Cartilha prevencao da hérnia lombar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Cartilha prevencao da hérnia lombar

on

  • 7,198 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,198
Views on SlideShare
6,894
Embed Views
304

Actions

Likes
5
Downloads
316
Comments
0

5 Embeds 304

http://enfermagemeumaarte.blogspot.com 154
http://enfermagemeumaarte.blogspot.com.br 122
http://www.enfermagemeumaarte.blogspot.com 25
http://enfermagemeumaarte.blogspot.pt 2
http://enfermagemeumaarte.blogspot.com.es 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cartilha prevencao da hérnia lombar Presentation Transcript

  • 1. AVENTIS PHARMA ORIENTAÇÃO E PREVENÇÃO DA HÉRNIA DE DISCO LOMBAR PRO 001 Jan/02 507 933NOVALGINA ® (Dipirona sódica). Contra-indicações: hipersensibilidade a dipirona ou qualquerpirazolona, porfiria hepática, deficiência congênita de glicose-6-fosfato-desidrogenase; nos 3 primeirose 3 últimos meses da gestação; em crianças com menos de 3 meses de vida ou com menos de 5 kg;em pacientes com condições circulatórias instáveis. A indicação deve ser cuidadosamente estabelecidanos casos de asma e infecções crônicas do trato respiratório, hematopoiese alterada e no segundotrimestre da gestação. Nº de Registro no M.S.: 1.1300.0058 COMO MANTER-SE EM MOVIMENTO PARA A VIDAContra-indicações: Hipersensibilidade ao cetoprofeno ou ao ácido acetilsalicílico e seus derivadose aos demais componentes do produto; dermatoses exsudativas, eczemas, lesões infeccionadas,feridas; não aplicar nas mucosas nem nos olhos. MS 1.1300.0271 A PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.Aventis Pharma Ltda.Av. Marginal do Rio Pinheiros, 5200CEP 05693-000 - São Paulo -SPwww.aventispharma.com.br Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 2. “ACREDITE QUANDO O ESCRITO, A DOUTRINA OU O QUE É DITO É CORROBORADO PELA RAZÃO E PELA CONSCIÊNCIA.” GAUTAMA BUDDHA Autoria: Wilson Fábio Negrelli Nívea D. T. Conforti FroesAS INFORMAÇÕES E OPINIÕES EXPRESSAS NESTE INFORMATIVO Ilustrações: SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DOS AUTORES. Ana Lua Negrelli Henrique Montanari (Edemas) 2 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 3. ...O TEMPO PASSA E A DOR PERMANECE! ESCLARECENDO A ANATOMIA DA COLUNAA história da dor lombar é antiga. Razão? A coluna vertebral é formada por ossos conectados,Além de suportar o peso do corpo, a região lombar "carrega" também o denominados vértebras. Sua função principal éestresse da vida diária, as conseqüências da má postura, da falta de suportar o tronco, proteger a medula espinhal eexercícios adequados e orientados, do excesso de peso e do descuido ao permitir flexibilidade. A região lombar é compostaexercer atividades diárias comuns, como passar roupa, escovar os dentes, de 5 vértebras (L1 a L5) associadas aos discos, raízeslevantar peso, trocar o bebê, ler, escrever ou assistir televisão. nervosas, músculos e ligamentos, em articulaçãoMuitas vezes, o desconforto nessa parte da coluna não é sério e pode ser com a primeira vértebra do sacro (S1). A maiorapenas resultado de um esforço carga de peso sobre a coluna concentra-se nosextra. No entanto, quando a dor discos e vértebras dessa região. Os episódios depersiste e você ignora os sinais de hérnia de disco são, geralmente, mais observadosalerta, o processo pode tornar-se em L4-L5 e L5-S1, embora possam ocorrer emcrônico e, cedo ou tarde, causar qualquer parte da coluna vertebral.sofrimento e limitação.Este manual pretende ajudá-loa pensar mais em sua coluna,respondendo a algumas de suasdúvidas. músculos espinhais músculos abdominais S1 músculos das nádegas nervo ciático músculos posteriores da coxa músculos anteriores da coxa 4 5 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 4. O QUE É A HÉRNIA DE DISCO O disco intervertebral é, provavelmente, o local mais comum de dor lombar e pode ser responsável por mais de 85% dos casos das queixas. É um problema de saúde comum que afeta de 1% a 2% da população. A degeneração do disco decorre do processo de envelhecimento, quando Essas proporções podem parecer pequenas, mas