Your SlideShare is downloading. ×
A cultura do slowdown
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

A cultura do slowdown

94
views

Published on

Published in: Health & Medicine

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
94
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A CULTURA DOSLOW DOWNBelo artigo...Leia com atenção e medita bem o seuconteúdo.
  • 2. “Já tem 18 anos que ingressei na Volvo,empresa sueca bem conhecida.Trabalhar com eles é uma convivênciamuito interessante. Qualquer projetoaqui demora dois anos para seconcretizar, mesmo que a idéia sejabrilhante e simples. É uma regra.
  • 3. Os processos globalizados causam-nos anós (brasileiros, portugueses,argentinos, colombianos, peruanos,venezuelanos, mexicanos, australianos,asiáticos, etc...) uma ansiedadegeneralizada na busca de resultadosimediatos.Conseqüentemente, o nosso sentido deurgência não surte efeito dentro dosprazos lentos dos suecos.
  • 4. Os suecos debatem, debatem, realizam"n" reuniões, ponderações, etc...E trabalham! Com um esquema bem mais“slowdown". O melhor é constatar que,no fim, isto acaba por sempre darresultados no tempo deles (suecos) jáque conjugando a necessidadeamadurecida com a tecnologiaapropriada, é muito pouco o que seperde aqui na Suécia.
  • 5. 1. A Suécia é do tamanho do estado deSão Paulo (Brasil).2. A Suécia tem apenas dois milhões dehabitantes.Resumindo:
  • 6. 3. A sua maior cidade, Estocolmo, temapenas 500.000 habitantes (compare-secom Paris, Londres, Berlim, Madrid,mesmo Lisboa, onde vivempermanentemente 1 milhão de pessoas, ouainda a cidade do Rio de Janeiro com 7milhões).4. Empresas de capital sueco: Volvo,Skandia, Ericsson, Electrolux, ABB,Nokia, Nobel Biocare , etc. Nada mal, né?Para se ter uma idéia da sua importânciabasta mencionar que a Volvo fabrica osmotores de propulsão para os foguetes da
  • 7. Os suecos podem estar enganados, massão eles que me pagam o salário. Devoreferir que não conheço nenhum outropovo com uma cultura geral superior àdos suecos.
  • 8. Vou contar uma pequena história,para terem uma idéia:A primeira vez que fui para a Suécia, em1990, um dos meus colegas suecos meapanhava no hotel todas as manhãs.Já era Setembro, com algum frio e neve.
  • 9. Chegávamos cedo à Volvo e eleestacionava o carro longe da porta deentrada (são 2000 empregados que vãode carro para a empresa). No primeirodia não fiz qualquer comentário, nemtampouco no segundo ou no terceiro.
  • 10. Num dos dias seguintes, já com umpouco mais de confiança, uma manhãperguntei:"Vocês têm lugar fixo para estacionar?Chegamos sempre cedo e com oestacionamento quase vazio vocêestaciona o carro no seu extremo?
  • 11. E ele me respondeu com simplicidade:“É que como chegamos cedo temos tempopara andar, e quem chega mais tarde, jávai entrar atrasado, portanto é melhorpara ele encontrar um lugar mais perto daporta. Entendeu?"Imaginem a minha cara! Esta atitude foibastante para que eu revisse todos osmeus conceitos anteriores.
  • 12. Atualmente, há um grande movimento naEuropa chamado "Slow Food". A “Slow FoodInternational Association”, cujo símbolo é umcaracol, tem a sua sede na Itália (o site naInternet é muito interessante.www.slowfood.com)O que o movimento Slow Food preconiza éque se deve comer e beber com calma, dartempo para saborear os alimentos, desfrutarda sua preparação, em família, com amigos,sem pressa e com qualidade.
  • 13. A idéia é contraposição ao espírito doFast Food e o que ele representa comoestilo de vida.Verdadeiramente surpreendente, é queeste movimento de Slow Food estáservindo de base para um movimento maisamplo chamado “Slow Europe” comosalientou a revista Business Week numadas suas últimas edições européias.
  • 14. Na base de tudo isto está oquestionamento da "pressa" e da"loucura" geradas pela globalização, pelodesejo de "ter em quantidade" (nível devida) ao contrário do "ter em qualidade",“Qualidade de vida" ou “Qualidade doser".
  • 15. Segundo a Business Week, ostrabalhadores franceses, ainda quetrabalhem menos horas (35 horas porsemana) são mais produtivos que os seuscolegas americanos e ingleses. E osalemães, que em muitas empresas jáimplantaram a semana de 28,8 horas detrabalho, viram a sua produtividadeaumentar uns apreciáveis 20%.
  • 16. A denominada "slow attitude" estáchamando atenção dos própriosamericanos, escravos do "fast" (rápido) edo "do it now!" (faça já!).Portanto, esta "atitude sem pressa" nãosignifica fazer menos nem ter menorprodutividade.
  • 17. Significa sim, trabalhar e fazer as coisascom "mais qualidade" e "maisprodutividade", com maior perfeição,com atenção aos detalhes e com menosstress.Significa retomar os valores da família,dos amigos, do tempo livre, do prazerdum belo ócio e da vida em pequenascomunidades.
  • 18. Do "aqui" presente e concreto, aocontrário do "mundial" indefinido eanônimo.Significa retomar os valores essenciais doser humano, dos pequenos prazeres doquotidiano, da simplicidade de viver econviver, e até da religião e da fé.
  • 19. SIGNIFICA UM AMBIENTE DETRABALHO COM MENOSPRESSÃO, MAIS ALEGRE, MAISLEVE, E PORTANTO MAISPRODUTIVO, ONDE OS SERESHUMANOS REALIZAM, COMPRAZER, OQUE MELHOR SABEM FAZER
  • 20. É saudável refletir sobre tudo isto. Será que osantigos provérbios: “Devagar se vai ao longe" e“A pressa é inimiga da perfeição" merecemnovamente a nossa atenção nestes tempos deloucura desenfreada?Não seria útil e desejável que as empresas danossa comunidade, cidade, estado ou país,começassem já a pensar em desenvolverprogramas sérios de “qualidade sem pressa" atépara aumentarem a produtividade e aqualidade dos produtos e serviços semnecessariamente se perder “qualidade do ser"?
  • 21. No filme "Perfume de Mulher" há umacena inesquecível na qual o cego(interpretado por Al Pacino) convidauma jovem para dançar e ela responde:"Não posso, o meu noivo deve estarchegando". Ao que o cego responde:“Em um momento, vive-se uma vida", e aleva para dançar um tango. Esta cenaque dura apenas dois ou três minutos, éo melhor momento do filme.
  • 22. Muitos vivem correndo atrás do tempo,mas só o alcançam quando morrem, querseja de enfarte ou num acidenteautomobilístico por correrem para chegara tempo.Ou outros que, tão ansiosos para viveremo futuro, esquecem-se de viver opresente, que é o único tempo querealmente existe.
  • 23. O tempo é o mesmo para todos, ninguémtem nem mais nem menos de 24 horas pordia.A diferença está no que cada um faz doseu tempo. Temos de saber aproveitarcada momento, porque, como disse JohnLennon, “A vida é aquilo que aconteceenquanto planejamos o futuro".
  • 24. Parabéns por ter conseguido ler estamensagem até ao fim.Certamente haverá muitos que leram sómetade, para "não perder tempo" tãovalioso neste mundo globalizado.Um excelente dia para você,Um excelente dia para você,hojehoje sábado, 4 de maio de 2013sábado, 4 de maio de 201306:50:40 AM06:50:40 AM !!