Your SlideShare is downloading. ×
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
1
Índice
Introdução
1...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
2
Anexo 7
Desenho 5
A...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
3
Introdução
No âmbit...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
4
1-Caracterização da...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
5
Network e o Panda. ...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
6
É importante para a...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
7
organiza os iconogr...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
8
de perfil, o coelho...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
9
evolução desta comp...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
10
também começar a a...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
11
Conclusão
O desenv...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
12
Bibliografia
Garci...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
13
Webgrafia
O desenv...
Escola Superior de Educação de Castelo Branco
Didáctica da Expressão Plástica
Ensino Básico – 2º Ano
14
Grafismo Infantil:...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

análise desenho infantil

1,355

Published on

análise desenho infantil

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,355
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "análise desenho infantil"

  1. 1. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 1 Índice Introdução 1-Caracterização da Criança 4 2-Percurso de Execução e Análise dos Desenhos Infantis (8 anos) 6 Conclusão Bibliografia Webgrafia Anexos Anexo 1 Análise dos Desenhos Infantis do Pré-Escolar (4 / 5 anos) Anexo 2 Análise dos Desenhos Infantis de Idade Escolar (6 e 7 anos) Anexo 3 Desenho 1 Anexo 4 Desenho 2 Anexo 5 Desenho 3 Anexo 6 Desenho 4
  2. 2. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 2 Anexo 7 Desenho 5 Anexo 8 Desenho 6 Anexo 9 Desenho 7 Anexo 10 Desenho 8
  3. 3. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 3 Introdução No âmbito da disciplina de Didáctica da Expressão Plástica foi-nos proposto pela docente Paula Neves, a realização de um trabalho de análise crítica a desenhos e ao seu percurso de execução, efetuados por uma criança segundo os indicadores de Garcia & Pérez (1998). O surgimento do que se chama arte infantil foi condicionado pelo desenvolvimento das técnicas gráficas e plásticas e pela difusão cada vez maior do papel e do lápis. Assim um estudo sobre o desenho infantil tem actualmente uma importância maior pois estes materiais são mais acessíveis, o que vem a permitir variadas expressões nomeadamente gráficas. Os pesquisadores do grafismo infantil entendem que existem determinados aspectos que fundamentam o desenvolvimento do desenho infantil. Em épocas e lugares diferentes existem características constantes que nos possibilitam falar em fases de desenvolvimento do desenho.
  4. 4. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 4 1-Caracterização da Criança O Bruno Duarte nasceu no dia 8 de Setembro de 2003, tendo actualmente 8 anos. Vive com os seus pais e irmão mais velho de 11 anos. O seu pai possui o 12 º de Escolaridade, sendo Mecânico Auto e a mãe é licenciada em Psicologia e trabalha como Comunicadora da PT. Tal como os seus pais e irmão é natural de Castelo Branco. Segundo informações que a mãe nos comunicou a gravidez foi desejada e planeada. O parto foi a termo (40 semanas) sem quaisquer complicações, permanecendo 3 dias no hospital. Foi alimentado com leite materno até aos 7 meses, tendo sido introduzidos novos alimentos ao quarto mês sem rejeição dos mesmos. Tem sido uma criança saudável. Começou a dormir no quarto com o seu irmão aos 2 anos. Tem apresentado um bom relacionamento com os pais e irmão sem sinais de agressividade. Raramente tem birras e o seu comportamento mantém-se constante. Por vezes manifesta sinais de ciúmes em relação ao irmão, mas isso deve-se principalmente a questões próprias da diferença de idade. O Bruno é uma criança divertida, simpática e curiosa. É meiga e respeitadora quer em relação à sua família, aos seus amigos e desconhecidos. Tem dois primos um de 3 anos e outro de 7, sendo muito afetuoso com o de 3 e tendo uma excelente relação com o de 7 pois têm interesses comuns. Até aos 3 anos o Bruno, enquanto os seus pais trabalhavam, esteve com a avó, tendo a sua integração no Jardim-de-Infância ocorrido nesta idade. A criança adaptou-se facilmente. Gostava de frequentar o infantário pois arranjou novos amigos, brincava, realizava diversos jogos, passeava,… Ao começar o 1º Ciclo do Ensino Básico continuou a ser uma criança sociável. Há a salientar que o Bruno tem frequentado a mesma escola no Pré-escolar e 1º Ciclo permanecendo com os mesmos amigos na sua escola. É um aluno interessado, atento e que faz sempre os trabalhos de casa. As suas áreas fortes são a Língua Portuguesa, o Inglês, as Ciências e a Matemática. A Expressão Musical é a área mais fraca. Como actividade extra-curricular pratica natação 2 vezes por semana, desde o início do ano lectivo actual. O Bruno começou a manifestar sinais de interesse pela sexualidade, desde os três anos de idade, colocando questões como "de onde vêm os bebés?". As suas brincadeiras preferidas são jogos de consolas e online de estratégia, aventura e desporto, ler livros de aventura e brincar ao “Karaté Kid”. Desfruta ouvir música pop e rock contemporânea, sendo o seu cantor preferido o Justin Bieber. Gosta de ver televisão sendo os seus canais preferidos o Disney Channel, o Cartoon
  5. 5. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 5 Network e o Panda. Aprecia desenhos animados como Bakugan, Bleyblade, Ben 10,… Adora filmes de animação e de ficção científica e ir ao cinema ver películas em 3D.
