DiscussãodeCasosClínicos            Serviço de Neurologia            Dr. Carlos Henrique D. Carneiro
Caso 01D.I. 57 anos masculino cabeleireiro crises epilépticas parciais motoras há 10 meses
Exame físico   Exame físico geral : discreto descoramento de mucosas   Exame Neurológico: - papiledema                  ...
Exames complementares   Tomografia computadorizada          SC           SC          CC           CC
Exames complementares   RX de tórax
Exames complementares   Exame anátomo-patológico: presença de    leveduras em gemulação múltipla compatíveis    com Parac...
Paracoccidioidomicose   Doença sistêmica causada pelo fungo    Paracoccidioides brasiliensis.   Frequência do acometimen...
Conclusão   O acometimento do SNC é mais freqüente do que se    supunha   Diagnóstico: relativamente difícil - geralment...
Caso 02C.M.    27 anos , feminina , branca , jornalista, natural e    residente em Santo André.   Deu entrada no P.A. co...
Exame físico   Exame clínico geral: normal   Exame neurológico: Consciente e orientada   Pares cranianos e cerebelo: s/...
Exames complementares   ENMG mostrou desmielinização multifocal e    evidências de remielinização com graus variados    d...
Síndrome de Guillain -Barré Paralisia flácida de instalação aguda secundária ao  envolvimento do SNP. Fator desencadeant...
Evolução   Evolução: é sub-aguda; alguns pacientes não    apresentam qualquer grau de impotência    funcional, enquanto o...
Prognóstico   Mortalidade: 3% a 10 %   Em 3% ocorre recorrência e em 20%, sequela    residual em 1 ano e 5% dos paciente...
Diagnóstico diferencial das       Neuropatias inflamatórias   Diferencia-se a PIDC da Síndrome de GB, pelo    fato de que...
Tratamento   Imunoglobulina humana   Plasmaférese
Caso 03A.F.S.   sexo feminino, 25 anos   iniciou com comichões, sensação de alfinetadas    e agulhadas nos pés. Após alg...
Exame físico   Exame físico geral: normal   Exame neurológico: consciente , orientada   Força muscular MMII: G IV , dis...
Exames Complementares   Dosagem sérica Vitamina B12   Hemograma                       ANTES   RM                 agosto...
Degeneração combinada subaguda   Medula espinhal, cérebro, nervos ópticos   Provocada pela deficiência de vitamina B12 ...
Tratamento   Administração imediata de Vitamina B12 e a    continuação do tratamento pelo resto da vida do    paciente
Caso 04S.E.O.   masculino , 45 anos, comerciante   Há 30 dias iniciou com visão dupla e queda das    pálpebras. Após alg...
Exame físico   Exame físico geral: normal   Exame neurológico: consciente, orientado   Ptose palpebral   Fraqueza musc...
Exames Complementares   ENMG: Rápida redução na amplitude dos    potenciais musculares evocados durante    estimulação re...
Miastenia Gravis   Doença que afeta a junção neuromuscular   Características essenciais: fraqueza flutuante e    fadigab...
Tratamento   Agentes anticolinesterásicos   Timectomia   Crise miastênica:    - Corticóides    - Azatioprina, ciclospor...
Caso 05F.V.   28 anos, masculino, casado, metalúrgico, natural e    residente em SCS   06/2006: dor em MMII de forte int...
Exame clínico   Exame clínico geral: normal   Exame neurológico: consciente, orientado   Tetraparesia distal predomínio...
Exames complementares   LCR : 2 células, proteína = 120, EFP normal   sorologias: - HIV: não reagente                  -...
Polineuropatia Inflamatória      Desmielinizante Crônica (PIDC)   Entidade nosológica com critérios clínicos,    eletrofi...
Etiologia   A patogenia e fisiopatologia da PIDC não são de    todo conhecidas, mas há apreciável conjunto de    evidênci...
Tratamento   Corticóides   Ciclofosfamida   Imunoglobulina humana : atualmente é    considerada medicação de primeira l...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Discussão de casos clínicos

1,682

Published on

Discussão de casos clínicos

Published in: Health & Medicine
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,682
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Discussão de casos clínicos

  1. 1. DiscussãodeCasosClínicos Serviço de Neurologia Dr. Carlos Henrique D. Carneiro
  2. 2. Caso 01D.I. 57 anos masculino cabeleireiro crises epilépticas parciais motoras há 10 meses
  3. 3. Exame físico Exame físico geral : discreto descoramento de mucosas Exame Neurológico: - papiledema - hemiparesia esquerda
  4. 4. Exames complementares Tomografia computadorizada SC SC CC CC
  5. 5. Exames complementares RX de tórax
  6. 6. Exames complementares Exame anátomo-patológico: presença de leveduras em gemulação múltipla compatíveis com Paracoccidioides brasiliensis.
  7. 7. Paracoccidioidomicose Doença sistêmica causada pelo fungo Paracoccidioides brasiliensis. Frequência do acometimento do S.N.C.: 27,27% Formas: pseudotumoral e meníngea. Tratamento: Anfotericina B, derivados azólicos e sulfamídicos. Evolução: o paciente evoluiu bem , mantendo discreta hemiparesia e hipoestesia
  8. 8. Conclusão O acometimento do SNC é mais freqüente do que se supunha Diagnóstico: relativamente difícil - geralmente só desvendados após cirurgia e estudo anátomo-patológico. Tratamento: cirúrgico e antimicrobiano é eficaz e de baixo custo ( sulfametoxazol-trimetoprim) Evolução favorável está intimamente correlacionada à precocidade diagnóstica e a correta decisão terapêutica
  9. 9. Caso 02C.M. 27 anos , feminina , branca , jornalista, natural e residente em Santo André. Deu entrada no P.A. com história de fraqueza progressiva em MMII mais evidente em mm distais, dor nas panturrilhas e parestesias nos pés. Antecedente de I.V.A.S. uma semana antes da instalação do quadro.
  10. 10. Exame físico Exame clínico geral: normal Exame neurológico: Consciente e orientada Pares cranianos e cerebelo: s/alterações Sensibilidade: normal Força muscular: grau 5 MMSS / 4 MMII Reflexos MMII: hipoativos
  11. 11. Exames complementares ENMG mostrou desmielinização multifocal e evidências de remielinização com graus variados de perda axonal associada. A partir da segunda semana o LCR apresentou aumento das proteínas e celularidade normal . - Celularidade de 5 a 10 % - investigar : sarcoidose, HIV e doença de Lyme.
  12. 12. Síndrome de Guillain -Barré Paralisia flácida de instalação aguda secundária ao envolvimento do SNP. Fator desencadeante é observada em 2/3 dos casos, destacando-se infecções virais por CMV, HIV e Epstein-Barr, bacterianas (principalmente Campylobacter jejuni), cirurgias, trauma, linfoma e LES. Campylobacter jejuni
  13. 13. Evolução Evolução: é sub-aguda; alguns pacientes não apresentam qualquer grau de impotência funcional, enquanto outros ficam completamente plégicos, com comprometimento músculos respiratórios e/ou pares cranianos. Pode progredir até 4 semanas Distúrbios do ritmo cardíaco e da pressão arterial podem ser fatais
  14. 14. Prognóstico Mortalidade: 3% a 10 % Em 3% ocorre recorrência e em 20%, sequela residual em 1 ano e 5% dos pacientes permanecem incapacitados Variáveis : Síndrome Miller-Fisher (ataxia, arreflexia e oftalmoplegia) Forma paraparética e bráquio-cérvico-faríngea
  15. 15. Diagnóstico diferencial das Neuropatias inflamatórias Diferencia-se a PIDC da Síndrome de GB, pelo fato de que nesta a progressão ocorre por período máximo de 5 semanas. A PIDC pode responder à corticóides. Achados eletrofisiológicos de ambos são superponíveis.
  16. 16. Tratamento Imunoglobulina humana Plasmaférese
  17. 17. Caso 03A.F.S. sexo feminino, 25 anos iniciou com comichões, sensação de alfinetadas e agulhadas nos pés. Após algumas semanas, a marcha tornou-se instável e rígida, sobrevindo fraqueza dos membros inferiores.
  18. 18. Exame físico Exame físico geral: normal Exame neurológico: consciente , orientada Força muscular MMII: G IV , discreta espasticidade, alterações nos reflexos tendinosos Marcha: atáxica Sensibilidade: normal
