• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Revisão  pescoço odonto (1)
 

Revisão pescoço odonto (1)

on

  • 3,083 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,083
Views on SlideShare
3,083
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
44
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Revisão  pescoço odonto (1) Revisão pescoço odonto (1) Presentation Transcript

    • ODONTOLOGIA ANATOMIA DO PESCOÇO ITPAC PORTO 2012Profa. Maribel Fernández
    • FÁSCIAS DO PESCOÇO As estruturas no pescoço são circundadas por uma camadade tecido subcutâneo (tela subcutânea) e sãocompartimentalizadas por camadas da fáscia cervical. TELA SUBCUTÂNEAÉ uma camada de tecido conjuntivo adiposo situada entre a derme da pelee a lâmina superficial da fáscia cervical.Observações: NÃO FAZ PARTE DA FÁSCIA CERVICAL.Contém:quantidades variáveis de gordura,vasos sanguíneos,vasos linfáticos,nervos cutâneos,linfonodos cervicais superficiais,ántero-lateralmente contém ao M. Platisma.
    • Fáscia cervicalConsiste em 4 lâminas (bainhas) fasciais: Superficial Pré-traqueal Pré-vertebral Sustentam vísceras, músculos, vasos sanguíneos e linfonodos profundos. Bainhas caróticas Ao redor das Artérias carótidas comuns, das Veias jugulares internas e dos Nervos vagos.
    • Estruturas superficiais do pescoço: Regiões CervicaisRegião Cervical Anterior (Trígono anterior dopescoço)Região EsternocleidomastóideaRegião Cervical Lateral (Trígono lateral do pescoço)Região Cervical Posterior (Trígono posterior dopescoço)Região Suboccipital (Trígono suboccipital)
    • Região cervical anterior (trígono anterior do pescoço) Limites:Limite anterior formado pela linhamediana do pescoço.Limite posterior formado pelamargem anterior do ECM.Limite superior formado pelamargem inferior da mandíbula.Ápice localizado na incisurajugular no manúbrio.Teto formado por tecidosubcutâneo contendo o M.platisma.Assoalho formado pela faringe,laringe e tireóide.
    • Região cervical anterior Trígono submentual LIMITES:Inferior: Corpo do hióideLaterais: Ventres anterioresdireito e esquerdo dos músculosdigástricos.Assoalho: Músculos milo-hióideos Conteúdo:Linfonodos submentuaisPequenas veias que se unempara formar a veia jugular anterior
    • Região cervical anterior Trígono submandibular LIMITES:Entre a margem inferior damandíbula e os ventres anterior eposterior do músculo digástrico.Assoalho: Músculos milo-hióideo,hipoglosso e constritor médio dafaringe. Conteúdo:Glândula submandibularLinfonodos submandibularesN. hipoglossoN. milo-hióideoParte da artéria e veia faciais
    • Região cervical anterior Trígono carótico LIMITES:Ventre superior do M. omo-hióideoVentre posterior do M.digástricoMargem anterior do ECM Conteúdo:Bainha carótica contendo a A.carótida comum e seus ramos,V. jugular interna, N. vago, A.carótida externa, N.hipoglosso, N. acessório,glândula tireóide, laringe efaringe, linfonodos cervicaisprofundos, ramos do plexocervical
    • Região cervical anterior Trígono muscular LIMITESVentre superior do M. omo-hióideoMargem anterior do ECMPlano mediano do pescoço Conteúdo:Músculos infra- hióideosTireóideParatireóidesLaringe
    • Região EsternocleidomastóideaM. esternocleidomastóideoParte superior da V. jugularexternaN. auricular magnoN. cervical transversoFossa supra clavicularmenor- Parte inferior da V. jugularinterna
    • Região cervical lateral (trígono lateral do pescoço) LIMITES:Esta região é limitada:Anteriormente pela margemposterior do ECM.Posteriormente pela margemanterior do trapézio.Inferiormente pelo terço médio daclavícula entre o trapézio e o ECM.Por um ápice, onde o ECM e otrapézio encontram-se na linhanucal superior do osso occipital.Por um teto, formado pela lâminasuperficial da fáscia cervical.Por um assoalho, formado pormúsculos cobertos pela lâminapré-vertebral da fáscia cervical.