  6. 6. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 6 É importante para a compreensão do nosso trabalho, verificar o anexo 1 onde se encontra a análise de desenhos do Bruno no pré-escolar (4 / 5 anos) e o anexo 2 da idade escolar (6 / 7 anos). 1- Percurso de Execução e Análise dos Desenhos Infantis feitos pela Criança Desenho 1 (anexo 3) No dia 31 de Março de 2012 quando o Bruno tinha 8 anos e 6 meses, aproximadamente, foi-lhe pedido para executar um desenho. Este foi feito em sua casa, a fim de que, a criança se sentisse no seu ambiente familiar. Quando da realização desta composição gráfica encontravam-se presentes a mãe, o primo e um membro do nosso grupo de trabalho, sendo a criança íntima deste. O desenho teve início cerca das 15 horas e demorou aproximadamente 1 hora a ser terminado. Antes de iniciar a composição gráfica falou-se com a criança, questionando-a se gostava de desenhar e qual era o seu tema preferido. O Bruno afirmou que se sentia seduzido pelas paisagens e que embora na escola não o fizesse regularmente sentia prazer pelo desenho. Pôs-se ao seu dispor um lápis de grafite, uma borracha, lápis de cores e de cera, canetas de feltro e folhas A4 brancas. Como a criança se encontrava nas férias da Páscoa, esta resolveu fazer um desenho alusivo a este tema, existindo claramente uma intenção narrativa que se expressou antes da sua produção. Primeiramente o Bruno utilizou o lápis de grafite para fazer o esboço da composição gráfica. Desenhou, inicialmente, a relva que se encontra na linha de base, de seguida os montes e o sol. Em seguida traçou os pormenores de desenho como a relva espalhada pelo monte, os ovos de Páscoa, os coelhos e a jarra. A criança utilizou os lápis de cores, de cera e as canetas de feltro, sendo a borracha utilizada quando o Bruno se enganou na execução da jarra. Baseando-nos em Garcia e Pérez (1998), a criança encontra-se no Estádio do Realismo Analítico, precisamente, na Etapa de Realismo Perceptivo ou Descritivo, não apresentando correspondência entre a idade desta e a etapa de desenvolvimento do desenho, pois o Bruno tem 8 anos e meio aproximadamente e esta etapa é a partir dos 9 anos. A criança, já, apresenta graficamente definido o espaço exteroceptivo, pois
  7. 7. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 7 organiza os iconogramas uns com os outros, estando os elementos gráficos organizados e relacionados constituindo uma composição. Também já está estabelecida, de uma maneira clara, uma ordem interoceptiva observando-se uma lógica na disposição espacial interna. Os olhos do coelho grande não perdem significado se retirados do contexto, ou seja, se isolados deste iconograma continuam a ser identificados como olhos. Os iconogramas assumem um carácter sólido e durável constituindo um código iconográfico, estando expostos, de forma clara e observando-se um vocabulário gráfico estável. A repetição de esquemas base é utilizada intuitivamente como meio ornamental para representar o mesmo conceito como podemos observar na relva e ovos da Páscoa dispersos pelo monte. Os iconogramas evoluíram em relação aos desenhos 7 (anexo 9) (lembrar que este data do inicio do 2º ano de escolaridade, precisamente, 21 de Setembro de 2010 e o actual foi realizado no 3º ano, precisamente no final do mês de março, aproximadamente, 18 meses depois o que nesta fase de desenvolvimento do desenho é um tempo considerável) e 8 (anexo 10). O iconograma do coelho maior com a cabeça representada de frente mostra originalidade, estando o Bruno atento aos pormenores como as orelhas que apresentam duas tonalidades de castanho, às bochechas donde saem os bigodes, à relva que cobre o coelho…., e ao exagero de partes significativas como os dentes, as bochechas e as orelhas. Os vários ovos, representados no desenho, mostram padrões geométricos diferentes e a criança utiliza as cores nestes como recurso decorativo, apresentando em alguns graficamente texturas. Aparece de forma engraçada a representação de um pequeno coelho cinzento, que se apresenta de perfil, onde o Bruno utilizou a caneta de feltro preta com a finalidade de tornar o iconograma mais atractivo, e este coelho em relação ao outro aparece menor, sendo os objectos mais distantes representados mais pequenos. Um facto