SUPERSTITIONS!

Texto 1

Sexta-feira, 04 de dezembro de 2009 - 01:12

Superstição dá força para o Paulista na final
Marqui...
TEXTO 2 - Sexta-feira 13. Você acredita em superstição?

13/11/2009 - 14h32 (Guido Nunes - gazeta online)
foto: Guido Nune...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Superstitions

768

Published on

Published in: Education, Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
768
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Superstitions"

  1. 1. SUPERSTITIONS! Texto 1 Sexta-feira, 04 de dezembro de 2009 - 01:12 Superstição dá força para o Paulista na final Marquinhos usa chuteira azul, William Rocha leva terço e Cleber pinta tranças do cabelo para a decisão diante do Votoraty Agência BOM DIA Vale tudo para ser campeão, inclusive a superstição entre os jogadores do Paulista que domingo pegam o Votoraty, na final da Copa Paulista, em Votorantim. O meia Marquinhos afirma que desde que trocou a cor da chuteira (passou a calçar um par azul ao invés da preta convencional), não saiu mais do time. E o Paulista não perdeu nenhum jogo. “É a primeira vez que estou usando uma chuteira colorida e vou continuar porque me dá muita sorte e tem ajudado o Paulista nessa caminhada ao título”, diz. O jogador abandonou a antiga chuteira quando o time foi eliminado ainda na primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro. Oração O volante Willian Rocha mantém um ritual particular. Antes do aquecimento para os jogos, ele coloca no meião um terço de Nossa Senhora Aparecida, que fica na cabeceira de sua cama, e vai para o campo. “Sempre levo o meu terço em todos os jogos. Ele me dá muita sorte e proteção”, diz Willian Rocha, que tem um cuidado especial com seu talismã: não gosta que ninguém chegue perto. Já o zagueiro Cléber homenageia o Paulista, com tranças no cabelo. Nesta sexta-feira, ele promete pintá-las com as cores do Paulista, preto, vermelho e branco, e ir com visual novo para a decisão. “Gosto desses visuais. E está dando sorte ao time.” O técnico Aarão Alves prepara a equipe para surpreender o rival fora de casa, mesmo sabendo que o empate garante o título (venceu o primeiro jogo por 2 a 1). Fonte: http://www.redebomdia.com.br/Noticias/Esporte/5618/Supersticao+da+forca+para+o+Paulista Acesso em: 08 de dezembro de 2009.
  2. 2. TEXTO 2 - Sexta-feira 13. Você acredita em superstição? 13/11/2009 - 14h32 (Guido Nunes - gazeta online) foto: Guido Nunes Cristiane acredita na influência da sexta-feira 13 e mantém a superstição Sexta-feira, 13 de novembro de 2009. A famigerada data desperta em muitos brasileiros a valorização das superstições. Muitos acreditam que neste dia aumentam as chances de alguma coisa acontecer errada por conta do azar, ou pela falta de sorte - para os menos pessimistas. Entre crenças e mitos, a superstição da data diverge opiniões dos capixabas. A comerciante Cristiane de Oliveira, 19 anos, segue a linha tradicional: desvia de gato preto, acredita que quebrar o espelho pode acarretar em anos de azar... "Passar embaixo da escada, nem pensar! Não passo de jeito nenhum. Dá azar!", exclamou. foto: Guido Nunes Cláudio Costa não liga para a famigerada data e nega ter algum tipo de superstição Mas não são todos que pensam desta maneira. Há quem desmistifique a negatividade das superstições. É o caso do engenheiro Cláudio Costa. "Eu desde criança sempre passo debaixo da escada e sempre me perguntei o porquê de não passar. Ninguém nunca soube explicar. Quanto ao gato preto, ele é um repolarizador de energia usado pelos monges do Tibet e ficou essa superstição. O azar está no nosso espírito", filosofou. foto: Guido Nunes O vendedor João Carlos comemora o aumento nas vendas de artigos religiosos Para a dona de casa Zélia Aparecida Marquesi, 44 anos, a sexta-feira 13 é um dia romântico. Ela encontrou o marido pela primeira vez no dia 13 de novembro. A data é tão especial que nem as superstições abalam a felicidade dela. "Para mim esta sexta-feira foi muito especial. Principalmente o 13 de novembro que foi quando eu encontrei uma pessoa e estou com ela até hoje. Não tem gato preto, nem escada, para mim é ótimo." No entanto, circulando pelas ruas a impressão que fica é a de que a cada ano vem reduzindo nas pessoas as crenças em superstições. O curioso é que alguns capixabas disseram não acreditar nem em sorte tampouco em azar, mas nunca deixam o chinelo virado no chão, evitam passar por debaixo de escadas, desviam de gato preto nas ruas. Para eles, a atitude 'é apenas para garantir. Uma medida preventiva'. http://gazetaonline.globo.com/index.php? id=/local/minuto_a_minuto/local/materia.php&cd_matia=563216

×