dela, havendo casos em que o conhecimento transcende a sensação.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • SUJEITO COGNOSCENTE
      • O elemento comum entre tais teorias é a preocupação com o entendimento humano, ou seja, o conhecimento é seu objeto de estudo, e o sujeito cognoscente é seu próprio objeto de estudo.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • “ PENSO, LOGO EXISTO!”
      • A expressão ‘Penso, logo existo’ é uma das mais conhecidas de toda a história da Filosofia, e sintetiza a revolução que a descoberta do sujeito do conhecimento trouxe, não só para a Filosofia, mas para a Humanidade.
      • O que René Descartes fez foi provar que existe diferença entre aquilo que pensa (o sujeito) e aquilo que é pensado (o objeto) , demonstrando a autonomia do pensamento, criou um novo alicerce para a Filosofia. O pensamento determinado a se conhecer, debruça-se sobre si mesmo.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • RACIONALISMO CLÁSSICO
      • Esse período ficou conhecido como
      • Racionalismo Clássico ,
      • característico pela reflexão sobre o conhecimento, a natureza, a política e a moral.
      • Os saberes não eram separados e autônomos como são hoje, devendo o mundo moderno a esse período boa parte dos conceitos e ferramentas que utiliza pra pensar o mundo.
      • Destacaram-se nomes como o de Francis Bacon, Blaise Pascal, Thomas Hobbes, Baruch Espinosa, Gottfried Leibniz, Jhon Locke e David Hume.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • RAZÃO AUTÔNOMA
      • Pela primeira vez na história a Razão deixou de submeter-se a qualquer autoridade externa, a qualquer dogma religioso ou qualquer injunção política.
      • Só a própria razão pode julgar a si mesma.
      • A consciência se torna, ela própria, objeto do conhecimento.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O EU QUE PENSA
      • A descoberta desse “ Eu que pensa” é a base do edifício cartesiano. Descartes argumenta primeiramente que a percepção (o conhecimento que temos por meio dos órgãos dos sentidos) é falha. Quando penso que algo é real, posso estar sonhando, tendo visões, ardendo em febre ou mergulhado na loucura.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O GÊNIO MALIGNO
      • Por tal pensamento Descartes criou a imagem de um gênio maligno que está sempre disposto a nos enganar. Somente sobre uma coisa não seríamos enganados: sobre nossa capacidade de pensar .
      • Mesmo que nos enganemos sobre o que pensamos, não podemos negar que estamos pensando, ou seja, “Penso, logo existo” , afirmando que é o pensamento que me permite apropriar-me de minha existência.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • A S POSSIBILIDADES DA CONSCIÊNCIA
      • A atitude filosófica é a capacidade de fazer perguntas, de buscar os fundamentos, de indagar como é possível conhecer as coisas. Os filósofos propõem formas de conhecer as coisas e lidar com os problemas, por isso dificilmente a Filosofia dá respostas fechadas.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • No século XVIII o filósofo alemão Immanuel Kant propôs a existência de uma consciência como um complexo de funções lógicas comuns a todas as consciências empíricas.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • Entretanto, o surgimento da Psicanálise e as descobertas de Sigmund Freud mostraram que a consciência não abarca toda a realidade. O conceito de inconsciente tira a soberania da consciência.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • INCONSCIENTE COLETIVO
      • Desta forma, os processos psíquicos passam a ser inconscientes, sendo apenas uma parte da vida psíquica consciente. Com Carl Jung, o conceito de inconsciente coletivo afirma a existência de conteúdos preexistentes em relação à consciência, impessoais e comuns a todos os seres humanos.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • A questão da consciência, derivada do cogito cartesiano recebe formulações diversas entre os filósofos contemporâneos:
      • Edmund Husserl: a consciência se identifica com a experiência vivida, além de investigar a experimentação da consciência pelo homem;
      • Karl Jaspers: a subjetividade é condição de todos os objetos possíveis.
      • Assim, torna-se importante refletir sobre as relações entre um EU e um OUTRO . O Eu deixa de ser autônomo como concebido na tradição cartesiana, e passa a incluir a experiência do Outro, dentro de sua própria existência.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • O S RESQUÍCIOS FILOSÓFICOS NA FORMALIDADE EDUCACIONAL
      • Ainda hoje vemos a defesa das disciplinas exatas, em detrimento das humanas, sobretudo disciplinas periféricas, mas tão importantes quantos as matrizes de base mas que, por não comporem os valores de fundamentação capitalista (da aprovação no vestibular, do concurso público, etc) acabam sendo desconsideradas em nossas escolas e, mais tristemente, pelos próprios professores em suas salas de aula, conselhos de classe e até em conversas informais entre seus pares.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • ATIVIDADE
      • Em casa, assista ao filme “A vida de David Gale”, e realize a atividade solicitada.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
      • ‘ Filosofar’ a Educação seria questionar tal cenário, mas provocar uma ação que reverta tal situação, renovando a prática pedagógica brasileira.
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa
    • OBRIGADO PELA ATENÇÃO!
      • Bom fim de semana a todos!
      • Contato: [email_address]
      FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO - FACIC 2011 - Prof. Mário Costa