se tornam grandes quando seu núcleo pulposo perde água, diminuindo sua capacidade se constata que é um dos principais motivos de ausência no trabalho, amortecedora. Conseqüentemente, a distribuição de carga sobre o anel incapacidade física prolongada e despesas médicas e legais. A hérnia de fibroso torna-se desigual, podendo provocar a ruptura de suas fibras. Quando isso ocorre, o núcleo pulposo pode extravasar-se pela fissura do disco acomete pessoas entre 30 a 50 anos, mas pode ser observada em anel, gerando pressão sobre os nervos da coluna. Esse processo é idosos, adolescentes e, mais raramente, em crianças. conhecido como hérnia de disco. A seqüência desses eventos explica a O disco é uma combinação de tecidos resistentes, que serve de dor nas costas (lombalgia) e, na maioria das vezes, a irradiação dessa dor, "amortecedor" entre as vértebras, daí ser denominado disco intervertebral. o formigamento, a anestesia e fraqueza no membro inferior (popularmente Ele é dividido em duas partes, ou seja, uma camada externa (anel fibroso) e chamada de "ciática"). outra central (núcleo pulposo). O núcleo assemelha-se a um gel, rico em água nos adultos, jovens e crianças. anel fibroso núcleo pulposo vértebra extravasamento do núcleo pulposo disco pressionando os nervos nervos deixando o canal espinhal nervo ciático nervos no canal núcleo espinhalnervos pulposono canalespinhal anel fibroso canal vértebra forame espinhal disco herniado disco nervo deixando lâmina o canal espinhal forame através do forame (orifício por nervo irritado lâmina canal onde sai a raiz espinhal nervosa) nervo deixando o canal espinhal 6 através do forame 7 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 5. CAUSAS DA HÉRNIA DE DISCOANATOMIA DA DOR LOMBARtensão e Fatores hereditários Torções da colunaproblemas cérebro Traumatismos (quedas, entorses) má posturatraumatismos Sobrecarga de peso Fumodisco rompido Tempo prolongado em posição sentadaartrite outras causas contração (desvios vertebrais, infecções, diabetes, muscular Prática de esportes Desequilíbrios de impacto musculares e posturais doenças abdominais e pélvicas)A dor começa quando as terminações nervosas recebem estímulosagressores. O cérebro, um complexo computador, classifica todos osimpulsos nervosos e interpreta os estímulos como dor. Em resposta a isso,os músculos da coluna tentam protegê-la e entram em contração,acentuando o quadro. Os discos, ligamentos e músculos das costaspossuem muitas terminações nervosas, o que explica a sensação dolorosa,que é muitas vezes intensificada por outras condições, como o estresse,o cansaço e a ansiedade. 8 9 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 6. SINTOMAS EXAME FÍSICODor lombar, geralmente irradiada para um ou ambos os membrosinferiores, muitas vezes de forte intensidade, impedindo as atividades A coluna é examinada em várias posições, observando-se a postura, osdo dia-a-dia. Pode estar acompanhada de formigamento e, nos casos locais da dor, a força muscular, a sensibilidade e os reflexos. O grau deextremos, de anestesia e perda de força em um dos membros inferiores. irritação da raiz nervosa é avaliado por meio do teste de Lasègue, queNesse episódio, podem ser também observadas contraturas musculares consiste na elevação da perna, mantendo o joelho esticado, com oque levam, algumas vezes, a um desvio do alinhamento da coluna. paciente deitado. O teste é considerado positivo quando o pacienteHá uma situação mais grave de dor, em que ocorrem alterações de manifesta dor na perna e na coluna lombar, uma vez que o ato desensibilidade das faces internas das coxas, perda de controle urinário e elevação provocará o estiramento do nervo irritado.intestinal, bem como enfraquecimento das pernas. Esse quadro,conhecido como "síndrome da cauda eqüina", resulta da compressãomaciça do disco sobre as raízes nervosas e requer procedimento cirúrgico exame testeimediato. dinâmico reflexos de LasègueO PAPEL DO MÉDICOAjudá-lo, esclarecendo seu problema e tratando-o imediatamente.Para tanto, será feito um diagnóstico detalhado, com história completada doença, e exame físico, além de exames complementares, como oslaboratoriais e de imagem (radiografias, tomografia computadorizada EXAMES ESPECIAISe/ou ressonância magnética). O tratamento pode ser iniciado na primeiraconsulta, a fim de aliviar a dor. No entanto, o diagnóstico final é feito As radiografias revelam alterações ósseas, mas não mostram problemas no discoapós obtidos os resultados dos exames complementares. intervertebral. Assim, nesses casos, pode haver necessidade da solicitação de outros exames, como a tomografia computadorizada ou a ressonância magnética, que evidenciam a imagem da hérnia de disco, o canal vertebral e as facetas.HISTÓRIA DO PACIENTE Em alguns casos, a eletroneuromiografia pode ser solicitada, a fim de identificar a raiz nervosa comprometida e afastar outras patologias neurológicas.Você será questionado sobre: TRATAMENTO DA HÉRNIA DE DISCOQuando sua dor iniciou?Ela se localiza em uma só região?Ao tossir ou espirrar, sua dor piora?Você sofreu algum traumatismo?Quando e o que melhora / piora a dor?Você recebeu tratamento? Qual?Qual o local exato de sua dor?Qual tipo de trabalho você faz?Sua dor afeta suas atividades?Quais suas atividades em casa e de recreação? imagens de hérnias discais (setas)Ela se irradia para a coxa ou perna?Em que posição piora?Qual seu estado psicológico? 10 11 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 7. TRATAMENTO DA HÉRNIA DE DISCO Esse procedimento exige profissional médico especialmente treinado e internação hospitalar. As metas do tratamento não cirúrgico são reduzirO tratamento da hérnia de disco pode ser cirúrgico e não cirúrgico a irritação do nervo e disco e melhorar a condição física do paciente,(conservador). Este último tem sido o método de primeira escolha, protegendo sua coluna.por apresentar um alto índice de melhora em 80% a 90% dos pacientestratados. O tratamento conservador pode ser dividido em duas etapas: 2. FASE PÓS-AGUDA À medida que a dor diminui, pode ser iniciado o programa de exercícios,1. FASE AGUDA que deve ser de estiramento leve no início e reeducação de hábitos e postura. Paulatinamente, são adicionados os exercícios mais vigorosos,a) repouso (3 dias a 2 semanas); para aumentar a flexibilidade, força e resistência, visando a volta àsb) medicações analgésicas; atividades normais. A continuidade de sua prática é importante parte doc) antiinflamatórios não hormonais e tratamento.d) relaxantes musculares.Nos casos de dor intensa poderão ser utilizados analgésicos mais fortes Curvas fisiológicas da coluna(narcóticos). Entretanto, esses medicamentos podem causar sonolência,prisão de ventre e tontura, principalmente quando associados aos relaxantesmusculares. Além disso, os narcóticos podem causar dependência.Os antiinflamatórios não hormonais, também analgésicos, são bastanteempregados para reduzir a inflamação que resulta da herniação do disco. curva cervical (lordose)Siga estritamente a orientação de seu médico, pois esses medicamentospodem causar efeitos colaterais, como gastrite e sangramento.Os relaxantes musculares são usados em casos de grandes contraturas. curva torácica (cifose)Métodos auxiliares na fase agudaCom o objetivo de combater a dor e relaxar a musculatura, recursos como sentado curva lombar (lordose)a acupuntura e a fisioterapia (calor, gelo, ultra-som, estimulação elétrica emassagem) são benéficos. Ocasionalmente, são indicados coleteslombares, leves e flexíveis. sacro (cifose) sistema disco corpoCasos de dor persistente nervoso vertebralSão prescritas outras medicações com potentesefeitos antiinflamatórios, como os corticóides(via oral ou injetável). Esses medicamentostambém podem causar efeitos colaterais, dessemodo os riscos e benefícios em usá-los devem deitado em péser discutidos entre médico e paciente.Em casos de dor severa que se irradiapara a perna, são recomendadas asinjeções epidurais (área em torno dosnervos espinhais), com corticóides. 