Circ.tec.36

680 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
680
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Circ.tec.36

  1. 1. ISSN 1517-211X Graviola: Nutrição, calagem e adubação 36 Apresentação A gravioleira (Annona muricata L) apresenta-se como uma das espécies de grande importância econômica para a fruticultura regional. A demanda pelos frutos cada vez mais crescente é atribuída às suas qualidades organolépticas, que possibilitam a sua utilização tanto para consumo “in natura” quanto para aproveitamento pela agroindústria. A gravioleira também possui propriedades utilizadas na medicina homeopática e na culinária caseira, sendo aproveitada sob as mais diversas formas. Nesse contexto, a produção de fruteiras na Amazônia, por ser oriunda, na sua maioria, do extrativismo ou do semi- estrativismo, ainda reflete o pouco conhecimento dos diferentes componentes que constituem o sistema de produção das culturas, sobretudo no que concerne a estudos sobre a Belém, PA nutrição mineral de plantas. Dezembro, 2004 A diagnose visual fundamenta-se no fato de que as plantas com carência ou excesso de determinado nutriente, normalmente Autores apresentam características distintas. E para que essa diagnose Ismael de Jesus Matos Viégas torne-se mais eficiente, é indispensável que se descrevam osEng. Agrôn., Pesquisador sintomas visuais de deficiência de cada nutriente para a cultura da Embrapa Amazônia Oriental, Caixa Postal específica. 48, Belém, PA, CEP 66.095-100 A análise química foliar de nutrientes em plantas cultivadas emDílson Augusto Capucho Frazão condições de campo nem sempre é possível de ser realizada emEng. Agrôn., Pesquisador da Embrapa Amazônia tempo hábil, e dessa forma, o conhecimento dos sintomas visuais Oriental de deficiências manifestados pelas culturas pode fornecer subsídos importantes para avaliação do estado nutricional e, com isso, corrigir a limitação do(s) nutriente(s). Objetivo Caracterizar os sintomas visuais de deficiência de macronutrientes e indicar os teores sem deficiência e com deficiência, assim como recomendar a calagem e adubação para plantas de gravioleira.
  2. 2. 2 Graviola: Nutrição, Calagem e Adubação Caracterização dos Sintomas Visuais de Deficiências de Macronutrientes em Graviola Ismael de Jesus Matos Viégas Nitrogênio – À esquerda, plantas de gravioleira sem deficiência (C) e com deficiência de ni- trogênio (-N). Com deficiência de nitrogênio, altura reduzida e menor número de folhas. À direita, folha de gravioleira sem deficiência (C) e folhas amareladas com deficiência de ni- trogênio (-N). Fósforo – Planta de gravioleira sem deficiência de fósforo (C) e à direita com deficiência (-P), mos- trando altura reduzida. Os Ismael de Jesus Matos Viégas sintomas de deficiência de fósforo foram inicialmente observados nas folhas su- periores, que se apresen- tam mais estreitas, tama- nho reduzido e bordos cur- vados. As folhas inferiores apresentaram-se pendentes ao caule e com coloração verde-clara.
  3. 3. Graviola: Nutrição, Calagem e Adubação 3Ismael de Jesus Matos ViégasPotássio – À esquerda, plantas de gravioleira sem deficiência de potássio (C) e com defici-ência (-K), mostrando redução drástica do crescimento. À direita, folha sem deficiência (C)e com deficiência de potássio (-K). As plantas de gravioleira com deficiência de potássiomostram nas folhas mais velhas, a partir do ápice, clorose marginal avançando em direçãoà parte central por entre as nervuras, inicialmente de coloração verde-amarela, para posteri-ormente marrom, como conseqüência da necrose.Ismael de Jesus Matos ViégasCálcio – À esquerda, plantas de gravioleira sem deficiência de cálcio (C) e com deficiênciade cálcio (-Ca), apresentando altura reduzida. À direita, folhas de gravioleira sem deficiênciade cálcio (C) e com deficiência de cálcio (-Ca). Os sintomas de deficiência aparecem inicial-mente nas folhas mais novas, com necrose ao longo da margem superior do ápice da folhae entre as nervuras. O restante das folhas apresenta coloração verde normal. A necrose nafolha se apresenta de coloração pardo-escura e enrolada sobre si mesma, com bordosrecurvados para cima.
