Escolha Do DomíNio B Julita

  • 402 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
402
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
11
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) Escolha do Domínio B- Leitura e Literacia Indicadores B1 e B3 Resolvi escolher este domínio, visto a Biblioteca que coordeno estar empenhada em vários projectos de promoção da leitura e realizar muitas actividades nesse âmbito. Este domínio será objecto de avaliação aprofundada no ano lectivo em que nos encontramos. Para além disso, considero que muito do insucesso dos nossos alunos se situa ao nível da língua materna, não conseguem interpretar enunciados simples, compreender capazmente o que lêem e realizarem tarefas do dia-a-dia, como por exemplo: escrever um e-mail sem erros, preencher um formulário, etc. O domínio da língua materna, é essencial para se tornarem cidadãos responsáveis e com espírito crítico em relação ao que os rodeia. Através do impacto da leitura, nos seus vários suportes, e da escrita podemos avaliar o papel que a Biblioteca escolar tem nas aprendizagens dos nossos alunos, aprendizagens essas que conduzirão ao seu sucesso educativo. Maria Julita Baptista da Silva
  • 2. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) PLANO DE AVALIAÇÃO Domínio B Leitura e Literacia Ano lectivo 2009/2010 Calendarização Intervenientes  Escolha do Domínio a  Professor Bibliotecário e  Apresentação do Modelo de Auto- avaliar e verificação dos equipa; Direcção Executiva; avaliação aos DE, CP, à Equipa de aspectos implicados CP; professores Avaliação Interna e restantes 1ºperíodo  Análise dos factores  Equipa e um grupo de Professores críticos de sucesso professores (Final do 1º período )  Reflexão sobre a recolha  Equipa da BE a grupos de de evidências (produção docentes, alunos, de instrumentos) funcionários e E. de Educação  Recolha de dados (ao longo do ano)  Aplicação de questionários, entrevistas  Equipa da BE aos utilizadores, escolhendo grupos de  Equipa da BE e um grupo de  Apresentação do Plano de Auto- alunos, professores e E. de Professores escolhidos avaliação ao CP, à Equipa de Educação. avaliação Interna e restantes professores Maria Julita Baptista da Silva
  • 3. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) 2º Período (Início do 2º período)  Tratamento dos dados recolhidos, confrontando-  Equipa da BE os com os factores críticos de sucesso e os perfis de desempenho  Levantamento das estatísticas que a BE costuma recolher  Levantamento das  Professor B. e Equipa actividades de promoção da leitura  Ao Agrupamento, CP, Direcção Executiva  Reflexão sobre todos os Maio e Junho instrumentos recolhidos  Director, Coordenadores de  Situar a BE no perfil de Departamento, CP desempenho  Elaborar o relatório final 3º Período  Comunicar resultados Final do ano  Preparar e implementar um Plano de Acção (identificar objectivos e metas a Maria Julita Baptista da Silva
  • 4. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) atingir; implementar as acções para a melhoria) INDICADOR *B1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura EVIDÊNCIAS  Articulação com o PNL  QD2 Questionário aos professores *B1- Indicador de (Escolha de livros, motivação para a leitura, participação em concursos, (colaboração dos professores nas processo participação em projectos) actividades de Promoção da  Colecção (qualidade e quantidade, lacunas) leitura)  Sessões de leitura em voz alta  QA2 Questionário aos alunos O que se pretende  Sessões de Poesia (influência exercida pela BE nos avaliar  Hora do Conto- Educação Especial seus hábitos de leitura; gosto  “A minha turma adopta um livro” pelas actividades propostas; ajuda  Concurso “O Melhor Leitor” curricular)  O Autor do Mês  Registos de observação Actividades  Visitas de Escritores  Relatórios das actividades  “Chá com Livros”  Plano Anual de actividades do  Leitura em diversos suportes Agrupamento  Projectos com vários livros em articulação com os vários  Plano Anual de actividades da BE Departamentos  Notícias das actividades  Projecto de escrita colaborativa com a escritora Ana André produzidas pelos alunos (articulação com as escolas do 1º ciclo)  Filmes/fotografias das actividades  Conversas sobre Teatro com o grupo “100 Degraus”- 1º, 2º e 3º Estatísticas de requisição ciclos. domiciliária  Promoção da leitura em ambientes digitais (Bibliotecas digitais)  Estatísticas de utilização formal da BE;  Estatísticas de utilização da BE Maria Julita Baptista da Silva
  • 5. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) para actividades de leitura programada/articulada com outros docentes; B3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências *INDICADOR dos alunos, no âmbito da Leitura e Literacia EVIDÊNCIAS *indicador de impacto  Estatísticas de utilização da BE para  Se os alunos demonstram progresso nas actividades de leitura programada/articulada competências da leitura com outros docentes; O que se pretende  Se mostram competências de leitura e literacia na  Estatísticas da requisição domiciliária; avaliar execução dos trabalhos  Observação da utilização da BE (O2);  Se participam nas actividades de promoção da  Trabalhos realizados pelos alunos; leitura  Questionário aos professores (QD2);  Questionário aos alunos (QA2);  Entrevistas. Maria Julita Baptista da Silva
  • 6. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) Depois de avaliadas todas as actividades do trabalho da BE na promoção da leitura e o impacto das mesmas nas aprendizagens, partimos para uma avaliação mais aprofundada no quadro que se segue. Indicadores Factores críticos de sucesso Evidências Acções para a melhoria B1 Trabalho da BE ao serviço da  A BE disponibiliza uma  Estatísticas de requisição  Diversificar a colecção, promoção da leitura no colecção variada e domiciliária principalmente para o 3º Agrupamento adequada aos gostos dos  Caixa de sugestões ciclo utilizadores  Pequenos questionários aos utilizadores Etc… Etc… Etc… Indicadores Factores críticos de sucesso Evidências Acções para a melhoria B3 Impacto do trabalho da BE  Os alunos usam a BE para  Estatísticas de utilização  Melhorar a articulação nas atitudes e competências dos ler de forma recreativa, da BE para actividades de com os Departamentos, alunos, no âmbito da leitura e para se informar ou para leitura principalmente o D. de literacia realizar trabalhos Línguas, para realização escolares. conjunta de actividades  Os alunos, de acordo com  Fichas de observação de leitura. Maria Julita Baptista da Silva
  • 7. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) o seu nível etário,  Dialogar com os alunos manifestam progresso nas competências de leitura. Etc…. Etc… Etc… Depois da análise cuidada deste quadro, coloca-se a BE no respectivo perfil de desempenho que caracteriza o que se espera da BE, face à área analisada. Nível Domínio/Descritores 1 2 3 4 Maria Julita Baptista da Silva
  • 8. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) Elaborar um relatório final Apresentar resultados Elaborar um Plano de Acção Objectivos da avaliação neste Domínio:  Transformar a BE num espaço de construção do conhecimento  Desenvolver o gosto pela leitura e escrita  Criar leitores autónomos  Educar para a cidadania  Levar ao sucesso educativo Maria Julita Baptista da Silva
  • 9. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (parte I) Bibliografia Texto da sessão disponível na Plataforma Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas Escolares Basic Guide to Program evaluation Maria Julita Baptista da Silva