Seminário RP
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Seminário RP

on

  • 776 views

 

Statistics

Views

Total Views
776
Views on SlideShare
776
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Seminário RP Presentation Transcript

  • 1. CREDIBILIDADE E INDICAÇÃOCOMO FONTES DE DIVULGAÇÃO NO SEGMENTO DE SERVIÇOS
  • 2. Monografia CREDIBILIDADE E INDICAÇÃO COMO FONTES DE DIVULGAÇÃO NO SEGMENTO DE SERVIÇOS.Autora: Camila Ferreira
  • 3. A monografia apresentou os itens indispensáveis: introdução, desenvolvimento teórico (4 capítulos) e empírico (1 capítulo), conclusão, Estruturação referências e anexo. Respeitou parcialmente a ABNT. Temática Segmento de Serviços - Pet Shop     Clareza Título claro, resumo não. Palavras-chave: Divulgação Boca a Boca, marketing de Serviços Relações Públicas, Satisfação do Consumidor”. Como a comunicação deve ser estruturada para conquistar a credibilidade do cliente e incentivar a divulgação boca a boca positiva da Objeto de análise Pet shop situada no bairro Menino Deus em Porto Alegre. 1- Conhecer quais fatores são fundamentais para o cliente confiar no serviço que pretende contratar;Objetivos do Estudo 2- Verificar se a comunicação com o cliente influencia sua credibilidade em relação à empresa prestadora de serviço; 3- Verificar se a credibilidade do cliente na empresa incentiva a indicação boca a boca positiva (divulgação espontânea). Metodologia Revisão bibliográfica, pesquisa exploratória, entrevista em profundidade. a) O cliente quando satisfeito com o serviço contratado indica espontâneamente a empresa para seus conhecidos. b) a comunicação da empresa com o cliente influencia sua credibilidade na empresa. c) a credibilidade no serviço incentiva a indicação boca a boca positiva. Problematização Hipóteses: a) O cliente quando satisfeito com o serviço contratado indica espontâneamente a empresa para seus conhecidos. b) a comunicação da empresa com o cliente influencia sua credibilidade na empresa. c) a credibilidade no serviço incentiva a indicação boca a boca positiva. CHETOCHINE, Georges - Buzz Marketing: sua marca na boca do cliente FERREIRA, Aurélio - Dicionário da língua portuguesa GRÖNROOS, Christian - Marketing: gerenciamento e serviços: a competição por serviços na hora da verdade KOTLER, Philip - Marketing de Serviços Profissionais: Estratégias Inovadoras para impulsionar sua atividade, sua imagem e seus lucros Referências KUNSCH, Margarida - Relações Públicas e Modernidade: Novos paradigmas na comunicação organizacional e Planejamento de relações públicas na comunicação integrada -Metodológico (Pesquisa aplicada) SARQUIS, Aléssio Bessa - Estratégias de marketing para serviços LAS CASAS, Alexandre Luzzi - Marketing de serviços
  • 4. O assunto abordado é bem específico para Pet shop, porém a autora conseguiu traçarTemática um paralelo bem interessante para a área de comunicação social, buscando mostrar como a comunicação pode influenciar emRelação com área empresas de voltadas para o ramo de serviços.
  • 5. A autora conseguiu confirmar as suasTemática hipóteses de forma positiva e verificou que a comunicação boca a boca é extremamente relevante para a credibilidade de empresasHipóteses deste ramo.
  • 6. A justificativa para esta temática foi bastante plausível, pois a autora conseguiu provar com dados e fontes, que o ramo de pet shop está em crescimento, ou seja, issoTemáticaJustificativa significa que é uma área em potencial para os profissionais de comunicação, especialmente Relações Públicas, que podem gerir a comunicação dessas empresas de forma a otimizar os processos e o desempenho da organização.
  • 7. ClarezaTítulo No título já fica claro sobre o que o trabalho tratará.
  • 8. Não diz do que se trata, ou seja, em nenhum momento a autora fala onde o estudo será realizado e sim apenas fala sobre o que: “Analisar como deve ser estruturada a comunicação para conquistar aClarezaResumo credibilidade do cliente e incentivar a divulgação boca a boca.” Considerações: no resumo da monografia a autora não deixou claro sobre onde o estudo seria aplicado, ou seja, em nenhum momento foi mencionado que a pesquisa seria realizada em uma Pet shop.
  • 9. Como a comunicação deve ser estruturadaObjeto para conquistar a credibilidade do cliente e incentivar a divulgação boca a boca positiva da Pet shop situada no bairro Menino Deus em Porto Alegre.
  • 10. 1- Conhecer quais fatores são fundamentais para o cliente confiar no serviço que pretende contratar;Objetivos 2- Verificar se a comunicação com o cliente influencia sua credibilidade em relação à empresa prestadora de serviço; 3- Verificar se a credibilidade do cliente na empresa incentiva a indicação boca a boca positiva (divulgação espontânea).
  • 11. Primeiro momento: realizou uma revisão bibliográfica a fim de identificar as características dos serviços e quais os recursos de comunicação mais indicadosMetodologias para conquistar a credibilidade do cliente. Segundo momento: realizou uma pesquisa exploratória, uma entrevista em profundidade com uma amostra selecionada aleatoriamente composta por 10 pessoas que possuem animal de estimação (cão ou gato) e que frequentam Pet shops.
  • 12. a) O cliente quando satisfeito com o serviço contratado indica espontâneamente aProblematização empresa para seus conhecidos. b) a comunicação da empresa com o cliente influencia sua credibilidade na empresa. c) a credibilidade no serviço incentiva a indicação boca a boca positiva.
  • 13. a) O cliente quando satisfeito com o serviço contratado indica espontâneamente aProblematização empresa para seus conhecidos. b) a comunicação da empresa com o cliente influencia sua credibilidade na empresa.Hipóteses c) a credibilidade no serviço incentiva a indicação boca a boca positiva.
  • 14. CHETOCHINE, Georges - Buzz Marketing: sua marca na boca do clienteReferências FERREIRA, Aurélio - Dicionário da língua portuguesa GRÖNROOS, Christian - Marketing:Teóricas gerenciamento e serviços: a competição por serviços na hora da verdade
  • 15. KOTLER, Philip - Marketing de Serviços Profissionais: Estratégias Inovadoras para impulsionar sua atividade, sua imagem e seusReferências lucros KUNSCH, Margarida - Relações Públicas e Modernidade: Novos paradigmas naTeóricas comunicação organizacional e Planejamento de relações públicas na comunicação integrada
  • 16. SARQUIS, Aléssio Bessa - Estratégias deReferênciasMetodológico marketing para serviços LAS CASAS, Alexandre Luzzi - Marketing de serviços
  • 17. A temática da monografia está, de fato, expressamente segmentada para área de serviços e ficou claro que a comunicação boca a boca e a credibilidade que issoComentáriosTemática pode gerar para as empresas é muito grande. Portanto, o foco do trabalho trouxe considerações importantes, mostrando como o profissional de comunicação pode exercer/executar um ótimo trabalho dentro de empresas como esta.
  • 18. É uma pesquisa com enfoqueComentários fenomenológico-hermenêutico, pois utiliza pesquisa qualitativa, estudos teóricos e analíticos, ou seja, as explicações estão baseadas na interpretação dos fatos.
  • 19. Comentários É uma pesquisa, portanto, qualitativa que explora aspectos do indivíduo e de cenários que não podem ser quantificados.
  • 20. É uma pesquisa etnográfica, pois descreve,Comentários analisa e interpreta o segmento de serviços, neste caso, a Pet shop, construindo um retrato detalhado da situação.
  • 21. Teve uma linguagem muito informal em doisComentários momentos: introdução e descrição empírica, um discurso semelhante a uma página pessoal na internet, sem muita preocupação com a formalidade de uma monografia.
  • 22. Comentários O trabalho foi bastante objetivo e de fácil entendimento.
  • 23. Comentários A utilização de dicionário Aurélio como referência bibliográfica, faz com que o trabalho perca um pouco a credibilidade.
  • 24. O uso excessivo de citações em determinadas partes do trabalhoComentários atrapalhou a leitura, ou seja, construiu uma linha de raciocínio na base “de cortes e recortes”, das falas dos autores, deixando um pouco de lado as interações da própria fala da autora.
  • 25. Poderia ter explorado mais na descriçãoComentários empírica itens voltados para a comunicação social, ou seja, não se deter a uma narração de detalhes minuciosos sem valor acadêmico.
  • 26. SUSTENTABILIDADE E OAMBIENTE VIRTUAL: ANÁLISE DOESPAÇO REAL DE PRÁTICAS EMSUSTENTABILIDADE DO BANCOREAL
  • 27. Monografia SUSTENTABILIDADE E O AMBIENTE VIRTUAL: ANÁLISE DO ESPAÇO REAL DE PRÁTICAS EM SUSTENTABILIDADE DO BANCO REALAutora: Vanessa Thomé
  • 28. A monografia apresentou os itens indispensáveis: introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos) e análise do objeto (1 Estruturação capítulo), conclusão e referências. A monografia respeitou as normas da ABNT (como estilo e tamanho de fonte, margens, etc.). Soube utilizar as notas de rodapé e sinalização das imagens. Temática Sustentabilidade no ambiente virtual. Título: Transparece/comunica o assunto. Resumo: Bem estruturado. Apresenta objeto, objetivo, construção e conclusão. Clareza Palavras-chave: sustentabilidade, comunicação digital, Banco Real. Objeto de análise Espaço Real de Práticas em Sustentabilidade, localizado no site do Banco Real. Analisar o conteúdo sobre sustentabilidade disponibilizado pelo ABN AMRO Real no seu site e verificar se o conteúdo exposto é capaz de validar a imagem de uma organização sustentável. 1. Verificar se a organização é transparente com seus públicos, disponibilizando acesso as informações a respeito de suas práticasObjetivos do Estudo sustentáveis. 2. Verificar se a comunicação realizada no ambiente virtual estimula a interação dos usuários e facilita a disseminação do conhecimento. 3. Verificar se a comunicação feita através do site é verdadeira e coerente com a imagem que a organização tem passado nos últimos anos. Primeiro momento: exposição teórica sobre os preceitos de sustentabilidade, comunicação e comunicação digital. Metodologia Segundo momento: análise de conteúdo, apresentada por Bardin, no corpus delimitado. Problematização Não há um problema formulado. -Referencial Teórico: Sustentabilidade: Ellen Regina Nunes, Maíra Baumgarten, Thomas Davenport. Comunicação e Comunicação Digital: Henry Jenkins, James Gruning, Manuel Castells, Margarida Kunsch, Pierre Lévy, Rudimar Baldissera, Referências Waldyr Fortes -Referencial Metodológico Laurence Bardin, Wilson Corrêa Fonseca Junior
  • 29. A estrutura da monografia permite que o leitor construa um conhecimento para compreender a análise do objeto. Assim, aEstruturação contextualização da sustentabilidade, em teoria e prática, como da comunicação digital torna-se necessária para oConteúdo entendimento da análise de conteúdo realizada, pois esta busca suporte nos assuntos já apresentados.
