• Save
Nelson Leirner
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Nelson Leirner

on

  • 8,508 views

 

Statistics

Views

Total Views
8,508
Views on SlideShare
8,477
Embed Views
31

Actions

Likes
1
Downloads
41
Comments
0

2 Embeds 31

http://www.slideshare.net 30
http://a0.twimg.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Nelson Leirner Presentation Transcript

  • 1. NELSON nelson leirner LEIRNER
  • 2.
    • Nascido em 1932 em São Paulo, Nelson Leirner é pintor, desenhista, cenógrafo, professor, artista visual, realizador de happenings e instalações;
    • Viveu de 1947 a 1952 no Estados Unidos onde estudou engenharia têxtil, mas não concluiu o curso;
    • Entre 1956 e 1958, estuda artes plásticas. De volta ao Brasil, faz sua primeira exposição individual no ano de 1961, em São Paulo;
    • Em 1967 é premiado na IX Bienal de Tóquio e lecionou na Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP em 1977, influenciando diversos artistas da geração 80;
    • Tem participado de várias exposições no Brasil e no exterior;
    • Vive e trabalha no Rio de Janeiro.
  • 3. Desde a infância a arte moderna está muito presente em sua vida. Seus pais (a escultora Felícia Leirner e o empresário Isaí Leirner) ajudam a fundar o Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP e convivem com boa parte da vanguarda brasileira. No entanto, essa proximidade, não desperta de imediato o interesse de Leirner pela arte. Resolve se tornar artista apenas na década de 1950, estimulado por trabalhos de Paul Klee (1879-1940). Paul Klee – “Prisioneiro” 1940; óleo em aniagem Paul Klee – “Domos” - 1914; aquarela em papelão
  • 4. Responda... Se Puder. 1965 Óleo sobre madeira, metal e papel 111 x 111 cm Coleção Daros Latin America, Zurique
  • 5. Que Horas São Dona Cândida?, 1965 Metal e madeira 220 x 220 cm Coleção Particular
  • 6. Xeque-Mate, 2003. Madeira e porcelana, 25,5 x 60 x 60 cm
  • 7. Colecionador e herdeiro da experiência dadaísta (talvez cinicamente Duchampiano), Leirner fala através de readymades que possuem tempero local; obras que incluem temas populares e objetos comuns. Leirner recria imagens da miscigenação cultural, religiosa, visual brasileira, como em O Dia em Que o Corinthians Foi Campeão . Divertido e irônico, mas longe de ser apenas brincadeira.
  • 8. Futebol, 2000 gesso, plástico, cerâmica, borracha madeira e papel 110 x 300 x 200 cm
  • 9. Misturando santos e jogadores de futebol, Leirner remete um campo de adoração dos brasileiros.
  • 10. Em meio às suas “procissões” multi-culturais, populares e religiosas, as imagens de Jesus ou de São Sebastião (referência ao Rio de Janeiro, para onde o artista se mudou há mais de oito anos) perfurados por balas perdidas surgem em todos os lugares de seus trabalhos.
  • 11. Nelson foi um dos fundadores do Grupo Rex, na década de 60, ao lado de nomes como Wesley Duke Lee, José Resende e Carlos Fajardo. Foi motivado por essa postura de provocação que, já no fim dos anos 60, mandou o Porco Empalhado à comissão julgadora do então Salão de Arte Moderna, que aceitou a peça, sendo imediatamente criticada por Leirner nos jornais e tornando-se um marco da história da arte conceitual no país.
  • 12. O Porco, 1967 Porco empalhado e engradado de madeira, 83 x 159 x 62 cm Coleção Pinacoteca do Estado de São Paulo
  • 13. "Banana Rack", 2003 metal, tecido e fibra de vidro, 60 x 60
  • 14. Quebra-Cabeça , 2001 madeira e fotografia 131 x 131 cm
  • 15. " Era uma vez...“, 2004 detalhe da instalação (fotografia) 273 x 428 cm
  • 16. "Sala de espera", 2004 borracha, couro, metal e espelho, instalação com medidas variáveis
  • 17. Made in Brasil , 2000 ferro, pelúcia e granito Galeria Brito Cimino, SP
  • 18. Leirner, que foi processado por pedofilia, sobre Anne Geddes: "Acho que ela é que devia ser processada. Ela, que usa as criancinhas, colocando-as sobre botões fálicos de rosa, que é pedófila e não eu", afirma ele, associando essa falsa singeleza no trato dos bebezinhos nus com os pais que exultam vendo os filhos a dançar a Dança da Garrafa. "Ninguém quer enxergar", diz. Trabalhos Feitos em Cadeira de Balanço Assistindo Televisão, 1997 .
  • 19. VOCÊ FAZ PARTE II , 1964 Montagem em materiais diversos: madeira, aço cromado, espelho e aglomerado de madeira 113,3 x 113,3 x 10,2 cm
  • 20. Sem Título, 2003 Impressão digital de uma fotografia manipulada eletronicamente de uma colagem original
  • 21. Assim é...se lhe parece , 2003 Figurinhas em papel impresso (mapa)
  • 22. Assim é...se lhe parece , 2003 Figurinhas em papel impresso (mapa)
  • 23. Adoração, 1966 Polêmico, irreverente e, acima de tudo, contestador, Nelson Leirner é ainda hoje, um dos mais expressivos representantes do espírito vanguardista de experimentalismo estético e comportamental, tão característico àqueles tempos de “contracultura”, que foram os anos 60 no Brasil e no mundo.
  • 24. “ Adoração é, de fato, uma obra-síntese do tom de crítica pela paródia e zombaria que perpassa várias fases da produção de Nelson Leirner. Trata-se de uma instalação (...). Dentro desta redoma está um espaço para adoração (quem quiser pode entregar-se ao gesto, pois há almofadinhas para genuflexão) de um deus midiático, o cantor Roberto Carlos .” Adriana Dória Matos
  • 25. Leirner recria com ironia imagens como a da Monalisa, comentando a saturação de seu uso, e questionando também a arte como um mercado cultural e/ou comércio, e seus critérios que sustentam suas posições consagradas na sociedade.
  • 26. Homenagem a Fontana ,1967. Pintura, técnica mista. 180X125 cm
  • 27. Figuratismo Abstrato, 2004 adesivo sobre madeira 170 x 200 cm
  • 28. "A sociedade descobriu que a única maneira de desmistificar é consumindo. No momento que ela descobre isso, ela consome tudo o que você faz.”
  • 29. "Sou um jogador; fiz da arte um jogo, fiz as minhas regras e as dei ao público”.
  • 30. Detalhe de Figuratismo Abstrato , 2004 Aline R. Fernandes Juliana Rossi Alunas: