Identidade visual

3,937 views
3,731 views

Published on

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,937
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
140
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Identidade visual

  1. 1. <ul><li>O Design e o Diretor de Arte </li></ul><ul><li>Design é uma palavra inglesa que significa projeto. </li></ul><ul><li>Design industrial é criar algum objeto, projetar sua funcionalidade, sua utilidade, e dar a esse objeto uma forma para que ele faça parte da sociedade, especialmente a de consumo. </li></ul><ul><li>O que faz parte do dia-a-dia do Diretor de Arte é, isso sim, o design gráfico. </li></ul><ul><li>Projeto gráfico é a criação de um conjunto de elementos combinados e tratados de maneira que fiquem bem distribuídos e tenham sentido. Diagramação, fotos, ilustrações, tipografias e efeitos computadorizados fazem parte da elaboração desse projeto. </li></ul><ul><li>O designer gráfico é, antes de tudo, um Diretor de Arte. Ponto. O único senão é que sua especialidade não é campanha publicitária. </li></ul><ul><li>Peças que tanto Diretor de Arte quanto designer gráfico criam. </li></ul>
  2. 2. <ul><li>A criação do logotipo </li></ul><ul><li>Marca: é um nome, termo, símbolo ou desenho que identifica uma instituição ou produto (Kotler, 2007). </li></ul><ul><li>Identidade Visual: é o conjunto do nome da instituição ou produto e um símbolo que a identifica. Identidade de uma empresa. </li></ul><ul><li>Logotipo: o nome da instituição ou produto numa cor e tipologia determinada e permanente. </li></ul><ul><li>Símbolo: grafismo que, juntamente com o logotipo, identifica uma instiuição ou produto. </li></ul><ul><li>Logomarca = logotipo = identidade visual ???? </li></ul><ul><li>Criar uma identidade visual é um projeto que exige o conhecimento aprofundado do perfil da instituição e/ou produto a ser representado. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Ao criar um logotipo, você precisa saber o que é a empresa, por que foi fundada, qual seu objetivo, para que serve, a quem se destina, qual sua história, coisas assim. Para mostrá-la de maneira correta, é preciso saber o máximo sobre ela. </li></ul><ul><li>Questionário básico para o cliente: </li></ul><ul><li>Qual o tipo de negócio da empresa? </li></ul><ul><li>O que vende ou que tipo de serviço presta? </li></ul><ul><li>Para que tipo de público? </li></ul><ul><li>Qual o tamanho do negócio (faturamento, número de funcionários)? </li></ul><ul><li>Está associado a algum grupo? Isso deverá ficar explícito no projeto? </li></ul><ul><li>Qual a sua posição em relação à concorrência hoje? </li></ul><ul><li>Como acha que será esta posição daqui a uns cinco anos? </li></ul><ul><li>Pretende alguma alteração de mercado em termos de negócios? </li></ul><ul><li>E em termos geográficos? </li></ul><ul><li>Qual o seu posicionamento mercadológico? Qual o tipo de conceito a ser passado a seus produtos ou serviços? </li></ul><ul><li>Tem algum problema de relações públicas (público em geral, cliente, empregados, varejistas, governo etc.)? </li></ul><ul><li>Que tipo de propaganda ou promoção vem sendo feita? </li></ul>
  4. 4. Os princípios da criação do logotipo Originalidade: A originalidade da logomarca é o que a fará diferente das outras. É o que mostrará, a princípio, se a empresa é bonita, atraente, desejável. Qualquer coisa que tenha ligação com a empresa tem que ser jogada no papel em forma de rabiscos. Precisa, em alguns traçados, decifrar a empresa para o público. Nessa maneira de mostrá-la é que você precisa encontrar uma forma diferente. Tente estilizar um desenho, mude as características de uma letra, acrescente forma ao que, originalmente, não existiria. Uma dica é aproveitar-se dos recursos do computador e partir para marcas tridimensionais, com volume, luz e sombra. Mas tome cuidado: algumas são de difícil reprodução, especialmente quando reduzidas. Além disso, é um modismo. Não se deixe levar muito pelo modismo. Aceite as tendências. Se você não sentir necessidade de acompanhar a tendência, não acompanhe.
  5. 5. Significado: Achou alguns caminhos interessantes. Acredita ter, inclusive, uma boa marca nas mãos. Olhe por mais um bom período de tempo. Vá tomar um café. Relaxe um pouco e depois volte. Com um olhar bastante crítico, analise novamente e veja se realmente está bom, se as marcas agradam a você e por quê. Depois, pense no fator primordial: significa alguma coisa? A marca representa a empresa ou o serviço que ela presta? Está fácil de entender? Lembre-se: você está criando uma marca, uma identidade, um retrato da empresa. O grafïsmo que você encontrou realmente traduz isso? Traços retos, por exemplo, traduzem segurança. Linhas sinuosas significam movimento, leveza, flexibilidade. Pense bem. Você decidiu trabalhar apenas com tipologia? O tipo de letra escolhido condiz com a empresa? Tem personalidade? Se a empresa é séria, use um tipo sério. Se é conservadora, use tipologia conservadora; se é moderna, arrojada, abuse das letras. Tipologia também traduz o que uma empresa é. Se nenhuma serve, desenhe as letras. Seja único.