  • 30. “A importância do assunto “Sustentabilidade”Temática e a grande valorização do mesmo na sociedade, além da constante presença deste termo nos discursos organizacionais”. – motivação da autora pela escolha do tema.
  • 31. A autora justifica a escolha do objeto pelosObjeto diversos matérias de comunicação e divulgação elaborados pela organização com o intuito de disseminar a informação de que o banco é sustentável.
  • 32. A monografia tem o seus textos estruturados conforme a escrita americana, ou seja, cadaComentários assunto que será discutido tem uma contextualização inicial e no final uma retomada geral do que foi apresentado, assim como uma introdução do novo tema que será discutido.
  • 33. Comentários A autora preocupa-se em apresentar as fontes de todas as informações utilizadas, como também a ausência de dados
  • 34. Comentários Todos os autores referenciados no decorrer da monografia são encontrados nas referências bibliográficas.
  • 35. O profissional de Relações Públicas apareceComentários como ator principal nas discussões apresentadas sobre comunicação, mostrando uma ligação com a habilitação da autora.
  • 36. A pesquisadora preocupou-se em apresentar a opinião de diferentes autoresComentários sobre um mesmo assunto, saturando, por vezes, o uso de citações. Mas, fica claro que essas inserções fundamentam os argumentos desenvolvidos pela autora.
  • 37. Comentários Explica e justifica a delimitação do objeto.
  • 38. A análise de conteúdo é abordada noComentários trabalho, justificando a escolha e demonstrando como será utilizado esse instrumento de pesquisa qualitativo.
  • 39. A pesquisadora preocupou-se em confrontar os resultados da análise doComentários objeto com o referencial teórico apresentado sobre sustentabilidade e comunicação digital. Dessa maneira, justificou a sua interpretação dos dados com os argumentos já introduzidos.
  • 40. “Podemos inferir através do Espaço Real de Práticas em Sustentabilidade que o ABN ANRO Real é uma organização que realmente atua sobre os preceitos daComentários sustentabilidade e que se preocupa não só em ser sustentável, como também em disseminar esses valores, os tornando diariamente mais presentes em nossa sociedade”. Conclusão da autora sobre o estudo realizado.
  • 41. TURISMO 2.0: UM ESTUDO DE PERFIL DE USUÁRIOSDA REDE COUCHSURFING
  • 42. MonografiaAutora: Mariana Dutra TURISMO 2.0: UM ESTUDO DE PERFIL DE USUÁRIOS DA REDE COUCHSURFING
  • 43. Estrutura de conteúdo: introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos) e empírico (1 capítulo), conclusão e referências. Estruturação a monografia respeitou as normas da ABNT (como estilo e tamanho de fonte, margens, etc.). Temática Turismo Título claro, resumo completo. Palavras-chave: Turismo independente, Couchsurfing, intercâmbio de hospitalidade, site da Clareza rede Couchsurfing, perfil dos usuários da rede Couchsurfing Objeto de análise 96 perfis de usuários do Couchsurfing no Brasil Compreender o perfil dos usuários do Couchsurfing e a sua relação com o projeto. Gerais:Objetivos do Estudo 1.    Investigar como estes usuários pretendem ser percebidos pelos outros; 2.    Verificar quais são os valores importantes compartilhados pela comunidade Couchsurfing - Análise de conteúdo com inspiração na netnografia.. - Primeiro passo: Elaboração de categorias de análise. Metodologia - Segundo passo: Escolha dos perfis a serem analizados através de ferramenta específica do site da rede Couchsurfing, onde pode ser avaliado quais as pessoas mais participativa dentro da rede. - benefícios do turismo independente no Brasil, principalmente econômico. - pesquisas envolvendo turismo no país não tem o foco no turismo independente, nas redes de intercâmbio de hospitalidade. Problematização - a rede Couchsurfing vem crescendo rapidamente nos últimos anos e mostra-se como um importante fenômeno a ser analizado. -Teórico * URRY, John * ANDRADE, José Vicente de * VIANA, Luis Dias G. * STERN, Raquel Farias * STEIL, Carlos Alberto. * LUITWEILER, Bob * Referências OLIVEIRA, Rui José de. * PRIMO, Alex. -Metodológico (Pesquisa aplicada) * BARROS, Antônio. * DUARTE, Jorge. * BAUER, Martin W. * MONTARDO, S. P. * PASSERINO, L. M. * ROCHA, P. J.
  • 44. Estruturação introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos) e empírico (1 capítulo), conclusão e referências.Conteúdo
  • 45. Estruturação A monografia respeitou as normas da ABNT (como estilo e tamanho de fonte, margens, etc.).Estética
  • 46. Temática Turismo
  • 47. Clareza O título é bem completo e podemos identificar claramente o que será tratado no trabalho.Título
  • 48. Clareza O resumo é bem completo, explica basicamente o que é a rede Couchsurfing e os objetivos e resultados do trabalho.Resumo
  • 49. Objeto 96 perfis de usuários do Couchsurfing no Brasil
  • 50. ObjetivosEspecíficos Compreender o perfil dos usuários do Couchsurfing e a sua relação com o projeto.
  • 51. 1.    Investigar como estes usuáriosObjetivos pretendem ser percebidos pelos outros; 2.    Verificar quais são os valores importantes compartilhados pelaGerais comunidade Couchsurfing
  • 52. - Análise de conteúdo com inspiração na netnografia.. - Primeiro passo: Elaboração de categoriasMetodologias de análise. - Segundo passo: Escolha dos perfis a serem analizados através de ferramenta específica do site da rede Couchsurfing, onde pode ser avaliado quais as pessoas mais participativa dentro da rede.
  • 53. - benefícios do turismo independente no Brasil, principalmente econômico. - pesquisas envolvendo turismo no país nãoProblematização tem o foco no turismo independente, nas redes de intercâmbio de hospitalidade. - a rede Couchsurfing vem crescendo rapidamente nos últimos anos e mostra-se como um importante fenômeno a ser analizado.
  • 54. * URRY, John * ANDRADE, José Vicente de *ReferênciasTeóricas VIANA, Luis Dias G. * STERN, Raquel Farias * STEIL, Carlos Alberto. * LUITWEILER, Bob * OLIVEIRA, Rui José de. * PRIMO, Alex.
  • 55. Referências * BARROS, Antônio. * DUARTE, Jorge. * BAUER, Martin W. * MONTARDO, S. P. * PASSERINO, L. M. * ROCHA, P. J.Metodológico
  • 56. ComentáriosTema O tema escolhido é bastante inovador e por isso é bem explicado pela a autora durante toda a monografia.
  • 57. Falta da relação direta com a comunicação,ComentáriosComunicação até mesmo pelo referencial teórico, onde somente um autor é do campo da comunicação. Faltou essa explicação da relação do turismo e comunicação.
  • 58. Pouco referencial teórico sobre a cibercultura e muito sobre turismo.Comentários Panorama bem completo de todas as redes que atuam no mesmo segmento, suas diferenças e funcionalidades. Abrangência nas categorias de análise, muitas informações para serem mensuradas.
  • 59. Considerações superficiais, porém o objetivo de estabelecer qual era o perfil do usuárioComentários do Couchsurfing foi alcançado. Talvez a pesquisa netnográfica tenha colaborado para a superficialidade, poderia ter empregado algumas entrevistas com uma amostra menor de perfis.
  • 60. PUBLICAÇÕES IMPRESSAS DIRIGIDASAO PÚBLICO INTERNO: ANÁLISE DEJORNAIS E REVISTAS PRODUZIDOSPELA GIORNALE COMUNICAÇÃOEMPRESARIAL E SANTO DE CASAENDOMARKETING
  • 61. PUBLICAÇÕES IMPRESSAS DIRIGIDAS AOMonografia PÚBLICO INTERNO: ANÁLISE DE JORNAIS E REVISTAS PRODUZIDOS PELA GIORNALE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E SANTO DEAutora: Vanessa Machado de Vargas CASA ENDOMARKETING
  • 62. Estrutura de conteúdo: a monografia apresentou os itens indispensáveis: introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos - Estruturação divididos em 5 e 4 subcapítulos) e empírico, considerações finais, referências e anexo. Não seguiu normas da ABNT Temática Publicações impressas dirigidas ao público interno Título claro, resumo ainda mais claro. Palavras-chave:“Comunicação Organizacional, Comunicação Interna, Jornalismo Clareza Empresarial.” Objeto de análise Giornale Comunicação Empresarial e Santo de Casa Endomarketing. Analisar os motivos pelos quais as organizações têm nas publicações impressas sua principal ferramenta de comunicação com o público interno. 1- Identificar empresas de comunicação sediadas em Porto Alegre que, entre seus serviços, ofereçam a produção de jornaisObjetivos do Estudo e revistas dirigidos ao público interno; 2- Selecionar quais destas possuem publicações disponíveis para análise; 3- Comparar as indicações encontradas na pesquisa bibliográfica, as entrevistadas e as publicações analisadas. pesquisa bibliográfica, entrevistas qualitativas semi-estruturadas, análise de conteúdo, utilizando-se da categorização Metodologia semântica. Entender os porquês de apesar dos altos custos de produção, impressão e distribuição e da possibilidade de digitalização Problematização dos conteúdos 26,6% das empresas mantem um jornal e 15,2% uma revista impressos destinados aos seus colaboradores (segundo pesquisa da ABERJE). -Teórico * CESCA, Cleuza Gertrude Gimenes. * CORRÊA, Elisabeth Saad. In: KUNSCH, Margarida. * FERRARI, Polyana. * FORTES, Waldyr Gutierrez. * FURASTÉ, Pedro Augusto. * GAUDIO, Rozalia. * KOPLIN, Elisa; FERRARETTO, Luiz Artur. * KUNSCH, Margarida Maria Kroling. * LEITE, Quézia Guimarães. * LUSTOSA, Camila. * PALMA, Juarês Rodrigues. * QUALIBLOG. * REGO, Francisco Gaudêncio Torquato do. * Referências SANTOS, Vera Sônia Konowaluk. * TORQUATO, Gaudêncio. -Metodológico (Pesquisa aplicada) * ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Acervo Online. * BAUER, Martin; GASKELL, George. * DUARTE, Jorge. * STUMPF, Ida Regina. * REVISTA LIGADO. Santo de Casa. * RH NOTÍCIAS. Giornale.* SANTO de Casa Endomarketing. Santo de Casa. * VIDE BULA, Giornale.