    • Região cervical lateral1. Trígono occipital- Parte da V. jugular externa- Ramos posteriores do plexo cervical de nervos- N. acessório- Troncos do plexo braquial- A. cervical transversa- Linfonodos cervicais2. Trígono omoclavicular- A. subclávia- Parte da V. subclávia- A. supra-escapular- Linfonodos supraclaviculares
    • MÚSCULOS DA REGIÃO CERVICAL LATERAL O assoalho desta região é formado pela lâmina pré- vertebral que cobre 4 músculos:1. M. esplênio da cabeça2. M. levantador da escápula3. M. escaleno médio4. M. escaleno posterior5. Algumas vezes o M. escaleno anterior e o M. escaleno mínimo aparecem nesta região.
    • Região cervical posterior
    • Região suboccipital
    • ESQUELETO DO PESCOÇO1. Vértebras cervicais.2. Osso hióide.
    • VÉRTEBRAS CERVICAIS VÉRTEBRAS CERVICAIS TÍPICAS De C3 a C61. Corpo vertebral pequeno e mais longo no comprimento látero-lateral.2. Forame vertebral grande e triangular.3. Processos transversos que incluem forames transversários.4. Faces superiores dos processos articulares voltadas súpero-anteriormente, e faces inferiores ínfero-posteriormente.5. Processos espinhosos curtos e bífidos.
    • VÉRTEBRAS CERVICAIS ATÍPICAS C1 (Atlas)Osso anular.Não possui processo espinhoso ou corpo.Consiste em duas massas laterais unidas por arcosanterior e posterior. C2 (Áxis)Possui uma estaca denominada dente (poçesso odontóide)que se projeta superiormente a partir de seu corpo.
    • VÉRTEBRAS CERVICAIS ATÍPICAS (Cont.) C7 (Vértebra proeminente)1. Processo espinhoso longo, que não é bífido.2. Possui grandes processos transversos3. Forames transversários pequenos (quando existem).
    • OSSO HIÓIDESituado na parte anterior do pescoço no nívelda vértebra C3 no ángulo entre a mandíbula e acartilagem tireóidea.Não se articula com outro osso, é suspensopelos processos estilóides dos ossostemporais através dos ligamentos estilo-hióideos e está firmemente unido à cartilagemtireóidea.
    • MÚSCULOS CUTÂNEOS E SUPERFICIAIS DO PESCOÇOPlatismaEsternocleidomastóideoTrapézio
    • M. PLATISMA Inserção superior: Margem inferior da mandíbula, pele e tecido subcutâneos da parte inferior da face. Inserção inferior: Fáscia que reveste as partes superiores dos músculos peitoral maior e deltóide. Inervação: Ramo cervical do nervo facial. Ações:1. Abaixa os ângulos da boca e alarga-a como em expressões de tristeza e medo.2. Levanta a pele do pescoço quando os dentes são “cerrados”.
    • M. ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO Inserção superior: Face lateral do processo mastóide do osso temporal e metade lateral da linha nucal superior. Inserção inferior: Cabeça esternal: face anterior do manúbrio do esterno. Cabeça clavicular: face superior do terço médio da clavícula. Inervação: Nervo acessório, Nervos C2 e C3. Ações:Contração unilateral: Flexão lateral do pescoço com rotação.Contração bilateral:1. Extensão do pescoço nas articulações atlantoccipitais.2. Flexão das vértebras cervicais aproximando o queixo do manúbrio.3. Extensão das vértebras cervicais superiores enquanto flete as vértebras inferiores, de forma que o queixo é levado para a frente com a cabeça mantida no mesmo nível.
    • M. TRAPÉZIO Inserção superior: Terço medial da linha nucal superior, protuberância occipital externa, ligamento nucal, processos espinhosos das vértebras C7-T12. Inserção inferior: Terço lateral da clavícula, acrômio e espinha da escápula. Inervação: Nervo acessório, Nervos C2 e C3. Ações:1. Eleva, retrai e roda a escápula.2. Com os ombros fixos:Contração bilateral: Extensão do pescoço.Contração unilateral: Flexão lateral para o mesmo lado.
    • MÚSCULOS DA REGIÃO CERVICAL ANTERIOR Músculos hióideos Estabilizam ou movimentam o hióide e a laringe1. Músculos supra-hióideos: Estão superiores ao hióides e o unem ao crânio. Constituem a substância do assoalho da boca, sustentando o hióide para fornecer uma base a partir da qual a língua atua, e elevando o hióde e a laringe em relação à deglutição e produção de tom.1. Músculo infra-hióideos: Estão inferiores ao hióides. Fixam hióides, esterno, clavícula e escápula e deprimem o hióde e a laringe durante a deglutição e a fala. Atuam junto com os músculos supra-hióideos para estabilizar o hióides, oferecendo uma firme base para a língua.
    • MÚSCULOS SUPRA-HIÓIDEOS SUPRA-1. M. milo-hióideo2. M. estilo-hióideo3. M. gênio-hióideo4. M. digástrico
    • MÚSCULO INFRA-HIÓIDEOS INFRA- Plano superficial1. M. esterno-hióideo2. M. omo-hióideo Plano profundo1. M. esterno-tireóideo2. M. tireo-hióideo
    • VÍSCERAS DO PESCOÇO
    • Vísceras do pescoçoDa região superficial para a profunda: Camada endócrina: GlândulaTireóide Glândulas Paratireóides Camada respiratória: Laringe Traquéia Camada alimentar: Faringe Esôfago
    • Camada endócrina: Glândula TireóideGlândulas Paratireóides
    • CAMADA ENDÓCRINA DAS VÍSCERAS CERVICAIS TIREÓIDEMaior glândula endócrina do corpo.Produz hormônios tireoidianos e calcitonina.Localização anterior ao nível de C5 a T1.Situada profundamente aos músculos esternotireóideo eesterno-hióideo.Formada pelos lobos direito e esquerdo, situados ântero-lateralmente em relação à laringe e traquéia.Istmo: une os lobos, anteriormente aos 2º e 3º anéistraqueais.Circundada por uma cápsula fibrosa fina que envia septosprofundos para o interior da glândula, externamente háuma bainha frouxa formada pela parte visceral da láminapré-traqueal da fáscia cervical.
    • VASCULARIZAÇÃO DA TIREÓIDE ARTÉRIASSituam-se entre a cápsula fibrosa e a bainhafascial frouxa.A. tireóidea superior: Ramos das AA.carótidas externas. Os ramos anterior eposterior suprem a face ântero-superior daglândula.A. tireóidea inferior: Maiores ramos dostroncos tireocervicais que se originam dasAA. subclávias. Suprem a parte póstero-inferior incluindo os polos inferiores daglândula.
    • A. Tireóidea ImaOrigem:• Tronco braquiocefálico• Arco da aorta• A. carótida comum direita• A. subclávia• A. torácica interna.Supre superfície anterior da traquéia e istmo da tireóide.
    • DRENAGEM VENOSA DA TIREÓIDETrês pares de veias tireóideas formam o plexovenoso tireóideo na superfície anterior datireóide e anterior à traquéia.V. tireóidea superior.V. tireóidea média.Estas duas drenam para as VJIV. tireóidea inferior.Drenam para as VV. braquiocefálicasposteriormente ao manúbrio
    • DRENAGEM LINFÁTICA DA TIREÓIDE Vasos linfáticos da tireóideSeguem no tecido conjuntivo interlobular e comunicam-se com uma rede capsular de vasos linfáticos .Linfonodos pré-laríngeos.Drenam para os linfonodos cervicais profundossuperiores.Linfonodos pré-traqueais.Linfonodos para-traqueais.Drenam para os linfonodos cervicais profundosinferiores, para onde também drenam os vasos linfáticossituados ao longo das VV. Tireóideas superiores(lateralmente).
    • INERVAÇÃO DA TIREÓIDEDerivados dos gânglios simpáticos cervicaissuperiores, médios e inferiores.Chegam à glândula através dos plexoscardíaco e periarteriais tireóideos superior einferior que acompanham às artériastireóideas.São fibras vasomotoras (vasoconstrição), nãosecretomotoras.A secreção endócrina da tireóide é controladahormonalmente pela hipófise (TSH) que porsua vez é controlada pelo hipotálamo (TRH)
    • CAMADA ENDÓCRINA DAS VÍSCERAS CERVICAIS GLÂNDULAS PARATIREÓIDES Situam-se externamente à cápsula tireóidea na metade medial da superfície posterior de cada lobo da tireóide, dentro de sua bainha. O número varia de 2 a 4 glândulas. 5% das pessoas tem mais de 4. As superiores estão situadas no nível da margem inferior cartilagem cricóidea. As inferiores estão situadas perto dos pólos inferiores da tireóide, mas podem situar-se em várias posições.
