Aula logistica armazenagem

  • 791 views
Uploaded on

logistica

logistica

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
791
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
27
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 11 Armazenagem l Introdução l Funções da armazenagem l Atividades na armazenagem l Objetivos do planejamento de operações de armazenagem l Políticas da armazenagem l Pilares da atividade de armazenamento l Armazenagem estratégica Por que armazenar? l Razões para Armazenagem Ü Econômicas ü Economias advindas de operações de consolidação e desmembramento; ü Economias de transporte; ü Economias de produção (lotes econômicos); ü Descontos nas quantidades adquiridas e nas taxas de transporte; ü Economias devidas a redução dos níveis de risco e de estoques, por adiamento (postponement) das operações de finalização do produto. Ü De serviços ü Manter uma origem de oferta, ü Cobrir diferenças de tempo e espaço entre produtores e consumidores, ü Atender a oscilações no mercado (sazonalidade, competi ção, ...), ü Dar suporte a polí ticas de nível de serviço (entregas em 48 horas).
  • 2. 22 Funções da Armazenagem Planta C Planta B Planta A Produto D Centro de Agrupamento em Trânsito Consolidação Centro de Distribuição Armazém de Consolidação Armazém de Desmembramento Cliente Z: A B C D Cliente C Cliente A Cliente B Cliente X: A B C Planta A Planta C Planta B Planta A Planta C Planta B Planta A Cliente C Cliente A Cliente B Cliente Y: A B C D Cliente W: A B C D Cliente X: A B C D Atividades no Armazém l Recebimento do Material; l Descarregamento, Inspeção e Separação; l Movimentação; l Segurança; l Picking; l Consolidação/ Quebra/ Mistura de Cargas; l Unitização ou Paletização; l Expedição; l Resolução de problemas de documentação; l Carregamento. Em alguns casos... l Embalagem; l Montagem de kits; l Operações industriais de montagem (finalização de produtos); l Controle de temperatura e umidade.
  • 3. 33 Recepção/ conferência Transferência Seleção de pedidos Empacotamento, embalagem e consolidação Carregamento/ embarque Administração Descarregamento/ desembarque Recepção/ conferência Transferência Seleção de pedidos Empacotamento, embalagem e consolidação Carregamento/ embarque Administração Descarregamento/ desembarque Atividades no Armazém Objetivos do Planejamento de Operações de Armazenagem l Dimensionar instalações e áreas de forma eficaz (3 dimensões); l Minimizar os custos operacionais de armazenagem mantendo o nível de serviço desejado; l Especificar equipamentos e sistemas no contexto planejado; l Maximizar a utilização efetiva do espaço; l Otimizar os fluxos físicos e de informações; l Prover flexibilidade.
  • 4. 44 Políticas de Armazenagem Resultam do Trade-off de custos: Espaço x Movimentação l Aleatória Itens são armazenados em posições aleatórias, resultando em menores custos de espaço (pela compactação) e maiores custos de movimentação. l Dedicada Itens são armazenados em posições pré-definidas, resultando em maiores custos de espaço e menores custos de movimentação (itens de maior trânsito são alocados próximos às entradas ou saídas). l Mista Dedicada por categorias Pilares da Atividade de Armazenamento Estrutura Veículo Comunicação
  • 5. 55 Estrutura de Armazenagem l A decisão sobre o tipo de estrutura estará apoiada em: Ü Tipo de produtos Ü Unidade movimentada (paletes, caixas, fração,...) Ü Mix movimentado Ü Critérios de operação (FIFO, LIFO,...), Ü Giro dos produtos Ü Veículos (se já existentes) Ü Prédio, layout, budget. Estruturas Mais Utilizadas Empilhamento sobre o piso Porta paletes simples ou duplos Drive-in, Drive-through Cantilever Dinâmico Flowracks de Caixas
  • 6. 66 Empilhamento Sobre o Piso Exemplo Armazenagem sobre o Piso Exemplo Armazenagem sobre o Piso Porta Paletes
  • 7. 77 Drive-In / Drive Through Cantilever
  • 8. 88 Dinâmico Flowrack de Caixas
  • 9. 99 Equipamentos de Movimentação Transpalete Empilhadeira com Contra-Peso Empilhadeira Lateral Transelevador Transpalete
  • 10. 1010 Empilhadeira Frontal Empilhadeira Lateral