  6. 6. Lembrança: Um bom logotipo é lembrado por muitos anos. Com o passar do tempo, ele se atualiza, tendo pequeninas modificações, mas é sempre o mesmo. Claro que acontece casos em que o logotipo não representa mais a empresa de maneira correta. Ficou para trás. E não adianta apenas tentar atualizá-lo; precisa-se mudar tudo. Para que um logotipo seja sempre lembrado, além de sua constante divulgação em peças publicitárias, deve-se criar uma marca que dure anos. Quando estiver com o lápis e papel na mão para criar, pense um pouco com os olhos do futuro. Com as três etapas cumpridas, o logotipo está criado. Agora, é preciso prever quais serão suas aplicações e de que maneira. É para isso que existe o manual de identidade visual. Vamos a ele.
  7. 7. Manual de identidade visual Depois do logotipo criado, é importante que sua forma, tipo, cor, proporção e aplicações nos mais variados meios respeitem um padrão. Com os padrões de utilização respeitados, a marca da empresa se fortale­ce e solidifica-se diante do público e, por isso mesmo, sempre será vista de maneira correta. O manual de identidade visual serve exatamente para estabelecer esses padrões. Como usar a marca num cartão de visitas, num envelope, papel-carta, brindes, veículos, anúncios, etc. É a maneira mais completa que existe de determinar como é um logotipo e como ele deve ser identificado no mundo. Sempre que preciso fazer um manual de identidade visual, eu começo pela capa. Uma vez encontrada a linguagem visual a ser utilizada, as páginas internas podem ser enriquecidas com algum aspecto gráfico en­contrado para a capa. Só depois disso, eu parto para as páginas internas.
  8. 8. Introdução: uma pequena explicação do que é a empresa e seus objetivos. Conceito do logotipo: é a justificativa e a explicação de criação. O que significa, por que foi usada determinada cor ou tipo de letra, etc. Formas de utilização do logotipo: é a aplicação do logotipo em preto e branco, colorido, positivo, negativo e, se for o caso, reticulado. Adequações: a parte que informa o que pode sofrer variações na aplicação do logotipo conforme a necessidade. Por exemplo: um logotipo que foi criado originalmente para ser usado na vertical poderá ser utilizado na horizontal? Quem criou determina se é possível ou não e mostra, nessa parte do manual, a maneira correta de fazê-lo.
  9. 13. Controle de cores: aqui se informa, em linguagem gráfica, qual a porcentagem das cores utilizadas. Isto é: se um logotipo for vermelho, existem duas maneiras de determinar sua impressão: ou em cor especial ou em cor de escala. Em cor de escala, o vermelho significa 100% de amarelo + 100% de magenta. Em cor especial, pode ser o Pantone 032. Área de influência: é o espaço em branco determinado para ficar em volta da logomarca quando esta é utilizada junto a textos, como, por exemplo, num anúncio. Com espaços em branco em volta do logotipo, a visibilidade torna-se maior. Tipologia: a tipologia é fator importante na padronização visual do logotipo e, além disso, é importante na unidade da comunicação de uma empresa. Por isso, no manual de identidade visual é importante determinar a tipologia que passará a ser usada pela empresa.
  10. 14. Diagrama de construção: é o logotipo desenhado num espaço quadriculado. O diagrama da cons­trução do logotipo é a base para entender os espaços que o logotipo ocupa e sua correta proporção. Quando criança você já deve ter feito desenho na escola onde tinha que copiar uma imagem. Para isso, traçava-se um espa­ço quadriculado e, dentro desse quadriculado, se reproduzia o desenho. Mesmo que você não fosse artista nato, a chance de fazê-lo, pelo menos corretamente em suas proporções, era grande. Isso porque você estava desenhando com base nos quadriculados. Com o avanço da computação, en­tretanto, poucos manuais de identidade visual hoje em dia possuem o dia­grama de construção. Não se desenha mais logotipos à mão. No computador, é muito fácil reproduzir, duplicar, ampliar ou reduzir o logotipo com total perfeição. Portanto, o diagrama de construção apenas serve para mostrar detalhadamente o espaço que cada parte do logotipo ocupa. Aplicações em papel-carta, cartão, envelope: nada mais é que mostrar como deve ser aplicado o logotipo nessas peças. Determinar o espaço que ele ocupa. E informar o tamanho das peças.
  11. 20. <ul><li>Avaliação do trabalho: </li></ul><ul><li>Conceito: </li></ul><ul><ul><li>O desenho é compatível com o conceito que deve ser transmitido? </li></ul></ul><ul><li>Personalidade: </li></ul><ul><li>Ele é original? Irá se destacar em meio à sua concorrência? </li></ul><ul><li>Contemporaneidade: </li></ul><ul><ul><li>O desenho será ainda bom daqui a três ou cinco anos? Está relacionado a algum modismo gráfico? </li></ul></ul><ul><li>Legibilidade: </li></ul><ul><ul><li>O desenho tem características óticas perfeitas? </li></ul></ul><ul><li>Memória: </li></ul><ul><li>É fácil sua memorização? </li></ul><ul><li>Uso: </li></ul><ul><li>O desenho é compatível com as palicações pretendidas (processos e custos)? </li></ul>

×