    • VASCULARIZAÇÃO DAS GLÂNDULAS PARATIREÓIDESA. tireóidea inferior.A. tireóidea superior.A. tireóidea Ima.AA. Laríngeas.AA. Traqueais.AA. Torácicas.
    • DRENAGEM VENOSA DAS PARATIREÓIDES VV. Paratireóideas. Drenam para o plexo venoso tireóideo.
    • DRENAGEM LINFÁTICA DAS PARATIREÓIDES Vasos linfáticos das paratireóidesDrenam para os linfonodos cervicais profundos elinfonodos paratraqueais.
    • INERVAÇÃO DAS PARATIREÓIDESDerivada de ramos tireóideos dos gângliossimpáticos cervicais.São fibras vasomotoras (vasoconstrição), nãosecretomotoras.A secreção endócrina é controladahormonalmente.
    • Camada respiratória: Laringe Traquéia
    • Camada respiratóriaAs vísceras desta camada contribuem para asfunções respiratórias do corpo. FUNÇÕESDirecionamento de ar para o trato respiratórioOferta de uma via aérea permeável e de ummeio para fechá-la temporariamente.Produção da voz.
    • LARINGEComposição: 9 cartilagens unidas por membranas eligamentos e contendo as pregas vocais.Situação: Região anterior do pescoço no nível dos corposdas vértebras C3-C6. Une a parte inferior da faringe àtraquéia.Função principal: Proteger as vias aéreas, principalmentedurante a deglutição, quando serve como esfíncter ouválvula do trato respiratório inferior, mantendo assim umavia aérea permeável.
    • ESQUELETO DA LARINGE Consiste em 9 cartilagens: Impares Tireóidea Cricóidea Epiglótica Pares Aritenóidea Corniculada Cuneiforme
    • Classificação dos músculos da laringe EXTRÍNSECOS Supra-hióideos Infra-hióideos INTRÍNSECOS: Adutores Abdutores Relaxadores Tensores Esfíncteres
    • Classificação dos músculos intrínsecos da laringeAdutores: Cricoaritenóideos laterais Aritenóideo transverso Aritenóideo obliquoAbdutores: Cricoaritenóideos posterioresRelaxadores: Tireoaritenóideos VocalTensores: CricotireóideosEsfíncteres: Cricoaritenóideos laterais Aritenóideo transverso Aritenóideo obliquo
    • Músculos da laringe Cricoaritenóideo lateralOrigem: Arco da cartilagem cricóidea.Inserção: Processo muscular da cartilagemaritenóidea.Ação: Abdução das pregas vocais na parteinterligamentar e adução da outra parte.Inervação: Nervo laríngeo inferior.
    • Músculos da laringe Aritenóideos transverso e oblícuoOrigem: Uma cartilagem aritenóidea.Inserção: Cartilagem aritenóidea contralateral.Ação: Aduzem as cartilagens aritenóideas(aduzindo a parte intercartilagínea das pregasvocais, fechando a rima da glote posterior).Inervação: Nervo laríngeo inferior.
    • Músculos da laringe Cricoaritenóideo posteriorOrigem: Face posterior da lâmina da cartilagemcricóidea.Inserção: Processo muscular da cartilagemaritenóidea.Ação: Abduz as pregas vocais.Inervação: Nervo laríngeo inferior.
    • Músculos da laringe TireoaritenóideoOrigem: Metade inferior da face posterior doângulo da lâmina tireóidea e ligamentocricotireóideo.Inserção: Face ântero-lateral da cartilagemaritenóidea.Ação: Relaxa o ligamento vocal.Inervação: Nervo laríngeo inferior.
    • Músculos da laringe VocalOrigem: Face lateral do processo vocal dacartilagem aritenóidea.Inserção: Ligamento vocal ipsilateral.Ação: Relaxa o ligamento vocal posteriorenquanto mantém a tensão da parte anterior.Inervação: Nervo laríngeo inferior.
