Joao Melo

3,534 views
3,318 views

Published on

Trabalho de Literatura sobre autores da lingua portuguesa.

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,534
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
27
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Joao Melo

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA UNIPAMPA CURSO DE LETRAS LITERATURAS EM LÍNGUA PORTUGUESA I PROFESSORA VERA MEDEIROS Acadêmicas: Ivete Ferreira Isabel Fagundes Jucelaine Viegas Laura Souza
  2. 2. João Melo
  3. 3. Deputado, jornalista e escritor. Nasceu em Luanda, Angola, em 05 de setembro de 1955.
  4. 4. <ul><li>João Melo </li></ul><ul><li>Cursou direito em Portugal e Angola. </li></ul><ul><li>Concluiu comunicação social no Rio de Janeiro( Brasil ). </li></ul><ul><li>Trabalhou na Rádio Nacional de Angola </li></ul><ul><li>e na Agência Angola Press. </li></ul>
  5. 5. João Melo Dirigiu vários meios de comunicação angolanos, estatais e privados. Membro fundador da União dos Escritores Angolanos ( UEA ), ocupou diversos cargos de Responsabilidade nos respectivos órgãos sociais, tais como secretário-geral, Presidente da Comissão Directiva e Presidente do Conselho Fiscal.
  6. 6. João Melo Atualmente, é diretor de uma agência de comunicação, dá aulas em duas universidades privadas e é Deputado à Assembléia Nacional.
  7. 7. Tema das obras <ul><ul><li>“ Ironia dos rumos do processo histórico angolano” </li></ul></ul>
  8. 8. <ul><li>Definição ( 1985) </li></ul><ul><li>Fabulema( 1986) </li></ul><ul><li>Poemas Angolanos( 1989) </li></ul><ul><li>Tanto Amor ( 1989) </li></ul><ul><li>Canção do nosso tempo ( 1989) </li></ul><ul><li>O caçador de nuvens ( 1993) </li></ul>OBRAS
  9. 9. <ul><li>Limites e redundâncias( 1997) </li></ul><ul><li>4 livros de contos: imitação de Sartre e S imone de Beauvoir ( 1998 ) </li></ul><ul><li>Ensaio- Jornalismo e Política( 1991) </li></ul><ul><li>Serial Killer ( 200) </li></ul><ul><li>Filhos da pátria ( 2001) </li></ul><ul><li>O dia em que o Pato Donald comeu pela 1ª vez a Margarida. ( 2006) </li></ul>
  10. 10. <ul><li>“ O Dia em que o Pato Donald comeu pela primeira vez a Margarida ” </li></ul><ul><li>aborda vários aspectos, </li></ul><ul><li>alguns ficcionais e outros </li></ul><ul><li>baseados na realidade </li></ul><ul><li>Angolana. O autor mistura </li></ul><ul><li>sátira e humor. </li></ul>
  11. 11. João Melo fornece-nos um panorama caótico do país, de uma sociedade entregue aos perigosos caminhos das regras neoliberais do mundo globalizado, e as mazelas dessa situação na cidade de Luanda.
  12. 12. <ul><li>Filhos da Pátria </li></ul><ul><li>Até onde é capaz de ir a </li></ul><ul><li>capacidade de humilhação </li></ul><ul><li>do ser humano? </li></ul><ul><li>É com esta interrogação </li></ul><ul><li>que João Melo inicia a </li></ul><ul><li>sua mais recente viagem </li></ul><ul><li>pelas estórias do </li></ul><ul><li>cotidiano angolano . </li></ul>
  13. 13. Atuação Política <ul><li>De acordo com Melo, o individualismo e o egoísmo social das classes privilegiadas não são fenômenos novos. “ Na falta de políticas de relançamento do setor produtivo, principalmente da agricultura e da indústria manufatureira, o país está condenado a taxas de desemprego extremamente altas . </li></ul><ul><li>João Melo , escritor, Deputado do MPLA e diretor da revista África 21 . </li></ul>
  14. 14. HOMO ANGOLENSIS Homo Angolensis Mastiga a própria desgraça com ela improvisa uma farra precisa de uma boa maka como do ar para respirar acha o mundo demasiado pequeno pró seu coração ri à toa fornica por disciplina revolucionária jura que um dia será potência gosta de funje todos os sábados e foge do trabalho na segunda-feira mas fica limão quando lhe querem abusar da obra : ”Caçador de Nuvens”
  15. 15. <ul><li>“ É fundamental criar </li></ul><ul><li>todas as condições </li></ul><ul><li>necessárias para o </li></ul><ul><li>exercício pleno e </li></ul><ul><li>responsável da </li></ul><ul><li>liberdade de imprensa.” </li></ul><ul><li>João Melo </li></ul><ul><li>(Angonoticias 02/05/2008) </li></ul>
  16. 16. Referências: www.editorial-caminho.pt www. betogomes.sites.uol.com.br http://www.linguakimbundu.com/index3.html www.secrel.com.br/jpoesia/1jmelo.html www.ricardoriso.blogspot.com/search?q=joao+melo www.angolapress-angop.ao/pesquisa.asp http://www.webboom.pt/ficha.asp?id=77116

×