  • 63. A monografia apresentou os itens indispensáveis: introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos - divididos em 5 e 4Estruturação subcapítulos) e empírico (1 capítulo - dividido em 6 subcapítulos), considerações finais, referências e anexo. Obs.: Depois do ResumoConteúdo e antes do Sumário há uma lista de tabelas, que informa as páginas em que elas se encontram.
  • 64. EstruturaçãoEstética A monografia não estava conforme as normas da ABNT
  • 65. Temática Publicações impressas dirigidas ao público interno.
  • 66. ClarezaTítulo Deixa claro o tema que será tratado.
  • 67. ClarezaResumo Explica ainda melhor o assunto da pesquisa e quais suas intenções.
  • 68. Objeto Giornale Comunicação Empresarial e Santo de Casa Endomarketing.
  • 69. Analisar os motivos pelos quais asObjetivosGerais organizações têm nas publicações impressas sua principal ferramenta de comunicação com o público interno
  • 70. 1- Identificar empresas de comunicação sediadas em Porto Alegre que, entre seus serviços, ofereçam a produção de jornais eObjetivos revistas dirigidos ao público interno; 2- Selecionar quais destas possuem publicações disponíveis para análise;Específicos 3- Comparar as indicações encontradas na pesquisa bibliográfica, as entrevistadas e as publicações analisadas.
  • 71. É o primeiro subcapítulo (“Procedimento Metodológico”) no desenvolvimento empírico. A metodologia utilizada, primeiramente, é a pesquisa bibliográfica. Depois são feitasMetodologias entrevistas qualitativas semi-estruturadas. Após ainda foi feita a comparação das informações obtidas nas entrevistas e, ainda, a busca nas publicações de evidências práticas do que havia sido dito nas entrevistas. Essa segunda parte foi realizada através da análise de conteúdo, utilizando-se da categorização semântica.
  • 72. Entender os porquês de apesar dos altos custos de produção, impressão e distribuiçãoProblematização e da possibilidade de digitalização dos conteúdos 26,6% das empresas mantem um jornal e 15,2% uma revista impressos destinados aos seus colaboradores (segundo pesquisa da ABERJE).
  • 73. * CESCA, Cleuza Gertrude Gimenes. * CORRÊA, Elisabeth Saad. In: KUNSCH, Margarida. * FERRARI, Polyana. * FORTES, Waldyr Gutierrez. * FURASTÉ, Pedro Augusto. *Referências GAUDIO, Rozalia. * KOPLIN, Elisa; FERRARETTO, Luiz Artur. * KUNSCH, Margarida Maria Kroling. * LEITE, Quézia Guimarães. * LUSTOSA, Camila.Teóricas * PALMA, Juarês Rodrigues. * QUALIBLOG. * REGO, Francisco Gaudêncio Torquato do. * SANTOS, Vera Sônia Konowaluk. * TORQUATO, Gaudêncio.
  • 74. * ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DEReferênciasMetodológico COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Acervo Online. * BAUER, Martin; GASKELL, George. * DUARTE, Jorge. * STUMPF, Ida Regina.
  • 75. * ENTRE NÓS. Giornale. * FALA DASS. Santo de Casa. * GIORNALE Comunicação Empresarial. Giornale. * MURADÁS, Roberta. EntrevistadaReferências Giornale. * O UTILÍSSIMO. Giornale. * PLANETA RENNER. Giornale. * REVISTA LIGADO. Santo de Casa. * RHEmpírico NOTÍCIAS. Giornale.* SANTO de Casa Endomarketing. Santo de Casa. * VIDE BULA, Giornale.
  • 76. ComentáriosEscrita A escrita do texto é conforme as normas gramaticais, clara e de fácil entendimento.
  • 77. Na introdução, a autora deixa claro tanto osComentáriosIntrodução objetivos, quanto os objetos de análise e o problema de pesquisa escolhidos. Também explica, nessa parte, a estrutura do trabalho, facilitando a leitura.