    • Músculos da laringe CricotireóideoOrigem: parte ântero-lateral da cartilagemcricóidea.Inserção: Margem inferior e corno inferior dacartilagem tireóidea.Ação: Estende e tensiona o ligamento vocal.Inervação: Nervo laríngeo externo.
    • VARIAÇÕES DO FORMATO DA RIMA DA GLOTE
    • INTERIOR DA LARINGE CAVIDADE DA LARINGE Estende-se do ádito da laringe até o nível da margem inferior da cartilagem cricóidea.Inclui: Vestíbulo da laringe: entre o ádito da laringe e as pregas vestibulares. Parte media da cavidade da laringe: cavidade central entre as pregas vestibulares e vocais. Ventrículo da laringe: recessos que se estendem lateralmente da parte média da cavidade da laringe entre as pregas vestibulares e vocais. Cavidade infraglótica: cavidade inferior da laringe entre as pregas vocais e a margem inferior da cartilagem cricóidea.
    • VASCULARIZAÇÃO DA LARINGE Ramos da Artéria tireóidea superior:1. Artéria laríngea superior: supre a face interna da laringe.2. Artéria cricotireóidea: supre o músculo cricotireóideo. Ramo da Artéria tireóidea inferior:1. Artéria laríngea inferior: supre a mucosa e os músculos na parte inferior da laringe.
    • DRENAGEM VENOSA DA LARINGEVeia laríngea superior:Se une à V. tireóidea superior e através dela drenapara a V. jugular interna.Veia laríngea inferior:Une-se à veia tireóidea inferior ou ao plexo venososobre a face anterior da traquéia, que drena para aV. braquiocefálica esquerda.
    • DRENAGEM LINFÁTICA DA LARINGEVasos linfáticos laríngeos superiores àspregas vocais: acompanham a artéria laríngeasuperior através da membrana tireo-hióidea.Drenam para os linfonodos cervicais profundossuperiores.Vasos linfáticos laríngeos inferiores às pregasvocais: Drenam para os linfonodos pré-traqueaisou paratraqueais, que drenam para os linfonodosprofundos inferiores.
    • INERVAÇÃO DA LARINGE1. Nervo laríngeo superior: Origina-se do gânglio vagal inferior na extremidade superior do trígono carótico. Divide-se em 2 ramos terminais na bainha carótica:
    • NERVOS LARÍNGEOS RECORRENTES
    • Relação clínicaFraturas do esqueleto da laringeProduzem:Hemorragia e edema da submucosa.Obstrução respiratória.Rouquidão.Incapacidade temporária para falar.
    • TRAQUÉIASituação: Se estende da laringe até o tórax.Termina inferiormente se dividindo em brônquiosprincipais esquerdo e direito. FunçõesTransporta o ar que entra e sai dos pulmões.Seu epitélio impulsiona o mucus com resíduos dasvias respiratórias em direção à faringe paraexpulsão pela boca.
    • Características anatômicasÉ um tubo fibrocartilagíneo, sustentado por anéistraqueais cartilagíneos incompletos.Esses anéis mantém a estrutura permeável: sãodeficientes posteriormente onde a traquéia éadjacente ao esôfago.Posteriormente a abertura nos anéis é transpostapelo músculo liso traqueal (involuntário) que uneas suas extremidades.
    • VASCULARIZAÇÃO DA TRAQUÉIA1. Artéria tireóidea superior2. Artéria tireóidea inferior3. AA. Bronquiais.4. As vezes A. torácica interna
    • INERVAÇÃO DA TRAQUÉIA1. Nervo laríngeo recorrente2. Ramos do plexo pulmonar e simpático
    • Camada alimentar: Faringe Esôfago
    • FARINGEÉ a parte expandida superior do sistema alimentarposterior às cavidades nasal e oral, que seestende inferiormente até a laringe. Estende-sedesde a base do crânio até a margem inferior dacartilagem cricóidea anteriormente e a margeminferior da vértebra C6 posteriormente. FUNÇÕESA faringe conduz o ar para laringe, traquéia,brônquios e pulmões.Seus músculos constritores direcionam o alimentoao esôfago.
