Ficha formativa fil 10
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ficha formativa fil 10

on

  • 1,284 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,284
Views on SlideShare
1,271
Embed Views
13

Actions

Likes
0
Downloads
19
Comments
0

1 Embed 13

http://filosofia-diariodebordo.wikispaces.com 13

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Ficha formativa fil 10 Ficha formativa fil 10 Document Transcript

    • ESCOLA SECUNDÁRIA DE BOCAGE Ficha Formativa de FILOSOFIA I «A filosofia poderá ser perspectivada como uma reflexão radical sobre a realidade, sobre o homem e sobre o mundo. Como reflexão radical a filosofia situa-se no plano de uma racionalidade interpretativa e explicativa. Esta racionalidade interpretativa e explicativa implica que as posições assumidas não se alicercem em crenças ou meras opiniões mas se enraízem numa fundamentação que [...] lhes confira uma justificação consistente. Por consequência, no âmbito da filosofia não terão sentido atitudes dogmáticas, visto que a dogmatização [...] envolverá necessariamente a ausência de uma fundamentação aberta.» Sousa, M. C. H. de, As Ilusões da Razão, Porto, Brasília Editora, pp. 17-181. Qual a especificidade da Filosofia presente no texto? Justifica a tua resposta.2. No quadro abaixo, identifica as afirmações verdadeiras e falsas, assinalando respectivamente Vou F Afirmações V F JustificaçãoA Filosofia procura a raiz ou ofundamento de todas ascoisas.É próprio da filosofia procurarcompreender o real na suatotalidade e unidadeA filosofia é acima de tudo oreino da subjectividade e daarbitrariedade, onde seadmitem, sem critério oucrítica, todas as ideiasA filosofia é um modo críticode reflectir sobre as nossasconvicções e ultrapassar aslimitações do senso comum.A filosofia é a análise lógica dalinguagem e a clarificação dosignificado das palavras e dosconceitos.Cada aprendiz de filósofo tempela frente uma árdua tarefa,dado que tem que partir dozero na sua actividadereflexiva.A actividade filosófica éinseparável da liberdade darazão face a todas ascoerções e a todos osconstrangimentos exteriores,sejam eles a religião, apolítica, as ideologias, aautoridade ou a tradição.A filosofia é sempre umareflexão pessoal dirigida atodos os homens 1
    • II1.Lê atentamente o texto de J.L. Aranguren onde se faz uma breve análise da noção de felicidade,pondo-se em confronto duas visões distintas e acabando o próprio autor por propor também eleuma tese.Antigamente a felicidade era entendida todas as fortunas (?) espirituais, desde quecomo um ideal só alcançável pelos filósofos cresçam os aumentos materiais.contemplativos (Aristóteles), pelos que Claro está que depressa as coisas sesobre-humanamente renunciavam a tudo mostram mais complicadas porque, quando(estóicos), pelos que, perante o carácter já se alcançou aquilo em que,enganador do prazer, acabavam por fazer ilusoriamente, púnhamos a felicidade, estao mesmo (epicuristas) e por todos os que a vai para mais longe; agora já não basta oreservavam para os “eleitos” e, para carrito, porque faz falta um automóvelcúmulo, não neste mundo mas noutro sumptuoso, a nossa vivenda precisa de ser(Escolástica). uma luxuosa vila e a felicidade parece não Agora as coisas mudaram. A actual ser já uma questão só de dinheiro, mastrivialização da palavra “feliz” (“faz-me feliz” também de status: se pudéssemos chegardiz qualquer um após a consecução da a ser directores da empresa ondecoisa mais acessível) corresponde à trabalhamos, se pudéssemos chegar a serdemocratização, á aproximação, à ministros! (Este último exemplo não é bom:vulgarização das expectativas da qualquer um pode chegar a ser ministro,felicidade. A felicidade parece estar aí, no como mostra a experiência.)voltar do ano, quando, enfim, podemos A agridoce verdade é que, à medida queadquirir o carrito, a casa própria ou o nos aproximamos da felicidade, ela seaumento do salário; a felicidade parece afasta mais e mais.”assim ter-se colocado já ao alcance de J.L. Aranguren, Propostas Morales.2 . Após a leitura, proponho que identifiques as teses e a estrutura argumentativa dotextoTema:_______________________________________________________________________Problema:_______________________________________________________________________________________________________________________________________________Respostas ao problema:a) Teseantiga________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________b)Visãoactual______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 2
    • c)Tese do autor______________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________ __________________________________________________________________ __________ Argumentos a favor da tese: __________________________________________________________________ __________ __________________________________________________________________ __________ __________________________________________________________________ __________ __________________________________________________________________ __________ III 1. Assinala como correcta (C) ou errada (E) as afirmações, abaixo indicadas, que completam a afirmação: A acção Humana é…. Afirmações C E Uma forma de conduta autónoma, consciente e voluntária O que individualiza cada homem, definindo-o pela maneira como a exercita e a dirige. O homem faz-se e constrói-se na acção. Um acto inconsciente ou uma resposta instintiva a certos estímulos. A acção que é específica dos seres humanos e que só estes são capazes de realizar A acção que realizamos conscientemente, dando-nos conta de que a fazermos Um qualquer acto praticado por ser um humano Um acto realizado após decisão deliberada IV Todos os termos da rede (conceptual) convergem aqui: acção, intenção, motivação e, por fim, agente (…), Importa (…) compreender a palavra agente em função de toda a rede. P.Ricouer, O Discurso da Acção, edições 70 1.Quais os termos da rede conceptual da acção humana presentes no texto? Explicita-os. 2.Distingue fazer, agir e acontecimento. 3.Constipar-se e manter-se quieto e sem respirar enquanto se tira uma radiografia são acções? Porquê? 4. “ Uma acção não é um acontecimento como um tremor de terra ou a queda de uma folhamorta». Concordas com a afirmação? Fundamenta a tua resposta. 3
    • V Estamos perante um enigma filosófico característico. Por um lado, um conjunto deargumentos muito poderosos força-nos à conclusão de que a nossa vontade livre não existeno Universo. Por outro lado, uma série de argumentos poderosos baseados em factos danossa própria experiência inclina-nos para a conclusão de que deve haver alguma liberdadeda vontade, porque aí todos a experimentamos em todo o tempo. J. Searl, Mente, cérebro e Ciência2- O determinismo radical e o determinismo moderado são duas das teorias querespondem ao problema do livre-arbítrio. Em que é que se distinguem? 4