  4. 4. 4 Graviola: Nutrição, Calagem e Adubação Ismael de Jesus Matos Viégas Magnésio – À esquerda, plantas de graviola sem deficiência (C), e à direita, com deficiên- cia de magnésio (-Mg), apresentando altura reduzida. À direita, folha sem deficiência de magnésio (C) e folhas com deficiência de magnésio (-Mg). Observa-se clorose ao longo da nervura principal, sendo que a margem das folhas permanece verde. Porém, com a inten- sidade da deficiência de magnésio, as folhas ficam totalmente amareladas, ocasionando a queda precoce das mesmas. Ismael de Jesus Matos Viégas Enxofre – À esquerda, gravioleira sem deficiência de enxofre (C) e com deficiência (-S), mostrando altura reduzida da planta. À direita, folha sem deficiência de enxofre (C), e com deficiência (-S), apresentando coloração verde amarelada nas folhas mais novas e com nervuras mais claras em relação ao limbo.
  5. 5. Graviola: Nutrição, Calagem e Adubação 5Faixas de Teores Foliares sem Deficiência e com Deficiência deMacronutrientes em GravioleiraCalagem BR 13, e a dose de fósforo da Tabela 1,Realizar a calagem pelo menos dois meses conforme resultados da análise do solo. Naantes do plantio. Aplicar o calcário fase de crescimento e produção, aplicar asutilizando-se o critério de saturação por quantidades de N, P e K indicadas na Tabelabases e as quantidades calculadas para 1, de acordo com os resultados de análise doelevar o valor da saturação inicial até solo. As fontes mais recomendadas são uréia,atingir 50%. Para o cálculo da necessidade superfosfato triplo ou fosfato natural e cloretode calcário (NC), utilizar a fórmula: de potássio. A partir do 2o ano, aplicar o sulfato de magnésio, sendo a quantidade de T (V2 – V1) MgO, correspondente a 1/3 de K2O.N.C. (t/ ha) = ———————— onde: PRNT A época mais propícia para aplicação dos fertilizantes é no início das chuvas ou no final daN.C = Necessidade de calcário em t por hectare estação chuvosa, quando a precipitaçãoT = capacidade de troca de cátions; T= S + (H + Al +3); pluviométrica começa a diminuir de intensidade.S = Ca +2 + Mg +2 + Na + Na fase de crescimento e produção, o fertilizanteV1 = valor da saturação por bases do solo antes da correçãoV2 = valor da saturação por bases desejada a 50% fosfatado deve ser aplicado de uma só vez, noPRNT = Poder Relativo de Neutralização Total do Calcário início do período chuvoso. Parcelar os fertilizantes contendo nitrogênio, potássio eAdubação magnésio em duas aplicações. Os fertilizantes devem ser distribuídos e incorporados a 1/3 paraPor ocasião do plantio, incorporar na cova dentro e para fora do raio da projeção da copacom dimensões de 40 x 40 x 40 cm, 10 litros da gravioleira.de esterco de curral curtido, ou 3 litros deesterco de galinha e 10 g por planta de FTE
  6. 6. 6 Graviola: Nutrição, Calagem e Adubação Tabela 1. Recomendação de adubação para gravioleira em função da análise do solo. Circular Exemplares desta edição podem ser adquiridos na: Comitê de Presidente: Joaquim Ivanir Gomes Técnica, 36 Embrapa Amazônia Oriental publicações Membros: Gladys Ferreira de Sousa, João Tomé de Endereço: Trav. Enéas Pinheiro s/n, Caixa Postal 48 Farias Neto, José Lourenço Brito Júnior, Kelly de Oliveira CEP 66 065-100, Belém, PA. Cohen, Moacyr Bernardino Dias Filho. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, Fone: (91) 3299-4500 PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Fax: (91) 276-9845 Supervisor editorial: Guilherme Leopoldo da Costa Fernandes E-mail: sac@cpatu.embrapa.br Expediente Revisão de texto: Marlúcia Oliveira da Cruz 1a edição Editoração eletrônica: Euclides Pereira dos Santos Filho 1a impressão (2004): Tiragem: 300 CGPE 4837

×