  • 78. No desenvolvimento teórico, ela dá um panorama da comunicação organizacional (a história da comunicação organizacional no Brasil, comunicação interna nas organizações, os públicos da comunicaçãoComentáriosDesenvolvimento Teórico interna, veículos de comunicação dirigida, utilização da comunicação digital pela comunicação interna); e da comunicação empresarial (histórico, produção de publicações internas, conteúdo dos jornais de empresa, o que é esperado do jornal empresarial).
  • 79. Na metodologia ela abrange os procedimentos, os resultados e a análise de pesquisa (procedimentos metodológicos,ComentáriosMetodologia caracterização das agências, Giornale Comunicação Empresarial, Santo de Casa Endomarketing, jornais e revistas impressos para o público interno, análise das publicações).
  • 80. A divisão dos capítulos possui sentido para oComentários leitor, e a autora, em cada um deles, deixa explícita a importância dos embasamentos teóricos para a sua pesquisa.
  • 81. ComentáriosComunicação O trabalho seguidamente é relacionado com as funções e atividades do profissional de Relações Públicas e da comunicação.
  • 82. ComentáriosComunicação Em outros momentos mais específicos (principalmente em “Comunicação Empresarial”), a análise engloba o jornalismo.
  • 83. A autora expõe sua dificuldade de encontrar as empresas de comunicaçãoComentários com o perfil desejado situadas na cidade de Porto Alegre, além da falta de experiência da pesquisadora. Porém, explica que os resultados podem ser válidos, de igual forma.
  • 84. A autora afirma, através de sua pesquisa, que a importância da comunicação interna impressa se dá, na maioria das vezes, pela falta de acesso à internet por todos os funcionários da empresa. Portanto, os jornaisComentários ou revistas impressos podem abranger todos os funcionários. Depois desse fator, os motivos das publicações impressas são: a documentação histórica, o carinho, a família, o contato. Isso justifica os altos investimentos das empresas na comunicação interna impressa.
  • 85. Comentários Apesar de autora não deixar explícita sua “paixão” pelo tema, ela o aborda muito bem.
  • 86. DIGITAL BRANDED CONTENT COMO ESTRATÉGIA DECRIAÇÃO DE VÍNCULOS ENTRE MARCAS ECONSUMIDORES: a música no programa conexãoConverse
  • 87. DI G I TA L BR A N DED C O N T E N T C OMOMonografiaAutor: Rafael Achutti ESTRATÉGIA DE CRIAÇÃO DE VÍNCULOS ENTRE MARCAS E CONSUMIDORES: a música no programa conexão Converse
  • 88. Estrutura de conteúdo: introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos) e empírico (1 capítulo), conclusão e referências. Estruturação a monografia respeitou as normas da ABNT (como estilo e tamanho de fonte, margens, etc.). Temática Conteúdo Digital da Marca - Digital Branded Content (DBC) Clareza Título claro, resumo completo. Palavras-chave: marca, digital branded content, comportamento do consumidor on-line. Objeto de análise 5 programas do Conexão Converse - veiculados no Youtube Verificar as diferentes estratégias de exposição de marca da Converse junto ao seu público alvo por meio do prpgrama Conexão Converse.Objetivos do Estudo Específicos: identificar o tipo de relação que a marca estabelece com seus consumidores; quais estratégias podem ser consideradas para que a marca atinja seus consumidores; determinar se o programa Conexão Converse efetivamente possibilita o estreitamento da relação marca/consumidor. Metodologia Análise do conteúdo de 5 episódios do Conexão Converse. Problematização Não há uma problematização clara. * AAKER, David A. * CZINKOTA, Michael R. * FERREIRA, Berta Weil. * HAIG, Matt. * HILL, Dan. * HOLT, Douglas B. * HOLLIS, Nigel. * JENKINS, Henry. * KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. * KOTLER, Philip. * LONGO, Walter. * NETO, Guilherme * NICKELS, William G; Referências WOOD, Marian B. * PINHO, J. B. * PRIMO, Alex. * ROBERTS, Kevin. * SOLOMON, Michael R. * TORRES, Claudio. * VASCONCELOS, Nathália C. * YURI, Débora.
  • 89. ComentáriosOrdem lógica Sequência lógica: introdução/histórico/ panorama, definições, teorias, discussão, relação com tema.
  • 90. ComentáriosIntrodução Resumo mais detalhado, contextualizado.
  • 91. Contextualização: apresentação eComentáriosDesenvolvimento Teórico definições. Diferentes panoramas: fontes novas e ricas. Discussão e relação com o tema.
  • 92. ComentáriosMetodologia Não é super detalhada: análise de conteúdo e relação com teorias e conceitos definidos previamente.
  • 93. Comentários A sequência lógica utilizada em todos os capítulos faz com que a conclusão seja óbvia.
  • 94. Comentários O trabalho seguidamente é relacionado com as funções e atividades do profissional de Relações Públicas e da comunicação.
  • 95. Comentários O autor apresentou seu trabalho para a marca Converse e hoje coordena o planejamento de Redes Sociais da marca.
