• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Projeto Verde Perto
 

Projeto Verde Perto

on

  • 4,944 views

Apresentação sobre métodos de conservação do meio ambiente e políticas de auto-sutentabilidade, abordando a reciclagem como solução para o problema do lixo no Brasil e no mundo.

Apresentação sobre métodos de conservação do meio ambiente e políticas de auto-sutentabilidade, abordando a reciclagem como solução para o problema do lixo no Brasil e no mundo.

Statistics

Views

Total Views
4,944
Views on SlideShare
4,771
Embed Views
173

Actions

Likes
0
Downloads
98
Comments
0

8 Embeds 173

http://avmaprendendoaaprender.blogspot.com.br 110
http://avmaprendendoaaprender.blogspot.com 22
http://www.slideshare.net 13
http://avmaprendendoaaprender.blogspot.ru 12
http://avmaprendendoaaprender.blogspot.pt 8
http://joaquinakoch.blogspot.com 4
http://avmaprendendoaaprender.blogspot.gr 2
http://joaquinakoch.blogspot.ru 2
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Projeto Verde Perto Projeto Verde Perto Presentation Transcript

    • INTRODUÇÃO
      O PROBLEMA DO LIXO NAS GRANDES CIDADES
      O crescimento populacional desordenado nos últimos tempos, trouxe consigo vários tipos de problemas, inclusive para o meio ambiente.
      Como a geração de lixo em grandes quantidades e a falta de controle no descarte de resíduos tóxicos. Segundo dados do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) cerca de 1% do lixo das cidades é constituído por resíduos sólidos urbanos, contendo elementos de alta toxidade e metais pesados como:
    • INTRODUÇÃO
      O PROBLEMA DO LIXO NAS GRANDES CIDADES
      mercúrio, chumbo, cobre, zinco, cádmio, manganês, ní-quel e lítio. Esses resíduos estão presentes em objetos como: latas de tintas e inseticidas, termômetros, lâm-padas fluorescentes, baterias, pilhas, etc. Todos os dias, milhares desses produtos são jogados no lixo pela população, que na maior parte das vezes, desconhece as consequências da presença desses elementos no meio ambiente, ou não encontra uma alternativa mais adequada para o descarte dos mesmos.
    • ÍTENS PRODUZIDOS EM 2008:
      Pilhas = 800 milhões/ano
      (representando 6 pilhas por habitante)
      Baterias automotivas = 12 mihões/ano
      Baterias industriais = 200 mil/ano
      Baterias comuns = 17 milhões/ano
      Celulares = 65 mihões/ano
       
      Fonte: ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica).
    • SOMENTE OS CELULARES
      No Brasil há 86,67 linhas a cada cem habitantes.
      Brasil supera 166 milhões de linhas móveis em setembro
      Isso aconteceu em setembro de 2009 (166,1 milhões de linhas móveis do Serviço Móvel Pessoal - SMP).
      Fonte: Folha Online. Data: 2009-10-22. ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações).
      ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica).
      ÍTENS PRODUZIDOS EM 2009:
    • ÍTENS PRODUZIDOS EM 2009:
      Serviço móvel pessoal = 98%
      Outros (via terminais de dados (3G): modens de notebooks, máquinas de débito e cartões de crédito) = 2%
    • DADOS DA CONTAMINAÇÃO
      Todos os anos no Brasil são desperdiçados R$ 4,6 bilhões porque não se recicla tudo o que poderia.
      Somente a cidade de São Paulo produz mais de 12.000 ton. de lixo por dia, com este lixo, em uma semana dá para encher um estádio para 80.000 pessoas.
      60% dos municípios do país não têm aterro sanitário.
      96% dos resíduos produzidos vão para o meio ambiente sem nenhum cuidado.
    • DADOS DA CONTAMINAÇÃO
      1% do lixo urbano é composto de
      elementos tóxicos e metais pesados.
      Deve-se lembrar que uma só pilha
      contamina o solo durante 50 anos.
      65% das doenças no Brasil são devido à má gestão dos resíduos lançados no meio ambiente diariamente.
      Fonte: Laboratório de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Viçosa (UFV) – MG.
      IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas).
      CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).
    • CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS
      CLASSE 1 - Resíduos Perigosos:
      São os que apresentam periculosidade ou
      uma das seguintes características:
      • Inflamabilidade,
      • Corrosividade,
      • Reatividade,
      • Toxidade ou
      • Patogenicidade.
    • CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS
      CLASSE 2 - Resíduos Não Inertes:
      • São os que podem ter propriedades tais como: Combustibilidade,
      • Biodegradabilidade ou
      Solubilidade em água.
      Os resíduos domésticos são assim classificados.
    • CLASSE 3 - Resíduos Inertes:
      São aqueles que submetidos a um contato estático ou dinâmico com a água destilada ou desionizada, à temperatura ambiente, não têm nenhum de seus componentes solubilizados em concentrações superiores aos padrões de potabilidade da água.
      CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS
    • ATERRO INDUSTRIAL (Resíduos de Classe I)Maior exigência de controle ambiental.Capas impermeabilizantes mais fortes e seguras.Compartimentalização e dreno sentinela.Não pode emanar gases nem produzir chorume.Drenagem superficial da água.
      TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • ATERRO SANITÁRIO (Resíduos de Classe II)
      Também chamado aterro simples, a curto prazo, é o mais barato. Já o aterro sanitário, acompanhado do tratamento e reciclagem, é uma das mais corretas e lucrativas formas de se resolver o problema. Exige tratamento do chorume e monitoramento permanente.
      TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
      DISPOSIÇÃO A CÉU ABERTO (LIXÃO)
      Esse modelo está presente em 60% das cidades do Brasil. Recebendo diariamente 96% das 200.000 ton. de resíduos domésticos produzidos no país. Sem receber nenhum cuidado ou tratamento especial, são lançados a céu aberto. O lixão compromete dessa forma a saúde pública, relacionados com a proliferação de vetores de doenças.
    • TIPOS DE ATERROS
      A maioria dos municípios do Brasil possui grandes áreas comprometidas por causa dessa prática. Segundo o Laboratório de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Viçosa (UFV) - MG, a má gestão destes resíduos é responsável por 65% das doenças no Brasil.
       