interessante foi o primo de 3 anos do Bruno ter utilizado o lápis de cor castanho e ter feito um risco no desenho. A criança desenvolveu uma estratégia, perante este problema, ao desenhar na parte superior, da composição gráfica, uma borboleta. Em relação ao desenho da jarra verifica-se que a criança começa a descobrir o conceito de perspectiva e perguntou-se qual a sua utilidade, tendo esta respondido que servia para os coelhos colocarem os ovos. O Bruno desenhou o símbolo do yang yin, pois o yang representa o amor, a tolerância e a amizade e o yin o ódio, a intolerância e a inveja. O fundamento é a busca de equilíbrio destas duas componentes e numa época como a Páscoa devemos manter a harmonia destas duas forças pela Paz no Mundo. Foi a intenção de representar a Paz no Mundo o motivo pelo qual a criança desenhou este símbolo. Nesta composição gráfica o Bruno concebe formas mais orgânicas, tendendo a eliminar formas geométricas e pretendendo representar os detalhes da forma. Apesar do desenho apresentar linha de base e linha de céu, o céu já não está só em cima mas desce ao chão encontra-se com a terra, dando-se início ao conceito de profundidade. O coelho que se apresenta
  8. 8. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 8 de perfil, o coelho maior e a jarra aparecem representados com uma posição obliqua em relação à linha de base que é a parte inferior da folha de papel. A folha apresenta-se na horizontal. A criança estabelece uma relação objectiva entre a cor e o objecto, como por exemplo apresenta a relva verde e o céu azul. Além de elemento diferenciador, também a usa como recurso decorativo ao pintar a jarra, o coelho grande e os ovos, cada um destes elementos com várias cores. Desenho 2 (anexo 4) No dia 27 de Abril de 2012, aproximadamente, um mês depois de o Bruno ter realizado o desenho 1 (anexo 3) foi-lhe pedido para executar outra composição gráfica. Esta foi efectuada na casa da sua avó. O ambiente era familiar uma vez que, como já foi referido anteriormente, o Bruno esteve com esta até aos 3 anos mantendo, posteriormente, um contacto constante. Quando da execução deste desenho estavam presentes a avó e um membro do nosso grupo, com o qual o Bruno mantem uma certa intimidade. Ao contrário da composição gráfica anterior o Bruno encontrava-se no período de aulas costumando ir, por vezes, para a casa da avó depois destas. Cerca das 19 horas o membro do nosso grupo de trabalho desloca-se à casa em questão. A criança estava a ver o filme de animação “Procurando Nemo”. Este é sobre um pequeno peixe-palhaço chamado Nemo , que é sequestrado do coral onde reside por um mergulhador, passando a viver num aquário e o seu pai sai em busca deste. Conversámos com o Bruno sobre a película que, por acaso, é uma das suas favoritas a qual já foi visualizada pela criança duas ou três vezes. O Bruno sente-se fascinado pela vida oceânica, apreciando ver documentários e fotografias sobre esta. Este diálogo originou a execução desta composição gráfica, havendo uma intenção narrativa que se expressou antes da sua produção. A realização deste durou aproximadamente 1 hora. Colocou-se à sua disposição um lápis de grafite, uma borracha, lápis de cores e de cera, canetas de feltro e folhas A4 brancas. O Bruno iniciou o seu desenho servindo-se do lápis de grafite para fazer o esboço deste. Primeiramente desenhou o polvo, traçando os seus pormenores. Seguiu- se o peixe-balão onde realizou o mesmo procedimento. Com o peixe-palhaço e finalmente a estrela- do-mar observou-se o mesmo. A criança utilizou o lápis de grafite, a borracha, os lápis de cores e de cera. Segundo Garcia e Pérez (1998), a criança apresenta-se no Estádio do Realismo Analítico, justamente, na Etapa de Realismo Perceptivo ou Descritivo. Não há consonância entre a idade da criança e a etapa de desenvolvimento do desenho, pois o Bruno tem 8 anos e 7 meses aproximadamente e esta etapa é a partir dos 9 anos. A nosso ver, o Bruno é uma criança que a nível da composição gráfica e seu desenvolvimento, e em relação ao desenho de outras crianças da sua idade, mesmo em etapas anteriores, se tem encontrado mais adiantado. Não se verificou uma
