Your SlideShare is downloading. ×
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra

2,325

Published on

Published in: Technology, Travel
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,325
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
117
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. FORMAÇÃO GEOLÓGICA DA TERRA
    E disse Deus: ajuntem-se as águas debaixo dos céus um lugar; e apareça a porção seca. E assim foi. E chamou Deus a porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mar. E viu Deus que era bom.
    Gênesis 1:9 e 10.
    “Os modernos conhecimentos geológicos confirmam plenamente a existência do megacontinentePangéia, de idade permotriácica, assim como sua fragmentação e a aglutinação de blocos continentais paleozóicos”
    Fernando Flávio M. de Almeida. Ciência Hoje.
    AULA 5
    Prof. Kéliton Oliveira Ferreira
  • 2. ORIGEM: UNIVERSO E TERRA
    • Formação do Universo: 15.000.000.000 com uma enorme explosão denominada Big Bang.
    • 3. Origem do Planeta Terra: 4.600.000.000 a partir da aglomeração de partículas cósmicas.
    • 4. Para melhor estudar a idade da Terra utiliza-se o termo Tempo Geológico.
  • TEMPO GEOLÓGICO
    • O tempo geológico é dividido em Eras, que são divididas em períodos. Os períodos podem reconhecer espaços de tempo menores, chamados épocas, idades e fases.
    • 5. O conjunto que reúne as eras geológicas é conhecido como escala geológica.
  • TEMPO GEOLÓGICO
  • 6. ORIGEM DOS CONTINENTES
    • 1596: O cartógrafo holandês Abraham Ortelius, em seu livro Thesaurus Geographicus, evidenciou uma possível separação entre Europa, Ásia e África.
    • 7. 1858: O Geógrafo francês Antônio Snider-Pellegrini apresenta um mapa mostrando que a América do Sul e a África já teriam formado um único continente, baseado em evidências fósseis.
    • 8. 1912: O Geofísico alemão Alfred Lothar Wegener observando o forma dos continentes e fósseis na América do Sul e na África.
  • A DERIVA CONTINENTAL
    • Segundo Wegener, há cerca de 250 a 300 milhões de anos, teria existido uma única massa de terra chamada Pangéia e uma única porção de água chamada Pantalassa.
    • 9. Nessa época a Pangéia teria iniciado seu processo de fragmentação que deu origem aos atuais continentes.
    • 10. As semelhanças maiores estariam entre a Europa e a América do Norte; Austrália, África e Índia, além da África e América do Sul.
  • A DERIVA CONTINENTAL
  • 11. A DERIVA CONTINENTAL
    • 250.000.000: A Pangéia teria se dividido em Laurásia (América do Norte e Eurásia) e Gondwana (América do Sul, África, Antértida, Austrália e Índia).
    • 12. 130.000.000: América do Norte se separou da Eurásia.
    • 13. 125.000.000: América do Sul, Austrália e Antártida começam a se afastar da África.
    • 14. 65.000.000: A Índia soltou-se da África e se chocou com a Eurásia.
    • 15. Alfred Wegener só não conseguiu explicar porque tudo isso aconteceu.
  • A DERIVA CONTINENTAL
  • 16. A RESPOSTA PARA WEGENER
    • Utilizando melhores aparelhos, os geólogos americanos Harry Hess e Robert Dietz encontraram uma explicação e chegaram as seguintes conclusões:
    • 17. Rochas do fundo dos oceanos mais recentes que das bordas continentais.
    • 18. Fendas são abertas nas cordilheiras submarinas por onde passam o magma que resfriam e formam nova crosta.
    • 19. Nas regiões de contato das placas estão as zonas mais geologicamente instáveis da Terra. É onde ocorrem as maiores modificações.
  • A RESPOSTA PARA WEGENER
  • 20. A ESTRUTURA DA TERRA
    • Em seu processo de formação a Terra registrou altíssimas temperaturas.
    • 21. Os metais mais pesados afundaram e formaram o núcleo; os mais leves ficaram próximos da superfície da Terra.
    • 22. Crosta: Materiais leves.
    • 23. Manto: Camada intermediária.
    • 24. Núcleo: Materiais mais densos.
    • 25. Litosfera: Camada rochosa que mede entre 70 e 100 km. Inclui a Crosta e parte do Manto Superior.
  • PRINCÍPIO DA ISOSTASIA
    • Equilíbrio dos blocos continentais sobre o manto.
    • 26. Os mais pesados, como as montanhas, mergulham mais no manto, enquanto os mais leves, como planícies e depressões ficam mais na superfície.
    • 27. Equilíbrio Isostático: parecido com o de um iceberg, diferenciando em decorrência da densidade do manto.
  • PRINCÍPIO DA ISOSTASIA
  • 28. ROCHAS E MINERAIS
    • As rochas podem ser definidas como um agrupamento de minerais que, por sua vez, são compostos de elementos químicos.
    • 29. As rochas podem ser:
    - Magmáticas ou ígneas.
    - Sedimentares.
    - Metamórficas.
  • 30. ROCHAS MAGMÁTICAS
    • Formam-se pela solidificação do magma.