  19. 19. Exames Complementares Dosagem sérica Vitamina B12 Hemograma ANTES RM agosto-2006 DEPOIS abril-2007
  20. 20. Degeneração combinada subaguda Medula espinhal, cérebro, nervos ópticos Provocada pela deficiência de vitamina B12 Acometem as colunas posteriores e laterais da medula Ausência fator intrínseco que transporta a cobalamina, ressecções gástricas, lactovegetarianos, defeitos genéticos, etc...
  21. 21. Tratamento Administração imediata de Vitamina B12 e a continuação do tratamento pelo resto da vida do paciente
  22. 22. Caso 04S.E.O. masculino , 45 anos, comerciante Há 30 dias iniciou com visão dupla e queda das pálpebras. Após alguns dias referia fraqueza na MM do pescoço que piorava à medida que o dia ia passando
  23. 23. Exame físico Exame físico geral: normal Exame neurológico: consciente, orientado Ptose palpebral Fraqueza muscular MM flexora e extensora do pescoço Reflexos: normoativos Sensibilidade: normal.
  24. 24. Exames Complementares ENMG: Rápida redução na amplitude dos potenciais musculares evocados durante estimulação repetitiva . Mensuração de anticorpo anti-receptor ACh Teste do edrofônio
  25. 25. Miastenia Gravis Doença que afeta a junção neuromuscular Características essenciais: fraqueza flutuante e fadigabilidade muscular A fraqueza do músculo elevador da pálpebra ou dos músculos extra-oculares é a manifestação inicial da afecção em cerca da metade dos casos
  26. 26. Tratamento Agentes anticolinesterásicos Timectomia Crise miastênica: - Corticóides - Azatioprina, ciclosporina - Imunoglobulina humana - Plasmaférese
  27. 27. Caso 05F.V. 28 anos, masculino, casado, metalúrgico, natural e residente em SCS 06/2006: dor em MMII de forte intensidade, tipo neuropática. Procurou vários médicos no período - sensações parestésicas acompanharam o quadro. Há 2 meses, piorou da força muscular - agora também em MMSS + dificuldade progressiva na deambulação ( só com andador) + impotência sexual (sem disfunção esfincteriana)
  28. 28. Exame clínico Exame clínico geral: normal Exame neurológico: consciente, orientado Tetraparesia distal predomínio MMII Hiporreflexia generalizada Disestesia em MMII Cutâneo-plantar: flexão bilateral
  29. 29. Exames complementares LCR : 2 células, proteína = 120, EFP normal sorologias: - HIV: não reagente - hepatite: normal provas de função reumática: normais ENMG: polineuropatia sensitivo motora desmielinizante com perda axonal secundária
  30. 30. Polineuropatia Inflamatória Desmielinizante Crônica (PIDC) Entidade nosológica com critérios clínicos, eletrofisiológicos e histológicos bem definidos Polineuropatia com progressão de 2 meses ou mais que envolve os membros - proximal e distalmente - com achados eletromiográficos indicativos de desmielinização multifocal Doença considerada rara (1 caso para 200.000 habitantes/ano) Há um apreciável número de doenças sistêmicas associadas à PIDC A polineuropatia diabética é, essencialmente, sensitiva. Na maioria das vezes, déficit motor em pacientes diabéticos se trata de PIDC associada
  31. 31. Etiologia A patogenia e fisiopatologia da PIDC não são de todo conhecidas, mas há apreciável conjunto de evidências a sugerir que sua base seja imunológica, particularmente pela resposta a imunossupressores e imunomoduladores Do ponto de vista evolutivo, há formas de evolução contínua; outras, à semelhança da esclerose múltipla, recorrentes
  32. 32. Tratamento Corticóides Ciclofosfamida Imunoglobulina humana : atualmente é considerada medicação de primeira linha. Sua eficácia é observada em até 76% de pacientes Plasmaférese

×