• Like
2011.10.24 hpe aula_marshall - História do Pensamento Econômico - UFABC - Prof Giorgio
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

2011.10.24 hpe aula_marshall - História do Pensamento Econômico - UFABC - Prof Giorgio

  • 212 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
212
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
17
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Bacharelado em Ciências e Humanidades História do Pensamento Econômico Alfred Marshall – Teoria neoclássica Prof. Giorgio Romano Tídia: Prof. Giorgio HPE 24 de outubro de 2011
  • 2. Alfred Marshall 1842-1924 Escola neoclássica de Cambridge : interpretação e reformulação da teoria clássica • Walras : equilíbrio geral • Marshall: equilíbrio parcial Visão do mundo: • capitalismo como um sistema capaz de assegurar contínuo e gradual progresso; • tendência natural para o equilíbrio e tendência de crescimento gradual,
  • 3. Alfred Marshall 1842-1924  Formação: matemática  Foi professor titular de economia na Universidade de Cambridge  Entre seus alunos: Pigou; Robinson; Keynes  Influência: • utilitarismo Bentham • evolucionismo Darwin => crença nas forças da concorrência  Publicação mais importante: Principles of Economics (1890) => doutrina marginalista
  • 4. Principais contribuições Marshall  introdução fator tempo na análise (analise temporal: curto, longo e secular)  conciliar custo de produção (clássicos) com utilidade marginal na determinação valor  precursora economia matemática (econometria)  método estático x caráter dinâmico da economia  distinção entre juros reais e monetárias
  • 5. Demanda Demanda (procura dos consumidores): regulador última • utilidade (desejo/ necessidade) • preço que uma pessoa se dispõe a pagar • possibilidade de – não comprando – encontrar outra coisa (custo de oportunidade) => saturação das necessidades - utilidade decrescente: o benefício adicional derivado do produto aumenta numa taxa decrescente
  • 6. Demanda compra marginal (marginal purchase): margem de dúvida sobre se é vantagem incorrer no dispêndio requerido para adquiri-la (custo/benefício) utilidade marginal: utilidade da compra marginal preço de procura marginal: preço que o consumidor está disposto a pagar para obter o último produto (a referência não é quantidade desejado) Obs. São considerados constantes: • caráter/ gosto da pessoa (ex. vício da embriaguez) • poder de compra
  • 7. Demanda Influência aumento poder de compra:  aumenta o preço que se dispõe a pagar por certo benefício  compra mais que antes ao mesmo preço. • Demanda/oferta: cada variação no preço é suscetível de afetar a quantidade que um indivíduo comprará. • Obs. procura por um indivíduo é inconstante, irregular: o que conta é o agregado (necessidades individuais se compensam) Alteração curva demanda  impacto crédito  impacto desigualdade de renda
  • 8. Alteração Curva Demanda
  • 9. Demanda/Oferta  Conceito de elasticidade: relação entre baixa/aumento do preço e aumento/baixa da procura  Diferenciar 1) rendimento decrescente na produção matérias-primas (Ricardo) 2) rendimento crescente da capacidade produtivo do trabalho: economias decorrentes de um aumento na escala de produção: externas e internas
  • 10. Rendimentos Crescentes economias internas escala de produção/ organização melhora/ aumenta produtividade  aumento trabalho e capital rende acima do proporcional (exceção: indústrias que se aplicam à extração de produtos primários) economias externas impacto sobre ramos de indústria conexos/ na mesma localidade, infraestrutura
  • 11. Custo/ preço Custo normal de produção – relativa a dado volume global de produção => analise gasto de um produtor típico (representative firm) Composição custo de produção • mão-de-obra de todos os tipos (direta e indiretamente empregada) • “abstinência” (espera necessária para acumular o capital utilizado)/ “os ganhos brutos da direção...dos que assumem os riscos” => custo monetário de produção/ despesas fatores de produção (coisas necessárias à produção)
  • 12. Preço de Equilíbrio Preço oferta: • necessidade de dinheiro produtor • cálculo das condições presentes e futuras do mercado Preço de equilíbrio quantidade que os compradores estivessem dispostos a comprar = quantidade pela qual os vendedores aceitariam receber esse mesmo preço. Preço de equilíbrio é estável: se o preço se afasta um pouco, tende a voltar como o pêndulo que oscila em torno de seu ponto mais baixo
  • 13. Preço de mercado x Preço natural Smith: o valor normal/ natural se estabelece a longo prazo (in the long run) = valor de uma coisa tende, a longo prazo, a corresponder ao seu custo de produção. Valor efetivo (de mercado) influenciado por acontecimentos passageiros. Só a longo prazo as “causas constantes dominam completamente o valor”. => importância do tempo na relação demanda/oferta
  • 14. Preço de mercado x Preço natural Em estado estacionário: condições gerais de produção/ consumo/ distribuição/ troca permanecem iguais/ a empresa representativa permanece mais ou menos do mesmo tamanho=> nessa situação o custo de produção regula o valor Mundo real: cada força econômica modifica constantemente sua atuação, sob influência de outras forças que agem em torno dela (modificação constante do volume de produção/ métodos/ custos). Nessa situação preço médio não é igual a preço normal. De lado da oferta: tempo para se adaptar à procura (aplicação de capital; organização; conhecimento e habilidades especializadas)
  • 15. Quatro classes de preços 1. Preços de mercado (oferta do estoque disponível) 2. Preços normais de curto prazo ( o que pode ser produzido pelo preço em questão com o equipamento e os recursos de pessoal existentes) 3. Preços normas de longo prazo (oferta produzida pelas instalações montadas) 4. Preço normal alterado (de forma gradual): desenvolvimento novos conhecimentos
  • 16. Efeito aumento procura Aumento procura =>  primeiro momento: alta temporária do preço  segundo momento: queda custos (trabalhadores e maquinas mais especializadas) => queda dos preços Conceito de elasticidade demanda: o impacto da alteração do preço sobre quantidade demandada elasticidade da oferta – capacidade instalada  NUCI - Nível de Utilização da Capacidade Instalada  FBCF - Formação Bruta de Capital Fixo
  • 17. Mercados futuros Bolsa de cereais (1848, the Chicago Board of Trade) Negócio a termo=> para entrega futuro Formação de preços nos mercados futuros:  regulado pelas perspectivas do consumo mundial, estoques existentes e safras esperadas  considerar impacto de oferta de gêneros (grãos que possam substituir)  influência “manobras especulativas” Obs. preço nos mercados futuros influenciam formação de preço à vista
  • 18. Pressupostos teoria neoclássica • Produtores e consumidores com perfeito conhecimento dos mercados • Forças de procura e oferta agem livremente (mobilidade total de capital e tecnologia) • Disponibilidade de informação sobre o que os outros estão fazendo o suficiente para evitar que o produtor ou consumidor pague aceite/pague preços menor/maior
  • 19. Ressalva metodológica • estudo de certo grupo de tendências é isolado, fazendo-se a suposição preliminar “as outras coisas sendo iguais” • quanto mais a questão é assim reduzido, mas exatamente podese tratá-la • mas, por outro lado menos corresponde à vida real. Pergunta: pq a história da uma firma individualmente não é da firma representativa?