      Fonte: CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).
      UFV (Universidade Federal de Viçosa).
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • TIPOS DE ATERROS
    • OS MAIORES PRODUTORES DE RESÍDUOS TÓXICOS
      • Metalúrgicas
      • Indústrias de eletro-eletrônicos
      • Fundições
      • Indústria química
      • Indústria de couro
      • Indústria de borracha
    • O CONAMA
      Nossas leis federais e estaduais estabelecem o princípio do poluidor-pagador, ou seja, quem gera o problema é também responsável por sua solução.
      O CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) estabeleceu uma resolução que entrou em vigor no dia 11 de setembro de 2008 (Resolução n° 257/99). Que determina aos comerciantes que façam a coleta. Definiu que até 2010, todos os pontos de venda de pilhas e baterias do país devem ter postos de coleta para receber os produtos usados pelos consumidores.
    • No entanto, a resolução 257/99 do CONAMA libera o descarte de pilhas comuns em aterros sanitários licenciados. Embora proíba lançar estes mesmos resíduos “in natura” (a céu aberto); em corpos d’água, praias, manguezais, terrenos baldios, poços, cavidades subterrâneas, redes de drenagem de águas pluviais, esgotos, eletricidade ou telefone, além de queimá-los a céu aberto ou em recipientes não adequados (art. 8º).
      O CONAMA
    • O CONAMA
      Entretanto, o art. 13º permite que se joguem as pilhas e baterias que atenderem aos limites previstos no art. 6º junto ao lixo doméstico, em aterros sanitários licenciados.
      A resolução não considera que 60% dos municípios do país não têm aterro sanitário e que 96% dos resíduos produzidos diariamente vão para o meio ambiente sem nenhum cuidado.
    •  
      As atuais empresas que compõem o Grupo Técnico de Pilhas da ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica). Formado pelas marcas: Duracell, Energizer, Eveready, Kodak, Panasonic, Philips, Rayovac e Varta.
      O CONAMA
    • O CONAMA
       
      Elementos químicos liberados:
      0,010% em peso de mercúrio
      0,015 em peso de cádmio
      0,200% em peso de chumbo
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • DOENÇAS CAUSADAS
    • CUIDADOS COM AS PILHAS
       
      O MANUSEIO
      Pilhas novas: Cuidado com o uso correto dos polos (negativo e positivo), todos os aparelhos, jogos, brinquedos, etc., devem conter a informação do fabri-cante nesse sentido. Não usar ou guardar pilhas velhas com pilhas novas ou de sistema e-letroquímicos diferentes (alcali-nas c/ pilhas comuns).
    •  
      O MANUSEIO
      Não remover o invólucro das pilhas (parte metálica protetora). Evite deixar as pilhas dentro dos equipamentos por muito tempo. Caso não esteja utilizando-as, guarde-as em local separado e fora do alcance de crianças.
      CUIDADOS COM AS PILHAS
    • CUIDADOS COM AS PILHAS
       
