Usability basics for software developers
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
400
On Slideshare
400
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
3
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Análise de Artigo CientíficoUsability Basics for Software Developers Journal: IEEE Software - MS , vol. 18, no. 1, pp. 22-29, 2001 Xavier Ferré and Natalia Juristo, Universidad Politécnica de Madrid Helmut Windl, Siemens AG, Germany Larry Constantine, Constantine & LockwoodFaculdade de Ciências Sociais - BragaDocente: Professor Francisco Restivo 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 2. Usability Basics for Software Developers O porquê da escolha… • Por se tratar de um clássico (2001) com publicação na revista IEEE - Software; CitaçõesDocente: Professor Francisco Restivo 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 3. Usability Basics for Software Developers 1. AUTORES 5. USABILIDADE 2. OBJECTIVOS 6. CONCLUSÕES 3. ESTRTUTURA DO ARTIGO 7. COMENTÁRIOS 4. IDEIAS CHAVEDocente: Professor Francisco RestivoPág  3 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 4. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários Fonte:http://academic.research.microsoft.com/ Sobre o Autor: • Licenciatura em Informática em Novembro de 1996; • Professor Assistente no departamento de sistemas informáticos e engenharia de software na Universidade Politécnica de Madrid desde 1999; • Vice-Reitor da Faculdade de Ciências da Computação da Universidade de Madrid desde Junho de 2004.Docente: Professor Francisco RestivoPág  4 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 5. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários Fonte:http://academic.research.microsoft.com/ Sobre o Autora: • Professora Titular de Engenharia de Software na Universidade Politécnica de Madrid; • Coordenadora de um Mestrado Europeu em engenharia de software com a participação das Universidades de Bolzano (Itália), Kaiserslautern (Alemanha), e Blekinge (Suécia); • Membro do conselho editorial da IEEE Software e Jornal Internacional sobre Engenharia de Software e Engenharia do Conhecimento; • Membro sénior do IEEE Computer Society e membro da ACM, American Association for the Advancement of Science, and the New York Academy of Sciences.Docente: Professor Francisco RestivoPág  5 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 6. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosUniversidade Politécnica de Madrid Fonte:http://academic.research.microsoft.com/Docente: Professor Francisco RestivoPág  6 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 7. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários Fonte:http://academic.research.microsoft.com/ Sobre o Autor: • Diretor do Centro de Competência de Usabilidade da Siemens Automation & diretor da unidade “User Interface Design Group Simatic Automation Software”.Docente: Professor Francisco RestivoPág  7 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 8. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários Fonte:http://academic.research.microsoft.com/ Sobre o Autor: • Professor, Departmento de Matematica & Engenharia, Universidade da Madeira, Funchal, Portugal [2006] • Director, Laboratory for Usage-Centered Software Engineering, Universidade da Madeira, Funchal, Portugal [2006]; • Consultor Principal, Constantine & Lockwood, Ltd. [1993] • Professor de Tecnologias de Informação, University of Technology Sydney, Australia. [1994 - 2003] • Professor Assistente de Psiquiatria Clinica, Tufts University, Faculdade de Medicina. [1973 - 1980]. • Membro do corpo docente, I.B.M. Systems Research Institute. [1968 - 1972] • Presidente, Instituto de Sistemas & Informação, Inc. [1966 - 1968] • Consultor pessoal, Programador/Analista, C E I R, Inc. [1963 - 1966] • Assistente Técnico/Programador, M.I.T. Laboratory for Nuclear Science. [1963]Docente: Professor Francisco RestivoPág  8 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 9. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários • Analisar a relação entre usabilidade e interface com o utilizador; • Analisar o processo de usabilidade em função do ciclo: Projetar Redesenhar Avaliar • Abordar alguns problemas de gestão que uma organização enfrenta durante a aplicação de técnicas de usabilidade.Docente: Professor Francisco RestivoPág  9 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 10. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários 1. Introdução 2. Esclarecer Conceitos de Usabilidade 2.1 Atributos de usabilidade 2.2 Usabilidade e interface do utilizador 2.3 Usabilidade no desenvolvimento de software 3. O Processo de Usabilidade 3.1 Fase de análise de usabilidade 3.2 Design de usabilidade 3.3 Prototipagem 3.4 Avaliação de usabilidade 4. Gestão e Questões Organizacionais 5. ConclusãoDocente: Professor Francisco RestivoPág  10 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 11. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões Comentários 1. É importante considerar a interação, não apenas da conceção da área visível da interface com o utilizador, mas também, da conceção do restante sistema; 2. Os testes de usabilidade não são suficientes para produzir um produto eficaz e eficiente, pois apesar de revelar os problemas não os corrige; 3. Não se pode prever a usabilidade de um sistema de software sem se efetuar testes com utilizadores reais.Docente: Professor Francisco RestivoPág  11 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 12. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosNorma ISO 9241De acordo com a norma ISO 9241, Parte 11(1998), a usabilidade é:“a capacidade de um produto ser usado por utilizadores específicos para alcançarobjetivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação num contexto de usoespecífico.” • Eficácia – é a precisão com que os utilizadores alcançam objectivos específicos; • Eficiência – recursos gastos para atingir os objectivos específicos; • Satisfação – ausência de desconforto; • Contexto – são as tarefas, utilizadores, equipamentos e o ambiente físico e ambiental.Docente: Professor Francisco RestivoPág  12 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 13. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosNorma ISO 9241 – Estrutura Gráfica de UsabilidadeDocente: Professor Francisco RestivoPág  13 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 14. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosDefinição e Conceitos - Atributos de Usabilidade Contrariamente ao que se possa pensar, a usabilidade não é apenas o aspeto relativo à interface com o utilizador. Inclui também a forma como o sistema interage com o utilizador, em função dos seguintes atributos: Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação errosDocente: Professor Francisco RestivoPág  14 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 15. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosDefinição e Conceitos - Atributos de Usabilidade Contrariamente ao que se possa pensar, a usabilidade não é apenas o aspeto relativo à interface com o utilizador. Usabilidade integra a forma como o sistema interage com o utilizador, e inclui cinco atributos básicos: Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação erros Facilidade em aprender as funcionalidades do sistema e adquirir competência para concluir o trabalho.Docente: Professor Francisco RestivoPág  15 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 16. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosDefinição e Conceitos - Atributos de Usabilidade Contrariamente ao que se possa pensar, a usabilidade não é apenas o aspeto relativo à interface com o utilizador. Usabilidade integra a forma como o sistema interage com o utilizador, e inclui cinco atributos básicos: Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação erros É o número de tarefas por unidade de tempo que um utilizador pode realizar durante a utilização do sistema.Docente: Professor Francisco RestivoPág  16 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 17. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosDefinição e Conceitos - Atributos de Usabilidade Contrariamente ao que se possa pensar, a usabilidade não é apenas o aspeto relativo à interface com o utilizador. Usabilidade integra a forma como o sistema interage com o utilizador, e inclui cinco atributos básicos: Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação erros Determina o nível de memorização do utilizador para com o funcionamento do sistema, depois de um período de não utilização ou de inatividade.Docente: Professor Francisco RestivoPág  17 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 18. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosDefinição e Conceitos - Atributos de Usabilidade Contrariamente ao que se possa pensar, a usabilidade não é apenas o aspeto relativo à interface com o utilizador. Usabilidade integra a forma como o sistema interage com o utilizador, e inclui cinco atributos básicos: Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação erros Não se refere aos erros do sistema mas, ao número de erros que o utilizador produz durante a execução de uma tarefa. Uma boa usabilidade implica baixa taxa de erros. O erro reduz a eficiência e a satisfação do utilizador.Docente: Professor Francisco RestivoPág  18 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 19. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosDefinição e Conceitos - Atributos de Usabilidade Contrariamente ao que se possa pensar, a usabilidade não é apenas o aspeto relativo à interface com o utilizador. Usabilidade integra a forma como o sistema interage com o utilizador, e inclui cinco atributos básicos: Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação erros Identifica uma impressão subjetiva de um utilizador relativa ao sistema.Docente: Professor Francisco RestivoPág  19 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 20. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosAtributos de Usabilidade – Exemplo Prático Tolerância a Apreensibilidade Eficiência Memorização Satisfação errosDocente: Professor Francisco RestivoPág  20 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 21. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosFase de Análise de Usabilidade Primeiro, é necessário conhecer os utilizadores, verificar as suas necessidades, expetativas, interesses, comportamentos e responsabilidades;Docente: Professor Francisco RestivoPág  21 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 22. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosFase de Análise de Usabilidade Depois é necessário descrever um conjunto de técnicas que as pessoas usam para executar uma tarefa.Docente: Professor Francisco RestivoPág  22 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 23. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosFase de Análise de Usabilidade Posteriormente o objectivo é permitir estabelecer padrões de referência de usabilidade como por exemplo, metas quantitativas de usabilidade definidas antes do projeto iniciar.Docente: Professor Francisco RestivoPág  23 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 24. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosFase de Análise de Usabilidade É uma das fases cruciais no processo, pois define a base de todo o sistema; A análise da aplicação ao nível da interface com o utilizador pode tornar-se inspiradora para encontrar soluções inovadoras e alternativas, sendo que o último teste nesta fase é executado em conjunto com os utilizadores.Docente: Professor Francisco RestivoPág  24 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 25. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosFase de Análise de Usabilidade Relativo à aparência da interface com o utilizador ou seja, compreende todos os detalhes, desde o layout, caixas de diálogo, cores, gráficos e ícones.Docente: Professor Francisco RestivoPág  25 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 26. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosAvaliação da Usabilidade Avaliação de usabilidade é uma actividade central no processo de usabilidade. Pode determinar o nível da atual versão de usabilidade e determinar se o projeto é funcional. Teste de usabilidade – consiste em definir grupos de utilizadores para testar o sistema, monitorizando as tarefas que executam (através de cameras de vídeo ou gravadores de áudio); Pensando em voz alta - consiste em solicitar aos participantes que pensem em voz alta durante os testes de usabilidade do sistema; Avaliação heurística - A avaliação heurística, ou auditoria de usabilidade, é uma avaliação de uma interface por uma ou mais pessoas com especialização em Interecção Pessoa-Máquina (acrónimo em inglês – HCI).Docente: Professor Francisco RestivoPág  26 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 27. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosConclusões A principal razão para a aplicação de técnicas de usabilidade no desenvolvimento de um sistema de software é o aumento da eficiência e da satisfação do utilizador e, consequentemente aumento da produtividade. Usabilidade é fundamental para que o sistema seja aceite pelo utilizador: se os utilizadores não reconhecerem que o sistema os irá ajudar na execução das suas tarefas, então estarão menos aptos a aceitá-lo. No entanto, não devemos forçar o utilizador a adaptar-se a um software com fraca usabilidade, pois essa adaptação poderá influenciar negativamente a eficiência, eficácia e satisfação.Docente: Professor Francisco RestivoPág  27 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 28. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosConclusões • A aplicação de técnicas de usabilidade no desenvolvimento de software não é fácil, apesar da crescente consciência sobre esta necessidade; • O cruzamento da engenharia de desenvolvimento de software com engenharia de usabilidade nem sempre é pacifica pois têm muitas vezes concepções diferentes, podendo surgir conflitos; • Infelizmente, não é raro encontrar equipes de desenvolvimento que projetam o sistema e só posteriormente a equipe de usabilidade o vai tornar utilizável através da concepção de um bom conjunto de controlos; • A Integração dos designers de interface de usabilidade na equipe de desenvolvimento nem sempre é fácil, especialmente se estiverem ligados a vários projetos em simultâneo.Docente: Professor Francisco RestivoPág  28 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 29. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosComentários Existe, hoje, uma grande preocupação com a usabilidade, pois dela depende uma melhor aceitação por parte dos utilizadores e, consequentemente, uma melhor posição das empresas no mercado concorrencial. Nesta preocupação insere-se também a eficiência, a satisfação de utilização e a prospeção de erros. Alguns estudos remontam à década de 1990, mas só a partir de 2000 se obtiveram os primeiros resultados.Docente: Professor Francisco RestivoPág  29 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos
  • 30. Autores Objectivos Estrutura Ideias Chave Usabilidade Conclusões ComentáriosResumo É um clássico da usabilidade para o desenvolvimento de software. Jakob Nielsen é um dos autores citados na publicação, sendo para muitos identificado como o “Guru” da usabilidade, com alguns livros publicados onde partilha os seus conhecimentos sobre este tema.Docente: Professor Francisco RestivoPág  30 17 de Maio de 2012 – Mestrado em Ensino de Informática © José M. Vasconcelos