  • 96. COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COLETIVO:ESTUDO DA COMUNICAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕESCOMERCIAIS DO RIO GRANDE DO SUL
  • 97. Monografia CREDIBILIDADE E INDICAÇÃO COMO FONTES DE DIVULGAÇÃO NO SEGMENTO DE SERVIÇOS.Autora: Jéssica Ramos Garcia
  • 98. A monografia apresentou os itens indispensáveis: introdução, desenvolvimento teórico (4 capítulos) e empírico (1 capítulo), conclusão, referências e anexo. Respeitou Estruturação parcialmente a ABNT. Temática A comunicação no contexto associativista comercial Título claro, resumo completo. Palavras-chave: “comunicação; comunicação organizacional; associativismo; Clareza relacionamento; coletividade”. Quinze Associações comerciais de onze regiões do Rio Grande do Sul (Sul, Central, Vale do Rio Pardo, Delta do Jacuí, Vale do Rio dos Sinos, Vale do Rio Caí, Serra, Objeto de análise Missões Noroeste Colonial, Vale do Rio Taquari e Litoral). Específico: identificar como é a comunicação das associações comerciais do Estado no sentido de promover o engajamento dos estabelecimentos comerciais. Gerais: 1.    Conhecer os meios empregados por essas associações para se comunicarem com o referido público;Objetivos do Estudo 2.    Verificar qual a compreensão de comunicação assumida pelas associações; 3.    Refletir sobre a possibilidade de a comunicação realizada promover o engajamento dos estabelecimentos comerciais; 4.    Verificar a existência de planejamento e avaliação dos processos comunicativos; 5.   Investigar se essas entidades preocupam-se com a imagem que possuem e como a percebem. Metodologia Pesquisa bibliográfica, questionário aberto. - a partir do aprimoramento da comunicação como relacionamento, será possível que as associações promovam o engajamento de mais associados. - há pouco emprego do planejamento de comunicação e relacionamento e a quase inexistência de processos formais de avaliação nas associações. Problematização - há preocupação por parte das entidades com relação à imagem que possuem. - compreensão da comunicação como transmissão de notícias e não como contribuinte para o desenvolvimento da coletividade. - é necessário para a valorização dos associados e a promoção da participação e circulação de percepções capazes de construir novos sentidos. Teórico: ARISTÓTELES * MATURANA, Humberto R; VARELA, Francisco J * FRANCO, Augusto de. * OLSON, Mancur. * CADAVAL, Audrei Fernandes. * HAGUETTE, Teresa Maria Frota * COSTA, Rogério da * MATOS, Heloiza. * PINTO, Júlio. * BOSCHI, Renato Raul. * NEGRÃO, Theutônio; GOUVÊA, José Roberto. * PEREIRA, Caio Mário da Silva * BALDISSERA, Rudimar. * KUNSCH, Margarida Maria Krohling. * LIMA, Fábia; BASTOS, Fernanda. * PAULA, Maria Aparecida de; OLIVEIRA, Ivone de Lourdes. * GEERTZ, Referências Clifford. * PINTO, Júlio. Metodológico: *GIL, Antonio Carlos. *MOREIRA, Sonia Virgínia. *DUARTE, Jorge; BARROS, Antônio.
  • 99. Estruturação introdução, desenvolvimento teórico (3 capítulos) e empírico  (1 capítulo), conclusão, referências e anexo.Conteúdo
  • 100. Estruturação A monografia respeitou as normas da ABNT (como estilo e tamanho de fonte, margens, etc.).Estética
  • 101. Temática A comunicação no contexto associativista comercial
  • 102. Clareza O título é bem completo e podemos identificar claramente o que será tratado no trabalho.Título
  • 103. O resumo é bem completo, explica a situação das associações comerciais e o papel da comunicação nesta esfera. Porém, no resumo aparece as conclusões e opiniões da autora sobre o assunto.   Considerações: O resumo deve ser finalizado em tom conclusivo, porém nãoClarezaResumo deve constar a opinião para uma provável solução do problema pesquisado.   “é preciso avançar em termos de qualificação dos processos comunicacionais e da compreensão sobre o que seja comunicação para superar o paradigma informacional em direção do paradigma relacional.”
  • 104. Quinze Associações comerciais de onze regiões do Rio Grande do Sul (Sul, Central,Objeto Vale do Rio Pardo, Delta do Jacuí, Vale do Rio dos Sinos, Vale do Rio Caí, Serra, Missões Noroeste Colonial, Vale do Rio Taquari e Litoral).
  • 105. Identificar como é a comunicação dasObjetivos associações comerciais do Estado no sentido de promover o engajamento dos estabelecimentosEspecíficos comerciais.
  • 106. 1.    Conhecer os meios empregados por essas associações para se comunicarem com o referido público; 2.    Verificar qual a compreensão de comunicação assumida pelas associações; 3.    Refletir sobre a possibilidade de aObjetivosGerais comunicação realizada promover o engajamento dos estabelecimentos comerciais; 4.    Verificar a existência de planejamento e avaliação dos processos comunicativos; 5.   Investigar se essas entidades preocupam-se com a imagem que possuem e como a percebem.
