Your SlideShare is downloading. ×
VacinaCuidar da saúde é umaatitude para toda a vida.
Dicas                                                                               Para ficar imune                      ...
caxumba) e, para as populações que vivem em áreas de risco, a           De dez em dez anos, ao longo de toda a vida, preci...
www.bradescosaude.com.br
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Cartilha imunizacao

2,169

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,169
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
44
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Cartilha imunizacao"

  1. 1. VacinaCuidar da saúde é umaatitude para toda a vida.
  2. 2. Dicas Para ficar imune • Não deixe de conferir, com seu pediatra, a aplicação de todas as doses e reforços das vacinas de seus filhos em cada consulta de rotina.Embora as crianças tenham prioridade quando se tratade vacinação, os adultos também se beneficiam do poder • Se você não faz ideia de seu histórico de vacinação, consultede vários imunizantes. um especialista ou procure um posto de saúde ou uma clínica de vacinação. • Depois dos 65 anos, vale a pena aproveitar as campanhas deImunidade à prova do tempo imunização contra a gripe para manter seu calendário vacinalA grande maioria das vacinas que recebemos na infância garante atualizado.imunidade contra diversas doenças bastante graves durante toda • As mulheres que planejam engravidar devem receber as vacinasa vida. Na verdade, poucas campanhas de saúde surtem resultados de que eventualmente necessitem antes do início da gestação.tão efetivos quanto a imunização. A poliomielite, por exemplo, foi Fonte: Fleury Medicina e Saúdevarrida de quase todo o mundo – do Brasil, inclusive – graças àsgotinhas desenvolvidas por Albert Sabin, em 1961.Para as criançasAs providências tomadas nos primeiros anos de vida respondempelos rumos de nossa saúde no futuro. Não por acaso o calendáriode vacinação infantil é bastante amplo nos países com políticasbem-estabelecidas de prevenção. No Brasil, o Ministério da Saúdepreconiza a aplicação de diversas vacinas na população infantil,entre elas a BCG (tuberculose), a tetravalente (tétano, difteria,coqueluche e meningite causada pelo Haemophilus influenzae tipob), a tríplice viral, a antirrotavírus, a vacina oral contra a poliomielite,a vacina contra a hepatite B, a tríplice viral (sarampo, rubéola e
  3. 3. caxumba) e, para as populações que vivem em áreas de risco, a De dez em dez anos, ao longo de toda a vida, precisamos do reforço vacina contra a febre amarela. Todos esses produtos são oferecidos da vacina contra o tétano e a difteria. Isso ocorre igualmente com gratuitamente em postos de saúde, só cabendo à família atentar para os que moram em áreas de risco para a febre amarela, que precisam o número de doses e de reforços necessários – poucos imunizantes de uma dose desse imunizante a cada década. A demanda, porém, são aplicados uma única vez. Além disso, a Sociedade Brasileira de não se restringe a produtos com reforço periódico. Quem não teve Pediatria também recomenda que as crianças recebam as vacinas as doenças clássicas de infância nem foi vacinado quando bebê contra a catapora e a hepatite A, assim como os exemplares contra precisa, ser imunizado na vida adulta sim. A importância de algumas o meningococo C (meningite), contra o pneumococo (pneumonia) imunizações até aumenta na maioridade. É o caso da vacina contra e contra a gripe. Tais vacinas, porém, só estão disponíveis na a hepatite B, uma doença também transmitida pelo contato sexual. rede pública para grupos especiais, como idosos, indivíduos com Outro bom exemplo está na vacina contra a rubéola, que exerce imunidade deficiente ou com condições clínicas específicas que os um papel fundamental na proteção da saúde do feto. EmboraEmbora as crianças tenham prioridade quando se trata tornam mais sensíveis a determinadas doenças. seja benigna em crianças e adultos, a infecção na gestante podede vacinação, os adultos também se beneficiam do poder determinar alterações neurológicas e auditivas no feto.de vários imunizantes. Para os adultosImunidade à prova do tempo Para os idosos Não pense que, pelo fato de a quantidade das vacinas necessárias na infância ser grande, esse assunto se encerra assim que a puberdade Na maturidade, a vacinação tem seu principal uso na prevenção deA grande maioria das vacinas que recebemos na infância garante desponta. Segundo os Centros de Controle de Doenças (CDC) dos doenças respiratórias, que, afinal, são responsáveis por inúmerasimunidade contra diversas doenças bastante graves durante toda Estados Unidos, o número de pessoas que morrem de doenças hospitalizações. Os CDC (Centro de Controle de Doença) calculama vida. Na verdade, poucas campanhas de saúde surtem resultados que podem ser prevenidas por imunização hoje passa dos 30 mil em mais de 200 mil por ano o número de internações de adultostão efetivos quanto a imunização. A poliomielite, por exemplo, foi naquele país. Ter a carteira de vacinação atualizada, portanto, é tão por complicações da gripe nos Estados Unidos. Tanto é assim quevarrida de quase todo o mundo – do Brasil, inclusive – graças às importante quanto não andar de carro com a habilitação vencida. as autoridades de saúde recomendam que, depois dos 65 anos,gotinhas desenvolvidas por Albert Sabin, em 1961. as pessoas recebam anualmente a vacina contra o vírus influenza, o vilão por trás dos quadros gripais, e a vacina antipneumocócicaPara as crianças a cada cinco anos. No Brasil, ambas são aplicadas nos postos de saúde, sem custo.As providências tomadas nos primeiros anos de vida respondempelos rumos de nossa saúde no futuro. Não por acaso o calendáriode vacinação infantil é bastante amplo nos países com políticasbem-estabelecidas de prevenção. No Brasil, o Ministério da Saúdepreconiza a aplicação de diversas vacinas na população infantil,entre elas a BCG (tuberculose), a tetravalente (tétano, difteria,coqueluche e meningite causada pelo Haemophilus influenzae tipob), a tríplice viral, a antirrotavírus, a vacina oral contra a poliomielite,a vacina contra a hepatite B, a tríplice viral (sarampo, rubéola e
  4. 4. www.bradescosaude.com.br

×