  • 11. 1111 Transelevador - Unitload Transelevador - Unitload
  • 12. 1212 Transelevador - Miniload Equipamentos Automáticos l Vantagens Ü Redução do custo de mão-de-obra; Ü Aumento da produtividade; Ü Aumento do controle através de maior e melhor informação; Ü Melhor nível de serviço. l Desvantagens Ü Alto custo do equipamento e de sua manutenção; Ü Tempo consumido para manutenção e treinamento; Ü Baixa flexibilidade para incertezas na demanda; Ü Incompatibilidade com sistemas existentes.
  • 13. 1313 Comunicação Rádio Freqüência Software de Gerenciamento + Terminal de rádio freqüência com leitura ótica
  • 14. 1414 Outras Tecnologias Sistemas transportadores Picking by Light Sistema de Gerenciamento de Armazéns Sistemas Transportadores l Roletes
  • 15. 1515 Sistemas Transportadores l Correias Picking by light
  • 16. 1616 Sistemas de Gerenciamento de Armazéns (WMS) “Sistemas de gestão por software que otimizam operações de armazenagem a partir do eficiente gerenciamento de informações e conclusão de atividades com alto nível de controle e acuracidade do inventário” l A partir de informações de transportadores, fabricantes, fornecedores e clientes; l Promove o planejamento de processos no armazém; l Mais eficiência na recepção, inspeção, estocagem, separação, embalagem e expedição de mercadorias; l Redução de custos Ü Eficiência da mão-de-obra (redução de hora-extra e contratações); l Melhoria do serviço ao cliente Ü Monitoramento, identificação e correção de erros no ato da verificação Sistemas de Gerenciamento de Armazéns (WMS) l Algumas características operacionais Ü Processamento de pedidos (inclusive em atraso); Ü Controle de inventário e lote (Atualização on line); Ü Controle de divergências e capacidade de previsão; Ü Endereçamento automático e otimização de estoque; Ü Programação de necessidades de mão-de-obra; Ü Análise de desempenho e produtividade da mão-de-obra; Ü Roteamento e seqüenciamento de paradas na separação; Ü Preparação de documentos de expedi ção; Ü Banco de dados com taxas de frete; Ü Auxílio em projetos de layout; Ü Priorização de descarregamentos Ü Gerenciamento de pátio l “Tipos” de WMS Ü Localizadores de estoque; Ü Controladores de armazéns (WCS); Ü Gerenciadores de armazéns (WMS).
  • 17. 1717 Armazenagem Estratégica l Sistemas Escalonados Ü Estoques distribuídos (descentralizados); Ü Menor flexibilidade; Ü Elevados custos de estoque (maior complexidade de gestão); Ü Economias de transporte (Grandes lotes). l Sistemas Diretos Ü Estoques concentrados (centralizados); Ü Maior flexibilidade; Ü Economias de estoque (menor complexidade de gestão); Ü Elevados custos de transporte (Pequenos lotes). Armazenagem Estratégica l Centros de Distribuição Avançados (CDA) Ü Chegam grandes volumes de carga consolidada (longo curso) Ü Partem volumes menores de carga fracionada (entregas) Ü Economias de escala Ü Rápido atendimento Ü Consolidação de mix de produtos vindos de diversos fornecedores l Transit Point Ü Similares aos CDA, mas sem estoques e um único fornecedor Ü Produtos recebidos já possuem destinos (clientes) definidos Ü Fácil gerenciamento, pois não tem atividades de estocagem, picking,... Ü Estruturas simples ⇒ Baixos investimentos Ü Depende de demandas de grandes volumes em freqüências regulares
  • 18. 1818 Armazenagem Estratégica l Cross-Docking Ü Similares aos transit point, mas com muitos fornecedores Ü Movimento de cargas da área de recebimento direto para a expedi ção Ü Pequenas áreas de estoque e máxima utilização de veículos e docas Ü Alta coord. entre participantes ⇔ Uso de TI (B2B, WMS, Cód. Barras...) l Merge in Transit Ü Extensão do cross-docking combinado ao JIT Ü Distribuição de produtos de alto valor agregado (multicomponentes produzidos em diferentes plantas especializadas) Ü Coordenação dos fluxos dos componentes a partir da gestão de lead times de produção e transporte Ü Consolidação próxima aos consumidores, só quando necessário e sem grandes estoques intermedi ários Ü Coordenação mais rigorosa – “estado da arte” em S.I.