      PARA O DESCARTE
      Antes de depositar suas pilhas nas caixas de coleta, deve-se isolar o lado negativo do positivo com uma fita isolante. Se a bateria estiver com algum vazamento, é só envolve-la com um papel, colocá-la dentro de um plástico e por fim isolá-la (se possível, utilize luvas e óculos de proteção).
    • CUIDADOS COM AS PILHAS
       
      PARA O DESCARTE
      Logo após, lave as mãos com água abundante; se ocorrer irritação procure um médico imediatamente.
    • RECICLAGEM
       
      PROCESSO
      A reciclagem é um processo industrial que converte o lixo descartado (matéria-prima secundária) em produto semelhante ao inicial, ou serve de matéria prima para a confecção de novos. A reciclagem poupa energia, recursos naturais e traz de volta ao ciclo produtivo o que é jogado fora.
    •  
      BENEFÍCIOS:
      * Contribui para diminuir a poluição do solo, água e ar.
      * Melhora a limpeza da cidade e a qualidade de vida da população.
      * Prolonga a vida útil de aterros sanitários.
      * Melhora a produção de compostos orgânicos.
      * Gera empregos para a população menos qualificada.
      RECICLAGEM
    • RECICLAGEM
      BENEFÍCIOS:
      * Gera receita com a comercialização dos recicláveis.
      * Estimula a concorrência, uma vez que produtos gerados a partir dos reciclados são comercializados em paralelo àqueles gerados a partir de matérias-primas virgens.* Contribui para a valorização da limpeza pública e para formar uma consciência ecológica.
    • RECICLAGEM
      O que é feito com os produtos reciclados?
    • RECICLAGEM
      Metais Pesados: retirados das pilhas e baterias, os sais e óxidos metálicos podem ser utilizados nas indústrias de refratários, tintas para pisos, pigmentos, vasos, cerâmicas e nas indústrias químicas em geral.
      Plástico dos celulares: Reaproveitado na indústria plástica.
    • RECICLAGEM
      Pra onde vão os materiais?
      Suzaquim– Indústrias
      Químicas Ltda. Suzano - SP
      Única empresa do Brasil que recicla pilhas e baterias de celulares. Atuando a mais de nove anos no ramo, a Suzaquim tem capacidade para reciclar 250 ton./mês de pilhas, celulares e baterias.
    • Órgão fiscalizadores e controladores nacionais:
      CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).
      IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).
      IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas).
      ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica). Fiscaliza e gerencia as indústrias do segmento.
      RECICLAGEM
    • RECICLAGEM
      ANATEL (Assosciação Nacional de Telefonia).
      OSCIP (Organização de Sociedade Civil de Interesse Público).
      ABNT NBR10004 (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
      MT (Ministério do Trabalho), através das NRs (Normas Regulamentadoras).
    • COMO VOCÊ PODE AJUDAR?
      Reúna pilhas, baterias, celulares velhos, latas de tinta, produtos químicos, vasilhames de inseticidas, separando-os adequadamente para serem recolhidos ou entregues no local de compra (vide Lei).
    • COMO VOCÊ PODE AJUDAR?
      Caso sua cidade não tenha uma equipe de coleta, busque ajuda, tenha você mesmo a iniciativa. Converse com o Secretário do Meio Ambiente de sua cidade. A natureza precisa de você!
    • COMO VOCÊ PODE AJUDAR?
      Se você acessou esse
      link por um dos nosso impressos (tiras c/ endereço). Estaremos recolhendo as pilhas,
      celulares e baterias (apenas) no seu próprio colégio/facul., durante a data divulgada:
      Sexta-feira, dia 13/11/09
    • PESQUISA
      http://www.sebraemg.com.br/culturadacooperacao/oscip/02.htm
      http://www.who.int/countries/bra/es/
      http://www.ambientebrasil.com.br
      http://www.mma.gov.br/conama
      http://www.greenpeace.og.br
      http:/www.folha.uol.com.br
      http://www.ibama.gov.br
      http://www.anatel.gov.br
      http://www.abinee.org.br
      http://www.ibge.gov.br
      http://www.abnt.org.br
      http://www.nema.org
      http://www.oms.org
      http://www.ufv.br
      http://www.ipt.br
    • A todos os amantes da natureza
      Que acreditam que as coisas
      Podem ser diferentes
      E lutam por isso!
      AGRADECIMENTOS