L ingua, linguagem e fonologia 2011

  • 6,503 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito bom!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
6,503
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7

Actions

Shares
Downloads
140
Comments
1
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. “ O SURDO “FALA” COM ASMÃOS E “OUVE” COM OS OLHOS.SUAS MÃOS PINTAM QUADROS DE SEUS PENSAMENTOS E IDÉIAS”.
  • 2. LIBRAS ESTUDOS LINGUÍSTICOS O QUE É LÍNGUA E LINGUAGEM?DEFINIÇÕES:Saussure: “ língua não se confunde com linguagem: é somenteuma parte determinada, essencial dela, indubitavelmente. É, aomesmo tempo, um produto social da faculdade de linguagem eum conjunto de convenções necessárias, adotadas pelo corposocial para permitir o exercício dessa faculdade nos indivíduos”.Chomsky: “O conceito de língua pode ser analisadoconsiderando-se duas perspectivas: a língua externa e a línguainterna”.Stokoe: “ as línguas de sinais são, portanto, consideradas pelalinguística como línguas naturais ou como um sistema linguísticolegítimo e não como um problema do surdo ou como umapatologia da linguagem.”
  • 3. DEFINIÇÃO DA LIBRASLibras é a Língua de Sinais Brasileira, utilizada pela comunidade surda, sua modalidade é gestual-visual.A Libras é um sistema de comunicação arbitrário, composto por símbolos com significados convencionais, dentro de uma cultura ou comunidade, por meio das quais constroem um conjunto de regras gramaticais.
  • 4. ICONICIDADE E ARBITRARIEDADESinais Icônicos: Os sinais se apresentam em forma icônica, ou seja, em formas linguísticas que tentam imitar o referencial real e suas características visuais. CARRO CASA TELEFONE
  • 5. ICONICIDADE E ARBITRARIEDADESinais Arbitrários: Os sinais arbitrários não representam as características visuais do referencial real. Na Libras a maioria dos sinais são arbitrários, ou seja, abstratos ou complexos. ACEITAR ADIAR ALUGAR
  • 6. LIBRAS ESTUDOS LINGUÍSTICOS Desmistificações referente a LibrasMito 1: A língua de sinais seria uma mistura de pantomima egesticulação concreta, incapaz de expressar conceitos abstratos.Mito 2: Haveria uma única e universal língua de sinais usada por todasas pessoas surdas.Mito 3: Haveria uma falha na organização gramatical da língua desinais, que seria derivada das línguas de sinais, sendo sem estruturaprópria, subordinado e inferior às línguas orais.Mito 4: A língua de sinais seria um sistema de comunicaçãosuperficial, com conteúdo restrito, sendo estética, expressiva elinguisticamente inferior ao sistema de comunicação oral.
  • 7. LIBRAS Fonologia das Línguas de Sinais “Contrário ao modo como muitos definem a surdez(...) pessoas surdas definem-se em termos culturais e linguísitcos. ( Wrigley, 1996, p.13)FonologiaFonologia das línguas de sinais é o ramo da linguística que objetivaidentificar a estrutura e a organização dos constituintes fonológicos,propondo modelos descritivos e explanatórios. A primeira tarefa dafonologia para língua de sinais é determinar quais são as unidadesmínimas que formam os sinais. A segunda tarefa é estabelecer quaissão os padrões possíveis de combinação entre essas unidades e asvariações possíveis no ambiente fonológico.
  • 8. LIBRAS Fonologia das Línguas de Sinais“Contrário ao modo como muitos definem a surdez(...) pessoas surdas definem-se em termos culturais e linguísitcos. ( Wrigley, 1996, p.13)As unidades mínimas (fonemas) de acordo com o Stokoe são:a) Configuração de mão (CM)b) Locação da mão (L)*c) Movimento da mão (M)* Ponto de Articulação
  • 9. LIBRASFonologia das Línguas de Sinais Configuração de mão Conforme Ferreira-Brito,a língua de sinais brasileira apresenta 46 CMs, um sistema bastante similar àquele da ASL, embora nem todas as línguas de sinais partilhem o mesmo inventário. As CMs da língua de sinais brasileira foram descritas a partir de dados coletados nas principais capitais brasileiras.
  • 10. CONFIGURAÇÃO DE MÃO E ALFABETO MANUAL
  • 11. LIBRASFonologia das Línguas de Sinais Movimento
  • 12. LIBRASFonologia das Línguas de Sinais Locação Friedman afirma que locação “é aquela área no corpo, ou noespaço de articulação definido pelo corpo, em que ou perto da qualo sinal é articulado”.
  • 13. LIBRASFonologia das Línguas de Sinais Orientação da mão (Or) Orientação é a direção para a qual a palma da mão aponta na produção do sinal. Ferreira- Brito (1995, p.41), na língua de sinais brasileira, enumeram seis tipos de orientações da palma da mão: para cima, para baixo, para o corpo, para frente, para direita e para esquerda.
  • 14. LIBRAS Fonologia das Línguas de Sinais Expressões não-manuais ( ENM).As expressões não manuais (movimento da face, dos olhos, da cabeça ou do tronco) prestam-se a dois papéis nas línguas de sinais: marcação de construções sintáticas e diferenciações de itens lexicais. As expressões não-manuais que têm função sintática marcam sentenças interrogativas sim-não, interrogativas, topicalizações, concordância e foco.
  • 15. ALGUMAS EXPRESSÕES
  • 16. LIBRASFonologia das Línguas de Sinais Restrições na formação de sinais Restrições físicas e linguísticas especificam possíveiscombinações entre as unidades mínimas ( CM, M e L) naformação de sinais. Há duas restrições fonológicas na produção de diferentestipos de sinais envolvendo as duas mãos: a condição desimetria e a condição de dominância.
  • 17. MãoAtivaMãoPassiva
  • 18. BIBLIOGRAFIARecortes extraídos:Livro: “Língua de sinais brasileira – EstudosLinguísticos”Autoras: Ronice Muller Quadros Lodenir Becker Karnopp