  • 107. - Pesquisa bibliográfica sobre associativismo, organizações coletivas e a comunicação nessas esferas entendida comoMetodologias comunicação organizacional conforme o paradigma relacional. - Questionário aberto enviado por e-mail para as associações cadastradas no site da FEDERASUL (Amostra analisada: 15 de 171)
  • 108. - a partir do aprimoramento da comunicação como relacionamento, será possível que as associações promovam o engajamento de mais associados. - há pouco emprego do planejamento de comunicação e relacionamento e a quase inexistência de processos formais de avaliação nas associações.Problematização - há preocupação por parte das entidades com relação à imagem que possuem. - compreensão da comunicação como transmissão de notícias e não como contribuinte para o desenvolvimento da coletividade. - é necessário para a valorização dos associados e a promoção da participação e circulação de percepções capazes de construir novos sentidos.
  • 109. ARISTÓTELES * MATURANA, Humberto R; VARELA, Francisco J * FRANCO, Augusto de. * OLSON, Mancur. * CADAVAL, Audrei Fernandes. * HAGUETTE, Teresa Maria Frota * COSTA, Rogério da * MATOS, Heloiza. * PINTO,ReferênciasTeóricas Júlio. * BOSCHI, Renato Raul. * NEGRÃO, Theutônio; GOUVÊA, José Roberto. * PEREIRA, Caio Mário da Silva * BALDISSERA, Rudimar. * KUNSCH, Margarida Maria Krohling. * LIMA, Fábia; BASTOS, Fernanda. * PAULA, Maria Aparecida de; OLIVEIRA, Ivone de Lourdes. * GEERTZ, Clifford. * PINTO, Júlio.
  • 110. ReferênciasMetodológico *GIL, Antonio Carlos. *MOREIRA, Sonia Virgínia. *DUARTE, Jorge; BARROS, Antônio.
  • 111. Comentárioslorenkdas;ffhs;a hsaklfhak;fahskf;sahfksahf;ksa
  • 112. NOVAS ESTRATÉGIAS PARA NOVOS SEGUIMENTOS:MIDA SAÚDE
  • 113. MonografiaAutora: Juliana da Rosa Marchioretto NOVAS ESTRATÉGIAS PARA NOVOS SEGUIMENTOS: MIDA SAÚDE AUTORA: JULIANA DA ROSA MARCHIORETTO
  • 114. A monografia apresentou os itens indispensáveis: introdução, desenvolvimento teórico (2 capítulos) e empírico (1 capítulo), conclusão e referências. a monografia respeitou as normas da ABNT (como estilo e tamanho de fonte, margens, etc.). Não Estruturação possui anexos, porém possui uma lista de ilustrações devidamente identificado, que indicam as ilustrações que estão em cada página Temática Segmento de Serviços – Área de saúde Título Comunica o assunto, mas não deixa claro o que pretende , resumo estruturado; apresenta objeto, objetivo e Clareza conclusões.. Palavras-chave:estratégias, comportamento do consumidor, educação em saúde Objeto de análise MIDA Sistema Integrado de Saúde – Empresa de atendimento domiciliar de educação em saúde Identificar como as empresas do setor de prestação de serviços em saúde se diferenciam e criam valor para os seusObjetivos do Estudo clientes. Como proposta metodológica a pretensão era o desenvolvimento de um projeto de pesquisa exploratória, de natureza Metodologia qualitativa.” Realizou-se revisão bibliográfica, entrevistas não estruturadas e pesquisa documental. Como a MIDA, empresa de atendimento domiciliar de educação em saúde, se posiciona no mercado de prestação de Problematização serviço em saúde? -Referencial Teórico Aléssio Sarquis; Chan Kim; Marcos Cobra; Margarida Kunsch; Michael Porter; Michael Solomon; Nestor Canclini; Philip Kotler; Referências Rudimar Baldissera -Referencial Metodológico Antônio Carlos Gil; Astor Diehl, Denise Carvalho Paim; Eva Maria Lakatos, Marina de Andrade Marconi; Manoelita Lima
  • 115. A temática da monografia está, de fato, expressamente voltada para um novo nichoComentários de serviços de saúde, desvinculando de hospitais e clínicas. Um serviço personalizado e domiciliar que tem como público-alvo pessoas que não se preocupam em preços.
  • 116. Comentários Análise bastante densa teoricamente, com referências importantes para as definições de conceitos abordados pela autora.
  • 117. A autora exalta a importância de estaremComentários atentas às tendências, conhecer o consumidor ao qual são direcionados os serviços e produtos da empresa e ter uma estratégia de posicionamento bem definida.
  • 118. Principal questão analisada foi o planejamento estratégico da empresa, pois percebeu-se que ao segmentar seusComentáriosMetodologia públicos e serviços a MIDA tornou sua comunicação mais objetiva, informando e divulgando seus serviços de maneira mais eficaz, auxiliado pelo conhecimento sobre o perfil do consumidor e suas diferentes estratégias de divulgação.
  • 119. Comentários Esta monografia, portanto, apresentou uma empresa com serviços diferenciados, sendo pioneiros no que fazem.