12 13 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 8. PROGRAMA DE VOLTA ÀS ATIVIDADES NORMAIS CORRETOS INCORRETOSPara ter uma coluna saudável, as três curvas naturais devem ser respeitadas,independente das atividades. CORRETOS INCORRETOS 14 15 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 9. PROGRAMA DE EXERCÍCIOS A: De costas, dobre as pernas sobre o abdome. Com a ajuda das mãos, puxe seus joelhos contra o peito. Conte até 5.Sugestões: 15 minutos por dia, três a cinco vezes por semana, sempre Volte os pés ao chão, descanserespeitando o seu limite. Procure fazer seus exercícios sobre uma e repita o movimento 5 vezes. Asuperfície firme. Um grupo de exercícios pode ser escolhido para cadadia, desde que toda a série seja efetuada durante a semana.O sinal (XXXX) significa a região do corpo que está sendo mais B: De costas, pernas dobradas,intensamente fortalecida ou alongada. pés no chão, joelhos separados na largura dos ombros. Firme seu abdome A: Deitado de costas, joelhos dobrados e nádegas e, vagarosamente, eleve a e separados na largura dos ombros, braços região lombar. Conte até 5. Mantenha ao longo do corpo. Inspire profundamente, seu pescoço relaxado e observe para sentindo toda a extensão das suas costas sobre B não ir além de sua capacidade. Volte à o chão. Expire lentamente e relaxe. Mantendo-se posição inicial. Repita 5 vezes.A nessa posição, contraia seu abdome e aperte suas nádegas, pressionando sua região lombar C: Mesma posição inicial de B. Dobre contra o chão. Conte até 5. seus braços sobre o peito, mãos nos Relaxe e repita o movimento 5 vezes. ombros. Vagarosamente, levante a B: Partindo da posição A, abra os braços para cabeça, puxando o pescoço e os ombros os lados, gire suas pernas para o lado direito, do chão, mantendo a coluna lombar enquanto sua cabeça se move para o lado C apoiada no solo. Conte até 5. Descanse, esquerdo. Mantenha-se nessa posição, contando até voltando ao chão. Repita 5 vezes.B 5. Volte à posição inicial e faça o movimento para o outro lado. Repita 10 vezes, alternadamente. A: Sentado em superfície firme, com as costasA: De costas, pernas dobradas. Coloque suas e os pés apoiados. Mantenha o tronco esticadomãos sobre o abdome, com atenção em sua e um pouco inclinado para frente, permitindorespiração. Procure relaxar por alguns que você se posicione sobre as duasminutos, procurando sentir suas costas Ainteiramente no chão. proeminências ósseas sob suas nádegas. A Relaxe seus ombros e mantenha-se comB: Mantendo a respiração normal, puxe com o olhar à frente.a mão a perna direita, levando-a em direçãoao ombro correspondente. Conte até 5 e B: A partir da posição A, eleve um dos braços,relaxe. Faça o mesmo movimento com a outraperna. Repita 5 vezes, alternando os lados. Ao mantendo o outro sobre a coxa. Vagarosamente,completar, estique as pernas e relaxe. incline o tronco para o lado oposto do braço B esticado. Conte até 5 e volte à posição inicial.C: Deite de costas, próximo a uma parede. B Alterne o lado. Repita 5 vezes.Posicione suas nádegas o mais perto possívelda parede, dobre uma perna e eleve-a,apoiando-a sobre a parede. Sinta o C: Em pé, eleve seus braços para o lado e dobreestiramento dos músculos posteriores da coxa. os antebraços, deixando as palmas das mãosDeixe a outra perna dobrada, pé apoiado no voltadas para frente. Nessa posição, empurrechão. Mantenha-se nessa posição, sempre seus braços para trás, pressionando seus ombrosrespirando normalmente, contando até 20. para dentro. Mantenha por alguns segundos,Alterne o movimento, 5 vezes. 16 C relaxe e repita o movimento 3 vezes. C Acesse http://BlogEnfermagem.com 17
  • 10. A: Apoiado sobre joelhos e mãos,mantenha os músculos do abdome A: Em pé, apóie sua coluna inteira na parede,contraídos, a fim de manter a curva mantendo os calcanhares afastados 5 cm danatural da coluna. Pescoço relaxado, A parede. Pernas separadas na largura dos ombros.orelhas alinhadas com os ombros.B: Inspire lentamente, fazendo um arcocom sua coluna, levando o queixo em Adireção ao peito. Conte até 5, retorne àposição A. BC: Inicie a curvatura de sua coluna paradentro. Conte até 5. Repita os 3 B: Olhando um ponto fixo à sua frente, relaxemovimentos 5 vezes. os ombros e, apertando os músculos do abdome