  9. 9. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 9 evolução desta composição gráfica em relação ao desenho 1 (anexo 3). O Bruno combina de forma equilibrada o espaço a nível interoceptivo, observando-se uma lógica na disposição espacial interna. Os olhos tanto do polvo como do peixe-balão, quando isolados dos iconogramas continuam a ser identificados como olhos, ou seja as suas representações não perdem significado se retiradas do contexto. A nível exteroceptivo, os elementos gráficos estão organizados e relacionam-se constituindo uma composição. A criança relaciona graficamente os conceitos de forma e de espaço até estabelecer um tema. Nesta composição gráfica houve omissão da linha de base, pintando com o lápis de cera a folha toda de azul, representando o oceano. O Bruno preocupa-se em delinear os pormenores da forma, utilizando linhas mais orgânicas e descritivas. Estes detalhes ocuparam uma parte significativa do tempo na realização desta composição gráfica. A criança revela autonomia e criatividade na formação de iconogramas. O Bruno tende a diferenciá-los cada vez mais através de símbolos adicionais, como por exemplo, os espinhos no peixe-balão. Um aspecto a considerar é o facto de a criança ter dito enquanto desenhava que o polvo não possuía tentáculos, mas sim 8 braços. Quando da execução deste, teve o cuidado de os desenhar, aplicando na sua composição gráfica o conhecimento do seu meio envolvente. O Bruno ao pintar o polvo de violeta tende a mostrar graficamente texturas, pois ao utilizar o mesmo lápis de cor, nas “bolinhas” “carrega” mais no lápis para o fazer. O mesmo se verifica na estrela-do-mar e no peixe- balão (neste nos seus espinhos). A representação do peixe-palhaço é diferente do da espécie em questão. A nosso ver, a criança deve ter tido dúvidas ao desenhá-lo. Outro aspecto foi o facto de a criança pintar este de azul, em vez de o pintar de laranja com tiras brancas como na realidade o é. Questionámos por que motivo o fez, ao que respondeu ser daquela cor. Na nossa opinião, o Bruno deveria encontrar-se cansado devido ao facto de ter tido um dia muito preenchido com aulas, pois este iconograma foi o último que ele pintou. Este desenho apresenta três cores que são o laranja e o violeta (cores secundárias) e o azul (cor primária). A nível gráfico, a criança exprime a estética actual, pois o filme “Procurando Nemo” datando de 2003, continua a ser muito publicitado, passando no Disney Channel e Cine Magic com frequência. O Bruno se for bem acompanhado nas suas actividades gráficas por um professor que o estimule e o ensine, poderá seguir uma área ligada às artes plásticas, nomeadamente ao desenho, pois é uma criança criativa e atenta aos pormenores tendendo a ter uma concepção realista, e no futuro certamente, o espaço tridimensional será um foco de interesse para ele (talvez seja por isso que este gosta dos filmes em 3D). É urgente o professor prestar mais atenção ao desenho infantil no Pré-Escolar e no 1º Ciclo do Ensino Básico, concedendo um espaço nas suas aulas dedicado a este. O papel do professor consiste em trabalhar, alargando o reportório visual e cultural das crianças. Pode-se
  10. 10. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 10 também começar a admirar e julgar imagens de obras de artistas, despertando a sua imaginação e estimulando a sua atenção por diversas formas de representação e introduzindo conceitos elementares da linguagem visual. O docente que sabe minimamente o que pode esperar ou não do desenho de uma criança numa determinada fase, do seu desenvolvimento, tem mais oportunidades de sugerir atividades que sejam significativas para os seus alunos e corre menos riscos de causar frustrações que afectem a auto-estima da criança. Se o professor compreende a evolução do desenho infantil fica mais receptivo à beleza deste, conversando com a criança sobre este e seu resultado, capacitando-se para a realização de actividades a partir do que ouviu e observou nas crianças. A nosso ver, não se devem estabelecer fases iguais entre todas as produções de crianças pertencentes a uma mesma faixa etária. Os desenhos devem ser entendidos como um processo evolutivo. Não se deve seguir uma sequência rígida e o que realmente importa são os estilos reconhecíveis de cada criança onde a representação não é mais relevante, mas sim as formas, os signos e estruturas.