    • Interior da faringeEstá dividida em três partes: Parte nasal: posterior ao nariz e superior ao palato mole. Função respiratória. Parte oral: posterior à boca. Função digestiva. Parte laríngea (hipofaringe): posterior à laringe. Comuníca-se com a laringe através do ádito da laringe na sua parede anterior. Tecido linfóide Forma as tonsilas Tonsila faríngea: Situada na mucosa do teto e parede posterior da parte nasal da faringe.
    • MÚSCULOS DA FARINGE LÂMINA CIRCULAR EXTERNAConstritor da faringe superiorConstritor da faringe médioConstritor da faringe inferior LÂMINA INTERNAPalatofaríngeoEstilofaríngeoSalpingofaríngeoElevam a laringe e encurtam a faringe durante a deglutiçãoe a fala.
    • VASCULARIZAÇÃO DA FARINGE Artérias que irrigam as partes superiores da Faringe:A. A. faríngea ascendenteB. Ramos palatino ascendente e tonsilar da A. facialC. Numerosos ramos das artérias maxilar e lingual.Todos estes vasos se originam da A. carótida externa. Artérias que irrigam as partes inferiores da Faringe: Ramos faríngeos da A. tireóidea inferior Irrigação para a tonsila palatina:Ramo tonsilar da A. facial, que penetra o músculo constritor superior da Faringe.
    • VASCULARIZAÇÃO DA FARINGE (CONT.)Artéria tonsilar (ramo da artéria facial): atravessa omúsculo constritor superior e entra no polo inferiorda tonsila.A. palatina ascendenteA. LingualA. Palatina descendenteA. Faríngea ascendente
    • DRENAGEM VENOSA DA FARINGEAs veias da faringe formam um plexo que drenasuperiormente para o plexo pterigóideo na fossainfratemporal e inferiormente, para as veias facial e jugularinterna.V. Palatina externa (V. para-tonsilar)
    • DRENAGEM LINFÁTICA DA FARINGE Os vasos linfáticos da faringe drenam para os linfonodos cervicais profundos e incluem:Vasos linfáticos retrofaríngeos (entre a parte nasal dafaringe e a Coluna vertebral)Vasos linfáticos paratraqueaisVasos linfáticos infra-hiódeos
    • Plexo nervoso faríngeoRamos faríngeos dos nervos vagos eglossofaríngeo.Ramos simpáticos do gânglio cervicalsuperior.
    • Anel linfático da faringe: de WaldeyerFaixa circular incompleta de tecido linfóide.Parte ântero-inferior: tonsila lingualPartes laterais: tonsilas palatinas e tubáriasPartes posterior e superior: tonsila faríngea
    • ESÔFAGOTubo muscular contínuo (25 cmde comprimento e diâmetro de2 cm) com a parte laríngea dafaringe na junçãofaringoesofágica. Consiste em:• Músculo estriado (terçosuperior).• Músculo liso (terço inferior).• Mistura dos dois. (regiãointermediária)
    • Esôfago cervicalInício: Imediatamente posterior à margem inferior da cartilagemcricóidea no plano mediano (nível da vértebra C6).Situa-se entre a traquéia e a coluna vertebral cervical..O nevo laríngeo recorrente situa-se no sulco traqueoesofágico decada lado do esôfago.À direita está o lobo direito da tireóide e a bainha carótica direita eseu conteúdo.Está em contato com a cúpula pleural na raíz do pescoço.À esquerda está o lobo esquerdo da tireóide e a bainha caróticaesquerda. Esôfago torácicoEntra no mediastino superior entre a traquéia e a Coluna Vertebrale situa-se anterior aos corpos das vértebras T1-T4. Esôfago abdominalInferiormente atravessa o hiato esofágico no diafragma.
    • CONSTRIÇÕES DO ESÔFAGO Constrição cervical (esfíncter superior do esôfago) Em seu início na junção faringoesofágica, causada pela parte cricofaríngea do músculo constritor inferior da faringe. Constrição broncoaórtica (torácica)É combinada:1. O esôfago é cruzado pelo arco da aorta.2. O esôfago é cruzado pelo bronquio principal esquerdo. Constrição diafragmática Onde atravessa o hiato esofágico do diafragma no nível da vértebra T10).