    • 31. Intrusivas ou Plutônicas: Resfriam-se lentamente no interior da Terra. Exemplos: Granito e Diorito.
    • 32. Extrusivas ou Vulcânicas: Rápida solidificação do magma na superfície, sem tempo para a formação de macro-cristais. Exemplos: Basalto e Obsidiana.
  • ROCHAS SEDIMENTARES
    • Formam-se a partir da compactação de sedimentos oriundos da erosão, transporte e deposição de minerais.
    • 33. Derivam-se de outras rochas que sofrem a ação de processos erosivos.
    • 34. Exemplos: Areia, Calcário e Arenito.
  • ROCHAS METAMÓRFICAS
    • Metamórficas vem de metamorfose que significa transformação.
    • 35. Originam-se de outras rochas, que podem se Magmáticas, Sedimentares ou mesmo outras Metamórficas, que pelo calor e pressão no interior da Terra, adquirem outra estrutura.
    • 36. Exemplos: Gnaisse e Mármore.
  • ESTRUTURA GEOLÓGICA
    • Conjunto de diferentes rochas de um lugar e os vários processos por ela sofridos, o que da aos terrenos desse lugar uma característica própria.
    • 37. Três tipos básicos de estrutura geológica na crosta terrestre:
    - Núcleos Crátons ou Escudos Cristalinos.
    - Bacias Sedimentares.
    - Faixas Orogênicas.
  • 38. CRÁTONS OU PLATAFORMAS
    • Rochas magmáticas e metamórficas muito antigas, das eras Pré-Cambriana e Paleozóica.
    • 39. Desgastadas e com baixas altitudes.
    • 40. Quando estão expostas são chamadas de escudos e quando estão cobertas por terrenos sedimentares são denominadas embasamentos cristalinos.
    • 41. Exemplos: Canadense, Siberiano, Guianas e Sul-Amazônico.
  • BACIAS SEDIMENTARES
    • Preenchidas pelos sedimentos que formaram as rochas sedimentares.
    • 42. Temos bacias originadas nas eras Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica.
    • 43. Os combustíveis fósseis são encontrados nesse tipo de estrutura geológica.
    • 44. Exemplos: Bacia Amazônica, a do Meio-Norte e a do Pantanal.
  • FAIXAS OROGÊNICAS OU DOBRAMENTOS
    • Podemos diferenciar os dobramentos pela sua antiguidade, ou seja, pela era geológica em que se formaram, podendo ser Antigos ou Modernos.
    • 45. Dobramentos Antigos: Arredondados e mais baixos. Datam da era Pré-Cambriana, como o movimento Laurenciano, Huroniano, Caledoniano e Herciniano.
    • 46. Dobramentos Modernos: Ocorreram na era Cenozóica e deram origem as mais altas cadeias de montanhas da Terra.
  • AS PLACAS TECTÔNICAS
    • Placas de espessura média de 150 km que flutuam na Astenosfera e formam a Crosta Terrestre.
    • 47. As seis maiores são:
    - Americana.
    - do Pacífico.
    - Antártica.
    - Indo-Australiana.
    - Euro-Asiática.
    - Africana.
    • Outras menores:
    - Nazca, do Caribe, da Anatólia, de Cocos, da Grécia, das Filipinas, Arábica e outras.
  • 48. AS PLACAS TECTÔNICAS
  • 49. LIMITE DAS PLACAS TECTÔNICAS
    • No encontro das placas existem três tipos principais de limites:
    - Convergentes.
    - Divergentes.
    - Transformantes.
  • 50. LIMITES CONVERGENTES
    • São, de modo geral, as zonas de subducção, onde as placas se encontram e colidem.
    • 51. Uma delas sempre mergulha por debaixo da outra e retorna à astenosfera.
    • 52. Existem três tipos de convergência:
    - Crosta oceânica-Crosta continental: Formam-se fossas abissais.
    - Crosta oceânica-Crosta oceânica: Formam-se arcos vulcânicos.
    - Crosta continental-Crosta continental: Abducção ou Colisão, formando cadeias de montanhas.
  • 53. LIMITES CONVERGENTES
  • 54. LIMITES DIVERGENTES
    • Também chamadas de Cristas em Expansão ou Margens Construtivas.
    • 55. É criada nova Crosta Oceânica a partir do resfriamento do magma vindo do interior da Terra pelo afastamento entre as Placas Tectônicas.
    • 56. Formam cordilheiras submarinas.
  • LIMITES TRANSFORMANTES
    • As placas deslizam horizontalmente uma ao lado da outra.
    • 57. Não há destruição nem formação de novas crostas, também chamadas de Zonas de Conservação.
    • 58. Podem provocar grandes terremotos.
    • 59. Geralmente estão no fundo dos oceanos.
    • 60. A mais conhecida é a Falha de San Andreas com 1300 km, limitando a Placa do Pacífico com a Norte-Americana.
  • ATIVIDADES PARA CASA
    Página: 38
    - Questões para Reflexão: 1, 2 ,3 e 5.
  • 61. FIM
    Prof. Kéliton Oliveira Ferreira
    • Mestrando em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES.
    • 62. Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdades Integradas de Jacarepaguá, Jacarepaguá-RJ.
    • 63. Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES.
    • 64. Técnico em Administração pela EEEM “Clóvis Borges Miguel”, Serra-ES.
    keliton@gmail.com

×