  11. 11. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 11 Conclusão O desenvolvimento do desenho infantil é uma área atraente, porém ainda pouco conhecida por docentes e pais. Um primeiro passo para alterar a situação actual do entendimento sobre o desenho infantil é compreender mais sobre o seu processo e desenvolvimento, seja pela atenta observação do quotidiano em sala de aula, na vida familiar ou a partir de leituras específicas. O desenho constitui a expressão da visão de mundo que cada criança possui, pois através do desenho a criança desenvolve suas potencialidades manifestando suas reflexões. Com este trabalho desejamos começar e continuar um percurso persistente numa procura incansável que nos ajude a utilizar as ferramentas necessárias à nossa profissão, a qual sabemos que constitui um desafio que implica uma actualização contínua de ordem científica e pedagógica.
  12. 12. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 12 Bibliografia Garcia, L. & Pérez, R. (2011). Las Artes Plásticas y su Funcion en la Escuela. (3ª Edição). Ediciones Aljibe: Málaga Cox, M. (2007). Desenho da Criança. (3ª Edição). Livraria Martins Fontes Editora Ltda.: São Paulo Telmo, I. (1986). A Criança e a Representação de Espaço. Lisboa: Livros Horizonte.
  13. 13. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 13 Webgrafia O desenvolvimento histórico do processo do estudo do desenho da criança – Juliana Lopes, Universidade de França ( Monografia) (Acedido a 25 de Março) http://julianacassab.com/Arquivosdownload/Monografia/Monografia_JulianaCassab.pdf O desenho como expressão no aprendizado infantil: caminhos e possibilidades- Luci Carlos de Andrade in Dissertação Mestrado – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Acedido a 25 de Março) http://200.129.202.51:8080/jspui/bitstream/123456789/761/1/Luci%20Carlos%20de%20Andrad e.pdf A representação do espaço e tempo no desenho da criança – Célia de Castro Almeida (Acedido a 5 de Abril) http://www.proposicoes.fe.unicamp.br/~proposicoes/textos/1-artigo-almeidacm.pdf Lápis vermelho é de mulherzinha: Desenho infantil, relações de gênero e crianças pequenas – Márcia Gobbi in Pro-Posições (Acedido a 5 deAbril) http://www.proposicoes.fe.unicamp.br/~proposicoes/textos/28-artigos-gobbim.pdf
  14. 14. Escola Superior de Educação de Castelo Branco Didáctica da Expressão Plástica Ensino Básico – 2º Ano 14 Grafismo Infantil: Uma análise do processo de desenvolvimento do desenho infantil de crianças de 0 a 12 anos – Maria de Fátima Ribeiro, Centro de Ciências Exactas e Tecnologia, Universidade da Amazónia (Trabalho de conclusão de curso para obtenção de Licenciatura) (Acedido a 20 de Abril) http://www.nead.unama.br/site/bibdigital/monografias/grafismo_infantil.pdf Construções no desenho infantil: dos modelos referenciais à problematização dos estereótipos- Carla Binfaré, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Trabalho de conclusão de curso para obtenção de Pós-Graduação) (Acedido a 20 de Abril) http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/15681/000688480.pdf?sequence=1 O Desenho Infantil - Florence De Meredieu (Google Books) (Acedido a 20 de Abril) http://books.google.pt/books?id=pHxGO3rtYZ0C&pg=PA9&dq=desenho+infantil+escrita&hl =ptPT&sa=X&ei=dLOFT7WQMpGKhQeXg_ndCA&ved=0CDkQ6AEwAA#v=onepage&q=d esenho%20infantil%20escrita&f=false

×