C e das nádegas, comece a escorregar sua coluna para baixo, flexionando os joelhos. Conte até 5 e volte à posição inicial. À medida que você progride em seus exercícios, tente permanecer na posição B por 1 minuto. A: Apoiado sobre seus joelhos (linha dos quadris) e mãos (linha dos ombros), estique um braço B à frente. Mantenha seu pescoço em linha reta com a coluna. Conte até 5 e alterne o braço.A Repita 5 vezes com cada braço. B: Mesma posição inicial anterior, estique uma perna. Conte até 5, volte à posição inicial e faça o C: Segurando em um suporte firme, dobre uma mesmo movimento com a outra de suas pernas e estique a outra para trás, perna. Repita 5 vezes. Observe para mantendo o pé inteiramente no chão e as nádegasB não elevar sua perna além de sua contraídas. Conte até 20 e repita o movimento capacidade. com a outra perna. 18 C 19 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 11. O TRATAMENTO CIRÚRGICO SERÁ RECOMENDADO EM CASOS DE: Laminotomia1. dor intratável; disco danificado2. falha no tratamento conservador após 8 a 12 semanas;3. déficit neurológico progressivo (p. ex., perda de força no membro inferior); laminotomia4. crises repetidas (melhora/piora da dor);5. impossibilidade de retorno às atividades profissionais.Meta da cirurgia nervo pinçadoInterromper a pressão do disco herniado sobre os nervos irritados.A cirurgia diminui muito a dor na perna, porém é menos efetivapara o alívio de dor nas costas. A cirurgia é realizada por meio de parte do disco removidopequena incisão (2 a 6 cm) na região lombo-sacral. O procedimentomais comum é a discectomia, em que parte do disco herniado éremovido, retirando-se uma pequena porção da lâmina (laminotomia)ou grande parte da lâmina (laminectomia). Alguns cirurgiões usamo endoscópio (vídeo) ou o microscópio. A anestesia pode ser local Laminectomia(quando endoscópica), espinhal ou geral. Os osteófitos (bicos de nervo não mais pinçadopapagaio) podem ser retirados durante a cirurgia, quando causamestreitamento do canal e forame vertebral. Conforme critério médico, parte da lâminaalguns casos exigem a fusão (soldadura) entre duas ou mais vértebras, laminectomia é removidaatravés da colocação de enxerto ósseo (retirado da bacia), na porção Parte da lâmina é removida da vértebra,lateral das vértebras. Vide ilustrações da página seguinte. acima e abaixo do nervo pinçado.Riscos da cirurgiaLesão do nervo, infecção, perda de liquor espinhal e sangramento. Fusão nervo nãoCuidados após a cirurgia mais pinçadoUma vez em casa, evite permanecer sentado por tempo prolongado,carregar pesos, inclinar-se para frente e dirigir nas primeiras 4 semanas.Você poderá sentir fraqueza nos primeiros dias, um pouco de dor aoredor da incisão e formigamento nas costas e na perna. Isso decrescerá,à medida que o nervo se recuperar. Mantenha-se em movimento com lâmina inteiramoderação. Se a dor piorar, é um sinal de alerta para diminuir suas e osteófitoatividades, cuidando da postura e exercícios físicos. É necessária, por removidoparte do seu médico e fisioterapeuta, a orientação de um programa de A lâmina é removida inteiramente enxerto ósseoreabilitação supervisionado. da vértebra afetada. Em alguns casos a laminectomia Duas ou mais vértebras são unidas através envolve duas ou mais vértebras. do enxerto ósseo. 20 21 Acesse http://BlogEnfermagem.com
  • 12. ENTRE EM CONTATO COM SEU MÉDICO, EM CASO DE: 1. Dor persistente ou severa; 2.Fraqueza e adormecimento progressivos ou persistentes na perna ou nas costas; 3. Secreção, inchaço ou aumento da temperatura na incisão cirúrgica; 4. Febre, dor de cabeça severa ou cansaço intenso; ESTE MANUAL NÃO TEM A INTENÇÃO DE SUBSTITUIR OS CUIDADOS MÉDICOS. 5. SOMENTE UM PROFISSIONAL QUALIFICADO PODERÁ DIAGNOSTICAR Dificuldade para respirar; O SEU PROBLEMA E TRATÁ-LO. 6. Perda de controle intestinal ou urinário. Com o decorrer do tempo, recomenda-se adotar o programa de exercícios já mostrado no capítulo de tratamento conservador, para a manutenção da boa qualidade muscular e postural, prevenindo outras lesões vertebrais. 22 Acesse http://BlogEnfermagem.com 23